quinta-feira, janeiro 01, 2009

Leitura recomendada


Um destes dias, chegou-me à mão a tradução, directamente do russo para o português, da obra "Coração de Cão, do grande escritor russo Mikhail Bulgakov. A obra, publicada pela Editora Vega em 2008, constitui uma das mais brilhantes da literatura russa e universal. Pelo que pude constatar, é de boa qualidade a tradução feita por Larissa Shotopa. Não posso deixar de estar de acordo com o texto escrito na contracapa e que aqui reproduzo: "Coração de Cão constitui um autêntico fenómeno cultural na Rússia. Escrito em 1925 mas publicado na União Soviética apenas em 1987, Coração de Cão é, segundo Alfredo Barroso, ”a extraordinária história do inefável Sharik (Bolinha), um cão vadio que é transformado – por via de vários transplantes, enxertos e manipulações genéticas – num homúnculo chamado Polygraf Polygrafovitch Sharikov: a mais arrogante, perfeita e acabada besta quadrada que qualquer burocracia, sobretudo a soviética, poderia alguma vez ter produzido”. Uma alegoria satírica sobre a utopia do novo homem soviético, portanto, atravessada por alguma ficção científica que evoca tanto Dr. Fausto como Frankenstein, combinando habilidosamente elementos realistas e fantásticos, situações grotescas e importantes preocupações éticas, aspectos que Bulgakov viria a desenvolver na sua obra-prima, Margarita e o Mestre".
Antes de terminar, apenas gostaria de sublinhar que Sharikov é uma personagem muito mais completa do que o Doutor Fausto e Frankenstein, pois os Sharikov saíram do laboratório e ocuparam cargos importantes na União Soviética. Nesse sentido, Bulgakov conseguiu retratar muito bem a criação do homos sovieticus e prever a sua evolução futura.
Considero que a capa é o único ponto fraco desta edição, pois parece mais de um manual de tratamento de cães, mas isso não me impede de recomendar fortemente a leitura deste livro, bem como outras deste autor.

17 comentários:

Anónimo disse...

Ola JM
SNOVIM GODAM
Onde é que eu posso comprar o supracitado livro em Portugal?

Jose Milhazes disse...

Por exemplo, na FNAC ou noutras grandes livrarias. Se não encontrar, compre através da net à Editora Vega.
S Novim Godom.

Gilberto Mucio disse...

Certamentne uma grande obra, como tudo vindo do genial Bulgakov.

Muito bom encontrar traduções diretas do russo para o portugues, as traduções russo-espanhol-portugues são sofríveis. Perde-se muito da qualidade. A começar por uma "Mestre e Margarida" que possuo. A lí a primeira vez há uns 10 anos. Não falava espanhol, muito menos russo, a pouco tempo relí, e foi totalmente diferente a leitura, pois entendi algumas coisas que antes não sabia.

Senhor Milhazes, o senhor sabe se é possível adquirir essa tradução aqui em Moscou?

Jose Milhazes disse...

Caro Gilberto, não encontrará. Só se encomendar por Net a alguma livraria portuguesa ou à editora Vega. Um abraço

Gilberto Mucio disse...

Obrigado, caro Milhazes. Vou dar uma pesquisada e ver se tem como adquirí-lo via internet.

Inácio Cristiano disse...

Afinal sempre existe o protótipo do Homem Novo. Lembro que era uma citação cara a A.Cunhal e a outros aberracens que lhe reproduziam as citações, pensando referirem-se a uma corte de anjos celestiais, feitos homens pela dialética stalinista.
Que é feito deles? lutam hoje pela libertação dos oprimidos? ou refugiaram-se nos conventos da hortodoxia cristã? ou reproduziram-se em libertos mentecaptos tipo Roman Abramovitch?
Penso que o mais provável... é que estejam acobardados na teia da policia politica, e de algum modo protegidos pelos aparatchiks acessores de Putin e Mendevedev?
Caro Milhazes, estou perto da verdade, ou nem por isso !

Jose Milhazes disse...

Caro Inácio, que posso dizer, os Sharikov são mesmos muitos.

Francisco disse...

Penso que o mais provável... é que estejam acobardados na teia da policia politica, e de algum modo protegidos pelos aparatchiks acessores de Putin e Mendevedev?
Caro Milhazes, estou perto da verdade, ou nem por isso !



Acertou na muge.

Os que ontem eram diabolizados e odiados por oprimir o povo, são hoje venerados e idolatrados. Por precisamente os mesmos figurantes. Mudam-se os tempos mudam-se as vontades.
Já dei uma vista de olhos por o livro de Bulgakov, mas não o comprei não é pelo preço, custa 12€, comprei agora 5 livros sobre a actual crise económica, por isso o tempo é pouco.
A este propósito de leituras recomendadas, o Sr. J.Milhazes não me vai levar a mal por a publicidade. Acabei de ler um livro de dois historiadores Americanos (Creio) Roger Keeran e Thomas Kenny “ O Socialismo Traído” muito elucidativo. Senhor Cristiano se se der ao trabalho de o ler desfaz as suas duvidas!
Cin.naroda

Jose Milhazes disse...

Leitor Francisco, pode publicitar os livros que achar bons, são sempre informações, mas deixe que lhe digue que o livro "Socialismo traído" é pouco sério e muito tendencioso. Não está lá escrito que foi a CIA e os seus agentes que deram cabo do paraíso que era a URSS?

Gilberto Mucio disse...

Trotsky já dizia nos anos trinta, no auge no crescimento industrial soviético: "Está tudo errado e a URSS está condenada. A restauraçao do capitalismo não só é muito provável como inevitável(...)". Toda a imprensa pró-socialista ocidental zombou dele...

jordan shoes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Francisco disse...

Leitor Francisco, pode publicitar os livros que achar bons, são sempre informações, mas deixe que lhe digue que o livro "Socialismo traído" é pouco sério e muito tendencioso. Não está lá escrito que foi a CIA e os seus agentes que deram cabo do paraíso que era a URSS?


Senhor J. Milhazes tive a preocupação em reexaminar com rigor o livro. As únicas referências explicitas à CIA aparecem já no epílogo em poucas linhas na terceira teoria das causas do desmoronamento da URSS.
São seis as teorias apresentadas para o colapso da URSS, mas não todas dos autores do livro. Entenda-se!
1ª____ Vícios do socialismo
2ª____Oposição popular
3ª_____Factores externos ***
4ª_____Contra revolução burocrática
5ª_____Falta de democracia e centralização excessiva
6ª____Factor Gorbatchov
Para que não restem duvidas transcrevo uma parte desse curto capítulo. Diz___« A mais extrema ( repito extrema) destas perspectivas defende que a traição ao socialismo soviético se deveu à penetração da CIA na direcção soviética»…….. mais à frente, « Supor que a CIA fez cair o socialismo soviético é uma ideia que carece de credibilidade. Claro que estavam em jogo factores externos mais poderosos que a CIA». Tem mais uma pequena referência a um artigo do New York Times de 26/022001. Nada mais; Senhor J. Milhazes talvez não estejamos a falar do mesmo livro?
Senhor J. Milhazes se estamos a falar do mesmo, está lá bem explicito sem subterfúgios as causas da derrocada. Foi uma acumulação sucessiva de erros durante décadas, que culminaram com o factor Gorbatchov.
Sobre isto ainda aqui quero referir a opinião do professor Peter Kenes (História da União Soviética). Diz assim; a que se devem os problemas senão aos resquícios dos 74 anos do domínio comunista? Pode-se atribuir 75% aos comunistas e 25% às reformas! Ou será o contrário? Ou será a combinação das duas coisas? Mais ainda;___ Não existe paralelo na história para tamanho descalabro em tempo de paz!

Mas será que Peter Kenez, assim como David Satter em (Madrugada Sombria) também são pouco sérios e tendenciosos? Talvez deva ler apenas Cem Anos de Terror na Rússia de A. Yákovlev!
Sobre Lev Trotski, existem excelentes trabalhos da sua autoria, e de outros autores sobre ele.As Memórias de um Revolucionário de Victor Serge por exemplo.
Senhor J. Milhazes quanto ao paraíso que era a URSS o Senhor o diz lá sabe, porque ao que parece ainda usufruiu dos seus benefícios sem se queixar muito. Quem tinha razão para ignorar a realidade em que viviam eram os Soviéticos porque não conheciam mais nada, o Senhor já conhecia outros mundos, era seu dever na altura denunciar o que via que estava mal, não é do modo como o está fazendo. Porque quem assiste a um crime e não o denúncia passa a ser conivente.
Sobre isso gostava que o Senhor J. Milhazes me respondesse a uma questão que já aqui coloquei várias vezes sem obter resposta. A grande maioria da população que fazia parte da URSS o que beneficiaram com as mudanças? Vivem melhor hoje que viviam? Resolveram os seus problemas sociais? Ou viram-nos penosamente agravados?
Eu questionei a maioria da população. Não são os Deripashas que por aí parasitam!
Obrigado
Cin.naroda

Senhor Mucio
Sobre Lev Trotski, existem excelentes trabalhos da sua autoria, e de outros autores sobre ele.As Memórias de um Revolucionário de Victor Serge por exemplo.

Jose Milhazes disse...

Leitor Francisco, basta ler a entrevista que os autores desse livro deram ao jornal Avante para ver quantas mentiras e conclusões tendenciosas contém a citada obra:
"Não havia crise nenhuma na União Soviética, havia problemas, mas não uma crise…" (mentira!)
"No plano das nacionalidades, não se observavam conflitos ou contradições nacionais relevantes entre os povos da União Soviética. Havia problemas, dificuldades, mas não uma crise" (mentira!).
"A visão de que a União Soviética sofria de um défice democrático e de um excesso de centralização está muito espalhada entre socialistas reformistas, sociais-democratas, historiadores burgueses e mesmo entre alguns comunistas, mas, na nossa opinião, é uma visão errada e exagerada dos problemas da democracia soviética" (mentira!).
"Apesar de alguns problemas, a democracia soviética tinha uma grande vitalidade. Cerca de 35 milhões de trabalhadores participavam directamente no trabalho dos sovietes, que eram instituições de poder que tomavam decisões efectivas, 163 milhões de trabalhadores estavam sindicalizados, o partido tinha 18 milhões de militantes, a democracia tinha outras instituições como as secções de cartas do leitor em todos os jornais, as organizações de mulheres e de jovens. É verdade que todas estas instituições tinham insuficiências, poderiam funcionar melhor e de forma mais efectiva, mas não é verdade que fossem instituições de fachada" (mentira!)
Quer que continue?
O facto de os russos viverem hoje em más condições não significa que o regime comunista fosse bom. Na China, passa-se exactamente o contrário: hoje, os chineses vivem muito melhor que no tempo de Mao, que encarnou uma das formas de comunismo. Isso não significa que se diga que agora os chineses é que estão bem.
Francisco, você conhece-me assim tão bem ao ponto de saber se eu vivia bem na URSS, não criticava, não protestava? Por exemplo, naquela altura não havia internet, por isso eu não tinha um blogue.
Mas fiz uma coisa: quando compreendi que o regime comunista era um embuste, mudei de ideias, e não tenho vergonha de o dizer. Diz o povo, e com razão, que só os burros não mudam de ideias. Pelo menos, segundo este critério, não sou burro.

Jest nas Wielu disse...

1. Muito bem dito, os Sharikovs sao todos eles, bem posicionados na Russia actual, de certa maneira o actual primeiro - ministro russo e um Sharikov autentico (nao e por acaso, o homem que disse isso no programa "Kukly", E. Shenderovich, perdeu o direito de trabalhar na TV (talvez para sempre)...

2. Capa - um disparate.

Francisco disse...

Senhor José Milhazes
Desejo primeiro que tudo, esclarecer que não é meu objectivo alimentar polémicas à volta do livro supracitado ( Socialismo Traído). Nem tão pouco fazer a defesa do mesmo, é um assunto que compete aos autores e ao editor. Pretendo simplesmente provar que tudo que tem afirmado até agora e diz constarem do livro, não se encontra lá. Talvez as tivesse tirado de outro lado qualquer, deve ser essa sua confusão.
O Senhor Milhazes em principio citou as referências feitas à CIA. Fiz uma pesquisa minuciosa o que encontrei foi precisamente o contrário daquilo que o Senhor mencionou.
Voltei a confronta-lo de novo sobre isso, o Senhor Milhazes não só não me respondeu, como me escarrapachou com uma entrevista dada ao jornal Avante pelos autores do livro. Brindando-me ainda com mais uns números e umas citações que nem lá constam.
Senhor J. Milhazes não ponho em causa a sua honestidade e a sua competência profissional. Mas o Senhor também não pode por em causa aquilo que os meus olhos vêm e pode ser consultado por quem tiver interessado
Primeiro começou por dizer que o livro era pouco idóneo e tendencioso, porque dizia que a URSS era um paraíso. Na opinião do Senhor Milhazes não é mais que um compendio de enaltação às« virtudes» do sistema? Pois se tiver o livrinho à mão veja no inicio do 3º capítulo o que diz Gregory Grossman um conceituado analista da Universidade da Califórnia; passo a transcrever « A economia-sombra da URSS e o seu restante submundo----delapidação, corrupção, crime organizado---- acabaram por contribuir para o colapso do sistema…….(ela) culminou no suborno de grande parte do aparelho formal de governo e controlo no interior da hierarquia partidária estatal, no corte ou desgaste das linhas verticais de comunicação e autoridade, enquanto reorientava os interesses privados ( ou de grupo) e as alianças da nomenklatura para com as novas fontes não oficiais de riqueza e poder----com consequências terríveis para o império, a união, o sistema, e a economia». De seguida prova-o com números e factos. Mas não é só sobre este tema que o livro faz denuncias centra-as a todos os ramos da sociedade. Além de Grossman, também constam analises e opiniões de outros conhecidos especialistas internacionais.

Quanto ao Avante; não sei por qual a razão o Senhor trouxe esse jornal para a liça? Se estávamos a discutir a suma do livro! Não compreendo quais os objectivos que pretende atingir!
Senhores Milhazes já aqui o disse; sou um cidadão livre em todas as minhas decisões. Não vivo preso a vícios, a mitos, a crenças, a seitas, ou a qualquer organização partidária.
A não ser que porventura o Senhor e esse jornal ou o partido que representa tenham alguma conta por saldar. Se eventualmente for isso? Não me diz respeito!
Que fique bem assente; não é minha intenção fazer a defesa da obra nem discuto se é séria ou falaciosa. O centro da discórdia é o que lá está impresso. Cheguei à conclusão que desta forma não encontramos uma saída. Por todo o respeito e prestigio que o seu trabalho merecem . Perdoe-me Senhor Milhazes, sou forçado a dizer-lhe. Como não me presto para desgarradas, a partir deste momento dou o assunto do livro por definitivamente encerrado!
.
Sobre a outra questão; não foi dos Chineses que lhe fiz a pergunta. Foi sobre as condições actuais de vida da maioria das populações que faziam parte da ex-URSS. Se o sapo for muito difícil de engolir poupo-o a esse sacrifício! Nunca aqui defendi o regime comunista da URSS, nem nunca disse que era bom. Denuncio sim, são as condições terceiro mundistas para que foi empurrada uma parte da população. Aliás já aqui citei; (não se pense que aquilo era um paraíso de Kichenev a Providenia). Se foi um inferno? Quando aí cheguei em 1988 já tinham extinguido as chamas!
Quanto a conhecer o Senhor Milhazes só da televisão. Como o Senhor depreendeu que eu era de esquerda, tive o direito sem usar a má fé de depreender também algo do Senhor. Quanto ao modo como vivia na URSS, são questões que apenas ao Senhor Milhazes dizem respeito. O meu interesse resume-se simplesmente (enquanto me o permitir) em torno do debate de ideias aqui no seu fórum.
Não vou terminar sem dar o meu parecer sobre a sua sapiente aula de zoologia.
Senhor Milhazes, a educação que recebi dos meus país, dois agricultores analfabetos, a incipiente cultura que consegui adquirir ao logo da minha vida , o respeito que devo manter por os outros, e a minha conduta moral, não me permitem que responda a uma provocação grosseira do mesmo modo que me é dirigida.
No entanto sobre a espécie em questão digo-lhe; houve uma coisa que o Senhor se esqueceu. Existem alguns asininos mais espertos que outros. Percebem que têm de pôr-se em marcha sem serem tocados, ou que as circunstâncias os puxem.
Cin.naroda

Jose Milhazes disse...

Leitor Francisco, citei a entrevista os os autores do livro derao ao Avante, porque ela sintetiza as ideias presentes no livro. Apenas fiz copy e past.

Anónimo disse...

Caros Senhores
Permitam-me congratular a existênçia de blogs desta natureza qual oasis no meio do deserto onde podemos beber alguma cultura.
Sou pouco intervencionista neste blog gosto de ler as opiniões e tentar imaginar o perfil das pessoas que nele interveem, no fundo limito-me a fazer como dizia o Poeta Aleixo

" Entre leigos ou letrados,
fala só de vez em quando,
que nós, ás vezes calados,
dizemos mais que falando."

Na minha modesta analise quer-me parecer que o Sr Francisco é uma pessoa no minimo respeitadora, e por ventura com um conhecimento de causa que merece respeito, convicto das suas ideias e ideais, o mesmo não se pode por ventura dizer de alguns membros do reino da bicharada tetrápodes(ou quadrupedes)que não precisaram da Perest..., perdão, recontrução para mudarem de sentido nas veredas e atalhos por onde caminham.
E ja que estou numa de populaça como diz o ditado "não mordas a mão que te alimenta"

Cumprimentos
JG