terça-feira, fevereiro 03, 2009

Moscovo e Minsk acordam criar sistema de defesa anti-aéreo único


A Rússia e a Bielorrússia assinaram hoje um acordo sobre a criação de um sistema regional único de defesa anti-aérea, anunciou hoje Dmitri Medvedev ao receber o seu homólogo bielorrusso, Alexandre Lukachenko.
“A realização desse documento aumentará significativamente a capacidade de defesa da Rússia e da Bielorrússia”, declarou Medvedev ao receber Lukachenko no Kremlin.
Segundo o dirigente bielorrusso, a criação de um sistema regional único de defesa anti-aérea dos dois Estados deve “obrigatoriamente ser analisado num conjunto de medidas com vista a aprofundar a cooperação técnico-militar”.
Moscovo não esconde que a criação deste sistema de defesa anti-aéreo é uma das respostas ao alargamento da NATO para o Leste da Europa.
Pavel Borodin, secretário de Estado da União de Estados Rússia-Bielorrússia, declarou na fase quando ainda o projecto do sistema estava a ser elaborado: “trata-se de uma defesa prática em relação à Aliança Atlântica”, sublinhando que “a Bielorrússia será a primeira fila na defesa das fronteiras aéreas e verá reforçadas as forças e meios de aviação e de defesa anti-aérea”.
Em declarações à agência RIA-Novosti, Alexandre Zelin, precisou que “o sistema de defesa anti-aérea será constituído, nomeadamente, por cinco unidades aéreas e dez de mísses anti-aéreos”.
Elas garantirão um melhor controlo por rádio e radar das pequenas e ultra-pequenas alturas na fronteira ocidental da União de Estados, desde o Báltico até à Ucrânia”, acrescentou.
Victor Litovkin, director do jornal “Nezavissimoe voennoe obozrenie” (Análise Militar Independente), considera que o novo sistema “nada tem a ver com os planos americanos de instalação de um sistema de defesa antimíssil na República Checa e Polónia”, mas sublinha que “esse sistema de defesa anti-aérea tem grande importância para Moscovo e Minsk”.
Porém, o analista político Kiril Koktich tem outra opinião: “no que respeita ao sistema de defesa anti-aérea, ele, de facto, existe desde os anos 90, simplesmente não estava legitimado. Por isso, trata-se da assinatura de uns papéis que, finalmente, lhe darão um estatuto definitivo”.

50 comentários:

Ricardo disse...

Esse sistema é muito vantajoso para Belarus, já que os países do leste europeu (com excessão da Rússia) viram suas forças armadas se deteriorarem muito rápido, seja por falta de dinheiro, seja por pura falta de interesse.

Jose Milhazes disse...

Como? Os países do Leste da Europa modernizam as suas Forças Armadas depois do ingresso na NATO.
Quanto à Bielorrússia, pode poupar mais alguns cobres num momento de crise. O regime de Lukachenko, vendo-se numa situação económica e financeira grave, tenta arranjar dinheiro. Moscovo já deu, falta agora a União Europeia desembolsar também. E isso vai sobrevivendo o simpatizante de Hitler e Estaline.

Afonso Henriques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DS2 disse...

" E isso vai sobrevivendo o simpatizante de Hitler e Estaline."

Cada vez entendo menos deste blog e já não sei se será mesmo uma fonte fiável de informação. No entanto, vou oferecer á comunidade do "da Rússia" uma oportunidade de me elucidarem:

Porque raio é que a Bielorrússia não integra a Rússia de vez?

DS2 disse...

... é que a mim parece-me que isto é muito, mas mesmo muito vantajoso para a Bielorrússia, assim como para a Rússia, em menor escala... mas é apenas aquilo que a mim me parece e eu não sou nenhum perito.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Como? Os países do Leste da Europa modernizam as suas Forças Armadas depois do ingresso na NATO.

Se isto acontece no leste europeu, é preciso avisar a espanha que equipou suas novas fragatas com canhões americanos usados.
É um bom exemplo de modernização.

Ricardo disse...

Como? Os países do Leste da Europa modernizam as suas Forças Armadas depois do ingresso na NATO.
-----------------------------------
Bom se for analisar:
Ucrânia - força aerea desdo fim na URSS não recebeu mais nada e não fizeram upgrade nos seus aviões e nem iniciaram um programa a
para tal.

Polonia - país mais forte economicamente do leste europeu(depois da Rússia)foi o único que investiu mais pesadamente, tendo comprado 50 F-16.

Geórgia - nem preciso falar, Rússia destruiu quase tudo que eles tinha em termos de armas pesadas.

Estônia, Lituania e Letônia - simpesmente não tem caças, espaço aereo é vigiado por 3/4 caças da OTAN que militarmente não significa absolutamente nada.

Republica Tcheca - conta com apenas 14 caças Saab Gripen

Eslovaquia - 12 caças mig-29 modernizados

Hungria - 14 caçassaab gripen

Enfim, estão muito longe do razoável.

Jose Milhazes disse...

Leitor DS2, a pergunta deve ser enviada ao povo bielorrusso que deve decidir se quer ou não integrar-se na Rússia. Se a uniuão for feita em condições livres e democráticas, apenas desejo boa sorte.
Quanto ao admirador de Hitler e Estaline, se não acredita e sabe russo, vai ao youtube, escreve em cirílico Hitler e Lukachenko e poderá ouvir os "ensinamentos" do presidente bielorrusso.
A fonte fiável de informação não é aquela que publica notícias que lhe agradam, a vida é mais complicada.
Leitor Ricardo, a Ucrânia e a Geórgia não fazem parte da NATO. E explique-me o que significa "estão muito longe do razoável". Até parece que a guerra entre a NATO e a Rússia vai começar amanhã. Não vai.

Jose Milhazes disse...

Comentário recebido por mail: "Viva!

A Bielorrússia está numa crise tão grande e quer-se colocar em bicos de pés! Esses países em vez de se preocuparem com a crise, pretendem manter-se na crista da onda...pela negativa!!!!
Há um "País" em que o tema "quente" das notícias é uma caso "freeport". Julgava que o mais importante são as condições e angústias do dia-dia dos que não recebem ; se em cada dia que corre, voltarão no dia seguinte ou se ainda terão "papel" no fim do mês!

O que se passa na UK com trabalhadores portugueses e italianos é uma pequena amostra do que irá ocorrer por todo o lado, quando muitos sentirem que os postos de emprego estão a ser ocupados por "estrangeiros". A xenofobia tenderá a aumentar e não só em relação a originais de outros continentes. Os assaltos e roubos (por todos os meios) vão crescer em flecha e não são (serão), apenas, assaltantes "nacionais". Serão todos aqueles que vieram na esperança de... e de um momento para o outro, estarão pior do que quando vieram.

Ah! Se lhe colocar um bigode farto tem algumas semelhanças.

João moreira"

Wandard disse...

Como? Os países do Leste da Europa modernizam as suas Forças Armadas depois do ingresso na NATO.

Desde quando? Que forças modernas são essas?

No caso das Forças Aéreas, os que ainda não utilizam algum material soviético modernizado, ou comprou aviões ocidentais(americanos) usados, considerando que modelos como os F-16 por exemplo são projetos da década de 70, que entraram em operação nos anos 80. Os Grippen suecos são tambem aeronaves antigas, além dos países que nada tinham e nada tem para contribuir como os estados bálticos ou no próprio caso da outrora europa ocidental Luxemburgo que possuem forças da Otan ou americanas se é que é possível distinguir na prática, estacionadas em seus territórios para compor.

DS2 disse...

Senhor José Milhazes, eu sou mesmo neutral, quem o presidente Bielorrusso admira não me interessa para nada, não gosto nem deixo de gostar.
A mim, quanto muito, o que me incomoda é o eu ter notado um certo "bias" da sua parte e o facto de o senhor Milhazes ter utilizado essas palavras não para informae, mas sim para demonizar um Homem.

Perdoe-me se vou ser bastante frontal mas não gosto de demonizações e Ad Hominems. Eu pauto-me por valores superiores a esses.
Acresce a isto o facto de eu ter caído aqui recentemente de pára-quedas estando á espera de encontrar um blog jornalístico mas afinal, chego á conclusão que este é o seu blog pessoal.

E também, para um tratamento mais cordial entre os dois, não o aconselho a mandar-me bocas deselegantes do tipo "A fonte fiável de informação não é aquela que publica notícias que lhe agradam" e "a vida é mais complicada", tenhamos educação meu senhor! Respemo-nos, especialmemte essa boca vinda da sua parte, com um telhado bem envidraçado, é extremamente deselegante. Mas fiquemo-nos por aqui, sim?

Desejo-lhe um resto de uma boa tarde caro Milhazes.

DS2 disse...

Tendo em conta os últimos comentários, queria também deixar a minha opinião:

Crise!? Qual Crise? Não pode haver qualquer crise uma vez que a imigração não pára e os "estrangeiros" - Nacionalizados ou não que para mim é o mesmo - são hoje quase 1 milhão em Portugal.

Se há empregos para sustentar esta multidão de "estrangeiros", "imigrantes", "minorias etnicas", o que lhe queiram chamar(!) é porque a crise não é assim tão grave como isso. E eles continuam a chegar...

Bem, é a quantidade de "estrangeiros" e "incompetentes" que ainda têm emprego: Uma das leis da Economia é que quando existe competição de mercado, os trabalhadores que prestam um desempenho inferior são os primeiros a ir para o desemprego (bem como as empresas com líderes que prestam um desempanho inferior são as primeiras a falir).

Uma das leis da política é que quando as classes que sustentam os políticos não são bem servidas, tendem a destornar esses mesmos políticos. E quem diz políticos diz partidos ou até mesmo regimes!

A crise não é assim tão grave como a querem fazer crêr.
Cumprimentos.

Sérgio disse...

DS2 a Bielorrussia não integra a Russia porque o ditador Aleksandr Lukashenko assim não o quer. Ideias tinha ele, até foi um dos grandes impulsionadores da união da Russia e Bielorrussia, mas em contrapartida queria ser ele a mandar nessa união. Por outro lado o sr. Putin queria apenas anexar a Bielo. como mais uma provincia da Russia. Ora como não se entenderam em quem mandava em quem...

Sérgio disse...

DS2 relativamente a estes últimos seus comentários, eu até achei que o sr. Milhazes está a trata-lo com uma educação à qual o senhor decidamente não está a retribuir. Cai em casa alheia de "para-quedas" e ainda se sente no direito de criticar isto e aquilo, relativamente a uma pessoa que seguramente nada lhe deve. Olhe, mas cá entre nós que ninguem nos ouve, não desanime continue assim reinvidicativo, exigente e sobretudo não ceda nada, afinal para lidar com pessoas como o sr. Milhazes ainda bem que há pessoas como o DS2.
p.s. Ainda bem que apesar de tudo aquilo que por aqui tem passado não o tem impedido de opinar sobre os demais assuntos. É mesmo assim...

DS2 disse...

Sérgio e restante comunidade,

É assim, eu quero deixar bem claro que não tenho "passado por muito" aqui. Apenas pensei que isto fosse um blog do tipo jornalístico e afinal não, é meramente o blog pessoal do senhor Milhazes onde ele fala do que quer e como quer.

O resto são choques que daí adveem.

P.S. - Quanto á educação, o seu PS fala por si ;) ... e por mim.

---------------------------------

Quanto á Bielorrússia, porque não tirar de cena o seu ditador e passar á referida anexação?
Alguém sabe o que pensa a população Bielorrussa?

Ou será que o raio dos Eslavos ainda quer fazer parte da União Europeia? Eu já nem sei, Chernobyl é lixado...

Alguém me pode ilucidar?

Sérgio disse...

DS2, não compreendi a do PS.

Quantos aos choques deve ser da sua natureza sensivel, deixe-se andar por aqui algum tempo que isso passa-lhe.

Quanto ao que o povo Bielorrusso pensa, isso deve ser dificil já que não tem liberdade de expressão e vivem sob um regime ditatorial.

MSantos disse...

Wandard
O Gripen é um excelente avião e na sua primeira versão, muito "up-to-date" com a 4ª geração de aviões de combate.
Creio mesmo que na sua versão mais moderna (NG) faz parte das opções que o Brasil está a considerar no seu programa FX.

Mesmo até os F16C são excelentes aviões ainda aptos a defrontarem qualquer ameaça presente.

A dita modernização que o José Milhazes refere foi pontual e estratégica, nos interesses da admnistração Bush fazer frente á nova ameaça por si criada.

No caso da Polónia, recebeu os ditos F16, mais uma ou duas fragatas classe OH Perry e não sei bem mas talvez uns Leopard II alemães ou holandeses. Se analizarmos a dimensão militar defensiva/ofensiva da Polónia face ao seu tamanho geoestratégico, isto é manifestamente pouco e é mais para encher olho.

A Rep. Checa foi estratégica, dado o escudo, e terá recebido esse financiamento adicional para comprar uns poucos aviões avançados.

Também noutra escala temos a Hungria.

Tudo o resto é residual dado serem nações pequenas (Bálticos etc) e aí aumentar um que seja sobre zero, é muito.

A coisa seria muito mais complicada se tivessem que modernizar umas FAs á dimensão da Ucrânia.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo russo. disse...

Para o nosso Sérgio está sempre tudo muito claro, está tudo em preto e branco (talvez por causa da juventude, quem sabe?) Lukashenko é um ditador, e Alíev (presidente do Azerbaijao) - seria muito interessante saber - como é apresentado, entao? Já nem falo do "jovem democrata" Saakashvili, que cometeu um verdadeiro crime contra o próprio povo (apostou num cavalo errado, mas quem sofreu, foi o povo georgiano).

Wandard disse...

Caro Manuel,

Sei que o Grippen é um bom avião e sempre fui fã dos F-16. Mas mesmo assim são projetos antigos. Apesar de ter feito partes das propostas do ridículo Projeto FX e neste caso posso falar com propriedade por ser da FA, foi descartado pelas suas limitações. Por sinal este famigerado projeto vai acabar em pizza. Estas adições, transferências ou compras engendradas para os páises do leste europeu e diga-se ex-satélites soviéticos, são somente engodo. A realidade é que estas repúblicas servem apenas como estratégia de barreira para retardar um certo país no caso de um conflito, ou seja seriam o que se chama de carne de canhão ou boi de piranha.

No caso da Ucrania é diferente, pois esta herdou um formidável aparato da União Soviética, mas as dificuldades econômicas levaram ao sucateamento de mais de 80% dos equipamentos de forma geral.


Abraço,

Anónimo russo. disse...

"vivem sob um regime ditatorial"

Sérgio, aprende bielorusso (ou, pelo menos, russo) primeiro, vizite o pais, e só depois é que vai ter o direito de tirar conclusoes (ou, antes, acusaçoes) tao sérias

Sérgio disse...

Anonimo Russo esqueceu-se de referir o democrata camarada Putin. Já agora, desculpe que lhe pergunte, este mês ainda não houve baixas para esse lado? Um jornalista, um ex-membro do KGB, nada? Bem aguardemos serenamente.

Sérgio disse...

Aí vão outras acusações sr. anonimo russo e não precisei de aprender russo, ou por acaso também são invenções da nossa inprensa.

Anónimo russo disse...

Entao, Sérgio, como é apresentado Alíev pelos vossos média? Duvido que se fale dele como de um ditador. Sabe porque?

E as declaraçoes de que Lukachenko é um ditador, cinceramente, me fazem rir. Lembra-se-me logo o Saddam Hussein, Robert Mugabe etc. Em que mundo de sonhos mágicos habita voce? O regime de lukashenko é o regime de simples autoritarismo, nada mais.

DS2 disse...

Sérgio, não me leve a mal mas eu creio que você é muito jovem e ingénuo. Concordo plenamente com o Anónimo Russo se bem que creio que ele pinta um bocado a ouro o Presidente Bielorrusso.

Mas a questão não é fácil, não. E Putin e Medvedev, a meu ver, têm feito um melhor trabalho que todos os nossos governantes desde Salazar.

O Sérgio ainda considera a Democracia como um valor absoluto e assim é incapaz de compreender que a democracia deve servir o povo e não servir-se do povo. O Sérgio e a sua família são os primeiros lesados com esse tipo de ideias. O país é o segundo.

Putin? Putin deve ser um dos melhores líderes do Mundo Europeu (aqui e nas Américas) actualmente.

É apenas a minha opinião.

Sérgio disse...

DS2 diga isso às familias de quem já cá não está, seguramente que participarão da sua opinião. Olhe que não sou tão ingenuo como me querem fazer parecer, sabe porquê caro amigo? O sr. Putin e companhia só quer uma coisa, fazer com que a Russia tenha um papel preponderante no mundo como o teve no passado, e isso á custa dos direitos fundamentais dos seus cidadãos, dos interesses dos seus vizinhos, dos interesses da UE, ou pensa que lhe agrada ver a expansão da UE a países como a Ucrania que são peças fundamentais no seu tabuleiro de xadrez. Mesmo que não se verificasse nenhuns destes atropelos, teríamos sempre e em última análise a atitude deliberada por parte da Russia em diminuir a influencia da UE. Um exemplo só para que não digam que não compreendem, o tentar assegurar por parte da Russia que todas as fontes energéticas da Asia Central sejam canalizadas através da Russia, isso é do interesse da UE? A compra de alguns Europeus que se vendem por uns milhões de patacos como o ex-chanceler alemão, será também do interesse Europeu? E quando chegamos à conclusão de que a Russia deliberadamente assume uma posição oposta e contrária aos interesses da UE, como é que se pode continuar a defender e a admirar esse país. Da minha parte não, se outros continuam eu não, é uma das qualidades da democracia. O anonimo russo que esperaria que ficasse indignado com as acusações ao seu primeiro ministro vem falar de quê, nem sequer uma palavra acerca do seu querido sr. Primeiro ministro ou será sr. Presidente, que tão bem sabe usar a pressão como ele e a maioria dos Russos tanto gostam, desde que seja exercida sobre os outros. Relativamente à Bielorrussia apenas me limito a fazer eco daquilo que por aqui é conhecida como a última ditadura da Europa, se o sr. anonimo russo me quiser explicar porque estamos errados, sou todo ouvidos, ou olhos neste caso:).
p.s. - e por favor não me cite os nome de mais ditadores, eu sei que mesmo dentro dessa categoria o sr. Lukachenko é um peso pluma, ocupa a categoria mais baixa, mas não é por isso que o deixa de ser.

DS2 disse...

Caro Sérgio,

não leve a mal mas enquanto você tiver essa visão maniqueísta do mundo - ignorando toda e qualquer realidade que com a sua visão choca - que se reparte entre o Império do bem que é a União Europeia e o Imério do mal que é a Rússia, é difícil entrar num debate sério com o senhor.

Outro argumento revelador da sua ingenuidade é crêr piamente que democracia e bem são sinónimos enquanto que tudo o que seja um pouquinho autoritário é mau (se bem que não prestou declarações referentes ao governador Azeri como lhe foi requesitado... hm...).

Repare que o senhor Putin tem taxas de aprovação por entre os Russos (comuns) que nem o semi-Deus Obama pode almejar!
Já para não falar de óptimo trabalho que as suas administrações têm feito em prol da Nação Russa.

Um outro indicador perturbante é o senhor preocupar-se com a União Europeia e não com Portugal...

Você parece ser um bom rapaz, não se zangue comigo Sérgio. Mas é assim que eu opino.

Sérgio disse...

Caro Ds2, se os interesses da UE são prejudicados, não o são também os de Portugal. Ou o senhor ainda não conseguiu fazer essa associação. Depois gostava que me explicasse por favor quando é que os interesses Russos passaram a ser os dos Portugueses, porque até hoje ainda não lhe ouvi uma palavra em relação a Portugal, mas em relação à Russia até parece que foi comprado como o tal chanceler. Caro amigo eu nunca defendi o dirigente Azeri porque a própria adesão desses países à UE ainda vão demorar anos, se algum se vier a concretizar e depois de muitas reformas, democraticas também. Quero com isto dizer que nunca disse que esses dirigentes não tem melhorias a fazer, mas isto não é razão para fechar os olhos ou desculpar outros. Mas deixe lá que o que interessa é a taxa de aprovação do Putin, ainda que para isso tenha que ter passado pelos direitos de uns quantos individuos, afinal o que interessa é o interesse da maioria russa e a sua devota admiração caro amigo por esse dirigente politico. Olhe que o Hitler numa dada fase também teve uma grande aprovação da população alemã, e não estou com isto a fazer comparações. Enquanto não for descoberto uma forma melhor de nos regermos em sociedade, eu quero viver em democracia, o caro amigo se quer exprimentar autoritarismo esteja à vontade. Por fim minha alegada visão do bem e mal, é apenas ilusão da vossa parte, a UE deve ser pragmatica, deve defender os seus interesses intransigentemente tal como o faz a Russia, e se esta continuar com os seus joguinhos deve sofrer as consequencias, acredite não é nada pessoal mas não me parece certo defender os interesses de quem não me é nada e teima em estar do lado de lá da barricada.

Anónimo russo disse...

"O sr. Putin e companhia só quer uma coisa, fazer com que a Russia tenha um papel preponderante no mundo como o teve no passado, e isso á custa dos direitos fundamentais dos seus cidadãos, dos interesses dos seus vizinhos, dos interesses da UE, ou pensa que lhe agrada ver a expansão da UE a países como a Ucrania que são peças fundamentais no seu tabuleiro de xadrez" etc, etc, etc.

Ò meu Deus... Ele é incurável.. (me perdoa, Sérgio)

Mas que televisao ve voce, que jornais le? Será que realmente está tudo tao triste na Europa neste aspecto?

Nao sei por que, mas eu nao tenho nenhum ódio a Portugal.

O que lhe fez a Rússia? Sofreu pessoalmente?

E quanto á Bielorússia, nao há realmente nenhuma ditadura, pelo que se ve daqui.

Anónimo russo disse...

P.S. Ou voce realmente é ainda muito jovem? Entao, nao vale a pena discutir.

Sérgio disse...

Anonimo russo a minha resposta às suas perguntas está nos meus dois comentários anteriores, por isso perdoe-me por não me repetir. Não tenho nenhum motivo pessoal contra a Russia, é tão só e apenas falta de confiança, nada mais.

Wandard disse...

"ou pensa que lhe agrada ver a expansão da UE a países como a Ucrania que são peças fundamentais no seu tabuleiro de xadrez. Mesmo que não se verificasse nenhuns destes atropelos, teríamos sempre e em última análise a atitude deliberada por parte da Russia em diminuir a influencia da UE"

Caro Sérgio,

Como sempre temos conversado, saiba que sempre respeitarei as suas opiniões, que claramente representam a visão de um cidadão europeu, mas o que deve ser observado primeiramente é que a UE deve primeiramente definir-se como quer ser vista, se como UE ou Otan, pois para a Rússia esta sempre se apresentou na segunda opção e o que você citou é a realidade, pois se a UE/Otan quer se expandir para áreas de interesse da Rússia nunca haverá acordo, pois será também direito da Rússia reagir contra. Agora se a UE mudar a sua ótica e passar a considerar a Rússia como um país europeu e integrante da UE, a coisa poderá ser diferente, pois o que foi feito até o momento foi o abrigo a ex-repúblicas soviéticas, estímulo ao revanchismo destes países e o constante posicionamento contrário e de cercamento sobre este país. Se a europa quer uma atitude diferente, deve ter outra postura, contrária à que tem adotado.

Abraço,

Anónimo russo disse...

Sérgio, Wandard,

A Rússia se manifesta contra NATO e as manobras nao muito honestas dos EUA (que agora tentam fazer do Nato (pelo menos, a antiga administraçao)um instrumento da sua política na regiao). Nada tem contra a UE, se for separadamente do NATO.
P.S.
Sérgio, antes de opinar com tanta certeza sobre Ucránia, tente saber a opiniao pública de lá. A maioria da populaçao está contra a entrada do pais no NATO, mas nao está contra (se nao me engano) da adesao a UE. Isso corresponde, segundo eu entendo á opiniao pública na Rússia sobre este assunto.

Anónimo russo disse...

Sérgio,

Vou tentar explicar. Eu vivo a 100 km da fronteira Ucraniana, a 200 km do lugar ande eu vivo, vivem uns parentes meus, já no território Ucraniano. E quando alguem da outra extremidade da Europa se poe de repente a defender a Ucránia e responder pelos ucranianos, sem sequer ter, pelo que se ve uma informaçao nao-engajada, acusando a Rússia de todos os pecados capitais, isso nao parece muito sério.

Anónimo russo disse...

P.S.

"A Rússia se manifesta contra NATO" - queria dizer, contra o NATO como um instrumento destrutivo nas maos dos EUA.
(Segundo eu sei, Putin até pedia para receberem a Rússia no NATO há uns 8 anos, se nao me engano)

Anónimo russo disse...

Tambem, a UE agora é um conjunto de paises, cujos opinioes muitas vezes divergem, especialmente, quando se trata da politica experna na direcção oriental. Os paises, força das ligaçoes das quais com a Rússia varia muito dependentemente de cada pais concreto.

Sérgio disse...

Caro anonimo russo percebeu mal o que disse em relação à Ucrania, se quer ficar a saber o que disse faça o favor de reler novamente o que escrevi. Wandard a Russia também tem que sentir pressão, não é só exerce-la sobre os outros, e assim talvez se reunam as condições para se chegar a um consenso.

Sérgio disse...

p.s. Anonimo russo nem todos na Ucrania são seus parentes ou vivem no leste da Ucrania.

Sérgio disse...

Alíás também temos por aqui um Ucraniano, ainda não deve conhecer, o Jest, e olhe que não diz apenas maravilhas dos Russos.

Anónimo disse...

o jest não é ucraniano é africano.

paara o anónimo russo só digo para nao perder tempo a falar com o sérgio, é que este homenzinho não passa de um anormal, eu conheço-o pessoalmente, é um triste que tem uma vida vazia e depois virou comentador de blogues porque nao tem mais nada para fazer.

Sérgio disse...

O anónimo realmente conhece-me bem. Ainda bem que existem pessoas como ele para preencher o vazio da minha vida.

Anónimo russo disse...

Sérgio disse...
"Alíás também temos por aqui um Ucraniano, ainda não deve conhecer, o Jest, e olhe que não diz apenas maravilhas dos Russos"

Sérgio, ele é "alaranjado", se isso lhe diz alguma coisa.

Anónimo russo disse...

Realmente, nao tenho tempo para responder a todo instante. Espero que quem queria, já tenha entendido o que eu queria dizer.

Sérgio disse...

Ó anonimo russo, os alaranjados tammbém são ucranianos com direito a opinião. E se não tem tempo para responder não responda, ou responda quando tiver tempo, não se preocupe que eu não vou a lado nenhumm aqui estarei, afinal tenho uma vida muito vazia.

Anónimo russo disse...

Sérgio,

"os alaranjados tammbém são ucranianos com direito a opinião"

igualmente como os ucranianos de leste.

Anónimo disse...

para os ignorantes:

despesas militares em 2009 (previsões)

1 United States 713,100,000,000
2 France 61,571,330,000
3 United Kingdom 61,280,890,000
4 China 61,090,000,000
5 Russia 50,000,000,000
6 Japan 48,860,000,000
7 Germany 45,930,000,000
8 Italy 40,050,000,000
9 Saudi Arabia 31,050,000,000
10 Turkey 30,936,000,000
11 South Korea 28,940,000,000
12 India 26,500,000,000
13 Australia 24,802,000,000
14 Brazil 23,972,836,012
15 Canada 19,507,013,000
16 Israel 13,300,000,000
17 Netherlands 12,000,000,000
18 Poland 11,791,000,000
19 Spain 10,786,160,000
20 Taiwan 10,500,000,000

só por esses dados dá pra ver que é impossível comparar o poder militar russo com o americano...só um total ignorante pode afirmar o contrário...comprar brinquedinhos aqui ou lá não diz nada sobre seu poderio militar. Em uma guerra não-nuclear entre Rússia e EUA, a primeira seria apagada do mapa em menos de 1 semana.

Augusto

Anónimo disse...

Só esqueceram uma coisa!

PIB (PPP)

United States 14,580,000
Russia 2,221,000

A diferença é muito grande: dá quase 7 rússias!!!!

Anónimo russo disse...

Anónimo,

"Em uma guerra não-nuclear entre Rússia e EUA, a primeira seria apagada do mapa em menos de 1 semana."

A Alemanha nazi tambem pensava assim (e os números eram parecidos)

Anónimo russo disse...

P.S.

O arruinado Afeganistao já está "apagado do mapa" por forças da coligaçao? Nao penso. Quanto mais permanecerem lá, quanto mais a população local se voltar contra elas, mais baixas vao sofrer.

Anónimo russo disse...

P.P.S.

O nosso ministro da defesa Gratchev na primeira querra tchetchena tambem prometia tomar Grozny em 2 hóras. O que saiu disso nós todos sabemos.

Anónimo russo disse...

"Em uma guerra não-nuclear entre Rússia e EUA, a primeira seria apagada do mapa em menos de 1 semana."

Voce se lembra do Vietnam? E a Rússia nao é um Vietnam.