segunda-feira, setembro 22, 2008

Uma rainha e santa georgiana "vive" no Convento da Graça


Artigo escrito para a Agência Lusa. A foto é do meu colega André Kosters


A vida de uma das santas mais veneradas da Geórgia cruzou-se com a de missionários portugueses há vários séculos e a sua história acabou representada num painel de azulejos que está hoje numa parede do Convento da Graça, em Lisboa.

Segundo a imprensa georgiana, as autoridades locais já ofereçam cerca de dez mil euros pelo painel, que “vive” meio escondido por armários numa sala que funciona como infantário.

Entre os reis e rainhas georgianos, Santa Ketevan é uma das mais veneradas pela Igreja Ortodoxa da Geórgia, por ter sacrificado a vida em prol da fé cristã e da independência do seu país.

Ketevan reinou na Kakhétia, estado feudal situado no Este da Geórgia, no início do séc. XVII, e foi vítima de uma das tentativas de Abbas I, xã da Pérsia, de conquistar a Geórgia e converter o seu povo ao Islão.

Os georgianos, tal como os arménios, são dois povos do Cáucaso que adoptaram o Cristianismo como religião oficial quase ao mesmo tempo que o imperador romano Constantino.

Esposa do rei David, Ketevan passou a estar à frente do reino depois da morte do marido. O seu cunhado Constantino, que entrou na história com o cognome de Maldito, converteu-se ao Islão em 1605, assassinou o seu próprio pai, Alexandre II, e o irmão Georgui e tentou obrigar a rainha Ketevan a casar com ele.

Ketevan reuniu as suas tropas e derrotou o cunhado, que era apoiado pelos persas. Porém, o xã Abbas I fez refém o filho da rainha, o príncipe Teimuraz, que, não obstante todas as ameaças e promessas, não aceitou converter-se ao Islão. O senhor da Pérsia acabou por o libertar, mas prometeu transformar a Geórgia em ruínas.

A fim de impedir a desgraça, a rainha, juntamente com dois netos, foi entregar-se como refém a Abbas, que a encerrou dez anos na prisão. O xã chegou a prometer fazer dela rainha da Pérsia caso se convertesse ao Islão, o que ela recusou. A 22 de Setembro de 1624, depois de ser sujeita a torturas, a rainha georgiana foi queimada.

Segundo uma biografia de Ketavan, dois missionários agostinhos portugueses, Ambrósio dos Anjos e Pedro dos Santos, que tinham assistido ao suplício da mártir, “ofereceram ao xã 120 mil rublos em troco do corpo da mártir, mas ele não os quis sequer ouvir. Depois de longas buscas, encontraram a sepultura, encomendaram secretamente um caixão, onde depositaram o santo corpo”.

Três anos depois, os missionários portugueses conseguiram retirar os restos mortais da Pérsia. Parte dos restos mortais da santa georgiana foram depositados na Igreja de Santo Agostinho de Goa.

Arqueólogos indianos e georgianos descobriram esses restos mortais em Novembro de 2006. Outra parte foi enviada pelos padres portugueses a Teimuraz I, filho de Ketevan, a fim de o convencer a permitir a actividade missionária católica no seu país. Dessa forma, Ketevan acabou por ser importante para a entrada de missionários portugueses no Oriente. Uma terceira parte foi sepultada na Basílica de São Pedro, em Roma. A Igreja Ortodoxa da Geórgia canonizou Ketevan, sendo a festa da santa realizada a 22 de Setembro.

Segundo a lenda, o painel de azulejos que representa o martírio de Ketavan e se encontra no Convento da Graça, em Lisboa, foi pintado em conformidade com o relato do padre Ambrósio dos Anjos.

A imprensa georgiana escreve que o painel de azulejos necessita de obras de restauro e que as autoridades de Tbilissi já demonstraram o interesse à Igreja Católica Portuguesa em adquirir essa obra por cerca de dez mil euros.

Fonte da paróquia da Graça disse à Lusa desconhecer qualquer proposta para a aquisição do painel.

24 comentários:

Rute Guimarães disse...

Leio com atenção todos os seus textos e gosto imenso, por isso, senti-me impelida a alertá-lo para a incorrecção do acento gráfico na palavra "rainha". Coisas menores dirá, mas não gosto de ver manchas em em trabalhos que respeito. Cumprimentos, Rute.

Jose Milhazes disse...

Cara Rute, obrigado. Bom emendar imediatamente.

Diogo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jose Milhazes disse...

Caro Diogo, o que tem a ver o seu comentário a ver com o texto publicado? Tenha respeito pelo trabalho das pessoas e crie o seu próprio blog. Faça publicidade onde é devido.

sérgio disse...

Sr. José Milhazes, penso que foi muito duro com o Diogo, é certo que este espaço é seu para administa-lo como bem quer e que tem de fazer a sua gestão. É certo que o comentario do Diogo não tinha nada a ver com o seu artigo, mas será que isso não acontece muito aqui com outros leitores que comentam o que bem lhe interessam e falam sobre o que lhes apetece, eu incluido. O que o Diogo pretendeu fazer não é correcto, mas também se vir bem sr. José Milhazes ele apenas pretendia captar a atenção dos leitores deste espaço, que serão bastantes, para o seu espaço, e o facto de escolher este blog para o fazer, não mais é do que reconhecer o seu trabalho e o sucesso que ele tem.

Jose Milhazes disse...

Caro Sérgio, o Diogo podia ter colocado o seu comentário num post deste blog mais adequado, que falasse de política, e não de cultura. Além disso, esse leitor não faz isto a primeira vez e já foi avisado.
Eu só cortei dois comentários neste blog: ou porque insultava as pessoas pou porque (e foi o caso do Diogo) o comentário estava completamente fora do contexto. O meu texto fala de um contacto histórico entre portugueses e georgianos no séc. XVII e nada tem a ver com os comentários do Diogo sobre o Presidente Bush.

ler os outros disse...

HU JIA nomeado para o Prémio SAKHAROV

Em votação secreta hoje realizada nas Comissões de Negócios Estrangeiros e de Desenvolvimento do PE, o activista de direitos humanos HU JIA, de nacionalidade chinesa foi nomeado para o prémio Sakharov, em nome de muitos mais defensores de direitos humanos que as autoridades chinesas procuram silenciar.
HU JIA foi mesmo o primeiro nomeado, reunindo bastante mais votos que os outros dois nomeados.
HU JIA está preso na R.P. China desde que em Novembro de 2007 ousou conversar com a Subcomissão de Direitos Humanos do PE, por video-conferência.
Eu fui a unica socialista a dar a cara para patrocinar a sua indigitação para este Prémio, juntamente com deputados de outro Grupos. Mas muitos mais socialistas votaram comigo.
Vamos agora decerto defrontar-nos com o torcer-de-braços a que esta nomeação vai dar lugar, (designadamente por parte de gentinha que, devidamente instada por Pequim, escreve a palavra "China" só com cifrões), antes de a designação final do premiado ser decidida pela Conferência de Presidentes do PE.

dep.UE AG

Anónimo disse...

Esplendido!

O país esta doente, muito doente, e os representantes portuguêses na UE falam de futilidades.

Sou um jovem recem-licenciado em informática, por outras palavras, faço parte da nova geração de portugueses que ganha de 700-1000€ e que se depara com a dura realidade do país;
O atraso tecnologico é avassalador!
Os meus/nossos impostos servem para pagar salários a funcionarios publicos(neste caso, deputados europeus) que em vez de resolverem os problemas reais e gravissimos do país que representam, passam o tempo a viver como veradeiros lordes do seculo XVII, quem disse que a fidalguia acabou, está ceguinho!!(A diferença é que antes andavam em carroças agora andam em aviões).
A Europa assim não vai no caminho certo, estamos a ser governandos por pessoas que não amam o seu povo, é este o problema.
(Não amam o povo porque não acreditam em raças(ficam arrepiados só de ouvir falar em raças..ai que horror!!) dizem que as raças são todas iguais, claro que assim, para eles um português ou um chinês vale o mesmo..São mundialistas..tanto sangue derramado por europeus pela raça branca em vão!! lamento pelos meus antepassados que a sua luta não tenha qualquer significado)

Os politicos não querem saber da vontade do povo, o ideal o politico moderno é de criar uma sociedade global, uns EUA globais, são uns tristes, porque não compreendem a verdadeira natureza do homem.
Em parte, tudo isto acontece porque os politicos perderam o medo de represálias, escudam-se por detrás de um sistema politico/economico e social que os protege, são intocaveis e eles sabem-no.
Por mim os nossos eurodeputados podem fazer todas as vontades!

-Nada de interagir com o povo
-Apoiar Imigração fora da UE
-Dar aos pobrezinhos do mundo
-Defender direitos dos gays
-Apanhar os nazis
-controlar os media
-Lutar contra politicas natalidade
-Deixar o capital gerir a economia


Tudo menos protejer os europeus, se continuarem o bom trabalho vão ter o meu voto em 2009

Vicente.

osátiro disse...

Mais uma vez, um excelente post do José Milhazes pela informação-aposto que quase ninguém sabia dos contactos entre portugueses e georgianos desse tempo- e por chamar a atenção de responsáveis portugueses para algo que é muito querido na Geórgia.
Esperemos que esses responsáveis tenham em atenção este facto.

Também a notícia sobre Hu JIA (embora um pouco deslocada) é importante- e só demonstra a relevância do blog, pois serve de difusão. Mas se a Sra Deputada se identificasse agradecia.

Quanto ao Diogo- se é um célebre que vagueia pela blogosfera- acho que fez muito bem.

Jose Milhazes disse...

Caros leitores, este blog está desde o início aberto a todos os comentários, desde que feitos de modo correcto. Revi o arquivo e constatei que o Diogo tinha sido avisado várias vezes para colocar comentários completamente descabidos. Quanto ao comentário sobre o activista de direitos humanos, deixei-o ficar, porque se trata de uma causa nobre. Tal como a rainha Ketevan, o dissidente sofre pelas suas ideias.
A julgar pelas iniciais, o texto pretence à deputada portuguesa ANA Gomes. Talvez alguém o tenha retirado de algum outro blog, mas, se foi a própria deputada, não é difícil advinhar o nome pelas iniciais.
Quanto aos postes do leitor Vicente, eu entendo os problemas dos jovens, pois tenho dois filhos, mas não posso concordar com as suas ideias. Escrito de forma meiga o cuidado, o seu comentário não consegue esconder que você é uma pessoa da extrema-direita racista. Neste caso, não posso estar de acordo consigo por uma razão muito simples: estou casado com uma mulher de outra raça (a minha esposa é estónia e, por conseguinte, tem origem num povo que não é indo-europeu) e considero o racismo, mesmo que encoberto por "estudos científicos", uma aberração.
Vicente, quando Portugal não tinha "pretos", ucranianos, romenos, brasileiros, etc., a juventude não tinha os problemas resolvidos, nem vivia no paraíso. É verdade que a política de imigração portuguesa é má há muito tempo, não é preventiva, mas reactiva, mas não é aí que está a origem dos problemas da juventude. Olhe em volta com atenção e verá que é assim.
Se continuar a fazer comentários racistas, não duvide que serão prontamente retirados.

Anónimo disse...

Obrigado! Finalmente tenho as coordenadas para ver o painel de Santa Ketevane, cuja imagem já tinha visto no livro Histoire de la Géorgie de Assatiani.

xico ribeiro disse...

O ESCANDALO DO LEITE CONTAMINADO NA CHINA:
O regime comunista “abafou” o escândalo do leite contaminado, antes e durante a realização do jogo olímpicos. Num regime com as características que nos conhecemos nada é de admirar. Primeiro defende-se o regime e o poder, o povo que se lixe.
A questão que coloco é se em Democracia essa situação era possível acontecer. Claro que não.
Mas, mesmo que tal acontece-se, após o rebentar do ESCANDALO, O PODER POLITICO cairia imediatamente, sujeito à crítica e censura com as consequências que daí derivam. Para estes políticos seria o seu fim.
Pelo contrário, o regime chinês, não faz auto-censura, não se demite, como sempre o fazem, corre sim em direcção ao elo mais fraco e demite uns funcionários públicos (membros do partido) directamente responsáveis pela gestão das empresas estatais. O regime é o único responsável, político e moral, como criminalmente, pela enorme trapaça e vigarice que conduziu contra o seu povo e humanidade.
Tudo leva a crer que haverá mais situações análogas em todas as áreas da alimentação. Há pouco tempo foram as pastas dentífricas, os plásticos utilizados nos brinquedos e nas carnes. Agora temos o leite, mas ninguém fala dos seus derivados que como sabemos são imensos. Este regime é um EMBUSTE e criminoso PARA O SEU POVO.
Atletas olímpicos, treinadores e funcionários, assim como milhares turistas beberam desse leite ou derivados.
Depois disto ainda é possível que alguém no seu juízo perfeito ache que os sistemas políticos, ditatoriais, autoritários e repressivos, são a melhor solução para a humanidade? Quem assim pensar, ou está doido ou sofre de morbidez patológica. Aliás eram estas as características atribuídas as Hitler e Estaline, com os resultados de má memória de todos conhecidos.
24/09/08
Xico ribeiro

Anónimo disse...

tenho de concordar com o vicente

penso que o que ele quis dizer em relação as raças é no contexto de familia. Eu tambem trabalho na area as tecnologias da informação e posso-vos assegurar que isto está pior do parece.
Os trabalhadores de TI em portugal são tratados como operários no inicio do seculo XX, tenho colegas que trabalham 20h por dia a programar e o ordenado não chega aos 1000€, mais grave do que isso, a maior parte das pessoas que conheço e já acabaram o curso estão a imigrar para espanha, EUA etc.
A Empresa aonde estou paga bem aos gestores e a curto parzo os resultados têm sido bons, mas a longo prazo vão pagar CARO o que estão a fazer, eu sou daqueles que a primeira oportunidade saio logo,
Depois temos o governo portugues a fazer propaganda e a mentir descaradamente, dou 1 exemplo;
O computador magalhães é tecnologia portuguesa?!!!?!!?!?!?

É mentira!
Portugal não produz tecnologia electronica, tudo é importado. Apenas são cá montados os pc's

só quem esta dentro do sistema pode falar e saber o estado triste do sector das Tecnologias da informação, e eu estou la e sei do que falo.

Carlos Rodrigues.

Ralf disse...

Prezada Rute Guimarães,
em defesa do autor desde blog -simpatico demais com usurpadores- queria de lhe dar um link, onde uma "rainha" Guativan de Dopeli de Ximas na Persia é mencionada como martir pelo missionario portugues:http://www.ippar.pt/sites_externos/bajuda/htm/catalg/india/indfr.htm
Será ela a Ketevam (Katharina em alemão) ?
Só o prezado e magnamino José saberá !
beijo-a-mão
Ralf

Jose Milhazes disse...

Caro Ralf, não consegui abrir o sítio de que me falou, mas não à dúvida que se trata da mesma rainha:Guativan (Ka(e)tevan) é o nome da santa georgiana em latim.
Envie-me o nome do sítio de forma a puder abri-lo. Um abraço.

Anónimo disse...

A proposito de Santa Ketevan, gostaria de lembrar que em Portugal se encontra publicado um trabalho de autoria de Roberto Gulbenkian, com o titulo «Relação Verdadeira do Glorioso Martírio da Rainha Ketevan da Geórgia», Lisboa 1985, Sep dos Anais da Academia Portuguesa da História., p. 107-186.
FCGil

Jose Milhazes disse...

Caro Gil, obrigado pela informação. Irei ler essa obra obrigatoriamente

vitor sousa lopes disse...

Ainda em relação à Santa Ketevan que faz referência a notícia, desconheço se o nome tem ligação com a imagem do painel de azulejos que se encontra no Convento da Graça, em Lisboa. Pela minha investigação,encontrei efectivamente um painel de 13X10 azulejos, emoldurado por 2 azulejos, nos vãos das janelas do Salão do 2º piso,que mostra ao centro, as imagens em corpo inteiro de uma Santa, tendo aos pés duas águias. Da hagiologia consultada não encontrei qualquer descrição sobre a figura representada. No campo azulejistico, posso esclarecer que este painel é típico de cerca de 1720, pintado provavelmente por P.M.P.- artista setecentista que usava esta sigla para assinalar as suas obras- sendo crível haver outros colaboradores, como ele, que foram discípulos da Escola dos Oliveiras Bernardes, a participar na feitura dos painéis, nomeadamente na feitura da moldura.

Ralf disse...

Obrigatoriamente ?!
Ainda não leu "Catherine of Geogria" do alemão Andreas Gryphius (1616 -1664) ?
Trata se de uma tragédia baroca sobre a "fidelidade provada".
Andreas precisava 10 anos para escrever a obra de 1647 -57 !
Está das todas as outras obrigações agora dissolvido....
:)

Anónimo disse...

Snr. José Milhazes, muito obrigada pelo exelente post e pela informação, que é bem conhecida na Géorgia, mas em Portugal nem por isso.
Tenho muito orgulho de ser georgiana e ter o nome da rainha Ketevan.

Ketevan

Jose Milhazes disse...

Caro Vítor, pode não ter dúvidas de que o painel publicado no meu blog está directamente ao martírio da santa georgiana. Isso é um facto provado, mas obrigado com a achega dada no seu comentário.
Cara leitora Ketevan, para mim é um orgulho ouvir um elogio da sua parte. Já sabe que, se vive em Portugal, tem a sua santa a protegê-la. É pena que o local onde se encontra o painel não esteja aberto ao público. Saudações para a grande nação georgiana, que deu grandes nomes à cultura.

Jose Milhazes disse...

Caro Vítor, pelo seu comentário, entendi que você conhece bem os painéis do Convento da Graça. Eu não estive lá e a foto da Santa Ketevan foi titado por um colega meu da Agência Lusa. Gostaria de lhe perguntar se há algum edição desse e outros painéis e se não existe enttre eles um auto de fé de um monge português? Obrigado

vitor lopes disse...

Caro Sr. José Milhazes

Respeito plenamente o juizo que faz ao associar a imagem do blog ao martírio da santa geogiana. Da minha parte, posso adiantar que não conheço nenhuma obra sobre azulejaria que identifique a Santa que se encontra no painel existente na Graça. Por outro lado, era comum entre os séculos XVII e XVIII os pintores de azulejo utilizarem gravuras e estampas provenientes da Europa para algumas composições de acordo com o pedido dos encomendadores. Por último, resta-me acrescentar que os outros painéis existentes na dependência onde se encontra o da Santa, são alusivos a episódios da vida de Santo Agostinho.

Jose Milhazes disse...

Caro Vítor, obrigado pela sua resposta. Os painéis sobre S.Agostinho de que fala não serão sobre a vida a acção de missionários agostinhos? Eu ando à procura de imagens de um frade agostinho que passou na Rússia: Nicolau Melo e ouvi dizer que no Convento da Graça há um painel dele. Quando for a Lisboa, tentarei procurar. Um abraço.