terça-feira, janeiro 08, 2008

Parece incrível, mas é verdade!

Por motivos profissionais, estive uns dias afastado da blogosfera, o que me leva a pedir desculpa aos meus leitores. Mas regresso com duas estórias, uma delas bizarra, outra triste.
Um colega jornalista russo, que se encontra de visita ao nosso país, telefonou-me hoje para perguntar se a grande massa de água que se vê do território da Expo de Lisboa já é o Oceano Atlântico.
Como não entendi a pergunta, ele explicou-me que pretendia ver, com o filho e a esposa, o Oceano Atlântico e sentou-se num táxi de Lisboa com esse objectivo. Qual não é o espanto do jornalista quando vê que o automóvel parou perto da Gare do Oriente, onde já estivera alguns dias antes para visitar o Oceanário, e o taxista disse: "Do cais podem ver o Oceano Atlântico".
O russo fala fluentemente a língua inglesa mas, talvez, o taxista não o tenha compreendido vem e levou-o para o Parque das Nações. A decifração do enigma poderá estar no facto de o taxista ter entendido que o russo queria visitar o Pavilhão Atlântico e o Oceanário. Não ele apenas queria mostrar ao filho o Oceano Atlântico.
A segunda estória está relacionada com o facto de alguns russos que visitaram Lisboa, principalmente jovens turistas e estudantes, me terem chamado a atenção para uma faceta feia da nossa capital.
Disseram eles que, na Baixa, foram frequentemente abordados por pessoas que lhes pretendiam vender drogas e, o que os espantou, foi o facto de isso ser feito às claras. A fama de Lisboa que chega à Rússia é de que se trata de uma cidade segura para os turistas, mas não se pode imaginar que ao ponto de os traficantes de droga se sentirem com tanta segurança no seu centro.
Trata-se certamente de um mau postal de Lisboa que interessa liquidar.

5 comentários:

Luís Bonifácio disse...

Diga aos seus amigos que, se estiverem interessados, podem usar drogas à vontade. Nestes dias a Polícia está bastante ocupada a prender fumadores (de tabaco).

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=272779&idselect=10&idCanal=10&p=200

Nota: Se fosse um assalto na maioria dos casos a policia chega sempre atrasada

devoured elysium disse...

realmente é uma tristeza como a situação não é controlada de forma mais eficaz no bairro alto..

David Leite das Neves disse...

Isso acontece na Rua Augusta não é?
Pois... Na verdade a maioria desses individuos não está realmente a vender droga, mas a tentar enganar os turistas (sobretudo jovens) que realmente procuram droga vendendo-lhes graxa de sapatos (!). A polícia conhece a situação, mas legalmente não pode impedir ninguém estar na via pública a "oferecer" graxa de sapatos às pessoas que passam...

Jose Milhazes disse...

Caro David Leite, se as autoridades tivessem um poder de imaginação tão grande como o mundo do crime?
Isso acontece em toda a zona da Baixa. Já não falo do Bairro Alto, onde presenciei vendedores, mas não de graxa. Aí talvez a polícia já pudesse actuar.

Sapka disse...

No Bairro Alto vende-se droga às claras: coca e haxixe, pelo menos. O tabaco tem venda livre há séculos, mas não é menos nocivo. Há tempos um traficante perguntou-me se eu queria coca. Eu disse que não e perguntei-lhe se ele tinha cigarrilhas - que, de facto, não se consegue encontrar em todo o Bairro. Ficou a olhar para mim espantado...