segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Comunistas contra reforma militar



O Partido Comunista da Federação da Rússia realizou manifestações em várias regiões para protestar contra a reforma militar, acusando o Governo de Vladimir Putin de pretender destruir as Forças Armadas.
Na URSS, 23 de Fevereiro era o “Dia do Exército e da Marinha Soviéticos” e, hoje, continua a ser comemorado, mas com outro nome:“Dia do Defensor da Pátria”
Não obstante o frio intenso que se faz sentir na capital russa, onde o mercúrio dos termómetros desceu até aos 15ºC negativos, vários milhares de pessoas saíram para a rua a fim de exigir o fim da reforma militar.
“Povo e Forças Armadas unidas!”, “Viva as Forças Armadas da Rússia!”, “A reforma militar é uma traição da pátria!”, lia-se em cartazes transportados por manifestantes, a maioria dos quais reformados.
Bandeiras vermelhas, numerosos retratos de Estaline e outros símbolos soviéticos não deixam dúvidas quanto às saudades dos manifestantes pela União Soviética.
“Isto é uma autêntica vergonha. Antes, na era soviética, os oficiais não tinham de participar em manifestações de protesto, mas assistiam a concertos” – declarou à Lusa um antigo oficial do Exército Vermelho.
“O nosso país era temido, mas agora está doente, precisa de um novo Estaline para o fazer renascer”, junta-se à conversa uma mulher idosa que vendia jornais comunistas.
Guennadi Ziuganov, secretário-geral do Partido Comunista, discursou para considerar “mortal” a reforma militar actualmente realizada por Vladimir Putin, considerando que ela irá provocar “o despedimento de milhares de jovens oficiais”.
“O que hoje está a ser realizado sob a capa de reforma é a liquidação das forças armadas, sem as quais a Rússia não terá futuro”, acrescentou.
O dirigente comunista criticou também duramente a política realizada pelo Governo de Putin no combate à crise.
“Devido à pilhagem das reservas em ouro, nem um cêntinmo chegou aos professores e médicos. E nenhum cêntimo chegará também às mãos dos militares”, defendeu.
No Outono passado, Anatoli Serdiukov, ministro da Defesa da Rússia, anunciou a reorganização das Forças Armadas da Rússia, considerando ser necessário a forte redução de efectivos e a modernização do sistema de comando.
“Exigimos a demissão de Serdiukov!”, “Exigimos a demissão de Kudrin (ministro das Finanças)!”, “Exigimos a demissão de Putin!”, gritaram os manifestantes ao aprovar uma decisão tomada durante o comício.
Além de participarem no comício de protesto, os manifestantes podiam adquirir livros sobre os feitos do ditador comunista José Estaline (“Generalíssimo”, “Verdades e mentiras sobre Estaline”, etc.), bem como sobre as “intrigas” da maçonaria e dos judeus contra a Rússia: “Maçons no poder”, “Escritores russos sobre os judeus”, “Sionismo como fonte do fascismo”.
Segundo a polícia, no comício participaram cerca de mil pessoas, mas os organizadores falam em mais de quatro mil.
Manifestações semelhantes realizaram-se em várias cidades russas e todas elas decorreram sem incidentes.
As autoridades mobilizaram cerca de quatro mil polícias e soldados para manter a ordem em Moscovo, onde se realizaram outras manifestações para assinalar o “Dia do Defensor da Pátria”.

22 comentários:

Anónimo russo disse...

Por sinal, a reforma militar se associa mais a Medvedev, porque o ministro da defesa obedece directamente ao presidente. Tambem é preciso dizer, que recentemente, Medvedev aparece na televisão muito mais frequentemente que Putin (pelo menos, me parece assim).

Anónimo russo disse...

Quanto aos comunistas, atualmente é um partido de aposentados, a cada ano, parece, perde a força e já não é tão perigoso, como era nos anos 90 do sec. passado.

Abc/ Kremlino disse...

Tem razão o nosso anon rus. Putin há uma semana que quase se esfumou.Mas tenho informação que regressa amanhã em grande. A ver vamos se se confirma.
A reforma militar é do ursinho e é boa, mas vai ter de ir com calma porque implica muita massa. Quanto a esta brigada do reumático estalinista, é dar-lhe o tratamento que davam aos outros: umas férias na Sibéria.

Anónimo disse...

Uma coisa que achei interessante é no fato dos nazistas terem dito que o comunismo é de origem judaica e agora os comunistas dizem que o judaísmo é 'a fonte do facismo'. Vá entender né...

Rodrigo

Ricardo disse...

Essa reforma é necessária e urgente, URSS era uma aberração militar, estava preparada para enfrentar o mundo inteiro em um conflito, mas os tempos agora são outros, não existe mais aquela fonte inesgitavel de recursos para o exército e os inimigos da URSS são agora apenas rivais da Rússia, essa reforma vai tornar o exército mais compacto e menos burocrático, exército russo hoje está muito inchado.

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo russo, estou de acordo com a sua análise e isso poderá ser importante no que respeita à correlação de forças nos corredores do Kremlin.

kremlino disse...

Correlação de forças nos corredores do Kremlin? Ó JM, essa é piada de Carnaval ou quê? Só contaram para você.hahahaha

Pippo disse...

Uma reforma militar que dinamize o processo de tomada de decisão e confira iniciativa aos escalões mais baixos (capitão, tenente, etc.) é absolutamente necessária no exército russo. Não basta adquirir mais hardware (carros de combate, mísseis, etc.) e software, é também crucial melhorar o nível administrativo e humano.
Quanto aos social-comunistas, é notável que, tendo a Revolução de Outubro sido em boa parte liderada por judeus (Trotsky, Zinoviev, Kamenev, etc.), agora venham com propaganda anti-semita para cima do povo. Enfim, nada que o Kamarada Jughashvili não tivesse feito...

ABC disse...

E aí está o Czar em grande. ora, quem está bem informado, quem é, JM?
hihihi

Jose Milhazes disse...

Leitor ABC, tem em vista a preparação dos JO de Sotchi ou os despedimentos na presidência da Rússia?

ABC disse...

Despedimentos de quem?

Jose Milhazes disse...

De cem funcionários da presidência russa? Não leu a notícia hoje? Crise...

Inácio Cristiano disse...

Caro J. Milhazes

Quanto a mim, os "orfãos" da anterior e serôdia politica do socialismo cientifico, aproveitam para capitalizar o descontentamento dos agentes do anterior e do actual aparelho militar, demagógicamente a seu favor por via da necessária reforma e pragmatismo dos actuais governantes, e não com ideias evolucionistas que possam demonstrar á maioria da população, que eles próprios fazem parte da solução e não do problema criado.
Para mim,tal medida governamental se possa traduzir simplesmente por:"Menos canhões, mais manteiga"

Mas o que achei curioso no post foi a menção de livros tais como "Maçons no Poder" afim de ser motivo de reflexão.
Penso eu, que um dos principais motivos que inquinam negativamente a democracia europeia em geral e a portuguesa em particular, são as eventuais práticas dos lobbies maçónicos.

Será que na Russia actual, a maçonaria evidencía alguns sinais?
Quanto às máfias organizadas, os midia de todo o mundo, a elas se referem como evidências, mas quanto à maçonaria, pelo menos não é usual.

Jose Milhazes disse...

Leitor Inácio, a maçonaria, que era muito poderosa no Império Russo, foi completamente extreminada pelo poder comunista. Depois do fim da URSS, renasceu na Rússia, mas desconheço o seu poder de influência nas esferas políticas.

Kremlino/ABC disse...

Não li a notícia não e tenho pena. Pode dizer-me onde posso ler? Cem funcionários parece-me número muito redondo à conta da crise. Só espero que nesses , disfarçados com a desculpa da crise, estejam os que fizeram a cama ao boss. Já o disse antes: ou limpa a casa ou está tramado.
Foram despedidos hoje? Bem isso explicaria o "regresso do rei" à ribalta depois de uma semana em que quase não se deixou fotografar.Eu referia-me à visita ao Centro de Informação, que inclui Sochi, a Ria Novosti e a Russia Today: foi só mediatismo.

MSantos disse...

Sobre a reforma das FAs russas já tudo foi dito. O último conflito de Agosto com a Geórgia demonstrou as falhas enormes na estrutura e hierarquias que ainda se podem chamar de soviéticas, dado o seu imenso centralismo e negação da capacidade de iniciativa ao nível operacional que nos dias de hoje, num campo de batalha constantemente em mudança é fulcral.

Talvez a Rússia tivesse a ganhar se optasse pela via das FAs profissionais, caso isso pudesse ser viável face á maneira de pensar russa e respectiva dimensão territorial.

Sobre os camaradas do PCFR, que há a dizer?

Cumpts
Manuel Santos

Afonso Henriques disse...

Rodrigo.

O Comunismo é de facto uma expressão e uma corrente fundamentalmente Judaica.

Quando os Comunistas falam daquela maneira, o que eles querem dizer é que o Holocausto, causado pelo "fascismo" despoletou a criação do Estado de Israel e a materialização do Sionismo. O que é em certa medida verdade.

O que não é aconselhável é crêr que os movimentos ditos de "extrema direita" tenham sido orientados por Judeus com vista á criação do Estado de Israel.

Cumprimentos.

Gilberto Mucio disse...

Sou cético -- MUITO cético -- com essa coisa de "disputa de poder" entre Putin e Medvedev.

Nada me tira da cabeça que Medvedev não passa de um mero office boy de Putin. Um menino de recados.

E se ele está aparecendo mais, é por que Putin assim o quer. E ainda de quebra "se resguarda". Em tempos de crise, melhor deixar o idiota do Medvedev se queimar sozinho.

Gilberto Mucio disse...

Quanto a maçonaria russa, sua influencia é praticamente nula mesmo.

----

E outra... eu não subestimaria o KPRF não, viu.

Apesar dos pesares, é o único partido do páis.

Inácio Cristiano disse...

Caro Gilberto,
Quem tem protegido Gorbatchov?- da raiva dos radicais Ziuganovistas ou dos obscuros Yeltsinoides que achavam que o mundo os olhava com a admiração de uma vanguarda, quando na realidade os via como coitados parceiros das mais tenebrosas ditaduras terceiro mundistas, embora não só.

A sociedade civil não engajada com o poder, teria força suficiente para fazer de "Quebra-mar" ás ondas de choque reactivas á Transparência preconizada por Gorbatchov?
Claro que a Igreja Ortodoxa e largos sectores de intelectuais livres estariam no "Quebra-mar".

As condições de renascimento para a maçonaria não poderiam ter melhor ocasião.
...Mas o que me faz alguma confusão é a percepção do renascimento simultaneo de dois irmãos gémeos não siameses ( máfia versus maçonaria).
Além do mais... não é nada que não exista no ocidente, ainda hoje, fazendo-o mover com determinados concensos!

Ziriguidum disse...

com esta crise era hora do Gorbatchyov vir a terreiro e unir as forças progressistas para refundar a Rússia, deixando os estalinistas a falar sozinhos.
Marx voltou a estar na berra, mas quem tem de liderar a "marxmizaçäo" do capitalismo näo podem ser os estalinistas, que o estalinismo näo tem nada de marxista.
Mas Gorby sempre foi mal amado na Rússia... mas sempre pode dizer que o bêbado Yeltsin, täo amado pelo (pacóvio) povo, fez bem pior...

Anónimo disse...

O que é feito dos intelectuais soviéticos?
Penso que a Revolução se difunde e alarga de muitas maneiras, cada uma com a sua velocidade.
Existe uma consciência militante e actuante contra o capitalismo, sob a forma de "sociedade global", mas a contestação alarga-se a todos os sectores e penetra em sítios outrora inimagináveis.
A Luta continua.