sexta-feira, dezembro 19, 2008

Maus exemplos são contagiosos


Igor Dmitriev, jornalista do canal televisivo ucraniano ATV, decidiu manifestar o seu desagrado face à aproximação da Ucrânia em relação à NATO arremessando uma bota à cabeça do professor Oleg Soskin (na foto), director do Instituto da Transformação da Sociedade, que foi apregoar os benefícios dessa aproximação aos alunos da Universidade Pedagógica de Odessa.
Segundo a agência noticiosa Novii region, o jovem manifestou desse modo o seu protesto contra a abertura de um Centro de Cooperação Euro-atlântica nessa universidade do Sul da Ucrânia.
Soskin declarou, durante a aula, que o centro não se dedica à propaganda da necessidade da adesão da Ucrânia à NATO, mas que o seu objectivo é “formar nos alunos uma avaliação objectiva das possibilidades e perspectivas abertas pela integração europeia à Ucrânia”.
“Vejo aqui jovens encantadoras. Que necessidade tiveram de vir aqui e ouvir homossexuais velhos, carecas e estúpidos? Vou mostrar-vos o que fazer com eles”, declarou o jornalista, interrompendo o discurso do propagandista da NATO e atirando-lhe uma bota à cabeça, que acertou o alvo.
O jornalista defendeu que desde a era de Khrutchov que o calçado é um meio muito eficaz de luta contra a NATO e sublinhou que “a orientação sexual não tradicional das estruturas dirigentes da NATO e da UE está patente na sua política face às minorias sexuais.
Nikita Khrutchov, dirigente da URSS no início dos anos 60, recorreu a um sapato para bater na tribuna das Nações Unidas e, desse modo, fazer calar os protestos dos seus adversários. Moscovo teve de pagar uma pesada multa à ONU devido à violação da etiqueta.
Depois do desordeiro ter sido expulso da sala de aulas pela segurança da universidade, o professor Soskin anunciou que não irá levá-lo a tribunal.
“Trata-se de uma provocação muito, mas muito bem preparada. Se alguém precisa de fazer isso, é direito dele”, sublinhou o defensor da NATO e continuou a aula.
O vídeo do incidente pode ser visto em: http://revisor.od.ua/news/Debaty-000943


14 comentários:

samuel bonifacio disse...

apoio incondicionalmente a adesão da ucrania a U.E e a NATO. a ucrania não pode viver mais sob a sombra da russia, tem que avançar em frente. a entrada deste pais nestas organizações so beneficiaria o seu povo. so não quer ver isso, pessoas como esse jornalista que inda tem uam mentalidade sovieta, ou seja, uam mentalidade perfeitamente doentia, nos dias de hoje. um bom natal a todos...

Gilberto Mucio disse...

o jornalista é russo...

Jose Milhazes disse...

Gilberto, o incidente passou-se na Ucrânia e dos artigos que li não conclui qual a nacionalidade do jornalista. Em Odessa, pode ser russo, ucraniano, judeu...
Se tiver mais alguma informação, será benvinda

Anónimo disse...

Mal educado, desbocado e violento é o mínimo que se pde dizer do provocador.
Talvez um gesto que ajude a perceber o carácter dos russófonos.

Quanto ao jornalista iraquiano ("herói" para os imbecis), não passa de um covarde.
Estaria já morto se fizesse aquilo com Saddam ou qualquer outro "líder"(como dizem os media, na realidade, DITADORES) áRABE!

MSantos disse...

Demonstrativo da brutal cisão que existe na sociedade ucraniana. Esperemos que ainda reste algum bom senso por parte dos países da NATO para não incorporar estes "barris de pólvora".

Desenganem-se aqueles que pensam que ao integrarem a NATO vão estar seguros contra qualquer aventureirismo russo. Muito antes pelo contrário: só o vão provocar.

E não, não vêm aí investimentos ocidentais brutais que os vão tornar num país rico da noite para o dia.

Cumpts
Manuel Santos

PS: mau exemplo? eu qualificaria mais como exemplo caricato ;)

Jose Milhazes disse...

Caro MSantos, acho um mau exemplo, porque considero um comportamento incorrecto da parte do jornalista. Por este andar, tenho de ir descalço para as conferências de imprensa em Moscovo, ou deixar as botas à porta.

Sérgio disse...

Sempre há cada maluco neste mundo! Mas mais vale um sapato do que uma bala. O que acho mal é o professor não apresentar queixa, para esse senhor se aperceber das consequencias dos seus actos.

Afonso Henriques disse...

Quando foi contra o Bush, o Sérgio de certeza que achou muito bem...

... dois pesos e duas medidas. Estas novas gerações não têm nem espinha, nem carácter...

Gilberto Mucio disse...

Senhor Milhazes,

O senhor como jornalista ético, está certíssimo em ser cético, em só afirmar algo com fontes ou certeza.

Mas eu sou só um leitor, atencioso,curioso, porém palpiteiro...(risos)

O cidadão é da parte "russa" da Ucrania, é certamente anti-NATO, quiçá anti-UE e anti-ocidente, tem nome russo(não ucraniano), num protesto pró-rússia...

Por lei das probabilidades eu "cheguei a conclusão" de que ele só pode ser russo étnico...(risos)

Mas lógico, não sou jornalista, posso está equivocado.

Abraços.

MSantos disse...

Terá de passar a haver novas normas e regulamentos nas conferências de imprensa para repórteres, jornalistas e outros arremessadores de sapatos.

:o)

Cumpts
Manuel Santos

Sérgio disse...

Caramba Sr. Milhazes, pareceu-me ouvir alguma coisa direccionada à minha pessoa, devo estar enganado. Correndo o risco de parecer repetitivo, deixe que lhe diga que é sempre com prazer que registo as suas intervenções, assim como as de outras pessoas como o senhor Manuel Santos, verdadeiros exemplos para os mais jovens, e para a forma como se deverão comportar e estar na sociedade, muitas das vezes em desacordo com o que é dito por outras pessoas, mas mantendo uma postura de cordialidade, respeito, abertura no diálogo, tolerancia para com as opiniões dos outros mas não com insultos e provocações demostrando assim uma firmeza de caracter, com princios humanistas de respeito pelos principios mais basicos de todas as pessoas, e educação. É pena que alguns já não tenham a flexibilidade que a idade já não lhes permite, para reconsiderarem o seu comportamento e aprendam alguma coisa com os senhores, mas já lá diz o ditado, "Burro velho não aprende linguas".

Sérgio disse...

Caro Zeca, o seu mentor mostrou o que verdadeiramente pensa das pessoas mais jovens. Tenha isso em consideração de futuro se assim o entender. Com os melhores cumprimentos.

MSantos disse...

Sérgio

Obrigado pela sua simpatia mas não pretendo servir de exemplo para ninguém, apenas expressar as minhas opiniões e pontos de vista.

Nunca fui muito por essa dos exemplos. Acho que as pessoas devem ser encorajadas a pensar por si próprias e serem elas próprias.

Nunca nutri grande simpatia pelos bons exemplos e as pessoas exemplares pois é quase uma imposição para que todos sigam determinada linha de pensamento ou forma de viver e entendo que deve ser cada um a descobrir o seu caminho e a sua forma de viver.

e sobre o seu comentário:
"o senhor Manuel Santos, verdadeiros exemplos para os mais jovens"

Você faz-me sentir com 70 anos, e eu ainda sou um "jovenzinho" com 41
acabados de fazer ;)

Um abraço
Manuel Santos

Jest nas Wielu disse...

Um vivo exemplo da falta de creatividade, além da mostra da face dos "talibans" pró - russos.

Até a "cena" dos "gays do NATO" foi roubada ao Robert Mugabe, este dizia que o ataque britâncio contra seu governo é originado pelo "ódio que os homossexuais britânicos sentiam dele", enfim pura clínica...

Mas Soskin tem razão, era uma um ataque planeado e premeditado.

E claro, sem esquecer que aqui temos um exemplo vivo do que os cidadãos ucranianos da origem russa têm as visões bem diferentes: Soskin é pró - NATO (chamar ele de propagandista é um erro, assim o Pacheco Perreira é propagandista em quadrado), e um Dmitriev qualquer, que é contra e que também será o herói dos nossos blocos da esquerda.