sexta-feira, novembro 25, 2011

Partido de Vladimir Putin pode perder maioria constitucional – sondagens

O Partido Rússia Unida, dirigido pelo primeiro-ministro Vladimir Putin, poderá perder a maioria constitucional na câmara baixa do Parlamento Russo, mas manter a maioria relativa, apontam sondagens hoje publicadas por centros de estudo de opinião pública.

Segundo o estudo do Levada Center, o Partido Rússia deverá conquistar, nas eleições parlamentares de 4 de dezembro, 53 por cento dos votos, o que lhe dará 252 assentos na Duma Estatal, câmara baixa do Parlamento da Rússia.

Em comparação com o escrutínio de 2007, o partido de Putin poderá perder cerca de 60 deputados.

Nas eleições de 2007, o Rússia Unida conquistou 64,3 por cento dos votos e 315 dos 450 deputados eleitos, o que lhe permitia fazer alterações constitucionais. Por exemplo, o mandato do Presidente da Rússia passou de 4 para 6 anos e o da Duma Estatal de 4 para 5.

O segundo lugar pertencerá ao Partido Comunista da Federação da Rússia, que conseguirá 20 por cento dos vostos, sendo seguido do Partido Liberal Democrático (nacionalista) com 12 por cento e do Partido Rússia Justa (centro-esquerda) com 9 por cento.

As restantes três forças políticas que participam no escrutínio: Partido Iabloko (liberal), Causa Justa (centro-direita) e Patriotas da Rússia (centro-esquerda) não deverão conseguir mais do que um por cento dos votos.

Só terão representação parlamentar, as forças políticas que superarem a barreira dos 7 por cento.

Outra sondagem, desta vez do Instituto de Estudo da Opinião Pública (VTSIOM), aponta que o Rússia Unida poderá conquistar 53,7 por cento dos votos e 262 dos 450 mandatos.

O Partido Comunista conseguirá 16,7 por cento, o Partido Liberal Democrático – 11,6 por cento, o Rússia Justa 10 por cento.

Quanto aos restantes três partidos, o Iabloko poderá conquistar 2.9 por cento, o Causa Justa – 1,7 por cento e o Patriotas da Rússia – 1,6.

Se estas previsões se concretizarem, o Partido Rússia Unida verá a sua presença na Duma reduzida de 315 para 262 mandatos; o Partido Comunista aumentará de 57 para 82; o Partido Liberal Democrático crescerá também de 40 para 57 e a Rússia Justa subirá de 38 para 49 mandatos.

O mesmo estudo aponta uma afluência às urnas da ordem dos 58 por cento dos inscritos.

Hoje é o última dia em que é permitido publicar sondagens antes do acto eleitoral de 04 de dezembro.

11 comentários:

Anónimo disse...

aponta que o Rússia Unida poderá conquistar 53,7 por cento dos votos e 262 dos 450 mandatos.


ue essa eu nao saquei. como ele pode ter apenas 53,7? sendo que o numero de assento sera de 262? para chega ao 50% deveria ser pelo menos ter pelo menos 500 cadeiras nao? ou seja a oposição tera apenas 188 cadeiras contra as 262 do putin. isso se nao tiver errado eu ainda acho que uns 280 do r.u serao conquistadas

Jose Milhazes disse...

Anónimo, não fui eu que realizei as sondagens, mas publiquei duas para ver que há alguma diferença entre os resultados. O principal é que o Partido de Putin pode levar um cartão amarelo, não obstante a campanha eleitoral ser muito tendenciosa, a favor do Kremlin.

Jest nas Wielu disse...

Kadyrov e arredores vão dar ajudinha com 101-105% à favor do partidão...

Zhirinovsky Iskander! disse...

Se Vladimir Putin assumir a presidencia e não tiver a maioria no parlamento, é só dissolve-lo!

Quem manda no país é o presidente, e ninguem mais!

Europeísta disse...

Não vai ter aquelas votações de sempre com 80% ou 90% dos votos?

Wandard disse...

Bem, se for pela matemática é 58, 2%. Vamos ver o resultado final, também acho que vai ser mais. Estas pesquisas di Institutio levada nunca batem com a realidade.

Ricardo disse...

Pessoal sempre reclama que o Putin não respeita a democracia, que é autoritario e bla... bla.. bla..., queria só ver se o pertido comunista ou o nacionalista (que são os que tem mais votos depois do partido da Rússia Unida) ganhasse e impusesse a suas linhas duras de governo, seria muito pior para Europa Ocidental.

Europeísta disse...

O partido Liberal-democratico é nacionalista? Nada a ver esse nome!

Pippo disse...

Para os interessados,

1ª parte da entrevista a Jean-Pierre Arrignon sobre a União Aduaneira Russia / Bielorrússia / Cazaquistão

http://www.realpolitik.tv/2011/03/lunion-douaniere-russie-belarus-kazakhstan-12/

A 2ª parte aqui:

http://www.realpolitik.tv/2011/04/lunion-douaniere-russie-belarus-kazakhstan-22/

Jest nas Wielu disse...

E não só o LDPR; o partido Rodina (Pátira) do nosso amigo Rogozin na UE seria considerado extrema-direita à roçar neo-nazismo...

Anónimo disse...

O Partido Liberal Democrata (LDPR) é conhecido por não ser liberal nem democrata