sexta-feira, dezembro 02, 2011

Blog do leitor (“Juntem as cédulas de votação e tragam-mas”)

Texto traduzido e enviado pela Cristina Mestre

"Um dirigente municipal de Moscovo explicou quantos votos e de que forma a Rússia Unida os vai obter nas eleições

O dirigente da administração municipal do bairro Sokolinaia Gora de Moscovo, Aleksandr Aksionov, exigiu aos directores das empresas da zona que juntassem as cédulas de votação[1] dos seus funcionários e lhos entregassem, para que a Rússia Unida possa obter nas eleições em Moscovo 58%. O jornal Gazeta.ru está na posse da gravação de uma intervenção “à porta fechada” do funcionário na qual ele explica pormenorizadamente como deve ser realizado o plano de recolha de votos para o partido governante, com as respectivas percentagens.
O jornal obteve a gravação audio de um encontro entre o dirigente local e os directores e gestores de empresas do bairro, realizada há duas semanas.  
No início da reunião, o funcionário começa por reconhecer que lhes foi colocada a tarefa de garantir determinado resultado nas eleições para a Duma de Estado, que decorrerão a 4 de Dezembro.
“Existe um determinado objectivo. Tal como vocês colocam objectivos, aqui também é assim…. O plano, pelas previsões, orientem-se aí … que é preciso obter uns 58 %. Seja com propaganda, seja convencendo, ou de outra maneira…. orientem-se para este número. Se for um pouco menos ou mais, não há problema”, explica o funcionário.
De acordo com uma sondagem confidencial do Fundo de Opinião Pública, realizada no início da campanha eleitoral e publicada no jornal Gazeta.ru, a popularidade da Rússia Unida em Moscovo era de 20%.
O funcionário municipal explicou aos participantes na reunião que, desta vez, a afluência dos eleitores às urnas não terá importância.
“A questão da afluência não nos colocaram, por estranho que pareça. Nas eleições passadas colocavam sempre /o objectivo/ quanto à afluência. Mas agora, se se conseguir 58, a afluência será normal. Temos que partir da percentagem a favor da Rússia Unida e, assim, haverá afluência. Depois, os outros partidos também conseguirão alguma coisa e deve haver afluência. É assim que tem que ser, pela lógica”, raciocina o dirigente na reunião.
Depois ele passa directamente ao esquema a ser utilizado nas eleições para ajudar o partido governante.
“Agora vamos ao que nós precisamos de ajudar. Vocês todos têm nas empresas pessoas que vão trabalhar nesse dia. Ou então não vão mas são vossos trabalhadores. Ou então trabalharam mas saíram. Nós pedíamos que nos dessem essa listazita à comissão, à secção do mercado de consumo, dar à Serioguina. Nessa lista incluir todas as pessoas que vão trabalhar nesse dia mas não vão votar”, explica o funcionário. “Se alguém não mora no concelho, é de outro concelho ou de fora da cidade, então ele tem que arranjar a cédula de votação….. Então vocês juntam essas cédulas e trazem-nas, que nós tratamos delas. Se os vossos subordinados reconhecerem que tencionam votar da Rússia Unida, então não é obrigatório entregar-nos as cédulas. Um segundo momento: incluam na lista as pessoas que saíram, que se despediram. Ninguém tenciona verificar isso ou pegar em vocês por isso. Todos os que for possível juntar entreguem à comissão. Nós já combinámos com a comissão, ela vai trabalhar neste sentido. De preferência fazer isso até segunda-feira”.
Segundo o funcionário, se cada director de empresa incluir na lista 5-10 pessoas, isso garantirá o necessário resultado.
“Para nós cada pessoa é importante. Não é preciso afluência, ela crescerá dos nossos…. Ora se for 10 vezes 10 já é 100; 100-200 já é 1%, de baguinho em baguinho”.
O funcionário até foi saber à igreja se estaria a proceder bem.
  “O prior da igreja, o bispo Akeksandr, deu-vos a bênção para fazerem boas acções. Juntem /os trabalhadores/ em grupos de 5-10 pessoas e tentem pedir e convencer para que votem na Rússia Unida. Os que forem neutros ou não saibam se vão ou não, há que os convencer para que vão e votem na Rússia Unida. É um pedido meu, eu até sou secretário do conselho político da Rússia Unida do concelho, e porque o presidente da Câmara Municipal, Serguei Sobianin, é líder do partido em Moscovo”
(….)



[1] N.T: certificados que os eleitores russos obtêm antes das eleições quando, por motivos de trabalho ou de saúde, precisam de votar fora do seu local de recenseamento. "

9 comentários:

Pippo disse...

E como é que os votos são depositados nas urnas? São enviados por envelope, como os votos dos nossos militares destacados, por ex.?

Não vejo outra forma de se votar de forma fraudulenta, a não ser que nas mesas só haja gente de um partido político, ao contrário do que se passa por cá onde a malta fiscaliza os votos, fiscaliza-se uns aos outros, e há sempre alguém do PCP nas mesas (quer queiramos quer não, os comunistas são uma "máquina" e nisto das eleições eles não brincam em serviço).

Fraudes ou não aparte, há que destacar uma coisa: numa Rússia "ditatorial", etc & tal, parece que, afinal, sempre há liberdade de imprensa.

Jose Milhazes disse...

Caro Pippo, o PC tem um grande número de observadores, é verdade, mas, em eleições anteriores, apresenta provas de falsificação, bem como outras políticas, mas tudo morre nos tribunais.
Quanto à liberdade de imprensa, há, mas na Internet e nalguns jornais que apenas são lidos em Moscovo e São Petersburgo. Os canais de televisão nacionais, que são os mais vistos em todo o país, são o melhor exemplo da "liberdade de expressão", pois ela é só para Medvedev e Putin. Daí a campanha eleitoral ser muito semelhante a uma farsa.
É mais do que evidente a supremacia do Rússia Unida e as queixas nos tribunais só têm sentido se eles são independentes.

MSantos disse...

Já vi muitos artigos bastante incómodos para o governo russo, na RIA NOVOSTI.

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

Pois, independência dos tribunais... é para esse tipo de "independência" que cada vez mais caminhamos por cá.

Enquanto um tipo que descarregava material de net levou com uma pena de prisão, imediatamente efectivada, outros "camaradas", políticos ou ex-políticos, vêm os seus casos arrastarem-se até à prescrição final.

Zhirinovsky Iskander! disse...

O sr. José Milhazes pode postar quantas notícias quiser sobre as "possíveis" fraudes que estas eleições da DUMA e para PRESIDENCIA serão.

Mais, se servir de consolo, estes posts são completamente inúteis, pois ao invés de digrinir a imagem do meu partido "Russia Unida", está dando mais popularidade para o mesmo!

Mais a verdade é que em 2012 "O Lider" estará na mesa do Kremlim para mais uns 6 mandatos consecutivos...

Quem viver, verá!

PEDRO disse...

Quer queiramos quer não as eleições são sempre manipuladas, que na Rússia quer em outros países.

Na América em 2004 o Bush perdeu as eleições nas urnas e foi eleito presidente. Quem perdeu, o Jonh Kerry, e os democratas pouco se importaram pois lá o sistema politico obdeçe a certas agendas definidas por detrás das cortinas, e por organizações pouco recomendáveis como a Reserva Federal e o CFR.

Por cá também temos uma grande democracia, onde tudo é limpinho e cristalino.
Lembro-me na sexta antes das ultimas legislativas onde aparecia na capa de uma "conceituada" revista semanal as trombas do Passos e do Sócrates lado a lado e uma frase dizendo "AGORA ESCOLHA".
Então e os outros? As opções são mais do mesmo sempre.

E isto para não falarmos das sondagens que adulteram completamente e distorcem a intenção de voto para este ir sempre parar ao mesmo cartório PSD/PS em que já sabemos que teremos mais do mesmo por mais 4 anos, tal como a dupla Medvedev/Putin.

João M. disse...

Sr. Zhirinovski
Aprecio a sua confiança nos próximos 6 mandatos do seu "líder" mas deixe-lhe dizer que a sua postura não ajuda a melhorar a imagem do seu país, pelo contrário. Todos nós sabemos ( e sabíamos há muito) que Putin voltaria ao Kremlin e que tenciona ficar por lá uns bons anos. Isso, naturalmente agradará àqueles que beneficiam com o sistema, à elite dominante, aos milionários amigos de Putin, aos que ganham fortunas a prestar serviços ao partido do poder. Agora não me venha dizer que é uma escolha do povo, porque não é. Um povo pressionado e manipulado não escolhe, submete-se e resigna-se (enquanto não o deixam revoltar-se). Tal como nos tempos da União Soviética, em que também havia eleições, votava-se no PCUS porque era isso que era dito às pessoas para fazer..... Parece que as diferenças entre esses tempos e os actuais não são muitas, aparte de agora haver uns partidos para dar a ideia que há democracia. A população russa não vota no verdadeiro sentido da palavra, não escolhe, limita-se a cumprir o guião ideado pelo marketing político do partido governante. Não chamem a isso democracia, porque não é. E mesmo que digam que não precisam de democracia, acreditem que seriam um país muito mais próspero, desenvolvido e respeitado se a tivessem.

Fada do bosque disse...

E temos aqui a Federação Russa cada vez mais parecida com o ocidente... o tal da "democracia"!

O senado americano votou e o presidente Obama ratificou o extinção da Bill of Rights – aquilo que fazia a America ser o país mais “livre” do mundo. Na maior jogada da Nova Ordem Mundial no momento, o significado disso é que tanto estrangeiros quanto os próprios americanos agora podem ser capturados, presos, torturados e mortos pela FEMA, NSA e militares, sem que estes prestem quaisquer esclarecimentos ou apresentem justificativas.

A jornalista americana, de forma muito perspicaz, traduziu o discurso feito por Obama onde ele falava sobre o ocorrido e a implantação da prisão preventiva por tempo indefinido. O video abaixo conta os detalhes. Infelizmente disponível somente em inglês

Aqui está a razão porque o governo português ilegalmente, cedeu os dados biométricos dos portugueses aos USA... e claro, já deu os seus frutos.

http://www.youtube.com/watch?v=8mPZlysCAm0&feature=player_embedded#!

Fada do bosque disse...

Entretanto a engenharia social da Nova Ordem Mundial vai de vento em popa, infelizmente.