quarta-feira, abril 27, 2011

Presidente Lukachenko chamou "cabrão" a Durão Barroso


 O Presidente da Bielorrússia, Alexandre Lukachenko, insultou Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, considerando- o culpado da sua não participação nas cerimónias de Chernobyl.

“Ele (Durão Barroso) é simplesmente um canalha! Por isso não quero falar de diferentes Barrosos, de outros cabrões (козлы), touros, etc. No que respeita aos cabrões (козлы), tais como Barroso e outros, quem é ele, esse Barroso? Conheço um tal Barroso em Portugal, foi corrido e arranjou emprego na Comissão Europeia”, declarou Lukachenko, enfurecido.

Na véspera, Lukachenko deveria encontrar-se com os seus homólogos russo e ucraniano nas cerimónias dedicadas ao 25º aniversário da catástrofe na Central Nuclear de Chernobyl, mas não compareceu ao encontro em protesto pelo Presidente da Ucrânia, Victor Ianukovitch, não o ter convidado para uma conferência internacional, realizada na semana passada.

“Façam essa pergunta a Ianukovitch: porque é que o Presidente não está presente nas suas iniciativas. Perguntem-lhes. Infelizmente, há demasiados “piolhos” na atual direção da Ucrânia, comentou ele, dirigindo-se aos jornalistas.

Nessa conferência, que reuniu países e organizadores que doaram meios para a construção de um novo sarcófago para o quarto reator da central, participou Durão Barroso que exigiu a ausência de Lukachenko.

As relações entre a UE e a Bielorrússia estão bastante tensas pois Bruxelas vê em Lukachenko um ditador.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia considerou as declarações de Lukachenko “incorreta sem precedentes”, acrescentando que o dirigente bielorrusso foi convidado para as celebrações em Chernobyl.

A 26 de abril de 1986, uma explosão no quarto reator da Central Nuclear de Chernobyl provocou prejuízos incalculáveis na saúde de milhões de habitantes da Bielorrússia, Rússia e Ucrânia.

7 comentários:

anónimo russo disse...

1. Porque "козли" e não "козлы", o é em belorusso?

2. Ao meu ver, a fúria de lukaschenko é compreensivel. Porque todos esses gestos da burocracia europeia são um jogo politico. Agora já é notório, que, quando é preciso, beijam-se com Kadafi, mas quando surge uma oportunidade de o derrubar e ter acesso mais direto às riquesas naturais da libia, ele de repente se transforma numa encarnação do mal universal. Desconfio que toda essa politica de padrões duplos é valida em relação a Lukaschenko tambem. Porque há muitos ditadores verdadeiros no mundo, há países, como alguma Arabia saudita que oprimem as manifestações com força do exercito, mas "a parte mais democratica" da humanidade permanece calada nesses casos. Um jogo politico e padrões duplos.

Jose Milhazes disse...

leitor anónimo, tem razão, não é "козли", mas "козлы", tratou-se de um lapso, mas espero que não mude a essência.

Zumba disse...

A diferença entre o "ditador" Lucachenko e o "democrata" Barroso é que o primeiro foi eleito pelo seu povo para o cargo (até a OCDE diz que mais que 50% dos votos foram mesmo para ele), enquanto o segundo... assim que pöde, deu de frosques!

Pedro disse...

"Presidente Lukachenko chamou "cabrão" a Durão Barroso"

Eu até acho que é pouco.
Para ser mais adequado ao perfile deste nosso ilustre imigrante podia ter-lhe chamado nomes bem mais feios.

Cristina disse...

Inqualificável.... Se mais dúvidas havia quanto ao "calibre" de Lukachenko, deixa de haver....
Agressividade verbal, violência e pouco controlo das pulsões estão sempre presentes nos ditadores...

Uma coisa é nós, cidadãos anónimos, chamarmos nomes aos políticos em privado ou em semi-público, outra coisa é um presidente de um país fazer o mesmo em relação a um dirigente europeu. É de uma gritante falta de respeito e das mais elementares regras do bom-senso.

Gilberto Mucio disse...

«A diferença entre o "ditador" cucachenko e o "democrata" Barroso é que o primeiro foi eleito pelo seu povo para o cargo (até a OCDE diz que mais que 50% dos votos foram mesmo para ele), enquanto o segundo... assim que pöde, deu de frosques!»

Longe de ter alguma simpatia por Lukashenko, mas nessa eu tenho que concordar com Anônimo Russo. :)

No mais... esse Durão Barroso é o retrato da madiocridade encarnada.

Para o cargo que ocupa, não encontrariam outro idiota melhor -- de caráter vazio, medíocre, com vocação para pau mandado...

Pippo disse...

"No mais... esse Durão Barroso é o retrato da madiocridade encarnada."

Mediocridade INCARNADA, se faz favor! Mediocridade encarnada... Gilberto, não me diga que tem alguma coisa contra o Benfica? ;o)

Relevando a falta de educação do presidente biolorrusso, o facto é que ele tem razão!
Eu não chamaria cabrão ao Durão, mas chama-li-ia - e chamo! - de rato! E daqueles que primeiro abandonam o barco! Quem sabe alguma coisa sobre a UE sabe que ele, Durão Barroso, ocupa o lugar que ocupa pura e simplesmente porque é um líder fraco que obedece aos grandes. Tem pouca iniciativa, não tem pulso, não tem ideias, é uma nulidade. Fosse ele um líder nato e não estaria onde está.

De facto, para o cargo que ocupa, não encontrariam mesmo outro idiota melhor!