sábado, dezembro 20, 2008

Navios de guerra russos em Lisboa (Olhar do leitor)

O nosso leitor Manuel Santos não resistiu à tentação e lá foi ao Cais de Alcântara para ver o navio de guerra russo Admiral Levtchenko. Enviou-nos numerosas fotos, algumas das quais publicamos com a devida autorização.
Se outros leitores quiserem enviar fotos sobre este ou outros temas ligados à Rússia e arredores, já sabem, a porta está aberta e não exigimos carteira profissional de fotógrafo.















23 comentários:

Anónimo disse...

O cais é o de Alcantara, não é o do Conde de Óbidos. Também fui, estava uma tarde fabulosa.
O navio está muito batido, mas tomáramos nós...A tripulação foi muito simpática. Confesso ter ficado surpreendido ao ver muito "putins", ou seja, muitos tripulantes com físico idêntico ao dito cujo. Russos para mim são todos altos e fortes. Engano meu.

E agora, JM? Que acha que virá a seguir da Rússia para Lisboa com... o que seja, mesmo que não seja amor? Se calhar o próprio Putin, porque não há 2 sem 3, não é? Uma exposiçãozita do Hermitage à borla também ia.

Jose Milhazes disse...

Caro anónimo, vou emendar o lugar do cais. Quanto ao futuro, não espera uma exposiçãozita do Hermitage de borla que os tempos não estão para isso. Também não acredito muito que V.Putin vá a Portugal, tem muito que fazer em casa. Mas vamos ver...

Jose Milhazes disse...

Caro anónimo, na sua maioria, os russos são mais altos que os portugueses, mas há excepções. As russas, sim, essas são altas.

MSantos disse...

Sou eu que tenho de pedir desculpa pelo equívoco, pois fui eu que induzi o José Milhazes em erro.

O navio ilustra bem a sobriedade soviética dos anos 70/80 altura em que foi desenhado.

O painel de comando do helicóptero KA-27 Helix-B está carregadinho de mostradores analógicos, switches e botões que revelam o tradicional atraso soviético/russo em tecnologia informática e electrónica.

Apesar de tudo, os destroyers classe Udaloy continuam a ser navios muito capazes quer pelos sistemas de armas superfície/sub/ar, pela sua simplicidade, robustez e em caso de conflito poderão ainda constituir temíveis adversários.

As minhas desculpas também por não ser grande fotógrafo.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Desculpem a minha ignorância, mas não é proibido tirar fotos a navios de guerra? Ou isso é coisa do passado?

Hugo Albuquerque disse...

Caro José Milhazes,

Eu sou brasileiro e tenho um profundo interesse sobre a Rússia -tanto em relação ao seu idioma, que eu estou aprendendo, quanto em relação à sua cultura, política e história - e foi muito bom descobrir um blog em língua portuguesa que trata desses assuntos e ainda por cima é escrito por uma pessoa que está há tanto tempo no país.

Meus parabéns.

Anónimo disse...

estes navios, estão ao nivel do restante equipamento militar russo, ou seja, velho e ultapassado.
As armas do exercito russo estão muito obsoletas.

O que é que a russia tem que se possa equiparar a

1- um submarino nuclear trident
2- um bombardeiro estratégico B-2
3- um tanque abram
4- um porta aviões nimitz
5- um caça f-116
6- um space shutle

são exemplos práticos e simples, a russia está ultrapassada em todos os niveis até no sector militar.

a russia está agora a tentar desenvolver novos misseis bulava, mas o programa está a ser um falhanço e a qualidade obtida não garante eficacia devido as unimeras falhas nos lançamentos.

o cenário não é animador para a russia.

V.

Anónimo disse...

quanto ao comentário estupido do primeiro anónimo só tenho a dizer que se parecem todos putin, então são todos pequenas com traços mongols que parecem o gohlan.

que ridiculo

V.

Anónimo disse...

Olhe, V., vai ser ordinário com outro. Tomara eu que se parecessem todos com Putin. E quanto aos teus conhecimentos acerca das capacidades russas, é uma pena que seja a eles e não aos americanos que todos andem a comprar armas e até o equipamento espacial é russo, porque a NASA há muito não tem cheta.E quanto ao Gohlan, só Deus sabe o que será. Deve ser só para inteligências como V.
---
Caro MSantos: as suas fotos estão óptimas. O cais foi um engano para todos. Eu fui ao outro antes, porque também tinha a informação errada.
Para mim o navio funciona e foi bom terem vindo cá. A renovação militar é precisa e irá sendo feita. Há outras coisas primeiro. Os americanos estão cheias de armas e falidos. Que as comam !
-----------------------
JM:
eu não sou freudiano e o tamanho seja do que for para mim interessa pouco. Só que habituei-me a ver os russos muito altos e ontem dei com uma tripulação pequenita na sua maioria. Para mim os homens medem-se pelos miolos, educação e coragem. E de Putin e Medvedev gosto e são os dois baixos (1,72 e 1,77 respectivamente, para quem não sabe, o que é altura normal para portugueses. Eu tenho 1,75.Para russos pensava que não fosse.)
Boas Festas para todos.

Pyotr Konstantin Schitikoff disse...

Sr. Hugo Albuquerque

Que prazer vê-lo aqui a comentar sobre a Rússia! Não o via desde a época do Blog do Luís Nassif.

Saiba que este é um dos melhores blogs sobre a Rússia que temos atualmente e que o Sr. Milhazes é um excelente comentarista.

Seja muito bem vindo e prepare-se para bons debates!

Um fraterno abraço

Pyotr

Hugo Albuquerque disse...

Pyotr,

Confesso que é uma alegria enorme revê-lo por aqui! Sinto falta de seus comentários lá no blog do Nassif, mas nos encontremos por aqui mesmo.

Abraços.

Pyotr Konstantin Schitikoff disse...

Anônimo das 19:35

Sou russo e meço 2,09m. Eu sou muito alto e sofro um bocado em aviões e carros.

Mas como meu pai é ucraniano, creio que venha daí minha altura avantajada, pois lá são bem grandinhos. Minha irmã mede 1,79m, também muito alta para uma mulher.

Sua observação foi pertinente, pois todos acham que os russos são sempre gigantescos como eu...rs

Abs

--------

Hugo

Será um prazer voltarmos a debater idéias. E não se dê por vencido diante de alguns comentários. Portugeses e brasileiros são bem diferentes no debate, portanto acostume-se.

Sumi do outro blog por problemas pessoais, mas tal esclarecimento se dará em outra oportunidade.

Spacibo!

Pyotr

Hugo Albuquerque disse...

Pyotr

É uma pena, mas até suspeito por quais motivos foram. Quanto aos portugueses, sim, eu percebi isso, apesar da língua ser igual - ou ao menos parecida -, somos bem diferentes no modo de agir e pensar. O fato é que eu sou um brasileiro branco, descendente de portugueses que, no entanto, se estabeleceram por essas terras há uns quatro séculos, portanto, trata-se de um afastamento considerável que gera certo desconforto e ao mesmo tempo é profundamente curioso - em certos assuntos, até os russos nos compreendem melhor devido a certas experiências em comum que os portugueses, todavia, jamais experimentaram.

Abraços.

Anónimo disse...

Sr. Hugo Albuquerque seja bem-vindo! E já agora esteja preparado que ha ai certas pessoas (Portugueses e Brasileiros) que de vez em quando se poem a discutir e a insultar-se por razoes que nada têm haver com o blogue, espero que faça como eu e não ligue a essas discussoes inuteis. Cumprimentos!

Hugo Albuquerque disse...

Senhor Anônimo,

Muito obrigado. Sim, até eu, em outros tempos, já cheguei a entar nesse tipo de arenga, mas hoje eu vejo que isso é uma grande tolice; o Brasil por si mesmo é uma invenção portuguesa e aqui, apesar das incontestáveis influências africanas e nativas, se refletem os defeitos e as virtudes que existem em Portugal, moldadas conforme as nossas características. Há quem diga no Brasil, por exemplo, que se essas terras não tivessem sido colonizadas pelos portugueses as coisas seriam melhores, quando, na verdade, se os portugueses não o tivessem feito, não existiria Brasil ou brasileiro - podendo, claro, haver coisa melhor no lugar, mas essa coisa também não seria o Brasil.

Debater com portugueses é a mesma coisa que encontrar um parente próximo que não vejo há tempos por estarmos morando muito longe e que ao nos vermos, nos espantamos com os nossos modos diferentes adquiridos quando do isolamento; a mim, pessoalmente, agrada a diferença, a outros incomoda. Eu prefiro debater com quem é possível dialogar e reagir com o devido senso humor em relação ao resto.

Abraços.

Anónimo disse...

Caro Pyotr:
gostava de o ver a cumprimentar o seu Premier. Como se diz em Portugal é a sorte grande e a terminação, mas na realidade não será o Putin o feliz totalista?
Em relação aos problemas em debater com os portugueses, olhe há idiotas em todos os países. Também aí dependemos da sorte: é o que calha...

Hugo Albuquerque disse...

Anônimo,

Não é apenas uma questão de idiotice aqui ou acolá, na verdade, os maiores desentendimentos da história da humanidade se deram entre homens inteligentes que simplesmente não conseguiram se compreender. O fato de compartilharem a mesma língua as vezes cria a falsa ilusão de que portugueses e brasileiros tenham hábitos parecidos quando não é bem assim e por isso, não raro, ocorrem desentendimentos maiores do que entre portugueses ou brasileiros com povos inteiramente diferentes - como os russos, por exemplo.

Pyotr K. Schitikoff disse...

Caro Hugo

Você tem razão: brasileiros e portugueses divergem e divergem, mas no fundo somos frutos deles, não é mesmo?

Quero participa-lhe o que ocorreu recentemente num dos posts deste blog (entitulado "aviso aos leitores", na quebra da próxima página).

Meu caro, sendo bem franco, o pau quebrou...rs. E eu lá no meio a defender o Brasil com unhas e dentes, pois me considero daqui desta terra. Foi um debate em alguns momentos inflamados, noutros divertidos ou irritantes. Mas no geral foi até proveitoso, pois pude conhecer melhor nossos patrícios.

E aqui reconheço: me excedi em alguns momentos, nem me reconheci depois...rs. No calor das discussões, perdi um pouco o prumo.

Foi muito bom para conhecer também um brasileiro como o Wandart ou um português como o Sérgio - ambos de altíssimo nível.

Essas diferenças muito me aproximaram de algumas verdades. E com elas devemos conviver...

Interessante ver que estas diferenças entre brasileiros e portugueses foi a mesma que vi recentemente estando na minha Rússia: não me acostumaria mais com a frieza pessoal dos russos. Eu estranhei bastante os 4 meses que estive por lá (de abril a julho/08).

Russos são muito distantes no que considero essencial: o trato pessoal. Só não digo que são grosseiros por medo de generalizar. Sempre há exceções, mesmo eu não as tendo visto.

Também relevo pelo fato de ter ido a trabalho e isto poder reletir erroneamente. Minha Rússia merece mais chances. Ou eu posso ter tido azar, foi o que pensei.

E eu me vi numa sinuca de bico e me pus a reletir sobre minha infelicidade: aqui sou russo e lá não sei o que sou. Em qualquer dos 2 países sou um gringo. Que sorte tive pelo Brasil ter me adotado, do contrário me sentiria verdadeiramente um apátrida.

Abs

--------------

Caro Anônimo

Saiba que já me pus a imaginar como seria eu a cumprimentar Putin: no mínimo divertido...rs

Putin é bem baixinho mesmo e eu teria quase de me ajoelhar, literalmente! Mas isto para mim tem sido uma constante: os brasileiros não são tão altos, mesmo achando que são mais altos que portugueses, pois foi o que comprovei em visita ao meu primo que mora em aí em Portugal (Bragança).

No fundo, a aberração sou eu meus 2 metros e pouco. Pra que tanto?...rs

Abraços

Hugo Albuquerque disse...

Pyotr,

Oh, agora compreendo melhor suas advertências - e a do primeiro anônimo.

De fato, você sabe melhor do que eu que a brasilidade depende muito mais de um estado de consciência do que de qualquer atestado de etnicidade e eu, pelo menos, o tenho na conta de brasileiro.

Quanto a debates ásperos entre brasileiros e portugueses, confesso que já participei de muito deles - e, acredite, já me excedi bastante também -, mas depois de um tempo me dei conta que elas nascem em grande parte do fato de brasileiros e portugueses terem a mesma língua e, paradoxalmente, serem muito diferentes, daí surge um desconforto profundo em estar diante de alguém que fala a mesma língua que você e ao mesmo tempo é muito diferente - some isso com certos fatos históricos e está feito o desastre hehehe

Quanto ao seu estranhamento em relação à Rússia, acredite, é normal; obviamente sua experiência é muito mais radical que a minha, mas eu, pernambucano criado em São Paulo, também sinto algo parecido: Não sou paulista e, quando viajo para minha terra natal, percebo que também não me pareço tanto com meus conterrâneos; no fim das contas sou paulista e pernambucano e ao mesmo tempo não sou nenhum dos dois, por isso prefiro prefiro me definir mesmo como brasileiro.

abraços

Pyotr K. Schitikoff disse...

Hugo

Tem toda razão: sempre achamos que por falar o mesmo idioma o pensamento e a afinidade será a mesma. Nos debates o que fica mesmo claro é que há mais diferenças que similitudes. E como!

O quesito preconceito foi o que mais me marcou. Achava que nós brasileiros éramos até preconceituosos, mas me enganei depois deste último debate, pois há gradações e a deles é maior que a nossa, certamente. Foi bom para observar melhor o que pensam de nós.

Eu não me encontrei na Rússia, mas uma coisa lhe garanto: é um dos países mais lindos do mundo. Culturalmente abocanha grandes capitais européias. São Petesburgo e Moscou são espetaculares. Se um dia vc for pra lá, voltará extasiado.

Abraços

Anónimo disse...

A russia tem de se recompor rápido porque senão a conquista espacial so avança em hollywwod.

estava a acompanhar a recuperação do sector espacial russo e em 2009 de certeza que haverá cortes nessa area... eu quero acreditar que não haverá.

Bruno

Anónimo disse...

Caro Pyotr:
Pois, devia ser giro você e o boss a falarem. Ele teria de subir a um banquinho. Os portugueses são os mais baixos da Europa e, portanto, eu não teria problemas em cumprimentar o boss.
Muitos dos desentendimentos entre brasileiros e portugueses devem-se à reserva lusa em contraste com os extrovertido brasileirismo. Depois vem o resto: complexos de inferioridade, etc.Agora, você, russo que se habituou ao Brasil e até já estranha Portugal, imagino o que sentirá do distanciamento russo.Talvez me consiga explicar um dos maiores paradoxos russos que são as paixões de " caixão à cova" dos homens. Tenho uma amiga que foi durante meses " cortejada" por um russo, totalmente obsecado com ela, mas que ao pé dela era frio como gelo e muito egocêntrico. Foi um dos casos mais intrigantes de que tive conhecimento e, embora ela tenha terminado todos os contactos, é provável que ele continue apanhado. Será isto do frio? Dizem que as mulheres russas são mais "normais". Será?

Pippo disse...

Camaradas, é só para dizer que hoje pelas 09.30h o Admiral Levtchenko abandonou as docas de Alcântara.
Boa viagem, rapaziada! E boa caça!