domingo, novembro 11, 2007

Tragédia no Mar Negro


Fortes ventos e ondulação no Mar Negro afundaram, no Domingo, seis navios, enquanto outros dois estão em situação crítica. Aumenta o número de marinheiros desaparecidos.
Na madrugada de Domingo, o petroleiro “VolgaNetf-139” partiu-se em duas partes, derramando parte significativa das 4.000 toneladas de óleo combustível que transportava. A tripulação está a salvo.
Mais tarde, afundaram-se dois navios de carga que transportavam enxofre: “Volnogorsk” e “Nakhitchevan” (na foto). A tripulação do primeiro foi toda salva, mas entre a tripulação da segunda há a registar oito desaparecidos, tendo-se conseguido salvar três marinheiros.
Onze marinheiros da tripulação do cargueiro “Kobel, que transporta enxofre, tentaram salvar a embarcação durante todo o dia, mas em vão.

Estes acidentes ocorreram no interior do porto russo Kavkaz, situado no estreito de Kerch, que liga os mares Negro e Azov. O cargueiro Ismail, que transportava sucata de Mariupol (Ucrânia) para a Síria, afundou-se Perto do porto ucraniano de Sebastopol.
Dos 17 homens que constituíam a tripulação, apenas dois se salvaram estando 15 dados como desaparecidos. Na mesma zona, a barcaça “Demetra”, que transporta três mil toneladas de resíduos de petróleo, anda à deriva e é empurrada pela corrente para a praia de Tuzla.
O cargueiro russo “Vera Volochina”, que transportava maquinaria agrícola da Roménia para a Rússia, deu à praia na Crimeia, tendo a tripulação sido resgatada com vida. Além disso, dois cargueiros, um georgiano e outro turco, encalharam em bancos de areia perto do porto russo de Novorrossisk.
O Ministério para Situações de Emergência da Rússia culpou os capitães dos navios de não terem dado ouvidos aos avisos de mau tempo, feitos durante o sábado.
Os cientistas e ecólogos falam em “catástrofe ecológica”.
“É uma das maiores catástrofes na Rússia nos últimos anos” – declarou Vladimir Sliviak, vice-presidente da organização ecológica Eco-Defesa.
Segundo ele, “a liquidação das consequências exigirá mais de um ano e, no mínimo, vários milhões de dólares”. “Já agora podemos afirmar que foi provocado um grande prejuízo ao meio ambiente, tendo em conta que os produtos petrolíferos têm propriedades tóxicas” – sublinhou.
“O derramamento de petróleo é uma grande problema, mas é ainda maior o problema da carga de enxofre que se afundou. A envergadura do prejuízo ecológico possível depende das operações do Ministério para Situações de Emergência, mas, em qualquer dos casos, trata-se de uma série catástrofe ecológica”- declarou o académico Serguei Baranovski .
As operações de limpeza ainda não foram iniciadas devido ao mau tempo no Mar Negro.
Nunca a frota comercial russa sofreu tantas perdas num só dia. Depois de uma catástrofe destas, não seria má ideia examinar o estado em que estavam os navios que se fundaram e porque é que o petroleiro se partiu em duas partes.

3 comentários:

Bruno Santos disse...

...e não só caro José Milhazes, é necessário avaliar também as razões da "crescente violência" dos fenómenos climáticos.

Jose Milhazes disse...

Caro Bruno, disse bem,mas acho que avaliação já foi feita, é preciso tomar medidas concretas.

Carreira disse...

SILÊNCIO CULPADO disse...
Perante uma grande sacanice que está a ser feita sobre alguns professores que não recebem vencimento,têm horários d e12 horas ou estão a recibos verdes sugere-se que todos os blogues publiquem a notícia que está no http://cegueiralusa.com