sexta-feira, agosto 06, 2010

Tragédia do fumo da minha janela

                                 Moscovo, 12.00 horas, 06 de Agosto





Caros leitores, as imagens falam por isso. É difícil explicar a situação das pessoas em casa. De janelas fechadas, pareço encontrar-me num aquário de vidro fosco. Sair à rua é impossível, porque, além do fumo, a temperatura está perto dos 40 graus.
E é cada vez mais forte a sensação de claustrofobia, pois não se vê luz ao fim do túnel. Segundo as previsões, o calor vai continuar... Até quando?

10 comentários:

Cristina disse...

Caro JM
Deve ser, de facto, angustiante. Estive numa situação semelhante, quando um incêndio andava por perto da minha casa em Portugal e sei o que é o sentimento de impotência e medo que gera. O melhor seria sair daí por alguns dias, ou tomar uns calmantes, em último caso. Como conseguem os moscovitas sobreviver, se as autoridades recomendam ficar em casa? Continuam a ir trabalhar normalmente, a fazer compras?
Sei que tem havido muitos casos de agravamento das doenças cardio-vasculares...

Держись, Господь не оставит!

Anónimo disse...

Agosto, mês tradicional de catástrofe para a Rússia.

Anónimo disse...

Agosto, mês tradicional de catástrofe para a Rússia.

Jose Milhazes disse...

Cara Cristina, os calmantes já não ajudam e os moscovitas, como te deves lembrar, são gente rígida.

Anónimo disse...

oque que dizer com gente rigida?

Jose Milhazes disse...

Claro que queria dizer gente rixa, mas o calor não pedoa.

Anónimo disse...

Rija, talvez?

Pois, os russos são conhecidos pela coragem que demonstram quando se encontram em situações extremas. Por exemplo, na altura do tsunami na Tailândia, muitos russos foram para lá de férias, mesmo sabendo o caos que iriam encontrar.
É um povo habituado a guerras e catástrofes.

Jose Milhazes disse...

Caro Anónimo, tem razão. Peço desculpa pelos lapsos...

ALONE HUNTER disse...

Porque tu não se muda pra MURMANSK, sr José Milhazes???

Anónimo disse...

O meu comentario do Cavalinho Upa Upa..?