sexta-feira, junho 26, 2009

Cooperação económica no centro das conversações de Dmitri Medvedev e J.E.Santos


O Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, irá discutir com a direcção angolana medidas para aumentar as trocas comerciais, a cooperação na esfera espacial, o desenvolvimento da cooperação na exploração de recursos naturais e energia eléctrica, declarou aos jornalistas Serguei Prikhodko, assessor de Medvedev para assuntos internacionais.
“Durante as conversações russo-angolanas ao mais alto nível planeia-se discutir um amplo leque de questões da cooperação nas esferas política, comercial-económica, técnico-científica e culturo-humanitária”, acrescentou.
Prikhodko sublinhou que “um dos temas principais será questões práticas da cooperação comercial-económica, antes de tudo passos para aumentar o comércio bilateral que, em 2008, constituiu 76,3 milhões de dólares”.
Segundo ele, depois das conversações de Dmitri Medvedev com José Eduardo dos Santos, os dirigentes russo e angolano assinarão um comunicado conjunto, bem como toda uma série de documentos bilaterais, nomeadamente, o programa a médio prazo de cooperação económica, técnico-científica e comercial para 2009-2013, o acordo sobre o incremento e protecção mútua dos investimentos e o memorando no campo da cooperação tecnológica na esfera dos recursos naturais.
O porta-voz do Kremlin anunciou também que irá ser assinado um pacote de contratos sobre o projecto de criação de um sistema de comunicações por satélite em Angola “ANGOSAT”.
O assessor de Medvedev não excluiu a possibilidade da assinatura de um acordo sobre a abertura de uma ligação aérea directa entre Luanda e Angola, bem como um documento sobre a criação de um comité intergovernamental para a cooperação técnico-militar.
Porém, Prikhodko sublinhou que “não nos concentramos apenas nos diamantes e cooperação técnico-militar. Tencionamos cooperar na esfera da instrução, da preparação de quadros, do Espaço”.
O Kremlin não considera mesmo a cooperação técnico-militar uma direcção prioritária na cooperação com Luanda.
“Não penso que a situação seja actual. Foram transportados para o país armamentos mais que suficientes. Penso tratar-se, agora, da necessidade da sua manutenção, da preparação de quadros”, frisou ele.
Prikhodko revelou igualmente que a exploração de minas de diamantes em Angola é uma das principais direcções da cooperação económica bilateral.
“Nesse país trabalham com êxito as empresas de extracção de diamantes “Catoca” e “Luo”; com a particição da empresa russa “ALROSA”, realiza-se trabalho de prospecção geológica conjunta em Cacolu”, exemplificou.
O assesor defendeu que a extracção de combustíveis é mais uma direcção prometedora da cooperação bilateral.
Segundo ele, além da “ALROSA”, que obteve licença para realizar prospecções geológicas de petróleo nas bacias dos rios Kwanza e Congo, outras empresas do ramo dão os primeiros passos no mercado angolano: a OAO “Zarubejneft” estabeleceu contactos com a “SONANGOL”.
“Existem também”, continuou ele,”boas possibilidades para o desenvolvimento da cooperação na energia eléctrica”, revelando que actualmente se estuda a questão da participação da empresa russa “Tekhpromeksport” na construção de duas centrais eléctricas no rio Kwanza.
A Tekhpromeksport participou na construção da central hidroeléctrica “Capanda” e a empresa conjunta “Hidrochicala”, com a participação da “ALROSA”, terminou, no ano passado, a construção de uma central hidroeléctrica no rio Chicala.
Serguei Prikhodko destacou igualmente a cooperação no campo da instrução e preparação de quadros, sublinhando que, hoje, cerca de 300 estudantes angolanos frequentam universidades russas.
“Será prestada especial atenção à discussão dos problemas internacionais actuais com vista ao reforço da interacção russo-angolana na política externa”, continuou.
“Planeia-se a troca de opiniões sobre a luta contra as consequências da crise económico-financeira global e sobre a criação de um sistema internacional eficaz e justo de gestão dos processos económicos, sobre a situação em África e sobre o desenvolvimento dos progressos integracionistas no continente”, concluiu Prikhodko.
A viagem de Medvedev a Angola realiza-se a 26 de Junho.

41 comentários:

lol disse...

gostaria de saber qual ea porcentagem de negros vivendo na russia por favor alguem responde?

Anónimo disse...

Muito pouco. quem é louco de ir pra lá? Pegar uma facada somente por causa da cor da pele?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Se o medevedev afirmou isso, a partir deste momento Medvedev é um inimigo do povo Português e da nação portuguesa.
E para este grupo entram todos aqueles que sendo rússos apoiem as afirmações deste "presidente".


Sr. milhazes, é verdade que Medvedev fez essas afirmações, o senhor confirma?

L.P

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jose Milhazes disse...

O Presidente Medvedev considera que os Estados, cujas colónias foram antes países africanos, devem começar a pensar em devolver as dívidas ao Continente Africano.
"A Rússia nunca foi uma potência colonial, mas consideramos que chegou a hora de devolver as dívidas", declarou ele em Luanda.
"É preciso dar aos países africanos fontes para o autodesenvolvimento, criar para eles mecanismos financeiros que trabalhem com eficácia", especificou, acrescentando que "nós encontramo-nos com os dirigentes dos países maiores de África e analisamos essas questões".
Quanto à posição de que os países colonizadores devem pagar dívidas, é uma questão que se pode discutir, mas afirmar que "A Rússia nunca foi uma potência colonial", bem, como me exprimir de forma correcta, eu não devo ter estudado História na Universidade de Moscovo, mas na Lua...
Se isto não é revisionismo da História da Rússia, então a Terra é quadrada...

MSantos disse...

Caro José Milhazes

Na minha opinião e se me o permitir, a sua visão está a ser um pouco simplista e clássicamente orientada no sentido de pôr a nú o negativismo dos líderes russos.

Tudo se baseia em questões de mentalidade e interpretação.

No caso da mentalidade e presumindo que o JM se refere ao revisionismo, o facto de a Rússia ter ocupado e colonizado territórios adjacentes, para Medvedev ou qualquer russo típico como o JM sabe melhor do que eu, isso não existe pois tudo pertence à "Grande Rússia", independentemente de juízos de valor. Para eles o imenso espaço euro-asiático de predominância eslava com outras etnias orientais associadas constitui o seu conceito nacional.

No caso da interpretação, para Medvedev como para qualquer potência tradicionalmente terrestre ou continental, o conceito colonialismo aplica-se a nações de tradição marítima que se aventuraram noutros continentes ou ilhas e aí fundaram novas nações sobre as comunidades indígenas que existiam, de certa forma dominando mal ou bem, esses povos.

Pegando nestes dois pontos de mentalidade e interpretação, até posso acreditar que Medvedev tenha sido sincero naquilo que afirmou sem qualquer tentativa consciente de fazer revisionismo ou apagar o passado.

Quanto às declarações em si, temos de nos lembrar que isto foi um mero discurso diplomático para cativar, em que Medvedev apenas disse o que o ditador angolano queria ouvir. Provavelmente a Rússia não irá mover as organizações internacionais para fazer os colonizadores pagar e o assunto ficará por aqui.

Provavelmente se nos voltar a visitar fará novo exercício de diplomacia e referirá cinicamente a nossa gesta heróica dos descobrimentos.

Qualquer líder mundial faz isto e é normal e frequente.

Cumpts
Manuel Santos

Jose Milhazes disse...

Caro MSantos, o problema não é se o Presidente Medvedev ou os russos (não sei quantos) não consideram que a Rússia tenha colonizado, mas se realmente colonizou ou não.
Salazar também não admitia que Portugal tivesse colonizado quem quer que fosse, mas que tinha levado a civilização, etc., etc.
Na era Brejnev, quando eu estudava na Universidade de Moscovo (1977-1983), nos livros de História da União Soviética escrevia-se que praticamente todos os povos do espaço soviético tinham aderido, mesmo durante o regime czarista, voluntariamente à Rússia, mas como era possível conciliar essa afirmação com a famosa máxima de Lénine de que "A Rússia era uma prisão de povos"?
Na questão da História, até a diplomacia tem limites.
E mais um pormenor. A Rússia também possuiu colónias ultramarinas: Alasca e parte da costa americana na Califórnia.
A seguir a sua lógica, qualquer país pode escrever a sua história a seu bel prazer, sem ter em conta factos conhecidos de todos?

MSantos disse...

"A seguir a sua lógica, qualquer país pode escrever a sua história a seu bel prazer, sem ter em conta factos conhecidos de todos?"

Não é isso que está em causa. O que escrevi foi que para os russos isso não foi colonização independentemente de o ter sido, e se foi o correcto ou errado.
Uma questão interpretativa tão só e não de factos históricos.

É a mentalidade e cultura russas.

Raro é o país que não adultera os seus factos históricos de modo a que estes vão ao encontro da sua visão nacionalista.

Quanto às colónias ultramarinas, o esforço foi mínimo comparativamente às nações marítimas dado praticamente não terem ficado laços significativos entre a Rússia e essas regiões que no caso do Alasca é praticamente uma região adjacente.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

José Milhazes tem toda a razão àcerca da Rússia e do colonialismo russo.
Na verdade a Rússia é um dos poucos estados que ainda tem um império colonial que vai desde os samis (ou lapões) e outros povos fino-úgricos passa pelo Cáucaso, continua com os tatares e outros povos túrquicos e termina no Extremo Oriente.
Nenhum desses povos tem tido a liberdade de decidir sobre o seu destino e são obrigados a seguir as ordens de Moscovo em assuntos tais como o uso obrigatório do alfabeto cirílico e a escolarização nas suas próprias línguas maternas.

ZP

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

"envenenar Angola contra Portugal", lia-se no comentário eliminado

concordo perfeitamente

que saudades de Putin!

Anónimo disse...

Um comunista esse Msantos. Deveria ter vergonha.

Anónimo disse...

Digamos que alguém saiu do armário em Angola não há MSantos que consiga metê-lo lá dentro outra vez ( risos)

Anónimo disse...

é uma vergonha e são lamentaveis as palavras desse homem, das duas uma, ou é um oportunista puro ou é um profundo ignorante.

Portugal criou colónias onde não existia um estado organizado, ninguem pode duvidar que se a colonização europeia em África não tivesse sido realizada, hoje África estaria muito pior.

Quem não compreende esta evidência é completamente estupido.

É o mesmo que exigir de Itália uma indemnização pela invasão Romana há mais de 2 mil anos.

é uma loucura!

Os romanos mataram, escravizaram, mas deixaram-nos uma sociedade mais avançada e evoluida, com um sistema de escrita, uma lingua, uma cultura, leis, enfim, uma CIVILIZAÇÃO SUPERIOR.

Afirmar que a colonização europeia foi má é uma atitude de gente desprezivel e só mesmo um comunista pode afirmar tamanha idiotice.

Pode discutir-se se a colonização podia ter sido feita de outra forma, mais humana, isso talvez, mas mesmo assim os povos nativos em África sofreram muito menos do que na as invasões na antiguidade que eram muito crueis, por exemplo, nós os Portuguêses sofremos bastante com a invasão Romana, a tribo lusitana foi quase exterminada.

O sr. milhazes confirmou que Medvedev é um tipo mesquinha, tentar passar a ideia que a Rússia não foi uma potência colonial é no minimo uma piada de mau gosto.

E no caso da rússia basta ver o ódio que as "antigas colónias" têm para entender o quão benéfico foi o "reinado" rússo.

A rússia tinha uma caracteristica original que era invadir povos evoluidos com organização politica, isso sim foi um crime, porque os territórios conquistados pelos rússos eram sobranos.

os Rússos estão cada vez pior..

A chechénia é o que? e a ocupação dos países balticos? ou da geórgia no século XIX, e a Polónia? são 4 exemplos e existem CENTENAS de outros em que prova que a rússia invadiu para destruir e não criar.

Portugal Criou estados, a Rússia destruiu estados.

Não sei qual é a a necessidade de terem mais inimigos, é que em Portugal com afirmações destas só terão o apoio dos comunas,sobretudo os têm cabeças pequeninas.


L.P

Anónimo disse...

msantos, o sr. se é Português devia ser mais leal e solidário com o seu país, as afirmações de medvedev são inaceitaveis e nada, repito nada pode justificar essas afirmações.

são com essas coisas que parecem insignificantes que começam as inimizades.

L.P

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
MSantos disse...

Anónimo das 14.11 atenção que sendo comunista posso ser um elemento muito perigoso dado as minhas ligações ao KGB.

A minha retaliação poderá ser terrível.

LP: tem toda a razão, devíamos declarar guerra à Rússia assim como em tempos houve alguém que disse que devíamos declarar guerra à Indonésia.

É por isso que eu prefiro a República. A sermos representados por um inadequado para a função (com todo o respeito pelo dito sr que humanamente é uma excelente pessoa) que seja eleito pelo povo e não imposto por nascimento.

Anónimo disse...

msantos, eu não acho que declarar guerra à Rússia seja uma boa ideia.

Se o sr. pretendeu passar a ideia que seriamos aniquilados pela "grandeza da rússia" sem que a Rússia sofresse uma arranhão olhe que não seria esse o caso, a NATO iria retaliar e destruir totalmente a Rússia, mas isso é um cenário impossivel e o bom povo Rússo não quer desaparecer no planeta.


Quanto à melhro forma de governação, isso já seria uma longa conversa, muita gente defende que a monarquia tem algumas vantagens, não se esqueça que alguem que nasce com o designio de ser lider de uma nação tem uma preparação que um simples "plebeu" nunca terá para esse cargo.

Que eu saiba, na história de Portugal, a esmagadora maioria dos reis foram bons ou muito bons lideres, ao contrário, desde a implantação da républica os casos de total incompetência são já às dezenas, o sr. considera que a actual classe politica serve os interesses do país?

qual é a alternativa,

Anacleto louçã? josé socrates?

Sou um républicano, mas ao contrário de si não tenho tantas certezas se defacto é o melhor sistema.

E não aceito a visão anti-monarquica que este regime tenta impor nas pessoas, a monarquia portuguêsa fez mais por este país do que a républica, e eles sabem-no.

por isso é que a nossa constituição "democrática" proibe a familia real portuguêsa de se candidatar à presidência da républica.

e já agora, nunca concordei com a frase:
"a good communist is a dead communist"

mas graças a pessoas como o senhor, começo a concordar.

L.P

Anónimo disse...

KGB? Agora é FSB. Este MSantos trabalha para o Medvedev, já toda a gente viu: é só bocas e ameaças.Pois a solução é...Putin, que o pôs no poleiro e agora tem de o tirar de lá. Portanto, não liguem a este MSantos que o KGB já acabou. Voltem-se para Putin, ou Portugal ainda vai ter sarilhos sérios com um Presidente da Rússia com esta pinta.

Anónimo disse...

Já agora, relembrem-se as dívidas das ex-colónias a Portugal, a maior das quais exactamente angolana e toda a cooperação. Medvedev não sabe, nem quer saber. Os seus interesses são outros.E, caro LP, mesquinho até era bom que fosse, que é pecado menor face aos verdadeiros objectivos.

Inácio Cristiano disse...

Toda a cooperação ao desenvolvimento é bem vindo, tanto em Angola como em qualquer outro país, onde a ex-URSS instalou num passado recente os seus comissários politicos mais especializados em cooperação técnico-militar, onde se tornaram conhecidos e inexoravelmente deixaram "actos de recordação"!
Angola não foge à regra e "os russos" aqui são recordados pelo cidadão simples (mas critico) como
aqueles que sabiam fazer (?)uma "aguardente" melhor e mais barata do que a portuguesa!
Essa imitação de vodka barata, era comercializada nos mercados tipo Roque Santeiro de Luanda, com a designação de "Capo Roto"
Alguns cooperantes russos fizeram muito dinheiro com esta bebida (no processo de fabrico do mosto entravam baterias alcalinas)
Mas atenção, isto não era para enganar os angolanos,(eles também bebiam) pois esta "tecnologia" era usada na Russia, e foi trazida pelos jeitosos especialistas militares.
Uma coisa é o blá-blá dos politicos ao mais alto nivel, outra coisa á as implantações no terreno das "boas ideias" considerando a qualidade dos agentes de tais missões.
Perguntem a qualquer luandense, o que é "Capo-Roto", e quem a fazia?(faz?)-E ele responderá com ar desprezivel, que isso "é coisa de russos"
Quanto à imagem da Russia, os angolanos já a têm configurada, o resto são interesses e materiais e blá-blá !

Anónimo disse...

22:51
Esperemos que os angolanos saibam o que você diz e o que fazem. Mas ninguém pense que Medvedev falava para eles. Estava a falar para Portugal. A coisa é séria, e o caminho é apenas um: Putin, Putin, Putin.O problema é a falta de cabeça e de tomates nestes nossos desgovernantes, que devem achar preferível encolherem-se, para mal de todos.

Anónimo disse...

Eu acho que entendo porque é que o sr. Milhazes elimina alguns comentários.

É para impedir ou evitar conflitos permanetes e ataques pessoais

Eu pessoalmente acho que o sr. faz mal poque o problema está do lado de quem lê e não gosta e não de quem escreve esses artigos.

Um Leitor que lhe pede para eliminar comentários é um individuo que merece desprezo e não lhes devia fazer essa vontade.

Fazer censura é um acto pouco nobre

Mas como o blogue é seu, o sr. faça o que bem entender.

L.p

Jose Milhazes disse...

Leitor L.P., podem discuitir à vontade o tema da postagem, mas não se insultem. Eu retiro os comentários que contêm palavras insultuosas. Isso não irei admitir.
A mais acessa e difícil discussão podem ser feita sem recorrer a calão e a insultos.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, cortou os comentários que contêm palavras impróprias em conversas sérias. Quanto ao provérbio, também vou cortá-lo por motivos óbvios. Interprete isso como quiser, o problema é só seu.

Anónimo disse...

Senhor José Milhazes,

Como escrevi recentemente, num pequeno reparo de linguagem técnica, a qualidade deste blog é excelente.
Hoje vou fazer uma crítica. Liberdade, de expressão, nunca poderá ser ficar prisioneiro de meia dúzia de pessoas, mal-educadas, que utilizam o seu blog de forma abusiva e incorrecta para dizer barbaridades insultuosas.
Senhor José Milhazes, tenha a coragem de, muitos chamarão censura, não permitir que esta gente apareça nos comentário porque, segundo a minha parca opinião, estão a transformar um Blog com excelente qualidade numa coisa vulgar.
Já agora Liberdade é antes que tudo respeitar os outros.
Parabéns pelo seu excelente trabalho.

Anónimo disse...

Pode explicitar a que palavras impróprias se refere? É para não repetir, porque o seu conceito de impróprio não deve ser o mesmo que o meu.Obviamente que me refiro ao comemntário das 13:39. Que tinha de impróprio?

Anónimo disse...

Caro Leitor deste Blog,
Espero que o propósito com que visita este espaço seja o mesmo que o meu. Peço desde já desculpa ao Sr Milhazes, penso que este espaço serve para tudo menos para isto, respostas entre pares( foi a primeira e a ultima vez que o faço), não pretendia ofender ninguém só espero que o autor deste blog não perca a paciência e nos prive do melhor que este espaço tem - informação e opinião - e que os nossos comentários e questões tenham o mesmo nível de interesse.
PM

Anónimo disse...

Como se voçês soubessem o que se passa dentro da cabeça do Medvedev.Essa especulação toda é ridicula.Uma coisa vos garanto,a Russia não está contra Portugal e a longo prazo serão parceiros estrategicos.Lembrem se disto que vos escrevo hoje.

Inácio Cristiano disse...

Caros comentadores, queria dar um esclarecimento acerca da minha abordagem ao tema do "Post" do JM.

Às palavras de pompa e circunstancia do assessor de Medvedev, quanto aos temas a tratar entre aquele e o presidente angolano, eu referir-me a um assunto menor (bebida de confecção artesanal:Capo-Roto).
Mas na verdade, é factual e pelo menos existiu na realidade.
Outra coisa que existiu na realidade, foi as enormes quantidades de material bélico (absoleto, ou não) que a ex-URSS enviou para Angola, e que Angola...vai pagando!mas felizmente já não precisa mais de tais "tecnologias"!
A partir de agora, os russos têm que fazer como os chineses "abrir os cordões à bolsa", esperar pelos lucros dos futuros empreendimentos de parceria 49%+51%, em que os 51% representa o valor da parte angolana, e estes pouco mais são do que o direito de exploração!
Os angolanos querem projectar-se no caminho do desenvolvimento por isso precisam dos paises que outrora apostaram nas "tendências domesticaveis locais" ou seja Russia,EUA e a China.
A Russia (embora apostasse na tendencia mais forte)parece ser o investidor mais fraco, e o que tem menos a oferecer em termos de Desenvolvimento!
Quanto à CPLP, Angola continuará com o plano de reintegração nas diferentes economias, como móbil de respauldo natural numa estratégia de continuar como que uma comunidade de afectos!
...provavelmente os eslavos nunca perceberão isto !

Anónimo disse...

17:40
Garanto-lhe que há aqui quem saiba muito do que se passa na cabeça e no resto de Medvedev, por isso, quem avisa, amigo é.

Anónimo disse...

"...e no resto de Medvedev"

No resto? qual resto?

Anónimo disse...

Então o homem só tem cabeça?

Anónimo disse...

Andam por aqui adoradores gays de Putin

Anónimo disse...

E adoradores gays de Medvedev?

Anónimo disse...

Com aquela carinha laroca, muitos admiradores terá o senhor presidente...

Anónimo disse...

Os angolanos que decidam o que querem que a isso têm direito.
Foi desonesto da parte de Medvedev querer levantar espantalhos do colonialismo. Que eu saiba os angolanos têm os seus afectos virados para os povos de língua portuguesa. Águas passadas não movem moinhos.
Quanto aos neo-colonialistas estilo Medvedev ou similares do Extremo Oriente sabem os angolanos distinguir o seu racismo de fazer negócios e nada mais.
ZP

Anónimo disse...

Um grande filantropo e benemérito, esse camarada Medvedev.
Porque não vai ele ajudar a Guiné?

Anónimo disse...

Notícia do dia: Angola exige levantar dos bancos portugueses 380milhões de euros.
Outra coincidência.
Não se virem para Putin, que não é preciso. Este Medvedev não brinca em serviço.