domingo, março 04, 2012

Vladimir Putin vence com uma maioria magra

O primeiro-ministro Vladimir Putin vai à frente da contagem com 63,42  por cento depois de contados cerca de 30 por cento dos votos, informa a Comissão Central.
Segundo a mesma fonte, Guennadi Ziuganov, candidato comunista, vem em segundo lugar com 17,26 por cento; o multimilionário russo Mikhail Prokhorov consegue 7,29 por cento o líder ultranacionalista Vladimir Jirinovski conquista 7,19 por cento; e Serguei Mironov, líder do Partido Rússia Justa, consegue 3,67 por cento.
Estes dados dizem respeito aos resultados da votação no Extremo Oriente e Sibéria  e, por isso, os lugares dos candidatos, salvo os de Vladimir Putin e Guennadi Ziuganov,  poderão mudar.
Prokhorov, por exemplo, deverá, segundo as sondagens, ficar em terceiro lugar, o que será sem dúvida uma vitória deste líder liberal.
Dezenas de milhares de apoiantes de Putin reuniram-se no centro de Moscovo para festejar a vitória do seu candidato à primeira e espera-se que o vencedor chegue ao palco montado na Praça Manejnaia para discursar.

Porém, não obstante a vitória à primeira volta, Putin regressa ao poder politicamente fragilizado, pois teve um resultado muito aquém de vitórias anteriores. O atual Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, foi eleito em 2008 com 70,4 por cento dos votos. O próprio Putin foi reeleito em 2004 com cerca de 74 por cento.
A polícia montou uma forte operação de segurança para evitar contactos entre esses manifestantes e apoiantes da oposição, que poderão sair para as ruas da capital russa para protestarem contra as “fraudes e falsificações”.
Dezenas de agentes, autocarros, camiões bloquearam as ruas que conduzem ao edifício da Comissão Eleitoral Central da Rússia.
A oposição afirma que o escrutínio ficou marcado por “numerosas fraudes e falsificações” e convidou para amanhã uma numerosa manifestação em Moscovo, para uma das praças centrais da capital russa.

11 comentários:

Tiago disse...

Caro Milhazes, não será o Putin mais popular nestas regiões (Extremo Oriente e Sibéria) do que nas zonas urbanas de Moscovo e S. Petersburgo? Tinha a ideia que sim, apesar da contestação no Extremo Oriente à política de importações. E caso seja verdade, então será apenas de esperar uma menor percentagem de Putin -- talvez até insuficiente para ganhar à primeira volta?

De qualquer maneira, um bom resultado para Mikhail Prokhorov.

Jose Milhazes disse...

Tiago, prognósticos só no fim do jogo. Vamos ver amanhã da manhã.

anónimo russo disse...

Nas circunstáncias de hoje, isto foi uma verdadeira vitória, que vale mais do que as vitórias de algum 2004. Mesmo alguns dos oposicionistas moderados consideram que nenhuma falsificação podia dar este resultado, mais de 60%.
Pela primeira vez foram instalados camaras-web em todos os lugares onde se fazia o escrutínio (mais de 180 mil (!), se não me engano), que transmitiam em direto pela internet tudo o que se passava lá). Neste momento pode-se ver a contagem dos votos em directo:

http://webvybory2012.ru/

Jest nas Wielu disse...

Rapaz de Chukotka canta sobre Putin:
http://www.youtube.com/watch?v=
kgGLo4sLX20&feature=player_embedded

Fernando Negro disse...

63% não é, para mim, uma "maioria magra", mas sim uma "larga maioria". São perto de 2/3 dos votos.
Tomara muitos líderes ocidentais serem eleitos com tal percentagem...
É menos que o anterior, sim. Mas, se o resultado final ficar por volta dos 60% é um muito bom resultado. Os resultados anteriores, a superar os 70%, esses foram, sim, "muito bons resultados".
Para calar os críticos, desta vez, até câmaras de vigilância foram colocadas nas salas de voto.
Fico, então, à espera de PROVAS das alegadas fraudes, de que os opositores de Putin tinham já conhecimento, antes sequer de ocorrerem...

Jest nas Wielu disse...

Moscovo no dia eleitoral:
http://drugoi.livejournal.com/3704950.html

Roman disse...

Parabens para o Putin e todos os cidadãos russos! É uma grande Vitória!
Viva a Rússia!

vitória pirrónica disse...

As lágrimas e o dedo em riste dizem tudo para quem sabe ler os sinais. E amor com amor se pagará.

FAB-1980 disse...

Agora é só acompanhar, pelos noticiários na tv e internet, os passos dados por Putin para consolidar a Rússia no cenário internacional ou afundar o país em um buraco.

Serão 8 anos como presidente (pois se reelegerá em 2016)... Então, até 2020, Putin irá reger as rotinas e caminhos do povo russo. Será uma grande década, principalmente se o próximo presidente americano for republicano.Muita coisa vai acontecer nestes próximos anos, estou curioso para ver o desfecho do tal sistema anti-mísseis da NATO na Europa.

A Rússia deve adotar uma política rígida e dura no cenário mundial, defendendo seus interesses e se opondo ao Ocidente, algo que sempre ocorreu com destreza.

Eu estou ansioso pra acompanhar estes próximos 4 ou 8 anos. Será uma década de prós e contras, pois ninguem é perfeito e é muito difícil governar um país com 17 milhões de quilometros quadrados e com dezenas de etnias.

A RÚSSIA É UM PAÍS MUITO MAIS DIFÍCIL DE SE GOVERNAR DO QUE O BRASIL!!!

Quem viver, verá!!! Estarei de olho...

Europeísta disse...

63% pra mim é fraude generalizada. Enfim, acusar o fulano lá de Belarus de ser o "útimo ditador da Europa" não é muito justo, tem mais! Se bem que Putin não é um ditador europeu, ele é um ditador "euro-asiático". A OSCE considerou as eleições como sendo não livres nem justas. Se alguém que comemorar isso.... Regozija-te patife!

anónimo russo disse...

Europeísta disse...
"63% pra mim é fraude generalizada"

Para você pode ser tudo o que quiser, mas a coisa é que na realidade Putin conseguiu este resultado sem "fraude generalizada". Muitos votaram realmente em Putin, quer voce goste, quer não. Voce pode não entender a Rússia, não entender os processos que passam aqui, mas não nem o direito de falar tão definitivamente sobre as coisas que não entende.
Desculpe pelo meu português.