domingo, julho 26, 2009

Dirigentes russos reconhecem crise tecnológica no país


Vladimir Visotski, comandante-chefe da Marinha da Rússia, reconheceu, numa entrevista à agência Ria-Novosti, que os fracassos nos testes do míssil balístico intercontinental "Bulava" se devem "à crise no desenvolvimento das tecnologias na Rússia".
Seis dos onze ensaios, nomeadamente os últimos dois, falharam.
"Realmente, hoje existe uma crise nas áreas tecnológicas. O "Bulava" é uma prova fundamental que provará se a Rússia irá superar essa crise", acrescentou o almirante.
Estes fracassos levaram à demissão do académico Iúri Solomonov do cargo de director do instituto que fabrica esses mísseis que deverão equipar os submarinos de última geração. Mas os ensaios irão continuar para que o complexo militar-industrial russo não "perca a cara".
O almirante russo colocou o dedo numa das mais graves feridas da actual Rússia, ou seja, constatou que o país se atrasa em relação a outros no campo da investigação científica e tecnológica, correndo o risco de esse atraso se tornar irreversível.
Este retrocesso tem várias causas, algumas das quais têm origem no período que se seguiu ao fim da União Soviética. Nomeadamente, na "fuga de cérebros". Nessa altura, milhares de cientistas russos partiram para países estrangeiros (e não só ocidentais) à procura de melhores condições de vida e de trabalho. Além disso, as autoridades deixaram praticamente de investir na investigação científica, mantendo-se esta, muitas vezes, por carolice por cientistas.

A situação poderia ter mudado com a chegada de Vladimir Putin ao Kremlin, em 2000, e com o aumento brusco do preço do petróleo e gás nos mercados internacionais. Foram lançados alguns programas para atrair cientistas que tinham partido, bem como estrangeiros, mas tiveram pouco êxito. Os que decidiram regressar vêem-se confrontados com barreiras como a burocracia e a corrupção e optam por emigrar novamente.

A degradação do nível de ensino no país é outro factor que contribui seriamente para a crise nas áreas tecnológicas.

Outra via que poderia ter sido melhor aproveitada é a via da aquisição de novas tecnologias no estrangeiro, de produções inteiras, como, por exemplo, o caso da Qimoda, mas aqui, a julgar pelos resultados das inovações no complexo militar-industrial, também parece não ter havido grande aproveitamento.
Se há algum avanço sensível, ele existe na cooperação de empresas russas com estrangeiras. Por exemplo, o fabrico do avião de passageiros Superjet-100.
A direcção russa não soube aproveitar a chuva de dólares, provocada pelo aumento do preço do petróleo e gás, para modernizar e diversificar o seu tecido económico. Daí ser evidente que, entre os BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), a Rússia não é uma locomotiva do desenvolvimento tecnológico, não me enganando se afirmar que, neste campo, é a"última carruagem".
Claro que seria um absurdo continuar a política soviética de "autosuficiência", quando tudo se fabricava no país, mesmo que os produtos tivessem pouca qualidade, mas também não é normal que um país como a Rússia, que tem pretensões a potência mundial, importe uma grande parte de produtos e bens que consome.
Portugal teve uma amarga experiência neste campo. Quando dos Descobrimentos, o dinheiro das especiarias (no caso da Rússia, leia-se petróleo e gás) ia para luxos e para pagar as dívidas contraídas pela Coroa junto de casas bancárias estrangeiras.

196 comentários:

Anónimo disse...

"Daí ser evidente que, entre os BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), a Rússia não é uma locomotiva do desenvolvimento tecnológico, não me enganando se afirmar que, neste campo, é a"última carruagem"."

Por muito mal que esteja a Rússia ainda está a anos-luz do BRIC mais tecnologicamente avançado.

Porque é que os chineses copiam os caças e naves espaciais russas e não o contrário?

Porque é que a India pede auxílio à Rússia para desenvolver misseis de cruzeiro, submarinos nucleares e caças 5ª geração entre muitos programas?

O Brasil ainda não consegue chegar ao patamar destes dois últimos.

Há algum BRIC que possua um Glonass sem ser a Rússia?

Das duas uma: ou o Sr jornalista anda muito mal informado ou isto já é nítida má fé para fazer o seu ódio de estimação aparecer mal na fotografia.

Não se esqueça que em muitos campos andam aqui pessoas mais bem informadas que o Sr e que lhe podem por a nú as suas antipatias.

PortugueseMan disse...

Completamente em desacordo meu caro. completamente.

Relativamente ao Bulava, estão realmente com sérios problemas e o que na minha opinião vai acontecer é que eles vão gastar mais tempo e dinheiro até acertarem com o sistema. Agora se isto é prova de problemas tecnológicos da Rússia, então anda o planeta INTEIRO com problemas tecnológicos.

A Europa não consegue ter um simples avião militar de carga a funcionar. Com anos de atraso, Orçamento largamente ultrapassado e problemas nos motores.

A Europa já devia estar mais avançado no seu sistema GPS e o atraso é tão grande que a Rússia vai colocar o seu primeiro a funcionar.

O Japão tem sérios problemas no seu programa espacial e não me lembro de alguém acusar o Japão de ser tecnológicamente atrasado...

Os EUA têm problemas com o caça de 5ª geração (sem ser o custo proibitivo de cada um), com o novo tipo de helicoptero e o sistema anti-míssil tem sérios problemas.

...Além disso, as autoridades deixaram praticamente de investir na investigação científica, mantendo-se esta, muitas vezes, por carolice por cientistas...

Sem comentários meu caro, sem comentários.

A situação poderia ter mudado com a chegada de Vladimir Putin ao Kremlin, em 2000, e com o aumento brusco do preço do petróleo e gás nos mercados internacionais.

Correcção: a situação MUDOU com a chegada de Vladimir Putin, como é que você não vê mudanças deixa-me de facto estupefacto.

Outra via que poderia ter sido melhor aproveitada é a via da aquisição de novas tecnologias no estrangeiro, de produções inteiras, como, por exemplo, o caso da Qimoda, mas aqui, a julgar pelos resultados das inovações no complexo militar-industrial, também parece não ter havido grande aproveitamento.

Como é que você pode dizer tal coisa, apenas porque UM dos projectos que estão a ser desenvolvidos/implementados está a ter problemas?

E acho curioso dizer que a via de aquisição de novas tecnologias podia ser melhor aproveitada...Bom, pelo menos reconhece que essa está a ser uma das estratégias da Rússia de modo a dar saltos tecnológicos nas àreas mais deficitárias. Você diz que poderia ser melhor aproveitada, eu digo que é positivo que o estejam a fazer e já agora chamo a atenção que isso só é possível em tempos de crise, porque alguém soube preparar-se e tem neste momento dinheiro para investimentos. Mas você não vai falar disso...

Isto para mim são estratégias meu caro, estratégias que procuram um futuro melhor para a Rússia. Podemos dizer mal de muita coisa, mas também deveriamos ver o que se faz de postivo.

Se há algum avanço sensível, ele existe na cooperação de empresas russas com estrangeiras. Por exemplo, o fabrico do avião de passageiros Superjet-100.

Nem pensar! A seguir diz-me que a Rússia não consegue fabricar um avião sózinho!

Por acaso a Rússia precisa de alguém para fabricar os seus aviões militares? Por favor... veja com atenção qual a estratégia delineada pela Rússia. E verifique se os aviões podem ou não ser construidos com componentes russos.

Se dos BRIC a Rússia é a última carruagem na àrea da tecnologia, pode começar por explicar, porque é que TODOS os países BRIC são clientes russos...

Jose Milhazes disse...

Caros leitores, apenas me dão exemplos em tecnologias militares e, mesmo aqui, os êxitos são cada vez menores. Nenhum BRIC tem um Glonass, porque utilizam o GPS, bem mais avançado. O Glonass tem sido outro fracasso como o Bulava.
Caros leitores, apresentem casos positivos de novas tecnologias russas.
Por exemplo, os aviões de carga, de que falam, os Antonov, são fabricados na Ucrânia em conjunto com a Rússia e são herança do passado.
E, sublinho, não fui eu que falei em atraso tecnológico, foi um almirante russo.
Caro PM, no que respeita a aviões civis, é verdade que a Rússia actualmente não consegue fabricar um modelo em condições e nada tem de mau participar na cooperação internacional.
Quanto aos aviões militares, olhem atentamente para as datas em que eles foram planeados e construídos os primeiros modelos.
Ponham a nú as minhas antipatias, pessoas mais bem informadas!

Jose Milhazes disse...

Caros leitores, apenas me dão exemplos em tecnologias militares e, mesmo aqui, os êxitos são cada vez menores. Nenhum BRIC tem um Glonass, porque utilizam o GPS, bem mais avançado. O Glonass tem sido outro fracasso como o Bulava.
Caros leitores, apresentem casos positivos de novas tecnologias russas.
Por exemplo, os aviões de carga, de que falam, os Antonov, são fabricados na Ucrânia em conjunto com a Rússia e são herança do passado.
E, sublinho, não fui eu que falei em atraso tecnológico, foi um almirante russo.
Caro PM, no que respeita a aviões civis, é verdade que a Rússia actualmente não consegue fabricar um modelo em condições e nada tem de mau participar na cooperação internacional.
Quanto aos aviões militares, olhem atentamente para as datas em que eles foram planeados e construídos os primeiros modelos.
Ponham a nú as minhas antipatias, pessoas mais bem informadas!

PortugueseMan disse...

Caro JM,

...Nenhum BRIC tem um Glonass, porque utilizam o GPS, bem mais avançado...

Ninguém usa o Glonass, porque o sistema não está completo, a cobertura ainda não é planetária, situação esta que não vai durar muito e é um dos projectos prioritários da Rússia.

TODA a gente usa o GPS americano, PORQUE é o ÚNICO que existe, com cobertura planetária.

...O Glonass tem sido outro fracasso como o Bulava...

Desculpe meu caro, mas em que é que você se baseia para fazer tal juizo. Juizo esse errado.

...Por exemplo, os aviões de carga, de que falam, os Antonov, são fabricados na Ucrânia em conjunto com a Rússia e são herança do passado...

Nos posts colocados ninguém referiu o Antonov, no entanto eu falei em aviões de carga. Olhe que Rússia não possui só os Antonov para carga...

..sublinho, não fui eu que falei em atraso tecnológico, foi um almirante russo...

Por favor, não use isso como justificação. Atrasos existem e é verdade, mas não se generalize. Também aqui há uns anos, houve um que disse que o maior navio de superfície russo estava prestes a explodir, e a declaração de americanos sobre a ida dele à Venezuela era de que duvidavam que sequer chegasse lá. Nunca explodiu e conseguiu chegar à Venezuela e ainda deu mais umas voltinhas...

...no que respeita a aviões civis, é verdade que a Rússia actualmente não consegue fabricar um modelo em condições e nada tem de mau participar na cooperação internacional...

Neste campo, você já sabe a minha opinião, eles conseguem construir em condições recorrendo a material russo, mas uma coisa é conseguirem, outra é vender.

...Quanto aos aviões militares, olhem atentamente para as datas em que eles foram planeados e construídos os primeiros modelos...

Faça-me o favor de fazer o mesmo para os EUA e Europa por exemplo.

Yan disse...

pena que agora é meio tarde pra se dar conta...o trem da história já passou e a Rússia não entrou

Anónimo disse...

engraçado que quase todos aqui interpretam teconologia como armamento militar moderno...que bobocas

Yan disse...

Qual é o investimento que a Rússia fez nos últimos anos em tecnologias energéticas renováveis? Segundo os últimos levantamentos, quase nada...

A Rússia vai pelo mesmo caminho da ex-URSS. Qual era os maiores investimentos em teconologia da ex-URSS que acabaram sufocando o país? Lembram? Memória curta, hein?

Yan disse...

Yan disse...
Qual é o investimento que a Rússia fez nos últimos anos em tecnologias energéticas renováveis? Segundo os últimos levantamentos, quase nada...

A Rússia vai pelo mesmo caminho da ex-URSS. Quais eram os maiores investimentos em teconologia da ex-URSS que acabaram sufocando o país? Lembram? Memória curta, hein?

16:02

nuno disse...

a soberba é muito grande, esse portugueseman diz que conhece mais sobre a situação tecnológica da Rússia do que o próprio comandante-chefe da Marinha da Rússia...patético

chega a ser ridículo...

Anónimo disse...

ó José milhazes meta na sua cabeçinha nos seus poucos neurónios que lhe restam que o estado rússo não vai resolver coisa nenhuma, nem nunca irá conseguir, tem de ser a sociedade russa a sair da merda(desculpe o termo).

Você nunca deixou de ser socialista seja sério e não venha para aqui com utopias mentirosas

bruno

Anónimo disse...

Só podem estar a brincar por achar que a Russia esteja abaixo do Brasil e India em tecnologias

Sérgio disse...

Bruno um exemplo concreto, se o governo Português optasse pelo investimento em nergia nuclear e não em energias renovaveis como foi o caso. Este tipo de decisões nãoa fectam o rumo de um país?

Sérgio disse...

Cabe aos Governos defenirem as grandes prioridades e objectivos a atingir por um país, mesmo que seja a sociedade civil a implementar e executar essas metas. Os Governos dipõem de todo um conjunto de medidas para ajudar nessa tarefa como os beneficios fiscais e ajudas ao investimento.

Anónimo disse...

"Só podem estar a brincar por achar que a Russia esteja abaixo do Brasil e India em tecnologias"

A Rússia tem tecnólogia bélica-espacial muito forte mas carece de um parque industrial avançado para atender o mercado interno e externo.

A India possuí a Tata Motors e Mahindra que estão entre as montadoras que mais crescem no mundo. Sem contar que o país é competitivo em TI.

O Brasil tem a Embraer que é a maior fabricante de jatos executivos do mundo, além da Marcopolo (2 maior fabricante de autocarros). Também é competitivo em TI.

As maiores empresas da Rússia são empresas do sector de commodities. O país não diversificou a economia por isso não há mercado para engenheiros e cientistas fora do sector bélico-espacial.

Gilberto Mucio disse...

Desde o fim da URSS foram cerca de 5 milhoes de cerebros que emigraram do pais, para paises como EUA, Canada, Israel, e ate o Brasil.

O jovem russo sonha em ser mafioso, oligarca, em andar de Ferrari, MAserati, em esbanjar e ostentar. Nao mais querem ser engenheiros, medicos, fisicos... pois essas profissoes nao sao valorizadas pela propria sociedade, ganha-se pouco e vive-se mal. Se ve engenheiro quimico nuclear, ainda jovem, dirigindo taxi.

O pais nos ultimos 20 anos teve uma producao cientifica ridicula. E tudo que tem ainda hoje eh resquicio do passado.

As prioridades do pais sao as commodities, e manter os privilegios dos oligarcas que controlam o setor primario... ja desistiu de se industrializar, ou pelo menos promover uma reconversao de seu sucateado e obsoleto parque industrial.

Enquanto os outros Brics estao em ascencao(uns mais rapidos, outros mais lentamente) a Russia esta em franca decadencia, descendo ladeira a baixo, e a tendencia - infelizmente - eh continuar assim por muito tempo. POis o pais nao aproveitou as vacas gordas e a chuva de dolares dos tempos de petroleo alto e farto credito barato no mercado mundial, e esse periodo so serviu para concentrar mais dinheiro e encher o rabo de suas oligarquias(patroes de Putin).

Ygor disse...

O sector privado ainda não é competitivo para absorver os muitos cientistas que as universidades russas formam, por isso muitos ainda estão a preferir trabalho no estrangeiro, mas não significa que a Rússia viva um atraso tecnologico... Ela vive dificuldades de planeamento e organização focada à industria de manufactura, isso é um problema cultural num país recem capitalista.

MSantos disse...

José Milhazes

Embora não utilizando a "violência" dos termos usados pelo 1º anónimo não posso deixar de lhe dar razão e também ao PM que espero, volte novamente à carga com a sua precisão e inteligência que este blog anda tão necessitado.

Que a situação da investigação científica e desenvolvimento tecnológico estão a atravessar momentos muito difíceis na Rússia desde o colapso da URSS, tal facto é inquestionável.

Primeiro que tudo há que situar as declarações do almirante que foram proferidas não na sequência de mais um falhanço do Bulava, mas sim na perda de capacidade dos estaleiros russos produzirem unidades de superfície modernas para a marinha, pondo mesmo a hipótese de comprar navios a estaleiros estrangeiros. Desde a queda da URSS que não há desenvolvimento de navios acima da fragata de escolta, pondo todas as classes de destroiers e cruzadores na obsolescência.

Tal é compreensível dado o know-how soviético ter sido proveniente dos estaleiros de Nikolaev, na Ucrânia e esta se ter afastado da Rússia.

Nos submarinos a história já é outra e a Rússia conservou a capacidade nos convencionais e nucleares.

A mesma coisa para os aviões, que não modernizam por não haver dinheiro para investir embora a tecnologia esteja disponível.

Correm rumores que os americanos descobriram que afinal o furtivo
F-22 não garante grande avanço em relação às últimas versões do SU35/37 razão além do preço para parar a produção.

Sobre o Antonov, qualquer projecto conjunto entre a Rússia e a actual Ucrânia está fadado ao imbróglio.

Relativamente ao GLONASS, tomáramos nós europeus avançados e civilizadíssimos, que o GALILEU estivesse na fase de desenvolvimento do sistema russo.

Quando diz que nenhum BRIC não tem o GLONASS e usa o GPS está a ser falacioso e também a constatar algo que não é verdade.

Primeiro o GPS é propriedade dos EUA e só hà dois países no mundo que possuem constelações deste sistema, um os EUA, será fácil advinhar o outro. Logo os BRIC que utilizam o GPS não têm um GPS: estão a usar um sistema que é propriedade de outro. Coisas totalmente diferentes.

Segundo, a Índia usa o GLONASS e não o GPS e inclusivé participa no desenvolvimento da constelação de última geração. Sabe porquê? Porque ao contrário dos EUA a Rússia é mais aberta a transferências de tecnologia. No caso americano os sistemas são fechados e ficam as multinacionais e corporações a ganhar dinheiro ficando os seus clientes em total dependência.

Agradecia que me apresentasse dados concretos em que o GLONASS tem sido um fracasso.

Agradecia também que apresentasse factos relativamente a esse atraso na tecnologia civil. Lembro-me de a Rússia ser pioneira em novas técnicas e cirugias no campo da oftalmologia por exemplo.

Ao referir tudo isto não ponho em causa o mau estado da ciência e tecnologias russa apenas chamo à verdade que é um descalabro afirmar que a Rússia é a última carruagem dos BRIC.

Boas férias
Manuel Santos

MSantos disse...

"A India possuí a Tata Motors e Mahindra que estão entre as montadoras que mais crescem no mundo. Sem contar que o país é competitivo em TI"

Caro Anónimo das 18.15, na minha opinião é preciso algum cuidado quando referimos a "competitividade" de países como a Índia ou a China.

Esta dita "competitividade" na maior parte das vezes provém dum termo nada abonatório: escravidão.

E graças a esta "competitividade" estamos nós, classe média ocidental a perder terreno para a pobreza e escravidão.

Aqui voltamos ao velho dilema sobre a preversão da actual globalização mas isso seria outro tema.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

"O jovem russo sonha em ser mafioso, oligarca, em andar de Ferrari, MAserati, em esbanjar e ostentar. Nao mais querem ser engenheiros, medicos, fisicos... pois essas profissoes nao sao valorizadas pela propria sociedade, ganha-se pouco e vive-se mal. Se ve engenheiro quimico nuclear, ainda jovem, dirigindo taxi."

Gilberto

Infelizmente de outra forma o mesmo se passa em Portugal e no Ocidente.

Apenas com a diferença de que os jovens querem tirar o curso de engºs, médicos, advogados não para serem profissionais mas para conseguirem um bom emprego a fazer o menos possível, a ganhar o mais possível e que se dane o profissionalismo.

Abraço
Manuel Santos

MSantos disse...

Já agora apenas mais uma:

Prevê-se que em após a finalização dos vôos do Space Shuttle em 2010, o periodo que irá até 2014 (se tudo correr maravilhosamente bem, o que nunca acontece) a vanguarda da civilização ocidental terá de ir á boleia para o espaço, nas velhinhas SOYUZ ou na nave que virá a seguir.

Cumpts e boas férias
Manuel Santos

Anónimo disse...

O Sr Milhazes foi mal entendido por alguns leitores

Creio que ele quis dizer sobre tecnologias de um modo geral há um grave problema na Russia que se passa pela falta de diversificação econamica que a leve absorver tantos cientistas que produz.

Quanto ao sector belico podemos ver claramente que ha uma centralizaçao nele por parte do governo, nao ha outras prioridades a vista. como os brics adotaram em relaçao a manufacturas

O sector belico quando esta a enfrentar problemas acaba por afectar a produçao cientifico - tecnologico do pais

Ha que se criar parcerias com o sector civil como aviaçao e informatica

A Russia tem tudo para ser mais que os seus parceiros do bric

cpmts

t.braga

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=aAzLVOMuJMI

Wandard disse...

"Quanto aos aviões militares, olhem atentamente para as datas em que eles foram planeados e construídos os primeiros modelos."

Caro Sr. Milhazes,

Realmente, tem de se olhar atentamente para a data dos projetos de ambos os países e se o senhor o fizer conforme comentou verá que as datas são aproximadas, alguns projetos americanos são mais antigos que dos russos e alguns projetos russos são mais novos que dos americanos. Quanto a questões de falha em testes de desenvolvimento, não precisa ir muito longe basta estudar o F-22. Se quiser falar de falhas e acidentes vamos rever o ônibus espacial. Quanto à diferença tecnológica é realmente gritante quando comparamos o Skylab com a Estação Mir, quem foi perdida primeiro? Uma coisa o senhor está certo, com o fim da URSS e o caos em que afundou a Rússia nos anos 90 e com uma bela ajuda de quem mesmo? muitos cientistas abandonaram o país, não é por acaso que hoje o déficit no desenvolvimento tecnológico seja elevado, mas mesmo assim o Berkut voou e se apresentou em feiras aeronáuticas com sucesso, como a de Paris, enquanto os americanos recusavam os combates simulados com os F-22 e quem for piloto ou tiver o mínimo de conhecimento de engenharia aeronáutica sabe o motivo. Quanto ao GLONASS e o GPS foi um comparativo interessante, pelo que me consta são os Estados Unidos que possuem ampla penetração em todo o mundo, ou melhor 800 bases para melhor dizer, e claro todos estes países tem poder e capacidade para se verem livres dos americanos quando quiserem :))), portanto seria muito difícil o GLONASS ter o mesmo espaço. Mas com toda a deficiência que hoje enfrenta a Rússia em termos tecnológicos, conseguiram eliminar o elemento surpresa dos Stealths com o uso de simples medidores tecnológicos, desenvolveram a tecnologia da cápsula de plasma permitindo que suas aeronaves de 4ª geração apresentassem capacidade furtiva mais eficiente que os próprios Stealths americanos, fazendo o comandante do Kitty Hawk passar vergonha. No desenvolvimento do programa espacial americano, estes só conseguiram que seus foguetes funcionassem quando obtiveram informações da tecnologia da União Soviética, e claro, os americanos eram tão superiores que estimularam através de seu serviço de espionagem as deserções de Munir Redfa (Piloto do Mig-21), esta em cooperação com o Mossad e de Victor Belenko (Tenente que pilotava o Mid-25 que pousou em Hakodate, Japão em 1976), para que mesmo, afinal sua capacidade tecnológica é tão superior.

Daniel Hummes disse...

O erro da atual Rússia (e da finada União Soviética) foram só, praticamente, investir em tecnologias espaciais e militares.
O investimento nessas áreas, atualmente, não traz grandes benefícios para a população de um país.
Que de fato, só serve pra encher depósito e pra exibir em paradas militares, porque utilidade real e prática não existe. Porque uma guerra em larga escala, hoje, é praticamente descartada.

Muitos especialistas dizem que isso é parte do plano ocidental de acabar com a Rússia como acabaram com a Ex-URSS. Consiste, simplesmente, em assustar os russos pra jogarem todo dinheiro em tecnologia militar, deixando de investir em outras áreas muito mais importantes. E o governo russo está caindo como um "patinho" novamente, sob aplausos de muitos aqui.

Daniel Hummes disse...

Por exemplo, a UE está cada vez mais investindo em energia renovável. Já na Rússia esse investimento é praticamente nulo, quando o petróleo/gás acabar, estarão extremamente defasados em relação à Europa.

Anónimo disse...

ESPERO QUE O PETRÓLEO ACABE O MAIS BREVE POSSÍVEL, PARA QUE O PLANETA COMECE A RESPIRAR NOVAMENTE. PORQUE SE ISSO NÃO OCORRER, NÃO SEI SE A HUMANIDADE CHEGARÁ AO FINAL DESSE SÉCULO

Wandard disse...

A probabilidade é que as energias renováveis cubram entre 15 a 20% das necessidades européias em alguns anos, portanto 80% da energia ainda será dependente dos sistemas atuais. O gerador de partículas pode ser a solução, mas seu funcionamento dependerá de um certo elemento químico chamado Nióbio e que as reservas se encontram por ironia na Rússia em torno de 2% e Brasil com estimados 97%, seu uso já existe em larga escala em oleodutos, hidrodutos, usinas nucleares, motores de aviões e foguetes etc... ou seja em equipamentos que exijam também alta resistência à combustão endo um supercondutor quando submetido a temperaturas criogênicas. Diante da distribuição das reservas, já se pode projetar quem terá o controle destas fontes em breve, é claro que não estou falando do detentor dos 97%, mas sim do vizinho do norte:)))

Hummes disse...

^^

Você está bem desinformado hein? Atualmente o tal gerador de partículas só existe possibilidade na ficção científica. Isso é pra daqui 70-80 anos.

Não estou falando só de energias eólica, solar, etc...que até 2020 irá suprir 20% da energia da UE. Mas principalemnte nuclear...que estão sendo criadas dezenas de novas usinas nucleares por toda a Europa. A UE está investindo pesadamente nessa área. Pretende-se suprir, até 2025, 40% do consumo energético europeu. Totalizando 60%!!!!

Aliás, existe um projeto de tranformar o próprio deserto do Saara em uma fonte inesgotável de energia para a UE nos próximos 20 anos.

Yan disse...

Se suas previsões estiverem corretas , acho muito mais provável que a Rússia guarde para o seu consumo esses 2% de nióbio e o Brasil se torne o grande exportador mundial desse elemento químico para a UE, EUA e resto do mundo.
Desse modo, o Brasil, como detentor de 97% das reservas, poderá estipular o preço que quiser.

Yan disse...

aconselho a leitura:


VISIONS OF EUROPE IN 2030

http://www.spiegel.de/international
/europe/0,1518,637830,00.html

http://www.spiegel.de/international
/europe/0,1518,637522,00.html

Borges disse...

A falta de estratégias da Rússia pode prejudica-la e muito, actualmente é preciso adoptar novas políticas voltadas à tecnológia de manufacturados como informação, energia renovável, nanotecnológia, biomedicina, electrónicos de consumo e outras.

O Japão e Coreia do Sul são bons exemplos de que é possível ter tecnológia de manufactura de ponta. O sector bélico é importantíssimo mas não faz alavancagens económicas!

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Um reparo sobre o que disse:

...Prevê-se que em após a finalização dos vôos do Space Shuttle em 2010, o periodo que irá até 2014 (se tudo correr maravilhosamente bem, o que nunca acontece) a vanguarda da civilização ocidental terá de ir á boleia para o espaço, nas velhinhas SOYUZ ou na nave que virá a seguir...

Você não necessita de aguardar por 2014 quando essa já é a realidade actual.

O shutle permite os americanos levar os astronautas para cima, mas o projecto de os trazer para baixo, já foi cancelado há muito. Neste momento, os americanos têm que pagar à Rússia, para ter acesso a uma das velhinhas soyuz e desse modo permitir aos EUA, permanecerem na Estação Espacial Internacional.

A situação é embaraçosa para os EUA e é curioso ela não ser explorada pelos media. porque será...

No ano passado até aconteceu uma coisa deveras curiosa. Com a guerra em Agosto, os EUA queriam aplicar sansões à Rússia, mas apareceram vários problemas, um deles é a dependência destes em alguns aspectos importantes no Afeganistão, outro é o projecto da Boeing do novo avião 787 e a situação do acesso à Estação Espacial Internacional. Neste último caso é deveras embaraçoso, porque já tinha havido indicações que se os EUA não assinassem rápidamente um contrato com a Rússia, de modo a este fabricar soyuz a contar com os americanos estes perderiam acesso à Estação. Com a situação da guerra, os EUA ficaram numa situação muito difícil e com a NASA a berrar que se tinha que chegar rápidamente a um acordo com os russos.

O acordo foi feito, mas óbviamente não apareceram nos media títulos como "EUA dependentes dos russos para chegar ao espaço", "Estado calamitoso do sistema espacial americano obriga a pedir boleia a russos", mas tenho a certeza que se fosse o inverso assim o veriamos.

Poderá constatar neste artigo o agradecimento a Obama, numa altura que ainda era Bush aos comandos e se procurar na net, muitos mais artigos verá, incluindo análises das opções da NASA, que eram apenas uma, depois de Bush ter cortado as asas à NASA.

NASA Chief Thanks Obama for Helping With Soyuz Waiver

NASA Administrator Mike Griffin credited Democratic presidential candidate Barack Obama for spurring Congress to action on legislation allowing the U.S. space agency to buy the Russian Soyuz flights its needs to send astronauts to the international space station beyond 2011...

http://www.space.com/missionlaunches/081008-sn-thank-obama.html

Zé disse...

CREIO QUE A RÚSSIA SÓ DEVA INVESTIR MESMO EM TECONOLOGIA MILITAR E ESPACIAL. QUE FIQUE SÓ NESSAS ÁREAS. ATÉ PORQUE É UM PAÍS QUE DEVE SER "CONTROLADO", ACHO MUITO PERIGOSO QUE ESSA NAÇÃO COMECE A TENTAR "COISAS" DIFERENTES.
E APESAR DE TUDO, PRA EUROPA É MUITO MELHOR SER DEPENDENTE DA ENERGIA RUSSA QUE DE SUA TECNOLOGIA. JÁ PENSOU SE A UE TIVESSE QUE IMPORTAR COMPUTADORES, AUTOMOVEIS, ETC DA RÚSSIA, COMO FAZ EM RELAÇÃO AO JAPÃO, CORÉIA E AGORA CHINA?
QUERO QUE AS COISAS FIQUEM COMO ESTÃO, PORQUE EM BREVE NEM DA ENERGIA RUSSA PRECISAREMOS MAIS.

Anónimo disse...

"O sector bélico é importantíssimo mas não faz alavancagens económicas!"

Caro Borges

Graças a corrida armamentista e espacial que hoje temos satélites, computadores, fibra óptica e até experimentos no espaço trouxeram avanços para a medicina, portanto dizer que tecnológias do sector bélico não trouxeram benefícios económicos, é farsa.

Creio que o problema russo seja político e não económico.

Yan disse...

Anónimo disse...
"O sector bélico é importantíssimo mas não faz alavancagens económicas!"

Caro Borges

Graças a corrida armamentista e espacial que hoje temos satélites, computadores, fibra óptica e até experimentos no espaço trouxeram avanços para a medicina, portanto dizer que tecnológias do sector bélico não trouxeram benefícios económicos, é farsa.

Creio que o problema russo seja político e não económico.

22:10


depende de como é explorada por um país...me diga só uma coisa: quais benefícios econômicos a corrida armamentista trouxe para a ex-URSS e pra atual Rússia? Quais são as inovações que beneficiaram a sua população?
Se você analisar bem, a corrida armamentista só trouxe benefícios pras nações ocidentais. Por que será, não é?

Anónimo disse...

QUANDO A RÚSSIA IRÁ ACORDAR???...ELA ACHA QUE É MESTRE, MAS NA VERDADE É ESCRAVA

Jose Milhazes disse...

MSantos, eu não disse que o sistema Glonass foi um fracasso, o que é verdade é que ele ainda está muito aquém do GPS, nomeadamente no que respeita ao número de satélites. Tem a certeza que a Índia utiliza esse sistema?
Um dos leitores falou dos avanços no campo da oftalmologia, mas isso são frutos da escola soviética (Dr. Fiodorov), que estão a ser amplamente aproveitados por Cuba. O avanço tecnológico não consiste só em descobrir, mas em saber levar à prática as descobertas.
O leitor PM diz que a Rússia pode produzir aviões civis, mas não consegue vender. Mas porquê? Porque não têm poder de concorrência e não respeitam as normas ecológicas. Quanto à Europa não ter um avião de transporte, não há problema, há projectos de transformação de Airbus europeus em aparelhos de transporte na Rússia. E esta cooperação é mutuamente vantajosa.

Anónimo disse...

"depende de como é explorada por um país...me diga só uma coisa: quais benefícios econômicos a corrida armamentista trouxe para a ex-URSS e pra atual Rússia? Quais são as inovações que beneficiaram a sua população?
Se você analisar bem, a corrida armamentista só trouxe benefícios pras nações ocidentais. Por que será, não é?"

Caro Yan

Muitos benefícios como Status geopolítico, registro de patentes (invenções são patenteadas e produzem royalties), poder indústrial, geração de empregos, independência em muitas áreas como comunicações e transportes. Para lembrá-lo, é fundamental uma nação pontente ter independencia em muitas áreas estratégicas além de defesa.

Os benefícios foram inúmeros, o problema está em que outras nações estão crescendo mais nestas áreas, portanto estamos numa competição que não é mais restrita entre Rússia x Eua x Europa.

A Rússia ainda não diversificou o técido económico para capacitá-lo a absorver muitos cerébros produzidos, esta é uma dificuldade ainda muito latente na Rússia em geral tanto do governo como sectores privados!

Anónimo disse...

A coreia do norte tem o segundo maior exercito do mundo, do que adianta? sua populaçao vive na miseria total...

PortugueseMan disse...

t.braga,

"O Sr Milhazes foi mal entendido por alguns leitores

Creio que ele quis dizer sobre tecnologias de um modo geral há um grave problema na Russia que se passa pela falta de diversificação econamica que a leve absorver tantos cientistas que produz...


Embora concorde com o facto de esse ser um problema da Rússia, eles têm atrasos tecnológicos em algumas àreas, não se pode pegar apenas numa parte que Vladimir Visotski diz para demonstrar o quanto está tecnológicamente atrasado está a Rússia.

Nesse mesmo artigo da Novosti, (caro JM se não fôr este corrija-me), que JM faz refêrência (http://en.rian.ru/russia/20090726/155626835.html), são referidos 3 novos projectos, um submarino nuclear novo e 2 mísseis novos, o Sineva e o Bulava. Dos 3 novos projectos referidos (existem muitos mais), UM apresenta problemas que é o Bulava. E como o artigo não é uma análise ao míssil em si, os detalhes não são referidos. Mas há um aspecto muito importante a ter em conta em relação este míssil. O míssil está a ser desenvolvido por um instituto que nunca criou um míssil lançado por um submarino, eles fabricam outros mísseis mas lançados do solo. É um outro instituto que sempre fabricou mísseis lançados por submarinos e minha questão relativamente a este assunto é o porquê de ter sido seleccionado um fabricante sem experiência nesta àrea.

Está fora do ambito deste blogue, mas não concordo de maneira nenhuma que pelo o facto de UM projecto apresentar problemas, se dizer que está tudo um caos. Nesse caso se é para se falar de problemas dos novos projectos, o JM deveria apresentar um artigo com TODOS os novos projectos em curso na Rússia, para todos nós constatarmos as "dificuldades" russas.

PortugueseMan disse...

Caro JM,

"O Glonass tem sido outro fracasso como o Bulava...

Foi você que disse isto num post mais acima.

o que é verdade é que ele ainda está muito aquém do GPS, nomeadamente no que respeita ao número de satélites. Tem a certeza que a Índia utiliza esse sistema?
No que respeita a número de satélites? Meu caro que problema exactamente vê nisso? Cada sistema tem o seu número.

Relativamente à India, usar o sistema, também desconheço, mas dado que a India usa muito material russo e estão com eles a participar em novos mísseis, pelo menos para uso militar a coisa faz todo o sentido.

O leitor PM diz que a Rússia pode produzir aviões civis, mas não consegue vender. Mas porquê? Porque não têm poder de concorrência e não respeitam as normas ecológicas. Quanto à Europa não ter um avião de transporte, não há problema, há projectos de transformação de Airbus europeus em aparelhos de transporte na Rússia. E esta cooperação é mutuamente vantajosa.

Não tem poder de concorrência? pois não, a Rússia vem da realidade soviética era preciso marketing para se vender? Esta é realmente uma das lacunas da Rússia, o poder de marketing, não chega ter um bom produto, é necessário saber divulgá-lo. Mas isto em nada tem a ver com falta de capacidade de construir aviões. E não são ecológicos?? Mas que quer você dizer com isto? pode-se dizer que não têm motores eficientes, mas até para isto têm solução, enfiam motores ocidentais a quem os pedir. Entretanto e se querem manter a capacidade de ser autónomos também neste campo, vão ter que gastar muito dinheiro, de modo a construirem motores mais eficintes e olhe que é isso que estão actualmente a fazer...

Não há problema, pelo o facto da Europa não possuir um sistema de transporte militar próprio??

A Europa está enterrada até à raiz dos cabelos neste projecto e você vê a coisa com essa ligeireza? Este é um dos projectos onde se procura diminuir a nossa dependência dos americanos. Interrogo-me se fosse um projecto russo se você olharia desse modo...

Anónimo disse...

Aviões civis russos estão a cair pelo Irão

São aviões de manutenção cara e complicada

MSantos disse...

Caro JM

Tentei arranjar informação sem ser em inglês sobre a participação indiana no GLONASS-K (última geração) mas não encontrei.

Para já o melhor que tenho é isto:

http://en.wikipedia.org/wiki/GLONASS

Sugiro-lhe que utilize um motor de busca em russo com as palavras glonass e india.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

http://www.spacedaily.com/reports/
Russia_And_India_Sign_Agreements_On
_Glonass_Navigation_System_999.html

Mais um link

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

...e apenas mais um ponto a realçar o facto de que são os BRIC que andam à trela tecnológica da Rússia e não o contrário:

"Cooperation with China

Number of contacts between Russian and Chinese space officials included discussions of the GLONASS network. On May 24, 2006, Chief of Staff of the Chinese Liberation Army Lyan Guanle visited ground control center of the GLONASS system, according to RIA Novosti. According to the Russian media, China considered the development of its own satellite navigation system, which could involve purchases of the Russian technology."

http://www.russianspaceweb.com/
uragan.html

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Sérgio, o estado é o povo, nesse sentido, se o estado decide construir uma central nuclear significa que a sociedade civil teve essa iniciativa.

O exemplo Português é caricato até, Portugal como muita gente deve saber, produz uranio e nunca apostou na energia núclear apesar de inúmeros empresários nacionais terem apelado aos consecutivos governos a apostarem nessa area..

Governo vs sociedade civil cá em Portugal é um circo! É uma sociedade complexa a tuga, o país (tinha) potêncial, mas com as alterações que foram feitas recentemente(imigração, lei da nacionalidade) já nada há a fazer, este regime apostou no multiculturalismo e isso vai sair muito caro às gerações futuras.

É inacreditavel, como foi possivel que um país com uma lingua, uma cultura, uma religião, uma raça, enfim, uma nação-estado perfeito ter cometido o erro MORTAL de acabar com essa vantagem.

mais nenhuma sociedade europeia era tão homogenea.

O estado Português existe há quase 1000 anos e nos ultimos 10 anos, foi redefinido o que é ser Português, a sobrania nacional é já para inglês ver..

Vejam o absurdo, o cidadão é o elemento básico de uma nação, em decadencia se encontra uma nação que re-define principios básicos de sobrania por conveniência politica, a mim, este estado que se diz representante do povo Português impos uma nova concepção de povo e isso foi contra a vontade popular. Ao contrário do que os pseudo-intelectuais de esquerda dizerem ou escrevem o povo português na sua maioria preza e muito a homogeneidade do povo.

haja coerência e mudem tambem o nome do país para: republica Portuguêsa da federação europeia.
Eles têm medo do povo, a estratégia deles é simples, misturar, um Portugal diverso é porto seguro para traidores.


Só há a lamentar os mortos que lutaram pela bandeira Portuguêsa ao longo dos séculos, foi em vão, tanto sangue derramando para matar mouros, quando hoje todos lhes abrem as pernas,lol,don sebastião morreu a lutar contra os mouros para que?!

Para hoje Joana Amaral Dias, Anacletos, José Socrates, e outros verdadeiros amantes da nação Portuguêsa(é para rir) passarem por pessoas de bem, a Joana é toda boa e tal, tem um belo rosto que herdou dos seus antepassados, gostava de saber se ela se acharia tão boa se herdasse um rosto semita, que hipocrisia desta mulher, ela não quer é que no futuro continuem a existir "gajas boas"

lol, que palhaçada meu deus,

bruno

Maria & Flavio disse...

Eu não sei de que fontes é que o Sr. retira as suas informações / citações, mas lendo a entrevista mencionada e seguindo a "historia" de Bulava, não encontro as tais palavras do Sr. Vistsky a que se refere. ´
É verdade que a situação com os recursos cientificos na Rússia está complicada, mas ainda é cedo para falar de degradação de educação russa.
Acho importante que um jornalista encagarregado dos assuntos da Russia seja sincero e objectivo nos seus artigos e opiniões.

Anónimo disse...

atenção, não estou para responder a alguns complexados e sem auto-estima brasileiros, não suporto essas criaturas que alucinam com facilidade , digo alguns, porque tenho amigos brasileiros que são gente boa e pensam de maneira diferente da maioria da plebe brasileira, muitos outros tambem seriam boa gente se não tivessem tanta lavagem cerebral.

bruno

Anónimo disse...

bruno

Atenha-se a temática do blogue e não provoque tumultos.

Anónimo disse...

é complexo o tema meus caros,

A Rússia está em processo de redefinição, pelos vistos, o regime actual rússo pretende um mundo multi-polar, a rússia pretende alcançar o estatuto de grande potência, esse objectivo é dificil de alcançar. É um objectivo aparentemente inviavel, desde 89' que a russia perdeu competetividade com o ocidente(em 89' ja estava notoriamente atrasada). O que seria prudente era primeiro a rússia alcançar as restantes economias desenvolvidas e só depois pensar em competir, ora, os russos querem competir com uma base económica muito menor, isso é estupido.

como é possivel a uma russia competir com os EUA com uma economia 10 vezes maior e muito mais forte..é irracional, faz lembrar a estupida estratégia de gorbachev de fazer a democratização primeiro e as reformas económicas depois, isso foi o erro crasso dele, os chineses bem alertaram que servir democracia a barrigas vazias dá mau resultado.

O problema da économia rússa não é o défice tecnologico, mas o défice de empreendedorismo civil, o povo russo tem uma mentalidade muito voltada para o colectivo e a natureaza de um empreendedor é claramente individualista.

Por isso, o estado russo que hoje ocupa salvo erro 15% do PIB russo(o português absorve 50%) está muito bem a afastar-se do aparelho produtivo.

Alguem aqui falou da fuga de cerebros, isso sim é um problema e não há duvidas que desde o final da URSS a rússia perdeu as mais brilhantes mentes e isso é um facto, o sector hi-tech dos EUA é dominado por ciêntistas estrangeiros.

lotz .uk

Wandard disse...

"Mas principalemnte nuclear...que estão sendo criadas dezenas de novas usinas nucleares por toda a Europa. A UE está investindo pesadamente nessa área."


Caro amigo,


A energia nuclear não é renovável e o continente europeu não possui reservas suficientes para suas necessidades, em termos de urânio se não me engano a maior reserva é da França, portanto isto manterá a europa dependente de importação de recursos de outros países, além do problema de onde irá armazenar o lixo nuclear. Quanto ao LHC a possibilidade ou probabilidade não é ficção científica, seus problemas estão mais ligados à questão de segurança e claro ainda está no início. O projeto Desertec tem finalização prevista para 2050 e como você mesmo comentou é no Saara e não na Europa, mesmo que o investimento seja de 15 empresas europeias e existam leis internacionais regendo os contratos, o sistema estará instalado em outro continente. São soluções sim mas continuam levando à dependência externa infelizmente.

Wandard disse...

Caro Yan,

O nosso problema é como proteger nossas reservas, infelizmente o nosso povo é cego e o governo conivente. A função da Base Americana em Alcântara é salvaguardar o acesso aos recursos, as manobras relativas à "Raposa Serra do Sol" com a manipulação de Ong's americanas, são só alguns dos exemplos, mas o processo começou no início dos anos 90, com o Governo Collor, que encerrou o Programa Nuclear e iniciou o sucateamento das Forças Armadas, quando tiver tempo pesquise com calma todos os documentos relativos. Até os Franceses quando invadiram o Maranhão conseguiram enxergar o potencial do atual Porto de Itaqui e a posição estratégica da região. Os americanos pesquisaram a Amazônia por muitos anos, enquanto perdíamos tempo com o jogo político entre a esquerda e o regime militar.

Abraço,

Wandard disse...

"Está fora do ambito deste blogue, mas não concordo de maneira nenhuma que pelo o facto de UM projecto apresentar problemas, se dizer que está tudo um caos. Nesse caso se é para se falar de problemas dos novos projectos, o JM deveria apresentar um artigo com TODOS os novos projectos em curso na Rússia, para todos nós constatarmos as "dificuldades" russas."


Caro PM,


A mídia trabalha no sentido de que as informações sejam transmitidas no molde das opiniões, idéias e interesses. Como já foi citado aqui antes o mundo vive a guerra de informações, quanto mais forem negativas e/ou depreciativas e neste caso a uma nação, melhor, este é o objetivo pois assim consegue se manipular a opinião pública dentro e fora de um país. Todas as informações negativas em relação à Rússia circulam com grande velocidade em tablóides europeus e americanos, aqui no Brasil a sucursal da BBC se encarregar de trazê-las, pode observar que uma notícia veiculada pela BBC é praticamente a mesma que é replicada em quase todos os veículos de informação, excetuando-se as mídias independentes. Agora procure as informações negativas dos Estados Unidos e verá que são restringidas a poucos endereços. Já faz um tempo que eles não divulgam abertamente seus índices de desemprego, assim como não divulgaram a realidade de New Orleans e de outras cidades devastadas por catástrofes naturais. Porque gastaram milhões de dólares com aeronaves como o F-117 e o B-2 Spirit e hoje modernizam e recuperam desesperadamente os B-52, com os quais irão gastar 700 milhões de dólares.

Abraço,

Jose Milhazes disse...

Leitora Maria, pode ler a entrevista do almirante na integra na agência de notícias russa Ria Novosti: www.rian.ru. EStá lá tudo direitinho.
Quanto à degradação do ensino, apenas lhe posso dizer que quando deixar de ser cedo, passa a ser tarde. Ou será por acaso que numerosos dirigentes russos enviam os seus filhos para universidades estrangeiras?

Anónimo disse...

Respondendo à Maria&Flávio:

Só quem não vive na Rússia pode achar que o sistema de ensino russo está bem.

Dou-lhe um exemplo: Um amigo meu, professor numa universidade de Línguas de Moscovo, perfeito conhecedor da língua portuguesa, teve de abandonar o emprego, que até tinha um certo estatuto, porque o vencimento não ultrapassava há dois anos os 6.000-8.000 rublos (cerca de 200 euros). Dizia-me ele que os seus chefes lhe pediam para fazer trabalho de investigação na Universidade (para o qual ele tinha óptima capacidade e conhecimentos) mas que ele se recusava a fazer porque o salário era tão baixo que não pagava o esforço. Entretanto, os estudantes nessa Universidade pagavam propinas altíssimas e não se sabia muito bem para onde ia todo esse dinheiro...
Resumindo: embora esta situação concreta possa ter excepções, é bem elucidativa do descalabro que a que o Estado russo deixou chegar o ensino superior: fuga dos melhores especialistas devido aos salários miseráveis, corrupção nos acessos às universidades, transformação na prática de estabelecimentos de ensino públicos em privados (com propinas incomportáveis para a maioria da população), tudo isto não pode deixar de reflectir-se na investigação científica.
Putin tentou melhorar a situação, por exemplo, através da reforma da Academia das Ciências, da atribuição de bolsas de investigação e de melhores salários aos investigadores etc. Mas tal parece não ser suficiente, porque o país é enorme e o Estado parece querer seguir o modelo liberal numa área que requer muito investimento público.
Cristina Mestre

Anónimo disse...

Como seria bom que o avanço dos países se medisse pela utilização de tecnologias que garantissem o bem estar a TODA a humanidade e ao mesmo tempo a protecção do planeta Terra.
No entanto constata-se que a corrida aos primeiros lugares do "desenvolvimento" continua a fazer-se à custa dos mais pobres, a quem se paga uma ninharia pelos seus produtos, onde se fomentam guerras para impedir que as sociedades civis se organizem, e onde se colocam "dirigentes" que nada têm a ver com a defesa do próprio povo.
No século XXI, essa corrida ao amontoamento de riqueza e de tecnologias a todo o custo nunca deveria merecer o nome de avanço.

Anónimo disse...

Дедушка Синяя Борода опять пукнул в воду...

Anónimo disse...

Sr. jornalista pode passar o link completo em vez de só www.rian.ru? Por ocaso este web site tem muitos outros artigos, mas senhor que escolha...

Jose Milhazes disse...

Aqui pode, ler em russo as declara;\oes do almirante.

http://www.rian.ru/defense_safety/20090726/178676646.html

anónimo russo disse...

Sr. Milhazes, infelizmente, o nivel dos seus artigos cai a uma simples russofobia. Não tenho tempo agora, senão, participaria na discussão.

anónimo russo disse...

Gilberto Mucio disse...
Desde o fim da URSS foram cerca de 5 milhoes de cerebros que emigraram do pais, para paises como EUA, Canada, Israel, e ate o Brasil.

O jovem russo sonha em ser mafioso, oligarca, em andar de Ferrari, MAserati, em esbanjar e ostentar. Nao mais querem ser engenheiros, medicos, fisicos... pois essas profissoes nao sao valorizadas pela propria sociedade, ganha-se pouco e vive-se mal. Se ve engenheiro quimico nuclear, ainda jovem, dirigindo taxi."


O meu deus. Voce é tão obtuso que não entende esse facto, senão nunca postaria aqui. Mas pode continuar. È até engralado às vezes. (E não se esquece do que está acontecendo no seu próprio pais, quem sonham ser os vossos jovens e o que fazem)

anónimo russo disse...

engraçado

anónimo russo disse...

Jose Milhazes disse...
Aqui pode, ler em russo as declara;\oes do almirante.

http://www.rian.ru/defense_safety/20090726/178676646

O sr. Milhazes, em vez de fazer uma investigação jornalistica, até não traduziu o artigo, mas tirou umas frazes e com elas compôs a sua "obra". O artigo è dedicado exclusivamente ao missil "Bulava". Sim, falando das dificuldades, enfrentadas na criação do missil, ele diz, que "os recursos de hoje na área da tecnologia, produção e cooperação de produtores revelaram-se mais fracos do que esperavamos". "Ao mesmo tempo o almirante mostra-se convencido de que o missil vai ser lançado na pródução (desculpem o meu português). "Se não tivesse a certeza, há muito me teria demitido. Declaro-o oficialmente" - disse o almirante."
Mas o essencial é que o artigo não é sobre as dificuldades tecnoligicas no pais, mas sim sobre o missil!

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Mais uma notícia interessante em relação ao sukhoi super jet.

AAR SIGNS LOI TO JOIN SUPERJET INTERNATIONAL SERVICE CENTER NETWORK

AAR CORP. (NYSE: AIR) announced today that the Company has signed a Letter of Intent (LOI) with SuperJet International S.p.A. to become a service center for the new Sukhoi Superjet 100 (SSJ100) aircraft. As part of SuperJet’s network of Service Centers, AAR will provide SSJ100 operators with heavy airframe maintenance, modifications, interior and exterior refurbishments, unscheduled maintenance services, line and RON maintenance and will have field teams to provide off-site support...AAR is a top tier MRO provider in North America...


http://www.aarcorp.com/news/aar_superjet_072309.htm

É muito interessante assistir ao desenvolvimento deste avião. A maneira como eles estão a atacar o mercado, que eu saiba nunca foi feito com outro avião russo. É uma grande aposta e falta ver se vão conseguir recolher frutos.

Continuo a dizer que este avião, mostra uma nova página na aviação civil russa.

Por outro lado temos a Embraer a avançar para a Europa, mais concretamente para Portugal. A Embraer será de facto o 1º construtor a sentir na pele a entrada dos russos no mercado, caso estes sejam bem sucedidos na sua estratégia.

eleutério disse...

As afirmações do almirante russo são interessantes:
1. Investigação científica autónoma, estatal, dirigida a interesses nacionais, não existe em lado nemhum. Como o problema do financiamneto é real, os estados demitiram-se dessas funções, e reservam uma parte ridícula do orçamento à investigação. No "ocidente" (hoje é tudo ocidente...) as empresas privadas tentam caçar os euros dos governos e fazer vingar os seus projectos. Estes são desenvolvidos por interesses privados, por vezes com ligações estranhas a supostos interesses públicos. Assim é com as empresas Boeing e outras que desenvolvem aviões e os tentam vender ao Estado. Na Russia a situação não deve estar muito diferente, as empresas Sukhoi e MiG lutam pelos tão esperados financiamentos. Entretanto sempre podem vender qualquer coisa lá fora. E há armamento com um inquestionável sucesso, pois as vendas da rosoboroexport cresceram gigantescamente nestes tempos de crise.
2. O problema social da rússia é grave. Acresce que falta população, a esperança de vida é 10 naos inferior à europeia e podem estar no limiar de uma desgraça demográfica. Isto a aliar aos problemas crónicos e reconhecidos na russia, a corrupção e a burocracia, não sei no que irá dar, mas alguns analistas dirigem-se à russia como "potência em declínio". Será objectivo?
3. As alianças com a ìndia são manifestas, em particular nos sistemas de armamento. Se querem exemplos de armamento bem sucedido, veja-se o caso dos mísseis anti-navio hipersónicos yakhont ou ónix, sem concorrência no "ocidente". Os russos mantêm a sua capacidade de produzir sistemas tecnológicos avançados, mas o estado do país não permite que se explore ess~e potencial. Mais armamento sofisticado está a ser produzido, para além dos SU-35 ou da corveta steregushi ou da fragata admiral Groshkov.
4. A comparação com o Brasil parece forçada. Não tem em conta a natureza do país e o seu potencial, que pode emergir em qualquer momento, mas na realidade agora não é visível. E não será o primeiro fracasso de um projecto do tio Bulava. Em pleno poderio tecnológico soviético muitos houve, bem escondidos. Mas como alguns leitores afirmaram, muito à semelhança dos fracassos observados noutras terras.

Anónimo disse...

E sobre a missão à Marte?
Alguém tem informações?

Lí que perto de Moscovo há um centro de treinamentos e que até austronautas americanos estavam por lá...

A Rússia quer enviar uma sonda por lá até 2012?

Que grande crise tecnológica...

MSantos disse...

"Por outro lado temos a Embraer a avançar para a Europa, mais concretamente para Portugal. A Embraer será de facto o 1º construtor a sentir na pele a entrada dos russos no mercado, caso estes sejam bem sucedidos na sua estratégia."

Espermos que a investida russa não vingue.

Lembro-me de existir um projecto da Sukhoi para um jato VIP tipo Falcon mas supersónico. Se se tornasse viável também seria um novo mercado por desbravar.

Cumpts
Manuel Santos

eleutério disse...

O mercado de aviões civis russos (soviéticos) viveu muitos anos do mercado "interno". A internacionalização e a conquista de espaço extra é problemática e não tem a ver com a qualidade, que ainda não existe. A Boeing e a Airbus são projectos declaradamente regionais e com interesses de estado declarado e descarados, pelos quais os países envolvidos podem fazer guerra. Dizem que, aliás, a geurra do Vietnam teve como grande impulsionador a companhia que produz os helicópteros Huey...
A expedição a Marte está completamente refém dos russos que, de forma descarada, se andaram a preparar para tal, com permanências no espaço record, de forma a aproximar-se do tempo exigido para uma viagem dessas. Esse know-how pode ter pó mas tá lá.
E isto convivendo com os problemas do dia a dia, do Caucaso e outros, problemas esses que os outros sé experimentam à distância.
Pouco habituados à "democracia", os russos vão lidando com esses problemas, com um estilo semi-soviético e semi-democrata, que claramente não são.
Os projectos de jacos supersónicos, deixaram de ter mercado. São onerosos e não se rentabilizam. Só por uma questão de orgulho nacional (ou na altura ideológico) é que se podiam justificar certas coisas.

MSantos disse...

"Os projectos de jacos supersónicos, deixaram de ter mercado. São onerosos e não se rentabilizam. Só por uma questão de orgulho nacional (ou na altura ideológico) é que se podiam justificar certas coisas."

Caro Eleutério

Estamos a falar de pequenos jactos privados como o Falcon ou o Gulfstream e não de carreira comercial como o Concorde ou o TU-144 "Concordovski".

Essencialmente estamos a falar de "brinquedos" de ricos e geralmente para este tipo de "brinquedos", os mais abastados não se coibem de gastar aos milhões.

A virgin Galactic ainda está a desenvolver o seu protótipo de avião sub-orbital e já tem muitas passagens vendidas a custo milionário.

Lembre-se da frota de iates de luxo de Abramovich que até têm pista para helicóptero.

Isto só para dizer que se aparecesse no mercado um jacto particular capaz de atingir velocidade supersónica não faltariam clientes.

A crise é só para os outros ;)

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

http://www.flightglobal.com/
pdfarchive/view/1998/
1998%20-%201495.html

Tem aqui um artigo sobre o "bichinho"

A célula base provem do avião de combate
SU-27

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2009/05/06/brasil-ultrapassa-russia-holanda-e-13-do-mundo-no-ranking-da-ciencia-755719142.asp


O Brasil subiu no ranking da ciência. De acordo com a avaliação anual feita pela National Science Indicators (NSI), uma das maiores bases de dados científicos do mundo, o país atingiu o 13 lugar na classificação global em produção científica em 2008, duas acima da colocação obtida em 2007. O resultado coloca o país à frente de nações como Rússia (15) e Holanda (14), mas atrás de outros países emergentes, como China (2) e Índia (10). No topo do ranking, estão os Estados Unidos.

CONTRA FATOS , NÃO HÁ ARGUMENTOS.

ÍTALO

Italo disse...

Um país que só produz bombas nucleares, petróleo e gás, além de alguns aviões ultrapassados, tem que ficar pra trás mesmo.

Anónimo disse...

Caro Sr Milhazes;

Apague os posts dos Italos para que possamos todos continuar a discutir sem ufanismos

Ygor disse...

***Um país que só produz bombas nucleares, petróleo e gás, além de alguns aviões ultrapassados, tem que ficar pra trás mesmo.***

Caro Italo

A Rússia está há anos Luz do vosso Brasil que nunca mandou um satélite ao espaço, imagina construir um berkut ou sukhoi.

Tenho pena de brasileiros ignorantes que ficam a falar mal da Rússia sem conhece-la, vão se preocupar com os vossos problemas que são muito piores, o vosso país está muito longe de ser uma potencia média, muito mais longe ainda de equiparar-se com a Rússia.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
eleutério disse...

No domínio da produção científica, as tabelas e argumentos exibidos são fracos. E falo por experiência e conhecimento. Os países com sedes de empresas fortes, internacionias ("globalizadas") cuja aposta no investimento científico é forte, têm scores de produção elevada.
Veja-se o caso português, se bem que pequenino. Temos cientistas, simplesmente não conseguem produzir ciência em portugal. Portanto, cuidado com esses rankings.
No caso dos russos, tratando-se de produção sigilosa muitas vezes, uma vez que ligada ao militar, fonte de nacionalismo, nós simplesmente não chegamos a conhecer essa produção. Mas que é boa, é.
Obrigado pelas correções ao MSantos.
Concordo

Anónimo disse...

"A Rússia está há anos Luz do vosso Brasil que nunca mandou um satélite ao espaço, imagina construir um berkut ou sukhoi."

Isso foi há 40 anos.


Hj é um estado falido dominado pela máfia, e por neonazistas.

Anónimo disse...

Tenho pena de brasileiros ignorantes que ficam a falar mal da Rússia sem conhece-la, vão se preocupar com os vossos problemas que são muito piores, o vosso país está muito longe de ser uma potencia média, muito mais longe ainda de equiparar-se com a Rússia.

Engraçado que o nosso IDH é melhor que o russo, e nosso PIB esse ano vai crescer, já o russo...


-7,5 %...

Anónimo disse...

Bom, nosso país É UMA POTÊNCIA MÉDIA. Já a Rússia vem decaindo cada vez mais, pois não produz nem comida pra seu próprio povo.

Ademais, o resto de qualquer respeito que haja pela Rússia, se baseia no medo que o mundo têm de sermos envenenados por seus laboratórios fomentadores de crimes.

anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pippo disse...

Cá voltamos nós às arengas anti-russas, anti-brasileiras, daqui a pouco anti-portuguesas também...

JM, que tal se apagasse uns quantos comentários? Sempre saneava o blog e elevava-lhe o nível.

Ab,

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

anónimo russo, a russia está a morrer demográficamente, os russos como grupo étnico estão a perder peso na população, putin no fundo é como os restantes traidores ocidentais, no essencial, que é a preservação e defesa do povo falhou!

isso é um facto.

Gallardo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ricardo disse...

De fato existe deficiencias em algumas tecnologias russas e alguns atrasos, mas generalizar isso é tolice. E digo isso porque ano que vem 2010 será o ultimo ano do Onibus espacial e apartir daí até 2015 adivinhem quem será o único país do mundo capaz de mandar astronautas para a ISS? Sim a Rússia atrasada, já que a europa ocidental desenvolvida é incapaz de fazer isso. Mais exemplos? está sendo testado agora o bulava e teve algumas falhas, nada absurdo, sempre ocorrem falhas em testes, agora procurem saber quais são são misseis utilizados pelos ingleses. Ah! sim são os tridents vendidos pelos EUA um dos países mais ricos e desenvolvidos da europa ocidental é incapaz de produzir seus proprios misseis e tem de importá-los, detalhe é que os tridents começaram a ser desenvolvidos na decada de 70!!!! O bulava, assim como seu irmão terrestre o Topol-M é uma tecnologia totalmente nova, sem rivais no mundo atual. Mais exemplos? veja a idade dos submarinos atuais ingleses e até dos franceses, são da decada de 70!!! Agora que a França está trocando esses velhos submarinos e os ingleses nem tem dada pra fazer isso, detalhe, cada um opera só 4. Rússia no seu programa de rearmamento irá construir pelo menos 7 de 2007 a 2015! Um já foi lançado e 4 estão nos estaleiros! Eo caça de 5º geração europeu cade? a Rússia já está desenvoçvendo o seu com 3 prototipos e a europa desenvolvida nada de novo, vai importá-los do Tio Sam. Se a Rússia está atrasada tecnologicamente o que resta para os outros países (excluindo claro, os EUA)?

Ricardo disse...

Sobre os últimos posts sobre Brasil x Rússia em termos militares tecnologicos a um abismo entre os 2, mesmo que aqui no Brasil se produza algumas tecnlogias sensiveis olhando o prisma geral estamos a léguas de distância dos russo. Mesmo porque a Rússia não está sobre a esfera de influencia de ninguém, já o Brasil como todos sabem está na dos EUA que fazem tudo que podem para manter o Brasil sempre pacivo e obediencie e claro conta com a colaboração dos brasileiros que querem ver o Brasil "deitado eternamente em berço explendido". E em termos militares em tão, é covardia comparar, quando o cruzador Kirov veio a América do Sul fez se um comparativo e percebeu-se que ele sozinho tinha mais poder de fogo que todas as marinhas da América latina juntas, apenas 1 navio russo tem mais força que toda marinha brasileira junta, não é que a Rússia seja tão poderosa, é o Brasil mesmo que é débil!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Anónimos russos que falam português!

Com o vosso estilo de "contra-informação" dão uma péssima imagem do povo russo!
Não se coibem até de utilizar obscenidades!
Onde está o vosso famoso nível cultural?
Felizmente que nem todos os russos são assim!(posso afirmar porque tenho muitos amigos russos)

É lamentável que desçam tão baixo só para discutir qual dos dois países está mais desenvolvido!

Este tipo de afirmações (que também são praticadas por alguns brasileiros, diga-se a verdade), se não fossem anómimas, dariam um processo penal! Chama-se a isso instigação do ódio racial e étnico!
Que vergonha!
João, Portugal

Anónimo disse...

Isto só acontece porque o JM está de férias e tem menos atenção ao blogue!

Anónimo disse...

Costumo consultar este blog embora não participe e mesmo com a tendência anti-russa do proprietário, o nível de debate entre participantes de alto nível torna-o um dos mais interessantes e informativos da blogosfera.

Infelizmente nos últimos tempos têm aparecido ignorantes acometidos de extremismo sejam brasileiros ou russos e de vez em quando os racistas e ditos nacionalistas.

Venho apelar ao bom senso dos participantes de não responderem a esses elementos pois o pior que lhe podem fazer é deixá-los a falar sozinhos.

O proprietário do blog deveria ser o primeiro interessado mas desde que esses extremistas tenham opiniões próximas da sua ele não se importa muito.

Cumprimentos a todos

Cristina Mestre disse...

Não acho que o JM tenha tendência anti-russa.

Primeiro porque, sendo jornalista, naturalmente procura os temas mais polémicos, que possam suscitar discussão pública.
Segundo porque, sendo a Rússia uma civilização tão diferente da ocidental, inevitavelmente tem características que causam estranheza à nossa mentalidade, tal como também acontece ao contrário!
Se nós, os portugueses, soubéssemos as coisas que os russos às vezes escrevem sobre nós! Uma delas é a admiração em relação a nós termos um período de almoço tão alargado, às lojas fecharem durante duas horas a meio do dia...
Por isso, estas avaliações críticas mútuas são inevitáveis quando a mentalidade, a história e a cultura são tão diferentes...
O único caminho é aumentar o conhecimento mútuo dos dois povos (países), já que a desconfiança provém do desconhecimento.

Anónimo disse...

"Portugal teve uma amarga experiência neste campo. Quando dos Descobrimentos, o dinheiro das especiarias (no caso da Rússia, leia-se petróleo e gás) ia para luxos e para pagar as dívidas contraídas pela Coroa junto de casas bancárias estrangeiras."

De 86 a 92 houve um 1º ministro que teve rodos de dinheiro a chover e em vez de aplicar no desenvolvimento do país como só fez com as estradas, entregou-o a toda a espécie de patifes e ladrões que estouraram tudo em BMWs e vivendas.

No final ainda lhe deram o prémio de ser presidente da república.

Anónimo disse...

Ricardo , vc não é brasileiro. E se for, com certeza é comunista.

Está explicado o comportamento vergonhoso que tiveste aqui.

Anónimo disse...

"Mesmo porque a Rússia não está sobre a esfera de influencia de ninguém, já o Brasil como todos sabem está na dos EUA que fazem tudo que podem para manter o Brasil sempre pacivo e obediencie"

1. A Rússia está sob a esfera de influência de máfias, silovkis e FSB.

2. Se o Brasil está mesmo sob esfera de influência dos EUA, GRAÇAS A DEUS! Estar na situação da Ucrânia e da pobre Geórgia é que eu não gostaria. Viva os EUA, viva o ocidente e viva a democracia!


obs: SE ESCREVE PASSIVO, não "pacivo".


Reafirmando: Ou vc é comunista, ou não é brasileiro.


Ítalo

anónimo russo disse...

Daniel Hummes disse...

O erro da atual Rússia (e da finada União Soviética) foram só, praticamente, investir em tecnologias espaciais e militares."

Nem tudo é tão simples e o nosso governo, parece, não é tão tolo. Estão tentando fazer muita coisa, só que, fora da Rússia, (das pessoas comuns) poucos sabem o que se passa, graças aos "amigos" nossos - jornalistas e "ofendidos" tipo mucios.

anónimo russo disse...

Gilberto Mucio

Se ve engenheiro quimico nuclear, ainda jovem, dirigindo taxi"

Na Rússia, se voce não sabia, os engenheiros nucleares são FÍSICOS. Ve-se logo o seu "conhecimento vasto" da Rússia.

anónimo russo disse...

Gilberto Mucio disse...

O jovem russo sonha em ser mafioso, oligarca, em andar de Ferrari, MAserati, em esbanjar e ostentar. Nao mais querem ser engenheiros, medicos, fisicos... pois essas profissoes nao sao valorizadas pela propria sociedade, ganha-se pouco e vive-se mal.

Não paro de admirar a sua "sabedoria", ó grande perito. Voce sabe qual é o concurso para entrar na Universidade de Medicina na minha cidade? Não é nada facil.

Depois dos salários de professor universitário ter sido aumentado há um tempo, desenvolveu-se uma aiténtica luta entre os prófessores, porque agora até têm a possibilidade de ir para o estrangeiro para algum congresso, e as despesas são pagas pelo estado. Claro que nem tudo é uma maravilha, mas as coisas estão a mudar aos poucos.

Caro, eu não desejo mal nenhum aos brasileiros, conheci alguns e até ajudei a fazer certas traduções, porque o nosso idioma é dificil para muitos, mas não vou permitir a ninguem (na medida em que puder) dizer tolices sem estar realmente a par do que se passa. E conhecendo muito bem a barreira linguistica que muitos estrangeiros enfrentam aqui e o facto da deficuldade para um estrangeiro de ficar parte da sociedade russa (por um complexo de razões), e, ainda mais, vendo o que voce escreve aqui, não posso ficar calado quando vejo uma pessoa que, pelos vistos, não se inegrou na sociedade, a fazer declarações que voce gosta de fazer, declarações que não se baseiam no conhecimento da realidade na Rússia, mas nalgumas razões psicologicas.


P.S. Infelizmente, nem tenho tempo para ler todos os comentários por enquanto, senão participaria dum modo mais ativo na discussão.

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Já que falei do Sukhoi, veja este outro que também vai atacar o mesmo nicho de mercado. O AN-148 que é um avião ucraniano/russo.

Russia's UAC to invest $160 mln in An-148 manufacturer

Russia's United Aircraft-Making Corporation (UAC) announced on Tuesday plans to invest 5 billion rubles ($162 mln) in the modernization of aircraft maker VASO, which produces the new An-148 medium-haul plane...

...The company said earlier that five An-148 passenger aircraft would be built in 2009, 18 in 2010, 36 in 2011, and that 50 planes would be made annually from 2013 onwards...


http://en.rian.ru/business/20090728/155652300.html

Você está a ver o que isto significa em termos de dinheiro, prestigio, know-how e postos de trabalho?

Este também irá competir com a Embraer. Infelizmente para a Embraer estão a surgir novos modelos vindos de outros países que vão atacar a sua àrea de mercado. Os chineses também vêm aí.

Anónimo disse...

"Este também irá competir com a Embraer. Infelizmente para a Embraer estão a surgir novos modelos vindos de outros países que vão atacar a sua àrea de mercado. Os chineses também vêm aí."

E A EMBRAER VAI VENCER. SOMOS MELHORES.

Ítalo

Anónimo disse...

"Depois dos salários de professor universitário ter sido aumentado há um tempo, desenvolveu-se uma aiténtica luta entre os prófessores, porque agora até têm a possibilidade de ir para o estrangeiro para algum congresso, e as despesas são pagas pelo estado"

Isso é que é vontade de viver às custas do Estado!


Sociedade civil organizada que é bom, NADA!!!!!!!!!!!

PortugueseMan disse...

"E A EMBRAER VAI VENCER. SOMOS MELHORES."

Isto não é uma questão de quem vence. e também nada indica que sejam melhores ou piores.

O mercado é que ditará as regras. A única coisa garantida é que a Embraer vai ter mais concorrência e por consequência diminuição de lucros, o que é bom para quem compra, mas mau para quem já está implementado no mercado, como é o caso da Embraer.

Ygor disse...

A Embraer só tem a prejudicar Portugal. Lembrem-se que ela usa em sua maioria componentes americanos, portanto aumentará o defice comercial português.

"Belo negócio Cavaco"

PortugueseMan disse...

Ygor,

Não interessa que componentes usa a Embraer. O que interessa é que vai abrir fábricas em Portugal, o que implica investimento cá e a criação de postos de trabalho especializado. E isto numa àrea onde nós não possuimos know-how. Estamos a falar de um dos maiores construtores mundiais de aviões e vão estar cá.

É deveras positivo para Portugal.

Jest nas Wielu disse...

off top

Amanha a Moldova irá aos votos:
http://www.rferl.org/archive/
moldovavotes/latest/2331/2331.html

Jorge disse...

Por este blog eu nunca vi nada a destacar de positivo sobre a Rússia.

O Sr Dr Milhazes parece não gostar do país em que vive há 30 anos.

Para os que estão a achar que a Rússia vive crise tecnológica:

Missão cumprida: simulação de uma missão a Marte de 105 dias termina em Moscovo


16 Julho 2009
Uma tripulação de seis elementos concluiu hoje a sua simulação de uma missão a Marte depois de sair de um centro de isolamento especial em Moscovo, na Rússia, pela primeira vez em 105 dias. A sua missão faz parte do programa Mars500 que ajudará a compreender os aspectos médicos e psicológicos de um voo espacial de longa duração.

A tripulação de seis elementos inclui dois tripulantes da ESA: Oliver Knickel, um engenheiro mecânico do exército alemão, e Cyrille Fournier, um piloto de aviação francês. Os outros quatro são russos: os cosmonautas Sergei Ryazansky (comandante) e Oleg Artemyez, Alexei Baranov, médico, e Alexei Shpakov, preparador físico.

“Concluímos a nossa missão com êxito”, afirmou Oliver Knickel, participante no programa Mars500 da ESA. “É um grande feito do qual estou muito orgulhoso. Espero que os dados científicos que fornecemos ao longo dos últimos meses ajudem a tornar possível uma missão a Marte”.


Dentro do centro de isolamento no Instituto de Problemas Biomédicos (IBMP), a tripulação foi submetida a uma série de cenários, tal como se estivesse de facto a viajar para o Planeta Vermelho, incluindo o lançamento, a viagem de ida, a chegada, a transferência para e da superfície de Marte e, finalmente, a longa viagem de regresso a casa.


Ciência

Os participantes também foram submetidos a experiências científicas para avaliar os efeitos do isolamento segundo vários parâmetros psicológicos e fisiológicos.
A tripulação cultivou alguns dos seus próprios alimentos, tais como alface, rabanete e couve para complementar as refeições pré-embaladas para astronautas. Passaram os tempos livres a ler, a ver filmes, a tocar e a jogar em conjunto.


“Tivemos um extraordinário espírito de equipa ao longo dos 105 dias”, afirmou Cyrille Fournier, participante no programa Mars500 da ESA. “Viver durante tanto tempo num ambiente confinado só pode funcionar se a tripulação se der realmente bem. A tripulação é a chave crucial para o êxito da missão; isso tornou-se muito claro para mim durante estes 105 dias”.


520 dias

Simonetta Di Pippo, Directora de Voos Espaciais Tripulados da ESA, esteve presente na abertura da escotilha e saudou a tripulação à medida que esta ia saindo do módulo. "A tripulação fez um excelente trabalho", afirmou Di Pippo. "Gostaria de congratular em particular o Oliver e o Cyrille. Estou orgulhosa dos contributos pessoais e profissionais que deram para tornar esta simulação de 105 dias um êxito. Estou ansiosa pela simulação total do próximo ano, que durará 520 dias. Estes estudos, tal como muitas outras actividades que realizamos em centros análogos de exploração espacial na Terra, ajudarão a Europa a avançar na exploração humana, usando a ISS para voltar à Lua e, um dia, ir ainda mais além”.

No início de 2010 outra tripulação de seis membros será isolada na mesma câmara para experimentar uma missão completa de 520 dias a Marte. Ambos os estudos fazem parte do programa Mars500 que está a ser conduzido pela ESA e pelo seu parceiro russo IBMP.

http://www.esa.int/esaCP/SEM10K916XF_Portugal_0.html

Italo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Italo disse...

" Lembrem-se que ela usa em sua maioria componentes americanos, portanto aumentará o defice comercial português."

1.Não há nada de errado em componentes serem feitos aqui ou ali. Isso é normal. A Saab, Aeromarine, Airbus , Boeing Bombardier, Caudron, Cessna Curtiss-Wright, Dassault . TODOS trocam experiências e figurinhas, sob esse aspecto.

2. Morra de inveja, mas seremos sempre maiores, melhoraremos e estaremos entre as 5 economias do mundo em 10, 13 anos.

3. Se não querem a instalação de uma fábrica no vosso país, deveriam ter falado antes! Iríamos com muito prazer para a Espanha!!!!


4. Ou então, aproveitem e comprem aviões comerciais russos, COISAS QUE NINGUÉM NO OCIDENTE FAZ. São de péssima qualidade e vivem caindo ao pedaços... Vide os dois últimos acidentes no Irã.

Anónimo disse...

Existe alguém maluco o suficiente pra comprar esses Tupolevs caindo aos pedaços?


Eu não conheço. Aliás, conheço sim!

Estados falidos, como Irã, Afeganistão, Iraque, Síria, Coréia do Norte...


hahahahahahahhahahaha!

PortugueseMan disse...

Ou então, aproveitem e comprem aviões comerciais russos, COISAS QUE NINGUÉM NO OCIDENTE FAZ. São de péssima qualidade e vivem caindo ao pedaços... Vide os dois últimos acidentes no Irã.

Completamente errado essa noção dos aviões civis russos. Eles não são de péssima qualidade.

E os 2 acidentes no Irão não demonstram nada acerca dos aviões.

Anónimo disse...

"Completamente errado essa noção dos aviões civis russos. Eles não são de péssima qualidade.

E os 2 acidentes no Irão não demonstram nada acerca dos aviões."


PASSEM A COMPRAR DELES.

SÉRIO. Comprem aviões Tupolev...

Anónimo disse...

A Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. (Embraer) é uma fabricante de aviões para uso comercial, executivo, agrícola e militar.

É a TERCEIRA maior do mundo, atrás da Boeing e da Airbus, e uma das maiores companhias exportadoras do Brasil em termos de valor absoluto desde 1999. Detém também a maior carteira de pedidos DO MUNDO entre os fabricantes de jatos executivos.

Ricardo disse...

Respondendo a comentários.
Sou brasileiro sim e acordem!!! O Brasil ainda tem uma importância muito pequena no mundo se comparado aos outros Brics. Poder no exército brasileiro é pfio sem comparado ao da Rússia, China e India.Quanto Embraer acordem de novo, ela importa quase todas as peças dos EUA e tanto é assim que ela iria vendar vários super-tucanos a Venezuela em uma transação bilionária e os EUA simplesmente falaram NÃO e ela não pode vender. Grande vantagem essa importa quase todas as peças pra montar aqui, inferior ou superior os aviões russos não dependem de ninguém, portanto eles vendem a quem eles quiserem, sem precisar dar satisfação a ninguém. Outra coisa a criminalidade na Rússia é bem menor que a do Brasil e sabem por que? Porque na Rússia se vc aprontar vc é preso, eles possuem a 3ª maior população carceraria do MUNDO e a 2º quando se leva em conta presos por cada 100 mil habitantes, já o brasil como todos sabem é a casa da mãe joana, pode se fazer o que quiser que não acontece nada!
Sobre máfias, que curioso não é um problema só russo, segue a reportagem!


Máfia representa 6% do PIB da Itália, diz associação de comerciantes

Negócios mafiosos são a atividade mais lucrativa no país, diz relatório.
Máfias faturam R$ 364 bi por ano e têm lucro líquido de quase R$ 196 bi.
A entidade mais lucrativa da Itália é a máfia, principalmente no sul do país, com faturamento de 130 bilhões de euros (quase R$ 364 bi) por ano e lucro líquido que alcança 70 bilhões de euros (quase R$ 196 bi), diz um relatório apresentado nesta terça-feira (11) pela associação de empresas Confesercenti.

Os negócios da máfia representam, desta forma, 6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo o documento.

A máfia também controla atividades ilegais como o tráfico de drogas, de pessoas e de resíduos tóxicos, e também se infiltra em importantes segmentos do comércio: restauração, setor turístico e construção, padarias e até serviços funerários.

Da mesma forma que o sistema empresarial de cada país, as quatro grandes máfias italianas, "Cosa Nostra (da Sicília), 'ndrangheta (da Calábria), Camorra (da Campânia) e Sacra Corona Unita (da Apúlia), se subdividem em pequenas e médias empresas, autônomas entre elas, mas com um mesmo modelo hierárquico", diz o relatório.

O estudo explica, por exemplo, que na província de Nápoles, no sul da Itália, foram localizadas 2.500 padarias ilegais e que o pão destes estabelecimentos é o mais vendido, "apesar de ser mais caro que nos outros negócios".

Também foi calculado que as infiltrações mafiosas na venda de peixes, excluindo a pesca ilegal, chegam a faturar 2 bilhões de euros, com 8.500 estabelecimentos com vínculos com o crime organizado.

Anónimo disse...

Portugal e o mundo lusofono tem de ajudar o Brasil a desenvolver armas nucleares.

O brasil tem de se tornar numa super potência brevemente para acabar com esta palhaçada, sejam russos ou americanos.

pedro, porto.

Italo disse...

RICARDO, VC NÃO É BRASILEIRO.

É UM TRAIDOR E UM COMUNISTA.

PONTO FINAL.

Anónimo disse...

Ricardo, por que no te callas?

Italo disse...

"Portugal e o mundo lusofono tem de ajudar o Brasil a desenvolver armas nucleares."


Não há necessidade de armas nucleares. Elas não são a solução pra nada.

Ricardo disse...

Italo,

a guerra fria já acabou a mundo tempo, os tempos agora são outros.

Anónimo disse...

Cuidado logo à noite Italo, espreite debaixo da cama, pode lá estar um malvado comunista.

PortugueseMan disse...

SÉRIO. Comprem aviões Tupolev...

A nível de curiosidade, a DHL tem um Tupolev Tu-204 e curiosamente com motores russos.

Eu por acaso tenho muita curiosidade em saber o que a DHL acha do avião.

Um avião russo com a devida manutenção a operar numa companhia decente, voa como os outros.

Anónimo disse...

e pelos vistos não há qualquer problema em Airbus caírem inexplicavelmente

Jest nas Wielu disse...

2 amigo Ítalo

/Não há nada de errado em componentes serem feitos aqui ou ali/.

Mas como pode?!!! Só quando o Sukhoi constrói o seu super – jet em aliança com o Boeing, isso é normal, habitual e até de louvar. Quando o Embrear usa as componentes provenientes dos EUA é porque “neo – liberal” e “inimiga do povo”. Com os camaradas deste blogue é assim, não falha!

Pippo disse...

Para os que criticam os aviões russos (de má qualidade, não é?)... qual era a marca daquele avião da Air France que caiu no Atlântico?
Ah, já sei, era da Airbus! Tecnologia de topo made in Europa Ocidental. Mas caiu, não foi?

Só para vos explicar um pouco melhor, eis os acidentes mais relevantes (10 mortos ou mais) desde Janeiro deste ano:

07-FEB-2009 Embraer EMB-110P1 Bandeirante PT-SEA Manaus Aerotáxi

12-FEB-2009 DHC-8-402 Q400 N200WQ Colgan Air

09-MAR-2009 Ilyushin 76T S9-SAB Aerolift

06-APR-2009 Fokker F-27 Friendship 400M A-2703 Indonesian AF

20-MAY-2009 Lockheed C-130H Hercules A-1325 Indonesian AF

01-JUN-2009 Airbus A330-203 F-GZCP Air France

08-JUN-2009 Antonov 32 Indian AF

30-JUN-2009 Airbus A310-324 7O-ADJ Yemenia Airways

15-JUL-2009 Tupolev 154M EP-CPG Caspian Airlines

24-JUL-2009 Ilyushin 62M UP-I6208 Aria Air

fonte: http://aviation-safety.net/database/dblist.php?Year=2009


Como podem ver, em 10 acidentes, 4 envolvem aparelhos ex-soviéticos. Outros 4 envolvem aparelhos da Europa Ocidental (avançadíssima, como se vê, na indústria aeronáutica e na segurança dos seus aparelhos), e um outro acidente envolve um Embraer, do Brasil...

Da lista dos 74 acidentes, apenas 15 (QUINZE!) envolvem aeronaves ex-soviéticas. Desses, 4 envolvem Antonov 2 (aviões estreados em 1947! Nem sabia que essas velharias ainda voavam!) e mais uns quantos com An-12 (de 1957!). Dois dos acidentes foram simultâneos (choque de duas aeronaves).

Portanto, se querem dizer que os aparelhos russos são uma porcaria, olhem primeiro para as estatísticas. Se o resultado não vos for conveniente, arranjem outras desculpas. Olha, digam que a culpa, afinal, é da má manutenção. Quem sabe talvez acertem...

MSantos disse...

Pippo e PortugueseMan

Não adianta tentar convencer mesmo com evidências que a terra é redonda a alguem que está totalmente obcecado para lá da razão em que esta é quadrada.

Mesmo perante a curvatura da terra essa pessoa continuará a insistir na sua obecessão e negará a realidade.


Cumpts e não percam o vosso tempo
Manuel Santos

Pippo disse...

Eu sou casmurro, Manuel, e tento sempre insistir com a lógica e a inteligência.

Sou um optimista e acho sempre que algures há alguém com capacidade para argumentar racionalmente.

Ab,

Italo disse...

é óbvio que um avião produzido no ocidente pode cair. Lógico.


Mas os russos SEMPRE CAEM.


Por que será que no ocidente não se vê aviões comerciais russos?

PORQUE NINGUÉM É MALUCO DE COMPRAR ESSAS LATAS VELHAS ULTRAPASSADAS.

Italo disse...

Quarta, 18 de Abril de 2007, 1
O País Mais Perigoso Para Se Voar em 2006


O país mais perigoso para se voar, segundo a International Air Transport Association (IATA), foi a
Rússia. Ela tem uma média de acidentes 13 vezes maior que a média global.

CONTRA FATOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS.

Esse é um título que ninguém quer ganhar.

João Carlos disse...

Sou brasileiro, pouco comento por aqui devido aos outros brasileiros (italos e mucios) que estão envergonhando os poucos que estão comentar sério por aqui, é triste!

Não creio que a Rússia viva uma "crise tecnológica", como referido no artigo desse Blog.
O fracasso ou sucesso do Bulava é muito pequeno diante do que a Rússia já produziu-produz em relação ao setor de defesa-aeroespacial.

Há exageros negativos em relação a produção científica russa, temos que levar em consideração o periodo de crises pós-Urss, ao meu ver leva-se muito tempo para adaptar toda cultura e produção cientifica russa à nova realidade capitalista do país.

Em meados dos anos 80 a Urss gastava cerca de 20-25% do Pib em questões de Defesa, produzia-se muito para atender a Defesa do país. Todas Empresas eram Estatais, fortemente interligadas, um mercado totalmente diferente dos países ocidentais. Nos anos 90 chegaram as crises e muitos cientistas não tinham outras opções, a não ser imigrar.

Atualmente exige-se uma nova estrutura visando parcerias, novos focos destinados a atender a indústria privada nascente, devendo ser a mola propulsora econômica atendendo a oferta dos melhores cerébros.

As grandes quantidades de cientistas que este magnifico país produz (um dos maiores per capita do mundo), pode ser muito bem aproveitada.

Há uma grande oferta de cerébros e pouca demanda ainda, fazendo os salários serem baixos (fator desmotivador). A forte oferta não pode ser atendida somente por estatais. Há estratégias sendo adotada/incentivadas pelo governo russo destinadas à aviação civil, que terão efeitos positivos no futuro.

Na China, Índia, Brasil e mais alguns outros emergentes, adota-se uma política de parceria público-privada entre universidades, empresas, criação de grandes pólos tecnológicos, isenção de impostos bem antes da Rússia. Por isso eles ainda atraem mais investimentos estrangeiros e governamentais destinados a manufatura civil, evitando a fuga de cerébros (diga-se de passagem não são muitos).

Apesar de tudo que a Rússia sofreu no passado, ela é surpreendente, consegue manter-se muito bem todo o seu programa espacial, defesa-aeronautico com orçamento muito menor que o americano. Aliás os ricos e avançadíssimos americanos precisam muito dos russos. Obama com o presidente da Nasa, depois de estar na Rússia ficou ciente disso.

Há muito potencial na Rússia, as universidades estão lá, uma cultura forte, tradição e capacidades que precisam ser unidas em estratégia descentralizadora para além da indústria de defesa. Por isso não se pode dizer "não há volta mais".

Creio que algumas parcerias com empresas ocidentais como vimos recentemente a Boeing anunciando investimentos, podem dar bons alavancos na indústria civil russa. Parcerias são fundamentais para conquista de mercados.


Cumprimentos à todos.

MSantos disse...

Pippo

Compreendo perfeitamente e embora a expriência de vida me tenha tornado mais pragmático e cauteloso, no fundo também continuo a ser optimista e idealista.

Mas infelizmente há fanatismos exasperantes.

Abraço
Manuel Santos

MSantos disse...

Caro João Carlos

Pela minha parte tenho lhe a dizer que é sempre salutar dialogar com alguém que mesmo que não partilhe os nossos pontos de vista saiba respeitar e manter a conversa cordial e amistosa longe de fanatismos e radicalismos.

Focou um ponto importante.

Muita gente esquece-se dos 70 anos de comunismo/economia centralizada que a Rússia sofreu e que lhe castrou por completo a iniciativa privada e empreendedorismo. E aqui é que reside o cerne da questão. Mesmo existindo boa masssa cinzenta no povo russo, falta sempre a capacidade empreendedora privada de modo a converter ideias/tecnologias em empresas, fábricas, laboratórios etc, e como tal e embora já não se viva no comunismo, o povo russo continua a esperar pelo estado e obviamente as indútrias estatais mantêm-se as dominantes da economia em particular os sectores tradicionais como a defesa e o sector aeroespacial.

Paralelamente e devido às humilhações dos anos 90 além das tentativas de domínio completo da economia russa por várias multinacionais estrangeiras, tornaram o governo russo, que além da paranóia clássica russa relativa a tudo o que vem de fora, particularmente sensível a qualquer intervenção económica externa.

Em resumo: o governo russo não quer deixar fugir a economia para interesses externos à Rússia (independentemente de estar certo ou errado) e em contrapartida não dispõe do nível de empreendedorismo necessário no seu povo para fazer arrancar a iniciativa privada em pleno.

Mesmo nas fortunas russas, os oligarcas, na maioria, não passam de meros playboys.

Este será o grande desafio económico da Rússia.

Na minha opinião era aqui que a Europa e antigos estados soviéticos e circundantes poderiam jogar cartas, pois relativamente á Europa, a Rússia sempre procurou mais proximidade.

Se formos a ver a Rússia está sempre a tentar obter parcerias económicas com a Alemanha, Itália, França etc.

O problema surge sempre que persistem os interesses de além Atlântico e esse tem sido o principal factor de desestablização que infelizmente a Europa não conseguiu isolar.

Relativamente ao declínio tecnológico/científico da Rússia é evidente que ele existe, no entanto devido à grande tradição, infrastruturas, própria cultura científica/tecnológica intrínseca, a Rússia continua a ser uma grande potência neste domínio mantendo-se mesmo assim nos lugares cimeiros e com todas as condições de vir a dar a volta por cima

Cumpts
Manuel Santos

PortugueseMan disse...

...O país mais perigoso para se voar, segundo a International Air Transport Association (IATA), foi a
Rússia. Ela tem uma média de acidentes 13 vezes maior que a média global...


Sem dúvida que 2006, foi um ano negro para a Rússia. Mas já que você coloca essa notícia, deveria colocar algo mais: um link para a notícia e a indicação dos fabricantes dos aviões acidentados. E já agora também poderia referir se em 2007 o registo foi melhorado ou não.

E a nível de curiosidade estes dois anos (2006,2007) também não foram anos felizes para o Brasil, sendo um dos países destacados pela a IATA. Sabe quais foram os fabricantes dos aviões?

Anónimo disse...

João Carlos, vc é português.

n tente dar uma de brasileiro.

Vc é português.

agilityz disse...

portugguesemen nem devia colocar o brasil como exemplo de algo eles compra tudo de fora e monta qual ea vantagem nisso cara? parem de falar do meu pais que bosta

Anónimo disse...

"Há muito potencial na Rússia, as universidades estão lá, uma cultura forte, tradição e capacidades que precisam ser unidas em estratégia descentralizadora para além da indústria de defesa. Por isso não se pode dizer "não há volta mais"."

João Carlos

O maior problema da Rússia é a corrupçao

O professor universitário russo está a ganhar muito pouco sendo obrigado a cobrar taxas por provas analisadas
Por mais que ires bem numa prova o professor esperará um dinheiro a mais
caso não tenha dinheiro será reprovado

Isso é um facto infelizmente
Os melhores da Rússia estão a ir embora e a cultura de corrupçao está muito forte a chegar destruir parte da actual produçao cientifica do país
Já estive a ver casos em que um professor de biologia ganhava 230 euros por mês



t.braga

Anónimo disse...

Caro Manuel Santos:

Estou totalmente de acordo com o seu comentário das 00:49, o qual é, na minha opinião, sensato e pertinente.

Cumprimentos

Jorge Lopes

Anónimo disse...

A propósito das humilhações dos anos 90 sofridas pela Rússia, tive oportunidade de ler com interesse algumas análises de Joseph Stiglitz, antigo conselheiro do Presidente Clinton e ex-economista principal do Banco Mundial, professor na Universidade de Columbia (Nova Iorque)e Prémio Nobel da Economia em 2001. Deixo aqui um link de um seu artigo (infelizmente em inglês): http://www.pbs.org/wgbh/commandingheights/
shared/pdf/int_josephstiglitz.pdf

Também no seu livro "Globalização - A Grande Desilusão" (editado em Portugal pela Terramar (passe a publicidade)) ele dedica um capítulo inteiro às políticas económicas executadas na Rússia nessa década e às suas consequências nefastas para o país. O capítulo intitula-se, creio (cito de cor, pois não tenho o livro à mão) "Quem tramou a Rússia?" e vale a pena ler. Permite-nos ter uma ideia do que foram esses anos no país e, por exemplo, compreender o surgimento posterior do fenómeno Putin e a sua popularidade.

O artigo do link acima é, em parte, como que um pequeno resumo do capítulo do livro.

Jorge Lopes

Anónimo disse...

"O comunimo é a filosofia da falha, o credo da ignorância e o evangelho da inveja. Sua virtude inerente é a divisão igulitária da miséria."

CHURCHILL

J.BRASIL disse...

Tecnologia de guerra não é tão importante em sociedades democrática liberais; e em absoluto não é importante prá ninguém. Fármacos, logísticas, robótica, biotecnologia, informática, e outros, são deveras o que interessa para a melhora da qualidade de vida da população e se desenvolveram mais no regime econômica de livre empresa do que na estatização clássica comunista. Béria teria dito, ao precisar de um certo componente de sua bomba atômica, que na União Soviética tinha um fabricante de tal bem e nos EUA quatrocentos; e quarenta e três anos depois ela não seria mais uma nação.

J.BRASIL disse...

Se o Brasil quiser pode desenvolver centros de excelência em produção de inteligência bélica. Basta querer. O país arrecada em tributos U$ 600 bilhões; um terço de sua população é européia e capaz de produção intelectual qualquer que seja. Os pais brasileiros investem mais de U$ 100 bilhões anuais em ensino particular em substituição ao ensino público ridículo. Ouso dizer que o potencial brasileiro é superior ao potencial russo em qualquer atividade possível. Potencial, hein, não o ato, hoje.

agilityz disse...

Se o Brasil quiser pode desenvolver centros de excelência em produção de inteligência bélica. Basta querer. O país arrecada em tributos U$ 600 bilhões; um terço de sua população é européia e capaz de produção intelectual qualquer que seja. Os pais brasileiros investem mais de U$ 100 bilhões anuais em ensino particular em substituição ao ensino público ridículo. Ouso dizer que o potencial brasileiro é superior ao potencial russo em qualquer atividade possível. Potencial, hein, não o ato, hoje.

kakaka o brasil e um pais que pode ate se despedaçar se o estatuto da igualdade racial for aceito. cara as escolas brasileiras sao um lixo principalmente as universidades que nao tem prestigio algum. eu aposto que vc e negro e ta tentando fazer alguma vingacinha contra a russia pq eles maltrata voces la. e outra se o brasil pode tantas as coisas pq ele nao investe em biologia? tendo a amazonia. qual eo produto totalmente brasileiro que existe

e outra a crise na russia ano que vem ja sera superada

ie como eu disse se o estatuto da igualdade racial for aceito num do nem 3 anos pra sp + sul e mato grosso do sul. quererem forma uma nação longe do nordeste e cia

Pippo disse...

"Tecnologia de guerra não é tão importante em sociedades democrática liberais"

Errado. Dou exemplos:
A contrução de pontes e estradas foi desenvolvida (pelos romanos) por motivos militares;
Muito provavelmente, o desenvolvimento do estribo e da metalurgia deve muito à sua utilização bélica.
O radar foi desenvolvido por motivos militares, o mesmo com o motor a jacto;
A penicelina (e a maioria dos medicamentos que lhe sucederam) foi desenvolvida por motivos militares;
E aliás, na Medicina, os grandes avanços verificaram-se devido à guerra (Galeno foi médico de gladiadores e das Legiões, e a cirurgis registou grandes avanços na 2ª GM e no Vietname).

Poderia perder mais tempo e continuar, mas penso que isto basta.

Anónimo disse...

"um terço de sua população é européia e capaz de produção intelectual qualquer que seja. "

Que coisa ridícula.

Anónimo disse...

Esse J. BRASIL é um russo ou português se passando por brasileiro pra queimar o fime do Brasil.

Que idiota.

Anónimo disse...

Caro Jorge

Excelente o link que postaste, muito esclarecedor.

anonimato anónimo disse...

Caros amigos

Porque não falamos da crise tecnológica americana também?

Porque o ultra poderoso Eua não consegue fazer missil melhor que as versões navais do minuteman? este projecto é bem mais antigo que o Bulava. há um bom tempo para o Bulava dar certo, oras

samuel disse...

Uma palavrão russa diz "Quem não arrisca-se , ele não bebe champanha". As provas existem para provar e as vezes os resultados das provas são negativos. Como dizia mais uma palavrão dos cientistas soveticos "O resultado negativo é o resultado tambem".
Caro autor, porque todos dos seus artigos são exclusivamente negativos? Por exemplo, voce poderia traduzir este artigo http://lenta.ru/articles/2009/07/27/kopp/ sobre armamentorusso em portugues e colocar aqui. Acho que isto seria mais justamente, um artigo negativo e um positivo. Ou os seus donos não adotarem?
A proposito encontrei no internet russo as opinoes sobre a sua atividade. Dizer que as são negativas significa não dizer nada.

Com simpatia a Portugal e Brazil mas com antipatia a si da Russia

samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Caro pippo o sr. tem toda a razão e não adianta convencer alguns brasileiros, porque na verdade o nivel intelectual deixa muito a desejar.

Eu quase ousaria afirmar que quase todo o progresso tem origem na guerra ou na tentativa de a evitar, um bom exemplo disso é a internet que foi criada com fins militares.

frederico

Anónimo disse...

A Russia está estagnada por muito tempo desde o fim da CCCP.


Uma coisa é facto; A tecnológia fora do sector belicista é praticamente nula.

Estive em Moscovo e St Petersburgo em 2007, já não se via mais nada made in russia, tudo era importado o próprio povo russo estava a ter ojeriza ao fabrico nacional.

Pois até os retalhos eram importados.

Para onde irão os grandes cérebros num país que só pensa em óleo, gás e minerais?

Cpmts


Luiz Ramalho

MSantos disse...

Caro Jorge Lopes

O artigo que apresenta bem como o livro que referiu fazem parte de uma nova corrente de denúncia das políticas crimonosas das doutrinas de choque do neo-liberalismo essencialmente utilizando catástrofes, golpes de estado, convulsões etc para aplicar reformas económicas radicais de total liberalização económica, favorecendo multinacionais, grandes empresas, corporações mas devotando milhões de cidadãos À miséria, exterminando classes médias e concentrando cada vez mais as riquezas nas mãos dos poucos habituais.

Nem de prepósito, a minha actual leitura é exactamente uma tese de demonstração dos malefícios deste movimento: "A Doutrina do Choque - A ascenção do capitalismo de desastre" de Noami Klein, onde é retratada a origem na célebre "Escola de Chicago" de Milton Friedman e em como estes atacam a escola de pensamento Keynesiana que foi o fundamento dos governos livres e democráticos que regeram o Ocidente desde o pós-guerra até 1990 tendo trazido grande progresso e justiça social a estas nações.

Neste livro são desmontados os sucessivos complots dos "Chicago Boys" no seu aproveitamento de situações de choque como o caso das ditaduras sul americanas passando pelo autoritário e exclusor tatcherismo e claro, o aproveitamento da desagregação soviética e bloco de leste, tudo para promover e implementar o capitalismo selvagem a beneficiar grandes corporações em detrimento de massas laborais escravizadas e lançadas na miséria sempre com o apoio de uma comunicação social controlada dado existirem também grandes grupos neste domínio, a berrar aos 4 ventos os sucessos das corporações e indíces macro facilmente manipuláveis mas escondendo os dramas e tragédias pessoais causadas a milhões de famílias quer por escravização ou desemprego e abandono social.

É um livro que recomendo a todos, mesmo aos partidários de Friedman para porem à prova as suas convicções.

Cumpts
Manuel Santos

Jest nas Wielu disse...

Amigos, nesta discussão calorosa, convêm não esquecer, que a DURABILIDADE (questão “cai – não cai”), “anda – não anda”, não é tudo na indústria aeroespacial / automobilística.

Pippo até disse a verdade (ocultando pelo meio), os aviões / carros soviético são duros de estragar, é por isso que mesmo com a manutenção péssima os AN vão voando nas áfricas, ásias e arábias…

A questão é outra: quem escolha o Lada em vez de Toyota / Mercedes? Quem quer voar num AN, em vez de em um Embraer? A qualidade da vida conta muito e os produtos soviéticos se preocupavam muitíssimo pouco com o conforto e bem estar dos utentes.

Nota: Os aviões An(tonov) é um produto ucraniano, o bureão de construtores fica em Kyiv, na Av. Peremohy. Ler as notícias da fábrica em inglês: (http://www.antonov.com/news/index.
xml?news=antk-main/news_200712241.xml)

Anónimo disse...

Um anónimo aqui escreveu "Pois até os retalhos eram importados."

Queria replicar. Quanto as produtos eletronicas, sim tem razão. Mas talvez os brasileiros e portugueses usam cellulares, televisoes e computadores da invenção e produção propria? Ou pode ser CCCP produzia os? Não. Posso dizer as palavras iguais sobre produção dos carros. Mas quando dizer sobre outras produtos da indústria posso afirmar que os russos preferem os na segunda ordem dos paises da origem 1. Alemanha, 2. Japão 3. RUSSIA 4..... 230.China
Mas frequentamente por causa do preço esta linha parece-se 1. China 2.Russia .... 100. Alemanha e Japão
Quanto ás produtos da agricultura nos sempre preferemos os da produção propria.
Não é tudo bem na Rússia. Mas enterrar a é um erro grande.

PortugueseMan disse...

A questão é outra: quem escolha o Lada em vez de Toyota / Mercedes? Quem quer voar num AN, em vez de em um Embraer? A qualidade da vida conta muito e os produtos soviéticos se preocupavam muitíssimo pouco com o conforto e bem estar dos utentes.

Este é o maior desafio que se apresenta à Rússia, mudar mentalidades. E é isso que se está a preparar com o Sukhoi SuperJet.

Dinheiro existe, apoio do estado também, e é um avião ao estilo Ocidental e com empresas ocidentais envolvidas. É uma grande aposta e um investimento a longo prazo. Uma década é pouco para este tipo de indústria.

Yossef disse...

"Mas talvez os brasileiros e portugueses usam cellulares, televisoes e computadores da invenção e produção propria?"


No Brasil temos algumas empresas nacionais que produzem eletrônicos, posso citar o exemplo da Intelbrás, Cce, Gradiente, Itautec e algumas outras, brasileiros que são exportadoras.

Uma indústria de eletrônicos cresce muito por aqui é a Intelbrás. Produz notebooks, celulares, modens, telefones comuns e equipamentos de segurança. Exporta para America Latina e Africa

O site dela:

http://www.intelbras.com.br/pt/empresa/apresentacao.php


Ab

Wandard disse...

"Caro autor, porque todos dos seus artigos são exclusivamente negativos? Por exemplo, voce poderia traduzir este artigo http://lenta.ru/articles/2009/07/27/kopp/ sobre armamentorusso em portugues e colocar aqui. Acho que isto seria mais justamente, um artigo negativo e um positivo. Ou os seus donos não adotarem?"


Caro Samuel,

Não tinha lido esta entrevista de Carlo Kopp, está muito boa.

Agradeço por ter postado o link.

Agora, qualquer matéria que traga uma informação ou visão positiva da Rússia, vai ser difícil por aqui.

Grande abraço,

samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...

"No Brasil temos algumas empresas nacionais que produzem eletrônicos, posso citar o exemplo da Intelbrás, Cce, Gradiente, Itautec e algumas outras, brasileiros que são exportadoras".

1. Voce não reparou uma palavra na minha mensagem "invenção"
2. Tambem temos empresas deste tipo e chamamos os "fabricação de desandador". Quando a maioria das ideas e das detalhas ta comprada em China ou Korea, quem é que possa ter orgulho por elas?
A proposito, muitas empresas globais (como Microsoft) teem as laboratorias na Russia, onde cerebros russos fazem as invençoes pra elas.
Nossa problema não é inventar, nossa problema é realizar.

samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...

Ontem vi um documentário americano. Nele um homem vivia alguns dias num tribo dos canibais na Papua e Guine Nova. E ele reparou muitos aspetos positivos na vida deles.
Voces realmente acreditam que os russos são tanto esquisitos para portugues, que ele não encontrou nada positivo ali, quando americano encontrou as coisas boas entre canibais?
Porquanto este Senior frequenta a Russia, ele sem dúvida tinha que encontrar a hospitalidade russa bem conhecida (pelo menos no começo, ate que mostrar o seu modo verdadeiro).
Porque ele tem este ódio aos russos. Talvez algum russo ofendesse o? E agora ele vinga? Neste caso ele é o cliente do psicanálista e Deus é juiz pra ele.
Mas suspeito que a razão é outra! Dinheiro! Neste caso eu possa aconselhar aos portugueses enxotar o. Hoje ele deita a merda na Rússia, amanha vai fazer isto contra o seu país natal. Tudo depende do pagador.

Yossef disse...

"1. Voce não reparou uma palavra na minha mensagem "invenção"
2. Tambem temos empresas deste tipo e chamamos os "fabricação de desandador". Quando a maioria das ideas e das detalhas ta comprada em China ou Korea, quem é que possa ter orgulho por elas?
A proposito, muitas empresas globais (como Microsoft) teem as laboratorias na Russia, onde cerebros russos fazem as invençoes pra elas.
Nossa problema não é inventar, nossa problema é realizar."


Você certamente não viu o site que passei ao anónimo, há a parte de patentes e parcerias com universidades. O anónino deu a entender que portugueses e brasileiros não inventavam nada.

Portugal se não me engano tem uma fabrica de mini-notebooks com componentes e softwares nacionais, exportados para os lusofonos.

Invenção pode ser patente. Há tipos de Tvs, celulares, computadores, rádios, softwares com tecnologias diferentes uma das outras agregando outros produtos e técnicas/invenções menores.


Dependendo a região onde é produzido, pode ser mais barato importar peças ou pagar royalties à países.

Exemplo claro é a União Européia em suas diversas áreas de acordos livres, as indústrias agregam produtos e patentes de vários países do bloco, com isso todos ganham competitividade. Não é preciso ter 100% de invenção e produção própria.

Tanto no Brasil, Portugal, Rússia e outros países hão tecnologias diferentes de desenvolvimento, produção, elaboração que os fazem serem diferentes e competitivos de acordo com suas capacidades.

A China é o 2 país em produção científica e patentes mas é o país que mais compra patentes no mundo, devido a grande quantidade de empresas ocidentais por lá, apresenta um grande défice entre venda e importação de patentes, mas é compensada por grandes superavits comerciais.

A Rússia certamente tem suas marcas e patentes em áreas com muita tecnológia mas perdeu espaço diante do mundo devido aos problemas do passado e atuais.

Cumpts

J.BRASIL disse...

É lógico que a educação pública no Brasil é ridícula. Pago escolas particulares para meus filhos. Os pais - não o país! - brasileiros investem U$ 100 bilhões ao ano em educação privada; essa classe média é do tamanho da população francesa

Um terço da população brasileira é de origem européia do total nacional 185 milhões; só os estados do sul mais o estado de S. Paulo são em torno de 66 milhões de habitantes. Na sua maioria eurodescendentes. Estados como Minas, sul de Goiás, Mato Grosso do Sul, Rodônia, Mato Grosso possuem grande população branca.Seguem dados mais específicos:São Paulo população: 39.807.392 habitantes;O Rio Grande do Sul, de acordo com a Contagem da População do IBGE de 2007, apresentou uma população de 10.582.887 ;o Paraná possui 10,5 milhões de habitantes; o estado de Santa Catarina possui uma população de 5.866.487.

Quem conhece o sul do Brasil sabe o tanto que sua população é branca.

Para mim o Brasil tem a 4ª maior população branca por países; EUA, Rússia, Alemanha e Brasil. Se algum professor - aqui parece que tem muitos, visto como fui ridicularizado pelo escrito anterior - quiser apresentar outros dados, que se habilite.

Não podemos negar que por um motivo ou outro a cultura européia apresenta uma evolução sociológica superior quando comparada com outras partes do mundo. Max Weber aborda isso prá valer em seus escritos. Não estou dizendo que a civilização é estática e a África não possa um dia ser superior à Europa; mas até lá vamos nos prender no que a História apresentou.

Se o Brasil quiser!, pode desenvolver uma força de guerra tão poderosa quanto a Rússia. O país arrecada em tributos U$ 600 bilhões;ou R$ 1.200 trilhões - União, Estados, Municípios, estatais,lucros, dividendos, taxas, etc.

As modernas democracias como Japão, Canadá, da Europa Ocidental, não foram estados belicosos como a Rússia ou os EUA, aplicaram tecnologias e processos que resultaram em boa qualidade de vida aos seus habitantes. Ou alguém aqui duvida que investimento em coisas de guerras, não são investimentos ideais para o bem estar da população?

É óbvio que a guerra pode apressar algum avanço tecnológico. Mas não vemos isso absolutamente principalmente depois do sécula XX. Ferrovias,aviões, automóveis, barco a vapor, penicilina, internet, diclofenacos, viagra, genética, etc.. não são invenções exatamente originárias das guerras; podem ter sido aperfeiçoadas por elas, mas não consequência.

E o Brasil, bem mais do a Rússia, bem mais, está familiarizado com a economia de mercado embora sua esquerda ideológica, que hoje está no poder, tivesse trabalhado com tudo contra. Nem daqui 50 anos a Rússia terá um elite empresarial da qualidade da brasileira.

Obs.: Para os bonzões de zombaria: na virada do século XX a população européia do Estado de São Paulo era bem maior do que a população belga do período.

J.BRASIL disse...

É conceito no Ocidente que quem quebrou a União Soviética foi a corrida armamentista. Isso, se verdade, desmonta a teoria do grande avanço da sociedade por causa de guerras.

O Paraguai, por exemplo, depois que perdeu a Guerra para o Brasil, voltou à tribo. Dizem.

J.BRASIL disse...

O cara que escreveu isso abaixo não leu direito o que escrevi:

"cara as escolas brasileiras sao um lixo principalmente as universidades que nao tem prestigio algum"

A educação pública brasileira é ridícula. Eu disse isso. Mas a classe média brasileira é capaz de achar bos opções educacionais aos filhos.

samuel disse...

"evolução sociológica"

O que é isto?

J.BRASIL disse...

Evolução sociológica deve ser diferente de atraso sociológico. Principalmente dentro do contexto apresentado, esse de onde você tirou a ironia.

Você gostou? Posso falar sobre isso.

samuel disse...

Eu não quis exprimir ironia nenhuma (mas agora sei como fazer isso em portugues ;) )

Acho que sociologia é ciência que estuda a sociedade. Pudesse ser voce queria escrever "evolução social".
Mas neste caso tambem sua afirmação parece-me duvidoso. Suspeito que qualquer chinese disser que a sua sociedade é mais complicada e finalizado do que a sociedade europeu.

samuel disse...

Mas, no qualquer caso, obrigado pela informação interessante. E pela ponta do visto surpreendido para mim.

J.BRASIL disse...

Penso que o termo sociológico é bem mais abrangente do que social. Cultura, ciência, leis , economia não são apenas o social - embora só existam nele -, mas um complexo que pode ser explicado pela sociologia. Economia, por exemplo pode se apresentar sem a sociologia; também as leis. Então para explicar a distância da civilização africana da européia, é mais racional falar em aspectos sociológicos; o termo complexo social poderia também ser usado para o mesmo fim.

A exata explicação da idéia, tanto não pode ser conseguida por quem emite, tanto não pode ser entendida por quem recebe. O que percebemos em Ética a Nicômaco não deve ser o fim exato do autor.

Evolução sociológica é razoável e terminologia admissível e justificável.

Uso já há um bom tempo o termo dessa maneira. Vou tentar dizer mais alguma coisa depois. Mas sou um intelectual amador, como muitos outros que não estão enfurnados nos aparelhos acadêmicos formais. O que dificulta as coisa é a falta de constância na produção intelectual. Só que alma não pára e pensa por instinto, por inerência.

E aí, Samuel?-

samuel disse...

Bem. Entendi sua ideia, embora para mim é um termo inventado, porquanto no meu dicionario portugues-russo "sociologia" é a mesma coisa nas ambas idomas.
Mas seu ponto do visto ta baseada na ideia que a sua filosofia é infalível e que as ideas da ciencia e filosofia europea são um topo da filosofia moderna. Eu tambem cai nesta armadilha.
Mas tenho que confessar que alguma parte dentro de mim ta disposto a concordar consigo.

J.BRASIL disse...

Samuel esse texto abaixo é significativo:

"Ao estudarmos qualquer problema da história universal, o produto da moderna civilização européia estará sujeito à indagação sobre a que combinações de circunstâncias se pode atribuir o fato de na civilização ocidental, e só nela, terem aparecido fenômenos culturais que, como queremos crer, apresentam uma linha de desenvolvimento de significado e valor universais.

Apenas no ocidente (o autor morreu em 1920) existe uma ciência em um estágio de desenvolvimento que reconhecemos, hoje, como válido. O conhecimento empírico, as reflexões sobre o universo sobre a vida e sobre a sabedoria filosófica e teológica mais profunda não estão aqui confinados, embora no caso desta última o pleno desenvolvimento da teologia sistemática deve ser creditada ao cristianismo sob a influência do helenismo, uma vez que dela houve apenas argumentos no islamismo e em algumas poucas seitas hindus. Conhecimento de observação de grande finura sempre existiram na Índia, na China, na Babilônia e no Egito. Mas à Astronomia da Babilônia e às demais faltavam - o que torna seu desenvolvimento mais assombroso - as bases matemáticas recebidas primeiramente dos gregos. A geometria hindu não tinha provas racionais, que foram outro produto do intelecto grego, criador também da mecânica e da física. As ciências naturais da Índia, embora de todo desenvolvidas sobre a observação, careciam de método de experimentação o que foi, longe de seus albores na Antiguidade, um produto essencialmente do Renascimento, assim o moderno laboratório. A medicina, especialmente na Índia, embora altamente desenvolvida quanto às técnicas empíricas, carecia de fundamentos biológicos e, particularmente, de bioquímicos. Uma química racional tem estado ausente de todas as áreas da cultura que não a ocidental. A erudição histórica chinesa, altamente desenvolvida, não possuía o método de Tulcídes. É verdade que Maquiavel teve predecessores na Índia; mas todo o pensamento político da Índia carecia de um método sistematizado como o de Aristóteles e, de fato, de conceitos racionais. Nem todas as antecipações da Índia (Escola de Mimamsa), nem as extensas codificações, especialmente no Oriente Próximo, nem todos os livros de leis da Índia e de outros lugares possuíam formas estritamente sistemáticas de pensamento, tão essenciais a uma jurisprudência racional como a lei romana e o direito ocidental por ela influenciado. Uma estrutura como o cânone jurídico é conhecido apenas no Ocidente."

Max Weber, na introdução de sua " A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo" analisa e compara a evolução científica, filosófica,política, etc.,da Europa com o resto do mundo. Por causa dessa evolução a Europa manda até hoje no mundo; e os EUA é o maior país europeu - etnia e cultura; não geografia do mundo.

Bem entendido que a Globalização pode igualar as coisas rapidamente.

samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...

Me lembra um momento do filme "Planeta Ka-pex", infelizmente não conheço seu nome preciso em portugues. Nele um paciente do psiquiatra, começa a atacar o com as perguntas dificeis para o psiquiatra e até começa curar os outros pacientes. vendo isso o psiquiatra exclama "Hey! Aqui sou eu quem cura!" E paciente resposta "Então, porque ninguem ta curado?" E o psiquiatra se calma.

A mesma coisa com seu texto de cima, pelo menos para mim.

Anónimo disse...

J. Brasil.

o sr. ja leu os comentários da maioria dos seus conterraneos sobre questões raciais?

Se alguem aqui lamenta o facto do brasil estar a caminhar para o abismo através da mistura racial e extinção da maioria branca é logo acusado de racismo e imoral..

Sei perfeitamente que no brasil falar destes temas é crime( e dizem que o brasil é uma democracia, enfim, mais uma mentira).Os brancos brasileiros não podem aceitar esta imposição destes falsos moralistas e devem lutar contra este estado de coisas antes que seja tarde demais, brevemente será irreversivel.

Antes de mais, deixe que lhe diga que eu gosto do brasil, visto ser uma criação europeia, o brasil foi criado para ser a nova lusitania, uma nova europa e não para ser o caldeirão racial que os mentirosos afirmam que é e deve ser.

veja a diferença abismal entre o sul e norte do brasil, só esta comparação deveria ser suficiente para calar a boca dos mentirosos, mas eles encontram sempre pseudo-argumentos para arranjar desculpas para as diferenças entre regiões.

mas tambem só se engana quem quiser, actualmente a verdade está ao alcance de quem quiser ou quem tiver o espirito aberto.

O ideal humano de beleza é racialmente branco e culturalmente europeu, alguem que imagine uma sociedade perfeita no seu perfeito juizo não consegue conceber uma sociedade perfeita fora destes parametros.

Não adianta eu estar aqui a evocar arguentos ciêntificos, histórios etc, para provar que os europeus são a suprema evolução da especie humana porque haverá sempre má fé daqueles que sabem que não pertencem a este grupo ou daqueles que pertencem e são do contra por problemas de ego.

Alguns brancos mais inteligentes que a maioria são contra posições radicais dos nacionalistas brancos mas sempre admitem que os genes têm influência na sociedade, depois falam que o meio é mais relevante para a formação do individuo, para estes, tenho uma palavra a dizer, viagem para Àfrica ou Ásia e conheçam o mundo real.

Se o sr. é brasileiro, saudo-o por conseguir compreender o quão terrivel será o futuro do brasil se a população branca desaparecer.

E é mesmo notavel que o sr. consiga entender isso num país tão marcado por preconceitos sociais.

a raça branca está em vias de extinção não só no brasil mas tambem na europa que é a "terra mãe" dos europeus, tenho sérias duvidas que tal possa ser evitado, visto que no máximo os europeus que se preocupam com este problema serem 1-2% do total.

Neste blogue não encontrará pessoas que se preocupem com isso, a começar nos leitores que na maioria não percebem nada de ciência a acabar no "dono" do blogue que já foi comunista, agora é democrata(lol) e no futuro talvés se transforme em outra coisa qualquer, ele próprio já disse que tamanhos de cranios não lhe dizem nada, para ele, o centro da inteligencia humana está presente na lingua.

isto tudo são subtilezas de uma civilização(branca) que alcançou um patamar tão elevado de desenvolvimento que além de alimentar e sustentar as "minorias" ainda se dá ao luxo de abdicar da auto-estima para que as minorias não se sintam ofendidas e se possam valorizar, no meio desta paranoia colectiva, esqueceu o essencial que é preserva-se fisicamente.

ps: no brasil os brancos( através de autodeclaração) serão 54% da população de 191 milhões, cerca de 103 milhões.

genéticamente falando, um branco é um individuo que tem mais de 90% de genes europeus. Serão possivelmente 20-25%(os estudos do dr. pena que apontam para numeros menores(17%) são falacias ciêntificas porque foram feitos em estados muito misturados e politicamnete tendenciosos)

ou seja, no brasil existirão provavelmente entre 40-50 milhões de brancos com elevado grau de homogenidade.

mas mesmo que os restantes brancos tenham algum grau de mistura racial isso não os torna não europeus, na finlandia por exemplo a mistura não genética nos finlandeses é de >30% em média e nunca ouvi ninguem dizer que não são brancos.

pessoalmente e como não podia deixar de ser preocupa-me sobretudo o velho continente.

VASCO.

J.BRASIL disse...

Vasco, todo elemento étnico carrega um elemento cultural intrínseco.

A Europa teve Aristóteles - esse deve ser visto muito mais como arquétipo intelectual e representante do conjunto de mentes gregas excepcionais; embora a pessoa deva ter sido magnífica (ainda quero ter uma foto da imagem desse mago das idéias perto de mim)-, e o CRISTIANISMO. Essa conjugação misticofilosófica não aconteceu na África, nem Oceania, nem na América e nem na Ásia. Esse assunto é vastíssimo e controverso. O que pode facilitar a percepação real da qualidade dessa civilização,sãos suas eloquentes realizações testemunhadas pela História; o cara tem que ser alienado demais, muito petista, para não aceitar esse fato.

Mas ao longo do tempo as civilizações não permaneceram estáticas. É corrente dizer que enquanto os egípcios viviam uma cultura diferenciada a Europa ainda era selvagem. E a China vivia também coisas bem superiores; e a Índia. Certamente, bem depois, a "Europa" poderá ser em outro tipo racial. O Japão é um exemplo dessa possibilidade e deve ter valores civilizatórios comuns aos europeus; pois é: BUDA NÃO DORMIU!

Para mim o principal de todos os motivos da gloriosidade da Europa foi JESUS CRISTO DE NAZARÉ! Como se ele tivesse roubado o fogo DIVINO e escapado ileso - a doutrina pentecostal é mais ou menos por aí. O impulso de sua religião foi capaz produzir indivíduos superiores sociológicamente à mediania comum no planeta - o todo social é feito por partes, pelo indivíduo. A demora em vingar uma filosofia racional, independente da Dogmática, leva-nos a questionar sua didática. Mas no fim ela ficou por cima e ajudou a cimentar um sistema jurídico originalíssimo, carregado de valores manifestos na sua religião.

samuel disse...

J.BRASIL

Se voce tem menos do que 25 anos, então meus cumprimentos. Voce criou uma sistema bem complicada na sua mente.
Se tem entre 25 e 35 anos posso oferecer a prestar mais atenção a a vida atual. Puder encontrar alguns desmentidos.
Se tem mais, então as minhas condolências.

J.BRASIL disse...

Falar de religião é difícil, mas nela não apenas acredito, ela eu "
a sei". Cada um tem sua experiência de vida e partes dela são tão claras na lembrança e no comportamento, que seria inadimíssivel sua negação, do mesmo jeito que é impossível negar a dor do próprio corpo.

Creio que o grande avanço da humanidade ocorreu porque valores da teologia cristã - é óbvio que influenciada pela filosofia grega; São Paulo colocou a ética de Aristótele nas suas Cartas-
tomou forma em leis, processos, comportamentos. É claro que avanço também ocorreu no Japão xintobudista, o que serve apenas para reforçar a força da qualidade da religião nos processo sociopolíticos que forjaram estados civilizatórios superiores.
. É bom lembrarmos que o fim da religião é a educação do indivíduo para a evolução de sua consciência.No Japão ela cumpriu sua parte criando uma sociedade cumpridora de seus deveres, disciplinada, esforçada. Aqui no Brasil tive a oportunidade de conhecer imigrantes japoneses de perto. Tive amigos japoneses, namorada japonesa, e posso afirma que é um povo espetacular - o Brasil teria 1,500 milhões de descendentes.

Quando os processos evolutivos determinantes se apresentaram - máquina a vapor, sistema financeiro com grande oferta de metais, regime jurídico, etc..- a massa de indivíduos estava disciplinada pelo grande avanço religioso conseguido na Reforma e dirigida por empresários, políticos e intelectuais, participaram com tudo na formação da nova sociedade. Isso principalmente a partir do que conhecemos como Revolução Industrial.

Isso não é estranho ao mercado editorial pois Max Weber disse tal analisando a Reforma Protestante, etc. Na minha mística esse conceito faz parte.

Não é fácil apresentar conceitos dessa natureza. É complicadíssimo. Mas o que escandalizou o amigo foi eu citar o nome de JESUS. Foi?

Anónimo disse...

Para onde irão os grandes cérebros num país que só pensa em óleo, gás e minerais?

Anónimo disse...

A Rússia quer enviar uma sonda por lá até 2012?

Que grande crise tecnológica...


PRA UM PAÍS QUE NÃO CONSEGUE MONTAR NEM UM COMPUTADOR...É UM AVANÇO

Anónimo disse...

"cara as escolas brasileiras sao um lixo principalmente as universidades que nao tem prestigio algum"

A escola pública é um lixo. Mas existem escolas privadas grandiosas, rigorosas e prestigiosas.

As universidades brasileiras , mesmo com td deficiência que as caracteriza , estão acima da maioria das russas.

A USP, por exemplo, está acima da de Moscou nos rankings internacionais.

Anónimo disse...

A Universidade de São Paulo (USP) é uma das mais importantes instituições brasileiras de ensino superior, exercendo atividades de ensino, pesquisa e extensão universitária em todas as áreas do conhecimento. A USP está posicionada entre as maiores universidades do Brasil: é a sexta maior universidade brasileira em número de alunos, sendo a maior entre as públicas. Contribuindo com cerca de 25% da produção científica brasileira, recentemente foi eleita como a 94ª melhor universidade do mundo e a melhor universidade da América Latina, deixando em segundo lugar no subcontinente a Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM). O ranking da Webometrics classificou a USP como sendo a 38ªa melhor universidade do mundo ;

Anónimo disse...

mas isso com as cotas raciais vai acabar.

Anónimo disse...

"mas isso com as cotas raciais vai acabar."

A lei de cotas não foi aprovada. É utilizada por algumas universidades, autonomamente, mas ainda não é lei.

E ela não vai passar.


De qualquer forma as cotas há 40 anos são utilizadas nos EUA e os EUA têm 80 das 100 melhores universidades do mundo;


Sou contra as cotas "raciais"(até porque raça não existe);

Sou a favor de cotas sociais, para pessoas realmeente pobres.

Anónimo disse...

"Se alguem aqui lamenta o facto do brasil estar a caminhar para o abismo através da mistura racial e extinção da maioria branca é logo acusado de racismo e imoral.."


A esmagadora maioria dos brasileiros já é misturada. Mesmo que tenha olhos azuis ou seja loiro. ( a exceção são locais muito isolados no sul, os quilombolas e os índios na amazônia, lógico)

E, sim, É CRIME SIM, E SE VC VOMITA ESSAS BARBARIDADES POR AQUI, É CADEIA NA CERTA.


Um povo misturado com mouros e judeus querendo dar lições de "raça"?




Como diz o Múcio, é uma piada mesmo.

Anónimo disse...

e porque aparece anónimo, Italo?

J.BRASIL disse...

Todo elemento étnico carrega um elemento ético e cultural. O que pode melhorar tudo é um sistema educacional público de qualidade que prepare bem o indivíduo intelectual e moralmente. Tomando como parâmetro Japão ou Europa Ocidental, visto a qualidade de suas sociedades em relação à outras, a possibilidade de uma boa educação que permita o indivíduo viver em sociedade com comportamento aceitável é factível.

Se o conjunto social foi eticamente fraco demais é mais fácil a barbárie. Esse é o caso de muita regiões africanas. Embora tenha tido avô materno mulato - claro, mas mulato; minha avó materna já era bem branca - que revela minha origem , não tenho simpatias por nada que venha de lá. Sou muito mais o piano do que berimbau. O ideal para o Brasil é que busquemos ao máximo os valores intelectuais europeus.

Só sei que sou índio, sou branco e sou negro. Só que minha alma é européia e fui criado numa variante religiosa Luterana, conhecida aqui como Presbiterianismo.

Questões raciais no Brasil foram destacadas nas últimas décadas como propaganda da esquerdinha próCuba ou prósoviética, como instrumento para estabelecer insatisfação social, que foi praxe em suas tentativas na busca do poder político mundo afora.

Esse despreparado do Lula, notório bebunzaço, teve a coragem de fazer apelo racial em horário de programa eleitoral, levantando uma menina moreninha em frente as câmeras de seu merchandising de demagogo barato. Foi o único dos candidatos a presidente a usar tal expediente - embora a esquerda tivesse a negritude como uma das bandeiras ideológicas - na história da política brasileira.

Mas quem efetivou essa ridícula cota racial na Universidade Pública foi Fernando Henrique. Um dos seus erros nunca abordado devidamente pela inteligência nacional, que o rifa pelas privatizões, pelo Proer, etc., logo aonde ele acertou prá valer.

Anónimo disse...

Anonimo das 19:55,

Mas Portugal ja deu a receita para feijoada ao Brasil. Armas nucleares para que?

Ainda ontem na tv americana, num programa chamado "Mad Money" de um certo senhor de nome Jim Cramer, houve um especial sobre o Brasil que eu vi atentivamente. Ele disse que o real esta a valorizar contra o dollar, que as companhias de electricidade no Brasil sao muito boas em se investir e disse que o Brasil, como um pais em desenvolvimento rapido merece mais atencao dos investidores. Alias o que ele disse foi que investir no Brasil e melhor que investir nos EUA porque no Brasil ate as companhias maioritariamente publicas (pertencentes ao Estado) rendem muito mais.
E o que for bom para o Brasil, e bom para Portugal, ja que os dois paises tem boas relacoes comerciais.
Resumindo, a melhor arma que o Brasil tem e o seu poder economico.

Quanto a crise tecnologica russa, isso e o resultado de um imperio que foi grande demais, com uma grande atencao no poder militar. Os motores dos avioes russos sao muito mais dificeis de manter, e a frota e muito mais velha. Existem muitas razoes para que hajam acidentes aereos: desde questoes mecanicas, manutencao, cansaco dos pilotos que sao obrigados a trabalhar muitas horas, sistemas electricos (novos ou velhos), razoes climaticas, idade do aparelho, etc. Nao sao razoes unicas aos russos. Acho que internacionalmente deve-se apoiar os pilotos russos, e ate o pessoal nos aeroportos russos. Viagems internacionais sao extremamente comuns, como o Sr. Milhazes sabe de experiencia. O numero de cidadaos estrangeiros e nacionais que viajam a volta do mundo merecem seguranca. A Russia e as suas ex-colonias, perdao, as suas antigas republicas, abrangem territorios imensos, sendo mais facil e veloz atravessar de aviao do que de comboio. Somente a area que os avioes tem de cobrir contribui para o envelhecimento precoce de qualquer aparelho.
Eu vejo uma grande oportunidade para negocio.

samuel disse...

"Questões raciais no Brasil foram destacadas nas últimas décadas como propaganda da esquerdinha próCuba ou prósoviética, como instrumento para estabelecer insatisfação social, que foi praxe em suas tentativas na busca do poder político mundo afora."

Esta é a coisa a mais esquisita dos ultimos tempos eu ouvi!
Ninguem, incluindo os propagandistas russos, pode inventar a coisa que não existe na sua cabeça! As cotas raciais dos EU era uma das coisas a mais estranhas para russos quando cairam os obstaculos para visitar EU. E até hoje é a tema nos foruns de internet russo para discutir e brincar quando dizem sobre EU.
Voce há de acusar seus dirgintes da educação quais (como as vezes nossos tambem)rezam aos EU.

samuel disse...

"A USP, por exemplo, está acima da de Moscou nos rankings internacionais."

Não tenho os dados para comparar. Não posso dizer nada sobre o nivel dos Universidades brasileiros. Mas citando os ratings internacionais não se esquese qeum é que os manda.
USSR tendo as cientistas dos melhores no mundo quase não obtenha o premio Nobel. Os documentos dos nossos universidsades daquele tempo não eram considerados no Ocidente.
E hoje a situação não mudou muito. Particularmente com ajoda dos diferentes Milhazes.

samuel disse...

desculpem-me, correcçoes:
"A USP, por exemplo, está acima da de Moscou nos rankings internacionais."

Não tenho os dados para comparar. Não posso dizer nada sobre o nivel dos Universidades brasileiros. Mas citando os ratings internacionais não se esquese qeum é que os manda.
USSR tendo as cientistas dos melhores no mundo quase não obtiveram o premio do Nobel. Os documentos dos nossos universidsades daquele tempo não eram considerados no Ocidente.
E hoje a situação não se mudou muito. Particularmente com ajuda dos diferentes Milhazes.

J.BRASIL disse...

Não disse que a União Soviética elaborou itens da propaganda esquerdista no Brasil; disse: "
que a esquerda próCuba e prósoviética".Ao longo do tempo a esquerda brasileira sempre foi ligada a URSS; Prestes foi assalariado de Stálin. Depois a filial, Cuba, tomou mais espaço.

Questões raciais foram incluídos na propaganda esquerdista brasileira para tentar gerar insatisfação popular, ou criar motivos ideológicos que favorecessem uma possível tomada do poder pela esquerda, que por natureza,sempre foi conspiradora e golpista.

Não é tão difícil entender o que foi escrito.