sábado, junho 25, 2011

Mikhail Gorbachov, político das causas nobres



Texto escrito a propósito do "Concelho de Estado" em Arcos de Valdevez para a Agência Lusa. Infelizmente, Milkhail Gorbachov não esteve presente por motivos de saúde:

"Os adversários políticos de Mikhail Gorbachov criticam-no quando faz publicidade a pizzas ou malas de viagem, mas o antigo Presidente da União Soviética responde que o objetivo é conseguir meios para apoiar causas nobres.
Depois de ter abandonado o cargo de Presidente da URSS, em dezembro de 1991, Gorbachov criou uma fundação com o seu nome, que realiza um intenso trabalho de investigação histórica, nomeadamente no campo da publicação de documentos relativos à história da “perestroika”, processo de reformas ocorrido na URSS entre 1985 e 1991.
Gorbachov, que este fim de semana é homenageado em Arcos de Valdevez, participa também numa série de programas humanitários e ecologistas na Rússia e no estrangeiro.
Em 1993, Gorbachov criou, na Suíça, a Cruz Verde Internacional, análoga da Cruz Vermelha, mas no campo da ecologia.
A organização coloca como objetivos: “prevenir e resolver conflitos que surjam devido à deterioração da situação ecológica, prestar ajuda às pessoas que sofram devido a consequências ecológicas de guerras, elaborar normas jurídicas e éticas que se tornem a base da criação de um mundo ecologicamente seguro”.
A mulher do reformador soviético, Raísa Gorbachova, morreu de leucemia. Gorbachov decidiu criar uma Fundação para financiar o tratamento de crianças com cancro e investigação no combate a essa doença.
Entre 2006 e 2010, conseguiu juntar mais de 10 milhões de euros que foram empregues na aquisição de aparelhos modernos para dois hospitais pediátricos em Moscovo e São Petersburgo (este último com o nome de Raísa Gorbachova).
Parte do dinheiro foi entregue à Fundação Marie Curie, organização que se dedica a combater o cancro.
Iniciador da liberdade de imprensa na União Soviética, Gorbachov apoia alguns órgãos de informação independentes na Rússia, nomeadamente o jornal Novaya Gazeta, onde trabalhou Anna Politkovskaia, conhecida jornalista assassinada em 2007.
Mikhail Gorachov está também na origem do Fórum da Nova Política, organização criada em 2010 com vista à análise informal dos problemas internacionais.
A primeira assembleia do FNP realizou-se em Outubro do ano passado na Bulgária."

19 comentários:

Manuel Goncalves disse...

Grande homem,grande homem,grande politico e grandes politicas que sem medo deram origem a Perestroika e a mostrar ao mundo o que era a verdadeira realidade do comunismo,antes de Gorbachov a URSS era um paraiso,sem miseria e pobreza onde todos eram felizes depois viu-sse que a realidade era completamente diferente.

Anónimo disse...

Gorbachov é um grande estadista.



E sempre será lembrado no mundo CIVILIZADO como homem de causas nobres e democrata.

Jest nas Wielu disse...

Apenas a história poderá julgar este homem, que acabou com o império agressivo, mas que cometeu alguns erros (e até crimes) neste percurso: massacre de Tbilisi (9 de Abril de 1989), Janeiro Negro em Baku (19-20 de Janeiro de 1990), Vilnius (11-13 de Janeiro de 1991), Riga (13-27 de Janeiro de 1991), etc. Claro, o número das vítimas mortais em estes 4 eventos não altrapassa 200 pessoas, não é nada pelas “normas” soviéticas, mas é muito para aquilo que é normal na Europa / Ocidente...

Graça disse...

Gorbachov é será sempre uma boa referência na História.

Anónimo disse...

Os homesm são seres humanos enraizados em contextos sociais e políticos. Também Gorby terá, como diz um comentário, cometido alguns crimes que enumera. Mas a grande diferença é que há homens que seguem a história mas Gorby teve o grande e imortal mérito de encetar um caminho para fora desse contexto, modificando a história.

Inácio Cristiano disse...

Ao Jest nas Wielu,

E qual foi o grande estadista de grandeza universal que hoje os anais da História a ele se referem, que não tivesse cometido erros, quiçá crimes horrendos tambem?

A actual matriz euro-mundial advem da Revolução francesa desde à quase 300 anos, que significou um grande passo em frente para a humanidade, mas que tambem fez correr rios de sangue tanto aos que a defendiam, como aos que se lhe opunham.

Gorbachov ... SÓ LIBERTOU milhões de reclusos... principalmente de consciência e de cultura civica e humana.
Ainda hoje... continua a libertar!

No sec. XX, três sistemas dinamicos relevantes tiveram inicio, dois deles concluiram-se, o outro passou para o sec.XXI e ainda é uma incógnita o modelo da sua extinção.
Um dos sistemas conclui-se pela acção heroica dos povos da Europa e dos EUA contra a hegemonía nipónica-nazi/alemã. O outro sistema concluiu-se pela queda do muro de Berlim, e posterior acção de M.Gorbachov e povos colonizados pela URSS.
Quanto ao sistema por concluir:
Refiro-me naturalmente ao confronto que advirá da politica chinesa "Um Partido, dois sistemas"... mas para este novo paradigma da construção da "grande verdade" na dialectica materialista
marxista... nem com meia duzia de Gorbachovs se resolve a equação!

Nazaré Oliveira disse...

Olá, Zé Milhazes!
Obrigada por este artigo sobre Gorbachov que vou partilhar no meu blogue.
Ainda há pouco cheguei do café, onde estive com um grupo de alunos meus do 12º, a esclarecer dúvidas para o exame nacional a História, amanhã, e falámos, entre outras coisas, desse estadista e da sua perestroika.
Bj e cont de felicidades por essas terras que adorava conhecer.
Nazaré Oliveira

Jose Milhazes disse...

Nazaré, venha à Rússia, vale a pena!

Jose Milhazes disse...

Caro Jest, Gorbatchov cometeu erros, mas não crimes. Não está provado que foi ele que deu a ordem para a realização dos crimes citados. Eu não faço dele nenhum santo, pelo contrário, fui sempre muito crítico para com a sua política, principalmente na era em que ele dirigia a URSS, mas hoje compreendo que era muito difícil conduzir o país naquela altura.

Anónimo disse...

Concordo com o Milhazes.

Jest nas Wielu disse...

Estimado Sr. José, muito pelo contrário, agradeço o seu artigo (e todos os outros artigos), e é por isso que disse na minha nota que apenas a história o poderá julgar...

Recomendo bastante ver a “Colecção GULAG” de 50 pinturas do Nikolay (Mykola) German:
http://www.jamestown.org/aboutus/getmanpaintings/getmancatalog

Francisco Lucrécio disse...

««««Gorbachov ... SÓ LIBERTOU milhões de reclusos... principalmente de consciência e de cultura civica e humana.
Ainda hoje... continua a libertar!»»».

Não estará errado nas contas?

Nos anos 70 a população prisional(delito comum incluidos) na URRS era cerca de 1/3 inferior à dos EUA.

+- 300 m pra + de 450 m.

Portanto Gorbachov não podia ter libertado milhões.

Além disso informe-se quando foi que acabaram os campos de trabalho.

Jest nas Wielu disse...

Rectificação 16:25...

Recomendo bastante ver a “Colecção GULAG” de 50 pinturas do Nikolay (Mykola) Getman:
http://www.jamestown.org/aboutus/
getmanpaintings/getmancatalog

Zhirinovsky disse...

Mikhail Gorbachov é um fracassado, diretamente responsavel pela queda da União Soviética, com suas reformas políticas inúteis, que afundou a Rússia em um buraco!

Graças á este homem, a Rússia passou por sérias dificuldades entre 1991 e 1999, até a chegada ao poder de Vladimir Putin!

Mikhail Gorbachov deveria desaparecer da cena política russa, suas ações em nada acrescentam para o fortalecimento das instituições russas!

Gorbachov é o pior estadista que adentrou no Kremlin e será lembrado no mundo civilizado por suas reformas fracassadas que só vieram trazer dor, fome e sofrimento ao povo russo entre 1991 á 1999!

Gorbachov é e sempre será uma péssima referencia para a história!!!


Se Gorbachov não tivesse chegado ao poder, hoje a Rússia seria uma potencia econômica, maior que a China!

Graças á Gorbachov, hoje o mundo tem que assistir aos crimes de guerra praticados pelo Capitólio, que sem uma oposição forte, rege sua politica externa á custa de milhares de mortos no Iraque, Afeganistão, Líbia e até no Paquistão, com seus drones "PREDATOR" dizimando mulheres e crianças em vilarejos perto da fronteira com o Afeganistão!

Inácio Cristiano disse...

Caro Francisco Lucrécio,

"Portanto Gorbachov não podia ter libertado milhões.

Além disso informe-se quando foi que acabaram os campos de trabalho"

-Ainda hoje no Cambodja, se pretende condenar os responsaveis por 3 milhões de vitimas que nos anos 70s foram sacrificados no altar dos marxistas leninistas.

-Os filhos dos assassinados pela nomenklatura dos"Quemer vermelhos" talvez possam aspirar (não à justiça minima, porque essa é impossivel)mas à exorcizão dos seus antigos fantasmas... devido talvez à acção (indirecta) de M.Gorbachov!

-Caro F.Lucrécio, se os subordinados de Béria eram recrutados e escolhidos por serem os melhores entre pares na consagração da ideologia comunista!
Que nome lhes atribuia, á luz da justiça dos Direitos Humanos, em função dos seus procedimentos para com os próprios concidadãos, como referido pelo Jest nas Wielu ao mencionar algumas obras literárias que descrevem os gulags?

-Eu não tenho a minima duvida que eles erem comunistas de 1ª linha, senão não estariam naquelas funções

-Penso que somos contemporaneos de Sakarov e de A.Soljenitsine... e de Putin e sua Corporação!!!

(temos que estar atentos, às vezes a história se repete... com alguma sofisticação)

Anónimo disse...

Zhirinovski,

Está a ser irónico? Pois é cómico ainda mais com este nome "Zhirinovski" (ultradireitista russo?).


Nuno

Francisco Lucrécio disse...

Inácio Cristiano:

Se prestou atenção, eu intervim para desfazer uma incorreção sua. Procurei repor a verdade quando afirmou que Gorbachov libertou milhões de presos de consciência. Que é falso.

A sua resposta sumou outras casos completamente descontextatualizados do assunto em questão.

Se pretende discutir as situações que apresentou,estou disponivel com todo o empenho para os aprofundar-mos com rigor.

Quanto ao Marxismo/Leninismo que pelos vistos lhe causa alguns engulhos. Pretendo lembrar-lhe que os seus apaniguados e muito respeitados neoliberais perante a presente crise não lhes restou outra alternativa que deitar mão aos ensinamentos de Marx para resolverem o embroglio em que se meteram (e continuam metidos). Para salvar o sistema tiveram que engolir o sapo das nacionalizações. É ou não verdade?

Só que no capitalismo coletivizam-se os prejuizos e privatizam-se os lucros.

Quanto a trazer Béria para a baila, compreendo perfeitamente o seu objetivo. Tratasse de um instrumento de propaganda anti-comunista perfeito não é?

Será preciso lembrar-lhe o genocidio dos Indios? A destruição de Dresden e Hamburgo? Hiroshima e Nagasaki? A condenação à morte do casal Rosemberg? A segregação racial que durou até finais da decada de 60? Chile? O Vietname? O Iraque? O Afegnistão? A Líbia hoje?



Quanto aos Khmer Vermelhos. Sabe quem os afastou do poder no Camboja e mostrou ao mundo as atrociadades cometidas por o regime de Pol Pot, Khieu Samphan e Ieng Sary? De certeza que sabe. Até é provavel que também saiba que Wilfred Burchet entrou em Phom Penh com as tropas libertadoras no dia 7 de janeiro de 1979.

Só que o seu papel é igual ao de muitos outros. Não dizer a verdade.

Talvez saiba ainda que o congresso dos EUA no ano de 1985 concedeu uma ajuda de 5 milhões de dolares à coligação (Khmer incluidos) que lutava contra o governo de Heng Samri apoiado por os Vietnamitas? Aliás esses grupos tinham os santuários na Tailândia, um forte aliado dos Americanos.

Também é daqueles que julga que há criminosos bons e maus?

Francisco Lucrécio disse...

Zhirinovski: Nem sempre estou de acordo em muito daquilo que escreve. Mas sobre Gorbachov partilho inteiramente as suas opiniões.

Estão aqui a tentar fazer uma analise completamente invertida de Gorbachov, avaliando o seu comportamento a partir de fora para dentro. Ora quem tem o direito em primeiro lugar de dizer quem é Gorbachov, é o povo Russo. E qual é a avaliação que os Russos fazem de Gorbachov? Qual o grau de simpatia que merece do seu próprio povo? É insignificante, praticamente zero. O que se está aqui a “cozinhar” é uma autentica falta de respeito para com a grande maioria dos Russos.

Sabemos muito bem quem o apoia e lhe faz as honrarias em grandes festas de homenagem, por esse mundo fora, como recentemente aconteceu aqui em Portugal.



Os conflitos a nivel mundial diminuiram? A Rússia está hoje menos sujeita a ameaças externas? A NATO moderou-se em termo expansionistas? No ex-espaço Soviético vivesse melhor? Há mais desenvolvimento?

Gorbachov foi outro Quisling, destruiu o país dele e contribuiu para piorar tudo quanto não estava bem no mundo.

Ainda hoje se fanfarronei-a com os atos que praticou contra o seu país. Diz que foi tudo minuciosamente preparado.

Inácio Cristiano disse...

Ao Francisco Lucrécio,

Com a devida vénia, transcrevo parte de uma crónica de B.Bastos reconhecido progressista, cuja verticalidade é inquestionavel, editada em 1 de julho de 2011 com o titulo "O horror em que vivemos"

"""O século XX assistiu ao que Hannah Arendt classificou de "a banalidade do mal."

A violência extrema, a barbaridade sem nome, consubstanciada nos campos de concentração nazis e no projecto "solução final"; mas, também, nos gulagues estalinistas, nas perseguições aos dissidentes, no aniquilamento de quem não aceitasse as normas impostas - todo esse desfile de horrores forneceu-nos a imagem do que o homem é capaz. Porque foram homens, e não monstros, como nos quiseram inculcar, os autores das maiores atrocidades de que reza a História.

Os processos inventados e aperfeiçoados para a destruição do humano são arrepiantes. E este século XXI parece não amainar o ódio e o terror. Contra esta onda de perversidades ergue-se, um pouco por todo o lado, a contestação daqueles que não aceitam este mundo. Os partidos, incendiados pela corrupção e minados pelos interesses cavilosos que defendem, sofrem uma erosão nunca vista. A crise estrebuchante do capitalismo, a batalha pela hegemonia planetária e a consequente oposição das nações e dos povos são características assustadoras desta época. """
Artigo, com o qual estou completamente de acordo - I.C.)

Bem hajam os lúcidos, honestos, corajosos e atentos jornalistas que devido à sua riqueza de espirito, ainda semeam a esperança para os homens livres, pela coragem que tém ao apontar tudo aquilo que de nefasto os politicos vão construindo na subjugação dos seres humanos.

Melhores cumprimentos,
I.C.