sexta-feira, agosto 21, 2009

Qual serão as nacionalidades dos alegados piratas?

Entre os alegados sequestradores do cargueiro Arctic Sea há dois russos, um estónio, um letão e três pessoas sem cidadania, precisou um porta-voz do Tribunal do Bairro Basmani de Moscovo.
As autoridades judiciais russas afirmam não ter informações sobre a cidadania de um dos alegados piratas.
Antes, o Comité de Investigação da Procuradoria-Geral da Rússia anunciou que entre os piratas que desviaram o navio havia um espanhol, um russo, um lituâno e três apátridas, não revelando a cidadania de dois.
Porém, todos os detidos têm nomes e apelidos russos: Evgueni Mironov, Igor Borissov, Vitali Lepin, Alexei Bullev, Andrei Lunev, Alexei Andriuchin, Dmitri Bartenov e Dmitri Savinf.
Antes ainda, o Ministério da Defesa falou em sequestradores da Rússia, Letónia e Estónia.
O Tribunal do Bairro de Basmani de Moscovo já sancionou a detenção de todos os alegados piratas e continua a ouvir os restantes.
O cargueiro, que desapareceu em finais de Julho, foi recuperado por militares russos no passado domingo, perto do arquipélago de Cabo Verde.

55 comentários:

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Sabe dizer onde está o barco neste momento? Continua em Cabo Verde?

O MSantos fez referência que foram para Cabo Verde 3 aviões IL-76, está a par de algo, pode confirmar que foram de facto 3aviões para lá?

Jose Milhazes disse...

Caro PM, o navio está a ser conduzido para Novorrossisk. Não se sabe quando lá vai chegar.
Quanto aos aviões, nem nisso há unanimidade. Uns escrevem que foram três aviões Il-76, mas há outros órgãos de informação que falam em três. Em qualquer dos casos, são aviões demais para tão pouca gente.

Anónimo disse...

São oito estraterrestres!

PortugueseMan disse...

Se realmente foram para lá 3 aviões de carga, nitidamente há algo na carga do barco.

Algo terá que ser explicado.

Pippo disse...

JM,
Há órgãos qye referem três aviões e outros que referem DOIS (o JM referiu três e três).

Admito que os militares tenham confundido nacionalidades (não é propriamente a sua especialidade), agora que o Min da Justiça venha dizer que entre os meliantes haja espanhois com nomes russos... bem, hoje em dia tudo é possível.

MSantos disse...

Boa noite

Ontem vi no jornal da TVI que eram 3 aviões. Hoje na TSF já eram só 2.

No whiskey Grants a tentação é grande. Neste caso a desinformação é grande.

E não é so da parte dos russos.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Falta de dados e necessidade de dar notícias é o que dá MSantos.

Só me estou a lembrar daquele ex-almirante estónio, a dar palpites de mísseis cruzeiro para o Irão e a falar em metade da armada russa no mar.

Começamos por ser um estónio, que dados os episódios que têm acontecido entre os 2 países nos últimos anos, deve ser tudo menos imparcial.

Depois fala em mísseis cruzeiro, mas tem o cuidado de não ser mais específico, que é para não se enterrar mais.

E ainda sugere o Irão e ninguém lhe pergunta para que precisa a Rússia de enviar um barco, atravessar meio mundo, quando tem acesso directo ao Irão por via aérea e marítima.

Enfim as manchetes é que vendem jornais e dão audiências na tv.

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Este é mais um artigo acerca de um dos nossos assuntos, melhor dizendo, acerca da capacidade financeira da Gazprom.

Russia Gazprom unveils strategies for Turkey

Russian gas monopoly Gazprom has acquired a majority stake in the Turkish Bosphorus Gas Corporation, hoping to boost its investment and become a powerful player in the future strategic Eurasian gas hub to be established in Turkey...

...Gazprom has expanded its share in Bosphorus Gas Corporation A.S. to 51 per cent...


http://www.euractiv.com/en/energy/russia-gazprom-unveils-strategies-turkey/article-184711?Ref=RSS

De realçar também que o próprio movimento em si, é interessante. A Turquia é um membro da NATO e é um um país chave para a maioria dos pipelines ocidentais e no entanto permite o controlo de empresas energéticas por parte dos russos.

É interessante a posição turca.

Cristina disse...

Segundo a imprensa russa, os aviões de carga eram TRÊS.
Para que sabe russo,ver o link http://mk.ru/social/publications/337444.html
De acordo com este jornal, um dos aviões transportou para Moscovo os representantes das autoridades, outro, os alegados piratas, o terceiro, onze membros da tripulação.
Cristina Mestre

platero disse...

isto "coincidiu" com estadia, curta, de Hillary encabeçando uma comitiva de noventa altos quadros e políticos norte-americanos em Cabo-Verde.

é pura coincidência?

MSantos disse...

PortugueseMan

O presente governo turco, nomeadamente o PM Erdogan está ressentido com a posição dos países europeus face à sua eventual (se calhar é mais correcto dizer hipotética) adesão à UE.

Some os ressentimentos para com os norteamericanos face ao que fizeram no Iraque e com o Islão em geral ao longo dos últimos anos.

A posição turca tem mudado e se tornado cada vez mais ambígua face a todos estes ressentimentos.

Já houve rumores que iriam comprar material de guerra aos russos, nomeadamente helicópeteros MI-28 ou os famosíssimos S-300, tornando-se o primeiro país da NATO original a operar este tipo de material.

Não é pois de estranhar a posição turca.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Cristina,

Obrigado por mais essa informação.

No entanto a mesma, dá uma justificação inválida para o envio de 3 aviões de carga daquelas dimensões para levar um punhado de pessoas. Só posso concluir que esse jornal sabe tanto da razão do envio de 3 aviões como eu.

PortugueseMan disse...

MSantos,

Só em relação aos helis, porque para o S-300 Já temos um país da NATO, a Grécia.

Anónimo disse...

A turquia já opera material Russo que lhe foi fornecido pela Alemanha e que era da ex.RDA.

Jest nas Wielu disse...

Espero por um pedido formal de desculpas, daqueles que me acusaram de ser russófobo, quando afirmei que tenho quase a certeza absoluta do que os sequestradores eram russos. Como podem ver, 100% dos oito alegados piratas, são de origem russa: Evgueni Mironov, Igor Borissov, Vitali Lepin, Alexei Bullev, Andrei Lunev, Alexei Andriuchin, Dmitri Bartenov e Dmitri Savinf.

Alguns comentários, Pippo e Kº?

Anónimo disse...

Se o navio saiu dum porto da Finlândia como entender as possibilidades de que estivesse a transportar cargas "secretas" tais como droga, mísseis russos para venda, et cetera?
Quem controla os portos finlandeses, ou seja, tudo aquilo que lá é embarcado e portanto de lá sai, é a Finlândia não é?

Por outro lado:
Qual a razão de tanta movimentação de meios militares navais e aéreos por parte da Rússia?
Apenas pelo facto de a tripulação - somente 11 homens - ser Russa?

Ummm ...

Alguém com contactos no Oráculo de Delfos que esteja a ler isto pode fornecer uma explicação? :o)

MSantos disse...

Tem razão Jest!

O seu ponto de vista ficou muito bem comprovado:

Não podiam ser estónios pois apenas só os russos e todos eles são uns bandidos.

;)

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

Obrigado pelas vossas correções.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, antes de ir carregar madeira à Finlândia, o Arctic Sea passou pelos estaleiros de Kalinnegrado.

Inácio Cristiano disse...

Ao comentarista anónimo 12:20

Convinha que não menosprezasse alguns detalhes, por ingenuidade ou falta de informação mais ou menos generalizada na imprensa.

-Como processa esta informação:
No 15Agosto, os meios enviados do Mar Negro pelo presidente Medvedev, em estreita ligação com o embaixador russo junto à NATO, após Gibraltar rumaram directamente para Cabo Verde ( dando informação oficial que seguiriam por uma faixa de rastreio, ao largo das àguas portuguesas e em direcção ao Báltico-como manobra de diversão).
No mesmo dia 15Agosto, as autoridades francesas rastrearam o sinal AIS do Arctic Sea, como estando no Golfo da Biscaia, no meridiano de La Corunha, após sobrevoar a zona apenas detectou 3 navios da Armada Russa do Báltico, concluindo que o sinal detectado só poderia ser emitido por um daqueles navios, já que nessa altura o Arctic Sea estava 200 milhas ao sul de Cabo Verde.
Aparentemente os 3 navios russos do Báltico, não pertenciam à "task force" de busca e captura do Arctic Sea.

M.Cumprimentos

Pippo disse...

MSantos,

Reafirmando o facto da Grécia já ter os S-300 (e Chipre ter, se não estou em erro, Tor M-1), a Turquia opera material russo: BTR-80 e Mi-17.

A Turquia, no meu entender, só faz é bem. Está num ponto geográfico de charneira e pode utilizar essa sua característica para lidar com vários actores, obtendo para si vantagens de todos os lados.

Pippo disse...

Jest, você acertou. Devemos-lhe desculpas. Está provado que a sua russofobia xenófoba, por vezes, tem sorte.

Mas como a sua afirmação não foi baseada em provas mas sim no seu revanchismo do costume, mantenho o que disse.

:o)

Pippo disse...

MSantos, estive agora a ver a Wiki e parece que os turcos também têm os Igla (SA-18)? Curioso...

Anónimo disse...

O piratas tinham de falar uns com os outros para planear o ataque. Nada mais lógico do que neste caso falarem todos russo. Julgo que deviam saber que os tripulantes eram russos e assim percebiam tudo o que se passava a bordo.
Actualmente os cidadãos dos países bálticos que não de etnia russa não parecem muito dispostos a misturarem-se com russos. Os nomes dos bandidos vem afinal confirmar isto.
Parece-me que o navio deve ser revistado de fio a pavio em Novorrossisk. Porquê? Será que as autoridades russas sabem o que se passou? É inegável que havia algo de suspeito e todos aguardam por factos para saber afinal o que se passou. JP

MSantos disse...

É verdade Pippo e pasme-se: descobri também que a marinha grega opera 4 unidades dos hovercraft de assalto e desembarque ZUBR (Código NATO: Pomornik).

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

Apenas uma questão: as autoridades estónias estavam tão preocupadas com os seus cidadãos que até inquiriram o governo russo.

E agora? Continuam preocupadas?

Cumpts
Manuel Santos

Francisco Castelo Branco disse...

Estranho este caso.

Como é que um navio daquele quilate e estrutura é sujeito a actos de pirataria?

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

Obrigado, Pippo, eu sabia que apesar da diferença nas opiniões, você é capaz de reconhecer os seus próprios erros.

Agora, não me baseio no revanchismo (se verificar o significado da palavra, verá que ucranianos não têm as bases para ter este tipo de sentimento), mas guio me pelo conhecimento material das coisas (lembra-se, sempre vós peço para conheceram a “base material” das questões). Algo que os ocidentais, adoradores ingénuos da URSS / Rússia não tiveram no passado, não tem no presente e duvido que terão no futuro. Apenas isso.

Anónimo disse...

Segundo algumas notícias publicadas este fim-de-semana na imprensa russa e ucraniana, nomeadamente no jornal Novaya Gazeta, o Artic Sea levava escondido entre a madeira um carregamento de mísseis cruzeiro X-55 e de rockets anti-aéreos S-300 destinados ao Irão. Segundo o jornal, o navio foi desviado por piratas que trabalhavam para os serviços secretos israelitas, Mossad.

http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1343207&seccao=Europa

Jest nas Wielu disse...

A história do Arctic Sea vai obtendo os pormenores fantásticos:

Um dos alegados piratas, Andrey Lunev, já três anos era registado como … morto:
http://www.echo.msk.ru/news/614726-echo.html

A tripulação do navio já saiu da cadeia FSB “Lefortovo”, mas ainda não tem direito ao livre trânsito, os marinheiros já podiam ligar para os familiares, mas a sua conversa era controlada pelo pessoal do FSB, que não permitia dizer aos familiares onde eles ficam neste momento:
http://www.echo.msk.ru/news/614824-echo.html

p.s. Mossad? duvido que Mossad iria usar os operativos russos, ainda mais no Mar Báltico, Mossad numa boa podia afundar o navio no Atlántico, bem longe de qualquer civilização...

Pippo disse...

Para que é que a Mossad iria desviar o navio? Concordo com o Jest neste capítulo: com os Dolphin, a marinha israelita poderia destruir o navio sem qualquer problema.
Além disso, se a Rússia é um estado soberano, ela pode vender mísseis a quem quiser sem precisar de "tráficos".
Se vendeu material à Venezuela, até mesmo a Chipre e à Grécia (país da NATO), pode vender a quem quiser, até mesmo ao Irão.

Inácio Cristiano disse...

...e se aquilo que o sr. Vitor Matvejev (russo-finlandês)pôs a circular com sendo piratas, não fossem menos que "inspectores" que inspeccionaram e confirmaram a carga não declarada no "Manifesto de Carga" ?
A policia maritima sueca detinha todas as prerrogativas para inspeccionar a eventual gravidade da eventual denuncia e agir em conformidade, e posteriormente proceder de forma consequente como no caso se impunha.
...a inspecção até não foi muito demorada, ao fim de 12 horas largaram do navio e rumaram a terra!

Pippo disse...

Se fosse uma operação policial sueca, teria de haver ordens e um relatório, algo que as autoridades suecas negam (e não haveria razões para o negar se a operação fosse legal).
Quanto à legitimidade, teria de haver mesmo, ou fortes indícios, ou uma denúncia de tráfico de armas para que as autoridades suecas oprassem fora das suas águas territoriais.
Que se saiba nada disso ocorreu, portanto, à partida, os piratas são mesmo piratas.

Inácio Cristiano disse...

Ao Pippo:

as autoridades suecas não negam nada (mas tambem não confirmam) nem têm que revelar nada publicamente, pois se isto é um caso de policia (Interpol/NATO) a informação tem que ser classificada afim de se "apanhar" os prevaricadores do tráfico ilegal

A teia do conlui nestes casos é que é dificil de apanhar.
Até porque os verdadeiros piratas que estão no amago deste caso mandaram vários "tiros" para os pés e vão ter muitas dificuldades em manter a camuflagem de sérios Armadores !
O mais importante de tudo é saber até a que nivel de conivência governamental na Russia este projecto foi executado. Ao que tudo indica, Medvedev foi surpreendido e ficou manifestamente consternado. ( Ver as suas afirmações, no inesperado encontro de Sotchi com Shimon Peres)

"Em politica, nada acontece por acidente. Se algo inesperado acontece, podes estar certo que isso foi planeado assim"-Franklin D.Roosevelt

Cumprimentos

Pippo disse...

Não concordo.
Se é um caso de polícia, as autoridades russas (para não falar nas maltesas, país-pavilhão) já teriam sido notificadas.

Se os supostos piratas são agentes, então actuaram com base numa legalidade muito duvidosa e converteram-se em criminosos.

Além disso não acredito que as autoridades suecas estivessem a utilizar os serviços de russos e afins nas suas operações especiais. Eles têm operacionais muito bons e poderiam fazer tudo isso sozinhos.

Acresce ainda que, fosse esse um caso de polícia, teria sido efectuada uma apreensão, com o navio a "desaparecer" numa qualquer enseada do Báltico, e não ao largo de Cabo Verde.

Se o sucedido foi uma actuação policial, então o Governo sueco incorreu na prática de sequestro e pirataria, sendo este último crime previsto em ordenamemto jurídico internacional (CNUDM).

Por isso, apontaria mais, ou para uma operação de Máfia de Leste/Báltica, ou para uma actuação pirática pura e simples. A Somália, o Estreito de Malaca e o Golfo da Guiné não têm direitos exclusivos.

MSantos disse...

A história dos mísseis de cruzeiro e dos S-300 não faz qualquer sentido pois se houvesse alguma verdade nisso e algum país ocidental tivesse conhecimento, o navio teria sido interceptado pela NATO muito antes de abandonar águas europeias e com isso, além de impedirem a chegada da carga ao destino, teriam o trunfo de afirmar a Rússia como estado não confiável e de facto a Rússia tinha ficado numa posição extremamente delicada.

Se é que existe algo obscuro neste caso e pela forma como os dois lados procederam, a Rússia era a única parte interessada.

Por último: e se tudo isto não foi mais que um mero caso de pirataria/máfias que o tradicional secretismo deste tipo de operações, factor Rússia e o seu hábito de mover recursos desmesurados (aviões, navios, etc) aliados da especulação jornalística alimentaram?

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Leiam o artigo do jornalista Eduardo Guedes que foi ontem. Domingo, publicadaa, no Jornal de Notícias.
Parece que a possibilidade que recolhe melhor consistência, que é da autoria de uma jornalista russa Yula tatianova (ou coisa do género não sei ao certo o sub-nome) é a que teria sido um sinal claro das autoridades russas, para fechar uma rota que operava, mas que não vai operar mais.

Que rota era essa: possivelmente, venda de material bélico ou, material específico para o programa nuclear iraniano e sírio.

Outra questão: quem operava a rota e quem vendia? O próprio Estado Russo, ou alguns militares do estado russo, possivelmente em conluio com outras instâncias do estado russo, e com a complacência de algumas outras autoridades de topo do Estado Russo?

É que se o negócio era ofical (conhecido e autorizado ao nível de topo máximo das instâncias russas) não faz muito sentido a dita intervenção (para fechar a rota).
A menos que, eles quizessem dizer (parafraseando o Jest): não éramos nós, era um grupo de cidadãos :o)

Infelizemnte parece que a notícia de Domingo ainda não está on-line, talvez amanhã já esteja.

Também não deixa de ser curiosa esta informação publicada na Rossiskaia Gazeta, na qual se escreve que os piratas conseguiram sair do navio em lanchas rápidas, antes de serem descobertos por militares russos. :o)

A desinformação continua, a incerteza é segura.

Zuruspa disse...

Seräo estes "apátridas" parte da populaçäo de origem näo-báltica a quem os estados bálticos da ex-URSS onde nasceram, agora parte da UE, recusam a dar direitos de cidadania, näo obstante serem mais de 1/3 da populaçäo--e muitos já terem representado o seu país natal em competiçöes internacionais, e ganho medalhas (sei de alguns casos pessoalmente)?

Pois, esses säo mesmo "extraterrestres", visto que se lê no seu passaporte cinzento (quando o têm) "alien passport"...

Pippo disse...

Só não entendo é porque é que, de uma forma ou de outra, em todas as "notícias" e em muitos dos comentários aqui feitos, tem sempre de haver conluio envolvendo o Estado russo.
Nunca se põe a hipótese de ser uma mera iniciativa privada por parte de grupos criminosos.

E se envolver elementos das FA, isso implica que o Estado está envolvido? Seguramente que não. Isso seria o mesmo que afirmar que as actividades dos gangs que operam dentro das FA norte-americanas são, por consequência, efectuadas pelos EUA.

Jest nas Wielu disse...

2 Zuruspa

Não sei sobre todos os estados Bálticos, mas o passaporte do “não cidadão” na Letónia dizia “Nepilsoņa pase” (Passaporte do não cidadão). Em Janeiro de 2009, na Letónia viviam apenas 357,811 não cidadãos (ou seja 15.8% dos residentes no país), em comparação com cerca de 700,000 pessoas em 1991.

A problemática pode ser lida aqui:
http://en.wikipedia.org/wiki/Non-citizens_(Latvia)

p.s.
Mas é perfeitamente claro, que os desportistas de origem não letã, só poderiam representar a Letónia, após a naturalização (procedimento simplificado), vejam os casos semelhantes do Liedson, etc.

2 Pippo

“Só não entendo é porque é que, de uma forma ou de outra, em todas as "notícias" e em muitos dos comentários aqui feitos, tem sempre de haver conluio envolvendo o Estado russo”.

Por amor a verdade, não vais sugerir que dois submarinos nucleares zarparam da Rússia por “mera iniciativa privada por parte de grupos criminosos”, isso seria desrespeitar a Rússia por completo! Quer dizer, Putin trabalhou 8 anos incansavelmente para levantar o país de joelhos e agora os gangs já mandam nos submarinos. Depois eu que sou o russófobo… lol

Anónimo disse...

Além de russófobo, és um idiota que já ninguém leva a sério.

Pippo disse...

Kamarada Jest, se andasses atento saberias que os dois submarinos nucleares (de ataque, classe Akula - 971 Shchuka-B para ti) zarparam da Rússia há muitas semanas atrás, não por “mera iniciativa privada por parte de grupos criminosos” mas por iniciativa estatal, e que andaram a passear ao largo da oriental costa norte-americana.

"Two Russian nuclear submarines have been patrolling the USA’s East Coast during the recent several days, The New York Times wrote. One of the submarines was detected Tuesday about 200 miles off the US coast, anonymous sources at the Pentagon said. (...)"

http://english.pravda.ru/world/americas/05-08-2009/108624-submarines-0

"A pair of nuclear-powered Russian attack submarines has been patrolling off the eastern seaboard of the United States in recent days, a rare mission that has raised concerns inside the Pentagon and intelligence agencies about a more assertive stance by the Russian military."

http://www.nytimes.com/2009/08/05/world/05patrol.html

Os subs não só meteram medo aos teus patrões como ainda ajudaram a resgatar um navio pirateado.

Jest, se soubesses estas coisas evitarias fazer figuras tristes.

Wandard disse...

"Só não entendo é porque é que, de uma forma ou de outra, em todas as "notícias" e em muitos dos comentários aqui feitos, tem sempre de haver conluio envolvendo o Estado russo.
Nunca se põe a hipótese de ser uma mera iniciativa privada por parte de grupos criminosos."


Pippo meu amigo,

Isto já se tornou lugar comum. Se o navio fosse dos Estados Unidos, com certeza estaria em misão humanitária:)))

Wandard disse...

"Two Russian nuclear submarines have been patrolling the USA’s East Coast during the recent several days, The New York Times wrote. One of the submarines was detected Tuesday about 200 miles off the US coast, anonymous sources at the Pentagon said. (...)"


A notícia dos submarinos são algumas que "vazam", assim como as escaramuças da guerra fria não chegavam ao conhecimento da população civil. As duas nações voltaram a manter suas prontidões de patrulhas estratégicas aéreas e navais ja faz algum tempo, o recuo dos Estados Unidos e a busca da ratificação de acordos de limitações de armas não é por acaso.

Jest nas Wielu disse...

Bratello, Pippo,
Não respondeste a essência da minha pergunta (se calhar não entendeste o que eu estava a perguntar).
a) Se os dois submarinos nucleares “zarparam da Rússia há muitas semanas atrás … por iniciativa estatal, e … andaram a passear ao largo da oriental costa norte-americana”. (que português enrolado lol)
b) E até “ajudaram a resgatar um navio pirateado”.
c) Então não se percebe como foi possível você afirmar apenas uma postagem antes: “Só não entendo é porque é que, de uma forma ou de outra, em todas as "notícias" e em muitos dos comentários aqui feitos, tem sempre de haver conluio envolvendo o Estado russo”.
d) Eu acho que sempre fica bastante difícil de meter os submarinos nucleares no assunto e esperar que “ninguém envolve o estado russo”, principalmente conhecendo o desinteresse total que o mesmo estado habitualmente manifesta perante o destino dos seus próprios cidadãos (há tantos marinheiros russos detidos pelas piratas, desde Nigéria até Namíbia e ninguém quer saber deles).

Jest nas Wielu disse...

p.s.
/há tantos marinheiros russos detidos pelas piratas, desde Nigéria até Namíbia/

Queria dizer nem tanto por piratas no sentido lato, mas pelas autoridades marítimas (casos da Namíbia), pelas autoridades locais (uns sheikes auto – proclamados na Nigéria), etc.

Pippo disse...

Jest, jovem, vamos lá ver se nos entendemos:

O facto de marinheiros russos estarem detidos por autoridades soberanas é um problema jurídico que não é tratado por militares. É como termos pescadores portugueses detidos em Marrocos.
Não é pirataria nem ataque armado a navios, ponto final.
Entendeste?

Agora explica-me o que é que a intervenção de submarinos russos, que já operavam no Atlântico há semanas, tem a ver com as acusações de "conluio envolvendo o Estado russo”.

Sabes o que a palavra "conluio" quer dizer, não sabes?
Conluio NÃO quer dizer "envolvimento", quer dizer "conspiração", "tramóia", etc..
Se me conseguires explicar onde é que a intervenção dos subs neste caso se configura como uma tramóia
envolvendo a Federação Russa, sou todos "ouvidos".

Respondi às tuas alíneas c) e d)?
Em caso negativo, faz as perguntas de forma mais clara.

Pippo disse...

Wandard, um dia um professor meu disse-me pare ter sempre atenção ao "quando", ao "porquê" e a "quem" aquando da emissão de uma notícia:
"Quando", no sentido de "porquê agora?";
"Porquê" no sentido de "porque é que a notícia nos é dada?"
e o "Quem" no sentido de "a quem é que interessa que eu saiba esta notícia agora?".

Ele tinha muito a mania conspirativa, mas não estava totalmente errado.

Lentamente vamos sabendo coisas, às vezes para nos assustarmos, outras vezes para nos pormos alerta. A divulgação da notícia dos submarinos serviu, no meu entender, estes dois objectivos: assustar a população ("eles" vêm aí) e alertar os militares ("eles" estão de regresso).

Mas posso estar errado, é claro :o)

Ab,

PS - Não concordo inteiramente com a sua afirmação "Se o navio fosse dos Estados Unidos, com certeza estaria em misão humanitária". Para alguns, sim; para outros, seria uma tenebrosa conspiração envolvendo a CIA, a NSA e a Mossad...

Wandard disse...

Pippo,


Eu com toda certeza pensaria neste sentido, mas para outros frequentadores do blog e fãs de carteirinha dos Estados Unidos, seria ajuda humanitária, afinal os Yankees são os defensores da liberdade :)))), Desde qundo voceê tenha territórios estratégicos a ceder, recursos naturais para serem roubados, e jovens para servirem como soldados e morrerem no lugar dos deles.

Pippo disse...

Voltamos à questão do estado do Roraima e das reservas índias onde só as ONG norte-americanas têm livre trânsito (os reles brasileiros são barrados à entrada), e a questão de termos na FA norte-americanas soldados "latinos" (brasileiros e portugueses incluídos) os quais, não sendo cidadãos (!), combatem, sofrem e morrem como os demais.

Mas há aqui muito camarada que só vê as coisas a preto e branco, só vê absolutos (ou Absolut, quem sabe!), e não tem o discernimento de comparar os países e as acções dos seus governantes.

Todos aqui são criticáveis. Mas não podemos, não devemos ser selectivos na nossa crítica pois, ao fazê-lo estamos a ser parciais.

Gd Ab,

Wandard disse...

Pippo,

A camada pobre da população do meu país vai sendo ludibriada pelo "bolsa família", os menores percentuais do orçamento são destinados à segurança, saúde e educação. Muitos estudantes conseguem concluir o ensino médio, pois este é o objetivo, diminuir o número de brasileiros sem ensino médio mas conhecimento em si estes jovens não tem, quanto menos entenderem melhor para os políticos continuarem a fazer o que querem. A mídia, imprensa etc.. contribui e muito para piorar, principalmente com uma série de programas que em nada contribuem para a educação ou enriquecimento cultural do povo, são só cantores, bbb's e muita futilidade. Vivemos hoje o eufemismo do "exercício da cidadania", da "democracia", em um país em que o voto é obrigatório, a constituição é desrespeitada pelo governo e a justiça permite que bandidos com histórico de estupro e assassinato ganhem indultos em datas festivas para terminarem voltando a praticar seus crimes e subtraindo a vida de vítimas inocentes. Temos um senado corrupto, cujas denúncias terminam em nada, bilhões desaparecem do erário público e nada é feito. Tudo isso começou em 1986, todos queriam o fim da ditadura e liberdade. Os comunistas que queriam a igualdade social, o domínio da classe proletária, hoje são empresários e políticos envolvidos em constantes denúcias de desvio de verbas e outras situações vergonhosas. A democracia que muitos aqui tanto defendem, ou criticam a falta na Rússia, no Brasil nada mais é que a constante disputa de cargos públicos e jogos de interêsses, corrupção e o povo que vá ás favas. Acompanhei durante a infância e a adolescência o quando o antigo regime resistiu à tentativa dos Estados Unidos em possuir uma base no meu país, o quanto se procurou manter o domínio nacional dos recursos energéticos e estratégicos, a criação de uma indústria militar que já foi a quinta do mundo e Forças Armadas que impunham o certo respeito dentro do continente, e o que somos hoje? Nada mais que fiéis cumpridores da Agenda Externa dos Estados Unidos para a América Latina.

É a triste realidade.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

Se te responder de maneira séria e só para terminar o tema, mantenho o que disse, quem viveu na Rússia, deve saber o total e absoluto desinteresse do estado russo sobre o destino ou bem – estar dos seus próprios cidadãos. Como dizem os generais russos: “as gajas vão parir mais”. Por isso, 2 subs + 2 navios de guerra só por serem preocupados com o destino de 15 homens (navio não pertence a Rússia), enfim, uma história fantasticamente improvável.

Pippo disse...

Wandard, o que me diz constato poder aplicar, quase "ipsis verbis", à realidade portuguesa.

Aqui, na educação, temos "objectivos" por professor. O "bom professor" é aquele que consegue que todos os seus alunos passem, e se algum não passa o professor tem de arranjar mais exames ou criar formas alternativas para que o aluno passe de ano. Se ainda assim não conseguir, então a culpa é do educador e não do professor.
Ah, e ai do professor que tente impor disciplina na aula! Não só apanha uma tareia dos pais dos pobres alunos como ainda enfrentará um conselho disciplinar.

Em termos de exercício de cidadania, vou repetir em seguida aquilo que se passa em Portugal:

Pippo disse...

1 - Para se participar na política strictu senso um indivíduo tem de pertencer a um partido político. Lá dentro, se quiser subir ou ser uma voz activa, ou deita os escrúpulos para trás das costas e faz acordos com o diabo ou é eliminado politicamente; se for um tipo demasiado honesto, inteligente e independente é eliminado politicamente; se não estiver disposto a dar uma facada nas costas do melhor amigo é eliminado politicamente; e assim por diante. Atenção: não falo por falar, falo (infelizmente) por experiência própria.

2 - Eu voto num partido porque só posso votar num partido. Não posso votar "naquele tipo que eu sei que é bestial e que me vai representar mesmo bem" porque isso não me é permitido. Mas as pessoas deveriam ter a possibilidade de poder votar em pessoas, e não em partidos.

3 - Os partidos apresentam os seus programas eleitorais, ganham e depois não cumprem nem metade do que prometeram. Ora, na minha óptica, um programa eleitoral é um contrato social. Quem não cumpre um contrato tem de ser punido. Mas na política, quem não cumpre o contrato não o é. Na pior das hipóteses não é reeleito, mas continua com o tacho na política (vide Santana Lopes, a Manuela e em breve o nosso excelentíssimo e digníssimo Sr. "Enginheiro");

4 - os deputados não representam o povo. Isso é uma ilusão. O povo é obrigado a votar nos partidos políticos, e os partidos, ou melhor, quem manda nos partidos, com base no seu sistema interno, decide quem são os seus deputados no Parlamento. Ou seja, eu não elejo o deputado Zé ou o deputado Manuel, quem eleje, quem o escolhe, é quem manda no partido onde eu votei, o que depois nos remete para o ponto 3.

5 - Quem se abstem de votar não tem direito a abrir a boca. Mas quem vota em branco foi lá e votou. Mas não votou em nenhum dos partidos. Ora, porque é que os votos em branco não elegem assentos vagos no Parlamento? O voto foi válido, expressou uma opinião clara, deveria ter expressão em termos de lugares "em branco". Mas isso não acontece, o que implica que as pessoas que votaram em branco não vêm a sua vontade reconhecida.

6 - Se um grupo de cidadãos (olhe, até podem ser todos, se quiser) propuser uma lei que imponha objectivos rígidos aos nossos políticos (uma espécie de SIADAP), e puna os incapazes com expulsão do Governo/AR, multas e proibição de ocupar cargos políticos, bem como ocupar cargos em empresas públicas ou privadas auferindo rendimentos superiores aos que auferiam antes de irem para as lides políticas, será que tal lei seria aprovada pelas suas potenciais vítimas?
Algo me diz que não.

7 - formas de luta legais: Abaixo-assinados (não servem para nada); greves (só servem para o Estado/empresas pouparem uns trocos com os salários que não são pagos); greves de zelo (foram muy democraticamente proibidas); manifestações (não servem para nada);... fazer o quê, então?

Peço desculpa pela extensão do texto mas tinha de o dizer, e muito mais fica por ser dito.

Ab,