terça-feira, novembro 18, 2008

Visão russa da Cimeira G-20 em Washington


A renúncia de qualquer país que participou na cimeira económica G-20 das suas intenções conduzirá à perda da sua reputação, declarou aos jornalistas Arkadi Dvorkovitch, conselheiro económico do Presidente da Rússia, Dimitri Medvedev.
“Durante a cimeira reinou uma boa vontade absoluta, a disponibilidade para tomar decisões e a intenção de seguir os acordos aprovados. Trata-se de uma intenção política clara de agir nas próximas semanas e meses. Uma intenção que não é juridicamente obrigatória, mas a renúncia ao seu cumprimento conduzirá à perda da reputação dos países que fizerem isso”, sublinhou após o termo da reunião.
Quanto aos passos posteriores, Dvorkovitch assinalou que “antes de tudo, trata-se de estímulos orçamentais e monetários, o aumento das despesas com infraestruturas e a defesa social, bem como o estímulo da criação de novos locais de trabalho”.
“Em alguns países, trata-se da redução de impostos e, do ponto de vista dos Bancos Centrais, o apoio ao sistema bancário, mas a aposta é feita em que o dinheiro chegue aos receptores finais”, assinalou.
“Devemos participar na elaboração de novos princípios, de novas soluções. No fim de contas, corrigir a legislação interna que diz respeito à regulação dos mercados financeiros”, acrescentou.
Ao caracterizar a Cimeira de Washington, Dvorkovitch assinalou que se tratou de um “acontecimento único”.
“Trata-se da primeira reunião do gênero para a discussão dos problemas prementes. Chegou-se a um acordo, foi aprovada uma declaração que inclui um plano concreto de acções, nomeadamente, a curto prazo, que é preciso realizar até 31 de Março”, declarou.
Segundo ele, o plano de acções contém quatro direcções fundamentais.
“A primeira direcção, continuou Dvorkovitch, é um estímulo monetário-fiscal, coordenado e acordado, para apoiar a economia e impedir a recessão global”.
“A segunda é a formação de novos princípios de regularização dos mercados financeiros: princípios mais rígidos, mais transparentes”, continuou, mas recusou “a regularização exagerada que pode ter consequências sérias e travar o crescimento económico”.
Segundo ele, “a terceira direcção deve ser a reforma dos institutos financeiros internacionais, nomeadamente uma maior representação dos países em desenvolvimento, e a criação de novos institutos para apoiar o desenvolvimento”.
“A quarta direcção, estratégica, é a renúncia ao proteccionismo e o cumprimento dos princípios do comércio livre”, continuou.
Arkadi Dvorkovitch anunciou que a próxima cimeira deverá realizar-se até 30 de Abril, no Japão ou na Grã-Bretanha.

4 comentários:

Espaço Democrático de Debates disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Espaço Democrático de Debates disse...

Prezado Sr. José Milhazes,
Muito boa a matéria acerca da visão Russa acerca da Reunião do G20,que certamente representa o ressurgimento do multilateralismo nas negociações ecnômicas.
No meu blog,já adicionei duas postagens sobre a visita do Presidente Dmitri Medvedev e suas consequência nas relações diplomáticas entre as duas nações,que complentam esse ano 180 anos de vínculos diplomáticos.
Enviei também para seu e-mail um arquivo PDF,sobre uma boa repostagem sobre as relações Brasil-Russia.
Saudações,respeitosamente,
Thiago Pires,blog Interesse Nacional

Jest nas Wielu disse...

"Queda do preço do petróleo salvará o mundo das ambições russas"

Paul Goble

According to an anecdote now circulating in Russia, when oil is 160 US dollars a barrel, Vladimir Putin says that Moscow should rule the world. When the price falls to 120 dollars a barrel, he argues that Moscow should control all the countries of the former Soviet Union.
When it declines to 60 dollars a barrel, the Russian prime minister says that Moscow will oppose the inclusion of Ukraine and Georgia in NATO. But should the price of oil decline still further, to 30 dollars a barrel or less, the anecdote concludes, Putin is going to say that Moscow demands NATO offer membership to both of those former Soviet republics.

Ler mais:
http://www.obozrevatel.com/news/2008/11/18/269161.htm - russo
http://windowoneurasia.blogspot.com/2008/11/window-on-eurasia-falling-oil-prices.html - eng

Gilberto Mucio disse...

Mas afinal, o que ficou decidido, de substancial, nesse Bretton Woods pós-moderno, que até agora eu nao sei...?(risos)