quinta-feira, abril 14, 2011

Dmitri Medvedev faz duras críticas a Nações Unidas


O Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, declarou hoje ter perguntas sérias a fazer à direção da ONU sobre tentativas de ultrapassar prerrogativas previstas nas suas resoluções.
“Quando ouço dizer que a resolução (sobre a Líbia) é má, considero isso incorreto, a resolução é completamente normal. Mas é preciso cumprí-la, e não tentar ultrapassar o mandato contido nas resoluções. A propósito, isso é uma tendência muito perigosa nas relações internacionais”, declarou ele aos jornalistas durante a Cimeira dos BRICS, na China.
Segundo ele, no que respeita à resolução 1973 sobre a Líbia, observa-se um abuso das prerrogativas nela previstas, bem como a interpretação alargada do documento.
O mesmo detetou na resolução sobre a Costa do Marfim.
“Por exemplo, no que respeita à resolução sobre os acontecimentos na Costa do Marfim, a resolução 1975, se não me engano, nela fala do empregue dos destacamentos da ONU não para apoiar uma das partes do conflito nesse país, pois a ONU não pode apoiar nenhuma das partes. Mas, de fato, aconteceu isso”.
“Aqui temos sérias perguntas a fazer à direção da ONU. Parece-me que se trata de uma tendência muito perigosa. As tropas da ONU devem separar as tropas e em caso algum apoiar uma delas, se considerarmos que ela tem uma base legítima maior”, concluiu.

2 comentários:

PortugueseMan disse...

Bom...

Só não fala em cruzada...

Mas é mais uma resolução, onde a imaginação impera.

Os civis líbios, esses é que estão mesmo lixados.

FAB FLANKER disse...

Dmitri Medvedev tem toda razão... Mas diferente da Costa do Marfim, a Líbia tem muito petróleo, o que irá render grandes contratos com os Estados Unidos e a Europa Ocidental, se o regime de Kadhafi cair!