segunda-feira, junho 29, 2009

Exército russo dá início a exercícios militares no Cáucaso


As Forças Armadas da Rússia começam hoje manobras estratégicas “Cáucaso 2009”, em que participam também as brigadas russas estacionadas na Abkházia e Ossétia do Sul, informou o general Vladimir Voldirev, comandante do Exército.
“As manobras operativo-estratégicas “Cáucaso-2009”, sob o comando do chefe do Estado Maior das Forças Armadas da Rússia, general Nikolai Makarov, começam hoje em dez províncias do sul da Rússia”, precisou Andrei Bobrun, porta-voz da Região Militar do Cáucaso do Norte.
Entre essas regiões estão as repúblicas do Norte do Cáucaso russo: Ossétia do Norte, Inguchétia, Daguestão, Karatcheaevo-Circásia e Tchetchénia, fazendo esta última fronteira com a Geórgia.
O Ministério do Interior da Rússia informou que nas manobras, que se prolongarão até 06 de Julho, participam 8.500 soldados e oficiais, 200 tanques, 450 veículos blindados e 250 peças de arilharia de diverso calibre.
“Nos exercícios participam unidades da Região Militar do Cáucaso do Norte, bem como estruturas que interagem com elas: Força Aérea e Tropas de Defesa Anti-aérea, Frota do Cáspio, base naval militar de Novorrossisk, direcção regional das Tropas Fronteiriças do Serviço Federal de Segurança, comando regional das Tropas do Ministério do Interior no Cáucaso do Norte e paraquedistas”, acrescentou Andrei Bobrun.
Além disso, nas manobras participam as tropas russas estacionadas na Abkházia e Ossétia do Sul, repúblicas separatistas georgianas que proclamaram a independência com o apoio de Moscovo.
O cenário é muito semelhante àquele seguido no ano passado em manobras idênticas, que antecederam a guerra entre a Rússia e a Geórgia, no mês de Agosto.
“Durante as manobras, iremos experimentar e analisar um amplo leque de medidas adequadas possíveis de carácter militar para garantir a segurança dos cidadãos da Rússia, das comunicações de transporte e energéticas, de alvos estratégicos, bem como medidas com vista à defesa dos interesses económicos da Rússia na região sudoeste”, frisou Bobrun.
Ele acrescentou que as tropas da região militar do Cáucaso do Norte irão ter em conta a experiência adquirida durante a “operação para obrigar a Geórgia à paz”.
A pretexto de defender os seus cidadãos na Ossétia do Sul do ataque das tropas da Geórgia, Moscovo desencadeou, a 08 de Agosto de 2008, uma operação militar que levou à retirada dos militares georgianos dessa região separatista e à ocupação de parte do território do país vizinho.
Em Setembro, o Kremlin reconheceu a independência das repúblicas separatistas georgianas da Abkházia e Ossétia do Sul.

36 comentários:

Wandard disse...

"A pretexto de defender os seus cidadãos na Ossétia do Sul do ataque das tropas da Geórgia, Moscovo desencadeou, a 08 de Agosto de 2008, uma operação militar que levou à retirada dos militares georgianos dessa região separatista e à ocupação de parte do território do país vizinho."

Sr. Milhazes,

Moscou não desendadeou uma operação militar, a Georgia atacou militarmente e a Rússia respondeu, conforme havia advertido anteriormente por várias vezes, que qualquer ação hostil da Geórgia teria uma reação militar. Portanto quem desencadeou o incidente não foi a Rússia e sim a Geórgia.

Gilberto Mucio disse...

Foram os dois, Wandard.

Chega de "clubismo" também, né, colega. Assim já é demais.

Georgia atacou a Ossetia(território georgiano) assim como a Russia atacou zilhões de vezes a Chechenia(território russo), por exemplo.

Nikita Khrushev disse...

Este "territorio georgiano" nunca foi sub controlo georgiano. Ate que e mais importante o povo da Osetia do Sul tem pouco a ver com Georgia, mas muito mais com Osetia do Norte. Ainda vamos falar sobre peninsula da Crimea e Ucránia? E mesma historia!

Pippo disse...

Apesar de não o podermos saber, seria interessante averiguar até que ponto os russos mantiveram ou melhoraram os seus sistemas e estrutura de comando.

Também é interessante a participação da Guarda Fronteiriça num exercício militar. Qual é a ligação entre estas unidades e as restantes que participam no exercício?

Batka Makhno disse...

В Москве покажут рассекреченные документы о деятельности УПА и ОУН
На архивной выставке в Москве представят сегодня рассекреченные документы о деятельности вооруженных националистических украинских группировок. Экспозиция «Идеология и практика украинского национализма. ОУН и УПА в 1939- 1956 годы: свидетельства документов» развернута в выставочном зале Федеральных архивов на Пироговке.
В экспозиции представлены постановления и решения высших органов советской власти того времени, документы НКВД и НКГБ СССР и Украины, Центрального и Украинского штабов партизанского движения; донесения из действующих частей Красной Армии. Особый интерес представляют документы, захваченные в ходе проведения боевых операций против вооруженных формирований ОУН
(Организация украинских националистов) и УПА (Украинская повстанческая армия), протоколы допросов арестованных членов этих организаций, программные документы украинского националистического движения на различных этапах его борьбы с советской властью. informaçao da agencia ITAR-TASS

Wandard disse...

Não Gilberto,

Quem desencadeou o conflito de agosto foi a Georgia que buscava atrair a Otan e o tiro saiu pela culatra. A questão separatista da Ossetia e Abcazia é latente desde o fim da União Soviética. Os Estados Unidos e seus respectivos aliados em total descumprimento dos acordos que foram firmados na década de 90, fomentaram o avanço pela Ásia Central, visando, claro os recursos naturais e posicionamentos estratégicos que tanto necessitam. A Georgia resolveu apostar na Águia Careca, Saakachvili resolveu fazer curso de História dos anos 90 e assistiu alguns filmes de Hollywood e e deu no que deu. De forma alguma quero eximir os erros da Rússia mas o caso da Geórgia é puramente o velho jogo americano de buscar domínio em todos os pontos do planeta. Queria ver se a brincadeira fosse em Cuba, Nicarágua ou quem sabe o México, como se comportariam os americanos e provavelmente os aliados achariam que os americanos estavam corretos e os errados seriam estes países.

Carlos disse...

Go Moscow!!!

Jest nas Wielu disse...

2 Wandard

Pela sua lógica, a Rússia tem todo o direito natural de intervir na Chechénia, mas Geórgia não pode intervir na Ossétia (que é seu território integrante reconhecido pela ONU e antes da guerra também pela Rússia).

Além disso, já cá falamos sobre a presença russa em Tshinvali ainda no dia 7 de Agosto (artigo publicado e rapidamente retirado do jornal militar russo “Estrela Vermelha”), etc.

Todos aqueles que pensam que a Geórgia começou a guerra para “agradar os EUA” / “entrar na NATO”, deveriam ler o artigo do Andrei Ilarionov, ex-conselheiro do Putin, sobre as preparativas russas da guerra contra a Geórgia. Alguns etapas dessa preparação começaram ainda em 1999:

1. Setembro de 1999 — Dezembro de 2002 – Kremlin coloca o seu homem na presidência da Ossétia do Sul, para assegurar que os ossetas não aceitam o plano da autonomia alargada, preparado pela Geórgia.

2. Janeiro de 2003 – Abril de 2004 – batalha pela Adjária, Moscovo tenta criar o movimento separatista numa outra região da Geórgia, Adjária, mas falha.

3. Maio de 2004 – Abril de 2005 – Kremlin coloca o seu homem na presidência da Abecásia, assegurando a não-aceitação do plano da autonomia alargada.

4. Maio de 2005 – Agosto de 2006: Kremlin começa o ataque económico contra a Geórgia, proibindo a importação dos vinhos e águas minerais georgianas.

5. Setembro – Outubro de 2006: “Guerra contra os espiões”
No dia 27 de Setembro de 2006, o Ministro do interior da Geórgia, Vano Merabishvili informa sobre o desmantelamento da rede de espionagem russa, chefiada por 7 oficiais do GRU. Os serviços de inteligência georgianos prendem 4 oficiais russos e 11 cidadãos georgianos. Os georgianos mostram o vídeo em que os russos passam o dinheiro aos seus agentes. Ex presidente Shevarnadze confirma a informação sobre a rede de espiões russos que funcionava na Geórgia.

6. Novembro 2006 – Abril 2008. Preparação diplomática e militar de uma Grande Guerra
Na Cimeira dos CEI Putin directamente ameaça Mikeil Saakashvili, dizendo que “vai lhe criar o Chipre do Norte” (29.11.2006). Duma debateu o apelo para a independência da Abecásia / Ossétia do Sul. No dia 11 de Dezembro o general russo Andrei Laptev foi designado como Ministro da Defesa da Ossétia do Sul. No dia 10 de Fevereiro de 2008 em Baveria, Putin fez o discursou entendido no Ocidente como declaração da confrontação aberta contra o Ocidente. Dois dias depois, Mikeil Saakashvili prometeu que a Geórgia fará parta da NATO em 2009.

Será de uma desonestidade intelectual muito grande, acusar o Presidente da Geórgia pretender defender o seu país de um ataque eminente. Mikeil Saakashvili sabia de antemão, que a questão da guerra já foi decidida pelo Kremlin, podia não saber a data exacta. Por isso, quando foi informado sobre avanço da coluna militar russa no túnel de Rokki, agiu em conformidade. O resto é a história.

Ler o artigo completo em russo:
http://www.novayagazeta.ru/data/2009/066/17.html
http://www.novayagazeta.ru/data/2009/067/08.html
http://www.novayagazeta.ru/data/2009/068/16.html

PortugueseMan disse...

Interessante.

Para se defender a atitude da Geórgia, é necessário entrar em comparações com a Tchétchénia.

Parece que não se arranja mais argumentos para defender os actos da Geórgia.

Se calhar é porque não os há mesmo...

Makhno disse...

Hoje em dia Ucránia venda armas sovieticas para todo tipo dos clientes, ate para Somália. Também Ucránia e um aliado anti-rússo da Georgia. Ucránia ajudou a Georgia na guerra da Osetia e muito natural que nacionalistas Ucranianos defendem politica da Georgia...

Gaius disse...

Não vê quem não quer. A Georgia atende sim à interesses dos EUA. É, praticamente, um posto avançado dos yankies. Não há o que discutir.

Jest nas Wielu disse...

2 PortugueseMan

Algum comentário sobre os artigos do Ilarionov, ou vai continuar nessa de “eu não li o artigo, nem sei ler (em russo), mas acho que as rosas murcharam, assim me parece”.

2 Makhno

As nossas armas são nossas, mesmo se ERAM soviéticas, para Somália não vendemos nada, na guerra da Geórgia um país soberano ajudou outro país soberano, estamos no nosso direito internacional, em quanto os russos armaram os separatistas na ALTURA não reconhecidos por ninguém, hoje apenas pela Rússia, Nicarágua, Hamas e Hezbollah.

p.s.
Makhno & Gaius também não leram os artigos do Ilarionov? Também acham que “nos EUA lincham os negros”?

Denilson disse...

Rússia que ficou para trás O ocidente não tem acesso seguro ao centro geográfico do poder eurasiano, seja por causa de aliados instáveis e volúveis (Afeganistão e Paquistão), de paises hostis (Irã) ou pelo próprio mar Cáspio, se o ocidente não conseguir atrair a Rússia, a China será vencedora do grande jogo... ... O verdadeiro "inimigo" da Rússia hoje não é a Europa ocidental e sim a China, o Ocidente não tem feito segredo de seu empenho em desalojar a Rússia no leste Europeu, mas será que gostaria que a Rússia fosse desmembrada de seu próprio leste? As ambições regionais Chinesas passam ao largo da Rússia, o temor da escansão chinesa deveria ser maior que as queixas em relação aos Estados Unidos ou a Europa. Em nenhum outro lugar no mundo um estado cuja população diminui faz fronteira de modo tão constratante, com outro superpovoado, a grade muralha ruirá em breve em direção ao norte, chegando á Rússia praticamente despovoada. Muitos Russos hoje se referem às populações chinesas do extremo oriente como "o perigo amarelo": Enquanto militares russos trabalham com a hipótese da ocupação de pate da Sibéria e das ilhas Sakhalinas, rica em petróleo e gás, pela China, com a Rússia recorrendo, em reação as armas nucleares táticas.

Denilson disse...

escansão = expansão

an´ disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
anónimo russo disse...

Denilson,

tu estiveste alguma vez aqui, ò, meu despovoado?

Skovoroda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Wandard disse...

Jest,

Não defendi nenhuma lógica comparativa, quem citou a Chechênia foi o Gilberto, no meu primeiro comentário concentrei-me dentro do tópico e em relação ao post doSr. Milhazes. Quanto ao ataque, infelizmente para os georgianos, a culpa é do seu Presidente sim, ele contava com a inércia da Rússia e o apenas "rosnar" que aconteceu nos Balcãs, quando as tropas aerotransportadas russas foram humilhadas depois de realizarem o que a Otan levou duas semanas planejando e não saiu do papel, que foi a tomada do Aeroporto de Pristina e o que a Otan fez foi utilizar os seus novos aliados, para bloquear o corredor aéreo e deixar os soldados russos sem suprimentos, ou o total descaso da negativa da Rússia em relação à invasão do Iraque. O Mikhail contou com isso e se deu mal. Quanto à Ossetia do Sul, em termos históricos e étnicos eles não tem nada haver com os Georgianos, se não me engano a aparência dos Ossetas esta mais próxima dos Persas e é mais do que claro que eles não querem pertencer à Georgia. Detalhe, os acordos que terminaram em uma série de decretos assinados pelos então Presidentes da Rússia nos anos 90, não foram de livre e espontânea vontade e sim de livre e espontânea pressão e os Eua e aliados decumpriram a maioria dos acordos, facilmente visível com sua presença na Ásia Central. Por fim o jogo envolve o BTC, a entrada na Otan e o acesso à Ásia Central, é Geopolítica e existem portanto anjos e demonios. Quem entra na chuva é para se molhar.

Grande abraço,

Gaius disse...

p.s.
Makhno & Gaius também não leram os artigos do Ilarionov? Também acham que “nos EUA lincham os negros”?



O problema é que você é declaradamente russófobo, de modo que suas análises são, antes de tudo, suspeitas.


Não tenho nenhum laço ou mágoa com a Rússia. Minha análise é sempre baseada num panorama geo-políticos, em qualquer sítio do planeta.


E já que tocaste no tema racismo, os EUA, ainda que de forma velada, são um dos países mais racistas que existe. E, noutros tempos, já licharam muitos negros... o que não é muito diferente da xenofobia da UE.

Anónimo disse...

Na Ucrania tambem lincham os negros...

Jest nas Wielu disse...

2 Wandard

Quem usou o exemplo checheno foi eu próprio, pois se vocês dizem que a Rússia procedeu bem em “actuar em força” contra os separatistas da Ichkeriya, então não é viável dizerem agora, que a Geórgia fez mal em actuar do mesmo modo contra os seus próprios separatistas. Dizes tu que os ossetas não são parecidos com os georgianos (no Brasil vivem brancos e índios e isso não é nenhuma razão para não puderem viver sob o mesmo teto). Mas os chechenos e russos também não são parecidos. Temos na sua análise (alias como sempre) dois pesos, duas medidas.

Wandard, explica como é possível “bloquear o corredor aéreo”. Só se foi com os dirigíveis….

Dizes tu que “Quem entra na chuva é para se molhar”, mas criticas aqueles, que ao seu ver “molham” os russos. Será que essa coisa de se “molhar” não é aplicável aos russos?

Grande abraço igualmente

2 Gaius

Se as minhas análises são suspeitas, então cinge-se aos factos por mim evocados e demonstre de um modo lógico que eu não tenho a razão. Mostre a tal sua análise e contradiga Andrei Ilarionov com os factos na mão.

No que toca a minha frase, é uma velha piada soviética, significa que os soviéticos / russos usam a crítica do Ocidente, como a desculpa habitual para as suas próprias barbaridades GULAGianas, por assim dizer.

Anónimo disse...

Nada como os bons soviéticos/ucranianos

Wandard disse...

Jest,


O corredor aéreo foi bloqueado pois não houve autorização da Hungria para que a Força Aérea Russa pudesse abastecer as tropas.

No Brasil não temos problemas "étnicos" e nossa história é bem diferente dos povos do Cáucaso, infelizmente não pode ser usada como comparativo. Se for considerada a questão de que Stalin era georgiano, está explicado porque os ossetas não querem viver sob o teto da Geórgia.

Jest nas Wielu disse...

Wandard,

Bem, entendi, percebo bem a atitude da Hungria, após a invasão do país pela URSS em 1956, também não deixaria que os filhos dos invasores passem de novo pelo céu pátrio.

No Brasil não existem problemas étnicos? Isso é uma super piada! Só por ter a consideração por sua pessoa, não vou dizer nada…. Leia este blogue (aceitaria se eu pedir um afro – brasileiro dizer o que ele pensa sobre “a não existência de problemas étnicos no vosso país?)
http://ricardoriso.blogspot.com

Stalin: normalmente Wandard defende a ideia do que “os crimes do Stalin são águas passadas” (para dizer que ucranianos não devem / não precisam de se lembrar deles), mas para condenar Mikael Saakashvili, os crimes do Stalin já ganham a etnicidade. Mais uma vez: dois pesos, duas medidas.

Denilson disse...

Caro anônimo!!!! Não ainda não tive esse prazer de conhecer a Russia, que por sinal parece ter muitos lugares para visitar, não só pela sua beleza natural e também pela historia que significa para o mundo, mas sabendo que moro no Brasil, a quinta maior população do planeta, com um territorio bem menor que a Federação Russa, temos aqui locais onde você anda Quilômetros e quilômetros sem observar uma unica cidade, dificilmente deve ser diferente na Russia que também existi sim locais onde á poucas pessoas , o que me diz da Sibéria?

Jest nas Wielu disse...

Enquanto cá discutimos os armamentos e as tácticas militares, a igreja ortodoxa russa já tem a solução “igreja ortodoxa móvel com a cúpula levadiça”, NATO não tem nada para responder à esta maravilha, construída com o uso das nano – tecnologias.

Na fábrica de construção automóvel da cidade de Volgograd (Rússia), começaram construir as igrejas móveis. O cliente é o Patriarcado de Moscovo da IOR.

O chefe – construtor da fábrica, Iuri Ieriomin conta que por fora a igreja é muito parecida com um camião Kamaz. Mas na posição de repouso, através do sistema de rolamentos, o camião se transforma numa igreja com a cúpula, cruz, altar, átrio e até um confessionário.

“No caso dos combates, a cúpula é colocada para dentro, duas pessoas conseguem montar a igreja em quatro horas”, – explica padre superior Savva Molganov, vice – chefe do Departamento do Sínodo da Cooperação com as Forças Armadas e de Segurança Pública do Patriarcado de Moscovo.

Fonte:
http://ibigdan.livejournal.com/4736263.html

Wandard disse...

Jest,

Nunca defendi os crimes de Stalin, muito pelo contrário pois comparando com Hitler, talvez ele só perca a primeira posição como genocida para Mao Tse Tung. Quando me referi à questão de líderes em relação à segunda-guerra nunca isentei nenhum dos lados quanto às atrocidades. Quando falei da não existência de problemas étnicos no Brasil, quis dizer que somos um país mestiço, não temos uma população oriunda de tribos diversas, ou de povos que antes habitaram uma região e foram sendo unidos pelas invasões sucessivas de outros povos mais poderosos, como aconteceu ao Cáucaso ou à Ásia Central, somos o resultado de uma colonização e de uma mistura genética de vários povos, os índios brigam por terras, algumas tribos por que querem manter suas tradições já outras são manipuladas por certas "ONG's, cuja a origem eu garanto quer não é da Rússia. Quanto a sentimentos contrários, discriminações e outros absurdos, não somos diferentes de nenhum povo, pois aqui existem também os racistas, os neo-nazisetc... mas não são maioria.

Abraço,

Wandard disse...

"Enquanto cá discutimos os armamentos e as tácticas militares, a igreja ortodoxa russa já tem a solução “igreja ortodoxa móvel com a cúpula levadiça”, NATO não tem nada para responder à esta maravilha, construída com o uso das nano – tecnologias."

Os muçulmanos não vão gostar e é possível que a atividade das milícias radicais aumentem no Cáucaso. rrsrsrs

Jest nas Wielu disse...

Mais um soldado russo desertou do 58º exército (de ocupação da Geórgia), diz que lhe “os sargentos russos o batiam como cão”, quer viver na Geórgia, pediu a cidadania, recebeu o estatuto do refugiado:
http://cyxymu.livejournal.com/539905.html

Pippo disse...

Uiui, daqui a pouco a ONU terá de criar campos de refugiados para todos esses desertores. Já são... 2, não são?
:o)

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

Sim, já lá vão os dois, que preferiram trocar a vida maravilhosa no império energético (que se levanta do chão nos últimos 8 anos), para passarem a viver na “miserável” Geórgia, lacaia do CIA – Obama.

p.s.

OSCE compara comunismo ao fascismo

A 18ª sessão da Assembleia Parlamentar da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), a decorrer nestes dias em Vilnius, capital da Lituânia, propôs à apreciação dos estados – membros a resolução “Da reunificação da Europa dividida”, que finalmente coloca, no mesmo plano o nazismo e o comunismo.

A proposta é de autoria da Lituânia e Eslovénia, países que sofreram directamente com os crimes do comunismo e do fascismo. Basta lembrar os anos de ocupação soviética da Lituânia ou os problemas que o regime de Tito causou a Eslovénia.

A resolução propõe acabar com as barreiras divisórias na Europa, eliminando a mitologia soviéticas à volta da pressuposta vitória sobre o nazismo. O que houve, na realidade, foi uma luta entre dois regimes totalitários sanguinários, desumanos e cruéis: o nazista alemão e o comunista soviético, e o vencedor por acaso foi a URSS, por ventura o mais sanguinário. A metade dos povos da Europa ficou escravizada por mais de 40 anos e só se libertou em consequência das revoluções populares de 1989 – 1991.

Continua…

Anónimo disse...

Jest tem razão! Teria sido muito melhor se Hitler tivesse ganho.

Foi uma pena

Anónimo disse...

A Lituânia tem razão. E a Geórgia e a Ucrânia deveriam pagar pelos erros cometidos pelos comunistas, cujos dirigentes máximos à época provinham desses dois países.

Jest nas Wielu disse...

Anónimo 13:24 anda distraído, pagamos em 1932-33, e Ucrânia nem ao nível republicano tinha muitos dirigentes ucranianos, já para não falar do Kremlin.

E os crimes de Hitler não desculpam os crimes do Stalin.

Wandard disse...

"Alik D. Bzhania, um tenente do exército da Geórgia, em uma coletiva de imprensa lotada aqui. Bzhania, 35 anos, descreveu como, em 23 de maio, ele deixou seu posto como navegador em uma embarcação da guarda costeira, vestiu roupas civis e atravessou a fronteira para a Rússia, em busca de asilo político."

Bem,

A Geórgia pode afirmar que está ganhando a guerra desta vez, só que de desertores:))), pois são 2 da Rússia contra 1 da Geórgia. Como o ano ainda não acabou vamos ver como será o escore até o fim do ano.