segunda-feira, setembro 24, 2007

Guia turístico da Madeira foi publicado em língua russa



O primeiro guia turístico da Madeira escrito em russo foi lançado na Rússia com o objectivo de dar resposta ao aumento de turistas daquele país na região autónoma portuguesa.
O número de turistas russos para Portugal tem vindo a aumentar substancialmente nos últimos anos.
No ano passado, 13.558 russos visitaram Portugal, e este ano o número poderá atingir os vinte mil.
Segundo dados do consulado de Portugal em Moscovo foram passados 15.300 vistos para russos até hoje.

O guia turístico, com uma tiragem de dez mil exemplares, tem também outro objectivo: fazer aumentar o número de turistas russos para a Madeira que justifique a realização de voos charters directos entre Moscovo e Funchal.

"O facto de não existirem voos directos entre Moscovo e Funchal tem travado o aumento do número de russos que querem visitar a Madeira. Se conseguirmos resolver este problema, não temos dúvida que a ilha da Madeira será um dos destinos predilectos dos russos", disse Irina Serganova, directora da agência turística russa Quinta-Tour, que tomou a iniciativa de publicar o guia turístico.

Patrocinada também pelo Turismo de Portugal e Madeira Islands, esta edição tem uma particularidade em relação a guias semelhantes: um grande número de fotografias, da autoria de vários conhecidos fotógrafos russos, e pouco texto.

"Foi uma opção consciente, pois é muito difícil descrever as belezas da Madeira com palavras, as imagens falam por si", considerou Irina Serganova.
O guia orienta os turistas russos naquilo que de bom tem umas férias na Madeira: vegetação exuberante, clima suave, bons vinhos e excelente culinária, tudo isto associado ao alto nível do serviço nos hotéis madeirenses.
A Madeira começou a ser conhecida dos russos na segunda metade do século XVIII, quando os navios que partiam de São Petersburgo para a América do Sul ou para o Sul de África tinham paragem obrigatória no Funchal para abastecer água e produtos alimentares frescos. Em meados do século XIX, a Madeira passou a ser conhecida na Rússia como lugar de tratamento de doenças como a tuberculose. Pela Madeira passaram russos ilustres como o pintor Karl Briulov, o escritor Alexandre Gontcharov, autor do livro Oblomov, ou o grão-duque Konstantin Pavlovitch.
Além disso, a Madeira era conhecida entre a alta sociedade russa pelos seus vinhos.
Rasputine, sacerdote ortodoxo que gozava de grande influência na corte do último czar russo, Nicolau II, era grande apreciador do vinho da Madeira. Esta bebida foi utilizada para envenená-lo, segundo os historiadores.

7 comentários:

antonio disse...

Constato que na Rússia há muita gente que continua a gostar de czares.
Tão longe que estão e «cheirou-lhes» que a Madeira também era governado por um.

100 papas e 100 medo disse...

Como madeirense que sou, fico muito feliz por esta promocao a minha regiao, que depende muito do turismo como fonte de receita propria, para a sua prosperidade. Obrigado tambem ao Jose Milhazes, por este post e pelo seu blog, sem duvida genuino e actual.

100 papas e 100 medo disse...

Sr. Antonio nao seja inconveniente, se era para ser uma piada tambem rio consigo, senao era, so demonstra falta de conhecimento politico, ate porque se na Madeira existe um "czar", esse czar ganhou sempre democraticamente, ao contrario dos "czars" russos e dos bolcheviques, a que creio voce, pelo comentario que afirmou, deva ser simpatizante.

Jose Milhazes disse...

Caro António, se você tivesse estado na Madeira, não diria isso. Trata-se de uma ilha maravilhosa e os russos certamente que não vão lá por causa dos czares, pois têm um em casa. Saudação aos amigos da Madeira e só tenho pena de não poder visitar-vos mais vezes.

antonio disse...

O comentário feito por «100 papas e 100 medo» ácerca do meu «post» só vem dar razão a quem acha, como eu, que a Madeira é uma ditadura, onde a lei Constitucional não entra.
Lá, ou se anda com o chapéu na mão à espera que o chefe dê a migalha, ou então, é-se escorraçado, injuriado, humilhado, como tem acontecido com tanta gente.
Jozé Milhazes é que não dá por isso: se calhar quando vai à Madeira só olha para as flores…

Jose Milhazes disse...

Caro António, a Madeira tem muito mais que flores. Eu não tenho direito de voto nessa ilha, é uma Região Autónoma. Por isso, os madeirenses que decidam. Ou quer que eu organize um partido bolchevique e tome de assalto o Palácio de Inverno do Funchal (peço desculpa pela ignorância, mas não sei como se chama a residência oficial do dirigente máximo da Madeira)?
Ainda não chegamos à Madeira...

Anónimo disse...

Actualmente os melhores clientes das lojas no Funchal são os Russos por isso acho muito bem! Quem venham muitos porque o nosso comercio esta a precisar!