segunda-feira, abril 21, 2008

Museus mais caros para estrangeiros


Galeria Tretiakovskaia de Moscovo

Já há muito tempo que pretendia escrever sobre isto, mas, não sei bem porquê, foi adiando. Escrevo agora porque, nos últimos tempos, revisitei alguns dos mais importantes museus de Moscovo.
Não há dúvida de que se trata de museus com colecções únicas de obras de arte, que merecem ser visitados, mas intriga-me o facto de os visitantes estrangeiros terem de pagar bem mais pelo bilhete do que os cidadãos da Federação da Rússia e dos países da Comunidade de Estados Independentes (CEI). Por exemplo, um estrangeiro adulto que pretende visitar a Galeria Tretiakovskaia, onde se conserva a maior colecção de pintura russa, tem de pagar 250 rublos (quase sete euros), enquanto que um russo ou habitante de um país da CEI desembolsa apenas 100 rublos (cerca de três euros).
No Museu Puschkin, onde se pode ver uma fantástica colecção de obras de arte da Europa Ocidental, desde o Renascimento ao Cubismo, passando pelo Impressionismo, o estrangeiro adulto paga 300 rublos (cerca de nove euros), enquanto que os outros desembolsam 100 rublos (cerca de três rublos).
Quanto aos estudantes, em ambos os museus, a entrada custa 150 rublos (4,5 euros) para os estrangeiros, enquanto que os restantes pagam 50 (cerca de 1,5 euros).
Eu, como jornalista estrangeiro acreditado em Moscovo, tenho direito a pagar o mesmo preço dos locais, embora, por vezes, isso exija discussão e luta, mas continuo a achar discriminação a actual situação existente. Nem faço ideia se este esquema funciona em algum país estrangeiro.
Isto é tanto mais estranho, porque, num país onde há cada vez mais multimilionários e milionários, há cada vez menos pessoas que olham para os estrangeiros como para ricaços, como acontecia antes

6 comentários:

Ralf disse...

Prezado José,
o Blogger Pedro Macieira (Blog: Rio das Maças)publicou no dia 30.8.´07 uma analise dos custos da cultura em Portugal.
Bem mais caro......
(link via meu nome/homepage)
para compararmos
abraço
Ralf

Almir disse...

Faz parte do complexo de inferioridade herdado dos tempos soviéticos. A URSS impregnou no subconsciente do povo uma noção de que são os credores do mundo, devido ao sacrifícios da Revolução Socialista, do combate vitorioso ao Nazismo e, ademais, pela edificação do "socialismo". Não raro se encontra cidadãos russos expatriados reivindicando (mesmo inconscientemente) cuidados especiais por portarem a cidadania russa. Da mesma forma, tributam os estrangeiros na Rússia com sobre-valores e dificuldades artificiais. Julgam que os estrangeiros, não importa de onde sejam, podem mais do que os russos e cobram isso em rublos.

Jose Milhazes disse...

Caro Ralf, eu não ponho em dúvida que os bilhetes são mais baratos. Quando publico o preço, é para ser comparado. Recentemente, fui ver um bailado do Bolshoi e paguei cerca de 10 euros pelo bilhete. Claro que é muito barato!
Eu chamei a atenção para a discriminação, que acho obsoleta.

paulakiev disse...

Olá Milhazes,

Há em alguns países essa descriminação, mesmo dentro da União Europeia, como por exemplo na Grécia.
O preço dos bilhetes, para os turistas estrangeiros, é mais caro. No entanto em algumas partes o domingo é de entrada livre e é igual para todos.
Na Grécia essa diferença é para incentivar os locais a visitarem os seus museus.

fresquete disse...

Sí, hay cada vez más multimillonarios pero éstos no van a los museos. Y los que van, cada vez lo tienen más difícil. Mi hermana vive en San Peterburgo pero ella y su familia no pueden visitar Hermitage, por que 100 rublos por cabeza es muchísimo dinero para ella, que cobra unos 150€ al mes. Así que me parece justo que los precios de las entradas para los ciudadanos sean subvencionados.

P.S. Perdone que escribo en español, es que entiendo portugués pero no lo domino.

Juanuska disse...

Aquando da minha estadia em Minsk, BY, também achei esta situaçao vazia de sentido...de facto, os preços para estrangeiros são mais elevados, pelo que tentava sempre pedir os bilhetes no melhor russo possivel, para tentar entrar ao preço mais baixo! Infelizmente, nem sempre funcionava.