domingo, março 15, 2009

Chavez "oferece" base aérea à Rússia


O Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, propôs aos militares russos que utilizem um aeródromo na ilha La Orchila como base temporária para os aviões estratégicos da Força Aérea russa, anunciou o general Anatoli Jikhariov, comandante da Aviação de Longo Alcance.
“Sim, essa proposta foi feita pelo Presidente da Venezuela. Se for tomada a respectiva decisão política, isso é possível”, declarou hoje o general à agência Interfax.
O general reconheceu que já visitou, no ano passado, a ilha La Orchila, no norte da Venezuela, chefiando uma delegação de oficiais russos, e constatou que o aeródromo da base aérea naval local, depois de uma pequena reconstrução, “será capaz de receber os bombardeiros estratégicos russos com carga completa”.
“O comprimento da pista é de 3200 metros, resta aumentar 300. Em princípio é preciso cobrir de betão 100 metros”, precisou.
“A Constituição proíbe a instalação de bases de Estados estrangeiros na Venezuela, mas é permitida a instalação temporária de um contingente, por exemplo, para a realização de patrulhamento aéreo, que é aquilo que fazemos”, acrescentou.
Segundo o general russo, Chávez fez a sua proposta durante um encontro com pilotos russos no ano passado.
O Kremlin veio dizer depois que as palavras do general devem ser interpretadas apenas como "uma possibilidade técnica",
Em Setembro de 2008, tripulações de dois bombardeiros estratégicos russos Tupolev 160, comandadas pelo general Jikhariov, aterraram na Venezuela durante um patrulhamento aéreo do Mar das Caraíbas.
As autoridades militares russas declararam então que os aparelhos, capazes de transportar 12 mísseis de cruzeiro de longo alcance, não estavam equipados com armas nucleares.
A Força Aérea da Rússia possui actualmente 16 aparelhos Tupolev 160 (conhecidos no Ocidente como “Black Jack”). Tratando-se do maior avião supersónico, ele poderá ser utilizado para atingir alvos importantes, com armas nucleares e convencionais.

28 comentários:

ABC disse...

Sejamos justos: se os EUA abrirem uma base na Geórgia ou por ali, acho que os russos devem aceitar a proposta de Chavez ou até porem uma base em Cuba. Quando é que os americanos tomarão juízo? Devem querer provocar uma guerra mundial para disfarçar a falência.Patético!

Jose Milhazes disse...

Leitor ABC, os EUA não criaram uma base na Geórgia, mas sim a Rússia está a organizar bases na Ossétia do Sul e Abkházia. Quanto à possível base russa na Venezuela ou Cuba, será apenas mais um gasto supérfulo que nada trará aos cidadãos russos. Sejamos realistas.

ABC disse...

JM, eu não disse que criaram, disse que se criarem, é diferente. Concordo que as bases são supérfluas, mas são todas, as dos EUA também. Quanto á Ossétia e Abkházia é como os Iskander em Kalinegrado ou a expansão da Nato para Oriente: estou convencido que só aparecerão como resposta.Se o Ocidente parar, os russos param também. Estou convencidissimo disso.

MSantos disse...

Caro José Milhazes: aí creio que o jogo geoestratégico é muito mais complexo do que isso.

A questão de bases americanas na Georgia não tem qualquer senso, e provavelmente foi apenas um chamamento do "Chavez do Cáucaso" tal e qual Chavez (eles apesar de antagónicos são muito iguais, ainda ninguém reparou?) anda sempre a pedir aos russos que instalem bases na Venezuela.

Muito mais nocivas do ponto de vista militar/estratégico são as bases planeadas do escudo anti-míssil face a uma hipotética base na Geórgia. E são as bases na Polónia e República Checa o cerne da questão.

Penso que aqui a ideia, e se os russos utilizarem o bom senso, é de lançar o inuendo de que com as bases do escudo anti-míssil instaladas, os EUA teriam na soleira da porta bombardeiros estratégicos com mísseis nucleares, reduzindo drásticamente o tempo de reacção.

De relembrar a frase do Kremlin:

"O Kremlin veio dizer depois que as palavras do general devem ser interpretadas apenas como "uma possibilidade técnica","

Como quem diz, a ideia não é já instalar, mas estarmos preparados para se for necessário.

Aqui bastar-lhes-ia utilizar os Tu-22M mais ágeis, capazes de voar razante ás ondas para evitar a detecção por radar, e ao alcance do disparo estariam todas as cidades e objectivos estratégicos do sudeste dos EUA.

Se os russos conseguirem utilizar esta potencial ameaça de modo a demover ou contribuir para demover os EUA de instalarem as bases europeias, já terá sido uma vitória importante e provavelmente o objectivo do levantamento desta questão é mesmo esse.

Cumpts
Manuel Santos

Jorge disse...

É claro que uma iniciativa dessas atinge os EUA no baço.O único objetivo dessa hipotética base será o solo norte-americano. Igualzinho a história dos mísseis de Kruschev e Fidelão.

Chávez se mete num jogo que ele não tem nada a ver e coloca a Àmérica do Sul, desnecessariamente, numa confusão que ela não precisa. O sujeito é um perfeito idiota.

Esse governinho brasileiro foi quem ajudou esses paísecos sul americanos nos seus exotismos ideológicos. Se o Lula não tivesse ganhado em 2002 a força do Chávez seria outro. Bem como o cocaleiro Evo, que mandou tropas do exército boliviano - prestem atenção! - invadir às instalações da Petrobras na Bolívia para tomá-las como patrimônio do seu estado. Depois dessa cusparada na bandeira brasileira, o Lula já apareceu abraçando esse índio mais dez vezes na TV. Segunto consta o PT o apoiou na sua eleição para presidente.

Jorge disse...

Bases norte-americanas na Europa, dentro do contexto da Guerra Fria, naquela divisão que era a Europa, foi um acordo entre nações visando a defesa da região. Alguém pode reclamar que Grã-Bretanha, França, Dinamarca, por fazerem parte da OTAN, permitirem o funcionamento de bases dos EUA? A questão geopolítica fazia um imperativo do jeito.

Não faz diferença se a base dos EUA é próxima da Rússia ou não, nas questões de bombardeio nuclear. Por inúmeros meios o coração do seu território pode ser atingido. Como também ela pode atingir os EUA com seus balísticos, supercargueiros áereos e submarinos. O equilíbrio do terror é razoável.

Coitada da Venezuela com seu presidente imbecil.

Kremlino no feminino disse...

Lindo, brilhante, elegante,inteligente, culto, ai, ai,( grande suspiro!) quem me dera que Portugal tivesse um Presidente assim....Aliás não há outro com esta qualidade no mundo inteiro.
http://www.russiatoday.com/Politics/2009-03-15/_Crisis_is_a_strength_test__-_Medvedev___.html

Gilberto Mucio disse...

Isso é só birra. Isso não vai acontecer. Tanto Rússia como Venezuela estão desesperados e procuram a todo custo tomar medidas que aumentem o poder de barganha.

Mas o que já está acontecendo, na prática, é que a Rússia já começou, mesmo que sutilmente, a "abrir as pernas" para os EUA.

Baixou o tom no caso do escudo anti-mísseis, que VAI SAIR, mesmo que um pouco modificado, para a coisa não ficar muito feia pra Rússia; a colaboração no Afeganistão; está mexendo os pauzinhos e baixando a cabeça para a entrada do país OMC;

E não tem para onde correr.

Ps.: E o desemprego na Rússia já passa dos 8%...

ABC/KREMLINO disse...

Gilberto, que feliz fico que um opositor como você possa viver em Moscovo livremente. O Putin não é assim tão mau, parece.
Quanto ao que sonha em relação à "abertura de pernas" , ao escudo e ao resto, o tempo o dirá, e veremos que acontecerá e quem abrirá as pernas para quem.
E quanto aos 8% de desemprego, olhe cá também já se passou essa barreira, só que não há as mesmas regalias sociais que há na Rússia e a maioria dos desempregados nem tem subsídio de desemprego porque, ao contrário do mau do Putin, os bons dos portugueses não têm dinheiro nem para mandar abrir as pernas a uma profissional.
Passar bem.

Jorge disse...

"Não faz diferença se a base dos EUA é próxima da Rússia ou não, nas questões de bombardeio nuclear. Por muitos meios o coração do seu território pode ser atingido. Como também ela pode atingir os EUA com seus balísticos, supercargueiros áereos e submarinos. O equilíbrio do terror é razoável."

Assim fica melhor.

Espaço Democrático de Debates disse...

Prezado Amigo José Milhazes,
Saudações.
O Chavez realmente continua na sua retórica bolivariana tentando afrontar os Estados unidos.Acho interessante ele se aproximar da Rússia que é uma grande nação.
Porém,fundamentalmente ele depende muito dos Estados unidos,para onde exporta 49 % da sua produção petrolífera.
Ah,no meu blog,gosta as imagens e os textos da visita do Presidente Lula á Barack Obama.
Lula é o Terceiro chefe de Estado Recebido na Casa Branca por Obama,fato muito relevante para o Brasil.
Some não amigo Mulhazes.Todos os dias visito seu excelente blog,e tenho o divulgado para muitos brasileiros,que tem gostado muito do Blog Da Russia.
Quando puder,honre-me coms ua visita ao meu blog.
Respeitosamente.
Thiago Pires_Editor Blog Interesse Nacional

PortugueseMan disse...

"Porém,fundamentalmente ele depende muito dos Estados unidos,para onde exporta 49 % da sua produção petrolífera."

Não é bem assim que se deve ver a situação.

É claro que o maior cliente da Venezuela é os EUA, mas tanto a Venezuela precisa de exportar como os EUA precisam de importar o petróleo venezuelano.

Aliás dada as relações azedas como estão, se os EUA pudessem dar ao luxo de deixar de importar petróleo da Venezuela, já o teriam feito.

Falta adicionar que a Venezuela está a desviar a sua produção para a China e à medida que os contratos com os EUA forem acabando, novos serão feitos com a China.

Gilberto Mucio disse...

ABC/Kremino

Voce delira.

É outro que criou um Rússia alternativa que só existe em sua cabeça.

Fica até difícil discutir desse jeito.

De onde voce tirou que aqui na Rússia tem regalias sociais(queria saber quais são)? Só na sua cabeça fértil.

Quem tem regalia aqui é empregador -- não paga férias, reduz salário a hora que quiser, demite a hora que quiser, sem idenização, não há seguro desemprego de facto. Resumindo, não há leis trabalhistas. E nem mesmo sistema de previdencia há aqui. A pessoa é obrigada a trabalhar até morrer se não quiser morrer de fome ganhando cerca de 80 euros por mes.

Ps.: Sou um "opositor" um tanto quanto insignificante, ao ponto de ser perseguido, não acha? (risos)

Afonso Henriques disse...

"os bons dos portugueses não têm dinheiro nem para mandar abrir as pernas a uma profissional.
Passar bem."

Daí a "importação" de Brasileiras... XD

Gilberto Mucio disse...

É a lei da oferta e da demanda, D. Afonso.

É por isso que tem tanto traveco brasileiro em Portugal.(risos)

Wandard disse...

"Leitor ABC, os EUA não criaram uma base na Geórgia, mas sim a Rússia está a organizar bases na Ossétia do Sul e Abkházia. Quanto à possível base russa na Venezuela ou Cuba, será apenas mais um gasto supérfulo que nada trará aos cidadãos russos. Sejamos realistas."

Caro Sr. Milhazes,

Os Estados Unidos ou a Otan só não criaram esta base porque o conflito acabou por ocorrer primeiro. Mas o próprio alargamento da Otan ao aceitar os países do antigo bloco soviético, sendo por opção deles ou não assim como bases como a do Quirguistão e a presença dos EU e aliados no Afeganistão com o pretenso motivo mundialmente conhecido e pouco concordante das demais nações do mundo que não estejam envolvidas, além da defenestrada e ridícula motivação para o "escudo", que querem instalar na Polônia e República Tcheca, já são motivos de sobra e de direito da Rússia instalar ou não tais bases aonde ela quiser ou for convidada.

O custo da guerra do Iraque, Afeganistão, assim como as 800 bases que os Estados Unidos possuem espalhadas pelo mundo, são gastos supérfluos que em nada trouxeram para o povo americano, que custaram ao erário Norte Americano US 300 bilhões só para a manutenção este ano, fora o restante do orçamento em torno de US 450 bilhões. Para um país que além de ser o resposável pela crise mundial, produz atualmente mais 600 mil desempregados por mês.

Wandard disse...

"Mas o que já está acontecendo, na prática, é que a Rússia já começou, mesmo que sutilmente, a "abrir as pernas" para os EUA.

Baixou o tom no caso do escudo anti-mísseis, que VAI SAIR, mesmo que um pouco modificado, para a coisa não ficar muito feia pra Rússia; a colaboração no Afeganistão; está mexendo os pauzinhos e baixando a cabeça para a entrada do país OMC;

E não tem para onde correr.


Amigo Gilberto,


De onde você tirou esta informação.

Nem sequer na proposta de Reunião com a Otan, houve recuo das posições Russas, quem tem mostrado recuo são os Estados Unidos, que após as trabalhadas de Bush, se encontram em situação bem complicada, estão começando a recuperar B-52 que se encontravam fora de operação no deserto de Nevada, para compensar o inventário das forças estratégicas, estão reativando a 4º frota com a realocação de belonaves e recomissionamentos. Até o Norueguês da Otan, já baixou a bola e agora fala bem manso.

Gilberto Mucio disse...

Que nada...

Já baixou o tom agressivo e reiniciou o "diálogo" com a OTAN.

Pippo disse...

Penso que foi precisamente ao contrário: foi a NATO quem reiniciou o diálogo com a Rússia, suspenso após a guerra da Ossétia; foi a NATO quem reequacionou a adesão da Ucrânia e da Geórgia à sua organização; e foram os EUA quem se retrairam na questão dos mísseis (talvez tendo em vista um eventual apoio moscovita face à nuclearização do Irão).

A Rússia, à partida, está na defensiva e sabe que os seus inimigos (que o são, pois comportam-se como tal) tudo farão para a diminuir, pelo que reage em conformidade.

Esta proposta de eventual colocação de bombardeiros na Venezuela, sob o ponto de vista russo, faz todo o sentido. É uma maneira de pressionar o inimigo sem grandes esforços, obrigando-o a investir recursos comparativamente superiores para se opor à ameaça, recursos esses necessários noutros locais por forma a tentar garantir a supremacia global.

Sob o ponto de vista venezuelo-bolivariano, creio que é apenas mais uma maneira do Chavez chatear os gringos. O tipo até que é engraçado. Perigoso, mas engraçado.

Abraço,

Pippo disse...

Resta dizer que, se a questão dos mísseis na Polónia for resolvida de forma favorável a Moscovo, tal base venezuelana não será ocupada, pois a motivação estratégica desaparece.
Mas a possibilidade fica lá...

ABC/KREMLINO disse...

17 Março:
Gilberto e as suas virtualidades, vulgo "a Rússia a abrir as pernas":
1: militar: nem um milímetro cedido na estratégia militar e reorganização das FA ( ver discurso do presidente hoje).
2: económica: valores elevados de ajuda de protecção social, incluindo pensões, fundo de desemprego e outros (ver discurso de Putin ontem).
P.S. : um brasileiro a estudar em Moscovo opositor do regime dá nas vistas. A não ser que você finja publicamente e desabafe na net com pseudónimo, o que poderá ser prova de alguma inteligência. Mas, digo eu, arranje melhor que Putin e Medvedev, vá lá, diga quem. Pois. Não há, pois não? Afinal quem abre as pernas para quem?
Parece que você é quem não tem para onde correr, rapaz.
Passar bem.

ABC/KREMLINO disse...

Quanto a quem verdadeiramente abre as pernas para a Rússia, a notícia do dia em que o Nabucco deixou de ser prioridade da UE. Concordo, aplaudo e agradeço. Mas é mais um ponto a favor da Rússia, e que ponto!!!

Gilberto Mucio disse...

Quem havia rompido conversações e retirado o representante(se não me emgano, chamado de "embaixador") foi a Rússia, ora bolas.

Agora o enviou de volta, junto com um "precisamos conversar".

Só não ver quem não quer.
------------

Kremino/ABC

To esperando voce listar quais a regalias que os desempregados russos possuem.

Vamos lá. Confio na sua mente fértil.

Gilberto Mucio disse...

""2: económica: valores elevados de ajuda de protecção social"" --

Conte-me mais.


""incluindo pensões""

Conte-me mais(II). Pensão pensões de quanto para que tipo de pensionista.


""fundo de desemprego e outros (ver discurso de Putin ontem).""

Conte-me mais(III). De quanto?

----

Só pode tá de brincadeira...

ABC/KREMLINO disse...

Gilberto,
não sei qual é a sua agenda aqui, mas deve ser de contra-informação, só que eu não tenho de lhe dizer mais nada. Vá aos sites de informação, do governo, do Kremlin, de Putin e se tem do que reclamar, entregue queixa às autoridades competentes, nem que seja anónima. E agora vá chatear outro, que eu para o seu peditório já dei.
Boa viagem!

Sérgio disse...

"a notícia do dia em que o Nabucco deixou de ser prioridade da UE. Concordo, aplaudo e agradeço. Mas é mais um ponto a favor da Rússia, e que ponto!!!", citação do senhor ABC..., em mais um momento dos seus. Sem comentários.

Gilberto Mucio disse...

ABC/Kremino,

Estou esperando as informações, jovem.

Vamos lá!

Pelo menos invente algo. Confio em sua mente fértil.

Anónimo disse...

VAle lembrar que a Russia e o unico pais do planeta terra que jamais foi conquistado na historia

Tem um arsenal completo de armas nucleares e o Famoso Pai de todas as Bombas

Bonaparte e Hitler foram dizimados

Quem sera o Proximo idiota?