sexta-feira, maio 28, 2010

Parceria para a modernização


A Rússia e a União Europeia tencionam discutir um amplo leque de questões na Cimeira de Rostov-no-Don, que se realizará nos dias 31 de Maio e 01 de Junho, declarou Alexandre Gruchko, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

“A cimeira é o principal instrumento de interacção da Rússia e UE, claro que ambas as partes tentaram colocar na ordem do dia questões de carácter estratégico, mas porque as relações entre elas são muito diversificadas, é difícil encontrar matérias que fiquem fora da esfera da atenção dos nossos dirigentes”, declarou o diplomata, numa conferência de imprensa.

Segundo Gruchko, na cimeira irá ser analisado o estado das relações entre a Rússia e a UE, será prestada grande atenção ao novo projeto “Parceria em prol da Modernização”.

“A parte russa considera que ele deve ser um projeto altamente tecnológico, compreensível, orientado para a consecução de resultados concretos nas áreas que determinam o processo técnico-científico, a nova economia de inovação”, sublinhou.

“Semelhante interação deve dar-lhe não só novas qualidades, mas também tornar a Rússia e a UE mais concorrentes na economia global”, acrescentou Gruchko.

O diplomata russo frisou também que esta é a primeira Cimeira Rússia-UE realizada depois da assinatura do Tratado de Lisboa, considerando que Moscovo terá assim “uma delegação estável da parte da UE, com a qual iremos trabalhar num prazo de tempo definido”.

O diplomata russo anunciou também que os dirigentes da Rússia e UE irão debruçar-se sobre a análise das lições da crise na zona euro, “porque estamos interessados em que a UE se desenvolva de forma bem estável”.

Alexandre Gruchko revelou também que os dirigentes da Rússia e EU discutirão problemas do clima, da segurança energética e “as questões internacionais fundamentais”.

“Também aqui esperamos um diálogo profundo, antes de tudo tendo em conta que, na maioria esmagadora dos problemas estratégicos globais, as posições da UE são próximas ou coincidem com as nossas, nomeadamente no que respeita ao Médio Oriente, conflitos congelados e a uma saída ponderada e sensata para o problema nuclear iraniano” concluiu.

2 comentários:

PortugueseMan disse...

Olhando para a Cimeira que existiu cá em Lisboa em 2007, temos grandes diferenças.

Bush aos comandos, situação da Geórgia para resolver, muitos problemas com os países bálticos, sistema anti-míssil na Polónia e Rep. Checa, a guerra dos pipelines para a Europa, uma Ucrânia hostil, uma NATO que não pára de expandir ...

O que vemos agora?

Obama aos comandos, um sistema anti-míssil mais silencioso e que não vai estar onde era suposto estar, uma Ucrânia mais amigável, uma Geórgia controlada, uma paragem da expansão da NATO, uma NATO em sérias dificuldades no Afeganistão, um conflito infindável no Iraque, dois pipelines definidos onde são envolvidas as maiores potencias europeias, uma europa com problemas económicos e sem condições e desejo de se meter em novas aventuras ao sabor dos desejos da NATO e uma Rússia com poder económico e uma sede terrível por tecnologia.

O que será discutido nesta cimeira? quem serão os países membros que mais se irão opor?

Em 2007, foram principalmente os países de leste que tudo fizeram para gerar entraves, quais serão agora os países que irão tentar fazer o mesmo?

Será que haverá tanta resistência nesta cimeira? Penso que não, desta vez a Rússia terá uma atmosfera mais amigável no seio da UE e também estará com uma melhor posição negocial.

Tenho realmente curiosidade, sobre o que se irá discutir, o que será acordado, quem se oporá e o que ambos irão conseguir.

ALONE HUNTER disse...

A Rússia não pode entrar na União Européia. Será um tiro no próprio pé!

"...Parceria para a modernização"

Desde quando a Rússia precisa da Inglaterra, França, Itália, Alemanha e Espanha para se modernizar? Isso é o cúmulo do ridículo! Em que sentido o autor desse texto se refere?

Eu não entendo essa colocação... Modernização do que? Quem precisa se modernizar é a União Européia, que está caindo aos frangalhos, com seu fracasso econômico. Vejam o que fizeram com a Grécia: Cuspiram na cara de Athenas!!!

Queriam tirar a Grécia da União Européia, grande união é esta...

E além disso, eu entendo como União Européia apenas França, Reino Unido, Espanha, Itália e Alemanha... O resto dos países integrantes nada tem á acrescentar! O que, por exemplo, Portugal poderia contribuir para modernizar a Rússia?

Isso só pode ser uma piada!A Rússia envia satélites para o Espaço, vocês se esqueceram? A Rússia tem dezenas de Usinas Nucleares para geração de energia,vocês não sabiam? Vocês já ouviram falar do sistema de transporte ferroviário russo? É um dos modelos mais eficientes deste planeta!!!Só é comparável Á dos Estados Unidos.

A Rússia tem que criar uma União (ou Aliança) é com a China, o DRAGÃO asiático que está dominando todas as paradas no mundo! Daí sim, seria talvez a maior Aliança Economica-Cultural-Social-Tecnológica-Militar do planeta!!!

Rússia e China, com todos os seus problemas bilaterais resolvidos ( de fronteira) e unidos, seriam a maior potencia deste planeta!

Russia e China deveriam criar uma zona econômica exclusiva, a China compra o petróleo russo, a Rússia compraria produtos chineses. A China compraria armamentos russos com transferencia de tecnologia. E com as vendas, a Rùssia financiaria a sua volta ao topo!!!

Sem União Européia, sem o Capitólio!!! 100% soberanos de Washington, que ficaria relegada no cenário mundial á 2º plano! Seria o fim do dominio americano no mundo! Uma vitória incontestável para a humanidade!!!