sexta-feira, março 13, 2009

Polícia detém manifestantes da oposição e jornalistas em Moscovo


A polícia da capital russa deteve, na quinta-feira, cerca de vinte manifestantes da oposição ao primeiro-ministro Vladimir Putin e jornalistas que cobriam mais uma “Marcha de Discordantes”.
A oposição extra-parlamentar, reunida na organização “Outra Rússia”, tinha convocado uma manifestação para o centro de Moscovo, para perto da estação de metropolitano “Tverskaia”, que as autoridades policiais consideraram “ilegal”, tendo mobilizado cerca de quatro mil agentes para impedir a realização dessa iniciativa.
Porém, segundo testemunhas no local, cerca de 300 manifestantes saíram de outra estação de metropolitano, a “Prospekt Mira”, a norte de Moscovo, cortaram a artéria rodoviária com o mesmo nome, e dirigiram-se para o centro da cidade.
Portando bandeiras de organizações da oposição como “Frente Cívica Unida”, “Partido Nacional-Bolchevique” e de movimentos como “Mudança” e “Defesa”, os manifestantes gritavam: “Liberdade para os presos políticos!”, “Precisamos de outra Rússia!”, “Rússia sem Putin!”.
Os manifestantes acenderam também foguetes e queimaram retratos do Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev.
Marina Litvinovitch, uma das dirigentes da organização “Outra Rússia”, declarou à Lusa por telefone que a principal reivindicação da manifestação é “a demissão de Vladimir Putin do cargo de primeiro-ministro”.
A polícia interveio para dispersar os participantes na Marcha dos Discordantes, jovens na sua maioria, tendo detido cerca de vinte, entre os quais se encontravam quatro jornalistas.
Os jornalistas, que trabalhavam para o jornal electrónico Gazeta.ru, o diário Kommersant, o canal televisivo russo TVts e a agência noticiosa Associated Press, foram mais tarde deixados em liberdade”.

13 comentários:

Kremlino no feminino disse...

Quem queima retratos daquele ursinho lindo devia ser enviado para a Sibéria sem bilhete de retorno.

Anónimo disse...

ursinho totalitário...

kremlino no feminino disse...

é que os ursos não gostam de partilhar
aconselho um bom documentário sobre ursos
mas também há ursinhos de peluche, que só dá vontade de abraçar
o ursinho em causa é de peluche mas tem garras
hehehehe

Jorge disse...

No tempo de Stálin era muit bom! Não tinha nenhuma greve!

Os esquerdinhas brasileiros falava na "paz de cemitérios" por causa da ditadura de 1964. Tem alguma coisa a ver?

Bragança disse...

as coisas não andam muito boa na russia
e o povo sente a crise...

kremlino disse...

Já há russos em Bragança? Ou são ucranianos? Diga coisas, que eu conheço bem a terra.

Gilberto Mucio disse...

Eu, evidentemente, sou um crítico de Putin, mas quando vejo esse tipo de oposição -- os fascistóides do Partido Nacional Bolshevik e similares -- me embrulha o estomago.

Não existe oposição decente na Rússia. São todos ainda mais nocivos que Putin. [Apesar de que há bons nomes isolados]

Que tristeza...

kremlino disse...

Eu continuo a dizer que ou há uma grande noite das facas longas, ou Putin não chega ao fim do ano. O perigo para o regime vem de dentro, não desta meia dúzia de anormais. Que pena tenho que não haja uma morada para onde lhe escrever e lhe dizer umas verdades para ver se abre os olhos. O homem há muito que anda enganado e o poder dele é mais teatral do que verdadeiro. Enfim, temo muito pelo futuro da Rússia.

Anónimo disse...

Ouvi agora na tv que devido a enorme crise e quase falência da Letônia, o país estaria disposto a vender parte do seu território (principalmente as partes de populaçao majoritária russa). Acredito que isso seria a melhor solução pra esse país falido.

Mr. Russian

kremlino no feminino disse...

Enough is enough, Mr. Russian. O blog do Doutor Milhazes não tem culpa das pancadas do creep do seu patrão Iznogoud. Go away! Give it up! I mean it!

Kremlino disse...

Portuguese Man, espero que esteja por aí.
Estive a verificar o que lhe disse ontem e parece que baralhei duas notícias: uma que falava da crise económica na China e do problema das exportações e da compra de material militar à Rússia; e outra que se referia a um empréstimo, que é mais um adiantamento, de dinheiro, mas em sentido inverso, da China a companhias enérgicas russas que lhe pagarão em géneros e construirão pipelines ou coisa parecida para Oriente.
Lamento a confusão, isto foi quase há um mês. De qualquer maneira, aqui fica o esclarecimento, porque eu reconheço quando erro e emendo a mão. Chama-se a isso coragem e integridade, coisas fora de moda hoje em dia.
____________________
Em relação aos meus comentários acerca da limpeza do Kremlin e Presidium, sabe se já foram feitos os tais despedimentos, JM? Eu não posso acreditar que Putin acabe desta forma. Todos os líderes têm o problema de poderem ser traídos pelos subordinados e, pelos vistos, aquilo na Rússia vai uma grande intrigalhada; só que há os chefes que dão a volta e os que são esmagados. Conto com um murro na mesa que se ouça, para se saber quem manda. Espero não estar a sonhar acordado...é que eu, ao contrário de si, admiro o homem e temo pelo futuro da Rússia sem ele.

Anónimo disse...

^^

pobre do país que depende só de um homem...pobre futuro da Rússia


xavier

kremlino disse...

Interessante entrevista na RT. O homem é bom, ou não?


http://www.russiatoday.com/Top_News/2009-03-14/_Putin_is_a_workaholic_.html