sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Até a música pimba é uma arma!


Em tempo de profunda crise económica internacional, qualquer insignificância pode servir para distrair as atenções do público. Uma canção sem qualquer tipo de qualidade de um grupo desconhecido de jovens georgianos conseguiu "tirar o sono" ao primeiro-ministro Vladimir Putin, cujo porta-voz já reagiu.

Dmitri Peskov, porta-voz do primeiro-ministro russo Vladimir Putin e membro do comité organizador do Festival da Eurovisão-2009, considerou hoje que a interpretação da canção “We don’t wanna put in!”, pelo grupo georgiano “Stephane & 3G”, será recebida como “transmissão de ambições pseudo-políticas” ou “simples hooliganismo”.
“Se realmente é assim, apenas resta lamentar o facto de os participantes da Geórgia não tencionarem realmente apostar na criação, mas utilizarem um concurso tão popular em toda a Europa para a transmissão das suas ambições pseudo-políticas, ou seja, simples hooliganismo”, declarou Peskov aos jornalistas.
O conjunto “Stephane & 3G”, que irá representar a Geórgia no Festival da Canção da Eurovisão, cuja final se realizará na capital russa no mês de maio, vai interpretar uma canção já considerada “anti-russa” por numerosos órgãos de informação russos.
A letra da canção em inglês “We don’t wanna put in” está a ser considerada como um ataque ao primeiro-ministro Vladimir Putin, podendo ser interpretada como “Nós não queremos Putin”.
Dmitri Peskov espera que os “hóspedes georgianos da Eurovisão moscovita mostrem uma música bonita e verdadeira, que corresponda à riqueza do povo e cultura georgianos”.
“Em todo o caso, estou convencido que, na Rússia, ninguém irá cantar a canção “Adeus, nosso querido Micha”.
Micha é o diminuitivo de Mikhail, nome do Presidente georgiano e inimigo fidalgal de Vladimir Putin. Essa composição musical foi o hino dos Jogos Olímpicos de 1980 em Moscovo.
A Geórgia participará nas primeiras meias-finais do concurso a 12 de Maio, tendo a canção portuguesa como uma das concorrentes.
A final do Festival da Eurovisão realiza-se a 16 de Maio, havendo ainda muito tempo para novos capítulos da novela.

É pretexto para dizer: até a música pimba é uma arma!

40 comentários:

ABC/KREMLINO disse...

Remeto para o comentário do post anterior. Isto confirma-o totalmente. Putin tem de ser superior a isto, ou está tramado...

Jose Milhazes disse...

Parece é que não consegue passar...

PortugueseMan disse...

Se este festival fosse noutro local era uma coisa, mas a realizar-se na Rússia, eu acho muito perigoso.

Mesmo com segurança apertada, uma música destas, existe um grande risco de algo correr muito mal.

Interrogo-me se esta canção irá participar.

O impacto político já existe, e leva Putin para a ribalta, uma vez mais. Portanto a intenção de mediatismo, existe e já está a actuar.

Se a Rússia impedir a actuação da Geórgia com esta música, irá ser alvo das atenções de todos os jornais do mundo.

Mas se permite e algo lhes acontece durante o festival (não podemos esquecer que é em directo para centenas de milhões de pessoas), será muito, mas muito pior.

Acho que a Rússia poderá impedir a participação desta canção.

Quem já está a ganhar é a Geórgia, pois quer participe ou não, o objectivo político está atingido, faltando ainda ver o total dos dividendos da sua aposta.

Anónimo russo disse...

PortugueseMan,

Pode não se preocupar, a cansão não vai ser proibida, nem nada lhes vai acontecer. È a minha opinião e estou certo. Por sinal, o sr. sabe, quantos georgianos vivem e trabalham na Rússia? Pode ficar tranquilo, aqui já há muito que os ursos não andam pelas ruas.

Anónimo russo disse...

Um vídeo interessante. Não sei se as pessoas na Europa viram. Saakachvili foge de um avião russo inesistente, que ninguem, alem dele, não consegue enxergar.

http://life.ru/video/5008

PortugueseMan disse...

Anonimo russo,

Você pode ter essa visão mais optimista, mas não consegue responder por toda a gente.

Acredito que praticamente a totalidade das pessoas, poderão tipo assobiar para demonstrar o seu descontentamento, mas não pode garantir que seja 100% das pessoas e aqui reside o problema.

E agora até estou a pensar no seguinte, pensemos em futebol.

Em todo o lado existe problemas associados a claques, quando dois grande clubes rivais se encontram.

Regra geral tem que haver medidas de protecção aos da equipa visitante.

Muitas vezes há problemas. E estamos a falar de futebol.

Agora estamos a falar de dois países, onde recentemente estiveram envolvidos num conflito que gerou mortes.

Na minha opinião, a participação desta canção vai ter que ser muito bem equacionada pelas autoridades russas.

Jest nas Wielu disse...

Duas pequenas rectificações e uma antevisão:

1. O nome do Presidente da Geórgia é Mikeil e não Mikhail. Pires não é mesma coisa que Peres ou Perez.
2. Presidente já sabia do teor da conversa entre Puten e Sarkozy, onde Puten dizia que gostaria de “pendura-lo”, tal como americanos fizeram com Saddam.
3. We don’t wanna put in de certeza será a “Lasha Tumbai” №2.

Pippo disse...

Na pior das hipóteses haverá uma vaia monumental em directo.
As autoridades russas não poderão ser responsabilizadas, pois não podem colocar mordaças nas pessoas nem potenciar distúrbios.
Seguir-se-á uma declaração pública a condenar a actuação do público (e a justifica-la com base no teor da letra) e pronto.

ABC/KREMLINO disse...

JM, não percebo o seu comentário, acho que estou a ficar afectado pelos "convidados" estrangeiros que por aqui andam arranhando mau português.
Hoje ouvi na rádio em gozo uma versão do " Who's afraid of the big bad wolf?" da Disney com "Quem tem medo do Putin mau?"Estamos a cair no ridículo..O mais idiota é que parvalheiras destas lixam mais uma pessoa do que a "inteligência". Veja bem que os russos usam imenso a Internet americana, que é o state of the at da espionagem, como se sabe. Por exemplo: temos servidores americanos, a gigantesca google, a blogger, as empresas de counters, os mails, a Skype, a Messenger, etc. Tudo do Tio Sam e di FBI, CIA e NASA. É deveras difícil não se ser controlado. Este é o grande ponto fraco da Rússia, se quer saber. Como não têm contramedidas que os protejam dos yankees, deviam evitar ao máximo usar infoamericano. E agora uma treta de uma cantinela vale mais do que mil horas de espionagem no desgaste da imagem do boss. E esta hein!

Kremlino disse...

Medvedev vem a Espanha a 1 de Março. A cooperação portuguesa esfumou-se. Porque será?
Do mal, o menos, vou estar em Madrid nessa altura. Pode ser que seja possível tirar uma foto ao longe...se o FSB deixar...hehehe

Jest nas Wielu disse...

1. Qualquer provocação do “povo indignado” / “jovens patrióticos” do tipo “Nashi” e outros russotropicalistas são muito bem vindos!
2. Texto da canção em inglês e em russo:
http://drugoi.livejournal.com/2870324.html
3. «Não dispara!» Cantora georgiana Nino Katamadze sobre o amor e sobre a guerra russa na Geórgia (Rádio Liberdade, em russo)
http://www.svobodanews.ru/content/Transcript/1496582.html

Francisco disse...

Dar tanto ênfase a provocações de um grupo de jovens obcecados para atingirem a fama berrando frente às câmaras, revela claramente o carácter dos políticos daquela região a começar pela Geórgia, ao patrocinarem e permitirem este achincalhamento do dirigente do país anfitrião. Não tem nada de concurso, festival, ou espectáculo de entretenimento para a juventude, é sim uma orgia bacoca para pacóvios rirem. A Condição Humana segundo Marlaux. Os dirigentes Russos também estão a contribuir para o empolar da situação, ao darem replica estão a envolver a população num assunto que deveria ser resolvido por outros meios.
É uma forma perfeita de entorpecer as mentes do povo fazendo-o desligar-se dos seus reais problemas.
Os Georgianos já não eram bem aceites na Rússia, imagine-se a partir destas atribulações que têm acontecido nos últimos tempos? Os Russos usam uma forma depreciativa quando se referem aos Georgianos. Que é; Tchornie Kavkaz (pretos do Cáucaso).
Que as coisas não estão boas para aquelas bandas é uma verdade. Hoje li na Rianovosti que a antiga presidente do parlamento Nino Burdzhanadze entrou em colisão com Sakaschivili.
Antes aliados agora inimigos.
O essencial é que a U.E. não se esqueça de mandar mais umas migalhas para segurar este (senhor) no poder enquanto for útil, a ultima esmola parece que foram 800 milhões de €.
Cin.naroda

Wandard disse...

Espero que as demais canções concorrentes sejam de outro nível, pois o dessa canção georgiana, se é que o objetivo, é o da suposta tradução está fora de sintonia com o festival, mas de repente o gupo pode ganhar apoio de alguma gravadora europeia, quem sabe inglesa de preferência e fazer sucesso nos países bálticos, polonia.........

Quando é contra a Rússia pode se esperar tudo.

Anónimo disse...

Ao PortugueseMan

Não se preocupe com o risco de algo correr mal no festival.
Os russos sabem muito bem como controlar espectadores em recintos públicos. A sua segurança costuma ser draconiana.Para além disso, a maioria dos presentes serão moscovitas (duvido muito que lá estejam muitos imigrantes georgianos)e estes ir-se-ão comportar da forma "adequada". Os serviços de segurança russos são altamente eficientes. O público, se não beber muito, também costuma ser obediente às ordens.

Jest nas Wielu disse...

Pode-se ver como o OMON russo, sem duvida “draconiano”, está a tratar da juventude putleriana, que tentou fazer os distúrbios no comício do movimento “Solidariedade” (oposição). Não é que OMON juntou-se a oposição, simplesmente o país faz de conta que a “Primavera de Medvedev” continua, além disso, haverá o Eurovisão em Maio e Moscovo quer louros da capital mais ou menos tolerante.
http://drugoi.livejournal.com/2871840.html

p.s.
Vejam a cara do polícia do lado direito na foto principal, não será o irmão – gémeo do Querido Líder dos russotropicalistas?

Francisco disse...

Caro JEST há um enigma que me tem trazido bastante intrigado, que por mais voltas que tenha dado não consigo decifrar.
O senhor é o espelho da Ucrânia ou é a Ucrânia que é o espelho do Senhor?
Cin.naroda

Anónimo russo disse...

PortugueseMan ,

"Acredito que praticamente a totalidade das pessoas, poderão tipo assobiar para demonstrar o seu descontentamento, mas não pode garantir que seja 100% das pessoas e aqui reside o problema"

As pessoas são menos politizadas que voce pensa, nem vão assobiar, eu penso.

Anónimo russo disse...

Francisco,

"Os Russos usam uma forma depreciativa quando se referem aos Georgianos."

Voce não conhece muito bem a realidade na Rússia (estou a dizer isso não para o ofender, mas para explicar). Muitos georgianos fazem parte da sociedade e da cultura russa.


"Os Russos usam uma forma depreciativa quando se referem aos Georgianos. Que é; Tchornie Kavkaz (pretos do Cáucaso)"
1. Não existe tal frase em russo.
2. Acho que quase todos os russos, como eu, associam os acontecimentos dos últimos anos não ao povo da geórgia, mas ao poder dela.
Nós todos estudamos nas escolas, nas universidades juntamente com georgianos, muitos georgianos fazem parte da Russia.


"É uma forma perfeita de entorpecer as mentes do povo fazendo-o desligar-se dos seus reais problemas"


Os russos não são um "povo" sem miolos facil de controlar e de ser dirigido para onde alguem quiser.
Muitos são bastante bem educados:)

Anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Ao PortugueseMan

"Não se preocupe com o risco de algo correr mal no festival.
Os russos sabem muito bem como controlar espectadores em recintos públicos. A sua segurança costuma ser draconiana.Para além disso, a maioria dos presentes serão moscovitas (duvido muito que lá estejam muitos imigrantes georgianos)e estes ir-se-ão comportar da forma "adequada". Os serviços de segurança russos são altamente eficientes. O público, se não beber muito, também costuma ser obediente às ordens."


Mais um insulto cobarde e anónimo ao povo russo (multinacional).Que, ainda por cima, revela a ignórancia da atualidade russa. Muitos dos georgianos que vivem no nosso pais não são nenhuns "emigrantes". Muitos deles ou nasceram aqui, ou vivem há muitos anos (como aqueles, com quem eu estudei, por
exemplo).

Anónimo russo disse...

Francisco disse...
Caro JEST há um enigma que me tem trazido bastante intrigado, que por mais voltas que tenha dado não consigo decifrar.
O senhor é o espelho da Ucrânia ou é a Ucrânia que é o espelho do Senhor?
Cin.naroda

Felismente, segundo eu entendo, esse jest, representa apenas uma parte da população ucraniana. Eu suponho que ele seja um "zapadénets" (representante da população da faixa ocidental da Ucrânia). E a Ucrânia de hóje é muito variada, é muito dividida.

Anónimo russo disse...

Francisco

Quando se fala aqui dos "pretos", trata-se, geralmente, dos caucasianos do Caucaso de Nordeste.

Gilberto Mucio disse...

É a velha mentalidade stalinista.

Chantagem de terceira categoria, que consiste em dar a entender que "falar mal do governo(ou partido ou dirigentes) é falar al do país".

Jest nas Wielu disse...

Caro Francisco, filho do povo

Acho que eu não sou nenhuma das coisas por si referidas, sou considerado nacionalista ucraniano por aqueles que não fazem mínima ideia sobre o nacionalismo ucraniano e sou considerado demasiadamente liberal por os circuitos ucranianos verdadeiramente nacionalistas.

Também me alegra a presunção dos russotropicalistas e dos outros camaradas anónimos que vejam em mim o natural da Galiza ucraniana (Ucrânia Ocidental), para uma pessoa que até XX anos da sua vida não falava ucraniano (eu, quem não entendeu), isso não é nada mal. Bom, já tinha dito antes um pouco sobre mim e não pretendo repetir.

Gilberto Múcio lembrou e muito bem, que amor pela Pátria não se pode confundir com o amor pelos Grandes Chefes da Nação. Mas o ganda urso cai no mesmo erro séculos e séculos seguidos. Desde Ivan, o Terrível até Stalin, o sarnento, o povo adorava (e continua a adorar) os tiranos para depois perguntar de forma ingénua: “Mas como isso foi possível”?

Enfim, os ossos do ofício...

P.S.
Vejam o trecho do último filme de Fyodor Bondarchuk “A ilha habitada”, talvez vão entender o mecanismo que o gene de totalitarismo usa para novamente se infiltrar na Rússia (da onde, diga-se de passagem, nunca chegou sair por completo):
http://ru.youtube.com/watch?v=BpTfs0ELwis

Anónimo russo disse...

Note, Jest, eu não disse nenhuma palavra má da Ucrânia. E voce? Esteve alguma vez na Rússia (ou foi só em criança)? Entende, o que se passa aqui? A julgar pelas suas palavras, não.

Anónimo russo. disse...

Jest,

"Também me alegra a presunção dos russotropicalistas e dos outros camaradas anónimos que vejam em mim o natural da Galiza ucraniana (Ucrânia Ocidental"

Então, Lvov não é "zapadénchina"? Não sou um grande especialista no assunto e não me interesso muito, mas pensava que "zapadénchina não é apenas Galiza. A sua russofobía fala por si. Não é preciso mascara-la com a "luta contra totalitarismo" e outras tolices.

Anónimo disse...

Anónimo russo

Você não faz mais nada do que estar à frente do computador a responder a todos os comentários?
Não tem um trabalho fixo?
Ou é este o seu trabalho?

Anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Anónimo russo

Você não faz mais nada do que estar à frente do computador a responder a todos os comentários?
Não tem um trabalho fixo?
Ou é este o seu trabalho?

Não é consigo (ou como é lá que se diz). Encontrei este blog há pouco e por enquanto é interessante para mim. Tambem, não é preciso gastar muito tempo para responder de vez em quando aos comentários. Eu acho que pode ser interessante àqueles, quem pouco sabe da Rússia e quer saber mais.

Anónimo russo. disse...

Tabmem, anónimo, porque está tão preocupado? Já não é tão fácil dizer o que se quer da Rússia sem argumentação devida? È isso que o incomoda?

An´ disse...

http://www.ljplus.ru/img4/s/e/serb_lj/dontputin.JPG

I don't wanna put in :)

Anónimo russo disse...

http ://www.ljplus.ru/img4/s/e/serb_lj/dontputin.JPG

Anónimo russo disse...

P.S. Tirar um espaço depois de "http"

Jest nas Wielu disse...

Bem, não é o meu habito de responder aos camaradas anónimos, mas hoje ‘to bem disposto e como tal vou dizer alguma coisita.

1. Sim, pode me considerar como natural da Ucrânia Ocidental (que você chama com aquela Z – palavra, simpática e absolutamente nada de má para a Ucrânia), perefraseando o presidente Kennedy, “Hoje todos nós somos da Ucrânia Ocidental”.
2. Não duvido que gostam do totalitarismo, até que o totalitarismo um dia lhe bater na porta. Knock-knock, camarada anónimo, o seu vizinho o denunciou como a pessoa que usa no WC o jornal (pois já não haverá o papel higiénico) com o retracto do nosso Querido e Adorado Tzar. Vamos para o GULAG. Na altura camarada anónimo irá apreciar todas as virtudes de uma democracia ocidental burguesa...
3. Bem, já não consigo perceber quem dos dois russos anónimos fala com quem (é por isso que sugeri o uso de um nick NORMAL, como faz a gente civilizada), mas mesmo assim. Devolvo lhe a sua pergunta, e o camarada anónimo não tem o trabalho fixo ou monitorar o conteúdo deste blogue é algo que faz parte do seu trabalho diário na Firma de Super Brocas?

Francisco disse...

O Senhor Jest tem todo o direito em fazer as suas opções politicas, ideológicas ou morais, desde que não colidam ou ponham em risco a liberdade e os direitos dos demais seres que consigo comungam a vida deste planeta. Pode ser nacionalista, ultra nacionalista ou qualquer ista que entender.
Mas sabe que o mundo e principalmente a Europa já conheceu tantos istas aliados a ismos que ao analisar aqui as suas apetências ideológicas dá sobejamente para entender que se encontra mais próximo de um ismo que nasceu numa Cercejaria «próximo» dos Alpes e acabou por deixar um rasto de mais de 50 milhões de mortos e um continente arrasado. Embora eu me encontre a cerca de 4 000 km da sua tão Idolatrada Galicia isso assusta-me imenso. Assusta-me ainda mais ao saber que os seus conterrâneos quase meio século depois de acabar a guerra foram desenterrar os louvores e as medalhas com que foram agraciados pelos os Nazis e os andavam ( se ainda não andam) a exibir ao peito publicamente nas ruas da sua Ucrânia. Assusta-me ao ver o seu actual presidente a reabilitar fascistas criminosos tipo Stepan Bandera. Assusta-me igualmente ao ver ser reabilitado um traidor monstruoso como Andrey Vlassov. Sinto calafrios ao saber que muitos governantes de países das suas bandas não só permitem, como apoiam grupos com tendências marcadamente xenófobas e fascizantes, mas perseguem e ilegalizam organizações de trabalhadores e de defesa das minorias. Preocupa-me a subserviência cega que os seus governantes e muitos dos seus conterrâneos têm demonstrado face aos interesses do imperialismo Norte Americano, desafiando provocatoriamente os vossos vizinhos, pondo em risco a paz na Europa. Se ainda têm a esperança que beneficiam com essa atitude podem perde-la na medida em que os dólares e os Euros estão cada vez mais escassos, e o que se está a passar na Polónia e na Pré Báltica devia servi-lhe de lição. Ponham os olhos na Bielorrussia.
Que fique bem claro eu nada tenho contra o povo Ucraniano pelo contrário admiro e respeito imenso todos aqueles que abnegadamente e com honestidade têm contribuído com o seu trabalho para o desenvolvimento do meu país. Mas também lhe digo sem rodeios que alguns nem de avião os deviam ter deixado sobrevoar Portugal. Principalmente esses provincianos da sua região (Lviv). Foi por isso que no primeiro contacto que aqui mantivemos eu lhe perguntei de que região era o Senhor (Zapat ou Vostok). Lembra-se?
Temos aqui profissionais Ucranianos muito competentes e responsáveis, excelentes médicos e engenheiros, bons técnicos de todas as áreas. Mas também nos brindaram com uma boa cambada de malandros. Conheci alguns matarruanos dos Cárpatos que nem sabiam usar os talheres à mesa. Roubavam tudo o que podiam deitar a mão. Por esse motivo é que num determinado período começaram a ser mal vistos. Mas felizmente a maior parte dessa trupe já se foi.
Tem duvidas?
Quanto a esse chavão desgastado em rotular de imediato de Estalinista quem não aceita esse seu extremismo caseiro. É um erro; porque para além de Estaline há muito mais ideias e conceitos a defender. Leva-me a pensar que o Senhor vive ostracizado com os extremos. Pela sua lógica ou vivemos num extremo ou noutro. Quando se não está do seu lado está-se do lado oposto? Engana-se e assim como todos aqueles que pensam como o Senhor. Porque entre Estaline e Hitler existe um extenso espaço ideológico.
Cin.naroda

Jest nas Wielu disse...

2 Francisco, filho do povo

1. Essa de que os meus opiniões colidirem com os liberdades e direitos dos demais seres é muito boa, digamos uma novidade russotropicalista, sem duvida.

2. A resistência ucraniana (UPA) lutou tanto contra os nazis, quando contra os comunistas e Stepan Bandera a) estava preso no campo de concentração nazi; b) foi assassinado por um agente da KGB em Munique.

3. A situação económica na Polónia e nos países Bálticos me parece não ser tão má, quando na Islândia, significa que o seu exemplo é uma falácia.

4. Belarus. Embora o ditador Lukashenka mudou do hino e a bandeira, o nome oficial do país é Belarus, assim este país é registado no ONU.

5. Minha origem. Eu já lhe tinha respondido que nem nasci na Ucrânia. Lembra-se?

6. Tenho muitas dúvidas que gente dos Cárpatos portou-se mal. Os católicos praticantes, que vão a igreja e que são a maioria da nossa comunidade em Portugal. Mmm, tenho muitas dúvidas, sim senhora. Mas também já ouvi dizer que Chico filho do povo é um chulo. Tem dúvidas?

7. E já que estamos falar do Stalin e Hitler, tomo a liberdade de vós lembrar que hoje é o “Dia do exército soviético”, e como tal, eis umas fotografias relacionadas com o tema do feriado. Aviso já, PG +18, não para os menores da idade.
http://migello76.livejournal.com/262148.html

Anónimo russo disse...

Jest,

"Bem, já não consigo perceber quem dos dois russos anónimos fala com quem (é por isso que sugeri o uso de um nick NORMAL, como faz a gente civilizada"

Quem tem olhos e bastante miolos, acho, consegue gistinguir o nick "Anónimo russo" de outros nicks.


"Devolvo lhe a sua pergunta, e o camarada anónimo não tem o trabalho fixo ou monitorar o conteúdo deste blogue é algo que faz parte do seu trabalho diário na Firma de Super Brocas"

Eu sou um pequeno empresário e posso as vezes planejar o meu dia da maneira como for cómodo para mim (lusófonos, perdoem o meu português). E você, porque aparece com tanta regularidade num blogue "da Rússia" se não gosta tanto da Rússia? Deixe a nós resolvermos aqui o problema com o nosso "totalitarismo". Por otras palavras, se não entende nada da Rússia atual, não confunda outras pessoas. È melhor, lute para tirar a Ucrânia de onde está metida.

Tambem, não sou um adepto deste tipo de conversas "corajosas" pela internet. Até breve.

Jest nas Wielu disse...

1. Bem, já tinha vós dito que os camaradas não são os administradores deste blogue e pelo que eu saiba o jornalista José Milhazes não vós passou a tarefa de decidir quem deve e quem não deve fazer a parte da discussão.

2. Já não era sem tempo, o camarada me acusar de covardia e marcar me um encontro para falar “pessoalmente como homem” comigo. Olha, olha senhor empresário, uma bonita empresa você está me propondo. Nestes casos clínicos já tinha dito, venham cá, a nossa BO tem muito espaço para os camaradas. Ai você poderá planejar muito planejamento avulso.

Comício do movimento “Solidariedade” em Moscovo:
http://tapirr.livejournal.com/1851074.html

Francisco disse...

JEST referiu que a chamada resistência Ucraniana lutou contra os Nazis, isso foi no fim da guerra quando já se sabia qual era o desfecho do conflito por oportunismo mudaram de campo. Mas no inicio eram aliados dos fascistas contra os Soviéticos. Fosse quem fosse que liquidasse Stepan Bandera teve o fim esperado, os grandes traidores não merecem outro fim.
Quanto à minha interpelação sobre as economias da Pré Báltica e da Polónia, confrontou-me com situação na Islândia, e se há exemplos de falácias e vanglorias patrióticas são os seus. Garanto-lhe afirmativamente sem margem de erro que as economias do Bangladesh do Zimbabué ou das Filipinas estão bem piores que da Islândia. Não se esconda em evasivas medíocres.
Quanto a Lukashenho não é necessário colar-lhe mais rótulos ou meter mais carimbos que aqueles que ele já tem, eu em tempos já aqui me referi a esse (senhor) e sobre a sua voracidade governativa. Deixe-me dizer-lhe também que nem o Senhor JEST ou qualquer Ucraniano da sua cor politica, lhes assiste o mínimo de dignidade para criticar os governantes Bielorrussos. Isto como é sabido apesar da mão de ferro com que têm segurado o poder. No entanto percorra a Europa de lés a lés para ver quantos cidadãos com cursos universitários andam a limpar a porcaria dos Europeus ou a executarem trabalhos recusados por eles, ou quantas jovens Bielorrussas trabalham em bordeis para satisfazer o prazer dos Europeus embriagados e paranóicos. Sim encontra; mas essa percentagem deve resumir-se ao mesmo número dos Ucranianos Orientais ou talvez menos ainda. Como é uma evidencia indesmentível.Não precisa vir à Europa ver o que todos sabemos . Compare apenas as condições sociais dos seus vizinhos do Norte com as vossas. Deve ser frustrante?
Agora sobre o comportamento de alguns dos seus conterrâneos aqui por estas bandas (os tais dos Cárpatos). A determinada altura criou-se uma animosidade tão forte contra eles por causa das tais coisas boas que por cá faziam, que o presidente da Republica de então teve que intervir, afim de acalmar os ânimos.
Temos cá um canal de TV ( por sinal anda próximo dos seus valores políticos que ao abrir os noticiários era sempre sobre Ucranianos) Quanto a esse Chico filho do povo que é um chulo como diz? Não sei o que dizer com isso! Os imigrantes Ucranianos como todos os outros são recebidos e tratados, com respeito e dignidade por os Portugueses.
Os partidos políticos que mais próximo estão da linha de pensamento que o Senhor aqui tem manifestado e defendido (direita) é que estão contra a presença dos imigrantes em Portugal. Porque se os projectos de lei que têm levado ao Parlamento fossem aprovados não só eram agravadas as sanções penais, como era agilizada a sua expulsão .
Sabe a quais partidos estão ligadas as associações de imigrantes? Quem anda a dar a cara aqui pelas ruas em manifestações de protesto contra a descriminação que são alvo os imigrantes, exigir a igualdade de condições e apresentar leis no Parlamento contra a exclusão? São os partidos que o Senhor odeia! É a ESQUERDA e só a ESQUERDA.
Cin.naroda

Anónimo russo disse...

Jest nas Wielu,
acalme-se, eu disse o que disse, nada mais. Posso repetir: "não sou um adepto deste tipo de conversas "corajosas" pela internet". È exatamente por isso que não proponho nada a ninguem, porque acho isso uma cobardia, desde que é feito pela internet.

"1. Bem, já tinha vós dito que os camaradas não são os administradores deste blogue e pelo que eu saiba o jornalista José Milhazes não vós passou a tarefa de decidir quem deve e quem não deve fazer a parte da discussão." Voce me perguntou, eu respondi e perguntei tambem, tanto mais que a minha pergunta era mais lógica. Felismente, os lusófonos, parece, endendem muito bem o que se passa.

Jest nas Wielu disse...

Francisco, o filho do povo

Com que então UPA também lutava conta os nazis. Como diz foi no fim da guerra, quer dizer um pouco. Mas como eu saiba, na guerra não existe essa coisa do “pouco”, a cada minuto pode-se morrer e a morte é sempre definitiva.

Os russo – tropicalistas adoram acusar o Stepan Bandera da traição, só não explicam como um ucraniano que nasceu na Austro – Hungria, cresceu sob a ocupação polaca e desde o primeiro momento lutou contra a nova ocupação soviética (sob qual viveu um ano e meio), pode ser considerado traidor. Sejam honestos e chamem o homem do inimigo, pois ele sempre foi o inimigo do Kremlin e da ocupação soviética. Mas só é possível trair aquilo à que pertences e Bandera nunca pertencia ao URSS. Estude a parte material! P.s. E nao disse nada sobre a prisao do bandera pelos nazis. Hitler nunca prendeu Salazar ou Ante Pavelic. Porque?

Bom, se os seus exemplos terceiro – mundistas pretendiam dizer alguma coisa, acabaram por não dizer nada, pois se o Zimbabué ou Filipinas estão no guano, não foi porque “viraram as costas a mãe – Rússia”? Ou foi por isso?

p.s. em russo não se diz Pré Báltica, caso quer me impressionar com o seu conhecimento deste dialecto, deve usa-lo correctamente e sem as falhas.

Sim, comparar as condições da vida de um ucraniano e um belaruso pode ser frustrante ... pois o nível da vida de um ucraniano médio é alto de mais para um belaruso. Restos do socialismo que a Belarus tem: medicina, educação, propaganda na TV estatal não compensa os salários baixos, etc. Além disso, quando os ucranianos trabalham na Europa Ocidental, os belarusos trabalham na Polónia e nos Países Bálticos. Mas não vamos discutir coisas que Francisco só viu na TV, enquanto eu visitei Belarus recentemente.

Bom, como não conseguiu me dar NENHUM exemplo concreto (nome, localidade, delito) de nenhum ucraniano, entendo que está mentir. Além de mais, se você não sabe falar ucraniano, como consegue definir quem é da Galiza, quem é de Donetsk e quem é de Kyiv?

Claro que eu sei que em Portugal o PP é contra a emigração e Bloco é a favor, mas também sei que para o PP o que importa é a coisa do orgulho luso (e não coesão da Europa) e para o Bloco o que importa é clientela dos charros e da reinserção social. Não os trabalhadores europeus que lhes são importantes.

Já agora, Francisco é membro de algum partido da esquerda ou é só falar por falar?

Ziriguidum disse...

ó Jest nas Wielu, em português näo existe essa de "Belarus" e "belaruso". Quanto muito "belarusso". Mas nada, em português é "Bielorússia" (ou sim, "Rússia Branca") e o habitante desse país é "bielorusso".
mas descanse, "Nova Rússia" ou "Rússia Azul" nunca pegaram, logo chamaremos ao seu país sempre "a Fronteira" em russo!
Esses revisionismos políticos aplicados à língua... parece aqueles estados-bufa jugoslavos, onde antes havia o servo-croata, e agora chamam-lhe sérvio, croata, bósnio, até montenegrino(!!!), consoante o lado da fronteira. Como macedónio/búlgaro.
Pelo menos os moldávios chamam a língua pelo nome (romeno).