quinta-feira, agosto 14, 2008

Respostas e contra-respostas

Não é preciso ser bruxo para prever que, nos próximos tempos, iremos assistir a uma verdadeira guerra de respostas e contra-respostas entre a Rússia e o Ocidente. Por enquanto, trata-se de uma disputa verbal. Se este duelo continuar na prática, poderemos não ter guerra entre as partes, mas teremos certamente uma nova corrida aos armamentos.
A corrida aos armamentos na era da "guerra fria" foi uma das causas da queda da URSS, que não aguentou o ritmo. Desta vez, vamos ver...
A Rússia e a Bielorrússia irão assinar no Outono um acordo sobre a criação de um sistema único de defesa anti-aérea, anunciou Serguei Prikhodko, assessor diplomático do Presidente russo.
Prikhodko declarou aos jornalistas que essa decisão foi tomada no encontro de Dmitri Medvedev, Presidente da Rússia, com o seu homólogo bielorrusso, Alexandre Lukachenko, realizado na cidade de Sotchi, costa russa do Mar Negro.
“Os dois presidentes acordaram realizar no Outono a reunião do Conselho Supremo de Estado da União Rússia-Bielorrússia e preparar até lá o acordo sobre a criação de um sistema único de defesa anti-aérea, que irá ser assinado nessa reunião” – acrescentou.
Fontes militares contactadas pela Lusa em Moscovo considera que esse sistema único de defesa anti-área é um dos elementos da resposta russa ao acordo assinado entre Washington e Varsóvia, que prevê a instalação de parte do sistema de defesa antimíssil norte-americano na Polónia e na República Checa.
O acordo entre os Estados Unidos e a Polónia foi assinado em Varsóvia na semana passada.

7 comentários:

Nuno Bento disse...

Pelo menos os EUA ganharam com o recrudescer das hostilidades na Ossétia. Aproveitaram a confusão para meter os misseis de "defesa" na Polónia e R.Checa. O que vira em seguida, misseis na Georgia?.. o presidente georgiano não parece estar contra. Depois dos relatos de forças americanas a combater na Georgia, esta noticia demonstra bem que os EUA enveredaram definitivamente pela Realpolitik. As Nações Unidas não foram ouvidas, e a NATO apenas consultada. O José Milhazes tem toda a razão em falar de corrida ao armamento. Mas não se esqueça do seguinte: os EUA têm imensos telhados de vidro actualmente, a começar pelo Iraque e pelo Afeganistão. E não é preciso ser bruxo para compreender que este país se mete em sérios trabalhos, caso o Irão, a China, e a India lhe virem as costas. é que na América Latina não pode contar com muitos aliados, e a Europa já demonstrou que não quer ser vassalo da NATO (ex. França). Aponte bem, caso nada seja feito, é o fim do regime internacional dominado por um hegemon: os EUA. Diga-se de passagem, não contribuiu muito para a paz no mundo.

Anónimo disse...

É com muita pena que passados dezassete anos do colapsso da URSS se volte de novo a uma corrida desenfreada ao armamento, muito contribui a politica do senhor Bush para esta nova realidade, mas os russos parece que nao aprenderam com a historia, e estao a cair de novo no mesmo erro. Temos de ter em conta, que apesar dos petrodolares em que a russia nada este momento, nao sao vitalícios e a estrutura militar russa está ainda muito longe do que foi o colosso sovietico. Fico por isso muito triste que o maior país do mundo com recursos naturais infindaveis, nao se preocupe antes pelo bem estar e qualidade de vida do povo russo... Que tinha agora todas as condiçoes para ter um nivel de vida muito proximo dos paises mais desenvolvidos.
Rui Carneiro

Anónimo disse...

Não sei como alguns "esquerdinhas" tem simpatia pela Russia. Esse país é o maior exemplo de capitalismo selvagem, onde uma classe de bilionários (oligarcas) fazem o que querem com as enormes riquezas do país. Observem o atual nivel de vida do povo russo, principlamente fora de Mosou e São Petersburgo, é pior que o Brasil. Enquanto isso, vai investir 40% da grana gerada pelo gás/petróleo em armamentos e o povo russo que se foda...

André Bueno

Anónimo disse...

a expectativa de vida entre os homens na Russia em 1990 era de 70 anos hoje é 59.
https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/rs.html#People

Parabéns Putin...

Nuno Bento disse...

Antes de Putin entravasse de metrelhadora pelas casas a dentro - não é verdade caro J. Milhazes?

Parabéns Yeltsin...

Jose Milhazes disse...

Caro Nuno Bento, desculpe, mas n\ao consegui compreender a sua observa;\ao.

Nuno Bento disse...

Caro José Milhazes, obrigado por me conceder a oportunidade para esclarecer o meu comentário. Durante a minha primeira viagem à Rússia, mais concretamente a S.Petersburgo, reparei que muitos prédios tinham partes comuns degradadas, algumas paredes nem sequer já tinham vestígios de tinta. No entanto, as portas exteriores dos prédios e de cada apartamento eram blindadas. E este cenário repetia-se à medida em que visitava famílias diferentes, em localizações espalhadas pela cidade. Então perguntei a razão desta situação. Foi-me explicado que nos piores momentos da crise, 1997-99, já se tinha tornado habitual os larápios entrarem nos apartamentos de metralhadora na mão para roubar. Isso explicaria o investimento nas ditas portas blindadas. Cumprimentos!