sábado, novembro 03, 2007

Partidos políticos começam campanha eleitoral


Onze partidos políticos começaram hoje a campanha eleitoral para conquistar o apoio dos russos nas eleições parlamentares, marcadas para 02 de Dezembro.
No escrutínio, em que deverão ser eleitos 450 deputados da Duma Estatal (câmara baixa) do Parlamento da Rússia, participam, por ordem de disposição no boletim de voto, as seguintes forças políticas: Partido Agrário (esquerda), Partido Força Cívica (direita, pró-Kremlin), Partido Democrático (direita), Partido Comunista (esquerda), União das Forças de Direita (direita), Partido da Justiça Social (esquerda), Partido Liberal Democrático (nacionalista e populista) , Partido Rússia Justa (esquerda, pró-Kremlin), Partido Patriotas da Rússia (esquerda), Partido Rússia Unida (centro-direita, pró-Kremlin) e Partido Iabloko (centro-direita).
“Segundo a legislação vigente, a propaganda eleitoral na televisão, rádio e nos órgãos de informação escritos começa a 28 dias antes das eleições” – declarou à agência RIA-Novosti Igor Borissov, membro da Comissão Eleitoral Central.
“A partir de hoje, os partidos poderão publicar propaganda eleitoral nos órgãos de informação, que será financiada pelos próprios” – acrescentou.
Além disso, os partidos poderão utilizar uma hora de tempo de antena grátis nos três canais televisivos e três estações de rádio públicos.
O Partido Rússia Unida, que tem como cabeça de lista o Presidente Vladimir Putin, anunciou que não participará nos debates televisivos com outras forças políticas, sublinhando que utilizará esse tempo de antena para “popularizar o nosso programa eleitoral”.
Além disso, esse partido pretende transformar as eleições num referendo à política do Presidente da Rússia, dando ao seu programa eleitoral o título de “Plano de Putin”.
“Putin continua a ser o líder da Rússia. Por isso, nas eleições para a Duma não há lugar para fazer propaganda pela Rússia Unida, visto que elas, no fundo, serão um referendo nacional de apoio a Putin” – declarou Serguei Grizlov, dirigente da Rússia Unida.
Segundo ele, “no dia 02 de Dezembro será precisamente decidida a questão do dirigente do país. Esse dirigente é, deve ser e será Vladimir Putin”.
As palavras de ordem desta força política concentram-se também em torno do dirigente russo e dos objectivos políticos por ele anunciados: “O Plano de Putin é a vitória da Rússia”, “Um futuro digno para um grande país”, “Da estabilização para o desenvolvimento”, “Construimos uma Rússia pronta a enfrentar quaisquer viragens inesperadas da história”.
Todas as sondagens dão uma vitória confortável ao Partido Rússia Unida, embora com resultados muito diferentes. Se a Fundação da Opinião Pública (FOP) prevê que a força política dirigida por Putin poderá conseguir 44 por cento dos votos, o Centro Russo de Estudo da Opinião Pública (CREOP) aumenta esse vitória para 55 por cento e o Levada Tsentr – 67%.
O Partido Comunista ficará, segundo todas as sondagens, em segundo lugar. Porém, se os estudos realizados pela FOP e CREOP lhe dão 07 por cento dos votos, o Levada Tsentr prevê 17 por cento.
Quanto aos restantes nove partidos, todas as sondagens mostram que eles estão aquém da barreira dos 07 por cento, cuja superação é necessária para eleger deputados. O Partido Rússia Justa e o Partido Liberal Democrático são os que estão mais próximos dessa fasquia com uma margem de 04 a 06 por cento dos votos.

2 comentários:

reifazdeconta disse...

Também é preciso falar dos escandalos cá de dentro como o que está no site www.reifazdeconta.com uma bomba a não perder!

Jose Milhazes disse...

Caro leitor, este blogue é sobre a Rússia e países vizinhos e nada tem a ver com o D. Duarte Pio e os seus direitos ou não à coroa portuguesa.
Se quiser comentar o que está escrito neste blogue, tenha a bondade, mas não aproveite o espaço para publicidade. Por favor!