sábado, abril 18, 2009

EDP e Gazprom juntas na Venezuela


A empresa portuguesa EDP, juntamente com a Gazprom (Rússia), a Petroleos de Venezuela, a Eni (Itália) e a Petronas (Malásia), vai participar na exploração dos jazigos de hidrocarbonetos venezuelanos de Blanquilla Este e Tortuga, lê-se num memorando divulgado na capital russa.
Segundo o diário económico Vedomosti, o memorando de cooperação foi assinado pelas empresas Petroleos de Venezuela, Gazprom, ENI, Petronas e EDP em Setembro de 2008, ficando a empresa portuguesa com 05pc das acções.
A Gazprom anunciou que as reservas potenciais de ambos os jazigos ascendem a 260 mil milhões de metros cúbicos de gás e 640 milhões de toneladas de crude. Por isso, este será o mais importante dos projectos que a Gazprom desenvolve fora da Rússia.
Em conformidade com o memorando publicado, a Gazprom irá participar na extracção e liquefação do gás em Blanquilla Este e Tortuga, o que poderá gerar 4,7 milhões de toneladas de gás natural liqueficado.

7 comentários:

Sérgio disse...

A graxa toda do nosso Socrates ao Chavez serviu para alguma coisa. A EDP anda bem relacionada. Só falta saber quanto ganhou o nosso PM com este mais este serviço prestado na área da intermediação.

Jose Milhazes disse...

Leitor Sérgio, só é culpado alguém depois de soar a sentença do tribunal. A justiça que funcione primeiro, bem e operativamente.

Sérgio disse...

Pois caro JM, eu conheço bem a nossa justiça. E aquilo que pede não irá acontecer.

Anónimo disse...

os comunas têm é inveja da riqueza dos outros..

limitem-se a contar os tostões miseros que têm até aos ultimos dias das vossas vidas!

Pippo disse...

Interessante, esta nossa entrada na Venezuela. Também temos uma importante participação no mercado brasileiro. Se o país lucrar com o negócio, será sempre positivo. E poderá ser uma forma de diversificarmos as fontes de abastecimento.

Anónimo disse...

só os iludidos hehehe

PortugueseMan disse...

Ora isto é muito interessante.

É a 1ª vez que vejo a EDP metido em coisas de petróleo, nunca me tinha apercebido que a EDP também fazia jogadas destas.

Pensava que era só a GALP.

E mais uma vez, aparece uma ligação curiosa entre a Rússia e Portugal.

Portugal em termos energéticos está a fazer umas movimentações muito interessantes.