segunda-feira, agosto 09, 2010

Onda de calor sem precedentes nos últimos mil anos




Alexandre Frolov, diretor dos Serviços Meteorológicos da Rússia, declarou que o seu país nunca conheceu uma onda de calor tão intenso durante os mil anos da sua história.

“Desde o momento da formação do nosso país, ou seja, num período de 1000 anos, nada de semelhante aconteceu do ponto de vista do calor; nem nós, nem os nós antepassados fixámos tal coisa”, disse ele, numa conferência de imprensa.

Segundo ele, “trata-se de um fenómeno absolutamente único, não há nada igual nos arquivos das observações”.

Porém, Frolov sublinhou que este fenómeno não confirma, nem desmente a hipótese do “aquecimento global”.

“Se nos próximos 30 anos a situação se repetir, então estaremos perante o aquecimento global”, acrescentou.

O Ministério para Situações de Emergência da Rússia informa que no território do país continuam ativos 557 focos de incêndios numa área de 174 mil hectares. Nalgumas regiões, os bombeiros conseguiram estabilizar a situação e o número de novos incêndios é inferior aos apagados: 239 e 247 respetivamente.

No Verão de 2010, a Rússia registou 26 mil fogos florestais numa área de 750 mil hectares. No combate às chamas participam mais de 160 mil bombeiros, apoiados por 26 mil meios técnicos, incluindo 42 aviões e helicópteros.

Países como a Ucrânia, Cazaquistão, Arménia, Azerbaijão, Polónia, França e Alemanha enviaram homens, aviões e helicópteros para ajudar no combate às chamas.

P.S.Caros leitores, peço muito respeito ao fazerem os comentários, pois estamos perante uma catástrofe de enormes dimensões. Neste momento, o importante é que os bombeiros russos estão a dar provas de heroísmo no combate às chamas. Quanto a responsabilidades, vamos esperar pelo fim da tragédia para ver se vão ser ou não tiradas lições.

4 comentários:

Anónimo disse...

Não entendo… (26 meios técnicos)!? Esse tradutor automático:
- pouco potente?
- avariado?

Jose Milhazes disse...

26 mil, claro

Zuruspa disse...

O problema é que isto vai acontecer, 10 vezes nos próximos 30 anos, infelizmente.

A fumaça parece que já chegou ao Sul da Finländia, ou entäo, é S. Peterburgo que também arde.

Nuno B. disse...

E por falar em "limpar armas em tempo de guerra":

Poucas horas após Adriano Azevedo, vice-presidente da Câmara de S. Pedro do Sul, afirmar que os bombeiros não sabem combater as chamas que lavram no seu concelho, um bombeiro morre em plena actividade.

Estes nossos autarcas têm um sentido de oportunidade..