quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Al-Qaeda aperfeiçoou-se e tem centenas de réplicas


Longe de estar mais fraca, a organização terrorista internacional Al-Qaeda aperfeiçoou-se e centenas de células do mesmo género foram criadas no mundo, considera Anatoli Safonov, representante especial do Presidente russo para a cooperação internacional na luta contra o terrorismo e o crime tansnacional.
“Nós dissemos que a Al-Qaeda tinha enfraquecido financeiramente; de facto, teve lugar uma mudança de gerações, mas isso levou não à perda de direcção, mas a uma reforma, ao aperfeiçoamento da organização. E hoje constatamos que ela não só não enfraqueceu, mas, pelo contrário, adaptou-se melhor à situação actual no mundo”, explicou Safonov, numa conferência de imprensa realizada na terça-feira.
“Na órbita da Al-Qaeda apareceram centenas de estruturas orientadas para ela, mas sem manter ligações com ela”, assinalou ele.
Segundo Safonov, essa organização terrorista sofreu um reves no Iraque o no Líbano, mas não se trata de uma derrota estratégica.
“Essa derrota foi devida a erros de cálculo cometidos pela direcção da Al-Qaeda”, considerou.
Anatoli Safonov reconheceu que representantes da Al-Qaeda continuam a operar no território do Cáucaso do Norte.
“Membros de organizações terroristas internacionais, nomeadamente da Al-Qaeda, continuam a operar no Cáucaso do Norte. Eles não são centenas, mas continuam presentes nessa região onde sofreram sérias perdas sem, todavia, serem completamente erradicados”, explicou.
Em conformidade com o assessor de Medvedev para a luta contra o terrorismo, algumas organizações não governamentais estrangeiras apoiam terroristas por todos os meios, “no plano financeiro e ideológico, entre outros”.
Anatoli Safonov declarou também que a rede terrorista internacional envia jovens para centros de ensino europeus para prepará-los como terroristas nucleares.
“A Al-Qaeda selecciona jovens e envia-os para as principais universidades europeias para que se formem como físicos, químicos e biólogos. Colegas nossos europeus afirmam ter descoberto pistas da Al-Qaeda em várias universidades da Europa”, sublinhou.

Recentemente, falei com um conhecido político do Cáucaso do Norte que mostrou-se convencido de que, a partir de Abril ou Maio, ou seja, com a chegada da Primavera, a guerra islamita desencadeára fortes operações no Cáucaso do Norte, principalmente na Inguchétia, tendo sublinhando que na região estão a ser acumuladas grandes quantidades de armamento.

Por enquanto, a guerrilha realiza, quase diariamente, pequenas operações contra forças policiais russas, isto porque, durante o Inverno, tem pouco poder de manobra.

8 comentários:

Pippo disse...

Lá vão ter os russos de criar mas Kadirovtzi...

xico ribeiro disse...

PARA QUE OS POVOS NÃO ESQUEÇAM:

O meu post não corresponde à notícia do autor, mas não tenho outra forma, ao querer relevar uma notícia de hoje em que a imprensa relata o inicio do julgamento de alguns dos responsáveis pelos crimes cometidos contra a humanidade e que recaíram sobre o povo Cambojano.
Sobre a capa de “guerrilheiros khemer” existia uma organização comunista, no melhor estilo de Estaline, composto de algozes insanos e sanguinários levando ao extremo o desprezo total pelo ser humano. Foram assassinados milhões de Cambojanos, sobre a bandeira de um regime e de um sistema ditatorial, repressivo e policial, que tinha como ideologia a doutrina Estalinista/Leninista. Os resultados estão aí.
Nesse tempo de assassínio em massa, os regimes comunistas nunca deixaram de dar o seu apoio, de fazer visitas, ir a congressos partidários e até louvar o louco “pol pot”, como o fez o Partido Comunista Português. O mais grave é que esses “amigos” nunca se retrataram, não pediram desculpas, não renegaram esse passado criminoso. Continuam como nada de tivesse passado.
Os crimes praticados pelos comunistas Cambojanos vêm na sequência de outros crimes praticados em várias partes do Mundo, em que regimes de sádicos e loucos aniquilaram milhões de povos. A Rússia também tem os seus criminosos e pol pot como praticante da mesma cartilha não poderia deixar mal os seus progenitores.

Xico ribeiro

Anónimo russo. disse...

Sr. Milhazes.

"Recentemente, falei com um conhecido político do Cáucaso do Norte que mostrou-se convencido de que, a partir de Abril ou Maio, ou seja, com a chegada da Primavera, a guerra islamita desencadeára fortes operações no Cáucaso do Norte, principalmente na Inguchétia, tendo sublinhando que na região estão a ser acumuladas grandes quantidades de armamento."


Não sei, não sou um grande especialista no assunto, mas, pelo que me parece a mim, se o poder não cometer grandes erros, não acontecerá nenhuma catástrofe. A Inguchétia é uma faixa relativamente pequena e com uma população tambem não muito numerosa. Sim, existem certos problemas em algumas das republicas do Caucaso do Norte, mas o poder, parece, pelo menos tenta fazer alguma coisa: não há muito Medvedev substituiu o impopular Ziázikov (pres. da Ingushétia) por (esqueci o nome :)outro dirigente, vizitou Ingushétia. Parece, que estão a tentar melhorar a cituação social lá. Tambem, se os militares, polícia e serviços secretos conseguiram aprender alguma coisa durante estes anos todos, saberão lidar com a situação.

P.S. A primavera lá começa em março :)

Anónimo russo disse...

Tambem, não entendi muito bem sobre o Iraq: será que no tempo de Saddam Hussein havia Al-Qaeda lá?
P.S. Mais uma observação, para entender a situação melhor. As forças da polícia e do FSB são muitas vezes compostas por próprios inguches.

Francisco disse...

Senhor Xico Ribeiro sectarismo mas não tanto. O Senhor sabe o que era o regime Khmer ?
Face à sua distracção, quero lembrar-lhe que os serviços secretos Britânicos e não só inicialmente apoiaram esse regime títere. Toda a gente fechou os olhos por o que lá se estava a passar. Também face à sua amnésia ou falta de conhecimento, como queira, tenho todo o gosto em esclarece-lo que esse regime não se proclamava de Estalinista muito menos de Leninista, dizia-se Maoísta, mas as suas práticas demonstraram que nem isso era. Tanto assim que até proibiu a circulação de dinheiro, tentou fundir a sociedade eliminando todos os elos individuais pela brutalidade. Era um tipo de Anarquismo de terror (Aprecio imenso as obras do Anarquismo humanista de Kropotkine, Malatesta, Reclus, Proudhon ou Bakunine) quando digo anarquismo de terror não pretendo de forma alguma conectar esses criminosos com os valores morais que o verdadeiro Anarquismo contém. Digo-o pelo facto dos seus actos não obedecerem a quaisquer leis, a chacina não tinha regras era aleatória, principalmente para os que viviam nas cidades ou os mais cultos.
Agora o que o Senhor omitiu por não saber, ignorar ou por interesse. É que foi um país com um regime Comunista/Marxista/Leninista, que havia apenas quatro anos tinha derrotado os Americanos numa guerra sangrenta,foi com os seus tanques libertar o povo Cambojano das garras dos Khmers. Ninguém mais se dignou enviar os seus soldados a morrer por esse povo que os Senhor e outros iguais, hoje hipocritamente vertem lágrimas. E esse país COMUNISTA , foi o VIETNAM.
Portanto Senhor Xico Ribeiro; nem o Senhor nem aqueles que partilham os seus princípios ideológicos têm moral para se referir a este assunto. Foram coniventes durante todo o tempo em Pol Pot permaneceu no poder, e só depois dos VIETNAMITAS terem revelado o que viram é que os da sua tribo começaram a rufar tambores.
Mas para isso só faz falta uma coisa. É descaramento. E os Senhores já o têm e para muito mais.
Cin.naroda

Jacob disse...

Esse xico ribeiro faz um estilo muito conhecido aqui no Brasil, daqueles que dizem que "comunista come criancinha". Isso é uma safadeza que é dita para manter uma país injusto, enganando o povo sem qualquer tipo de instrução e assegurando privilégios a uma minoria que vive nababescamente, enquanto a maioria do povo vive na miséria.

XICO RIBEIRO disse...

REPOR AVERDADE HISTORICA:

Genocídio comuno-ecológico no Camboja
A China moldou os regimes comunistas do Oriente. Particularmente o do Camboja, onde os guerrilheiros vermelhos exterminaram mais de um quarto da população nacional. Logo após a conquista da capital, Phnom Penh, metade dos habitantes do país foi impelida para as estradas. Doentes, anciãos, feridos, ex-funcionários, militares, comerciantes, intelectuais, jornalistas eram chacinados no local. 41,9% dos habitantes da capital foram eliminados nessa ocasião. Para poupar bala ou por sadismo, matava-se com instrumentos contundentes.

As multidões de ex-citadinos foram conduzidas a campos coletivizados. Ali trabalhavam em condições duríssimas, recebiam horas de doutrinação marxista, com pouco sono, separação total da família, vestimentas em farrapos e sem remédios.

O país transformou-se num só conglomerado de concentração. Não havia tribunais, universidades, liceus, ensino, moeda, comércio, medicina, correios, livros, esportes ou distrações. Os ex-citadinos viraram bestas de carga, enquanto ouviam elogios do boi que trabalha sem protestar, sem pensar na mulher e nos filhos.

Vestiam um uniforme único, de cor preta, e se arrastavam famintos pelos campos mal explorados. Os fugitivos sumiam na selva ou eram sadicamente chacinados. Comiam insetos, ratos e até aranhas, disputavam com os porcos o farelo das gamelas. Grassava o canibalismo. Designavam-se prisioneiros para serem transformados em adubo! Por vezes, na colheita da mandioca, “desenterrava-se um crânio humano através de cujas órbitas saíam as raízes da planta comestível” (p. 728).

Os chefes comunistas Cambojaanos haviam estudado na França, onde militaram no Partido Comunista Francês, tendo então conhecido as novas doutrinas ecológicas... Sua meta: eliminar o senso da própria individualidade, todo sentimento de piedade ou amizade, qualquer idéia de superioridade. Assim, queriam forjar o “homem novo”, integrado na natureza, espontaneamente socialista, detentor de um saber meramente material, de um pensamento que não pensa.

Resultado: diminuição demográfica de 3,8 milhões de pessoas; 5,2 milhões de sobreviventes; 64% dos adolescentes órfãos; e um povo psiquicamente arrasado.

Francisco disse...

Senhor Xico Ribeiro não necessitava esforçar-se tanto para proferir um discurso tão vaniloquente em memória das vitimas dos Khmeres. Todas as vitimas merecem o mesmo respeito.O Senhor abra a sua porta das traseiras para sentir o cheiro fétido das vitimas das ditaduras na América Latina.
Sobre essa ignominia que tenta lançar contra o PCF em ter recebido e treinado os lideres Khmeres em território Francês, arranje outra intrujice porque essa não merece qualquer credibilidade. São permitidas monstruosidades enormes contra os direitos humanos na Europa (caso dos voos da CIA e prisões secretas) mas praticadas por partidos de esquerda. Isso seria assinar a sua certidão de óbito.
Cin.naroda