quarta-feira, março 20, 2013

Primeiro-ministro russo acusa UE de querer destruir sistema bancário cipriota



O discurso de Moscovo sobre a situação no setor bancário cipriota é cada vez mais duro e claro nas acusações.

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medveved, acusou a União Europeia de querer destruir o sistema bancário cipriota a fim de conseguir meios para sair da crise, não se esquecendo de insinuar que essa medida visa também prejudicar empresas e bancos russos.

Parece que o objetivo é destruir o sistema bancário do Chipre. Isto, segundo os parceiros europeus, será útil à economia da União Europeia e contribuirá para sanar a crise”, acrescentou o primeiro-ministro russo.

“Surpreende o facto de, além da ideia de realizar a confiscação [imposição de um imposto sobre as contas bancárias no Chipre], ter sido bloqueada a atividade de todos os bancos no Chipre, incluindo os maiores e bancos com participação russa, absolutamente normais, saudáveis, que não têm qualquer problema com balanços e impostos”, declarou Medvedev, numa entrevista concedida a vários órgãos de informação russos e estrangeiros.

Segundo ele, “no fundo, foi paralisada a atividade operacional corrente [dos bancos cipriotas]”.

“Se essas operações não forem descongeladas, isso ameaça com grandes prejuízos, para já não se falar de que sepultarão o sistema bancário cipriota, ele simplesmente deixará de existir”, frisou.

 

 

Medvedev é da opinião que o Chipre e a União Europeia se comportam como um elefante numa loja de porcelana.

“Por enquanto, as ações da União Europeia, da Comissão Europeia e do Governo cipriota sobre a regularização do problema da dívida fazem lembrar, infelizmente, as ações de um elefante numa loja de porcelanas”, declarou.

“Ou já estão com saudades de crises, ou esqueceram-se do que aconteceu há alguns anos… Parece-me que já foram cometidos todos os erros possíveis, incluindo a demolição dos institutos financeiros em geral, e não só os que se encontram no Chipre”, acrescentou.

O primeiro-ministro russo ameaçou que se o Chipre e a União Europeia não recuarem, os tribunais serão invadis por ações judiciais contra as autoridades cipriotas e os culpados desta crise.

 

Fontes diplomáticas contactadas por nós em Moscovo consideram que este problema irá dificultar seriamente as conversações entre a delegação da União Europeia, dirigida por José Manuel Durão Barroso, e os dirigentes russos, marcadas para 21 e 22 de março em Moscovo.

Como se costuma dizer, eu não gostaria de estar na pele do Sr. Durão Barroso.

7 comentários:

menvp disse...

OS 'CAVA-BURACOS'
.
-> O supervisionador do BPN (vulgo Vítor Constâncio) assegurava que estava tudo bem... depois foi o que se viu... {nota: o BPN ultrapassou fronteiras... foi um 'golpe' a nível internacional}
-> O FMI defendeu que banca cipriota era sólida (supervisionadores à Constâncio)... depois foi o que se viu...
-> Mais: Islândia... etc.
.
-> Tendo em vista um caos financeiro/económico... a superclasse (alta finança - capital global) actua fortemente em dois sectores:
1- 'cava-buracos' nas contas públicas {veja-se, por exemplo, a forma como o Goldman Sachs ocultou a dívida grega};
2- 'cava-buracos' na banca...
.
.
P.S.1.
Existem por aí muitos Esmifra-Contribuintes: os CGTP's e não só... {apresentam propostas/reivindicações de aumentos - e não - propostas de orçamentos... leia-se: querem mais dinheiro não importa vindo de onde...}
Os Esmifra-Contribuintes são uns IDIOTAS ÚTEIS ao serviço da superclasse (alta finança - capital global).
Tal como a superclasse (alta finança - capital global), os Esmifra-Contribuintes não querem que seja retirado poder aos políticos!!!...De facto, os Esmifra-Contribuintes (CGTP´s e outros...) querem obter reivindicações junto dos políticos... e... não querem que a correspondente actuação dos políticos... seja supervisionada pelo contribuinte.
.
.
P.S.2.
Anda por aí muito político cujo trabalhinho é 'cozinhar' as condições que são do interesse da superclasse (alta finança - capital global).
- privatização de bens estratégicos: combustíveis... electricidade... água...
- caos financeiro...
- implosão de identidades autóctones...
- forças militares e militarizadas mercenárias...
resumindo: estão a ser criadas as condições para uma Nova Ordem a seguir ao caos - uma Ordem Mercenária: um Neofeudalismo!

Anónimo disse...

O Chipre, aquela pequena ilhota, é o maior investidor estrangeiro na Russia. Como pode? Estranho nao? Um país tao pequeno ser o maior investidor externo de uma país grande como a Rússia. Sabe como? Com repatriamento do dinheiro. Pq o Chipre é um paraíso fiscal! O Chipre abriga dinheiro sujo dos oligarcas russos. É uma verdadeira lavandeiria de dinheiro da máfia russa. Ora Sr. milhazes como pode o Sr., sempre tao sério e ponderado, omitir essa informaçao?

Anónimo disse...

Quem vai pagar a conta da crise sao os bandidos russos! Certissimo! Acertada e adequada a solucao dada pela UE, estao de parabens! Quem tem que pagar pela crise sao esses mesmo. Quem quiser que defenda o dinheiro dos bandidos russos. Agora, é claro, mais uma crise entre Russia e Ocidente.

José Milhazes disse...

Leitor anónimo, eu já escrevi e afirmei que o Chipre é uma autêntica lavandaria de dinheiro da Rússia. Leia posts anteriores com mais atenção.

Anónimo disse...

(a) - O trambolhão do sistema financeiro do Chipre .
(a) - Terá apenas e só a ver com o seu estatuto Offshore ?
-Será penas e só um problema de se ter tornado na maquina de lavar da oligarquia mafiosa russa. - Será a tal oligarquia russa só por ser russa ou aparentados ; muito diferente dos Dias Loureiros ou dos Bernard Madoff deste mundo.
É caso para se perguntar - mas onde estão os outros?
Offshores -lugares onde se ocultam as vigarices de todos os magnatas do mundo, é essa a sua utilidade, servir de refugio e ocultação de crimes económicos e roubos. -Estejam eles no Chipre na Madeira, Gibraltar ou Cayman...etc,etc não é só um problema da Rússia é um problema do capitalismo selvagem e sem regras etc,etc -Não há que tentar tapar o Sol com uma peneira, né?!
NB:
Não terá a questão do Chipre , algo que ver com isto:
( “Merkel: Perdão da dívida grega será superior a 50% em 24 Outubro 2011,”
“28/10/2012 – Depois de no primeiro perdão terem participado os credores privados ... os Estados europeus credores de dívida soberana grega...”)
Foi a partir destas datas, que se começou a falar de problemas no sistema financeiro Cipriota .

aferreira

Lafaiete (email:tapuiobr@hotmail.com disse...

Sr Milhazes,

os seus livros estão sendo
vendidos em formato digital
ou só os há em papel?
Outrosssim, de que trat o livro
Angola, fim do imperio soviético?

Abraços

mv disse...

A União Europeia está demasiado fragilizada para neste momento travar esta guerra com a Rússia. Isto só vem provar os incompetentes que são os lideres Europeus. Estavam à espera que a Rússia ficasse calada? Isto não vai dar em nada e a UE vai mais uma vez passar vergonha.