segunda-feira, junho 22, 2009

"Não regressarei a Portugal"


Natália Zarubina, mãe de Alexandra, criança russa que foi retirada da família de acolhimento portuguesa pelo Tribunal de Guimarães, continua a insistir que não tenciona regressar a Portugal.
“Eu não regressarei a Portugal, não quero mudar de lugar de residência”, declarou Natália Zarubina, numa declaração ao sítio electrónico do jornal “Komsomolskaia Pravda”.
“Os portugueses que deixem de fazer pressão sobre mim. O meu sonho é comprar duas máquinas de costura”, acrescentou, sublinhando que “nunca gostei de fazer negócios, por isso não preciso de um café”.
“Gosto muito de costurar e possa passar horas sentada a uma máquina. É pena que não tenha uma”, concluiu.Natálina recusa assim a proposta que foi feita por dois empresários e um presidente de câmara portugueses que estão dispostos a facultar-lhe um apartamento, montar um café e pagar as despesas da viagem caso ela aceite voltar para Portugal.
Natália acaba de regressar à vila de Pretchistoe, no distrito de Iaroslavl, depois de ter passado, com as duas filhas, quinze dias numa casa de repouso, férias que lhes foram oferecidas pelas autoridades distritais.
Quando chegou a casa, Natália deparou com encomendas postais, vindas dos Emiratos Árabes Unidos, onde havia uma boneca e uma piscina insuflável para Alexandra, bem como comida e uma coleira para a cadela Lúcia, que a menina levou de Portugal.
Olga Kuznetsova, jornalista do Komsomolskaia Pravda,declarou à Lusa que “nem todas as prendas agradaram Natália”.
“Ela recebeu vários postais insultuosos, com a exigência de devolver a menina a Portugal”, frisou.
Alexandra Zarubina/Tsiklauri, que nasceu em Portugal em 2003, regressou à Rússia no início de Maio depois de uma longa disputa judicial entre a mãe Natália e e a família de acolhimento: João e Florinda Pinheiro.A chegada da família à Rússia ficou marcada por vários escândalos. O canal de televisão russo NTV, por exemplo, mostrou imagens em que se via Natália a bater na filha. O primeiro canal de televisão russo ORT filmou um programa, onde a mãe de Alexandra foi acusada de “alcoólica” pelo público, mas o programa ainda não foi exibido.

49 comentários:

Anónimo disse...

Mas alguem a quer cá?Ela que compre a maquina de costura e uma garrafa de vodka acompanhar.A menina é que tem que regressar.

Anónimo disse...

DUAS máquinas de costura? Estarei a ler bem? Para quê? Uma para os pés, outra para as mãos?
Deixem-se de ligar a esta gente. Ofereçam-lhe as máquinas e esqueçam.

FPtrad disse...

Pobre criança...

Anónimo disse...

E Alexandra? Quem defende e respeita a sua vontade?
Ou será que a pequena tb esteve em "tratamento", durante as "férias"?
A crueldade de que foi alvo, é insuportável até para um adulto (corte radical com todo o seu passado) quanto mais para uma criança...
Maria Ferreira

Anónimo disse...

Só consigo dizer: Pobre criança! que crueldade lhe fizeram. :((

Paty disse...

Sr. José Milhazes informe-nos p.f. como se encontra a Alexandra neste momento!!

Paula disse...

Sr. Milhazes,

O que nos sabe dizer sobre o estado da menina?!

Está a ter acompanhamento adequado?!

Será que ela já tomou consciência que afinal não está de férias na Rússia, mas sim a viver para sempre na Rússia?!

Muitos cumprimentos,

Paula de Coimbra

Anónimo disse...

Sr. Milhazes,
Gosto de visitar o seu blog, o que faço com frequência, mas penso que a tónica que está a dar a este tema, muito estereotipada e maniqueista - mãe russa alcoólica e desequilibrada vs. família portuguesa exemplar - está um tanto abaixo do nível habitual do que costuma escrever.
V. parece querer continua a alimentar uma 'soap opera' para indignação fácil.
Eu tenho filhos (biológicos) e não me revejo de modo algum nesta onda de opiniões que, pouco sabendo, pretendem ser mais informadas do que a justiça portuguesa, com a ponderação que esta fez do caso. Eu também pouco, ou nada sei, e por isso confio que a ponderação do tribunal deve ser incomparavelmente melhor do que a que eu possa formular.
Acrescento qyue sou muito sensível a matérias que interferem com o direito de cada criança a uma infância e juventude felizes, que faça dela um adulto saudável, fisica e mentalmente. Assim tenho criado os meus filhos.
Por isso mesmo me custa ler tantas notícias de maus tratos e até de assassínios, praticados sobre crianças, aqui, no 'jardim à beira-mar plantado', das quais nós, portugueses, bem nos deveríamos envergonhar.
Nada disto parece estar em causa na situação da Alexandra, embora haja sempre programas de TV-lixo a procurar a obscena exibição da intimidade, na Rússia como em Portugal.
Mas, claro, é sempre mais fácil focar populares indignações quando o alvo é um(a) estrangeiro(a), pois a xenofobia também conta, e de que maneira.
Para quem realmente se interessa pelo bem-estar da Alexandra, há o caminho fácil de ajudar materialmente a mãe, se não tivermos uma boca mais proactiva do que a bolsa.
Em nada ajudam posts do tipo: - vejam lá, coitadinha da criança, a ter de viver na Rússia (na Rússia!)com uma mãe que 'dizem ser' alcoólica', em vez de ter um lar no nosso ditoso Portugal.
Desculpe a ironia.
O que V., Sr. Milhazes, poderia fazer de mais utilidade para a Alexandra e para a mãe, caso continue a ocupar-se deste assunto, seria informar aqui, com clareza, como podemos ajudar, para onde enviar ajuda material, etc.
Fica feita a sugestão.
LSO

FPtrad disse...

LSO,

Para saber mais, leia o blog:

http://xaninhanossa.blogspot.com

e verá como a decisão do juíz foi injusta.

Jose Milhazes disse...

Leitor Anónimo, eu apenas publiquei a tradução de um jornal russo e nada mais. Se quer saber a minha opinião, que já a revelei neste blog várias vezes, ela consiste em que o mais importante é a criança e o seu destino. Alexandra tem direito a uma vida digna e feliz, viva onde viver, tal como todas as crianças deste mundo. O resto são pormenores.

Nuno disse...

Caro José Milhazes,

o problema é que nem as autoridades russas, nem a mãe biológica, estão interessados no futuro da Alexandra.

A isto acresce o facto de sentirem estar em posição de força para fazer exigências a Portugal (ex. 2 maquinas de costura!!).

Ha matéria mais do que suficiente para reabrir o caso e analisar as evidências que comprovam que a mãe biológica não tem condições para guardar a criança. Pergunto: porque é que isto ainda não foi feito?

Quando houver uma decisão judicial a dizer que a menina tem de voltar para Portugal, um mandato internacional pode ser emitido e a Natália perde a posição de força que tem agora.

Acho isso mais eficaz do que o actual dialogo de surdos, ou então um bloqueio marítimo à cidade de São Petersburgo para exigir a entrega da Alexandra.

Cumprimentos,
Nuno.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Guidinha disse...

De acordo!
Enviamos umas corvetas fazer um bloqueio marítimo a São Petersburgo.
Atracam ali em Kronstadt e fazem um ultimato: ou as autoridades russas cumprem as decisões dos tribunais portugueses (ahã.. hamham... pois), queria dizer, ou as autoridades russas aceitam a nossa posição de força com suporte unânime (unânime, sim!!) aqui nesta caixa de comentários, ou nem pensem em continuar a importar os nossos galos de Barcelos para colocar em cima dos frigoríficos.
Nem mais um galo de Barcelos para a Rússia!
Duas máquinas de costura, e logo das melhores que existem no planeta, made in Portugal???
Que topete!
Guidinha.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
The Cruzader disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Paulo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jose Milhazes disse...

Leitores, peço que tenham em consideração a gravidade dos problemas quando fazem comentários.

Yan disse...

off topic

ontem vi um comentário de um estudioso em política energética que a Rússia é um dos países que menos investe em fontes de energia alterntivas e renováveis. Na atualidade, não existiria razão para isso, é o pensamento da maioria. Mas futuramente, quando as fontes de gás e petróleo começarem a ficar escassas, esse país ficará muito defasado em relação aos outros que investiram tecnologia nessa área. Ele fez uma analogia com o atraso da URSS na genética (vide Lysenko) e informática.

Anónimo disse...

PIB russo se contraiu 11% em maio


MOSCOU, Rússia, 23 Jun 2009 (AFP) - A economia russa se contraiu 11% em maio em relação ao mesmo mês do ano anterior, anunciou o governo nesta terça-feira, acabando com as esperanças de recuperação econômica do país.

O vice-ministro de Desenvolvimento Econômico, Andrei Klepash, disse também que a economia russa se contraiu 10,2% nos primeiros cinco meses do ano, e prognosticou um panorama sombrio para todo 2009.

"Diante das últimas cifras, uma contração de apenas 7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 será um êxito heróico para a economia", indicou o ministro.
A economia russa já retrocedeu 9,8% no primeiro trimestre do ano, em relação de 2008. O governo advertiu que o PIB russo se contrairá entre 7 e 9% este ano.

Anónimo disse...

José Milhazes!
Gostaria ,se fosse possível, que nos informasse como está Alexandra. esta situação é insuportável! Mas será que ninguém se interessa????
Como se pode ajudar Alexandra?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Уважаемый Жузе, не могли бы вы удалить комментарии не имеющие ничего общего с темой дискуссии. Я тоже внес некий вклад в эту помойку, но уже раскаялся.
Com os melhores cumprimentos.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
ana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Дорогая Анюта!
Вместо вашего словесного поноса, сделайте что-то реальное, осязаемое!
Удочерите ребенка из интерната и уважения к вам будет тогда намного больше. А отращивать заднее место у компьютера слегка портит фигуру.

Anónimo disse...

Я люблю Россию

Tuga Crusader disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Paulo disse...

Хочу еще раз поделиться своими мыслями по теме маленькой Саши. Я не понимаю ажиотаж поднятый по этому эпизоду. Многочисленные благожелатели ведут разговоры в пользу бедных, но разговорами сыт не будешь. Тем временем в самой Португалии есть масса своих проблем и детей нуждающихся во внимании! А эти отпетые журналюги паразитируют на теме Александры переливая из пустого в порожнее. Плохо они искали социальные проблемы в родных пенатах, чей политический заказ они отрабатывают? Мне это напоминает репортажи Карлуша Фину из Советского Союза о нехватке туалетов на Красной Площади, как будто ни о чем другом репортаж было нельзя сделать. Мне будут с пеной у рта утверждать как плохо живет Сашенька, а вот реально помочь португальским детям которые попрошайничают на улицах Лиссабона они не могут! Позор таким журналистам!

Paulo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

ALEXANDRA .... ALEXANDRA ....
PORTUGAL NUNCA VAI ESQUECER DUAS COISAS:
1º - O TEU SORRISO E A TUA ALEGRIA...
2º - o juiz auxiliar do TRIBUNAL DE GUIMARÃES gouveia barros, QUE CONDENOU O TEU DESTINO.

ESPERO QUE O DELE (juiz) DÊ MUITAS VOLTAS.

PORTUGAL NÃO DORME........

zortea disse...

Sabem por que os russos são fortes e os portugueses não?
SELEÇÃO NATURAL.
A Rússia sempre passou por grandes guerras, massacres, se por um lado isso é ruim, por outro é bom, porque somente os mais fortes e inteligentes sobreviveram, se reproduzindo e criando melhores cidadãos russos.
Outro exemplo, são os judeus. Por que são o mais inteligente povo da face da Terra? Porque sempre sofreu massacres, holocaustos, etc que selecionou os mais fortes e inteligentes.
Portugal nunca passou nada disso, essa é a razão do país estar afundada numa sopa de mediocridade genética que reflete na economia, sociedade, política, etc

FPtrad disse...

Oh senhores,

Não há paciência para tretas como a "selecção natural" e pseudo-russos" a virem para aqui mandar bitaites!

Jose Milhazes disse...

Leitor Paulo, se pensa que é sinal de inteligência escrever postagens em russo, está enganado. No seu caso, não é. Como este blog é em português, uma postagem escrita em russo e da forma como está escrita é um insulto aos leitores.
Quanto às afirmações, não vale a pena comentar, o argumento é sempre o mesmo: "e os americanos lincham os negros!", que você deve ter aprendido nalguma escola.
E ,mais um conselho, quando se insulta outras pessoas, deve-se ter coragem de assinar o nome e apelido. Caso contrário, é cobardia.

Anónimo disse...

Sr. Milhazes, obrigado pela colaboração.
Já agora, faça-me um favor, remova também aquele péssimo comentário de mau gosto, enviesado e de cariz nazi daquele Nietzscheriano poster de nome Zortea, ou lá como ele se chama.
Em alternativa, fica uma sugestão: ponha-se o cavalheiro numa jaula de selvagens ou de gladiadores e deixe-se a selecção natural funcionar!
Vox Clamistis in Deserto

Apokalypsus disse...

LSO, Zortea & Companhia, vê-se pelas vossos comentários que humanismo não faz parte do vosso comportamento pessoal. O Prof. José Milhazes apenas inseriu esta notícia, como eu a inseri no meu Blogue, sobre o caso da Alexandra, menina que NASCEU EM PORTUGAL, País muito pequeno mas com um ENORME CORAÇÃO, coisa que os vossos corpos não devem possuir, pelo menos no domínio sentimental a que este órgão humano se encontra ligado. Estou-me borrifando para as vossas palavras, para os vossos conceitos, para as vossas conjecturas, porque são pobres, miseráveis, desumanas, ridículas, mas como democrata que sou (e não apenas de depois do 25'Abr'74, mas de muito antes), admito que têm direito à vossa opinião mesmo que seja uma ofensa para muita gente formada com outros princípios morais e sociais que não os vossos. O problema desta menina, acima de tudo, é o de uma CRIANÇA que foi arrancada a uma família que a acolheu, tratou e lhe deu tudo o que ele nacessitava, desde os primeiros tempos de vida e foi arrancada, deportada e brutalmente separada dessa mesma família por um juiz que depois até se arrependeu da atitude que tinha tomado, o que prova que esse juiz deveria ter sido logo afastado deste caso quando - e ele mesmo afirmou -, mostrou animosidade contra a família Pinheiro com pressupostos que não eram a realidade. Este Blogue do Prof. Milhazes, como o meu e muitos outros que relatam este e outros casos, apenas pretendem não alimentar o circo mediático mas tão só os DIREITOS DAS CRIANÇAS, que neste e em muitos outros casos, apesar de passarem por uma "justiça" falhada, deplorável, não estão a ser observados em circunstância alguma. E esse é que é o verdadeiro problema: os DIREITOS DAS CRIANÇAS, não estão a ser observados nem salvaguardados nem no caso da Alexandra nem de muitas outras crianças. Quanto às ofensas injuriosas ao nosso País, Portugal, penso que quem as faz deve olhar bem para o telhado onde vive, porque os países auto-apelidados de "democratas", não passam de fachadas dado que a repressão (fascismo), a xenofobia, o racismo, existem e de que maneira, na maior parte das vezes, acobertadas pela pretensa reposição da lei e da ordem!

Anónimo disse...

Prostituição politica parece estar na moda! E assim que senhor paga para a sua educação na MGU.

Teresa disse...

Dr. José Milhases,

Parabéns pelo Homem que é!
Um abraço,
Teresa

Jose Milhazes disse...

Leitor Anónimo, não quer explicar a sua ideia sobre o MGU e, por favor, se é tão corajoso, assine os comentários.

Anónimo disse...

Meu nome e Narciso dos Bigodes. Só a voz da sua consciência do outro lado do espelho.

Jose Morra disse...

"se uma pessoa está com problemas em casa, tem que os resolver e não deixar as coisas andar na mesma sob o prextexto de que o mesmo ou pior acontece na casa do vizinho..." Por isso trata os problemas do Portugal em primeiro lugar!

Nuno disse...

Comentário aos comentários:

Parece um ring de boxe, tal é a atitude de algumas opiniões.

Sugiro ao José Milhazes a seguinte politica:
- todo o comentário sem ligação à noticia em causa devera ser removido.

é triste ver algumas pessoas tentarem estragar um espaço inédito de informação em língua portuguesa.

Jose Milhazes disse...

Caro Nuno, esses anónimos não estragam coisa nenhuma, pelo menos enquanto a esmagadora maioria dos leitores for constituída por pessoas normais. É para estas que escrevo. Quanto aos comentários cobardes, sob a capa do anonimato, apenas digo: se continuarem, apenas estarão a perder tempo.

Paulo Varela disse...

Pelo que consegui perceber do comentário em Russo do Sr Paulo, apenas consigo tirar uma conclusão.
As pessoas insistem em afincar a sua não compactuação com uma determinada acção (por parte de pessoas livres) perante um problema, com a apresentação de outros problemas como justificação da sua opinião...

Ora, penso que enquanto as pessoas, seja quem for, pensarem assim nunca os problemas serão resolvidos! Uma coisa não tem necessáriamente de ser preta porque em tal lado também o é...
Um problema apenas poderá ser resolvido arranjando uma solução para ele e nunca com a comparação com outros pois cada caso é um caso!

Por outro lado, acho estranho no mínimo, que uma pessoa que assina com um primeiro nome em Português, venha escrever em Russo, de problemas que diz existir em Portugal, quando saberá (já que escreve em Russo) que os problemas actuais na Rússia são mil vezes mais e mil vezes piores do que os que existem em Portugal.

Aliás, não será por acaso que muitos emigrantes de Leste optam por Portugal para tentarem uma vida melhor pois não?

Jest nas Wielu disse...

Sobre a Xaninha:
“Como estragaram a vida de uma criança”
Autor: Sergey Baymuhametov, revista “Bazar russo”, № 24 (686), 11 – 17 de Junho de 2009

Citação: jornalista do jornal moscovita “Moskovski Komsomolets”, Yulia Kalinina: “Nosso patriotismo – devolver a menina de Portugal para a mãe bêbada e acorrentar o seu cão à casa de cachorro”.
http://www.russian-bazaar.com/article.aspx?ArticleID=15150

A senhora dona Natália fugiu da casa de repouso porque ficou com … tédio!!! Imaginam, ficou com o tédio, pois não há com quem provar a branquinha, pois é, pois é…
http://www.yar.rodgor.ru/news/yar_gorod_oblast/4958

Vizinho Valeri, costuma por o seu camião no terreno dos Zarubiny, um dia ele quase atropelou a cadela Lúcia… Quando a Natália foi falar com “bom vizinho” ele disse que não tem medo de ninguém, muito menos da Natália. Olá, mãe – Rússia…
http://www.mk.ru/social/306207.html

Carla Buarque disse...

Ai Ai... Até Darwin foi para aqui chamado...

Por favor... Não vomite suas "idéias" falando tanta asneira. Para começar seleção natural só com eventos naturais, doenças por exemplo. Guerra não faz seleção natural, mata é gente pobre. Já agora seria interessante indicar qual artigo científico usou para constatar que os judeus são geneticamente mais inteligentes. E mais uma, se os massacres e guerras e sei lá mais o quê é o que preparam um povo para o sucesso, bem, o que será que aconteceu na Suiça??

António disse...

Alexandra, não te esqueceremos.