sexta-feira, março 02, 2012

Rússia/Eleições: Muitas promessas e músculos na campanha de Vladimir Putin


          ***José Milhazes, Agência Lusa***

Moscovo,  mar (Lusa) – A campanha eleitoral do primeiro-ministro e candidato a Presidente da Rússia,  Vladimir Putin, foi, sem dúvida, a mais agressiva de todas as campanhas por ele realizadas.
Vendo-se perante a maior onda de contestação por parte de vários setores da oposição, Putin decidiu responder com as mesmas armas dessa oposição, ou seja, com a organização de grandes manifestações em seu apoio.
O auge da campanha teve lugar no Estádio Olímpico de Moscovo, onde ele discursou perante cerca de 130 mil apoiantes seus.
Putin recorreu às guerras que a Rússia teve de manter em  1812-1814 contra Napoleão e de 1941-1945 contra Hitler para “aquecer” o auditório”, transpondo essa retórica para os dias atuais e apelando à oposição para que deixe de trair a pátria.
“"Peço a todos que não olhem para o estrangeiro, não andar às escondidas e não trair a pátria, mas estarem juntos connosco, trabalhar para ela e para o povo", exclamou, sendo estas palavras recebidas com gritos de apoio.
E terminou com um grito guerreiro: "O combate pela Rússia continua. A vitória será nossa!".
Os principais canais de televisão russos encarregaram-se de ilustrar as acusações de traição: as organizações não governamentais que criticam o poder foram acusadas de serem financiadas pelos Estados Unidos e Serguei Mironov, dirigente do Partido Rússia Justa, de dirigir uma fundação russo-americana de combate à SIDA que é financiada pelo empresário e filantropo George Soros.
O seu programa no campo da política externa não agoira melhorias nas relações entre a Rússia e os Estados Unidos.
“Os norte-americanos estão obstinados com a ideia de obter a segurança absoluta dos Estados Unidos, algo utópico e irrealizável tanto no plano tecnológico, como geopolítico, e isto é precisamente a essência do assunto”, escreveu Putin.
Essa retórica foi também acompanhada de um rol de promessas a praticamente todas as camadas da sociedade russa: aumentos de salários, reformas, apoio a famílias numerosas, grandes investimentos na indústria militar, combate à corrupção.
Resta esperar como é que Vladimir Putin irá gerir a sua vitória, como irá responder aos protestos da oposição depois do escrutínio de 04 de março.

38 comentários:

Europeísta disse...

Eu acho engraçado a maneira como os russos se apegam as guerras de Napoleão e Hitler. Esses só não dominaram o país graças ao seu inverno rigorosíssimo, fora isso, os franceses e alemães entraram no país sem nenhuma dificuldade. Teriam dominado-o facilmente se nao fosse o inverno. Acho que o inverno russo deveria ser considerado "herói nacional".

FAB-1980 disse...

Foi uma grande campanha!!! Irei acompanhar todos os eventos assistindo a RT pela internet e a CNN pela Tv!

São dois canais de comunicação distintos, que tem opinião completamente diferente! Enquanto a CNN é imparcial e defende os interesses americanos, a RT é totalmente ao contrário.

Wandard disse...

Com inverno ou sem inverno a Alemanha foi esmagada. 3/4 do exercito nazista sucumbiu nas mãos do exército vermelho já faz parte da história e não há como ser mudado.

Голос революции disse...

VIVA A RÚSSIA, SUA HISTÓRIA GLORIOSA SOB O TEMPO DA UNIÃO SOVIÉTICA, SUAS CONQUISTAS NO CAMPO TECNOLÓGICO, CIENTÍFICO, MILITAR ENTRE OUTROS!!!

VIDA LONGA Á SUKHOI,MAPO-MIG, TUPOLEV, YAKOLEV, VYMPEL (R-27, R-77 MISSILES), KBM (ISKANDER), ALMAS/ANTEY (S-300 E S-400), AO INSTITUTO DE TECNOLOGIAS TERMAIS DE MOSCOW (TOPOL-M/BULAVA, Á URALVAGONZAVOD (T-90), AOS ESTALEIROS NO MAR DO NORTE, MAR BÁLTICO E KALLININGRADO E AO SISTEMA GLONASS!

Anónimo disse...

"Com inverno ou sem inverno a Alemanha foi esmagada. 3/4 do exercito nazista sucumbiu nas mãos do exército vermelho já faz parte da história e não há como ser mudado."

Os Alemães estavam em guerra practicamente sozinhos a lutar contra os EUA, maior economia e império financeiro da época, contra os Soviéticos, regime militar em que as pessoas eram escravos e não seres humanos, com o maior exercito e contra o maior império da época o Britanico

Tendo em conta tudo isto, nem sei como a Alemanha resistiu tanto tempo

A URSS perdeu quase 30 milhões de pessoas!! ganhou a guerra em conjunto com as potências ocidentais.A destruição foi de tal forma que a Rússia nunca mais recuperou demográficamente da Guerra

Ao nivel de perdas que a URSS estava a ter em batalha não tinha aguentado muito mais tempo se os ocidentais não tivessem aberto outra frente em França e não suspendessem a produção militar Alemã pelos bombardeamentos

não tinha aguentado muito mais tempo porque deixava de haver tropas porque os Alemães TRAARAM TODAS AS BATALHAS EM SUPERIORIDADE TACTICA, isto é mesmo quando perdiam, os sociéticos perdiam mais homens!!!

Wandard disse...

Primeiramente A invasão através do canal da Mancha no verão de 06 de julho 1944, sob o nome de código de “Operação Overlord” foi indubitávelmente um evidente feito de planejamento militar, envolvendo recursos e efetivos humanos enormes.O comandante alemão Rundstedt queixava-se a companheiros íntimos que a muralha nada mais era que um gigantesco blefe, uma "muralha de propaganda". Ele acreditava que os invasores tinham de ser batidos prontamente enquanto ainda estivessem nas praias, e empurrados de volta ao mar. Isto requeria forças blindadas móveis, e não defesas estáticas. Infelizmente, Rundstedt sabia que suas forças estavam enfraquecidas e eram em geral de má qualidade.
"A maior parte das tropas estacionadas na França era ou de idade avançada, de jovens sem treinamento ou ainda de alemães étnicos (Volksdeutsche) do leste da Europa. Havia até mesmo prisioneiros de guerra soviéticos - armênios, georgianos, cossacos e outros grupos étnicos - que odiavam os russos e queriam livrar suas terras natais do comunismo. O armamento das divisões costeiras era de segunda classe, em boa parte de produção estrangeira e obsoleto."
Alarmado diante da perspectiva de uma invasão da França pelos Aliados, Hitler despachou seu mais famoso cabo-de-guerra, o lendário Marechal-de-Campo Erwin Rommel, ex-comandante do Afrikakorps, para avaliação das defesas costeiras. O alto-comando germânico esperava beneficiar-se da experiência de Rommel e de seu sólido conhecimento técnico. E também alimentava a esperança de que sua presença acalmaria o público alemão e inquietaria os Aliados. Mas Rommel chocou-se com a relativa debilidade das defesas alemãs, e particularmente diante da ausência de efetivas forças combatentes.
"Rommel desencantou-se com o que encontrou. De tão chocado pela falta de um plano estratégico geral, por fim desconsiderou completamente a idéia da Muralha do Atlântico, julgando-a uma fantasia da imaginação de Hitler e chamando-a de uma Wolkenkucksheim ou conto-da-carochinha. Considerou inadequadas as tropas que viu e classificou a marinha e a força aérea de quase inúteis. A Luftwaffe não podia reunir mais de 300 aviões de combate em condições de enfrentar os milhares de aviões britânicos e americanos que esperava cobrissem os céus por sobre as praias; a marinha dispunha apenas de uns poucos navios.A despeito das pesadas perdas nas praias da Normandia, uma vez as forças britânicas e americanas desembarcadas, o resultado foi uma conclusão inevitável. As forças alemãs eram demasiado débeis e não estavam em condições de oferecer efetiva resistência. A razão para o lamentável estado de coisas é clara. Hitler tinha drenado as reservas baseadas na França a fim de compensar as pesadas perdas na frente russa.
Os desembarques na Normandia constituíram uma operação militar impressionante e dispendiosa, mas não pode ser comparada ao porte das ofensivas do Exército Vermelho no leste. Isto é por demais evidente para qualquer um com o mais leve conhecimento da condução da guerra, sem excluir os comandantes aliados e os governantes que eles representavam. Em agosto de 1942, o Estado Maior Americano produziu um documento que afirmava:
"Na II Guerra Mundial, a Rússia ocupa posição dominante e constitui um fator decisivo na expectativa da derrota do Eixo na Europa. Enquanto na Sicília as forças da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos enfrentam duas divisões alemães, a frente russa conta com aproximadamente 200 divisões. A qualquer tempo que os Aliados abram uma segunda frente no continente, ela será decididamente uma frente secundária em relação à da Rússia; esta continuará a representar o peso principal. Sem a Rússia na guerra, o Eixo não pode ser derrotado na Europa, e a posição das Nações Aliadas torna-se precária.

Wandard disse...

A verdade é que a guerra contra Hitler na Europa foi travada principalmente pela URSS e o Exército Vermelho. Durante a maior parte da guerra os britânicos e americanos foram meros espectadores. Em seguida à invasão da União Soviética no verão de 1941, Moscou solicitou reiteradamente a abertura de uma segunda frente contra a Alemanha. Mas Churchill não tinha pressa em atender. As razões para isto eram tanto militares quanto políticas.
As políticas e táticas das classes dirigentes britânicas e americanas na II Guerra Mundial não eram de forma alguma ditadas pelo amor da democracia ou ódio do fascismo, como a propaganda oficial pretende fazer-nos acreditar, mas por interesses de classe.
Quando Hitler invadiu a URSS em 1941, a classe dirigente britânica calculou que a União Soviética seria derrotada pela Alemanha, mas no seu desenrolar a Alemanha ficaria de tal forma enfraquecida que seria possível lá entrar e matar dois coelhos de uma só cajadada. É provável que os estrategistas de Washington pensassem mais ou menos a mesma coisa.
Mas ambos os planos dos círculos dirigentes da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos eram fundamentalmente falhos. Ao invés de a União Soviética ser derrotada pela Alemanha nazista, a União Soviética resistiu e infligiu uma derrota decisiva aos exércitos de Hitler. A razão para esta extraordinária vitória jamais poderá e poderia ser admitida pelos defensores dos Estados Unidos, As políticas criminosas de Stalin, que foram responsáveis pelo colapso da URSS nos meses iniciais da agressão nazista, bem como os expurgos e perseguições engendrados pelo mesmo no pós-guerra até o seu falecimento em 1953, linkados ao regime comunista e a polarização ideológica da guerra fria, serviram de motivo para que a verdadeira história da Segunda Guerra Mundial, só passasse a ser conhecida após a queda do Muro de Berlin e o colapso da URSS.

Wandard disse...

A verdade é que União Soviética foi capaz de rapidamente recuperar-se e reconstruir sua capacidade industrial e militar. Quando os exércitos alemães foram detidos, a vinte quilômetros de Moscou, 40% da população soviética encontravam-se, sob controle nazista.
Além disso, mais de mil plantas industriais foram desmontadas e transportadas por trem para além do Volga, ocupando vários milhões de viagens de caminhão, juntamente com os trabalhadores e gestores - com suas famílias quando possível, tudo no intuito de evitar que caíssem nas mãos dos invasores nazistas
Estatisticamente o efeito direto da invasão de 1941 foi o de cortar o PNB (Produto
Nacional Bruto) soviético, que fora de 128 bilhões de rublos em 1940, para menos da metade. Milhões de homens foram retirados das atividades produtivas pela convocação de reservas (todas as classes que prestaram serviço militar entre 1905 até 1918) além dos que voluntariamente se apresentaram para o exército e as milícias populares. A interrupção nos fornecimentos de carvão, ferro, aço, laminados, rolamentos, etc, tinha um impacto direto não só no declínio dos indicadores macroeconômicos, mas também no esforço de guerra, reduzindo a produção de aviões, veículos blindados, suprimentos e armas em geral. O deslocamento de fábricas e os esforços de evacuação e reinício da produção fora do alcance alemão consumiram grande número de trabalhadores. O enorme esforço de organizar a produção, compensar as perdas e iniciar novos projetos exigiam, por sua vez uma enorme organização da economia como um todo.

Wandard disse...

Os lugares vagos na produção foram sendo ocupados por contingentes de estudantes e mulheres. As 500 mil mulheres empenhadas em trabalhos fabris juntaram-se outros 510 mil estudantes. Nos campos, a convocação dos homens aptos para serviço militar, a escassez de peças de reposição, máquinas e combustíveis, somadas às exigências de manter a produção, fizeram recair sobre as mulheres e crianças o esforço de manter a produção, embora isso não tenha sido possível.

Wandard disse...

As prioridades militares impuseram aos da retaguarda um duro racionamento que reduziu entre 35% e 40% o padrão de consumo médio. Ao lado da escassez, a elevação dos preços daquilo que se conseguia obter era freqüente. Nas áreas rurais o consumo de batatas expandiu-se, enquanto o consumo de pão foi restrito a 300g por dia. As dificuldades faziam surgir coisas exóticas: na falta de cigarros, vendiam-se tragadas aos transeuntes!Quando a retirada alemã começou a destruição foi ainda mais profunda. Calcula-se que ¼ da propriedade soviética tenha sido destruída então, o que equivalia a algo como 17 mil cidades, 70 mil vilas, 31 mil fábricas, 84 mil escolas, 64 mil km de ferrovias e 45milhões de animais. Milhões viviam em cabanas, buracos ou porões por terem perdido suas residências. Em 1942, 120 milhões de soviéticos consumiam menos do que 48 milhões de britânicos – um inglês recebia uma ração semanal de 600 g de carne, enquanto um escriturário russo tinha que se virar com 250 g. Mais o mais surpreendente, foi que, apesar de tudo isso, a URSS não só sobreviveu como inverteu o curso do conflito.
Apenas em 1941, a URSS produziu 130.000 peças de artilharia, 24.000 tanques e canhões autopropulsados, 29.900 aviões de combate. Os nazistas, com todos os vastos recursos europeus em sua retaguarda, também aceleraram a produção, lançando 73.000 peças de artilharia, 10.700 tanques e canhões de assalto e 19.300 aviões de combate.

Anónimo disse...

Bem, o que o senhor afirma sobre o esforço de guerra soviético é real, de facto, a guérra foi um esforço desumano e sem paralelo na história humana, mas isso só prova o quão absurdo era a vida dos cidadãos da URSS, terem de lutar até à morte por um estado que os oprimia por um ditador psicopata, muito pior que Hitler foi estupido!!

os generais Alemães escreveram muito sobre isso(o senhor pode ler), nenhum exercito moderno estava preparado para travar batalhas com perdas desproporcionadas daquela forma, se os Rússos pudessem escolher nunca teriam feito tanto sacrificio por um regime tão podre, estupido e tirano.

Lutaram pelo paísinho dos povos, é ridiculo

A alemanha ter perdido a guerra foi uma tragédia para a Europa, tudo o que Hitler preveu aconteceu mesmo, a degeneração moral e racial da europa é evidente. Mas isto ainda vai piorar ainda mais, qualquer verdadeiro europeu sabe perfeitamente que o cãos social/económica que se assiste na europa é o resultado do fim dos estados-nação europeus.

Porque acha que a Russia é tão odiada pelos jornalistas curruptos? é que a Rússia pensa pela propria cabeça e anda de cabeça erguida ao contrário do resto dos europeus

Wandard disse...

Como historiador, possuo uma ótica diferente do caro anônimo, não enxergo o mundo por questões raciais ou ideológicas, mas sim por uma questão de equilíbrio. Quando trato do papel da então União Soviética na 2ª guerra, faço-o com a missão de corrigir a versão ocidentalizada que excluiu de forma vergonhosa o esforço dos milhões de vidas dos então cidadãos soviéticos perdidas em virtude da invasão alemã. E com todo o respeito a Alemanha mereceu a derrota que sofreu, as atrocidades cometidas são inômináveis, por mais, qualquer nação, mesmo que possua um poderoso parque industrial sofrerá derrota em uma guerra, caso não possua recursos naturais para suprir a demanda, e neste caso não só a Alemanha, assim como a maioria dos países europeus sofrem desta carência. Se as nações européias hoje se encontram na situação que estão, é por culpa delas próprias, pois atravessaram a história guerreando umas contra as outras, disputando recursos ultramarinos de povos conquistados que com o avançar dos séculos se tornaram independentes e no caso da sua colonia mais orgulhosa, terminaram por se tornar mais fracos e subservientes a esta. Os europeus trilharam o seu caminho por conta própria, afinal foi o velho mundo, a velha Europa que fincou domínios e escravizou povos nos demais continentes e foram os europeus que deflagaram duas guerras mundiais, infelizmente é o curso da história, toda hegemonia tem seu ciclo de duração.

Anónimo disse...

"pois atravessaram a história guerreando umas contra as outras, disputando recursos ultramarinos de povos conquistados que com o avançar dos séculos se tornaram independentes e no caso da sua colonia mais orgulhosa, terminaram por se tornar mais fracos e subservientes a esta. Os europeus trilharam o seu caminho por conta própria, afinal foi o velho mundo, a velha Europa que fincou domínios e escravizou povos nos demais continentes e foram os europeus que deflagaram duas guerras mundiais, infelizmente é o curso da história, toda hegemonia tem seu ciclo de duração"

A guerra não é um monopólio dos Europeus, como é historiador, o Wandard concordará que é um fenomeno que existe desde o inicio dos tempos.

a alemanha mereceu perder a guerra? bem, aqui podemos ter opiniões divergentes, mas sabe Wandard, é muito facil alinhar nessa perspectiva, porque tudo que tem a ver com a Alemanha nazi é diabolizado, nas sociedades ocidentais o mal é equiparado ao nazismo, a maioria das pessoas aceita esta realidade, alguns, os mais inteligêntes têm duvidas mas têm medo de se expressar livremente nestas "sociedades democráticas".

Anónimo disse...

mas, 1 coisa estou em total desacordo consigo, é que os europeus não decidiram nada, quem decide são as elites corruptas, e o resultado está à vista.

O Wandard não tem uma visão racial do mundo, mas repare, essa forma de negar a realidade, não ajuda a resolver os problemas do mundo. Eu acredito em diferênças raciais, tenho a minha raça mas não alinho em ideologias supremacistas, a riqueza é a diversidade humana e isso a globalização/multiculturalismo está a destruir.

E sobre os crimes que a alemanha cometeu eu não seria tão preemptória nessas acusações, todos os povos têm as "mãos" manchadas de sangue, TODOS, sem excepção.

Anónimo disse...

Sr. Milhazes, o senhor tambem vota, ou não dupla-cidadania?

cumprimentos

Pippo disse...

"(...) isso só prova o quão absurdo era a vida dos cidadãos da URSS, terem de lutar até à morte por um estado que os oprimia por um ditador psicopata, muito pior que Hitler foi estupido!! (...) se os Rússos pudessem escolher nunca teriam feito tanto sacrificio por um regime tão podre, estupido e tirano. (...) Lutaram pelo paísinho dos povos, é ridiculo. (...) A alemanha ter perdido a guerra foi uma tragédia para a Europa"

Discordo profundamente de si.

Em primeiro lugar, a população soviética não lutou pelo seu "paísinho dos povos" mas sim pela sua PÁTRIA, a qual estava a ser invadida violentamente por estrangeiros.
Como sabe, inicialmente muitos soviéticos acolheram os alemães como libertadores do jogo comunista, e tinham bastante razões para isso. Outros, ao invés, combateram os invasores desde o início, motivados pelo patriotismo ou pela ideologia.
Contudo, todos acabaram por concluir que os invasores alemães tratavam os eslavos como sub-humanos, quase ao nível dos judeus. A única diferença entre eslavos e judeus é que estes eram prontamente exterminados ao passo que os eslavos eram passíveis de escravatura e as suas mulheres podiam ser violadas sem complexos de culpa por parte dos agressores!

Se a Alemanha nazi tivesse vencido a guerra, a par do desaparecimento da liberdade na Europa, dezenas de milhões seriam exterminados (sobretudo a Leste), e outros tantos seriam escravizados, mais do que aqueles que o foram durante a guerra.

A verdadeira tragédia para a Europa não foi a Alemanha ter perdido a guerra mas sim o tê-la iniciado. Ao fazê-lo, destruiu a própria Europa, a sua gente e os seus ideais.

Wandard disse...

Caro anonimo,

Quem escolhe seus governantes é o povo. Hitler chegou ao poder pelo voto, assim como o povo apoiou a revolução de 1917 que um dia colocaria Stalin no poder. Os Estados nacionais europeus através de suas diversas formas de governo, que por fim chegaram no eufemismo de "democracias"' contaram com a participação do povo. Francisco Franco, saiu vitorioso da Guerra Civil Espanhola, não lutou sozinho. É impossível dissociar a nação do povo, pois o povo é a nação. Concordo, plenamente que todos os povos tem as mãos manchadas de sangue, mas imagine toda a história só do mundo ocidental aonde as manchas estão concentradas em maior volume. Raça, com todo o respeito é a raça humana, se existir outra só se for alienígena e aí voltamos à era das idéias de GUido Von LIzt, Dietrich Eckhart, Rudolf Von Sebotendorf......... E várias outras figuras sinistras que inspiraram e formaram as idéias do joven Adolf.

Roman disse...

Obrigado ao Wandard e Pippo por eles terem explicado para diversos Europeístas e Anónimos os "pormenores" importantes sobre a história da Segunda Guerra Mundial e o papel do Estado Soviético e seu povo desempenhado nela.

Queria apenas acrescentar que apesar dos mitos populares no Ocidente sobre "perdas desproporcionadas" existem os dados de estatística oficial a dizer que as perdas das forças militares soviéticas foram de 8,6 milhões de soldados, o que dá um número comparável em relação às perdas alemãs. Uma grande parte destas perdas teve lugar nos primeiros meses da guerra, quando o exército vermelho sofreu grandes derrotas. Mais 4,4 milhões morreram assassinados em cativeiro alemão. Agora, o que é mais importante e assustador, é que os soldados bravos do hitler mataram os 15 milhões cidadãos civis! Eram mulheres, crianças e idosos, a população que ficou no território ocupado pelos alemães. Deve ser para esse efeito é que foi criado o tal "exercito moderno"!

É pena que poucos conhecem a verdade e continuam a acreditar na propaganda, que quase sempre é injusta e não tem nada a ver com a realidade.

Este assunto é da extrema sensibilidade para os russos. Quem não sabe que não diga!

Anónimo disse...

"Discordo profundamente de si.

Em primeiro lugar, a população soviética não lutou pelo seu "paísinho dos povos" mas sim pela sua PÁTRIA, a qual estava a ser invadida violentamente por estrangeiros.
Como sabe, inicialmente muitos soviéticos acolheram os alemães como libertadores do jogo comunista, e tinham bastante razões para isso. Outros, ao invés, combateram os invasores desde o início, motivados pelo patriotismo ou pela ideologia.
"
Pipo, é evidente que a Alemanha nunca desejou uma guerra, a Alemanha pretendia formar uma aliança com os Britânicos em antecipação a uma invasão Bolchevique, falhou nessa tentativa, pelo facto dos políticos, nomeadamente Churchill, na minha opinião um covarde snob, bêbado, um homem que nunca lutou numa guerra ter tido a incrível e monstruosa determinação de alinhar no caminho da destruição total da Alemanha e por conseguinte da Europa..! Acho incrível como alguém pode respeitar alguém como um político tão execrável como Churchill. Adolfo Hitler viveu como soldado a 1ªguerra mundial, ao contrário do que contam os vencedores da guerra, nunca desejou uma guerra na europa, conheceu por experiência própria os horrores da guerra ele realmente cometeu o erro estratégico de invadir a Polónia (que estava irredutível em relação ao corredor de Dantzig) mas essa questão não foi mais do que o pretexto para que os ocidentais pudessem destruir a Alemanha, Churchill chegou a afirmar que para derrotar Hitler faria uma aliança com o próprio diabo, ao afirmar isto revelou a mente doentia e perversa que possuia.
O que é que a Alemanha fez de tão horrível??
1 Anulou o vergonhoso tratado de Versalhes, que não era mais do que uma imposição de perpétua humilhação à Alemanha
2-Anexou a Áustria e os sudetas(províncias de população Alemã)
3-Devolveu ao povo Alemão auto-estima e reconstruiu a economia Alemã
4- Retirou do poder de mafias sionistas e organizações anti-nacionais
5- Criou políticas de pelo emprego e medidas de protecção aos trabalhadores
6-O trabalho passou a ser valorizado e o povo alemão passou a ser respeitado
Realmente, uma nação andar de cabeça erguida é péssimo!
O que ele fez de tão terrível?!

Anónimo disse...

Há!, Invadiu a Polónia.. Mas um momento, os Russos não invadiram a Finlândia, A Estónia, a letónia, Lituânia a Roménia, a própria Polónia? Estão aonde está a coerência das potências ocidentais?
Porque não declararam também guerra à URSS se esta também invadiu países de forma ilegal?

A resposta é simples, a URSS foi usada pelas potências ocidentais para a destruição Alemã, e a resposta a questão sobre a razão pela qual a Alemanha perdeu a guerra é na minha optica simples, a Alemanha perdeu a guerra porque nunca se preparou nem desejou uma guerra total, a Alemanha foi vitima de uma aliança impossível de vencer, os EUA, URSS e império Britânicos eram forças demasiado poderosas para a Alemanha.
A Alemanha fez movimentos de brilhantes vitórias estratégicas (a chamada guerra relâmpago) mas quando a guerra entrou na fase de guerra total, começou a perder a guerra, nunca em tempo algum Hitler imaginou que aquela jogada estratégica (invasão da Polónia) iria ser aproveitada de forma tão vil e cobarde para o início de uma guerra mundial.
A invasão foi realmente uma armadilha bem preparada, mas é evidente que a invasão foi um erro estratégico fatal, se bem que a Polónia não tinha o direito de colocar em causa a segurança da Europa e não tinha o direito de ter negado à Alemanha o acesso a Dantzig. O que a Alemanha pedia era aceitável e os Polacos estupidamente rejeitaram sempre qualquer tipo de compromisso com os Alemães porque tinham a garantia de assistência das potências ocidentais, além disso , Os Alemães chegaram a colocar a possibilidade de ceder na questão de Dantzig com a alternativa de uma aliança com os Polacos , o que estes finalmente recursaram, por isso, a Polónia sempre foi uma potência hostil à Alemanha e tendo em conta enorme poder que os judeus tinham na Polónia e também a hostilidade que estes sempre manifestaram para com a Alemanha é fácil de perceber o porquê dos acontecimentos de 1939.

Mas o cúmulo da demência de Churchil foi este mais tarde admitir que a derrota total Alemã prejudicou de forma irreversível o poder europeu e que o continente passou a ser dominado pelos Americanos e Soviéticos. Os britânicos passaram a ser subservientes aos Americanos, os cães e continuam a ser actualmente.

Os soviéticos lutaram pela grande Rússia, pois os soviéticos de forma cínica e hipócrita apelaram no início da guerra ao sentimento nacionalista dos Russos, porque chegaram a conclusão que o povo Russo não ia lutar pelo ideal “socialista”, e as derrotas militares forma de tal forma chocante que tiveram mesmo apelar ao sentimento nacional dos Russos chegaram mesmo ao ponto de suspender a opressão contra a igreja ortodoxa, no espirito dos russos, no intimo estavam a lutar pela Rússia, mas NA RALIDADE eles lutaram por um estado tirano e opressor e por um ditador sanguinário contra uma nação que no fundo desejava apenas sobreviver.

Anónimo disse...

Pelo menos, os nazis foram eleitos democraticamente em claro contraste com a usurpação ilegal do poder comunista na URSS, qual era a legitimidade de Estaline na URSS, quem era aquele homem senão um assassino de rivais políticos, aquele homem tinha o poder que tinha porque matou tudo que era rival politico, haha, patético demais aquele regime.
A Rússia foi de tal forma mutilada pelo poder soviético que esta ainda hoje a procurar construir-se como nação em virtude de ter sido vitima de um regime cuja finalidade não era mais do que destruir os estados-nação do espaço soviético . Existe muito paralelismo entre a Rússia actual e a Alemanha dos anos 30’ da mesma forma que a Alemanha sofreu humilhações na década de 30’ a Rússia sofreu também humilhações na década de 90’, da mesma forma que a Alemanha procurou andar de cabeça erguida os Russos estão a procurar fazer o mesmo, é por essa razão que o povo Russo desconfia do estrangeiro, o bom povo Russo sabe que não pode confiar no estrangeiro, a finalidade de qualquer potência mundial é destruir um poder alternativo. E é isto que os jornalistas, incluído o sr. Milhazes não compreendem nos Russos são que ESTES PENSAM PELA PRÓPRIA CABEÇA, a Rússia é LIVRE. Os Russos amam a Rússia, sofrem com ela e não são um povo sem identidade e rendido a meras questões materiais/económicas como os ocidentais, nomeadamente os Portugueses se tornaram.


Mas mais importante do que a Alemanha ter perdido a guerra ou não, foi a corrupção total do poder politico europeu desde o pós Guerra, ninguém bom do juízo acha que os políticos europeus representam os povos europeus e que a europa seja um continente democrático. Os europeus estão a ser governados por gente do pior tipo que há, apátridas que estão a cometer o acto supremo de traição a um povo, a sua eliminação física, através da assimilaçao de outros povos não europeus, da imigração, migrações de populações, quebra do sistema de protecção social etc. Não tarda muito a europa(2-3 gerações) a europa ocidental ser um inferno para se viver, quem vive em zonas de imigração em massa percebe o que quero dizer.
Portugal é um bom exemplo do rebaixamento total da moralidades dos políticos, arrisco afirmar que Portugal tem a classe politica mais corrupta a nível mundial, Portugal é fantástico, e o único pais do mundo que tem um líder máximo que apela à imigração do próprio povo, um governo que tem politicas deliberadas de redução numérica de uma etnia é criminoso menos em Portugal, queria ver se um líder russo tivesse a ousadia de dizer tamanha barbaridade quanto tempo ficava no poder..

Pippo disse...

É Pippo, com três "P". "Pipo" é o da câmara de ar da bicicleta ;0)

Meu caro, acho que está a ler a História (se é que a leu) de uma forma meio enviesada.

É por demais evidente que a Alemanha desejou a guerra! O rearmamento, a concepção de umas FA eminentemente ofensivas baseadas na manobra, a anexação de toda a Checoslováquia (e não apenas dos Sudetas, como referiu), e a brutal invasão da Polónia, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Noruega, França, etc., foi para si o quê? Um mero acidente? Foi um "Ups! É pá, desculpem lá, eu só estava de passagem e nem reparei que vos invadi, bombardeei e ocupei..."?

A Alemanha, sob a liderança do ex-soldado Adof Hitler (Cruzes de Ferro de 2ª e 1ª classe) que “não queria a guerra”, iniciou guerras de agressão por toda a Europa, poupando apenas a Suécia, Suíça, países ibéricos e os seus aliados. A Alemanha, sob a liderança do pacholas do Hitler, reduziu milhares de cidades europeias a escombros; assassinou milhões de inocentes por motivos políticos ou raciais; reduziu à condição de sub-humanos milhões de europeus, forçados à escravatura; originou o maior movimento de refugiados da História; provocou, com a sua guerra de agressão, a morte de QUARENTA MILHÕES de europeus... e você ainda diz que o Reino Unido, por não ter escolhido aliar-se ao escremento nazi, provocou a destruição total da Alemanha e por conseguinte da Europa?!?

Ah, mas é claro, esquecime da bandida da Polónia, que estava “irredutível” em relação ao corredor de Dantzig. De facto, ela deveria ter cedido parte do seu território ao Estado vizinho, que é o que os Estados amigos normalmente fazem... o pacífico do Hitler teve razão, a Polónia, essa malvada, tinha de ser punida! E o malandro do Churchill ali na esquina, a esfregar as mãos de contente pela oportunidade de destruir a Alemanha (e a Europa, já agora!), pois o que o gordo bêbado (e cobarde) mais queria era iniciar uma guerra...

A Alemanha, fique sabendo, pretendia aliar-se ao RU por motivos raciais e tendo por base conceitos geopolíticos: à Alemanha caberia o espaço Continental e ao RU os mares. O problema é que os britânicos, e sobretudo esse covarde, snob e bêbado do Churchill, não eram parvos nenhuns e sabiam que, uma vez senhor do Continente, Hitler tentaria fazer o mesmo que vez o good old Nap, ou seja, um Bloqueio Continental e até mesmo uma eventual invasão às Ilhas.

(cont.)

Pippo disse...

(cont.)


E então, o que é que a Alemanha fez de tão horrível??
1 Anulou o vergonhoso tratado de Versalhes e iniciou uma guerra de agressão contra quase toda a Europa;
2-Anexou a Áustria e os Sudetas, e já agora, quem anexa dos Sudetas também anexa a Checoslováquia, cheia de população ESLAVA (é compreensível, as checoslovacas são mais BOAS do que as alemãs logo, têm de ser “anexadas”!...)
3-Devolveu ao povo Alemão auto-estima e reconstruiu a economia Alemã, isto é, até o povo alemão começar a colher o que semeou... e consta-me que 12 anos depois da eleição de Hitler, a auto-estima do povo alemão e a sua economia não gozavam de grande saúde. Deve ter sido culpa do Churchill e dos seus esbirros, que embirraram com essa boa acção dos alemães de os conquistarem, submeterem e ocuparem. Cambada de desmancha-prazeres!
4- Retirou do poder [as] mafias sionistas e organizações anti-nacionais (Ui!!! As máfias sionistas!!!! Sim, felizmente o perigoso mafioso Ariel “Scarface” Cohen foi... ah... “retirado” para Treblinka, ele e mais uns SEIS MILHÕES de mafiosos sionistas... fora os igualmente perigosos membros da máfia cigana (a Cosa Lelo), a máfia polaca (UM MILHÃO de wise guys...), a máfia russa (MUITOS MILHÕES de wise guys...), a máfia homossexual (umas “flores” que não se cheiram...), a máfia das Testemunhas de Jeová (o Jeová é primo esquerdo do Ariel Cohen...)... É tão absurdo que só com humor é que eu posso comentar, senão perco a compostura.
5- Criou políticas de [pleno] emprego e medidas de protecção aos trabalhadores, alemães e não só: para os alemães, abriu três grandes empresas estatais, a Wehrmacht, a Luftwaffe e a Krigsmarine, onde eles estavam protegidos pelas blindagens dos carros ou dos VBTP, pela velocidade dos seus aviões ou pelas chapas dos submarinos; e para os estrangeiros, criou a Organização Todt e o recrutamento de mais de UM MILHÃO de “Fremdarbeiter”, ou seja, ESCRAVOS!
6-O trabalho passou a ser valorizado e o povo alemão passou a ser respeitado, aliás, respeitadíssimo! É tão respeitado que ainda hoje o povo alemão não gosta de ser recordado da sua História, deve ser para não se encher de orgulho e rebentar!

“Realmente, uma nação andar de cabeça erguida é péssimo!”

Pois, uma nação andar de cabeça erguida esmagando, para que isso aconteça, a cabeça de milhões de pessoas, é realmente péssimo!

PS - Já agora, fique sabendo que o cobarde do Churchill esteve SOB FOGO dezenas de vezes, desde a sua primeira experiência como observador em Cuba, em 1898, até à sua breve comissão de serviço na Frente Ocidental (para a qual não só foi voluntário como optou, inclusive, em estar na Frente, em lugar de se ficar pela retaguarda como os restantes oficiais de alta patente), passando por vários episódios de COMBATE no Paquistão, Sudão e África do Sul (chegando-se a especular se ele iria receber a VC – Victoria Cross, para si - por uma acção de combate contra os boeres!).

PS 2 - Você deveria tentar publicar um livro com essas suas versões da História. A sério! A malta anda aqui tão macambúzia com isto da crise e da Troika, fazem-nos falta
umas belas de umas gargalhadas!

Pippo disse...

"nunca em tempo algum Hitler imaginou que aquela jogada estratégica (invasão da Polónia) iria ser aproveitada de forma tão vil e cobarde para o início de uma guerra mundial.
A invasão foi realmente uma armadilha bem preparada, mas é evidente que a invasão foi um erro estratégico fatal, se bem que a Polónia não tinha o direito de colocar em causa a segurança da Europa e não tinha o direito de ter negado à Alemanha o acesso a Dantzig. "

"tendo em conta o enorme poder que os judeus tinham na Polónia e também a hostilidade que estes sempre manifestaram para com a Alemanha é fácil de perceber o porquê dos acontecimentos de 1939."

Nunca vi um tão grande chorrilho de asneiras em tão poucas linhas!
Com que então, Hitler caiu numa armadilha?!? Mas quem é que a montou? Foi o RU? Foi a França que convenceu Hitler a atacar a Polónia? Ele atacou porque quis, não porque tivesse caido num logro. O que acontece é que ele pensou que os aliados não iriam fazer nada, tal como não haviam feito na questão da Checoslováquia. Atacou... e desta vez os outros não se deixaram ficar! Azar! Às vezes os rufiões também se lixam.
E “a Polónia não tinha o direito de colocar em causa a segurança da Europa”??? Mas você está a brincar ou quê?!?!? Não tinha “direito”??? Então tinha “direito” a quê, a ceder, como o fez a Checoslováquia? E a seguir a Datzig iria ser o quê mais? Cracóvia? Varsóvia? E depois? Quem colocou em causa a segurança da Europa foi a Alemanha, que atacou a Polónia, aliada da França e do RU, e arrastou o Mundo para a guerra. Se a Alemanha tivesse ficado quietinha a Europa teria ficado em paz. O mito do grande líder Hitler é que era capaz de se esfumar rapidamente...
E os judeus, com grande poder na Polónia??? Mas você leu isso onde, no Mein Kampf, nalguma publicaçãozeca “nacionalista” (entre aspas, sim) ou simplesmente leu na MAD? Os judeus eram totelmente desprezados na Polónia, aliás, sempre o foram, sendo também vítimas de pogroms (por exemplo, os de Kielce em 1918 e 1946!). Que “poder” era esse que os judeus detinham? Devia ser o das máfias do Ariel “Scarface” Cohen...

PEDRO disse...

Wandard,
Obrigado pelos seus textos de história. Muito bem escrito.

Em relação ao mito do "Inverno Russo é que ganhou a gurra", gostaria apenas de salientar que as maiores batalhas da frente Leste não se desenrolaram no inverno.

A batalha de Kursk, foi só a maior batalha de toda a História da humanidade desenrolou-se .....No verão.
É facil: http://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_de_Kursk.

E foi amplamente preparada pelos NAZIS.


E temos a batalha de Berlim que terminou em Maio de 1945.

Portanto esse mito do Inverno (como que se os alemães não soubessem que havia frio na Rússia) não pega.
Só gente com inveja, com má intenções é que afirma esses dislates.

Pippo disse...

Pedro, o Inverno afectou gravemente os alemães em duas ocasiões:
No Inverno de 1941, quando as tropas alemãs, mal preparadas para esse clima, foram "apanhadas" por um Inverno rigorosíssimo;
Durante a fase final de Estalinegrado, quando o Inverno actuou sob as tropas já enfraquecidas do 6º Exército e impediu o reabastecimento por parte da Luftwaffe.

PEDRO disse...

Pippo,

Acredito que isso que disse fosse verdade, mas e então?

Será que para uma guerra limpa os beligerantes tem de combinar que só combatem quando estiver bom tempo.

Se calhar os alemães também perderem no norte de África por causa do Calor.
Assim não é justo. Só conta quando estiver um tempo ameno?

Os americanos perderam no Vietname por causa da floresta. Os Russos perderam no Afeganistão por causa das montanhas.

Quem vá para a guerra por sua iniciativa estará á espera de lutar contra o inimigo em terreno plano e clima ameno?

Wandard disse...

A questão do inverno e a retórica da terra arrasada, sempre foi amplamente utilizada pelos historiadores ocidentais, para diminuir a glória das vitórias do exército vermelho na segunda grande guerra. Enquanto que o colosso da operação Overlord, foi efetivamente propagandeada por um dos maiores ícones do cinema americano no século xx, no filme O Mais Longp dos dias. Seria o mesmo que dizer que Saladino só venceu as forças da Gui de Lusigni porque suas tropas foram movidas próximas às fontes de água. Bem, falando bem francamente uma coisa é estratégia e a outra é falta de conhecimento desta. O Dia D foi uma fantástica operação de desembarque para enfrentar um fiasco tanto quantitativo, como qualitativo das forças nazistas, Enquanto que de escombros de cidades ocupadas, violentafas e arrasadas od alemães foram esmagados pelo rolo compressor russo até as portas da chncelaria do Reich em Berlin.

Anónimo disse...

“É Pippo, com três "P". "Pipo" é o da câmara de ar da bicicleta ;0)”
Lamento ter escrito seu pseudónimo incorrectamente não foi intencional.
“Meu caro, acho que está a ler a História (se é que a leu) de uma forma meio enviesada.”
Carissimo , antes de começar a fazer a sua intervenção revelou desdém pela outra perspectiva da história, olhe que a história não é uma ciência exacta de todo, o senhor começa a fazer ver o seu ponto de vista dizendo logo que os que pensam de outra forma estão loucos.

“É por demais evidente que a Alemanha desejou a guerra! O rearmamento, a concepção de umas FA eminentemente ofensivas baseadas na manobra, a anexação de toda a Checoslováquia (e não apenas dos Sudetas, como referiu), e a brutal invasão da Polónia, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Noruega, França, etc., foi para si o quê? Um mero acidente? Foi um "Ups! É pá, desculpem lá, eu só estava de passagem e nem reparei que vos invadi, bombardeei e ocupei..."?”
O senhor insiste nessa posição, que é popular e aceite socialmente, mas não deixa de ser uma mentira.
Quem formou uma aliança contra a Alemanha foram os países ocidentais juntamente com a Polónia que negaram sempre a unificação dos povos Alemães porque tinham medo da grande potência que seria. O senhor acaba por referir inicialmente que a Alemanha desejou a guerra mas mais tarde admite que os “Rufias por vezes têm azar” ou seja admite implicitamente que a Alemanha não estava a fazer mais do que bluff e jogadas estratégicas que foi aliás sempre isso que as potências ocidentais fizeram com os outros(veja a vergonhosa e criminosa encenação que está a ser feita contra o Irão). Eu não neguei que a invasão da Polónia foi um erro, foi defacto, mas esse erro gerou um muito maior pelas potências ocidentais que foi o de criarem uma guerra total na Europa para a hipócrita premissa que seria necessário defender a polónia quando afinal no fim da guerra ficou nas mãos de um regime muito pior que o do 3º REICH(também vai refutar este argumento? Duvido…até os Polacos acusaram os ocidentais de traição). Não insista em defender Churchill o senhor não sabe a missa a metade, esse homem deve ter sido o pior monstro de sempre na história europeia.
Nunca na vida os Alemães sonharam que os aliados iriam reagir daquela forma, se o senhor não compreende este facto nunca vai perceber o que aconteceu na 2ªguerra mundial!
Os Alemães sempre consideraram que de forma alguma os países ocidentais se aliariam aos Bolcheviques contra a Alemanha porque isso seria o acto de suprema traição e hipocrisia contra a Europa, mas os alemães enganaram-se porque realmente estavam a lidar com gente miserável
Vou-lhe reavivar a memória..
Churchill disse:
“Contra Hitler alio-me até com o diabo”
Meu caro, não lhe parece que este psicopata revelava alguma perversidade?!

Anónimo disse...

O senhor afirma sempre o argumento que a Alemanha iniciou a guerra, mas devia aceitar que iniciar a guerra e amplifica-la de forma desproporcionada tornou as coisas muito piores..
Os EUA invadiram/humilharam o Iraque, uma nação a milhares de kilometros de distãncia dos EUA e os Chineses/Russos não atacaram a América….. como o senhor explica este fenómeno.. não será porventura a lei do mais forte?
A verdade é que os ocidentais só declararam guerra à Alemanha em 1939 porque sabiam que podiam ganhar a guerra, tinham os EUA na retaguarda e a alta finança por trás…
Em relação à invasão da Dinamarca, Noruega, forma guerras preventivas como é sabido.. os Britanicos e Franceses preparavam-se para ocupar a noruega para impedir as manobras dos U-boats e que a invasão da bélgica/holanda foi uma consequência da declaração e guerra franco-britânica contra a Alemanha. O senhor nada diz da ocupação da Islândia, do Irão etc por parte dos ocidentais, por esses tá tudo bem, esses podem porque são os bonzinhos, ou então a ocupação dos açores, em que Portugal teve de ceder as bases senão elas seriam ocupadas de qualquer forma por quele FDP do Churchill que o senhor tanto admira. Portugal esteve na eminência de ter sido atacado pela Alemanha por esse acontecimento.
“A Alemanha, sob a liderança do ex-soldado Adof Hitler (Cruzes de Ferro de 2ª e 1ª classe) que “não queria a guerra”, iniciou guerras de agressão por toda a Europa, poupando apenas a Suécia, Suíça, países ibéricos e os seus aliados. A Alemanha, sob a liderança do pacholas do Hitler, reduziu milhares de cidades europeias a escombros; assassinou milhões de inocentes por motivos políticos ou raciais; reduziu à condição de sub-humanos milhões de europeus, forçados à escravatura; originou o maior movimento de refugiados da História; provocou, com a sua guerra de agressão, a morte de QUARENTA MILHÕES de europeus... e você ainda diz que o Reino Unido, por não ter escolhido aliar-se ao escremento nazi, provocou a destruição total da Alemanha e por conseguinte da Europa?!?”
Não foi o exercito Alemão que destruiu as infra-estruturas da URSS, foi a própria URSS através da politica da terra-queimada (guerra total), a destruição da polónia aconteceu porque os Polacos resistiram e não formam os Alemães que EXTERMINARAM os lideres miliares/políticos polacos, forma os soviéticos. A destruição provocada em França foi sobretudo resultado dos bombardeamentos estratégicos dos aliados.. A verdade é que os Alemães quando saíram de parias pouparam as cidades e não as destruíram, a verdade é que a ocupação alemã dos países ocidentais foi disciplinada e humana e não existiram massacres em massa nem violações como as bestas do exercito vermelho que de exercito civilizado tinham muito pouco. O seu único argumento para sustentar a suposta culpa Alemã é o argumento que foi a Alemanha que iniciou a guerra, quando se sabe hoje(pode ler se estiver interessado) que os serviços secretos britânicos “minaram” até à ultima hora qualquer tipo de entendimento entre os Alemães o os Polacos na questão de Dantzig, quando os Polacos estavam dispostos a ceder..! Porque sim! às vezes é necessário ceder para evitar um mal maior, e o que a Alemanha pedia era justo, qualquer europeu razoável o admite. Os 40 milhões de europeus que morreram foi uma tragédia que podia ter sido evitada se os britânicos e os seus cúmplices criminosos não tivessem(como sempre) alinhado com potências externas à Europa.

“Ah, mas é claro, esquecime da bandida da Polónia, que estava “irredutível” em relação ao corredor de Dantzig. De facto, ela deveria ter cedido parte do seu território ao Estado vizinho, que é o que os Estados amigos normalmente fazem... o pacífico do Hitler teve razão, a Polónia, essa malvada, tinha de ser punida! E o malandro do Churchill ali na esquina, a esfregar as mãos de contente pela oportunidade de destruir a Alemanha (e a Europa, já agora!), pois o que o gordo bêbado (e cobarde) mais queria era iniciar uma guerra...”

Anónimo disse...

A Alemanha, fique sabendo, pretendia aliar-se ao RU por motivos raciais e tendo por base conceitos geopolíticos: à Alemanha caberia o espaço Continental e ao RU os mares. O problema é que os britânicos, e sobretudo esse covarde, snob e bêbado do Churchill, não eram parvos nenhuns e sabiam que, uma vez senhor do Continente, Hitler tentaria fazer o mesmo que vez o good old Nap, ou seja, um Bloqueio Continental e até mesmo uma eventual invasão às Ilhas.”
O senhor deve ter lido o mein kampf e está convicto que o que o pensamento de Hitler se resume a esse livro escrito em 1924, e que o homem tinha esse pensamento linear e básico em 1939, meu caro, Hitler era uma pessoa muito inteligente e o que ele disse em 1924 só pode ser compreendido à luz do que Alemanha estava a passar(humilhação, colapso social etc etc) Não estou a dizer que tinha razão em tudo mas tinha razão em muitas coisas e não é aceitável associar tudo o que for nazi ao mal isso não passa de propaganda politica e essa postura é o que está na realidade a destruir a europa
Porque se criou a ideia que todas as politicas nacionais e de proteção dos europeus são fascistas e por conseguinte inaceitáveis, é como se os europeus tivessem de aceitar que vão ser extintos , para mim, esse tipo de comportamento é uma declaração de guerra aos europeus e estes têm o direito de reagir veementemente porque o direito a existir não pode sequer ser questionado. Por mais que tentem negar a realidade, este é o resultado da 2ªguerra mundial, o nascimento da culpa Alemão que aliado sentimento de culpa(que alguns aqui gostam de cultivar) os países ex-colonizadores sofrem que prejudicam os países europeus

Nos pontos todos que o senhor refutou, o senhor não fala de todos os factos, esqueceu-se, de referir Versalhes, esse tratado de “paz” foi na realidade um tratado de humilhação perpetua à Alemanha e nenhuma nação orgulhosa como a Alemanha podia aceitar que outros estados(mais atrasados) impusessem a sua vontade sobre a Alemanha, isto é outra coisa que o senhor não compreende, continua sem perceber os Aliados é que colheram a tempestade que semearam,

“E os judeus, com grande poder na Polónia??? Mas você leu isso onde, no Mein Kampf, nalguma publicaçãozeca “nacionalista” (entre aspas, sim) ou simplesmente leu na MAD? Os judeus eram totelmente desprezados na Polónia, aliás, sempre o foram, sendo também vítimas de pogroms (por exemplo, os de Kielce em 1918 e 1946!). Que “poder” era esse que os judeus detinham? Devia ser o das máfias do Ariel “Scarface” Cohen...
O que dava para rir (mas é demasiado triste e trágico no meu entender )é haver pessoas como o senhor que contribuem com essa maneira de pensar para manter os europeus na merda desculpe a expressão.
Considero vergonhoso que num momento em que se assiste a um Genocídio silencioso dos europeus, entre estes ainda haja gente que alinha na postura de atacar os próprios irmãos de sangue em vez de colocar toda a energia ao serviço da sobrevivência do próprio povo, isso sim, é ser “excremental”, palavra sua.

Essa atitude de procurar manter e isentivar o sentimento de culpa dos Alemães é precisamente o tipo de atitude que tem causado a dessegregação da civilização europeia
A Alemanha contribuiu muito para a humanidade em termos de descobertas cientificas, musica, letras, arte , enfim contribuiu demasiado para que tenha de ter de ser vitima de chantagem emocional, mas não se preocupe, a Alemanha está já numa fase sem retorno de declínio demográfico e daqui a poucas gerações pode ser apelidada de turcolandia e nesse dia TALVES sem a hegemonia alemã a europa possa ser um local muito difícil para viver e não o local maravilhoso que muitos pensam que vai ser.

Pippo disse...

Sem dúvida, Wandard e Pedro, contudo, a meteorológia é extremamente importante para as operações militares (a data do Dia D - 6 de Junho de 1944 - é disso exemplo: a operação esteve a ponto de ser cancelada por causa do mau tempo no Canal).

Ora, a Operação Barbarossa partiu atrasada várias semanas face ao inicialmente planeado, muito por culpa da ridícula campanha grega dos italianos, aos quais os alemães tiveram de dar uma ajuda. Assim, numa altura em que os alemães já deveriam estar a ocupar Moscovo, ainda estavam centenas de km atrasados e apanharam com as primeiras chuvas outonais, o que originou a rasputitza, uma lama peganhenta que impede a progressão dos veículos e dos soldados (a maior parte da Wehrmacht andava a pé ou era hipomóvel, ao contrário do mito).
O atraso fez com que os alemães apanhassem com um Inverno para o qual não estavam minimamente preparados, pois era suposto já terem conquistado Moscovo provocando a queda da URSS. Assim, com soldados gelados e linhas de abastecimento sobre estendidas do lado dos alemães, e reforços fresquinhos proveniente da Sibéria ("-30º??? Isso é Verão para nós!") do lado soviético, os alemães foram forçados a retirar abruptamente.

Quanto às tentativas de tirar mérito aos soviéticos, acho que ninguém minimamente conhecedor de História poderá dizer que a guerra a Leste não foi a principal razão da queda da Alemanha Nazi (a tal que, segundo um participante neste blog, até era muito pacífica e que foi "enganada" pela malvada Polónia e pelo pérfido gordo bêbedo e cobarde do Churchill a iniciar a guerra que destruiu toda a Europa...)

Pippo disse...

Meu caro, posso estar redondamente enganado, mas você não tem formação de História, pois não?

“O senhor insiste nessa posição, que é popular e aceite socialmente, mas não deixa de ser uma mentira.
Quem formou uma aliança contra a Alemanha foram os países ocidentais juntamente com a Polónia que negaram sempre a unificação dos povos Alemães porque tinham medo da grande potência que seria. “

Compreendo... portanto, os países ocidentais não podiam aliar-se à Polónia para não lixarem os planos alemães, é isso? Os alemães podiam unificar-se... e como por acaso até havia “Volksdeutsche” por todo o Leste (URSS incluída), a expansão desse “Deutscher Lebensraum” terminaria onde? Nos Urais? E já agora, se os alemães podiam “unificar” os povos germânicos, presumo que os polacos podessem igualmente “unificar”, já não digo todos os povos eslavos, mas pelo menos os eslavos do Norte da Europa, tais como os SORBOS que viviam na Alemanha! A Alemanha estaria disposta a ceder parte do seu território para a Polónia? Julgo que não.
Também pensava que cada país era livre de se associar com quem bem entendesse (colhendo os benefícios e sofrendo as consequências correspondentes). Assim sendo, calculo que você também condene veementemente a aliança entre Portugal e a Inglaterra na época da crise de 1383-85 (lixou os planos de D. João I de Castela, que “por acaso” até tinham legitimidade sucessória sobre Portugal), ou a formulada entre Portugal, a França, a Inglaterra e a Holanda contra Espanha durante a Restauração (D. Felipe III era Rei de Portugal por direito de sucessão), já para não falar da época napoleónica (os franceses, nossos “irmãos de sangue”, estavam aqui a ocupar-nos bem satisfeitos da vida, é até tinham boas razões para isso pois nós opusémo-nos ao Bloqueio Continental. Nós não tínhamos o direito de nos aliarmos à Pérfida Albion para correr com os franceses, persegui-los por toda a Espanha, atravessarmos os Pirinéus e acabarmos a ocupar o SO de França!).

“O senhor acaba por referir inicialmente que a Alemanha desejou a guerra mas mais tarde admite que os “Rufias por vezes têm azar” ou seja admite implicitamente que a Alemanha não estava a fazer mais do que bluff e jogadas estratégicas.”

Ai admiti?!? Não sabia... nem sabia que os rufias são só aqueles que fazem “bluff”... E eu que sempre pensei que rufias eram aqueles que provocavam desacatos... Mais uma para o “Acordo” Ortográfico!
A Alemanha fez uma “jogada estratégica” que foi invadir um país (por acaso faz a mínima ideia do que foi a invasão da Polónia? Não deve saber...), sabendo que esse país tinha aliados. E o rufião achou que os aliados iriam ficar quietos... mas desta vez enganou-se.

(cont.)

Pippo disse...

(cont.)

“Eu não neguei que a invasão da Polónia foi um erro, foi de facto, mas esse erro gerou um muito maior pelas potências ocidentais que foi o de criarem uma guerra total na Europa para a hipócrita premissa que seria necessário defender a polónia quando afinal no fim da guerra ficou nas mãos de um regime muito pior que o do 3º REICH (também vai refutar este argumento? Duvido…até os Polacos acusaram os ocidentais de traição).”

O desconhecimento da História resulta nesse tipo de afirmações. Portanto, para si, o erro foi os Aliados terem declarado guerra à Alemanha por causa da Polónia. Se calhar não o deveriam ter feito (mais uma vez!). E quando a Alemanha quisesse anexar outro país, por exemplo a Holanda ou a Dinamarca, como é que seria? Os Aliados também deveriam ficar quietos para não “arriscarem uma guerra”? E quando os alemães achassem que já era altura de “unificar” mais uns países? O Nevile Chamberlain bem que seguiu a política do apaziguamento, chegando a entregar a Checoslováquia de bandeja ao menino Adolfo, mas um dia a linha teria de ser traçada. Com a Polónia ela foi traçada vários dias antes da invasão alemã. Os alemães não perceberam a dica, nem perceberam o ultimato dado pelo RU após a invasão. A ocupação alemã da Polónia causo CINCO MILHÕES de mortos. Nem se compara aos efeitos das duas ocupações soviéticas...
E fique sabendo que os polacos acusam os Aliados ocidentais de traição porque estes não atacaram de imediato a Alemanha em 1939 nem obrigaram os soviéticos a desocupar am Polónia em 1945 (queria vê-los a tentar!).

“Não insista em defender Churchill o senhor não sabe a missa a metade, esse homem deve ter sido o pior monstro de sempre na história europeia.”

Naãão, consigo não insisto, pois já vi que você sabe imenso! Mas olhe, já que você SABE, catequise-nos lá: recorrendo a obra escrita (fontes sff) fale-nos do Churchill (aquele cobarde que você diz que que nunca lutou numa guerra mas que afinal entrou em combate umas dezenas de vezes e quase ganhou a VC) que é para todos ficarmos muito mais esclarecidos!
E sim, sim, ‘tá bem, ele foi um monstro... Aliás, o Htler ao seu lado era um menino de coro, uma jóia de pessoa, com uma visão... humanista, e um autêntico... digamos, empreendedor latifundiário. Só não gostava muito era de eslavos e de judeus, dos tais que pertenciam às máfias sionistas. Mas em todo o caso, um exemplo a seguir, pelo menos para a malta neo-nazi.

“Nunca na vida os Alemães sonharam que os aliados iriam reagir daquela forma, se o senhor não compreende este facto nunca vai perceber o que aconteceu na 2ªguerra mundial!”

Compreendo, ó se compreendo! Portanto, os Aliados APENAS assinaram um pacto de assistência mútua com a Polónia dias ANTES da agressão alemã, os alemães SABIAM da existência desse pacto, mas como “ nunca sonharam que os Aliados iriam reagir daquela forma” (pois, eles deveriam ter ficado quietinhos para não estragarem os planos de sua Exa Adolfo Hitler), a CULPA foi dos Aliados, que não foram “good sportsmen” e CUMPRIAM o que estava acordado com a Polónia!

Belíssima interpretação da História, a sua...

Pippo disse...

(cont.)

“Os Alemães sempre consideraram que de forma alguma os países ocidentais se aliariam aos Bolcheviques contra a Alemanha porque isso seria o acto de suprema traição e hipocrisia contra a Europa, mas os alemães enganaram-se porque realmente estavam a lidar com gente miserável.
Vou-lhe reavivar a memória..
Churchill disse:
“Contra Hitler alio-me até com o diabo”
Meu caro, não lhe parece que este psicopata revelava alguma perversidade?!”

Não. Aliás, deverá perdoar esse pequeno lapso verbal do Churchill. Como é que ele poderia aliar-se a Hitler para combater Hitler? Impossível!!!
E já agora, explique-me lá porque é que seria “traição e hipocrisia” os países ocidentais aliarem-se aos Bolcheviques contra a Alemanha mas não foi “traição e hipocrisia contra a Europa” o facto de Hitler (Não me diga que o admira?) se ter aliado aos Bolcheviques contra a Polónia?

“O senhor afirma sempre o argumento que a Alemanha iniciou a guerra, mas devia aceitar que iniciar a guerra e amplifica-la de forma desproporcionada tornou as coisas muito piores...”

Claro! E de quem é a culpa? Da ALEMANHA, e somente dela. Se a Alemanha não tivesse iniciado a guerra ou, iniciando-a, se tivesse retirado imediatamente ante o ultimato dos Aliados, a guerra não teria tomado as proporções que tomou.

“A verdade é que os ocidentais só declararam guerra à Alemanha em 1939 porque sabiam que podiam ganhar a guerra, tinham os EUA na retaguarda e a alta finança por trás…”

Ah, tem razão, eles eram uns sacanas! Só deveriam ter declarado guerra à Alemanha (que atacou um país europeu sabendo que ia ganhar...) se soubessem que iriam perder... sacanas, pá! Em 1939 os tipos até SABIAM que iam ganhar... por isso é que tinham exércitos com características DEFENSIVAS, tinham uma LINHA MAGINOT, e foram de vitória em vitória até ficar o Reino Unido a lutar sozinho e isolado contra a Alemanha até Maio de 1941...

“Em relação à invasão da Dinamarca, Noruega, forma guerras preventivas como é sabido... “

Pronto! Assim está tudo desculpado! A invasão da bélgica/holanda até foi uma consequência da declaração de guerra franco-britânica contra a Alemanha.... apesar daqueles países terem declarado a sua neutralidade!

“O senhor nada diz da ocupação da Islândia, do Irão etc por parte dos ocidentais, por esses tá tudo bem, esses podem porque são os bonzinhos”

De facto, a ocupação da Islândia foi criminosa, a sua população massacrada, etc., ainda hoje os islandeses não se recompuseram; a ocupação do Irão (milhões de mortos) ocorreu porque o Xá era admirador e pretendia ser aliado de Hitler. Aliás, o país mudou de nome de Pérsia para Irão, ou seja, “Pátria dos Arianos”, porque o Xá queria dar graxa ao seu bem amado Hitler...

“ou então a ocupação dos açores, em que Portugal teve de ceder as bases senão elas seriam ocupadas de qualquer forma por quele FDP do Churchill que o senhor tanto admira. Portugal esteve na eminência de ter sido atacado pela Alemanha por esse acontecimento.”

Esteve, a sério? Com a colaboração de quem? Do Franco nunca seria, ele tinham mais do que fazer. E quanto à “ocupação” dos Açores, face à política colaboracionista do camarada Salazar, bem que os aliados até foram brandos.

“Não foi o exercito Alemão que destruiu as infra-estruturas da URSS, foi a própria URSS através da politica da terra-queimada (guerra total)”

Tretas, e você sabe perfeitamente disso! Quando os alemães retiraram, destruiram TUDO o que puderam, inclusive palácios. E já agora a “Guerra Total” é apanágio dos alemães, não dos soviéticos.


“a destruição da polónia aconteceu porque os Polacos resistiram”

Ah, portanto a culpa foi dos polacos, que não deveriam ter combatido pela libertação da sua pátria...


“e não foram os Alemães que EXTERMINARAM os lideres miliares/políticos polacos, forma os soviéticos”

Claro! Katyn é famosa, a Operação Tannenberg já não o é tanto... A não ser que se saiba do que se está a falar.

Pippo disse...

(cont.)

“A destruição provocada em França foi sobretudo resultado dos bombardeamentos estratégicos dos aliados..”

E dos combates de rua, porque os alemães entrincheiravam-se nas cidades!


“A verdade é que os Alemães quando saíram de [Paris] pouparam as cidades e não as destruíram,”

Não destruíram Paris porque o Choltitz recusou-se a seguir a ordem do seu amigo Adolfo que era... “Quero ver Paris a arder!”. E ao contrário do que ele afirmou, não o fez por amor à cidade mas sim porque se tivesse seguido a ordem, nem as tropas americanas salvariam os alemães de serem todos executados pelas FFI!

“a verdade é que a ocupação alemã dos países ocidentais foi disciplinada e humana e não existiram massacres em massa nem violações como as bestas do exercito vermelho que de exercito civilizado tinham muito pouco. “

Pronto! Então ‘tá bem! A malta é ocupada, perde a independência e a liberdade, os nossos rapazes, prisioneiros de guerra, são postos a trabalhar como escravos, os nossos ocupantes “comem” as nossa miúdas, mas até deveríamos agradecer pois “as bestas do exercito vermelho” são muito piores.

“O seu único argumento para sustentar a suposta culpa Alemã é o argumento que foi a Alemanha que iniciou a guerra, quando se sabe hoje(pode ler se estiver interessado)”

Ilustre-me. Dê-me as referências bibliográficas, e espero que sejam livros sérios de autores sérios.

“que os serviços secretos britânicos “minaram” até à ultima hora qualquer tipo de entendimento entre os Alemães o os Polacos na questão de Dantzig, quando os Polacos estavam dispostos a ceder..! Porque sim! às vezes é necessário ceder para evitar um mal maior, e o que a Alemanha pedia era justo, qualquer europeu razoável o admite.”

Errado, o que qualquer europeu razoável admite é que a Polónia não ia ceder (porque nenhum país cede voluntariamente uma parte do seu território), admite também que a Polónia já tinha visto o que tinha acontecido à Checoslováquia (primeiro foi forçada a ceder os Sudetas “para não haver guerra”, e depois foi invadida), admite também que o Hitler não queria apenas Dantzig mas sim alargar os seu “Espaço Vital”, e admite que a Polónia pensava (aí é que se enganou!) que a França e o Reino Unido iriam ajuda-la contra a Alemanha, CASO ESTA ATACASSE. Ninguém esperava era que a campanha da Polónia fosse tão rápida...

“Os 40 milhões de europeus que morreram foi uma tragédia que podia ter sido evitada se os britânicos e os seus cúmplices criminosos não tivessem(como sempre) alinhado com potências externas à Europa.”

A sua visão da História é engraçada... A culpa, pelos vistos é de quem é agredido e de quem o vem ajudar contra o agressor... Portanto, se eu percebi bem, se eu o vir na rua e cobiçar a sua namorada (ela é “boa”, deve ser minha por direito, qualquer gajo “razoável” o admite...); se eu lhe der a oportunidade de me dar aquilo que “é meu por direito” e se você o recusar, a culpa do enxerto de porrada que eu lhe der é inteiramente SUA! E se alguém o vier ajudar, eu sacar da faca ou da pistola e aviar uns quantos, a culpa é DELES!!!
Mas quanto a mim, alto lá, eu sou totalmente inocente!!! A CULPA É DAS VÍTIMAS!
Percebeu o absurdo da sua ideia, ou precisa de mais exemplos?

Pippo disse...

(cont.)
“O senhor deve ter lido o mein kampf”
Pois li! E você, leu?

“Não estou a dizer que tinha razão em tudo mas tinha razão em muitas coisas e não é aceitável associar tudo o que for nazi ao mal isso não passa de propaganda politica e essa postura é o que está na realidade a destruir a europa, porque se criou a ideia que todas as politicas nacionais e de proteção dos europeus são fascistas e por conseguinte inaceitáveis”

Errado! O que destruiu a Europa foi termos idiotas nazis que deram cabo do continente em virtude das sua ideias de cocó de “Lebensraum” (que era só para eles, a “raça superior”, os outros povos não tinham o “Weltgeist” bem apreendido e por isso deviam ser submetidos) e de “Übermenschen” e “Untermenschen”, que é outro cocó aberrante saído de cabeças de deficientes mentais. E a partir do momento em que essa canalha usurpou até os símbolos dos nossos antepassados e falou em nome da “raça branca” e da “Europa”, todos aqueles que defendem a nossa História, a nossa tradição, os nossos valores, etc., passaram a ser conotados com os nazis, mesmo que não o sejam. Por isso é que um tipo hoje em dia não pode sequer falar de valores pátrios, por causa dessa canalha nazi. Isso, e a guerra criminosa do “senhor” Hitler, é que destruiram a Europa.


“Nos pontos todos que o senhor refutou, o senhor não fala de todos os factos, esqueceu-se, de referir Versalhes, esse tratado de “paz” foi na realidade um tratado de humilhação perpetua à Alemanha e nenhuma nação orgulhosa como a Alemanha podia aceitar que outros estados(mais atrasados) impusessem a sua vontade sobre a Alemanha, isto é outra coisa que o senhor não compreende, continua sem perceber os Aliados é que colheram a tempestade que semearam,”

Aaaaah! Então já percebi! Os tais Estados “mais atrasados” (nos quais se incluem Portugal) deveriam ter chegado a um acordo com a Alemanha... olhe, na verdade, os tais Estados “mais atrasados” deveriam era ter ignorado o Armistício, continuando a combater até submeterem a Alemanha. Com uma Alemanha ocupada e sem aliados, não teria havido essas tretas do “fomos traídos pelos judeus”, teria sido uma derrota e ocupação aos bom velho estilo e pronto. Mas tem razão, como Versalhes foi humilhante, a Alemanha tinha razão em atacar a Polónia e matar-lhe cerca de cinco milhões de pessoas... é justo!

“O que dava para rir (mas é demasiado triste e trágico no meu entender )é haver pessoas como o senhor que contribuem com essa maneira de pensar para manter os europeus na merda desculpe a expressão."

Sim, eu dou mesmo para rir, sobretudo porque exponho o ridículo de certas afirmações sem qualquer sustentação factual formuladas por gente que obviamente não sabe do que fala mas que se arroga em sabedora.

"Considero vergonhoso que num momento em que se assiste a um Genocídio silencioso dos europeus, entre estes ainda haja gente que alinha na postura de atacar os próprios irmãos de sangue em vez de colocar toda a energia ao serviço da sobrevivência do próprio povo, isso sim, é ser “excremental”, palavra sua.”

E o que eu considero vergonhoso e escremental é que se tente descupabilizar o nazismo, que é uma ideologia hedionda, homicida, genocida e que conduziu ao Holocausto de quarenta milhões de europeus com a desculpa de que “temos de defender” os nossos “irmãos de sangue”!!! “Irmãos de sangue”??? Essa é a linguagem daqueles pseudo-nacionalistas neo-nazis que até se convertem ao Islão para assim, unidos aos radicais muçulmanos, poderem melhor combater a “judiaria internacional”! Os meus “irmãos de sangue” são os portugueses, e se eu alargasse esse conceito a todos os europeus, brancos e cristãos, então os meus “irmãos de sangue” (e os dos nazis!) também incluiriam os ESLAVOS, os tais que, sob a óptica dos “meus” “irmãos de sangue” alemães nazis, eram “untermenschen”, ou seja, SUB-HUMANOS!
É desta ideologia, a que diz que seres humanos são sub-humanos, que estamos a falar! Falamos da ideologia que diz que os sub-humanos devem ser exterminados. E é esta ideologia que você, pelos vistos, louva.

Pippo disse...

(cont.)

“Essa atitude de procurar manter e isentivar o sentimento de culpa dos Alemães é precisamente o tipo de atitude que tem causado a dessegregação da civilização europeia.”

Não, erro seu. O que provocou a dessegregação da civilização europeia foi ter havido uma Alemanha que iniciou uma guerra criminosa contra um país estrangeiro e ante o ultimato da França e Reino Unido, não retirou imediatamente as suas forças do solo do país agredido.
O que provocou a dessegregação foi a Alemanha, um país “civilizado”, ter conduzido uma das maiores políticas de extermínio da História da Humanidade com base em motivos “raciais”.
O que provocou a dessegregação da nossa Civilização foi os europeus terem concluído que, sendo a Europa tão “civilizada” a ponto de arrogar o direito de ter colónias para “civilizar” os “povos inferiores”, essa mesma Europa, na figura de um dos mais civilizados dos seus países, ter cometido barbaridades sem nome.

A Alemanha contribuiu muito para a Humanidade em termos de descobertas cientificas, musica, letras, arte, e também inventou mais uma data de coisas como as armas químicas, a guerra racial, a “Guerra Total”, os campos de extermínio, enfim, só contribuições benéficas.
Ora, o facto da Alemanha ter na coluna do “Bom” o Schiller, o Beethoven ou o Händel, não compensa a coluna do “Mau” de Treblinka, Auschwitz, Sobibor, Babi Yar, ...

“não se preocupe, a Alemanha está já numa fase sem retorno de declínio demográfico e daqui a poucas gerações pode ser apelidada de turcolandia e nesse dia TALVE[Z] sem a hegemonia alemã a europa possa ser um local muito difícil para viver e não o local maravilhoso que muitos pensam que vai ser.”

Pois, tem toda a razão! Seria muito melhor viver sob a benévola hegemonia nazi, onde todos os que tivesse “sangue inferior” seriam a seu tempo devidamente exterminados: primeiro, os judeus e ciganos;logo a seguir, os eslavos; depois, os “homens alpinos” (franceses, italianos, etc.), e como nós, portugueses, estamos contaminado até mais não de sangue judeu, árabe, etc., também estaríamos na calha. Os únicos que escapariam seriam, precisamente... os árabes e os turcos muçulmanos, porque os nazis gostavam muito deles!!!

PS - você escreve esses dislates só por gozo ou acredita mesmo no que está a dizer? Gabo-lhe o absurdo, no entanto. Talvez devesse considerar escrever para os Gato Fedorento...