quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Guerra verbal pode levar à expulsão de embaixador russo


O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia preveniu, na terça-feira, Victor Tchernomirdin, embaixador da Rússia nesse país, que poderá ser considerado “persona non grata” devido aos seus “comentários e declarações não diplomáticas sobre a Ucrânia e os seus dirigentes”.
Segundo o centro de imprensa do MNE da Ucrânia, Tchernomirdin ouviu do chefe da diplomacia ucraniana, Vladimir Ogrizko, um protesto contra “as avaliações e comentários adversários e extremamente não diplomáticos sobre a Ucrânia e a sua direcção”.
Victor Tchernomirdin, antigo primeiro-ministro russo e actual embaixador em Kiev, é conhecido pelas suas declarações extravagantes.
Durante a chamada “crise do gás” entre a Rússia e a Ucrânia, Tchernomirdin, ucraniano de origem, comentou a propósito de Kiev não pretender ceder o controlo do sistema de transporte ucraniano a Moscovo. “Eles (ucranianos) estão muito perto de ficar sozinhos com o seu sistema de distribuição de gás, com sucata enterrada”.
Quanto às declarações dos dirigentes ucranianos sobre que a Rússia não tem gás para fornecer à Europa, Tchernomirdin afirmou: “Quem diz isso? Eles têm cérebros pequenos se dizem isso! Não olhem para os bolsos alheios, não metam o nariz onde não entendem nada... Tudo o que temos é nosso. Temos gás garantido nos próximos cem anos”.

Moscovo já prometeu responder se Tchernomirdin for expulso da Ucrânia.

Na capital russa, alguns analistas consideram que Kiev está a provocar mais "uma tempestade num copo de água", chamando a atenção para o facto de Tchernomirdin não ser diplomata de carreira e de ser conhecido pelas suas tiradas extravangantes, que não devem ser interpretadas como insultuosas.

Esse político russo, quando era primeiro-ministro, pronunciou uma frase que fez história: "Queríamos fazer da melhor forma, mas o resultado é sempre o mesmo".

Outros são os que consideram que um embaixador deve escolher melhor as declarações que faz.

Num período de relações bilaterais complicado, não seria demais exigir dos diplomatas mais cuidado com a língua.

21 comentários:

Jest nas Wielu disse...

“alguns analistas consideram que Kiev está a provocar mais "uma tempestade num copo de água", chamando a atenção para o facto de Tchernomirdin não ser diplomata de carreira e de ser conhecido pelas suas tiradas extravangantes, que não devem ser interpretadas como insultuosas”.

Mas que raio de argumentação! Se uma pessoa não tem dotes diplomáticas, não deve ser diplomata e se é diplomata, deve se comportar como tal.

Tchernomordin de facto, adora fazer declarações provocatórias e inaceitáveis, que (diga-se de passagem), não seriam aceites em nenhum outro país do mundo. Como tal, deve ser expulso e com a justa causa, alias, sou adepto da política “20-24”, que foi implementada com sucesso em Moçambique pós – Independência pelo actual presidente Emílio A. Guebuza.

Sérgio disse...

Mas diplomatas destes não existem em mais lado nehum. Mas como posso desconhecer algo, admito e peço que façam o favor de me vir corrigir dizendo onde poderemos encontrar diplomatas como estes Russos a transpirar arrogancia. Estejam à vontade para me corrigir.

Sérgio disse...

È que no meu entender hoje são os Ucranianos, e amanha quem quer que se atravesse nos interesses Russos...

Ricardo disse...

“Eles (ucranianos) estão muito perto de ficar sozinhos com o seu sistema de distribuição de gás, com sucata enterrada”

Não disse mentira alguma quando south stream e north stream estiverem prontos a Rússia não dependerá mais da Ucrânia para atravessar seu gás e então como será para a Ucrânia?! Por pura birra os dirigentes ucranianos estão empurrando a Ucrânia para a probreza e miseria.

Jest nas Wielu disse...

1. Parece que existem cá as pessoas que não sabem ler. Ou pensar. Ninguém discute se Chernomordin diz verdade ou mentira. Digo que ele não é um diplomata e ponto final.

2. Não sei o Nordstreem alguma vez será concluído, nestes dias a Rússia assinou acordo com a China. Se fazer as contas, pode-se ver que o preço do baril é de 18 USD, será que alguém pensa que é um bom preço (ainda que durante os próximos 20 anos)? Ou será que alguém acredita que a China aceitará aumento se o baril de novo custará 100? Me parece um negócio da China…

3. A geografia obriga a Rússia passar pelo território de terceiros, não será Ucrânia, será Belarus, ou Estónia, alguém será de certeza. Não vejo a possibilidade de colocar o petróleo na Alemanha ou França sem passar pelo território dos vizinhos.

Ricardo disse...

South stream e Nord stream são para exportar gás e não petroleo -não confunda- acordo assinado com a China é para exportar petroleo e não gás, ou seja, uma coisa não tem nada haver com a outra.

Anónimo disse...

Nord Stream vai passar pelo baltico contornando os países.

Gilberto Mucio disse...

O Nordstream não vai sair tão cedo.

Precisa da aprovação de vários países --- cerca de 7, se não me engano. Inclusive dos Pri-balticos.

Esqueçam.

Como se diz no Brasil, isso é "contar com o ovo no c* da galinha".

A Rússia é refém e acabou. Tem que aprender a negociar(coisa difícil para os russos), senão vai se dar mal.

Gilberto Mucio disse...

"Senão vai se dar mal"

Aliás, já está se dando.

Anónimo disse...

Nord stream vai sair no prazo previsto pelo simples fato que a maior potencia economica da europa é a mais interessada no gasoduto.

Gilberto Mucio disse...

Vá sonhando...

Anónimo disse...

Cada um que acredite naquilo que lhe convenha, não é mesmo?!

Francisco disse...

Tem que haver sempre um pretexto para azedar as relações entre a Rússia e a Ucrânia. Ontem foi o gás, hoje é Tchernomirdin e amanhã será outro. Já repararam o que seria uma Confederação (ou coisa do género) Eslava com 200 milhões de habitantes? E se tal acontecesse com sucesso de certeza que se alargaria a outros, e a NATO não se pode permitir correr tal risco!
Alguém se apercebeu do beija mão de Solana a Lukachenko com a visita que fez hoje a Minsk? Até aqui era a única ditadura da Europa, e o ultimo Estalinista. Impuseram sanções, proibiram os dirigentes Bielorrussos de viajar para a Europa tentaram por todos os meios isolar e estrangular economicamente do país.
Mas afinal o que foi que mudou na Bielorrússia? Pelo contrário Lukachenko ainda apertou mais o garrote contra a oposição! Nas ultimas eleições a oposição foi completamente varrida do parlamento.
Este colocar-se de cócoras por parte da U. E. não terá apenas como finalidade afastar Lukachenko da proximidade de Moscovo? Não restam duvidas que assim é! Senão veja-se, quando a Bielorrússia recentemente mostrou interesse em construir uma central nuclear a U.E. prontificou-se de imediato em financiar o projecto. E porquê? Porque é sabido que a Bielorrússia está excessivamente dependente da energia (e não só) que a Rússia lhe fornece. Além das boas relações que mantém com o Irão e a Venezuela, tudo isso não pode ser tolerado pela U.E., que não é mais que uma sucursal da NATO.
Portanto deste modo é muito fácil entender as contendas entre a Rússia e a Ucrânia. Existem porque são fabricadas a partir do exterior e executadas por um feitor mor ao serviço de Washington que se instalou em Kiev, tendo ainda uma Supervisora em casa “Kateryna” que já trabalhou (ou ainda trabalha) para uma agencia qualquer Americana.
E no meio disto tudo quem fica a perder são os dois povos (Ucranianos ainda mais). Porque se mantivessem boas relações de certeza que beneficiariam ambas as partes.

Agora aqui para o nosso amigo JEST com a sua Russofobia paleolítica. Desejo apenas perguntar-lhe. Se os Russos foram sempre os causadores dos vossos males porque motivo nas quase duas décadas que levam de independência a vossa situação tem piorado em todos os domínios? Deixe-me ser também um pouco provocador! Talvez isso se deva não tanto aos outros mas mais a vocês Ucranianos não se saberem auto governar. Por isso é que ao longo da vossa história nunca gozaram de um período tão longo de autodeterminação como o presente. Não é de admirar que ao saírem do domínio de um Amo se queiram entregar já a outro. Enfim; têm o destino marcado em serem perpetuamente Mudjikes.
Noutros termos mais realistas. Sabe porque motivo não houve uma explosão social grave na Ucrânia nos finais dos anos 90s. Devem-no a um Senhor chamado Joskas Fisher, esse é que aliviou a válvula de escape ao autorizar os consulados Alemães a emitirem vistos a todos os Ucranianos que desejassem «viajar» para a União Europeia, de outro modo vocês ou comiam-se uns aos outros ou morriam de fome. Foi assim que nós aqui recebemos essa horda de famintos. Foi assim também que os bordéis da Europa ficaram atafulhados com as vossas jovens.
Digo-lhe mais; é do seu conhecimento que a Ucrânia tem os solos mais férteis da Europa, e no verão passado tiveram que emitir senhas de racionamento de pão. Para não lhe falar também ao estado caótico que chegou o vosso serviço de saúde e por aí adiante. Se tiver acesso ao Le Monde deste mês veja lá em que posição se encontra a Ucrânia no ranking de desenvolvimento em relação aos restantes países da Europa? Em ultimo lugar! Quer ver que a culpa é dos malvados dos Russos?
Sobre os pipeline que estão projectados ou em construção a partir da Russia. Todos os que sejam do interesse dos países industrializados da Europa vão ser concluídos. Pois se têm energia acessível ao pé da porta vão traze-la de longe acarretando igualmente riscos.
E o Nabuco está em banho Maria por oposição da Turquia em não permitir a participação das companhias Francesas no projecto. Pelo facto da França ter vetado a entrada da Turquia na U.E. .

E essa cimeira recente entre Turcos e Russos tratou desse tema. E não só, de certeza que abordou a influência Turca na Ásia Central ou seja o Pan Turquismo. Porque não se pense que são só os Russos e os Americanos a cobiçar essa região. Os Turcos por razões históricas têm aumentado a sua influência na zona.
Cin.naroda

Sérgio disse...

Francisco permita-me a seguinte observação, se a Russia não tivesse o petróleo que tem, o gás natural, o urânio e todos os demais recurso naturais, será que a situação seria muito diferente da Ucrania? Se Portugal não tivesse recebido os milhões que recebeu nos últimos anos da UE será que estaria melhor do que a UE? Está a ser injusto com a Ucrania.

Sérgio disse...

estaria melhor do que a Ucrania, desculpem

Sérgio disse...

Mas que a classe politica Ucraniana tem tratado mais da sua vidinha do que dos interesses do seu país, isso também é verdade.

MSantos disse...

Sr Francisco

Já deu para perceber que temos posições antagónicas em alguns assuntos "fracturantes" (já que é uma palavra tão na moda).

Mas aqui, estou totalmente de acordo com o Sr, subscrevendo de todo o que afirmou.

Esses países (ou pelo menos os seus líderes) ainda não compreenderam o seguinte:

1- Não virá nenhum mega plano Marshal dos seus queridos EUA para os tirar da fossa onde se meteram

2- Não virá nenhum mega programa de ajuda comunitária do género que Portugal beneficiou no final dos
80s/princípios dos 90s, em que se pode afirmar, "chovia" dinheiro.

3- Se provocarem o urso para lá do racional, estejam ou não na NATO, provavelmente esta não virá em seu socorro

4- Se em tempos de crise, as economias dominantes da UE perceberem que têm a lucrar com as trocas comerciais com a Rússia (como parece que o estão a entender), o tapete ainda mais depressa lhes vai fugir dos pés

Cumpts
Manuel Santos

Francisco disse...

O Sr. Sérgio disse;
Francisco permita-me a seguinte observação, se a Russia não tivesse o petróleo que tem, o gás natural, o urânio e todos os demais recurso naturais, será que a situação seria muito diferente da Ucrania?
Caro Sérgio uma correcção; a Rússia não tem grandes reservas de urânio. Até é deficitária nesse mineral.
Quanto ao resto que questiona, pode ter a certeza se a Rússia não fosse rica, vivia no esquecimento como a Mongólia. Portanto por ser rica é que os dirigentes Ucranianos deviam fazer uma politica de boa vizinhança sem se deixarem subjugar a quaisquer interesses. Veja por exemplo o caso da Bielorrússia, há quantos anos os Russos a andam a cortejar para a tão cobiçada União? O casamento está prometido mas não se sabe para quando!
Diga-me se a Bielorrússia tem visto a sua soberania ser posta em risco ? Pelo contrário tem beneficiado bastante face ao respeito que tem sabido manter com todos os seus vizinhos! Aqui há tempos houve alguém comentou neste espaço que a Gazprom detém uma parte na Beltrangaz . Ora também a ENI a BP a SHELL mantêm participações na Gazprom.
E acrescento ainda mais, os Bielorrussos já ultrapassaram os níveis de desenvolvimento que tinham quando da independência. E a Ucrânia onde está?
Caro Sérgio os interesses são de ordem estratégica (domínio de espaço) e os dirigentes actuais da Ucrânia estão a «confiar» em promessas que não podem ser cumpridas, essa politica de provocação e de alinhamento só tem prejudicado o país.
Cin.naroda

Francisco disse...

Corrijo; quando disse a ENIa BP a SHELL têm participações na Gazprom queria dizer petroliferas Russas e na nest aprovalmente também.
Cin.naroda

Sérgio disse...

Caro Francisco a Russia é o quarto produtor mundial de uranio, agora se é deficitário, talvez o seja porque é mais rentável importar de outros países onde está mais acessivel e não porque não exista no seu território. Dados tirados de http://en.wikipedia.org/wiki/Energy_policy_of_Russia#cite_ref-wec229_24-0

Francisco disse...

Caro Sérgio com franqueza não lhe posso dizer em que posição está colocada a Rússia a nível mundial na produção ou quanto às reservas de urânio, agora que é deficitária na produção face ao consumo interno isso garanto-lhe que é. Fiz uma pesquisa em fontes de informação da Rússia e o que encontrei foi isto entre muito mais. O ministro dos Recursos Naturais da Rússia Yuri Trutnev numa conferencia de imprensa disse; com as novas prospecções aumentamos as nossas reservas de urânio de 145 000 para 545 000 toneladas e em dois anos (2006-2008) aumentamos a produção em 20% de 3 190 para 3 841 toneladas, mas o nosso consumo anual situa-se nas 17 000/18 000 toneladas.
Digo-lhe mais as jazidas Russas têm um teor tão baixo desse mineral que quase não é rentável explorá-lo, inferior a 0,2 %. Conquanto no Cazaquistão ( Esse sim com grandes reservas já localizadas) o teor ronda os 0,3%, a Austrália que tem as maiores reservas conhecidas situa-se nos 0,4% ,Canadá outro grande produtor e também com enormes jazidas, estas contêm um alto teor que atingem os 4%.
Acrescento que entre vários mapas da Rússia que tenho em casa um deles é sobre a Tectónica e as Reservas Minerais, vem lá assinalado os locais onde se situam essas jazidas. Altai, Tchintiskaiá e Primorckii.
Cin.naroda