quinta-feira, maio 17, 2012

Recordar a deportação dos tártaros da Crimeia



Texto traduzido e enviado pelo leitor Jest:

 
O dia 17 de maio é o 68º aniversário da deportação dos Tártaros da Crimeia para a Sibéria, Urais e Ásia Central pela decisão do Estaline.

A ação conduzida pelo Ministério da Defesa Soviético e pelo NKVD resultou em deportação dos cerca de 200 mil cidadãos da etnia tártara
da Crimeia, durante a deportação e nos primeiros anos do exílio, cerca de 46% deles acabaram por morrer...

Neste momento na Crimeia vivem mais de 260 mil tártaros da Crimeia, outros 150 gostariam de voltar à sua terra natal.
Hoje o Serviço Federal de Segurança (FSB) russo ainda não aceita tornar públicos os documentos relevantes sobre a deportação forçada dos tártaros, já o Cazaquistão enviou à Ucrânia mais de 10.000 dossiers pessoais dos deportados. SBU publica estes dossiers na sua página, entregando os originais às famílias das vítimas do genocídio estalinista.

Além dos tártaros da Crimeia, da península, pela decisão da cúpula soviética foram deportados arménios, búlgaros e alemães.
Apenas em setembro de 1967 foi publicado o Decreto do Presídio do Conselho Supremo da URSS «Sobre os cidadãos da nacionalidade tártara que residiam na Crimeia». Este Decreto abolia a acusação anterior de colaboração coletiva dos tártaros com a Alemanha nazi, mas afirmava que estes “se enraizaram no território do Uzbequistão e outras repúblicas da união”.

Apesar disso, muitos tártaros da Crimeia entenderam o Decreto com a permissão de voltar para as suas casas. No entanto, o poder local na Crimeia recebeu as instruções secretas para não efetuar o registo oficial domiciliário dos recém-retornados (na URSS a residência sem o registo domiciliar era considerada o delito administrativo, que no entanto poderia ser sancionado com uma pena de prisão efetiva), não registar o direito a propriedade, não admitir as crianças tártaras nas escolas da Crimeia, não empregar os tártaros nas empresas públicas da região.

Tudo isso originava novas tragédias, como a do tártaro Mussa Mamut, que imolou-se vivo protestando contra a terceira (!) deportação ilegal
da sua família da aldeia Donske, nos arredores de Simferopol em 28 de junho de 1978.


No dia 17 de maio na praça de Independência de Kyiv entre 20h00 e 22h00 decorrerá a ação memorial “Acende a vela no seu coração”, organizada pelo Centro Juvenil dos Tártaros da Crimeia e os ativistas anónimos de Kyiv.


Mais informação pode ser vista na página do evento no Facebook ou confirmada com a ativista Tamila Tasheva.

11 comentários:

URAGAN disse...

Foi um grande erro da História os soviéticos terem deportado os tártaros da Criméia... Deveriam terem deportado os tártaros, os georgianos e ucranianos, todos eles juntos, para uma ilha bem isolada, no extremo norte do Mar de Laptev, perto do Circo-Polar Ártico!!!

Caso isso ocorre-se, hoje os dias seriam muito melhores!!!

Pippo disse...

JM, isto é da sua lavra ou é cortesia do Jest?

Anónimo disse...

O Jest tem mais textos neste blog do que em seu próprio blog.

PEDRO LOPES disse...

Bem vindos ao blog "daurss.blogspot.com" da autoria do Senhor Jest, um Ucraniano muito peculiar.

O blog também poderia chamar-se "dojest.blogspot.com".

Jose Milhazes disse...

Pedro, aqui só não escreve quem não quer ou é preguiçoso. Isto é uma plataforma para debater ideias e não apenas para ler. Envie os seus textos. Serão lidos por um grande número de pessoas.

Bruno disse...

E pronto vindo do Sr. Jest não se podia esperar outra coisa.

PortugueseMan disse...

Para quem estiver interessado no acidente do Sukhoi Superjet.

Aqui estão 3 excelentes artigos que tentam dar resposta sobre o que aconteceu.

Infelizmente e como tantos outros acidentes na aviação, este acidente aparenta resultar duma sequência de acontecimentos que acabou em tragédia.

"SSJ 100 descent: Innocent but deadly - Part 1"
http://gerryairways.blogspot.it/2012/05/ssj-100-descent-innocent-but-deadly.html

"SSJ 100 crash site: The worst place in the whole mountain!"
http://gerryairways.blogspot.it/2012/05/ssj-100-crash-site-worst-place-in-whole.html

"SSJ 100 Descent: Innocent but deadly - Part 2"
http://gerryairways.blogspot.pt/2012/05/ssj-100-descent-innocent-but-deadly_17.html

Jest nas Wielu disse...

2 URAGAN

A URSS deportou tártaros e chechenos, lituanos e letões, fuzilou oficiais polacos no massacre de Katyn, matou milhões de ucranianos no Holodomor, no entanto nada disso a tornou mais feliz. Se calhar a felicidade de um país não reside nos genocídios e massacres?

Francisco Lucrécio disse...

Jest nas Wielu disse...
2 URAGAN

"A URSS deportou tártaros e chechenos, lituanos e letões, fuzilou oficiais polacos no massacre de Katyn, matou milhões de ucranianos no Holodomor, no entanto nada disso a tornou mais feliz. Se calhar a felicidade de um país não reside nos genocídios e massacres?"


Isso mesmo! Nem consegue arranjar melhor detegente para branquear os crimes do Nazismo que esse que usa da marca URSS.

Sabe porque deixei de participar aqui neste Blogue?

Por duas razões.

Primeira: As suas opiniões são mais asquerosas que o lixo dos aterros sanitários, não têm qualquer qualidade, são propaganda politica sabuja, rasteira, faz uso da mentira grosseira como método para impôr os seus pontos de vista ideológicos. Aquilo que escreve não tem qualidade nem corresponde minimamente ao rigor histórico. Assenta simplesmente no ódio cego.

Só que não tem os tintins no sitio para se assumir como simpatizante da extrema direita mais retrógrada e desenquadrada do tempo presente.
Vou escreve-lo com todas as letras para que me entenda bem.

Vc é um saudosista do nazismo.

A outra razão porque deixei de participar: é por verificar a complacencia do administrador do Blogue com as sabujices dos seus comentários.
Eu compreendo-o porque o permite isso. Poupa-lhe trabalho.

Faz Vc o serviço por o ele.


Mais uma informação para o Senhor José Milhazes. A Zitinha da Editora Aletheia, agora também é simpatizante da Opus Dei,diz que quando morrer vai para céu. Se ela quer ir para o céu, a mim não me resta outra alternativa que ir para o inferno.

Jest nas Wielu disse...

2 Francisco Lucrécio

Ainda bem que a escrita da V. Excia
é ética, respeita os adversários, possui muita qualidade, corresponde ao rigor histórico, não assenta no ódio cego e tem os tintins no sitio.

Estalinistas são assim, cidadãos exemplares em todos os sentidos...

Pippo disse...

Cumpre dizer que os próprios tártaros afirmam que o governo ucraniano, desde a independência, "não fez qualquer legislação destinada a restabelecer os direitos políticos, económicos, sociais e culturais do povo tártaro da Crimeia."