sexta-feira, janeiro 29, 2010

Caça de quinta geração realiza primeiro voo com êxito

O caça russo de quinta geração realizou hoje com êxito o seu primeiro voo no Extremo Oriente do país, anunciou o centro de imprensa do grupo aeronáutico Sukhoi.

“Todas as tarefas planeadas para o primeiro voo foram realizadas com êxito”, declarou Olga Kaiukova, porta-voz da empresa.

O voo durou 45 minutos.

A Rússia começou a desenvolver o projecto de construção e desenvolvimento do caça de quinta geração nos anos noventa do século passado.

O novo aparelho realizará missões de 24 horas ao dia e em quaisquer condições meteorológicas e será capaz de cobrir longas distâncias à velocidade supersónica. O caça está equipado com uma estação ultra-moderna de navegação e um sistema eficaz automatizado de defesa.

Mikhail Pogossian, director da empresa Sukhoi, considerou o primeiro voo do caça como um grande êxito da ciência russa, acrescentando que este programa irá ser desenvolvido em parceria com a Índia.

“Estou convencido que o nosso projecto conjunto ultrapassará os análogos ocidentais segundo o critério “preço-eficácia”.

O vice-ministro da Defesa da Rússia, Vladimir Popovkin, informára anteriormente que as Forças Armadas russas começarão a receber esses aparelhos em 2015. Mas Vladimir Putin antecedeu a promessa para 2013.

Os Estados Unidos são, por enquanto, o único país que possui caças de quinta geração (F-22).

46 comentários:

MSantos disse...

Relativamente à conversa iniciada em outro post, e que penso ser mais adequada aqui, obrigado Cristina pelas fotos.

Caro PM

Pela minha parte devo dizer que sofri alguma desilusão pois esperava alguma inovação.

À semelhança do BURAN e outros projectos, a Rússia esperou que fosse a América a conseguir as linhas óptimas desenvolvidas com meios e ferramentas superiores e aproveitou o desenho.

É óbvia a inspiração no F-22.

Este protótipo nem sequer está pintado com tinta absorvente das ondas de radar e numa primeira análise não parece haver espaço para os compartimentos internos de mísseis que se se vier a verificar é uma notória desvantagem pois a "invisibilidade" máxima é atingida quando está...desarmado.

No entanto é um 1º protótipo e obviamente haverá evolução. Comparando os actuais SU-27 com o respectivo protótipo, este parece que veio da idade da pedra.

É sem dúvida um desenho mais simples e expedito que tem por objectivo a diminuição de custos de desenvolvimento e redução do preço/unidade.

Essa pode ser efectivamente uma vantagem pois vai dotar a Rússia de um avião que está algures entre a 4ª e 5ª geração, logo vencendo qualquer oponente mundial à excepção do F-22 mas podendo ser fabricado em grande número pois a grande desvantagem do caça americano é mesmo essa: é caríssimo e as 170 unidades já fabricadas representaram um custo proibitivo. Produzir mais só em sonhos.

Outra vantagem é que vai ser mais um "produto de exportação". Provavelmente a Rússia venderá o avião a quem quiser pagar.

O congresso americano já proibiu a exportação do F-22 (provavelmente serão abertas excepções para Israel e o Japão).

http://www.youtube.com/
watch?v=22fN4fVoFdY

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

...e Putin ao mandar aquela data para o ar, continua igual a si mesmo.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Você ficou mesmo desiludido...

Acho que ainda se vai surpreender.

"É óbvia a inspiração no F-22."

Nem por isso, ele é mais parecido com o F-35.

Este protótipo nem sequer está pintado com tinta absorvente das ondas de radar

É um protótipo, nem sequer está pintado. Há muita coisa nova para validar no avião. Lá chegará.

e numa primeira análise não parece haver espaço para os compartimentos internos de mísseis

Meu caro, isso até está confirmado pela Sukhoi, há compartimentos internos, o que se discute actualmente é o tamanho que parece enorme, com capacidade de levar alguns mísseis muito grandes.

Depois temos alguns pormenores interessantes nas asas e nos estabilizadores verticais e mais alguns pormenores.

Espere por algumas análises sobre o que se mostrou. Penso que vai ficar surpreendido.

Aquela de Putin mandar a data de 2013...

É muito agressivo. Mas é o Putin a dizer isso... será que vão tentar acelerar o programa ao máximo?

Anónimo disse...

inveja mata...

Anónimo disse...

Parabéns a Rússia pelo feito.Um grande dia.

Para os invejosos so podemos dizer...


Chora viuvada.... chora...

Ricardo disse...

Pelas fotos divulgadas da claramente para ver os compartimentos fechados parar armas, até sair o caça final vai ocorrer muitas alterações, mas não deixa de ser um grande feito da industria aeronautica russa que vai dotar o país com o único caça de 5ª geração construido fora dos EUA. Seu custo incial será o doblo do Su-27/30/35, 80 milhões de doláres a unidade, mas pode subir, já que o preço incial do F-22, por exemplo, era de 120 milhões de doláres e hoje está na casa dos 180 milhões(sem armas). Não tenho dúvidas que Lockheed Martin deve estar mais feliz que a Sukhoi, já que se o Pak-Fa vingar ela venderá seus F-35 aos montes para os países da OTAN.

MSantos disse...

Talvez tenha sido de ter revisto recentemente o filme "FIREFOX" com o Clint Estwood as minhas expectativas estavam lá no cimo.

:o)

Não estou de acordo consigo quando refere que se aproxima mais do
F-35.
Pelo meno para mim a silhueta é do F-22 além claro das dimensões análogas.

Estou de acordo e como mencionei, que o avião ainda vai evoluir, mas depois de tantos anos passados já não seria expectável o T-50 estar na sua forma final?

Por exemplo as tubeiras dos motores têm configuração convencional, enquanto que no F-22 elas são o prolongamento da fuselagem (e em forma triangular) diminuindo ao máximo as superfícies refelectoras.

Não teria sido melhor ter começado com a cabeça limpa e feito um desenho de raíz como por exemplo a configuração delta com canards com a própria fuselagem do avião a "embeber" tudo?

E relativamente à tinta tenho dúvidas que os russos consigam a fórmula óptima que os americanos conseguiram para reflectir ondas de radar.

Mas esperemos então que ainda venha a ficar surpreendido.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Excelente notícia!

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Dê uma olhadela a esta análise, ainda muito em cima do acontecimento:

T-50: A Preliminary Analysis

...First of all, for anyone contemplating the use of the word "Raptorski": don't. While this is an airplane that could have been the answer to the Advanced Tactical Fighter requirement, way back when, it's not an F-22 in many important ways...

...In a lot of ways, the T-50 reflects the heritage of the T-10 Flanker series...

...After the canard hokey-pokey in the T-10 family (in on the Su-30MK, out on the Su-35) the T-50 has something different: the forward part of the leading edge extension is movable. According to the usually well informed Flateric over at Secret Projects, it is called the Povorotnaya Chast Naplyva (PChN) or movable LEX section...

...What's new on the T-50 is that the designers have cashed in on TVC by shrinking the tail surfaces, saving on drag, weight and signature.

With separated engines and a wide body, the T-50 designers have been able to install dual front and rear weapon bays...


O melhor mesmo é lêr o artigo todo.

http://www.aviationweek.com/aw/blogs/defense/index.jsp?plckController=Blog&plckBlogPage=BlogViewPost&newspaperUserId=27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7&plckPostId=Blog%3a27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7Post%3a021e786e-04be-426b-ad32-dcbb54b90d00&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest

MSantos disse...

Obrigado PM pelo artigo.

Efectivamente pela primeira vez apercebi-me na 1ª foto que é de melhor qualidade, e apresenta mais pormenores dos eventuais compartimentos centrais para mísseis. Provavelmente até poderá levar o R-37, um míssil que atinge Mach6 com 300kM de alcance.

Outro factor importante é o facto do avião ter uma espécie de canards embebidos nas asas, as tais superfícies LEX controláveis para garantir boa manobralidade e óptima aerodinâmica.

Cedo me apercebi que os lemes traseiros eram pequenos e não proporcionais com as dimensões do avião como acontece no F-22.

No entanto, no F-22 o thrust vectoring só dirige o jacto para cima ou para baixo (2 dimensões) limitado pelo desenho de manter os motores embebidos na fuselagem.

O facto do T-50 conservar as tubeiras orientáveis clássicas proporciona o jacto dirigido em qualquer direcção (3 dimensões) logo as superfícies de controlo dos lemes podem ser mais reduzidas.

Uma solução dissimula os motores mas tem de aumentar as superfícies de controlo, reduzindo aí as caractrísticas stealth.

A outra é precisamente o inverso.

Ainda há muito pouca informação e vamos ver como vai evoluir o "bichinho".

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

Já agora e embora não directamente relacionado, mas tal como o PAK-FA é o primeiro avião de combate russo post-URSS também a nova classe de fragatas ADMIRAL GORSHKOV são as primeiras unidades de combate navais de cariz oceânico concebidas na Rússia pós soviética.

Já está a aparecer mais informação sobre estes navios do qual o primeiro entrará em serviço em 2011.

http://warfare.ru/?lang=&catid=270&linkid=2544

http://upload.wikimedia.org/
wikipedia/commons/4/47
/Sergey_Gorshkov_class.GIF

Serão navios muito capazes pois incorporam um sistema de radar/tiro com mísseis mar-ar de médio alcance que terá a mesma função do sistema americano AEGIS. Terão também mísseis anti-submarino MEDVEDKA e os poderosíssimos mísseis anti-navio ONIKS/YAKHONT (ou BRAHMOS) sem equivalente nas restantes marinhas mundiais pois as performances dos HORPOON e EXOCET mesmo nas últimas versões ficam aquém.

Único senão: estão a construir apenas 2 unidades para uma marinha com 4 frotas destintas e sedenta de navios modernos.

Cumpts
Manuel Santos

ALONE HUNTER disse...

A Rússia provou ao mundo, na sexta-feira passada, o seu verdadeiro papel no cenário geoestratégico mundial!!!

O Urso está aí, como nunca, saindo da hibernação... E agora está morrendo de fome, e está á procura de carne fresca!!!!

Isso serve de lição para todos os críticos da capacidade russa de projetar, produzir e incorporar verdadeiras máquinas de guerra, totalmente independente de fontes externas, e mais, com capacidade de entregar o fogo da guerra de patreleira, na porta do inimígo!!!

É impressionante a superioridade russa no desenvolvimento de sistemas ponta-de-lança, no estado-de-arte, mesmo após o fim da URSS!!!

Pois, caso vcs não saibam, mesmo após o fim da União Soviética, a Rùssia nunca deixou de investir em pesquisa e desenvolvimento, planejando a sua volta ao lugar que sempre mereceu estar: No topo!!!

Os helicópteros de ataque KA-50/52, os sistemas de defesa-aérea S-300/S-400, o míssil ICBM TOPOL-M, o avião bombardeiro tático SU-34 FULLBACK, os caças de superioridade-aérea SU-35BM e MIG-35, todos eles saíram das pranchetas do pós-URSS, são projetos atuais, não remanescentes da época da URSS!!!

E agora este caça, PAK-FA 50, veio para chutar a cara de países como o Reino Unido, Espanha, Itália e Alemanha ( Projeto EUROFIGHTER ), França ( RAFALE ), e Suécia ( JAS-39 ). Digo isso porque estes caças são recentes, e já perderam a superioridade-aérea na Europa, para o PAK-FA 50!!! E terão que suplicar por ajuda para os YANKEES, os únicos ainda que podem fazer frente a fúria do URSO!!!!

Jorge Almeida disse...

Caros MSantos e PM, não percebo nada de aviões e de aviação, mas olhem que estão a comentar com base numa fotografia.

Não há a hipótese de terem publicado esta foto, e as formas do avião, já hoje, serem diferentes das da foto?

Pelo que sei, este negócio está muito ligado a espionagem industrial. Podem ter publicado uma foto "fraudulenta" para "despistar".

Anónimo disse...

A Rússia não tem recursos económicos nem população para competir com os EUA.

A Rússia é uma versão muito reduzida da URSS e continua a perder poder a cada ano que passa..

Em 1989 a URSS com quase 300 milhões e 2ºeconomia global tinha realmente peso no mundo.

20 anos depois a Rússia tem cerca de 46% da população americana e 10% do tamanho da economia americana!!!

Mais do que inviável é impossível a Rússia conseguir conceber equipamento de guerra ao nível do norte americano.

Mais do que números que são bem claros podem comprovar, todos sabemos que a fuga de cérebros da Rússia e os cortes nos investimentos no início dos anos 90' terminou irreversivelmente com as chances que já eram escassas da Rússia conseguir competir no sector tecnológico com os EUA.

A história serve para aprender com os erros passados, a Rússia devia aprender com o declínio Português que aconteceu no inicio do século XIX.

Portugal que em 1800(Após ter recuperado do terramoto de 1755, após finalmente o império Português ter recuperado das guerras com Holandeses, Ingleses e Franceses, depois de ter recuperado do período da união ibérica estava novamente no auge Politico, económico e militar, a Armada Portuguesa estava no máximo de poder sendo uma das mais poderosas da Europa.

Com o caos instalado entre 1801-1834, as guerras com os espanhóis, invasões Francesas, e guerras Liberais, tendo perdido colónias importantes, sobretudo o Brasil o país entrou num declínio cultural, demográfico, económico e militar evidente.

A perda do Brasil para Portugal pode comparar-se a perda das 14 republicas soviéticas para a Rússia.

A partir de 1834(tal como a Rússia após 1991) Portugal tentou sempre acompanhar as restantes potências europeias a nível militar, o resultado foi obviamente uma falha nessa politica, visto que, estando o país num estado de desenvolvimento inferior às restantes Potências não teria como obter os recursos necessários nem a tecnologia para criar e manter forças militares que pudessem rivalizar com países mais avançados.

É bom recordar que em 1750 a Inglaterra e Portugal tinham um numero de habitantes muito idêntico e 150 anos depois Portugal contava apenas com 5,5 milhões e a Inglaterra atingiria os 32 milhões e a diferença económica era ainda mais acentuada.

Posto isto, é óbvio que se a Rússia quer ser de novo uma grande potencia mundial deve conceber um projecto viável nacional que traga prosperidade ao país e abolir as politicas actuais que são identicas às que os Portugueses pretagonizaram à 150 anos.

Martim. G.
N.Y

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MSantos disse...

Caro Jorge Almeida

Não há só uma fotografia. Penso que isto terá sido numa espécie de conferência de imprensa na base russa, no extremo oriente onde apresentaram o avião. Há inclusivé vários registos de vídeo.

Poderá ver aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=AP
668qYCHG0&feature=related


Sem dúvida que todas estas apreciações ainda são estimativas dado ainda haver muito pouca informação sobre as caractrísticas e capacidades do avião.

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

Caro Jorge Almeida,

Eu não estou a comentar baseado numa foto. Eu e muita gente que aprecia aviões estava a aguardar com bastante expectativa a divulgação deste avião de 5ª geração.

Neste momento poderá ir ao youtube, ao google e encontrará várias fotos e filmes que foram divulgados do 1º vôo.

Dos fóruns que consulto/participo acerca de aviões, este é o tópico principal onde muitos dos servidores até já estão com problemas dada a curiosidade que está a suscitar.

Discute-se as opções russas, as maneiras encontradas para atingir certos objectivos, certas soluções são consideradas como engenhosas.

Para mim talvez mais importante que avião em si, é o demonstrar pela Rússia, a CAPACIDADE de construir sistemas avançados. Este avião só não saiu mais cedo, não devido a falta de conhecimento mas sim devido a problemas económicos.

Este é para mim a outra parte importante. 2009 que foi um ano de forte contracção económica a nível mundial e que também afectou a Rússia, no entanto não PAROU os projectos e as reservas financeiras NÃO desceram.

Projectos como o PAK-FA, o Bulava, o Sukhoi super jet, o Glonass e outros tantos, não abrandaram.

E isto é importante de modo a preservarem o conhecimento que detêm e transmitirem a novas gerações.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

...Único senão: estão a construir apenas 2 unidades para uma marinha com 4 frotas destintas e sedenta de navios modernos...

Tenha em mente que está muita coisa neste momento nos estaleiros, estão várias unidades em construção/renovação.

Muitas mesmo, procure informação e verá que há muita coisa.

PortugueseMan disse...

A Rússia não tem recursos económicos nem população para competir com os EUA.

E será que o objectivo da Rússia é esse?

...Mais do que inviável é impossível a Rússia conseguir conceber equipamento de guerra ao nível do norte americano...

E no entanto é a 2ª nação com um caça de 5ª geração.

Mais do que números que são bem claros podem comprovar, todos sabemos que a fuga de cérebros da Rússia e os cortes nos investimentos no início dos anos 90' terminou irreversivelmente com as chances que já eram escassas da Rússia conseguir competir no sector tecnológico com os EUA.

Mas a Boeing tem um departamento de desenvolvimento na Rússia e que participa no novo Boeing 787

E o 1º país que vai acabar com o monopólio do GPS americano é a Rússia.

Não me parece que estejam tão mal assim.

ALONE HUNTER disse...

Sr. Anônimo!!!

Ok, vamos esquecer os Estados Unidos um pouco... Vamos comparar a Rússia com os países da Europa Ocidental!

1) 4 países considerados potencias mundiais, como Reino Unido, Alemanha, Itália e Espanha entraram em um consórcio formado á fim de conceber um avião de combate que atendia as necessidades de ambos os países! Ou seja, isso em sí já é uma derrota, pois a capacidade desses países é um fracasso.

O Reino Unido em sí é uma vergonha para a Europa, suas forças-armadas estão em colapso, e pelo que eu sei já cancelaram 3 porta aviões e vão reduzir as compras de F-35... Além disso, este país é um grande comprador de armas, totalmente dependente de estrangeiros para a manutenção de sua soberania!

A Alemanha é outra vergonha para a Europa. Digam-me quais foram as conquistas alemãs nos últimos 40 anos no campo de ciência e tecnologia? Digam-me qual benefícios para a humanidade o 3º país mais rico do planeta trouxe???

Espanha e Itália nem vou perder tempo, pois são o resto... Comem o resto do que a França, Reino Unido e Alemanha produzem!!!

A única verdadeira superpotencia da Europa Ocidental é a França!!! A França é o único país da Europa Ocidental realmente independente de fontes externas!!!

Mais com relação á Rússia, esta sempre esteve um passo á frente da Europa Ocidental!!! Países como Reino Unido, Alemanha e Espanha não possui uma capacidade de dissuação realmente efetiva, ou seja sem independencia! É óbvio que o Reino Unido possui submarinos SSBN, com ogivas nucleares e tal, mais o que isso vai resolver para proteger um território pífio??? O que isto vem provar a total dependencia do Reino Unido para com os EUA, por isso estas alianças matrimoniais eternas!!!! O Reino Unido apoia sempre os Estados Unidos em tudo e cospe na cara de seus vizinhos da Europa Ocidental!!!

Eu não consigo imaginar como seria um mundo em que os Estados Unidos fizessem o que quisessem, em todos os países com suas influencias economicas, culturais, militares, etc... A Rússia é a resposta para tudo isso! A dissuassão militar russa barra os Estados Unidos de fazerem o que bem entendem no planeta, vide o que ocorreu com a polemica do Escudo de Mísseis na Europa!!! Foi a Rússia, sozinha, que impediu essa ocupação imperialista na Europa Ocidental!!!

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
anónimo russo disse...

Anónimo disse...

"A Rússia não tem recursos económicos nem população para competir com os EUA.

A Rússia é uma versão muito reduzida da URSS..."


A Rússia é um pais emergente e os EUA estão agora em declínio. Dentro de pouco os países emergentes vão ultrapassar os chamados "desenvolvidos" pela força da economía. È um processo inevitavel. A Rússia atualmente tem todas as condições para o seu desenvolvimento. "Não leia jornais americanos antes do almoço (c).

MSantos disse...

Caro PM

Os destroiers UDALOY e SOVREMENNY assim como as fragatas KRIVAK são remodelados mas continuam a ser navios velhos e ultrapassados.

O novo programa de submarinos a diesel com sistema AIP classe AMUR, está a dar "barraca".

Os estaleiros navais fruto de anos de marasmo e de falta de organização tornaram-se ineficientes. Agonizam para entregar à India o porta-aviões VIKRAMADITYA (antigo Admiral Gorshkov) sempre com os custos a escalar.

Os próprios almirantes da armada russa já querem ir às compras ao estrangeiro (veja o caso do porta-helis francês) pois perderam a confiança na indústria caseira.

Outro factor bem negativo é o facto dos navios da armada russa quando rumam ao mar são acompanhados de rebocadores de salvamento.

Na minha opinião provavelmente bastaria abaterem o porta-aviões KUZNETSOV, pois a Rússia não precisa dele para nada nem tem uma escolta eficaz que o pudesse proteger em combate, os mega cruzadores Piotr Veilikiy e Moskva que não seriam mais do que novos Yamatos ou Bismarck num conflito moderno, além de não recuperarem o Admiral Nakhimov. Com esse dinheiro provavelmente daria para construir uma frota com as novas fragatas e novos destroirs muito mais moderna e eficaz.

Estes navios grandes só são bons para impressionar à vista e é a quem não percebe muito de poder naval moderno.

Caso tenha alguns dados ou fontes que contrariem o que afirmei agradecia-lhe que os apresentasse.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

"Desde os anos 60 o Japão já era segunda potência econômica."

"A URSS era a segunda em poder militar e geopolítico. E a terceira em PIB."

"Aliás, a URSS nem de longe se comparava aos EUA em nível de vida, mortalidade infantil e renda.Os EUA eram muito superiores."

Não é necessário entramos numa discussão ideológica..
Basta falar de factos

Se tomarmos como referência o ano de 1965, e em relação a este ano compararmos a URSS e EUA a nível de mortalidade infantil e longevidade da população constatamos que a URSS e os EUA tinham índices semelhantes, o que significou um progresso impressionante na Rússia.

O modelo planificado tornou-se obsoleto a partir desta altura porque a competição dos mercados internacionais não tinha efeito na URSS, o objectivo era a criação de uma economia auto-suficiente e não foi feita uma aposta na produção de qualidade porque a economia soviética funcionada com base em produção Cartel.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Já agora recomendo a leitura deste artigo, onde coloco aqui alguns excertos:


New Year and New Hopes

...The ship repair matter has considerably changed in 2009; under government's resolution, the efforts were focused on fastest completion of ships which are at final stages of repair. A number of orders obtained extra financing and shipyards managed to launch ships from slipways and start sea trials. One of them is Karelia, nuclear-powered submarine...

...Shipyards will not be disengaged in new 2010, too. The queue of orders for technical recovery and interim overhaul of subs and surface ships is set up for many years...

...In 2009 shipbuilding industry constructed several ships of different classes. Among them are 2nd rank frigate Yaroslav Mudry and Project 21270 communication boat Seraphim Sarovsky for 12th Department of Russian MoD. Presently, only at Severnaya Verf shipyard there are 3 corvettes of Project 22350, Project 22350 frigate, Project 18280 special communication ship being built for Russian Navy; Northern Fleet's large ASW ship Vice Admiral Kulakov is under repair.

Sevmash shipyard prepares Project 885 Yasen SSN Severodvinsk for launch and mooring trials. Severodvinsk is a lead sub of the project. Kazan, the second sub laid down on July 24, 2009 is being constructed at Sevmash shipyard...

On a conservative estimate, in 2009 shipbuilding expenses only for surface ships made 30 bln rub, twice as much as in 2006-2007.

...In accordance with active program, within five years industry will deliver to the Navy three Project 955/955A strategic nuclear-powered submarines, one Project 885M nuclear submarine, three Project 677 diesel subs, two Project 22350 frigates, up to five Project 20380 corvettes and several auxiliary vessels...


http://rusnavy.com/news/column/happynewyear10.htm?print=Y

Repare no que sublinnhei, as estimativas dos valores gastos num ano de contracção económica APENAS para o sector indicado.

Ricardo disse...

Não sei como essa conversar mudou de rumo, mas enfim, vamos analisar o poder militar da europa ocidental. Existem 2 países poderosos militarmente na Europa Ocidental, França e Reino Unido. Bom a França tem "apenas" 10 submarinos nucleares na ativa, a Rússia tem 30, sendo que atualmente existem 5 submarinos nucleares sendo construidos em estaleiros russos, sendo 4 deles de nova geração. A França tem seu porta-aviões nuclear, Charles de Gaulle, muito bom e moderno, só tem um detalhe, ele vive nos estaleiros franceses com defeito, parece aquele carro novo que vc compra, mas não sai da oficina. França não tem projeto nenhum para um caça de 5ª geração, então ficará com o seu Rafale que é de 4ª. Vamos para Inglaterra, está atualmente construindo seus modernos destroiers Type 45, porém eram para ser 12, agora serão só 6, ou talvez menos, já que esse equipamento está criando um rombo ainda maior nas contas inglesas. Os Type 45 estão vindo faltando um monte de equipamentos, o que já foi denunciado por militares ingleses. A falta desses equipamentos é justamente para baratiar seu preço, ele ja nasce faltando peças importantes. Os misseis de seus submarinos nucleares são americanos. Royal Air Force terá seu caça de 5ª geração, o também americano F-35.
França e Inglaterra não tem bombardeiros nucleares e nem misseis nucleares de solo. Como todos sabem as coisas na Rússia não estão a 8ª maravilha do mundo, mas comparado com França e Inglaterra ainda estão bem melhores.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Vamos agora à sua opinião.

...Os destroiers UDALOY e SOVREMENNY assim como as fragatas KRIVAK são remodelados mas continuam a ser navios velhos e ultrapassados...

Mas são ultrapassados pela marinha de quem? Quantas nações podem fazer frente uma frota russa?

...O novo programa de submarinos a diesel com sistema AIP classe AMUR, está a dar "barraca"...

Meu caro, estão a ter problemas. Acontece a qualquer nação que cria novos projectos. Mas a meu ver o mais importante é que estão a CRIAR novos projectos. Porque podemos ver por outra perspectiva, não teriam problemas se estivessem sentados sem fazer nada.

...Os estaleiros navais fruto de anos de marasmo e de falta de organização tornaram-se ineficientes. Agonizam para entregar à India o porta-aviões VIKRAMADITYA (antigo Admiral Gorshkov) sempre com os custos a escalar...

Eles na altura estavam aflitos e para ganhar algum, venderam o navio por tuta e meia e os indianos a ver a bagatela que a coisa ia sair, esfregaram as mãos e fizeram o contrato.

Agora os tempos mudaram e temos uma situação diferente. A Rússia quer a coisa paga como deve de ser e os indianos estão agora com um sorriso amarelo, pois o que sairia por uma pechincha, transformou-se em algo muito, mas muito mais caro, mas... os indianos estão sem alternativas.

Portanto ou pagam ou tramam-se. Não sei se os russos estão a fazer assim tão mau negócio, porque mesmo que eles não queiram, desconfio que fica para os russos...

...Os próprios almirantes da armada russa já querem ir às compras ao estrangeiro (veja o caso do porta-helis francês) pois perderam a confiança na indústria caseira...

Discordo meu caro, o principal objectivo na minha opinião é o mesmo que a tentativa de comprar a Opel ou Qimonda. Importação de tecnologia e novos métodos de fabrico.

...Outro factor bem negativo é o facto dos navios da armada russa quando rumam ao mar são acompanhados de rebocadores de salvamento...

Também posso ver por outra perspectiva, ao contrário de muitos países que partilham bases, os russos consideram práticamente o resto do mundo como hostil e tentam fazer as coisas sem recorrer a ninguém.

Por exemplo, quando o cruzador nuclear foi passear à Venezuela ou o TU-160, se tivessem problemas, onde é que eles iriam parar/aterrar?

...os mega cruzadores Piotr Veilikiy e Moskva que não seriam mais do que novos Yamatos ou Bismarck num conflito moderno...

Meu caro, além dos EUA, que outras nações podem enfrentar estes navios?

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"A Rússia não tem recursos económicos nem população para competir com os EUA.

A Rússia é uma versão muito reduzida da URSS e continua a perder poder a cada ano que passa..
"


1. Não posso deixar de dizer mais algumas palavras. A Rússia atual nada tem a ver com a União Sovietica. Apenas herdou alguma infraestrutura, talvez algumas tecnologias. Mas no resto é um país que nasceu em 1991. A Rússia não é a continuação da União Sovietica. Compreendo que pode ser dificil entender isso para quem é incompetente no assunto, mas ´
é assim.

2. Não sei quem lhe disse que a Rússia pretende competir com os EUA. O que a Rússia pretende é defender os seus interesses. E atualmente tem todos os meios para isso.

3. Quem sabe os factos, os números concretos, a estatística e história recente da Rússia (e quem não pretende mentir) de maneira nenhuma pode falar de algum declínio do país nos últimos anos. Pelo contrário. Alias, o tema do artigo é mais um facto que diz por si mesmo.


4. Confesso que nunca pensei nisso, mas vi recentemente algumas previsões económicas (das agéncias ocidentais, por sinal) que dizem que até 2030 a Rússia pode ficar a maior economia europeia e a 5 do mundo, onde os EUA vão ocupar já o 2 lugar.


P.S. Em que mundo vive voce?

Anónimo disse...

Anónimo Russo

O sr. diz-se Russo, então aceite


2- Quem conhece minimamente a história da Rússia sabe que a lógica da politica externa é a sede de poder.
Mas a Rússia está isolada meu caro, a Rússia está só, sem amigos, sem aliados sem sorte!

3- A Rússia está em declínio evidente, se o sr. for sério, reconhece que o principal problema da Rússia é demográfico e esse está a piorar cada vez mais..

já sei!, vai dizer que os nascimentos aumentaram recentemente, mas antes de falar alertava para o facto de que a natalidade de russos de etnia russa continuar a decrescer.
As únicas regiões que recuperaram são as não-europeias, povoadas por povos islâmicos.
Que grande futuro terá a Rússia quando daqui a 50-100 anos for povoada por chineses e povos do Cáucaso, que sentido terá continuar a chamar-se Rússia quando o povo, cultura religião etc já não for o mesmo..?

gostava de saber o que o anónimo pensa sobre isso,

faça um calculo estatístico muito simples usando projecções(sabe matemática?) e tire as suas conclusões, verá que são alarmantes.

Não venha para aqui lançar poeira para os olhos das pessoas, quer falar de economia?

A Rússia alem de produtor de matéria prima que peso tem na economia internacional?

eu respondo, tem uma cota de 0,5%(ou menos) no mercado de alta tecnologia mundial.

A nível militar, bem pode a Rússia agradecer às estruturas industrias herdadas da URSS, visto que, desde o seu desmembramento a evolução neste sector foi 0, erro, foi negativa quero antes dizer.

é preciso falar de projectos falhados como o míssil bulava?

E o sector espacial? Uma vergonha autentica, o sector tecnológico aeroespacial russo teve de andar a vender bilhetes de turismo espacial para a ISS(o que foi ilegal) para obter receitas.

qualquer dia ainda começam a detonar ogivas nucleares para turistas de fora verem fogo de artificio, resta saber onde será a festa..

quando o sr. diz que a Rússia está a evoluir eu digo que está a caminhar para o abismo.

3/4-Não é difícil de prever quais serão as maiores economias do mundo serão os países com mais população, não é preciso ter um QI muito elevado nem pensar muito sobre isso.
O século XXI não vai ser como o século XX em que existiam disparidades avassaladoras entre as economias, na era global, factores de produção serão parecidos. Duvido que a Rússia consiga ser a 5ºpotência do mundo, por uma razão muito simples, tem 20 anos para o fazer, e neste momento vive de matéria prima e armas, caso não saiba, produzir bens de consumo e serviços com qualidade demora muito tempo e eu nunca comprei um artigo russo numa loja, NUNCA, não porque não queira mas porque não há.

Não sei onde o sr. vê toda essa "pujança" económica.. O país não produz nada..

e estamos a falar de número, porque se falarmos de nível da população russa, meu amigo..

haja respeito pela maioria do povo russo que vive miseravelmente e que não tem culpa que políticos déspotas queiram brincar às super potências.

A rússa se quer ser grande que acabe com o colapso demográfico, que arrume a casa e que ajude os restantes países europeus a sair da mer* que se encontram, é a sua obrigação como maior país europeu.

Fico chocado como é possível haverem pessoas que ainda não compreenderam que a Rússia, assim como os restantes países europeus devem ter como prioridade a sobrevivência "física" da sua população e apostar no investimento na família e não em misseis que mais valia que os metessem pelo rabo acima.

martin G

N.Y

Anónimo disse...

se deixassem a Alemanha equipar-se militarmente seria uma super-potência mundial.É por isso que ainda hoje a Rússia,França e Reino Unido têm receio dela,basta saber que se opuseram à reunificação.

MSantos disse...

Caro PM

Os navios de superfície russos que estão actualmente ao serviço foram inaugurados no início da década de 80 o que implica que a sua concepção remonta à década de 70.

Já nem falando dos EUA, a marinha chinesa, japonesa, coreana ou até a Austrália quando tiver os novos destroiers AEGIS será capaz de combater qualquer uma das frotas russas. Os nuestros hermanos possuem uma classe de fragatas, as "Alvaro de Bazan" que tirando as duas classes de cruzadores são capazes de combater qualquer navio russo. É análoga à nova classe de fragatas norueguesa (também são construídas pela NAVANTIA).

E num ataque de saturação, navios como o Piotr Veiliky, o Moskva ou o Variag sem escolta anti-aérea eficaz (que a marinha russa não dispõe) não teriam qualquer hipótese.

Claro que o Piotr Veilikiy quando visita um porto impressiona muito. Ninguém mais do que eu gostaria de o ver aportar em Alcântara.

Recordo-lhe que actualmente para além destes navios a única classe que tem uma bateria anti-aérea defensora de zona são os destroiers SOVREMENNY e mesmo estes lançam os mísseis um a um através de braço mecânico logo muito fraca cadência de tiro, sem controlo computorizado eficiente ou seja servem quando muito para abater 2 ou 3 aeronaves que o ameaçem mas sem grandes hipóteses contra numerosos "vampiros" a alta velocidade.

Outro problema é a falta de reabastecedores eficazes. O nosso velhinho "NRP Bérrio" é melhor ou pelo menos tão bom como qualquer um deles. O único navio capaz foi construído pela URSS e já não está ao serviço. Chamava-se BEREZINA e tinha um enorme defeito: era só um.

Sugiro-lhe que veja o que os chineses estão a fazer com a sua marinha pois essa sim está a sofrer uma construção bem balanceada e sem megalomanias e os russos deviam seguir esse bom exemplo.

http://www.sinodefence.com/navy/
vessel.asp

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

Caro Ricardo

Concordo totalmente com o que referiu. A última vez que ouvi falar deles, os Type 45 já iam em 4. O Reino Unido vai construir 2 porta-aviões "Queen Elizabeth" mas só vai comprar um destacamento aéro para um deles.É o que resta da outrora gloriosa Royal Navy.

O "Charles de Gaule" tem breves interregnos de serviço entre as longas estadias em estaleiro, com problemas.

Muita gente culpa os EUA por dominarem a Europa e por assumirem a sua defesa mas é a própria Europa que sucumbe ao domínio americano precisa e pede por este para se proteger. Muitas vezes até contra os seus próprios interesses, como aconteceu na última década.

Mas atenção! Tudo muda quando se vai para o sudoeste asiático. Aí as marinhas bem como restantes FAs crescem a olhos vistos e muitas delas já são capazes de obter domínio sobre a esquadra russa do Pacífico.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

"Também posso ver por outra perspectiva, ao contrário de muitos países que partilham bases, os russos consideram práticamente o resto do mundo como hostil e tentam fazer as coisas sem recorrer a ninguém."

Caríssimo

Já agora porque é que os navios chineses, exactamente na mesma situação, não levam acompanhamento de rebocadores quando partem para as patrulhas no Golfo de Áden?

Eu posso responder-lhe: porque são navios modernos com menos de, pelo menos 6 anos e já possuem todos os sistemas redundantes e de segurança que fazem parte de uma unidade naval moderna.

Contrariamente aos SOVREMENNY, KRIVAK e UDALOY.

Cumpts
Manuel Santos

Francisco Lucrecio disse...

Caro anónimo!
Pouco mais vou acrescentar àquilo que escreveu sobre a situação caótica em que a Rússia está mergulhada. Mas a todos os níveis. Os dirigentes Russos nos últimos 20 anos apenas evoluíram e se especializaram na técnica da rapina dos bens naturais do país.
O que foi que a Rússia apresentou de novo ao mundo desde 1991?
Numa entrevista recente, o Almirante Valentin Selivanov, denunciou o descalabro a que chegou o sector da defesa Russo.
Por exemplo: as espingardas para as forças especiais (snipers) adquiriram-nas na British Airborne.
Os aviões não pilotados (UAV) foram comprados a Israel Os motores dos veículos blindados Tigr para as forças aerotransportadas são Americanos.
Estão a construir os submarinos nucleares da classe Borei (projecto 955) não têm armas para os equipar, na medida em que os Bulavá estão a redundar num tremendo fracasso.
Pretendem comprar o porta helicópteros da classe Mistral à França. Com que intenções? Se não é compatível com os equipamentos usados pela Marinha Russa! Posteriormente terá que ser adaptado. Já nos anos 70 a URSS construiu nos estaleiros de Yantar (Kaliningrado) um navio deste tipo “Ivan Avramov” . O que foi feito dele? Apodreceu encostado num cais qualquer! E hoje a Rússia já não tem meios nem capacidade para fabricar grandes navios de superfície. Isto e muito mais foi o que disse este Almirante numa entrevista.


Na área social não está melhor, se metade do povo Russo definha na miséria. No campo tecnológico, vão fazendo umas quantas adaptações do que herdaram da casa mãe (URSS). O sector industrial e alimentar estão caducos e na ruína.
Dois exemplos apenas; a URSS chegou a ocupar o 2º lugar a nível mundial na fabricação de maquinas ferramentas. Hoje a Rússia importa 99% desses equipamentos. O país era auto suficiente na produção de carne, actualmente importa 75% daquilo que consome. Também é do conhecimento geral que face à degradação das condições de vida da população o consumo diminuiu, para as importações serem a este nível, facilmente se conclui o desastre nas quebras da produção.
Ao nosso Amigo Anónimo Russo que defende o Putinismo com garras leoninas. Recomendo-lhe que leia um livro de V I Dashichev “Nos Passos de Hitler, Uma Receita para o Desastre” Editora Nauka. Talvez só assim compreenda o desastre que se aproxima.
Houve alguém que abordou o interesse da Rússia na compra da Quimonda. Não confundam componentes electrónicos de consumo geral com os usados para fins militares. Existe uma enorme diferença entre uns e outros. E a aquisição destes últimos é altamente condicionada.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"Anónimo Russo

O sr. diz-se Russo, então aceite


2- Quem conhece minimamente a história da Rússia sabe que a lógica da politica externa é a sede de poder.
Mas a Rússia está isolada meu caro, a Rússia está só, sem amigos, sem aliados sem sorte!

3- A Rússia está em declínio evidente, se o sr. for sério, reconhece que o principal problema da Rússia é demográfico e esse está a piorar cada vez mais..

já sei!, vai dizer que os nascimentos aumentaram recentemente, mas antes de falar alertava para o facto de que a natalidade de russos de etnia russa continuar a decrescer.
As únicas regiões que recuperaram são as não-europeias, povoadas por povos islâmicos."




Francamente, já estou cansado a responder às mesmas replicas. Vê-se que você não entende muito bem o estádo da Rússia atual e as tendencias do seu desenvolvimento. Não procurei estatisticas demograficas dependente das regiões da Rússia, mas custou certos esforços inscrever os meus filhos pequenos nos jardins de infáncia devido a aumento dos nascimentos. E as crianças nesses jardins de infància não são islamicos. Se voce vive nos EUA, seria interessante saber se a quantidade dos mexicanos, latinoamericanos, negros, chineses não ultrapassou aínda a quantidade dos brancos. È um pouco estranho ouvir isso de um americano. Só o tempo vai mostrar o que será da Europa, da Rússia e de outros, mas de certeza que os EUA não vão ser a primeira poténcia.

Quanto aos artigos, não sei o que compra você, mas eu utilizo muitas vezes artigos russos, inclusive carros, ou artigos importados feitos na... China, mas não nos EUA. Leia bem os rotulos dos artigos que voce compra porque em breve tudo o que você vai comprar vai ser chines (se aínda não é assim).

E sobre as previsões económicas, naõ são palavras minhas, mas dos economistas dos EUA.

Você acha que os EUA vai ter muitos amigos no futuro? Especialmente quando perderem força aínda mais?

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"Anónimo Russo

O sr. diz-se Russo, então aceite


2- Quem conhece minimamente a história da Rússia sabe que a lógica da politica externa é a sede de poder.
Mas a Rússia está isolada meu caro, a Rússia está só, sem amigos, sem aliados sem sorte!

3- A Rússia está em declínio evidente, se o sr. for sério, reconhece que o principal problema da Rússia é demográfico e esse está a piorar cada vez mais..

já sei!, vai dizer que os nascimentos aumentaram recentemente, mas antes de falar alertava para o facto de que a natalidade de russos de etnia russa continuar a decrescer.
As únicas regiões que recuperaram são as não-europeias, povoadas por povos islâmicos."




Francamente, já estou cansado a responder às mesmas replicas. Vê-se que você não entende muito bem o estádo da Rússia atual e as tendencias do seu desenvolvimento. Não procurei estatisticas demograficas dependente das regiões da Rússia, mas custou certos esforços inscrever os meus filhos pequenos nos jardins de infáncia devido a aumento dos nascimentos. E as crianças nesses jardins de infància não são islamicos. Se voce vive nos EUA, seria interessante saber se a quantidade dos mexicanos, latinoamericanos, negros, chineses não ultrapassou aínda a quantidade dos brancos. È um pouco estranho ouvir isso de um americano. Só o tempo vai mostrar o que será da Europa, da Rússia e de outros, mas de certeza que os EUA não vão ser a primeira poténcia.

Quanto aos artigos, não sei o que compra você, mas eu utilizo muitas vezes artigos russos, inclusive carros, ou artigos importados feitos na... China, mas não nos EUA. Leia bem os rotulos dos artigos que voce compra porque em breve tudo o que você vai comprar vai ser chines (se aínda não é assim).

E sobre as previsões económicas, naõ são palavras minhas, mas dos economistas dos EUA.

Você acha que os EUA vai ter muitos amigos no futuro? Especialmente quando perderem força aínda mais?

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"Anónimo Russo

O sr. diz-se Russo, então aceite..."

Reli o seu post e decidi fazer mais algumas respostas.


"3- A Rússia está em declínio evidente, se o sr. for sério, reconhece que o principal problema da Rússia é demográfico e esse está a piorar cada vez mais.."


Não, não está a piorar "cada vez mais", procure as estatisticas. Sobre as nacionalidades, já respondi e vou dizer mais alguma coisa: os muçulmanos da Rússia são no máximo 10 % da sua população atual. E a Rússia vive agora um periodo de mudanças, nenhumas tendencias são evidentes, não se sabe aínda o que vai ser no futuro.

Sobre o turismo espacial, não é nenhuma vergonha, se há possibilidade de ganhar, essa possibilidade deve ser usada. Uma vergonha é o programa lunar americano cancelado há pouco (mas o que lhes restava, aos coitados, com um deficit orçamental e a dívida externa astronómicos)

anónimo russo disse...

martin G

N.Y

P.S.
È curioso, mas a população da Rússia de hoje não diminui, se não me engano (a quantidade real das pessoas que vivem na Rússia). E não há previsões de que vai diminuir. Por que? Discubra, talvez vá entender melhor algumas coisas.

anónimo russo disse...

martin G

N.Y

Enquanto o sr. Milhazes não publica os comentários, vou dizer mais umas palavras. Se você não entendeu, a Rússia é um país emergente, aínda há muita coisa para fazer, mas a Rússia tem tudo para ser uma das maiores economias do mundo. E o tema do artigo é tambem um sinal disso, e já é um dos projetos pos-sovieticos. Há e vão surgir outros projetos, não se preocupe. E a Rússia daqui a algum tempo vai ocupar o seu lugar na economia mundial.

Quanto a demografia. Se voce não sabe, o aumento dos nascimentos acontece atualmente na Rússia na esmagadora maioria das regiões e pouco tem a ver com as "regiões islamicas". Por sinal, segundo os dados escassos que consegui encontrar (porque quase não há estatistica sobre isso), os muçulmanos são apenas 5-6% da população. A Rússia tem um dos melhores indices dos nascimentos (à volta de 11/1000 pessoas) da Europa (os EUA têm 13,8/1000). O problema da Rússia atual é a mortalidade elevada e pouca longividade. È evidente que isto são problemas que têm todas as chances de ser resolvidas com o tempo. Não dramatize a situação. Se não entende alguma coisa, pergunte, e "não leia jornais americanos antes de almoço"(c).

anónimo russo disse...

martin G

N.Y

A ver se os meus comentários foram publicados, li mais uma vez as suas palavras. Mas que povos islamicos e outros, que queda da natalidade? O que voce sabe da Rússia? Meu deus, voce não entende do que fala.



"haja respeito pela maioria do povo russo que vive miseravelmente e que não tem culpa que políticos déspotas queiram brincar às super potências."


Sem comentários. Frase ao estilo da propaganda sovietica. Não leia jornais americanos antes do almoço. Adeus.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Eu tenho uma opinião diferente da sua, eu não vejo conflitos num futuro próximo onde o que a Rússia actualmente tem não seja capaz de dar resposta.

...Já nem falando dos EUA, a marinha chinesa, japonesa, coreana ou até a Austrália quando tiver os novos destroiers AEGIS será capaz de combater qualquer uma das frotas russas...

Quando...Se..., não é por ter alguns navios novos no futuro que vão ficar aptos a enfrentar a Rússia.

...Os nuestros hermanos possuem uma classe de fragatas, as "Alvaro de Bazan" que tirando as duas classes de cruzadores são capazes de combater qualquer navio russo...

E num hipotético confronto entre a marinha espanhola e a russa, qual acha que seria o desfecho?

...E num ataque de saturação, navios como o Piotr Veiliky, o Moskva ou o Variag sem escolta anti-aérea eficaz (que a marinha russa não dispõe) não teriam qualquer hipótese...

Mas quem possui capacidades de efectuar um ataque de saturação, além dos EUA? Você coloca um cenário onde implica confronto de grandes e isso iria evoluir para um outro patamar, o nuclear.

E os SOVREMENNY andariam sózinhos? estamos a falar de que cenários?

Outro problema é a falta de reabastecedores eficazes.

Não compreendo bem a frase. O que quer dizer com reabastecedores eficazes?

chineses estão a fazer com a sua marinha pois essa sim está a sofrer uma construção bem balanceada e sem megalomanias e os russos deviam seguir esse bom exemplo.

Os chineses estão a fazer isso porque primeiro têm dinheiro em grandes quantidades e porque têm a noção do que o que tinham não duraria nada em caso de conflito com os EUA. Por alguma razão são um dos maiores clientes de armas russas. Porque compraram eles os SOVREMENNY aos russos?

Já agora porque é que os navios chineses, exactamente na mesma situação, não levam acompanhamento de rebocadores quando partem para as patrulhas no Golfo de Áden?

E além destes "passeios" que os chineses começaram a fazer agora, por onde mais andaram eles? a Marinha chinesa tem andado remetida para o seu canto e pouco mais.

anónimo russo disse...

Francisco Lucrecio disse...
"Caro anónimo!
Pouco mais vou acrescentar àquilo que escreveu sobre a situação caótica em que a Rússia está"


Os comentadóres deste blog são os mesmos e escervem a mesma coisa que há um ano quando entcontrei pela primeira vez este blog. Acho que não vale a pena gastar tempo repetindo sempre o mesmo a responder-lhes. Mas queria me dirigir ao sr. Fransisco Lucrécio: eu vejo qeu o sr. é comunista (perdão, social -democrata, como se chamam hoje muitos comunistas de ontem). Mas queria-lhe dizer mais uma vez: esquece da União Sovietica, onde a vida para a esmagadora maioria das pessoas não era nada boa, onde a maior parte dos artigos produzidos pela indústria sovietica não era competitiva no mercado mundial e onde o sistema económico era totalmente perverso e não viavel. E respeite, por favor, a opinião das pessõas que vivem na Rússia e que um dia não quiseram viver mais na União Sovietica e acabaram com o comunismo. Por sinal, a maioria da população na Rússia, segundo eu saiba, apoia os poderes de hoje. Será que são tão tolos e só o sr. Francisco Lucrécio conhece o caminho certo? Francamente, não acho.

anónimo russo disse...

Francisco Lucrecio disse...

"Ao nosso Amigo Anónimo Russo que defende o Putinismo com garras leoninas. Recomendo-lhe que leia um livro de V I Dashichev “Nos Passos de Hitler, Uma Receita para o Desastre” Editora Nauka. Talvez só assim compreenda o desastre "



Hahaha. Eu não preciso de ler nada, eu vivo aqui e, pelos vistos, compreendo melhor o que se passa. Com esse almirante Selivanov você já esteve aqui várias vezes, podia apresentar algo mais fresco? E sobre a produção de alimentos, não invente, por favor. A carne a Rússia importa, sim. Mas os cereais exporta. E a produção da carne se desenvolve aos poucos (pelo menos da carne de galinha), se não me engano.

Mas essas pessoas me surpreendem mesmo. Vêm para um tema que relata de um sucesso da tecnologia russa e começam a gritar que a Rússia vai ruir amanhã. E cada um têm as suas razões. Um adora os neoliberais americanos, outro é comunista, mas todos sabem tudo melhor que os próprios russos. Que maravilha, heim! È um fenómeno psicologico engraçado.

MSantos disse...

PortugueseMan:

A minha opinião está fundamentada na análise de muitos especialistas em poder naval que tenho lido nos últimos anos.

Na própria Armada russa, há quem conteste o actual estado de coisas (entre os quais o próprio comandante) e veja a necessidade de obter navios e meios modernos e também quem ache bem ter elefantes, neste caso cinzentos que apenas impressionam à vista, mas cuja viabilidade e eficácia em combate seriam muito duvidosas. Inclusivé defendem a construção de porta-aviões quando a Rússia nem sequer tem escolta para o único que tem.

Se analizar em detalhe a frota russa do Pacífico e a comparar com a chinesa, japonesa, indiana e até sul-coreana verá que em caso de conflito, os russos teriam tudo para repetir a derrota da batalha de Tsushima mais uma vez com navios de grande porte do seu lado contra frotas de navios mais pequenos mas mais eficientes.

E tanto uma marinha espanhola, inglesa ou francesa, teriam mesmo com as frotas reduzidas, condições e know-how para sairem vitoriosas. Se a Rússia ganhasse seria tão só por aplicar força bruta e não táticas.

E já agora, qualquer FA com 2 dezenas de aviões de combate armados com mísseis anti-navio tem a capacidade de saturar as defesas de qualquer "task force" russa por mais poderosa que seja.Provavelmente nem será preciso tanto.

Aos russos para serem uma verdadeira potência naval capaz de projectar poder faltam-lhes navios como o americano "Arleigh Burke". Procure informar-se sobre as capacidades deste navio que além de ser uma poderosa bateria anti-aérea altamente computorizada possui a capacidade de intervir centenas de quilómetros terra adentro com mísseis "Tomahawk", algo inexistente na Armada russa, pelo menos na versão convencional.

Quanto aos navios reabastecedores, compare isto:

http://warfare.ru/?linkid=2146
&catid=300

com isto:

http://en.wikipedia.org/wiki/
Henry_J._Kaiser_class_oiler

Quando a China adquiriu os SOVREMENNY ainda não tinha a frota balanceada com navios de construção própria integrando armas e sistemas russos como muito bem afirmou. Além disso nestes destroiers havia uma arma muito importante para quem quer caçar super porta-aviões americanos: o míssel MOSKIHT. Mas para isso não bastam os navios só por si, mas a tal frota bem balanceada a suportá-los.

Mesmo no seu canto, a marinha chinesa já é muito mais poderosa que as velharias que estão a apodrecer nas docas de Vladivostoque.

Cumpts
Manuel Santos

anónimo russo disse...

Mais uma coisa que me surpreende é a qualidade bastante baixa dos argumentos daqueles que se posicionam como "oposicionistas" ao governo atual russo (embora não tenham nenhum direito moral a isso, mas já é outra história). Eu, por exemplo, gosto de análises sérias, gosto de ouvir a opinião dos empresários, dos banqueiros, dos economistas famosos quanto a situação atual na Rússia. È óbvio que um governo comete erros e, por outro lado, consegue tomar decisões corretas, o que a vida mostra com o tempo (o caso do estoque, por exemplo), mas é quase incrivel ler sempre a mesma coisa, como: "este governo só sabe sacar bens ao povo" ou "eu vejo do outro lado do atlántico que a Rússia está à beira de um abismo". A vida não é apenas em preto e branco e isso não é uma conversa séria. Será que o nivel de ensino nos países lusófonos é tão baixo que os 90% dos "criticos" só sabe repetir a mesma coisa? Não paro de me pasmar.


Se alguem quiser saber mais dos muçulmanos da Rússia e qual é a diferensa entre eles e alguns imigrantes árabes franceses ou turcos alemãos, perguntem, posso tentar explicar um pouco mais tarde.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos

...Na própria Armada russa, há quem conteste o actual estado de coisas...

Sem dúvida. e têm razão. A actual situação é tudo menos boa. Agora ALGO está a ser feito. Dinheiro está a ser canalizado, navios estão a ser reparados, novos estão projectados ou em construção.

Agora é claro que na marinha como em qualquer outro ramo de QUALQUER pais querem sempre mais do que aquilo que têm. Cabo ao governo decidir onde quer gastar o dinheiro e como.

Até os EUA, que são o exército mais bem equipado do mundo, gritam por mais tanques, mais porta-aviões, por mais F-22...

...Inclusivé defendem a construção de porta-aviões quando a Rússia nem sequer tem escolta para o único que tem...

A função dos porta-aviões russos é o de dar suporte à frota e não o contrário como acontece com os EUA.

...Se analizar em detalhe a frota russa do Pacífico e a comparar com a chinesa, japonesa, indiana e até sul-coreana verá que em caso de conflito...

Meu caro, nenhum desses países tem condições de entrar em confronto com os russos. E não estou a ver como é que algum deles se atreveria a iniciar hostilidades contra uma frota russa.

...E tanto uma marinha espanhola, inglesa ou francesa, teriam mesmo com as frotas reduzidas, condições e know-how para sairem vitoriosas...

Será? os russos têm no seu arsenal algums mísseis anti-navio que duvido muito que alguém queira ver de perto.

...E já agora, qualquer FA com 2 dezenas de aviões de combate armados com mísseis anti-navio tem a capacidade de saturar as defesas de qualquer "task force" russa por mais poderosa que seja...

Depende do cenário. Não é assim tão simples.

...Aos russos para serem uma verdadeira potência naval capaz de projectar poder faltam-lhes navios como o americano "Arleigh Burke". Procure informar-se sobre as capacidades deste navio que além de ser uma poderosa bateria anti-aérea altamente computorizada possui a capacidade de intervir centenas de quilómetros terra adentro com mísseis "Tomahawk", algo inexistente na Armada russa, pelo menos na versão convencional...

Não concordo, os EUA necessitam disso porque a sua àrea de influência é o globo.

A Rússia nunca teve a capacidade de projectar força dessa forma. E nem será esse o intuito.

...Quanto aos navios reabastecedores...

Eu discordo. os navios reabastecedores russos cumprem ou não os seus objectivos? para mim cumprem.

Mesmo no seu canto, a marinha chinesa já é muito mais poderosa que as velharias que estão a apodrecer nas docas de Vladivostoque.

E qual é o chinês que irá atrever-se a afundar uma dessas velharias?

Mesmo enferrujados impôem respeito...