segunda-feira, julho 26, 2010

Moscovo visto da minha janela


O mercúrio nos termómetros da capital russa subiu hoje até aos 37,2 graus centígrados, batendo assim o recorde absoluto durante todo o período de observações meteorológicas.
O anterior recorde: 36,8 graus centígrados, foi registado em 1926.
Porém, o Serviço Meteorológico da Rússia já veio anunciar que este recorde, o sétimo este ano, poderá ser batido já na próxima quinta-feira.
A Rússia está a ser assolada por uma onda inaudita de calor, que começou no início de Junho. Nas últimas semanas, o mercúrio não desce abaixo dos 30 graus na capital russa e arredores.
Esta anomalia atmosférica já levou à perda de 10 milhões de hectares de culturas, bem como a fortes fogos florestais.
Hoje de manhã, Moscovo acordou coberta por uma densa nuvem formada pelo fumo e cinzas explidos pelos incêndios nas florestas dos arredores da capital russa.
Segundo as autoridades sanitárias, o nível de poluição atmosférica em Moscovo é sete vezes superior à norma.

6 comentários:

António disse...

Caro Zé, por amor de deus! Hoje aqui estiveram 40 graus e agora são oito da noite e estão 38. Nem se consegue respirar...

António Campos

Jorge Almeida disse...

41 de máxima em Lisboa, hoje.

Jose Milhazes disse...

Caros, se não fosse o fumo e o cheiro a queimado, talvez as coisas não estivessem mal.

Gilberto Mucio disse...

O calor aqui na Rússia (ainda bem que é coisa rara) é pior. Não faz a mínima diferença se você está debaixo de uma árvore, em casa ou deitado no asfalto... É sufocante.

Nunca vi algo parecido.

Cristina disse...

московские друзья, держитесь!

Nuno B. disse...

Está calor e cheira a queimado dos fogos florestais.

Estará Viseu assim tão longe de Moscovo?