segunda-feira, maio 03, 2010

Samora Machel foi assassinado pelo apartheid - Guebuza


"O Chefe do Estado moçambicano, Armando Guebuza, reafirmou esta sexta-feira, em Lisboa, acreditar que o primeiro Presidente de Moçambique independente, Samora Machel, foi assassinado pelo regime do apartheid sulafricano. Armando Guebuza falava aos jornalistas moçambicanos numa conferência de imprensa, na capital portuguesa, que marcou o fim da sua visita de Estado, de dois dias, a Portugal.
O Presidente Guebuza respondia a uma pergunta da AIM sobre a nova versão da morte de Samora Machel, publicada no livro do jornalista e historiador português, José Milhazes, lançado na Quinta-feira, em Lisboa. José Milhazes é actualmente correspondente da Agência Lusa em Moscovo, capital russa. “Não posso comentar sobre um livro que não li, não tenho bases para poder comentar. Aquilo que posso reafirmar é que Samora Machel foi assassinado pelo apartheid”, disse o Chefe do Estado moçambicano.
Cerca de 24 anos após o desastre de Mbuzini, oficialmente ainda não há conclusões definitivas sobre o que terá realmente acontecido na fatídica noite de 19 de Outubro de 1986 quando uma aeronave do tipo “Tupolev-134A”, sob os comandos de uma tripulação cedida ao governo de Moçambique pela então União Soviética, embateu contra a região montanhosa dos Libombos, em território sul-africano, causando a morte de Samora Machel e de outras 33 pessoas que integravam a comitiva presidencial.
Quando ocorreu a queda do avião, Samora Machel e comitiva regressavam da Zâmbia para Maputo. Contudo, a nova versão publicada no livro de José Milhazes, diz que queda do avião “Tupolev-134A” foi causada por desleixo da tripulação soviética da aeronave. “Não escrevi o livro sobre a nova versão da morte de Samora Machel para provocar escândalo. Fui buscar o que existe na Rússia” sobre o caso, sublinhou José Milhazes, falando no acto do lançamento do seu mais recente livro intitulado “Samora Machel – Atentado ou Acidente?”
A obra, lançada pela Alêtheia Editores, já está a venda em Portugal. “Penso que consegui responder (a questão do título do livro), pois não se tratou de um atentado, mas sim de um acidente. O avião caiu devido a um erro humano, mais propriamente, ao desleixo da tripulação do avião presidencial, como disse um dos técnicos”, referiu o jornalista. Contudo, tudo indica que o avião presidencial terá sido desviado para o território sul-africano por um VOR (instrumento de ajuda à navegação aérea) falso, colocado por forças do extinto regime do apartheid na África do Sul.
AIM – 02.04.2010


P.S. Como tem sido costume nesta casa, a verdade deve basear-se em factos. Por isso, deixo estas declarações sem comentário, porque as conclusões pertencem ao leitor do meu livro e de outros estudos sobre o caso.

14 comentários:

ALONE HUNTER disse...

Eu não consigo imaginar qual as mudanças que ocorreram no mundo após a morte desse Samora Machel...

Isso é coisa pequena, é um entre muitos casos que ocorreram na história!!!!

Cristina disse...

Sobre outro tema:

Comparando os sistemas judiciais russo e português, talvez o português seja mais independente. No entanto,o presidente Medvedev acaba de assinar uma lei que nos faz muita falta: os cidadãos russos passam a ter direito a uma indemnização do Estado sempre que os tribunais não tomam as decisões nos prazos devidos, combatendo-se assim a morosidade dos processos.
Políticos portugueses: que tal esta ideia? Talvez não fosse mau importá-la...

sérgio disse...

Cristina:há casos e casos!
se uma pessoa for processada por incumprimento de crédito bancário acho bem que se arraste anos e anos afinal é a unica defesa que a pessoa tem contra o banco.

MSantos disse...

Cristina

Se essa lei fosse cá aplicada e fosse levada à letra, cada caso desde o mais importante ao mais irrisório resultaria em compensação como tal o estado português iria à falência.

Cumpts
Manuel Santos

Cristina disse...

MSantos e Sérgio
Naturalmente, não sei se tal é viável. Mas tal talvez obrigasse o nosso Estado a reformar e modernizar finalmente o sistema judicial. Tal como o russo, também o Estado português tem muitas áreas altamente ineficazes: a justiça é uma delas. Outra são os licenciamentos de obras no poder local. Não sei porque nos resignamos a aceitar que um processo judicial ou um licenciamento durem anos e anos... Isso só faz afastar os investidores estrangeiros, que vão para outros países onde tudo é mais rápido.
Diga-se de passagem que, na Rússia,a maior parte dos serviços prestados pelo Estado são também uma dor de cabeça para os cidadãos, a burocracia é muito maior que na Europa e as pessoas não sabem muito bem porque leis os funcionários se regem. Lá e cá, (mais lá do que cá), as pessoas resignam-se. O problema é que nunca viveram noutros países onde as coisas funcionam bem.

MSantos disse...

Cristina

Há poucos dias passou um programa na SIC Notícias sobre a corrupção nas autarquias em especial no urbanismo. Houve depoimentos daquele autarca que petenceu à equipa de Rui Rio no Porto e que teve de se demitir por causa do que denunciou. Falaram também outras pessoas que viram as suas carreiras e vidas destruídas a partir do momento em que fizeram frente ao "establishment" além obviamente do infame caso da Bragaparques.

Tudo isto em Portugal e deveras assustador.

Cumpts
Manuel Santos

Jorge Almeida disse...

Doutor Milhazes,

parabéns pelo livro.

Parece-me que é uma 2ª parte do livro sobre Angola. Sendo assim, para quando um livro acerca das relações entre a URSS e a Guiné-Bissau?

Já li este seu livro. Lê-se bem, e duma penada.

Uma pena é o preço: 15 € (IVA incluído) para um livro de 100 páginas (fora os anexos), é caro para o habitual aqui em Portugal. E eu comprei na Feira do Livro de Lisboa, no quiosque da Aletheia. Imagino o preço que seja fora da feira.

Face ao exposto no livro, penso que a conclusão que lá tirou é óbvia.
Achei muito curiosa a referência à conversa sobre a Coca-Cola e o desrespeito que os tripulantes pareciam ter para com o seu comandante.

Cristina disse...

MSantos
É de facto assustador.
Há muito que julgo que a razão da corrupção no poder local português é a falta de verdadeira democracia a nível local. Tal como nos países autoritários, a nossa imprensa local está muito ligada aos partidos, partidos que se perpetuam no poder anos a fio porque os cidadãos, sem uma informação verdadeiramente livre, sem poder de escolha e de comparação, os continuam a eleger.Alguns presidentes de Câmara são uns senhores bem falantes que se passeiam pelo Concelho, dando origem àquilo que eu chamo "Ditadura da Visibilidade", sistema que em conjunto com uma imprensa local maioritariamente leal ao partido no poder e muitas vezes dependente do dinheiro municipal, afasta todos os políticos ou cidadãos que tenham uma visão diferente. Precisávamos de ter televisões locais independentes dos partidos, tal como (mal ou bem) existem a nível nacional e que pudessem dar visibilidade a todas as forças políticas todo o ano e não só durante as poucas semanas de campanha eleitoral.
O poder na Madeira, onde temos um senhor há décadas no poder, é muito semelhante a algumas regiões russas, onde existe democracia formal mas não existe democracia na prática.

Jose Milhazes disse...

Leitor Jorge Almeida, obrigado pela sua mensagem, mas não sou eu que determino o preço do livro. Este preço será o mesmo das livrarias.
Agradeço o seu elogio.

Jorge Almeida disse...

A opinião emitida pelo Alone está em concordância com o que parece-me ser o conhecimento da generalidade dos brasileiros sobre os PALOP's e Timor-Leste: Zero!

Eis, aqui, uma breve biografia de Samora Machel (em Portugal, imensamente conhecido por ser alvo de imensas anedotas):

http://pt.wikipedia.org/wiki/Marechal_Samora_Mois%C3%A9s_Machel

Para perceber que isto não é assim tão pequeno, há que saber que, em 1984, já com o embargo internacional imposto ao regime sul-africano que seguia o apartheid, Moçambique foi assinar o acordo de Nkomati com os sul-africanos, rompendo a unidade africana que ostracizava aquele regime. Isso teve uma série de consequências graves para Moçambique. Discutia-se se a queda do avião não teria sido uma delas.

ALONE HUNTER disse...

Desculpem-me usar este blog para este assunto, mais eu, como brasileiro, não posso deixar de citar:

Iniciam-se em julho próximo as obras da nova base naval onde serão construídos e mantidos os novos submarinos convencionais e o novo NUCLEAR.

Os submarinos convencionais, que serão 4, são da classe SCORPENE francesa ( sem nenhuma tecnologia americana ).Não haverá nenhum componente americano nestes submarinos.

E o NUCLEAR, será a maior aquisição militar brasileira de todos os tempos, desde o nosso descobrimento. Este MONSTRO terá o seu sistema de propulsão nuclear totalmente ( TOTALMENTE!!!!) produzido em meu país. A tecnologia da construção do casco deste submarino será absorvida por nós, á partir da construção dos 4 submarinos SCORPENE!!!

Essa é uma notícia que muito me orgulha, meu país entrará no seleto grupo de países que possuem em sua Marinha um submarino de propulsão nuclear, como a América, Reino Unido, França e Rùssia!!! E sem nenhuma participação americana!!!

Durante a Guerra das Malvinas, um único submarino de propulsão nuclear ingles fez com que a Esquadra argentina inteira fica-se nos portos. Com um único míssil, afundou o Destroyer General Belgrano. Este foi a principal razão que causou a derrota da Argentina naquela guerra. Sua esquadra ficou totalmente imobilizada, pela ação de um "monstro" que foi crucial para a vitória do Reino Unido, em 1982.

E o Brasil, o Eterno Soberano, irá patrulhar suas imensas reservas de petróleo (talvez maior que o da Arábia Saudita ), com 5 submarinos alemães do tipo TYPE-205, 4 submarinos Scorpene, e 1 submarino de propulsão nuclear!!! Construídos no Brasil, tecnologia 100% nacional, sem embargos da América!!!

Este submarino terá capacidade de lançar torpedos e mísseis, do tipo EXOCET, que também serão produzidos ( e aos milhares ) no Brasil!!! E isso me revolta muito, pois este submarino poderia ter maiores capacidades, como lançamento de mísseis do tipo CRUISE ( como os YANKEES Tomahawk ou os indianos BRAHMOS ).

Mas o que eu desejaria, e muito para o meu país, ( seria um sonho ) seria mesmo a BOMBA!!! Daí sim, seríamos um grande país no cenário internacional, provavelmente membro permanente do Conselho de Segurança!!! Nós temos que ter a BOOMBA!!! 300KT, umas 200 unidades!

Somos o país mais poderoso não apenas da América Latina, mas de todo o Hemisfério Sul!!!

Com estes submarinos, e mais 2 esquadras, fecharíamos o Atlantico Sul!!! Irei sonhar ainda, com a possibilidade de o Brasil possuir uns 15 submarinos de propulsão nuclear, uns 30 submarinos de propulsão convencional, uns 50 destroyers do tipo SOVRENEMNNY, uns 4 porta-aviões equipados com SU-35BM SUPER FLANKER navalizados, e uns 540 caças de 5ª geração PAK-FA 50!!!!

Esse é o Brasil que eu quero pra mim!!! Soberano e poderoso...

Anónimo disse...

Até parece que os Portugueses são os campeões da fraude e da corrupção autárquica. Só podem ser opiniões de quem vê a situação de fora. Não passa pela cabeça de ninguém minimamente informado tentar fazer uma relação mesmo muito afastada entre Portugal e a Rússia nessa área da vida publica. Os analistas dizem que a Rússia é um dos países mais corruptos do mundo. Nós ainda estamos muito longe disso mesmo a nível Europeu (mas para lá caminhamos).

Em Espanha na região de Marbella há poucos anos foram demolidos milhares de apartamentos construídos ilegalmente. Estavam envolvidos autarcas, políticos, dirigentes desportivos, gente ligada às artes. Este flagelo atinge a Espanha de lés a lés, na região de Valência rebentou outro escândalo ligado a favorecimentos autárquicos na área da construção civil recentemente.
A Itália, essa está na dianteira. Nós ainda somos uns aprendizes patetas em relação a outros países. No Algarve já se fizeram lá coisas com mestria, mas isso era porque envolvia capitais estrangeiros..
Mas daí até atingir-mos o nível dos demais, vai uma grande distancia. Tentar ver o contrário só pode dever-se estar afastado da realidade do país.


Quanto ao nosso sistema judicial, também não é assim tão mau como tentam apresentá-lo. As leis temo-las, são excelentes, falta é aplica-las a todos. Portanto não temos necessidade de copiá-las de nenhum Medvedev que não sabe o que é isso de cumprir leis.

Esta opinião sobre a morosidade da nossa justiça parte de quem ignora que a aplicação da lei só é lenta quando se trata de julgar gente poderosa . Para quem não tem recursos para pagar a advogados, os tribunais são rápidos e duros na aplicação da lei. Como muito bem diz Marinho e Pinto só vai preso quem não tem dinheiro, os pobres é que vão presos diz ele.


Porque dos sucessivos escândalos que têm rebentado neste país qual dos grandes tubarões que está preso? Nem um. Parafraseando Catalina Pestana, o grosso da coluna fica sempre oculta.
.

Eu também vi esse caso do autarca do Porto. Mas os contratos com Lisconte são uns gingantones em relação a esse. E as Pirites Alentejanas quantas centenas de milhões já sorveram? Quantos postos de trabalho foram criados? São grandes escândalos que ficam abafados com pequenas tagarelices e algumas caixas de robalos até.

Mas apesar da nossa situação ser ainda embrionária, não devemos de nos deixar de preocupar, porque o monstro vai sempre crescendo e um dia devora-nos.

Portanto quando se tenta abordar estes assuntos devemos estar melhor informados para sabermos quem devemos acusar e não espalhar-mos fantasmas ao acaso.
Porque o povo Português ao contrário daquilo que se pense não tem a corrupção no seu ADN apesar das vicissitudes por que tem passado. Os corruptos são dez mil ilustres engravatados que dirigem os nossos tristes destinos.

Cumprimentos.

MSantos disse...

Pessoalmente, o comentário que fiz sobre a trágica situação da corrupção em Portugal foi de Portugal por si só não tendo qualquer objectivo de a comparar com outro país do mundo qualquer que ele seja.

Foi apenas uma achega ao assunto (Portugal) puxado pela leitora Cristina. Obviamente que devido ao seu ódio obssessivo-compulsivo a tudo que contem a palavra Rússia toldou-lhe a análise, mas isso já não é novidade para ninguém.

Com os males de Espanha ou Itália, posso eu bem.

É a primeira pessoa que eu vejo defender aquilo a que chamam "sistema judicial português" quando reputados juristas, economistas, antigos governantes, independentemente do quadrante político de onde vêm o apontam como um dos grandes monstros a serem domados e restruturados.

Todos eles referem o facto das leis serem mais que muitas, desconexas e muitas vezes contraditórias dando o azo a todo o tipo de interpretações e arbitrariadades.

Eu pessoalmente, na minha área de trabalho já me deparei com este facto.

Se Medvedev fizer boas leis e que esse tipo de leis sejam boas para Portugal, não tenho quaisquer complexos. Até poderiam vir de George W. Bush.

Sobre a Dra Catalina Pestana, ela própria trabalhou numa instituição anos a fio sem se aperceber das imensas crueldades que aí se passavam.

Sobre esses casos que mencionou, estou totalmente de acordo consigo. E ainda vou mais longe: junte-lhe também uns submarinos caçadores de traficantes de droga, uns pandurs com problemas técnicos e os caríssimos EH-101 que não voam por falta de contrato de manutenção. Já me esquecia: e as respectivas contrapartidas.

Depois de ter afirmado o que afirmou, serei eu que estou mal informado?

Ou será você que está mal informado?...ou muito mal intencionado?

PS: Talvez seja melhor assinar da próxima vez, pois o gato escondido ficou com um enorme rabo de fora.

;)

Otília Gradim disse...

Caro José Milhazes,

A opinião do Armando Guebuza é coisa que não me admira já que ela é para consumo interno... a morte do Samora se não for atribuída aos sul-africanos não alimenta a propaganda.
O Armando Guebuza devia ser obrigado a explicar o seu envolvimento na operação produção, operação essa que dizimou vidas de moçambicanos de forma aterradora e totalmente desnecessária.
Estou à vontade para fazer este comentário porque quando fui para Moçambique em 1981 acreditava na FRELIMO e vim de lá anti FRELIMO.
As práticas da FRELIMO eram iguais às da RENAMO.

Aguardo pelo dia 7 para poder ler o seu livro.
Sei que o que tiver escrito será muito mais objectivo do que qualquer declaração política do Armando Guebuza
um abraço