sexta-feira, março 21, 2014

HÁ SEMPRE PESSOAS DIGNAS







Caros amigos, vejam até ao fim estas imagens impressionantes. O novo comando russo substitui as bandeiras ucranianas por russas na Academia da Armada da Ucrânia na Crimeia. Mais um acto público de humilhação dos militares e de todos os ucranianos.

Mas o espectáculo não correu bem. Um grupo de cadetes decidiu entoar o Hino da Ucrânia, que começa com as palavras: "A Ucrânia ainda não morreu, nem a glória, nem a vontade" (Ще не вмерла України і слава, і воля".
O comando russo tentou encobrir esse grito de patriotismo com banda de música, mas não conseguiu.
São cerimónias como estas que o Kremlin utiliza para humilhar e lançar pânico entre os vizinhos, mas dificilmente fará aumentar o número de amigos.
Victor Tchernomirdin, antigo primeiro-ministro russo de origem ucraniana, tinha uma célebre frase em relação à política do Kremlin: "Queríamos fazer da melhor forma, mas o resultado é sempre o mesmo".
Perguntem aos militares o que significa um gesto destes? Eles certamente sabem melhor do que eu.

22 comentários:

PortugueseMan disse...

Meu caro,

Se vai colocar videos, também seria interessante colocar pelo o menos o vídeo, de como se demite directores de televisão na Ucrânia.

já para não falar de vídeos que andam disponíveis de como a policia é agredida por grupos armados, ou seja não percebo que lei anda nas ruas de kiev.

E que me parece bem mais grave do que militares ucranianos a cantar o hino do seu país. Afinal são militares.

E apesar da frustração que certamente sentem, também vêm no caos que o seu país mergulhou e não foi preciso os russos para isso.

Será bem mais grave para os militares ucranianos verem no que se está a transformar a Ucrânia, ou o que resta dela. Os militares ucranianos têm plena consciência que podem muito possivelmente estar em breve a matarem-se uns aos outros, de acordo com a sua ideia do que deve ser a Ucrânia, ou do que resta dela.

José Milhazes disse...

Cato PM, eu falei no meu artigo anterior do vergonhoso incidente com o director da televisão, simples não vi o vídeo, porque, se tivesse tempo para o ver e publicar, faria isso. Espero que não chegue ao ponto de imaginar que eu apoiaria um acto daqueles.
Quanto ao resto não comento, pois acho que não vale a pena, já estamos conversados.

PortugueseMan disse...


video dos polícias:

http://www.youtube.com/watch?v=TtyOSnX8ebU

video do director:

http://www.youtube.com/watch?v=1c6eYId4fPE



PortugueseMan disse...

...Espero que não chegue ao ponto de imaginar que eu apoiaria um acto daqueles...

Agora que reli o seu post, reparei nesta sua frase.

Eu sei que não apoia actos destes.

Mas você dá mais relevância aos actos de um lado do que o outro.

E dá a ideia que a Ucrânia está como está por acto da Rússia.

Se a Ucrânia ainda está de pé até hoje, foi pela massiva quantidade de dinheiro que a Rússia injectou no país, ao longo dos anos.

Agora vamos ver o que acontece, quando o dinheiro começar a vir da Europa/FMI.

Aqui é que vai doer a sério.

José Milhazes disse...

Caro PM, a julgar por tanta coisa que já escrevi sobre o tema, não sei se sou eu que escrevo mal português ou você não lê com atenção.

PortugueseMan disse...

Olhe que leio meu caro. Afinal quantas vezes o critiquei?

E sendo eu um leitor do que você escreve, esta é a ideia que retenho sobre a maneira como vê as coisas.

Por exemplo:

Você vê a Rússia como invasor. E a Crimeia? como vê a Rússia?

Nem vou falar da Geórgia e da maneira como fala da "invasão". Porque esquece-se sempre o que precedeu essa invasão.

Pippo disse...

Caro JM, eu também sou levado a partilhar a opinião do PM.

É por demais evidente a sua tomada de posiçao relativamente a este assunto. Você acusa constantemente a Rússia disto e daquilo. Não me lembro de ter visto reportagens acerca de quem controla a Maidan, o "governo" e a "presidência" ucraniana. e contudo, reportagens dessas abundam, até na nossa imprensa escrita.

É demasiado evidente que você dá mais relevância a certas questões do que a outras, por exemplo, encontrou este vídeo (que nada tem de especial, pois ambos fazem o que têm a fazer), mas não publicou outros, por exemplo, com os polícias a levar nas trombas ou a demissão à bruta do tal director da TV.

Porque é que não transcreveu o discurso do Putin? É APENAS um dos mais importantes, senão o mais importante, destes últimos 20 anos.

Você apenas cita ao de leve o precedente Kosovo, mas quando é para falar da Ossétia do Sul ou da Crimeia, e sempre com um tom claramente acusatório relativamente à Rússia, é fartar vilanagem.

Assim, dá a entender que no meio desta crise você preferiria que a Rússia tivesse ficado quietinha, talvez para ser mais cercada ainda, para ser mais limitada, para ser ainda mais menorizada. E depois, quem sabe, desmembrada, como foi projecto dos nossos amigos americanos.

PS - quanto aos militares ucranianos, acho bem que eles cantem e isso, mas é uma espécie de "Canção do Adeus", pois agora terão de voltar para a sua pátria.

Manuel Galvão disse...

Já no tempo do Marquês de Sade era assim: Vícios privados, públicas virtudes!

MSantos disse...

Penso que já deveria ser evidente para todos que o José Milhazes é anti-governo russo, e quando digo anti estou a ser eufemístico, pois esse antagonismo vai às raias da obssessão. Ainda não compreendi porquê e isso será um assunto do nosso amigo que entenderá ou não falar. Este blogue é o seu espaço pessoal onde ele tem todo o direito de expressar o que sente. Das últimas reportagens, como jornalista que tenho assistido, ele tem-se mantido imparcial ou contrário de uns orelhas e mouravitchs que polvilham por aí.
Ao fim ao cabo, depois de todos estes anos que temos aqui andado juntos, já sabemos as tendências de cada um e cabe-nos a nós respeitar-mos as outras opiniões e quais velhos dos marretas, continuar-mos saudavelmente às turras uns com os outros.

Eu pessoalmente acharia muito giro termos estas discussões pessoalmente, ao balcão de um bar e cerveja e whiskey com fartura.
Até com o nosso amigo Dmitro Jest Yatsyuk.

:)

Abraço a todos
Manuel Santos

JMAST disse...

Sr.Jose Milhazes, você é um triste, e mais não digo

JMAST disse...

Você já reparou que a maioria portuguesa que comenta aqui apoia as medidas da Russia?? Porque sera??

Observador disse...

Dr. Milhazes, não percebo a razão de tanto celeuma, analisando a situação do ponto de vista militar quem esteve mal foram os Ucranianos que interromperam uma cerimónia oficial Russa.

Os Russos até foram simpáticos em por a banda a tocar, se quisessem até poderiam dar ordem de prisão aos cadetes Ucranianos.

Mas já que anda numa de publicar vídeos do you tube, a esses dois em que os policias e o director da televisão são espancados, deixo-lhe aqui outra pérola dos nazis de Lviv.

Um bando de elementos do Pravy Sector armados irrompem pelas ruas, enchem tudo que é paredes de simbologia nazi, assaltam pessoas sem o mínimo de pudor na rua e voltam a meter-se com a policia.

http://www.youtube.com/watch?v=ABdPiV1xf7o&feature=player_embedded

Ou seja, no Oeste da Ucrânia o poder caiu definitivamente nas ruas, seria um bom vídeo para colocar no seu site a par do director do canal de televisão e dos policias a ser agredidos.

Pippo disse...

O do director do canal de TV já enviei para o nosso JM, para publicação.

Pippo disse...

MSantos, o Milhazes pode escrever o que quiser e como quiser, mas seria bonito se ele fosse menos faccioso.

Os russos até trataram a bandeira ucraniana com respeito, em lugar de a arriarem e deitarem para o lixo. E quando a bandeira da armada russa foi hasteada, houve aplausos, mas isso não mereceu reparos do JM.

A mim não me incomoda que ele seja anti-Putin, se ele achar que o Putin é uma espécie de Adolfo Hitler 2, mas gostaria ao menos que, face à presente situação na Ucrânia, de golpe fabricado e apoiado pelo exterior, ele nos apresentasse alternativas credíveis - repito, credíveis! - para a actuação da Rússia. E não me refiro, obviamente, nem à diplomacia nem à confiança no "Direito Internacional", que essas asneiras já os russos cometeram demasiadas vezes.

PortugueseMan disse...

Eu pessoalmente acharia muito giro termos estas discussões pessoalmente, ao balcão de um bar e cerveja e whiskey com fartura.

Talvez um dia meu caro, porque nao?

Anónimo disse...

José Milhazes
O filme revela o respeito e a paciência que os russos tiveram por aquele grupo e se fosse nos EU ou na Alemanha eram imediatamente presos.
Veja o que aconteceu aos contestatários de Wall Street.
Cumprimentos
José Corvo

Carlos Caseiro disse...

Vi o vídeo e não encontrei nada de extraordinário. Sei de fonte segura que aos soldados e cadetes foi dada a possibilidade de escolherem prestar juramento (ou não) de bandeira à Rússia. Se repararam eles não se encontravam juntos ao grupo principal que estava na parada. Não vi sequer nenhuma retaliação imediata por estes rapazes terem reforçado o seu patriotismo ucraniano. Se me é permitido comentar, vi apenas um ato de liberdade de expressão.
O ideal seria que estes jovens pudessem terminar os seus estudos e a Ucrânia reconhecesse o curso, apesar desta "espinha atravessada na garganta". Acho que é essa também a vontade destes jovens.
Tudo isto é mais um exemplo de que as tensões entre Kiev e Moscovo afetam o destino de pessoas inocentes. Estes jovens tinham determinadas esperanças que foram goradas, ou não … veremos.
Em relação aos comentários que aqui vi, devo dizer que a rapidez com que o referendo e a forma como a Crimeia se tornou Russa, não foi nada "ortodoxo". Em relação ao referendo as posições oficiais que conheço, incluindo as posições de Kiev, poem em causa a sua realização, não os seus resultados. Feito o primeiro passo (a retirada da Crimeia para a Rússia por vontade expressa da maioria da população) e uma vez que as coisas na Crimeia já avançaram de tal maneira, a preocupação agora deve ser qual o destino daqueles, melhor, das pessoas, que não querendo ser russos querem continuar a viver na Crimeia. Sendo Putin o diabo ou um santo, o que eu ouvi da boca dele foi que na Crimeia seriam consideradas três línguas oficiais: o Russo, o Ucraniano e a língua Tártara.
Vi ontem (20.03) por um canal russo que foram entregues os primeiros 50 passaportes (vulgo B.I.) russos e também ouvi da boca de um responsável que todos os residentes na Crimeia o iriam receber, a não ser que manifestassem a intenção de continuarem cidadãos da Ucrânia no período de 30 dias. Só não percebi com que estatuto. Será que vão usar o exemplo da Letónia? Muitos dos residentes deste país, embora tenham nascido naquele país, terminado ali a escola, são considerados “não cidadãos” sendo no entanto portadores de passaporte da Letónia. Ou será que a Rússia e a Ucrânia vão finalmente reconhecer o estatuto de dupla nacionalidade, seguindo a boa prática e exemplo de Portugal.
Tenhamos esperança que os políticos, seja em Kiev, seja em Moscovo, seja em Bruxelas ou em Washington entendam finalmente que estão a lidar com o destino de milhões de pessoas e pensem no que está para a frente e não no que está para trás.
Lembrem-se que com sanções ou sem sanções Putin já está a perder. Vai ter que investir milhões para trazer a Crimeia para o nível de desenvolvimento da Rússia.
Outro dado adquirido, e não se trata da minha opinião, mas da opinião de ucranianos com quem tenho relações, a Ucrânia não conseguirá sair sozinha da profunda crise económica e social em que se encontra.
O que acham da ideia de os russos, os americanos, os europeus se sentarem todos a uma mesma mesa juntamente com os ucranianos para encontrarem uma solução para salvar a Ucrânia em vez de andarem a fazer joguinhos onde "quem se lixa é o mexilhão"?

MSantos disse...

Pippo

Desde que comecei a participar neste blogue ironicamente em Agosto de 2008, houve algumas perguntas que coloquei constantemente sem nunca ter obtido qualquer resposta. Já desisti.
Porque eles não a têem. E se a têem não será uma coisa lá muito defensável.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Putin continua a comandar os negócios escuros com tudo quanto é gente importante no mundo. Mete nojo ver Obama a fazer de conta que lhe bate ao mesmo tempo que faz a seguinte jogada a duas mãos. Quase ninguém escapa disto, portanto, nada vai acontecer à Rússia. Está tudo combinado. Só pode haver mais uma guerra convencional, tipo Jugoslávia,na Ucrânia, para poderem todos vender armas. Não há inimigos entre poderosos, só há ricos e pobres.E podem crer que o avião da Malásia desapareceu desta forma única para desviar as atenções da Crimeia: já viram a novela que está a fazer a CNN? Tem mesmo de haver uma limpeza mundial das cabeças poderosas, ou isto a que chegámos será mesmo o fim da civilização.

Pippo disse...

Quer gostemos, quer não gostemos do Putin (eu até lhe acho uma certa piada, apesar de saber que ele não é um democrata... mas também não o são os de cá, não é verdade?), quer gostemos ou não dele, o facto é que foi com ele que a Rússia saiu da miséria dos anos 90 e agora impõe-se aos omnipotentes EUA e à cada-vez-mais-URSS UE.

E dado que o Mundo segue regras "reais", e não as "ideais", penso que, para a Rússia, não restariam alternativas a fazer o que fez.

E graças a Deus, sem efusão de sangue! Tomara às nossas "democracias" conseguirem fazer o mesmo!

Anónimo disse...

Chernomyrdin não tinha origem ucraniana, ele costumava dizer que a sua esposa era ucraniana...

Anónimo disse...

-Pessoas dignas são ás pazadas...

http://youtu.be/XLSpPoH3Aac

http://www.voltairenet.org/article182504.html

aferreira