segunda-feira, dezembro 29, 2008

Estaline, Estaline, Estaline!


Não obstante os concursos televisivos sobre as mais populares figuras históricas serem pouco conclusivos, considero que não devemos desprezar os resultados daquele que foi realizado pelo canal da televisão pública Rossiia.
Segundo dados ontem divulgados, o príncipe Alexandre Nevski, (na foto) comandante militar medieval russo imortalizado no filme homónimo de Serguei Eisenstein, venceu com 11,7% dos votos; Piotr Stolipin, primeiro-ministro russo do início do século 20, ficou em segundo lugar com 11,6% e o ditador comunista José Estaline foi colocado em terceiro lugar por 11,5% dos votantes.
O projecto foi lançado com uma lista inicial de 50 figuras históricas e terminou com a votação final transmitida ao vivo no domingo.
Gostaria de assinalar que não duvido de que os resultados não correspondem à verdade e foram manipulados tanto pelos organizadores, como por muitos dos votantes.
Explico-me: em Agosto passado, a primeira votação foi anulada pelos organizadores, tendo os comunistas russos sido acusados de organizarem votações maciças em José Estaline, ditador que governou a URSS com punho de aço durante quase trinta anos e cujo "reinado" provocou dezenas de milhões de vítimas.
Além disso, os organizadores anunciaram um ataque de hackers ao sítio electrónico do concurso e voltaram a contagem ao ponto zero. A segunda votação foi feita através da Internet e um mesmo utilizador podia votar um número ilimitado de vezes na mesma personagem.
Era feio deixar o ditador comunista em primeiro lugar e a "onda patriótica" precisa de exemplos mais nacionais, mesmo que com "biografias duvidosas".
É importante, por isso, analisar as biografias das três personalidades vencedoras. Alexandre Nevski foi notabilizado no filme de que já falámos, sendo o objectivo da película "cantar os feitos" de José Estaline. Não é segredo para ninguém que o génio do grande Eisenstein foi explorado e dirigido pelo ditador em proveito próprio. A realidade histórica é menos favorável a esse príncipe russo santificado pela Igreja Ortodoxa Russa, pois tratou-se de um "traidor" dos interesses russos ao colaborar com os inimigos, mais precisamente, os tártaro-mongóis.
Quanto a Piotr Stolipin, este político não é só conhecido pelas importantes reformas que empreendeu na agricultura russa, mas pela política de força que realizou na luta contra a oposição de esquerda revolucionária, que cognominou as forcas em que eram pendurados os seus militantes de "gravatas de Stolipin".
Quanto a Estaline, já tudo foi dito, salvo que, actualmente, o ensino público tem vindo a reabilitar o "grande timoneiro". No fundo, como constata hoje o diário Nezavissimaia Gazeta, e com o que estou plenamente de acordo, na votação venceram: Estaline, Estaline e Estaline.
E para terminar, deixou um conselho aos comunistas. Não acreditem que essa votação significa que os russos querem um regresso ao socialismo e comunismo soviéticos. Não, se ela mostra alguma coisa, é que eles pretendem um novo "braço de ferro", mas sem tontices igualitaristas, nem ideais supremos.
Afinal, é aí que reside a popularidade de Vladimir Putin, que, pelo que se vê, não pretende a restauração do comunismo.


26 comentários:

M Carreira disse...

Caro José Milhazes: dizer "ditador comunista" é no mínimo redundante. Como se Lenine não o tivesse sido, tanto ou mais que Staline, como se Fidel não o tivesse sido, como se Eduardo dos Santos não o tivesse sido, como se Mao, Honneker, Causescu, Brejnev, Pol Pot, Ho Chi Min e muitas outras sinistras figuras do sec. XX comunista não tivessem sido os mais terriveis ditadores á face da terra nos últimos 100 anos. Parabéns pelo Blog

Anónimo disse...

Nem vou discutir isto, num concurso em que ganhou Salazar em Portugal....
O que queria era fazer-lhe duas perguntas, que são sugestões para próximos posts:
1- sabe desta história do barco misterioso?
http://dn.sapo.pt/2008/12/29/cidades/russos_informacoes_sobre_veleiro_sus.html
2- disseram-me que os russos devem 70 mil milhões de dólares a Portugal. Estou parvo!! É uma fortuna!!Se é verdade, estará explicado o súbito interesse e os inesperados investimentos. Claro que quem deve 70 e investe 80 só está a investir 10! Parvos não são. Só não entendo é porque em tempo de vacas gordas, o tsar Putin não pagou o que devia cá aos miseráveis. E depois anda a ameaçar a Dona Júlia da Ucrânia que lhe corta o gás, se ela não pagar. Pois bem prega S. Tomás, então.
Portugal não terá forma de recuperar a dívida sem ser através de cooperação, pois não temos gás para cortar aos russos.Até se diz que um dos aviões anti-incêndio será dado para pagar o que devem. Será?
Que me diz disto tudo?

Pippo disse...

Interessante a análise, e concordo, quer com o argumentado, quer com as conclusões a que o JM chegou, ou seja, a malta quer um governo forte mas sem tiques de ditadura. Acho que por cá também é assim.

Jose Milhazes disse...

Oh leitor anónimo, quem lhe deu a notícia deve estar, no mínimo, louco. Sabe quanto são 70 mil milhões de dólares? Isso é para Portugal uma autêntica fortuna, mas não acredito que a Rússia nos deva tanto.
A Rússia devia qualquer coisa como 100 milhões de dólares, mas o problema já está há muito resolvido.
Quanto à história do veleiro, vou investigar.

Manuel disse...

«Parabéns» pelo seu blog e pela «qualidade» dos «leitores» que lhe prestam tributo, da qual destaco, porque está mais à mão, o sr. M. Carreira.
Para esse senhor os grandes democratas do séc. XX devem ter sido Hitler, Pinochet, Salazar, e, mais recentemente, o grande timoneiro Bush.
Continue em frente… já temos substtuto para o Chico da Cuf

Jose Milhazes disse...

Leitor Manuel, acho o seu comentário completamente descabido, por várias razões. Primeiro, dizer mal dos ditadores comunistas não significa apoiar ditadores fascistas. É caso para dizer "venha o diabo e escolha".
Não insulte a memória de uma homem honesto que foi Chico da Cuf. Ainda tive a honra de o conhecer em vida. Foi um homem que conheceu bem o regime soviético e, ao contrário de muitos, não se acobardou e denunciou-o.
Dispenso os seus "parabéns", pode ficar com eles.

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, desculpe, esqueci de lhe dizer mais uma coisa. A qualidade deste blogue é o que é e só o lê quem quer. Não se trata do jornal Pravda, de que você deve gostar, pois não é de leitura obrigatória.

MSantos disse...

Triste será o destino de um povo que perfere a mão de ferro em detrimento de ideiais supremos.

Cumpts
Manuel Santos

Gilberto Mucio disse...

"Infeliz do povo que precisa de heróis", já diria Bertolt Brecht.

E que "heróis" esses, hein...

"Governo forte"(com eufemismo e tudo)é coisa de povo fraco.


Clamar por ditadores só mostra a debilidade -- momentanea ou não-- de um povo.

Seja em Portugal, na Rússia, no Brasil ou na Conchichina.

E tenho dito.

Manuel disse...

Ficou nervoso, não gostou de ouvir: eu repito, talvez agora consiga digerir melhor. O seu «leitor» M Correia nomeia alguns dirigentes ou ex~dirigentes que diz terem sido as mais sinistras figuras.
Só me limitei a questionar se, para ele, e também para você, já que não contestou, os democratas serão Hitler, Pinochet, Salazar, etc…
Lembrei-me do ridículo Chico da Cuf, pessoa que nunca comparaia com José Milhazes, um emérito historiador, ao contrário do outro senhor, que era somente um humilde trabalhador braçal.
Mas, perante aquilo que você afirma, sou capaz de lhe dar alguma razão: não confundamos Chico da Cuf com José Milhazes: aquele denunciou as atrocidades da União Soviética, este denunciou tudo: as da URSS, da Rússia, da Biolorússia, daqui, de acolá, enfim de todas as ex-Repúblicas. Todas não, apenas aquelas que não são democráticas. Com a Geórgia está tudo bem, não é?

Manolo Heredia disse...

Estaline como Hitler queriam uma só coisa; unificar a Europa para fazer face ao perigo Americano. Perderam a guerra e agora é o que se vê! Os EUA mandam em tudo e em todos. Foram mais espertos, usaram vazelina, que é como quem diz usaram a Democracia deles, com as suas leis da Bolsa, o seu Plano Marchal, as suas leis das tarifas aduaneiras. Deram-se bem!

Jose Milhazes disse...

Leitor Manuel, eu, nervoso? Já não perco nervos com tiradas como a sua. Quanto ao comentário sobre as repúblicas que eu denuncio, apenas lhe posso dizer que não lê com atenção este blogue. Isso a particularmente evidente no que respeita à Geórgia. E não ofenda pessoas como Chico da Cuf que foi um antifascista, mas, ao contrário de muitos comunistas, não aceitou puxar Portugal para outra ditadura. Já leu com atenção o que ele escreveu?

ABC disse...

ó JM, essa última para o anónimo, não entendo como me responde desta forma e porquê. Ler o Pravda, eu?
A partir de agora assino ABC, para não me confundir com outros anónimos, embora aqui não haja mais nenhum.

Jose Milhazes disse...

Leitor ABC, as minhas desculpas, pois a do Pravda era para o leitor Manuel, só que confundi.

Jose Milhazes disse...

Leitor ABC, as minhas desculpas, pois a do Pravda era para o leitor Manuel, só que confundi.

Andrey disse...

Tem toda a razao, que o projeto foi manipulado! Lembro-me k a uns meses Visotskij estava no primeiro lugar. E ao fim as cabo nem chegou aos debates!

Manuel disse...

José Milhazes
Agradeço a sua boa vontade em aconselhar-me leituras, mas, infelizmente, Chico’s da Cuf e, por exemplo, outra grande «escritora» para si muito querida, como a grande Zita Seabra, quanto mais longe melhor.
A você ainda leio de vez em quando: aprecio a Rússia cultural, e, por vezes, aparecem artigos seus sobre esta área com interesse. Sobre as suas opiniões políticas, já nem perco tempo com isso.
Bom ano com muita saúde.

Hugo Albuquerque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hugo Albuquerque disse...

"Não, se ela mostra alguma coisa, é que eles pretendem um novo 'braço de ferro', mas sem tontices igualitaristas, nem ideais supremos."

Ora essa, então os russos estariam a querer alguém com "braço de ferro", mas que tenha espertezas desigualitaristas e idéias cínicas?

Jose Milhazes disse...

Leito Hugo, sabe bem o que eu quis dizer, mas explico: quando falo em tontices igualitaristas, tenho em vista o nivelamento soviético por baixo. Claro que o sonho das pessoas, e não só russas, é viverem bem ou muito bem, mas compreendem que isso é impossível.

Hugo Albuquerque disse...

José Milhazes,

Eis aí O ponto central de minha provocação: Idéias igualitaristas jamais podem ser "tontices", afinal de contas ninguém gostaria de eleger um governante que pensasse o contrário - a menos que não estivesse em sã consciência ou fosse um completo ignorante.

O mesmo vale para os ideais supremos e o seu oposto, as idéias cínicas.

Quanto à questão do igualatarismo soviético, convenhamos, é necessário ponderar isso com mais cuidado; a URSS caiu, entre outras coisas, porque seu sistema não conseguiu garantir a igualdade entre os seus cidadãos na medida em que os burocratas estatais/partidários recebiam privilégios que os tornava superiores aos demais. Portanto, se a desigualdade incomodava o povo daquele país, não seria possível que ele estivesse desejando a desigualdade, mas sim a igualdade verdadeira.

Abraços e tenha um grande ano.

Francisco disse...

Essa coisa dos ditadores tem muito que se lhe diga sabem. Porque se forem do nosso agrado são bons, mas se estiverem do outro lado já são todos maus. Quem foram os patrocinadores das ditaduras na América Latina em África na Ásia e actualmente das monarco-ditaduras do Médio Oriente? Quem os colocava e mantinha no poder? Quem permitia e até os adestrava nos métodos de repressão? Senão as santas democracias Ocidentais! Essa manigância contabilística que os acusadores capitalistas costumam utilizar contra os regimes de esquerda quanto a vitimas. Cai redondamente por terra se forem analisadas com seriedade todas as formas de violência. O que são as vitimas da fome senão uma forma brutal de violência? E segundo estudos de Organizações das Nações Unidas morrem por ano cerca de 10 milhões de crianças vitimas da fome! O que é a falta de acesso nos cuidados de saúde e ao apoio na velhice? Senão outra forma imoral de violência! Um terço da humanidade vive na mais profunda pobreza e na mais ignóbil ignorância, num mundo que se debate com excesso de produção! Mas como são crimes provocados por um sistema que vos serve, devem ser esquecidos e silenciados. Se toda a violação das leis da moral é considerada crime! Então o que é atirar deliberadamente para a miséria centenas de milhões de seres humanos, condenando-os a morrer de fome com o fim único do lucro? Não é crime? Aquilo que estão a permitir intencionalmente no Congo para se apoderarem das riquezas não é crime? Pois contabilizem só no Congo as vitimas da fome, falta de assistência médica e pelas guerras causadas por a ingerência estrangeira desde a sua independência é muito bem capaz de terem que ir resgatar alguns « tiranos» de esquerda ao inferno! Só que nestes casos as vitimas são sempre os culpados.
Um dia acontecer que o capitalismo tenha que prestar contas por todos os crimes e horrores praticados , ainda terá que reabilitar Estaline, que foi um dos maiores carrascos dos comunistas e do povo que se dizia defender.
Quanto ao Chico da CUF é pena que ele não tivesse aberto os olhos mais cedo ou não tivesse tido a coragem suficiente para abandonar a URSS quando viu que aquilo não lhe servia, ao que parece até tirou lá um curso de engenharia, o que não conseguiu no seu país.


Disse o Senhor Milhazes;____ mas, ao contrário de muitos comunistas, não aceitou puxar Portugal para outra ditadura.
Deu uma preciosíssima ajuda ao senhor Carlucci!
Sobre esta questão li em tempos uma frase de Edgar Morin que se ajusta formidavelmente a estes casos. Dizia; (quando da queda da URSS muitos dirigentes do sistema carregaram o que puderam e passaram-se serenamente para o outro, com as consciências aliviadas). Isto diz tudo, na medida em que a grande maioria do Aparatchik que usufruíam de todo o tipo de privilégios à custa do povo, são os mesmos que hoje controlam o país. E têm a insensatez de criticar ferozmente o sistema que eles próprios sustentavam.
Não é certamente o caso do Senhor Milhazes, muito embora tivesse nalgum tempo aceitado o sistema de que hoje é um acérrimo crítico (se ainda hoje perdura-se talvez o defende-se). Não pôde vir muito carregado (embora com a consciência aliviada) o mais que poderia ter trazido seria o apartamento onde reside. Mas como diz Kadaff e com razão, a casa é de quem nela mora! Se assim foi, tudo bem.

Sabe Senhor Milhazes ; neste aspecto cada qual é como é, e têm todo o direito e a liberdade em fazer as suas opções, só que eu sendo de esquerda como o Senhor aqui já supôs. Sim já antes do 25 de Abril participava na luta contra o governo fascista, tive a coragem para enfrentar a policia nas ruas da baixa de Lisboa quando das greves dos bancários, ser sindicalista, participar em muitas acções de protesto e muito mais. Também fui capaz de abandonar a militância partidária poucos anos depois da revolução. Tornei-me num objector politico, quis ser livre na expressão dos meus pensamentos. Mas não trai os princípios que sempre me propus, continuei fiel na luta contra a prepotência e as desigualdades sociais. Defendo com a mesma firmeza de sempre a ideologia que considero ser capaz de trazer justiça à humanidade. Não me passei para o outro lado como o fizeram muitos militantes supostamente de esquerda. Os primeiros a abandonar o navio são as ratazanas!
Com a actual crise tem-se assistido aos mais inesperados malabarismos capazes de fazer corar o próprio diabo de vergonha (Só que estes políticos não sabem o que isso seja). Na euforia liberalizadora de que o mercado tudo controla , permitiu-se as maiores ilegalidades ( digo até barbaridades) financeiras nos últimos anos. Marx foi riscado da história até das universidades foi saneado. Keynes reduzido ao esquecimento. Adam Smith foi ultrapassado. Mas na hora do aperto não só reabilitaram Keynes, como tiveram o desaforo de puxar pelas barbas de S. Carlos de Trier quando se viram forçados a fazer nacionalizações. Viram o que diziam aqueles cartazes de alguns manifestantes em frente à bolsa de Nova Iorque por terem perdido as suas poupanças? Marx tinha razão!
Portanto o capitalismo e aqueles que o defendem perderam toda a coerência, não têm base moral de criticar aqueles que se lhes opõem.
Quando se perde a coerência deixasse de ter razão para criticar!


Em tempos disse aqui, que todos os indicadores apontam no sentido que a maioria da população que fazia parte da URSS, nos dias de hoje têm um nível de vida inferior àquele que usufruíam , isto em todos aspectos. Ainda ninguém me foi capaz de provar o contrário! Portanto as mudanças só foram prejudiciais ao povo.
E como dizia Brecht ; o voto não alimenta famintos!
O resto são máscaras!
Cin.naroda

runescape power leveling disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Rita disse...

Viva.
Queria só fazer uma correcção: o "Chico da Cuf" não tirou curso de engenharia na ex-URSS e só não abandonou esse "paraíso" antes porque o Partido não o permitiu. E sei porque era meu avô e não porque tenha lido isto num blog, forum ou outras leituras de opinião.

Rita disse...

Permitam-me uma correcção: o 'Chico da Cuf' não tirou curso de engenharia na ex-URSS e só não abandonou esse "paraíso" antes porque o Partido não lho permitiu. Sei isto porque era meu avô e não porque o tenha lido num blog, forum ou outra leitura de opinião.

BARRAGON disse...

EU MORO NO BARREIRO HA 52 ANOS,E TRABALHEI,MUITOS ANOS NAS OFICINAS DA C.P.NO BARREIRO,E ACTUALMENTE SOU MAQUINISTA DA C.P.,AQUI NO BARREIRO,E CONHEÇO MUITOS COMUNISTAS DO BARREIRO E ARREDORES QUE CONHECERAM O CHICO DA CUF,QUE FOI UM GRANDE LUTADOR ANTIFASCISTA,ANTES DO 25 DE ABRIL.
E AGORA UMA FRASE DITA POR ELE E QUE MUITA GENTE DO BARREIRO SABE.
QUANDO ERA COMUNISTA OU MILITANTE DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS,ERA HOMEM PARA DAR UM TIRO EM QUEM NÃO FOSSE COMUNISTA.
DEPOIS DE 26 ANOS EXILADO NA EX.URSS,ONDE TRABALHOU EM FABRICAS E NOS KOLKOZES E SOVEKOZES,OU LIVREMENTE OU FORÇADO,REGRESSOU A PORTUGAL,DAVA UM TIRO A QUEM DISSESSE QUE ERA COMUNISTA.
ESTA HISTORIA HOUVI EU DA BOCA DE ALGUNS OPERARIOS DA C.P. E CUF,QUE O CONHECERAM E TRABALHARAM COM ELE.
PAZ A SUA ALMA,POIS MERECE DESCANSAR PELO QUE SOFREU,ELE QUE FALECEU EM 1993.