quinta-feira, julho 16, 2009

Mais um crime hediondo contra os direitos humanos

Um dos leitores do blog teve a gentileza de publicar esta tradução como comentário, mas eu publica como post dada a sua importância. Os comentários serão feitos no fim

"Activista assassinada na Rússia No dia 15 de Julho, às 8h00, junto ao seu apartamento em Grozny (Chechénia), foi raptada a jornalista e activista dos direitos humanos, colaboradora da sociedade “Memorial” chechena, Sra. Natália Estemirova. Natália Estemirova era a última voz incómoda da Chechénia, ela era famosa pela sua crítica do poder local. Nomeadamente, as suas denúncias mais recentes eram sobre a onda de raptos que se iniciou após o decretado fim da “operação antiterrorista” na república. Desde o Janeiro de 2009 na Chechénia foram raptadas cerca de 50 activistas dos direitos humanos.No mesmo dia, às 16h30 soube-se que Natália Estimirova foi assassinada, o seu corpo baleado foi encontrado nos arredores da aldeia Gazi – Yurt em Ingushétia. Hoje, dia 16 de Julho no centro de Moscovo no Parque Novo – Pushkin (estação do metro “Pushkinskaya”) das 17h30 às 19h00 será realizado um piquete em memória da activista assassinada.Natália Estemirova foi a primeira pessoa condecorada com o prémio Anna Politkovskaya (2007), ela também foi vencedora do Prémio do Parlamento da Suécia “Direito à Existência” (2004). Em 2005 foi condecorada pelo Parlamento Europeu com a medalha Robert Schumann".

Pouco há a acrescentar a esta notícia, a não ser repetir que os dirigentes da Tchetchénia e da Rússia condenam o crime e prometem descobrir os autores de mais este crime.

Mas, como tem acontecido até agora, os organizadores e autores deste tipo de crimes não são detidos, julgados e condenados. Por isso, fica sempre uma suspeita no ar que em nada dignifica os dirigentes da Tchetchénia e da Rússia.

117 comentários:

Jest nas Wielu disse...

Pois é.
Paz a sua alma.

Gostaria da saber quantos bravos terão hoje a coragem de participar no piquete.

Jose Milhazes disse...

Caro Jest, infelizmente, não deverão ser muitos.

Jest nas Wielu disse...

Mais uma vez, é uma triste verdade. Espero alguma novidade aqui:
http://olegpanfilov2.livejournal.com

anónimo russo disse...

Como se ela não soubesse, onde trabalhava (parece, pelo sobrenome, que até era tchetchena). Quer ela estivesse de um lado ou de outro, sempre tinha chances de terminar assim. Pelo que eu entendo, na tchetchenia as disputas muito facilmente se resolvem com um rapto, uma faca nas costas ou uma bala na cabeça, e não importa a que campo voce pertence. São a mentalidade e os costumes locais. Não sei se foi dito neste blog, mas, recentemente, o presidente da Inguschétia, que tentava fazer refófmas, que trabalhava para melhorar a situação, ficou gravemente ferido num atentado contra ele, e até agora se encontra num hospital de Moscovo. O atentado foi organizado, pelo que se entende, pelos radicais islamicos.
O caso dessa defensóra de direitos humanos mostra não a "mão sangrenta" do Kremlin, mas, antes, a fraqueza do poder central. Porque é um mito, espalhado pelos jornalistas ocidentais, a onipoténcia do poder federal na Rússia. Sim, conseguiram tirar o pais do caos dos anos 90, mas ainda há muitos problemas para resolver: a produção ilícita do álcool, a área dos jogos de azar (ou como lá se chama isso corretamente) etc.

Anónimo disse...

Isto é um absurdo. O governo russo seria o último interessado em que isto acontecesse.

Podem ser maus mas não são estúpidos.

Uma activista assassinada causa muito mais prejuízo ao Kremlin do que viva e a fazer barulho pois já ninguém liga.

lol disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Caro Jest nas Wielu
Deverias estar preocupado com a vossa Ucrania que não está numa situação nada boa.


KIEV, Ucrânia, 16 Julho - 2009 - O Banco Mundial (Bird) anunciou nesta quinta-feira uma previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) da Ucrânia para 2009 de 15%, com uma lenta recuperação no próximo ano com crescimento de 1%.

No primeiro trimestre, o PIB do país desabou 20,3%, recorda a instituição. A Ucrânia, antiga república soviética de 46 milhões de habitantes, é um dos países mais afectados pela crise económica mundial.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 16:51

1. Se Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento disse isso, então a coisa é séria, sem dúvida.
2. PIB caiu em 2009 e crescerá em 2010, boas notícias, nem tudo está perdido.
3. Tudo isso sem possuirmos nem petróleo, nem o gás para a exportação.
4. Hoje encontrei na Net um simpático partido anticomunista de Moldova, agora ando averiguar se o seu líder é da origem ucraniana: http://www.ae.md

Anónimo disse...

lol
religiões africanas? que é isso?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Vasco disse...

Oh Sr. anónimo....em que medida é que a Ucrânia tem que estar agradecida à Rússia?

anónimo russo disse...

Vasco disse...
Oh Sr. anónimo....em que medida é que a Ucrânia tem que estar agradecida à Rússia?

Quero dizer, que nem todos os ucranianos são como esse Jest. E, no fundo, o povo ucraniano é irmão-gémeo do povo russo, (não só no fundo, mas geneticamente tambem). Se fizermos uma análise genetica, eu, por exemplo, não sei a que povo vou pertencer. Mas se alguem está contra o povo russo neste momento, está contra mim.

Embora, claro, eu saiba mais da Ucránia que a esmagadora maioria dos lusófonos, não vou tomar a responsabilidade de explicar aos outros o que não conheço suficientemente bem. Não quero ser semelhante a uns idiotas.
Resumindo, não vivo na Ucrânia, e por isso, não acho que tenha direito de "explicar" alguma coisa.

Vasco disse...

Acho que disse tudo com a "análise genética" caro anónimo :)

Não me diga que os portugueses também são "irmãos-gémeos" da malta aqui do lado!?

E claro que tem toda a razão quando diz que não vivendo na Ucrânia não tenha que "explicar" seja o que fôr. No entanto visto que escreveu com tanta assertividade,esperava que nos pudesse...talvez elucidar, afinal... que grande divida de gratidão é essa.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 23:35

Continua por favor deste jeito e receberão muita gratidão nossa em troca.
Já agora, a Batalha do Konotop é um óptimo exemplo da irmandade dos nossos “povos – gémeos”.
http://en.wikipedia.org/wiki/Battle_of_Konotop

Anónimo disse...

Pelo Wielu a Ucrânia tem de combater a Rússia por causa dum acontecimento de há 400 anos atrás.

Os relacionamentos de hoje, casamentos, famílias conjuntas, amizades, consanguinidade, culturas próximas não são nada perante este facto.

Graças aos Wielus, na Palestina ainda hoje povos irmãos se matam por causa de acontecimentos de há 2000 anos atrás.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 11:20

A Ucrânia não terá nenhuma necessidade de defender a sua Independência e Soberania, caso senhores soubessem respeita-las de maneira genuína. Por exemplo, a Polónia respeita nós (apesar dos conflitos do passado) e hoje, de facto, somos países – irmãos. Já V. Excias ainda andam com os discursos do “irmão mais velho” que anda “se levantar do chão”, dai a vossa incapacidade de viver em paz com os vizinhos, por causa do mal resolvido complexo da superioridade. Até conseguiram enfurecer o “papá” Lukashenka, é precisa ter muita força de vontade.

Jest nas Wielu disse...

Os intelectuais e políticos da Europa do Leste, expressaram essa mesma vizão na carta endereçada ao Barack Obama:

Líderes europeus escrevem ao Obama

O jornal polaco Gazeta Wyborcza publica a carta dos intelectuais europeus ao presidente norte – americano Barack Obama. A carta foi assinada pelo Valdas Adamkus, Vaclav Havel, Alexander Kwasniewski, Mart Laar, Vaira Vike-Freiberga, Lech Walesa, entre outros.

Eis um trecho da carta:

E obviamente, fica a questão de como lidar com a Rússia. As nossas esperanças do que o nosso relacionamento com a Rússia possa melhorar, e Moscovo, finalmente irá plenamente reconhecer a nossa soberania e independência, após a nossa entrada no NATO e EU, não se concretizaram. Em vez disso, a Rússia retorna ao papel do Estado, que pretende mudar o status – quo, e tenta praticar a agenda do século XIX com o auxílio das tácticas e métodos do século XXI. Ao nível global, na maioria das questões a Rússia tornou-se na potência do status – quo. Mas ao nível regional e ao nível de relacionamento com as nossas nações, (a Rússia) mais e mais aja como uma potência revisionista. Ela (a Rússia) desafia o nosso conhecimento da nossa própria experiência histórica. Ela afirma que tem a posição privilegiada para determinar as nossas escolhas da segurança. Ela usa as ferramentas abertas e clandestinas na guerra económica, desde o bloqueio energético e os investimentos financeiros politicamente motivados, até os subornos e manipulações nos media para avançar os seus interesses ou desafiar a orientação transatlântica da Europa Central e do Leste.

Assinado:

Valdas Adamkus, ex – Presidente da Lituânia
Martin Butora, ex – Embaixador da Eslováquia nos EUA
Emil Constantinescu, ex – Presidente da Roménia
Pavol Demes, ex – Ministro dos Negócios Estrangeiros, Conselheiro do Presidente Eslováquia
Lubos Dobrovsky, ex – Ministro da Defesa da república Checa
Matyas Eorsi, ex- Secretário do Estado da Hungria
Istvan Gyarmati, embaixador, presidente do Centro Internacional das Reformas Democráticas em Budapeste
Vaclav Havel, ex – Presidente da República Checa
Alexander Kwasniewski, ex – Presidente da Polónia
Mart Laar, ex – Primeiro – Ministro da Estónia
Vaira Vike-Freiberga, ex – Presidenta da Letónia
Lech Walensa, ex – presidente da Polónia

Ler o texto integral da carta em inglês:
http://wyborcza.pl/1,75248,6825987,An_Open_Letter_to_the_Obama_Administration_from_Central.html

Jest nas Wielu disse...

Ler o texto integral da carta em inglês:
http://wyborcza.pl/1,75248,6825987,
An_Open_Letter_to_the_Obama_
Administration_from_Central.html

Anónimo disse...

que carta ridícula
nela podemos ver que só existem politicos conservadores anti-russia

Anónimo disse...

Valdas Adamkus, ex – Presidente da Lituânia
Martin Butora, ex – Embaixador da Eslováquia nos EUA
Emil Constantinescu, ex – Presidente da Roménia
Pavol Demes, ex – Ministro dos Negócios Estrangeiros, Conselheiro do Presidente Eslováquia
Lubos Dobrovsky, ex – Ministro da Defesa da república Checa
Matyas Eorsi, ex- Secretário do Estado da Hungria
Istvan Gyarmati, embaixador, presidente do Centro Internacional das Reformas Democráticas em Budapeste
Vaclav Havel, ex – Presidente da República Checa
Alexander Kwasniewski, ex – Presidente da Polónia
Mart Laar, ex – Primeiro – Ministro da Estónia
Vaira Vike-Freiberga, ex – Presidenta da Letónia
Lech Walensa, ex – presidente da Polónia


Só falta o lacaio Durão Barroso

Anónimo disse...

An_Open_Letter_to_the_Obama_
Administration_from_Central

Um grito dos lacaios do neoliberalismo e globalização selvagem

Tomara que Obama venha a enterrar esta ideologia pérfida

Jest nas Wielu disse...

aos adoradores da ru, pu, medved:

Bem, convosco é tudo muito símples, quem não é amigo do Kremlin é "lacaio imperialista", quem é pro-Kremlin é a "comunidade mundial progressista".

URSS, anos 70...

Anónimo disse...

A Rússia sonha com a Ucrânia sendo parte de seu império novamente.

JAMAIS ISSO ACONTECERÁ.

A Ucrânia é e sempre será independente. No futuro, como parte da UE, e depois da OTAN.

Os putinistas e fanáticos que aqui esperneiam podem dar chiliques à vontade, mas a Ucrânia é parte do ocidente cada vez mais. E não voltará atrás.

ÍTALO

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

errata

Yuschenko

Yan disse...

por que a maioria dos vizinhos da Rússia, não a suportam? Por que antigos aliados russos como a Sérvia estão cada vez mais se voltando para a UE? Até a Belarus está iniciando conversas com a UE? Por que será, se tudo é bom lá na Rússia?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Zortea disse...

Esquerdistas, escolham melhor quem admirar. Na Rússia reina um capitalismo mais selvagem que dos EUA ou de qualquer país da UE.
Defender o sistema russo é defender um capitalismo oligarca selvagem, vocês querem isso?

Anónimo disse...

A Rússia, se não fosse o seu petróleo e gás, estaria na miséria hoje. Porque assim fica fácil enriquecer, ganharam tudo da natureza...quero ver é fazer riqueza sem recursos naturais como o Japão fez...

Lurdes disse...

Que se engane. O sistema político-sócio-econômico russo foge em muito do capitalismo. Ele está muito mais próximo do socialismo humanitário do que do capitalismo neoliberal dos EUA e Europa. Muitos estudiosos defendem que o sistema russo é o mais justo e humano que temos como exemplo no mundo.

Jr Alves disse...

Podemos notar claramente que tanto o governo como os grupos separatistas/criminosos estão a violar os direitos humanos,é facto, seja quem for os defensores estarão em perigo na Rússia!
A falta de democracia abre espaços para violações,pois não permite que a realidade esteja a par de todos!

Paz à Tchetchénia!

Anónimo disse...

"Muitos estudiosos defendem que o sistema russo é o mais justo e humano que temos como exemplo no mundo."


QUAIS?


NÃO VALEM OS PUTINISTAS E ADULADORES DAS MÁFIAS.

ÍTALO

Jest nas Wielu disse...

Bem, já que começamos falar do sistema económico russo, aproveito para concordar com Zortea e Ítalo. De facto, capitalismo praticado na Rússia hoje é um capitalismo muito mais selvagem, do que nos EUA / EU. É semelhante ao chinês, indonésio, etc.

1. Por exemplo, é muito habitual, que quando os trabalhadores de um determinada fábrica, propriedade do Estado / grandes capitalistas russos pretendem entrar em greve (fazer qualquer outra reivindicação laboral), o patronato recorre aos … bandidos, contrata algum grupo da máfia para bater nos grevistas, os ameaçar, para dispersar um piquete, vandalizar a sede laboral, etc.
2. Nos anos do da presidência do Boris Yeltsin, alguns patrões russos, distribuíram uma certa percentagem das acções pelos seus empregados, para motiva-los a trabalhar melhor, sentir que a fábrica é sua, etc, coisas habituais do capitalismo moderno (motivação em vez de coerção, Peter Drucker, etc.). Outra vez, nos últimos anos, várias vezes os novos patrões da época do Putin, recorreram aos brutamontes da máfia para obrigar os trabalhadores a vender os seus acções ao novo patronato.
3. Hoje em dia, apenas os trabalhadores das fábricas que pertencem ao capital estrangeiro (multinacionais dos EUA, EU, Japão) sentem-se protegidos. Eles exercem livremente o seu direito à greve (sempre em coordenação com os sindicatos homólogos nos países Ocidentais), eles sabem que a empresa – mãe não vai usar os métodos coercivos criminosos (não pela piedade, mas porque não quer perder a sua face no mundo Ocidental) e por ai em diante.

Por isso, quando vejo na RTP(i) um Miguel Portas defender a Rússia, afirmando algo “ainda bem que eles fizeram essa e aquela barbaridade”, começo pensar que as coisas não se passam desta maneira apenas por obra de “solidariedade”. Se calhar, o bloco do leste, digo da esquerda, começou receber alguns subsídios financeiros, desta vez provenientes do Moscovo. Enfim, a secreta portuguesa não perdia nada em investigar, pois no passado o UDP / PSR recebiam os subsídios da Tirana / Pequim, etc.

Jest nas Wielu disse...

Rádio “Eco de Moscovo” sobre o assassinato da Natália Estimirova:

http://www.moskva.fm/stations/
FM_91.2/programs/полный_альбац/
2009-07-19_20:15:05

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...


"Bem, já que começamos falar do sistema económico russo, aproveito para concordar com Zortea e Ítalo. De facto, capitalismo praticado na Rússia hoje é um capitalismo muito mais selvagem, do que nos EUA / EU. É semelhante ao chinês, indonésio, etc.

1. Por exemplo, é muito habitual, que quando os trabalhadores de um determinada fábrica, propriedade do Estado / grandes capitalistas russos pretendem entrar em greve (fazer qualquer outra reivindicação laboral), o patronato recorre aos … bandidos, contrata algum grupo da máfia para bater nos grevistas, os ameaçar, para dispersar um piquete, vandalizar a sede laboral, etc."


Ò, vuika. Quando é que pela última vez estiveste na Rússia? Não confundas lusófonos. Eu sou micro-empresário, daqueles que na primeira metade dos 90 sofriam de chantagens do crime organizado, etc. Como construí o meu negócio já nos anos 2000, digo, que nunca me deparei com nenhumas "máfias". Nunca ouvi das coisas de que escreveste (sobre as greves e os trabalhadores, embora, não excluo, nos anos 90 algo semelhante podia acontecer, mas eu não sei).

Tu és um ucraniano ocidental. Uns parentes meus estiveram há pouco na ucránia de leste. Não ouvi nenhuma palavra má deles do povo de lá. Tu és um psicopata.

anónimo russo disse...

Yan disse...
por que a maioria dos vizinhos da Rússia, não a suportam? Por que antigos aliados russos como a Sérvia estão cada vez mais se voltando para a UE? Até a Belarus está iniciando conversas com a UE? Por que será, se tudo é bom lá na Rússia?"


E porque será que, segundo estatisticas, as comunidades, residentes na Rússia que mais dinheiro enviam para os seus paises, são exatamente ucranianos e georgianos (não tenho certeza que os georgianos estejam no segundo lugar, mas estão num dos primeiros)? E os seus governantes atuais, que recebem salário nos Estados Unidos, claro que lutam pela separação.

anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
an´ disse...

Anónimo disse...
A Rússia, se não fosse o seu petróleo e gás, estaria na miséria hoje. Porque assim fica fácil enriquecer, ganharam tudo da natureza...quero ver é fazer riqueza sem recursos naturais como o Japão fez..."

O petróleo , gas e outros recursos minerais constituem apenas 10% do PIB Rússo. Claro que ainda somos um pais sub-desenvolvido e precisamos de diversificar mais a nossa economía, mas, se tudo for bem um dia vamos ser um desenvolvido. Temos uns setóres de produção, onde podemos fazer concorrencia à qualquer um. Por exemplo, eu ouço e vejo diariamente da minha janela os helicopteros (militares e civis) que fazem vòos de controlo (não sei como se chama isso corretamente) de uma das maiores fábricas do nosso pais (se não a maior), que fica situada na minha cidade. Esses helicópteros tambem vão para a America Latína.

Anónimo disse...

anónimo russo, eu queria dizer.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo 11:20

A Ucrânia não terá nenhuma necessidade de defender a sua Independência e Soberania, caso senhores soubessem respeita-las de maneira genuína. Por exemplo, a Polónia respeita nós (apesar dos conflitos do passado) e hoje, de facto, somos países – irmãos.
"
Nós não somos os países-irmãos, nós somos povos-irmãos.

Realmente, voces, da Ucránia ocidental, talvez se possam chamar dos irmãos dos polacos (embora eles vos tivessem chamado frequentemente de "bidlo" (gado) no passado. Mas não sou um especialista, não vou afirmar.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"A Rússia sonha com a Ucrânia sendo parte de seu império novamente.

JAMAIS ISSO ACONTECERÁ.

A Ucrânia é e sempre será independente. No futuro, como parte da UE, e depois da OTAN.

Os putinistas e fanáticos que aqui esperneiam podem dar chiliques à vontade, mas a Ucrânia é parte do ocidente cada vez mais. E não voltará atrás.

ÍTALO"


Mais um "especialista" na Rússia e na Ucránia. Realmente, não possso levar a sério comentários de tais indivíduos, que nem na Rússia sairam uma vez sequer da cidade onde estudam há um par de anos, já sem falar da Ucránia.
Confesso que ssse tipo de personagens radicais dos brasileiros só ví pela primeira vez neste blog, auqeles que conheci fora deste, eram pessoas normais.

Anónimo disse...

O capitalismo está a fracassar na Rússia.
O oléo e gás movem a economia, quando estão a ir mal o país todo vai mal.

Russian car sales fall 56% in June

Automotive News Europe
July 8, 2009 14:46 CET

MOSCOW (Reuters) -- Russian car sales shrank 56 percent year-on-year in June, but the pace of contraction moderated slightly from the 58 percent slump seen the previous month, the Association of European Businesses said on Wednesday.



In the first half of 2009, sales of new cars fell 49 percent to 763,926 units as consumers tightened their belts in the face of job losses and salary cuts during Russia's first recession in a decade.

Banks' unwillingness to give out loans has also weighed on sales.

The decline in Russian car sales contrasted with car sales in India, were volume rose for the fifth consecutive month in June, according to data released on Wednesday.

Europeans see small declines

Volkswagen AG, which is considering expanding car production at its Russian plant in Kaluga, saw an 11 percent drop in the first half of 2009.

Europe's largest automaker was hit by a 38 percent decline in van sales, which offset small gains by its passenger car division and Spanish subsidiary Seat.

PSA/Peugeot-Citroen, which in June announced a $730 million investment in a Russian plant with Mitsubishi Motors Corp., saw first-half sales fall by 6 percent. The decline came despite a 39 percent gain by Citroen, which sold 6,809 cars in the first half.

Tough half for U.S. brands

Combined sales of Ford Motor Co.'s Ford and Volvo brands fell 52 percent in the first half to 53,155.

Russian sales of General Motors' five-brand group dropped 54 percent to 83,865 over the same period.

A bright spot for GM was the continued surge of Hummer. The SUV maker's sales rose 104 percent to 753 units in the first half compared with last year. GM luxury brand Cadillac also reported an increase. Its first-half sales are up 2 percent to 927 units

In the first half of 2009, AvtoVAZ, maker of the Lada, sold 44 percent fewer vehicles than over the same period in 2008 but still twice as many as any other make at 180,000 cars.

http://www.autonews.com/article/20090708/ANE02/307089978/-1

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 17:05

1. Não é bonito empregar mal as palavras, principalmente quando desconhece muito bem o seu real significado. A palavra vuika simplesmente não existe. Informe-se, pfr, melhor.
2. Máfia: quer dizer que não pagas à máfia? Se calhar começaste pagar ao MVD / FSB, dá na mesma.
3. Nunca ouviu sobre as greves na Rússia? É preciso eu lhe fornecer os links para as greves em Vladivostok (com as fotos do tipo “Putler – Kaput”)?
4. Obrigado por me considerar ucraniano ocidental, sinto me honrado.
5. Bem, na sua Rússia actual, quem ousar discordar com a “linha geral do partido” de facto, as vezes é enviado compulsivamente aos hospitais psiquiátricos, essa é a vossa triste realidade.
6. Já agora, onde o micro – empresário como você aprendeu o português? Na sua micro – empresa na Praça de Lubianka?

2 Anónimo 17:50 (o que tudo indica é o mesmo, das 17:05)

Realmente, podemos chamar de irmão quem acharmos com o perfil para tal, não se deve esquecer o ditado popular russo “não serás estimado pela força”, reflecte neste ditado sábio do seu próprio povo, já que com os polacos nós próprios vamos se entender.

Nota:

O tipo de propaganda usada pelo anónimo é um legado imperial britânico, conhecido como táctica de “separar para reinar”. Tentam pôr ucranianos contra polacos (ex.: filme “Taras Bulba”), para depois tentar pôr os polacos contra ucranianos (explorando os conflitos dos anos 30-40).

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo 17:05

1. Não é bonito empregar mal as palavras, principalmente quando desconhece muito bem o seu real significado. A palavra vuika simplesmente não existe. Informe-se, pfr, melhor.

Ouvi essa palavra dumas pessoas que vivem na crimeia. Se quiseres, procure pelos dicionários :vuika, ou vuiko. Provem do polaco.
Ao resto nem vou responder. Quando é que estiveste pela última vez na Rússia para falar dela?

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
O capitalismo está a fracassar na Rússia.
O oléo e gás movem a economia, quando estão a ir mal o país todo vai mal.

Russian car sales fall 56% in June.

Haha. Abre os olhos. No tempo da crise isso é lógico. E nós estamos preparados para qualquer tipo de crise melhor que muitos outros (psicologicamente).



Se queres saber, a Rússia, parece, já começa a recuperar da crise. Os dados oficiais do desemprego diminuem, e isso, eu acho, reflete a realidade.

Por sinal, estive há pouco na cidade de Voronez, e as pessoas que me estavam mostrando a cidade, indicaram as novas lojas onde se vendem carros (não sei como se chama em portugues). Disseram que foram aberas há pouco. Quando lhes perguntei, como é que podia ser nos tempos da crise, encolheram os ombros e repetiram, que foram abertas há pouco.

Anónimo disse...

pois é Jest...lembre-se que quando a Ucrânia teve a idéia de sediar a Euro2012 convidou a Rússia primeiramente. Que rejeitou, pois não queria dividir a Euro com um país que ela considera inferior. Devido a recusa, a Ucrânia convidou a Polónia que de pronto aceitou.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
pois é Jest...lembre-se que quando a Ucrânia teve a idéia de sediar a Euro2012 convidou a Rússia primeiramente. Que rejeitou, pois não queria dividir a Euro com um país que ela considera inferior. Devido a recusa, a Ucrânia convidou a Polónia que de pronto aceitou."

Que belos contos de fada para crianças. Para que voce saiba, os poderes atuais da Ucrânia não só não ofereceram nada à Rússia quanto ao Euro 2012, mas tiraram, em agosto passado, umas guarnições da defesa antiaérea, juntamente com equipamento, enfraquecendo a defesa anti-aérea do seu próprio país, e enviaram-nas para a Geórgia, onde estes especialistas abateram uns aviões russos. Que "amizade", heim!
Informe-se melhor.

P.S. quanto à queda da venda de automoveis na Rússia, deve-se, em primeiro lugar, à subida de taxa de juros nos bancos, pois, cerca da metade de carros vendidos eram comprados pelo credito.

anónimo russo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Os ucranianos amam a Russia como povo irmao, nao entendo o pq de muitos aqui deste blogue estarem a coloca-la como inimiga ou recentida contra a Russia

Voces estao metidos na ideologia neoliberal americana!!

T. Braga

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 18:57 / 21:40

Pois é minha anónima, OUVISTE alguém dizer, não é mesma coisa que saber como empregar a palavra correctamente (saber não ocupa o lugar, certo?). Já agora, não és Pippo? E se fores, para que se esconder no anonimato? Eu não vou lhe morder.

Rússia: quanto tempo estiveste em Moscovo para falar com segurança desta grande prisão?

Defesa anti-aérea: se ficamos mais fracos militarmente por enviar alguns BUK a Geórgia, é connosco. Se abatermos uns aviões russos no espaço aéreo da Geórgia, ninguém os convidou para lá passear (já agora, recentemente saíram alguns artigos russos que defendem que vários aviões deles foram abatidos pelo … “fogo amigo” dos separatistas ossetas. Quer links?

2 Anónimo 22:07

A capacidade de se rir sobre os seus próprios defeitos significa a sanidade mental de uma nação, a nossa, neste caso particular.

2 T. Braga

Peço-lhe que antes de opinar sobre qualquer coisa que seja, se informe, pfr, sobre a nossa História. Ao contrário, sou obrigado lhe contar uma anedota soviética sobre o amor anormal:

Professor: crianças, existem três tipos de amor anormal. Amor do homem pelo homem, se chama a homossexualidade. Amor da mulher pela mulher: se chama o amor lésbico. E terceiro: é o amor do povo soviético pelo partido comunista PCUS.

Vocês, com o seu amor anormal pela urss, ru, pu, medved e Kº parece que fazem parte deste último tipo dos amores anormais.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo 18:57 / 21:40

Pois é minha anónima, OUVISTE alguém dizer, não é mesma coisa que saber como empregar a palavra correctamente (saber não ocupa o lugar, certo?). Já agora, não és Pippo? E se fores, para que se esconder no anonimato? Eu não vou lhe morder.

1. Idiota. Se for preciso, posso te ensinar polidez. Aprende a falar com as pessoas. Morder é vais ao teu esposo na cama.

2.Porque mentiste, então, que a palavra não existe?

3. Estive em Moscovo há um ano.

4. Jest nas Wielu o que é, o nome e o sobrenome?

Posso concluir, que, muito provavelmente, estiveste na Rússia, como eu na Ucrânia, há uns 27 anos atras, ainda na època sovietica (embora eu viva a uns 100 kilómetros da fronteira). Por isso te aconselho a acalmar a a te calar.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Os ucranianos amam a Russia como povo irmao, nao entendo o pq de muitos aqui deste blogue estarem a coloca-la como inimiga ou recentida contra a Russia

Voces estao metidos na ideologia neoliberal americana!!

T. Braga

Houve pessoas, que, como o meu avô, proveniente da antiga Maloróssia (Ucrânia) de leste, lutaram contra o exercito de Hitler (e morreram, como o irmão dele), e houve pessoas da ucrânia ocidental que faziam parte da SS e que agora os poderes atuais da Ucrània (o presidente deles) tentam fazer herois nacionais.
Por isso, na Ucrânia de hoje há pessoas que invejam e odeiam mortalmente a Rússia e tudo relacionado a ela.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo “russo” 15:46

1. É pá, anónimo é mais um verdadeiro berserker virtual… Com medo de dizer o seu próprio nome e com muita vontade de ameaçar via NET. Já disse filho, venha cá, a nossa BO tem muito espaço para V. Excias.
2. Palavra estava mal escrita.
3. Pois eu disse que és Pippo, não sei porque não queres revelar-se. Revelai-te, não vai doer nada.
4. Advinha.
5.1 Estive lá no ano passado. 5.2. Vais aconselhar a sua esposa fazer a sopa, assim se diz na Rússia.

2 Anónimo “russo” 15:59

1. Também ouve as pessoas da Galiza ucraniana, que combateram no Exército Vermelho e morreram e também existem as pessoas que são facilmente assimiladas pelos regimes alheios, como é o seu caso.
2. O Presidente Viktor Yuschenko é natural da província de Sumy (http://en.wikipedia.org/wiki/Sumy_Oblast), que se situa na fronteira com a Rússia.
3. Neste mundo ninguém odeia ninguém sem uma razão forte para o tal, estuda um pouco a história da Ucrânia, pfr, antes de emitir as opiniões no caso algo sensível, como este.
4. Leia o artigo bem equilibrado sobre a batalha de Brody, pode ser que ficarás um pouquinho mais iluminado na matéria: http://zaua.org/pg/article/solodko/read/2756/----65-

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo “russo” 15:46

1. É pá, anónimo é mais um verdadeiro berserker virtual… Com medo de dizer o seu próprio nome e com muita vontade de ameaçar via NET. Já disse filho, venha cá, a nossa BO tem muito espaço para V. Excias"

1. Não sei o que é BO, mas, se for preciso, acho que posso te partir os cornos na vida real, não te preocupes. Aprenda a falar com as pessoas.

2. "Jest nas Wielu" não parece nem nome, nem sobrenome eslavo nem de outras nações, por isso é um nick igual ao "anónimo russo". Revelar nomes na internet é tolo. Qundo me revelares o teu nome, revelo-te o meu, se for preciso.

anónimo russo disse...

Por sinal, as pessoas que entendem nisso, dizem, que os vuiki como tu, que mostram tanta coragem na internet, na vida real, quando de repente se encontram na Rússia ou pelo menos na Crimeia, se tornam muito mais mansos e nem sequer parecem as pessoas que de noite na internet emitem tanta sugeira.

Vem viver na vida real, porque, parece, só sabes colocal "links" nos blogues e sujar estes últimos. A vida real não é um conjunto de artigos e wikipedias.

Anónimo disse...

Jest ucraniano cabrao!!!!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Muita gente esquece que Jest não reflecte Ucrania. Jest é voz da parte revanchista anti russa e pro EUA como tambem é o presidente que ja não tem maioria. Mas não é maioria ucrania. Ucranianos são irmaos dos russos.

Oh Well, Okay. disse...

"A Ucrânia é e sempre será independente. No futuro, como parte da UE, e depois da OTAN."

Sim, imensamente independente...Futuramente controlada pela UE & NATO.
O conceito "independência" é malandro.

Yan disse...

Sim, imensamente independente...Futuramente controlada pela UE & NATO.
O conceito "independência" é malandro.


mil vezes melhor que pela Rússia, não achas, garota?
aliá, se você pensar não existe nenhum país realmente independente nesse planeta...

Yan disse...

"Mas não é maioria ucrania. Ucranianos são irmaos dos russos."

esse papo dos russos "irmãos nossos" historicamente sempre fudeu com a ucrânia...todo russo que conheço não quer um povo ucraniano independente, quer uma assimilaçao na maioria russa. A principal queixa dos ucranianos é que os russos não conseguem ver os ucranianos de igual-para-igual. A Rússia sempre trata a Ucrânia como sua colônia, sua província rebelde, etc.

Anónimo disse...

POIS É, É A MESMA COISA QUANDO UM ESPANHOL FALA QUE PORTUGAL É E SEMPRE SERÁ UMA PROVÍNCIA REBELDE DO GOVERNO DE MADRID

Anónimo disse...

Oh Well, Okay. disse...
Sim, imensamente independente...Futuramente controlada pela UE & NATO.
O conceito "independência" é malandro.

-----------------------------------

O cômico é que todo país quer "perder a sua independência" pra entrar na UE. Até a Islândia que era toda orgulhosa de não pertencer ao bloco, agora está suplicando pra fazer parte!!! Já em relação a Rússia, a maioria quer fugir desse país que não traz nada de bom.

Zé disse...

Oh Well, Okay. disse...
Sim, imensamente independente...Futuramente controlada pela UE & NATO.
O conceito "independência" é malandro.


mal-agradecida hein? Foi a estabilidade militar da NATO e o ingresso na UE que tiraram Portugal da pobreza. Antes de entrar pra UE, Portugal (como a Irlanda, Grécia, Espanha) era um país subdesenvolvido encravado na Europa e hoje está entre os mais ricos do mundo.
Esse papo de europeu falando mal da UE para os de fora, apesar de todos os benefícios que trouxe, é pra tirar o olho gordo. É como aqueles ricaços que quando perguntados como está a vida, eles respondem que vai mal, que as coisas estão difíceis, etc etc etc pra não crescer o olho dos pobres!

Sergio disse...

"Mas não é maioria ucrania. Ucranianos são irmaos dos russos."

culturalemente até pode ser, mas geneticamente os russos são muito mais próximos dos polacos que dos ucranianos

Oh Well, Okay. disse...

"mil vezes melhor que pela Rússia, não achas, garota?
aliá, se você pensar não existe nenhum país realmente independente nesse planeta..."

Sinceramente, não sei. Mas por mim, nem uma coisa, nem outra.

"O cômico é que todo país quer "perder a sua independência" pra entrar na UE. Até a Islândia que era toda orgulhosa de não pertencer ao bloco, agora está suplicando pra fazer parte!!! Já em relação a Rússia, a maioria quer fugir desse país que não traz nada de bom."

Sim, e a culpa é da crise.
O problema da UE é que ninguém sabe até que ponto um dia ela não vira para uma política totalmente diferente. E como ninguém pensa nisso, não percebem o perigo que é unir sob o mesmo comando um grande conjunto de nações, em que apenas uma pequena e desenvolvida parte tem o poder. Ora veja a URSS. Inicialmente também seria um união ideológica. A UE também o é: democrática. Até ao dia que a democracia deixe de servir. :)

Zé:

blá blá blá, essa conversa do senso comum já eu sei de trás para a frente. Vai usar alguma coisa nova? Não, deixe lá que eu não vou responder.

Anónimo disse...

deixem os eurocéticos pra trás...essa gente nunca acha nada de bom, sempre reclamando...digam então qual é a alternativa mais viável que a UE?

A nossa União é que nos impediu de uma nova guerra entre nossos países. Nunca na história da Europa vivemos tanto tempo em paz. Isso é evidente!!! Será que é tão difícil ver isso.


E calem a boca, a UE será a verdadeira superpotência econômica, cultural, etc do Século XXI...

Zé disse...

Oh Well, Okay. disse...
Sim, e a culpa é da crise.
O problema da UE é que ninguém sabe até que ponto um dia ela não vira para uma política totalmente diferente. E como ninguém pensa nisso, não percebem o perigo que é unir sob o mesmo comando um grande conjunto de nações, em que apenas uma pequena e desenvolvida parte tem o poder. Ora veja a URSS. Inicialmente também seria um união ideológica. A UE também o é: democrática. Até ao dia que a democracia deixe de servir. :)


Se, se, se...usando o "SE"...se a UE deixar de ser democrática, deixará de ser UE. Mas comparar com a URSS, desculpe-me dizer, mas é ignorância total sua. Pra começar os países faziam parte, com exceção da Rússia, não integraram a URSS por vontade própria, foram invadidos e anexados. Diferentemente da UE.


"E como ninguém pensa nisso, não percebem o perigo que é unir sob o mesmo comando um grande conjunto de nações, em que apenas uma pequena e desenvolvida parte tem o poder."

Desculpe dizer mas isso é a percepção do senso comum. O poder da UE é muito diluído, hoje nenhum país tem hegemonia, nem politicamente, nem economicamente. Veja o caso da Alemanha, ela tem apenas 12% dos eurodeputados, 15% da economia e 15% da população do bloco todo.

EstaEuropaNao disse...

Quem comanda os destinos da UE na realidade são os Estados Unidos da América

EstaEuropaNao disse...

A rússia faz frente à NATO, UE e combate os países dos americanos porque não quer ficar dominada pela América e quer manter a sua independência.

Yan disse...

A União Européia é a maior conquista do povo europeu dos últimos 100 anos. Negar isso, é assinar a carta da burrice.

Eu sou um entusiasta da UE, e defendo até o fim a mudança da postura da Rússia em relação à ela. O que mais desejo é uma integração desse país nos próximos 30-40 anos!! Espero que esteja vivo pra ver isso...creio que só assim a integração de todos os europeus chegará ao seu objetivo final.

Oh Well, Okay. disse...

"Pra começar os países faziam parte, com exceção da Rússia, não integraram a URSS por vontade própria, foram invadidos e anexados. Diferentemente da UE."

lole. Depois eu é que sou burra.
'Tá certo.

Yan disse...

EstaEuropaNao disse...
Quem comanda os destinos da UE na realidade são os Estados Unidos da América
A rússia faz frente à NATO, UE e combate os países dos americanos porque não quer ficar dominada pela América e quer manter a sua independência.


hehehe...quanta besteira,a Rússia salvadora do mundo...que alienado. Quem comanda os destinos da Rússia são os oligarcas donos das fontes de gás e petroleo da Rússia e não o Putin...você não concorda?

Zé disse...

Oh Well, Okay. disse...
"Pra começar os países faziam parte, com exceção da Rússia, não integraram a URSS por vontade própria, foram invadidos e anexados. Diferentemente da UE."

lole. Depois eu é que sou burra.
'Tá certo.


obrigado por sua educação hein, menina...típica visão totalitarista de certa esquerdinha. Desqualificar seu opositor pra comprovar seus argumentos e uma das falácias mais antigas que existe...não parta pra esse lado.

Por exemplo, "inteligente colega" os Estados bálticos não foram invadidos e anexados pela URSS? Ou eles pediram para fazerem parte?

Yan disse...

Pois é Zé. Imagine como estaria Portugal hoje sem a UE??? Seria uma Moldávia da vida ou até mais miserável...

Sergio disse...

Oh Well, Okay.

a volta da burguesinha socialista, saudade de você garota

Anónimo disse...

ser comunista num país capitalista e democrático é fácil...difícil é o contrário

Anónimo disse...

Não adianta Zé, tem gente que não consegue enchergar mais do que 30cm à sua frente. São pessoas que vem só o hoje, não conseguem lembrar o passado e projetar o futuro com inteligência.
São míopes históricos que fazem parte da nossa sociedade, infelizmente.

Oh Well, Okay. disse...

"Por exemplo, "inteligente colega" os Estados bálticos não foram invadidos e anexados pela URSS? Ou eles pediram para fazerem parte?"

Não houve anexação nenhuma. Houve sim ocupação militar durante o conflito mundial, que fomentou a simpatia do comunismo, acabando por ser implementado. Tendo claramente influência da URSS, mas isso não significa que a União Soviética tenha andando por ai numa politica de expansionismo.
É errado afirmar que a URSS anexou países, quando na realidade ocupou zonas que estavam em guerra civil, apoiando partidos comunistas a atingir o poder.
Claro que depois houve o Pacto entre a URSS e a Alemanha Nazi, que resultou no caso de Estónia por exemplo. Tornou-se uma Republica Soviética através da ocupação das tropas soviéticas, durante a II GM.
A esmagadora maioria dos estados membros da URSS, não foram obrigados a nada. :)

Se não tivesse generalizado erradamente no inicio e tivesse dito: os estados bálticos não foram de livre vontade para a URSS, eu tinha concordado. Mas como afirmou que todos, menos a Rússia, haviam sido obrigados a fazer parte da União Soviética, eu vi-me obrigada a discordar.

PS: Hey, Sérgio. Como vai a vida? Teve saudades? Eu volto sempre, já sabe. ehehe

Anónimo disse...

Não houve anexação nenhuma. Houve sim ocupação militar durante o conflito mundial, que fomentou a simpatia do comunismo, acabando por ser implementado.

SIMPATIA???...HAHAHAHA...TE LARGUEI MENINA...QUE MUNDO VOCÊ VIVE????

Yan disse...

"Tendo claramente influência da URSS, mas isso não significa que a União Soviética tenha andando por ai numa politica de expansionismo."

erro crasso,

E o Afeganistão? Onde a URSS tentou de todas as formas anexar esse país pra ter (depois de uma guerra com o Irã) acesso ao mar índico. Isso não sou eu que estou dizendo, são documentos oficiais soviéticos da época


bah...mas essa da simpatia foi brabo, hein? Mas acho que você está brincando, não pode ser sério né

Zé disse...

"É errado afirmar que a URSS anexou países, quando na realidade ocupou zonas que estavam em guerra civil, apoiando partidos comunistas a atingir o poder."

Mas sem apoio popular, meu bem, que de fato é o mesmo que invasão.
Você acha justo então, por exemplo, se surgir um partido em Portugal que defenda uma União Ibérica submissa à Madrid. E esse partido recebesse apoio total espanhol pra tomar o poder e realmente tomasse e a Espanha anexasse Portugal...ainda acharia justo? E diria que não foi uma invasão e ocupação.
Existe até um nome pra isso: quinta coluna

Sinceramente, quantos anos você tem?

Anónimo disse...

ela está ainda no colegial

Oh Well, Okay. disse...

Sim, Yan.
Então eu também posso afirmar que os EUA estão a tentar anexar o Iraque para ter acesso livre ao petróleo. E ficamos todos amigos
.
O Afeganistão é um caso aparte. O ponto da questão foi a afirmação anterior do anónimo que dizia: "Pra começar os países faziam parte, com exceção da Rússia, não integraram a URSS por vontade própria, foram invadidos e anexados."
E eu contrapus isto. E ao faze-lo deixei bem claro que tinham existido casos de ocupação sim, mas não em todos, já que a grande maioria foi de livre vontade, sim.
Precisa de um desenho? Só consegue ler aquilo que lhe apetece?
É preciso ter uma paciência para estes anónimos burros. Devo estar a escrever numa língua estranha e não em português.

Yan disse...

ocupação é um eufemismo pra invasão.

Por exemplo, a URSS OCUPOU o Afeganistão, já os EUA INVADIU o Afeganistão...

Yan disse...

Oh Well, Okay. disse...

"O Afeganistão é um caso aparte. O ponto da questão foi a afirmação anterior do anónimo que dizia: "Pra começar os países faziam parte, com exceção da Rússia, não integraram a URSS por vontade própria, foram invadidos e anexados."
E eu contrapus isto. E ao faze-lo deixei bem claro que tinham existido casos de ocupação sim, mas não em todos, já que a grande maioria foi de livre vontade, sim.
Precisa de um desenho? Só consegue ler aquilo que lhe apetece?"



O problema é que muito o que você diz é baseado em achismos. Quero provas que existiu APOIO POPULAR (como o Zé disse) da maioria da Ucrânia, Belarus, Casaquistão, Moldávia, etc...pra anexação à URSS...quero ver fontes plausíveis, não achismos bobos.
Pode ser um "desenho" se você quiser. hehehe
Das pessoas que conheço de alguns desses países, rejeitam totalmente essa versão. Esse é um dos motivos de que a maioria tenta fugir de todas as formas da Rússia.

Quanto aos EUA e Iraque, não considero uma ocupação. Acho mais que está pra uma invasão e exploração do país, bem como Portugal fez com o Brasil.

Yan disse...

Se for boa desenhista, mãos à obra hahahaha

Oh Well, Okay. disse...

"Mas sem apoio popular, meu bem, que de fato é o mesmo que invasão.
Você acha justo então, por exemplo, se surgir um partido em Portugal que defenda uma União Ibérica submissa à Madrid. E esse partido recebesse apoio total espanhol pra tomar o poder e realmente tomasse e a Espanha anexasse Portugal...ainda acharia justo? E diria que não foi uma invasão e ocupação."

Quem disse que eu era a favor ou contra? Este blog realmente vai de mal a pior. Deturpação total das palavras. Tem piada.
Alguém disse que a URSS tinha sido formada obrigatóriamente e todos os países anexados à força. Isto é mentira, mas ninguem argumentou contra, porque lá está, é fiche ser contra a União Soviética ou Russia.
Eu tento mostrar que não foi bem assim, dou exemplos e tudo mais e esta cambada de gente burra nem percebe o que eu digo e assume coisas que não estão em lado nenhum no meu comentário. Haja paciência.

Eu imagino que um professor de história não possa expor factos ou conduzir um debate, porque os alunos podem assumir que ele é anti isto ou pró aquilo. Qualquer dia já nem podemos falar sobre comunismo, com conhecimento, sem sermos automaticamente intitulados "comunistas", só porque falamos sobre, ou porque sabemos isto e aquilo.

Yan:

Anexação/Invasão e ocupação são coisas diferentes.
Também a Alemanha, com fim à desnazificação, foi OCUPADA, por tropas das várias potencias. E isto não significa que tenha sido anexada ou invadida.

Anónimo disse...

além de burrinha, é bem nervosinha essa socialite socialista

Garanhão Italiano disse...

ISSO É FALTA DE SEXO, MEU ANJO. VAI DAR UM POUCO QUE VOCÊ MELHORA. VAI ESQUECER ATÉ A UNIAO SOVIETICA EXISTIU!HAHAHA

Oh Well, Okay. disse...

"O problema é que muito o que você diz é baseado em achismos. Quero provas que existiu APOIO POPULAR (como o Zé disse) da maioria da Ucrânia, Belarus, Casaquistão, Moldávia, etc...pra anexação à URSS...quero ver fontes plausíveis, não achismos bobos.
Pode ser um "desenho" se você quiser. hehehe
Das pessoas que conheço de alguns desses países, rejeitam totalmente essa versão. Esse é um dos motivos de que a maioria tenta fugir de todas as formas da Rússia."

Outra vez. Onde é que eu disse que tinha havido apoio do povo? E depois sonham que eu digo coisas e tal.
Aquilo que eu disse teve como base o que me foi ensinado na escola. Se estou errada, então todo o sistema de ensino português também está. Tem queixas? São "achismos"? Então tem bom remédio, faça um mail à nossa cara ministra da educação e diga-lhe o bom trabalho que ela anda a fazer. :)

PS: José Milhazes, o seu blog anda a tocar o baixo nível na área dos comentadores. É uma pena, mas assim perde toda a credibilidade que teve em tempos.

Kraus disse...

Que moral tem essa "Oh sei lá o que" pra falar sobre intolerância. Ela é a primeira a xingar as pessoas que não concordam com ela. Chama as pessoas de burras, se não tiverem a mesma visão dela.

Quem é você garota? Não sei o que você faz da vida, mas na sincera, você tem que viver muito ainda pra aprender a respeitar os outros. Não é você que dirá para as milhoes de pessoas que ficaram sob jugo soviético que elas escolherem isso por simpatia. A sua opinião vale mais do que dos milhões que sofreram na pele todo o mal causado pela União Soviética? É fácil falar isso, quando você vive no país mais longe da Rússia, na tranquilidade da UE sob o quarda-chuva militar da NATO.

Cresça, e deixe de ser hipócrita.

obrigado

Yan disse...

Oh Well, Okay. disse...

nem tem como me queixar, eu sou brasileiro...mas não é de hoje que dizem que o sistema educacional português é um dos piores da Europa.

Yan disse...

mas aqui não é muito diferente. No Brasil, o sistema educacional é todo baseado na visão marxista da história. Desde criança, nos martelam na cabeça que o Brasil é pobre por causa de Portugal. Que vocês roubaram nossas riquezas, exploraram, etc e não deixaram nada de bom. Aqui existe uma supervalorização do imigrantes (principalmente italianos) e uma desvalorização para tudo o que é português.

Garanhão Italiano disse...

FAZ QUANTO TEMPO QUE VOCÊ NÃO TRANSA, MEU ANJO?

Yan disse...

Bah! Esse blog já foi melhor...

Anónimo disse...

"mas aqui não é muito diferente. No Brasil, o sistema educacional é todo baseado na visão marxista da história. Desde criança, nos martelam na cabeça que o Brasil é pobre por causa de Portugal. Que vocês roubaram nossas riquezas, exploraram, etc e não deixaram nada de bom. Aqui existe uma supervalorização do imigrantes (principalmente italianos) e uma desvalorização para tudo o que é português."

Parece que a idiotia ideológica é característico no sistema educacional do 3 mundo. Estão a buscar vantagens políticas com um sistema educacional que infelizmente não tem como objectivo principal a ensinar e sim doutrinar.
Penso que o Brasil já está bem crescidinho para ficar a culpar Portugal pelas suas mazelas ifinitas.

Eu sempre pensei que no Brasil os descendentes de europeus odiassem os negros e índios, mas jamais imaginei que os descendentes de portugueses fossem desvalorizados como falaste... Fico entristecido ao saber disto...

Não sabia que havia tantos italianos no Brasil, será que estes italianos não estão a saber que a Itália é 1 mundo e o Brasil não? Pois há brasileiros aos milhões por todo o globo e italianos não.

Yan disse...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Imigra
%C3%A7%C3%A3o_italiana_no_Brasil

15% da população brasileira tem ascendência italiana. Por exemplo, No estado de São Paulo, 30% tem origem italiana.

A origem portuguesa é muito rejeitada aqui. A maioria sente vergonha de ter origem portuguesa e sempre busca um bisavô, bisavó de outra origem. Isso é mais claro, aidna na TV, onde o português é sempre representado como "burro", "ignorante", pobre.

Conheço várias pessoas que tem sangue português quase total, (mas lá atrás tiveram só um trisavô italiano) que acabam se dizendo italianos.

Yan disse...

Numa pesquisa de 2001, das 10.641 empresas industriais do Estado do Rio Grande do Sul, 42% estavam nas mãos de brasileiros de origem italiana

Yan disse...

"Na cidade de São Paulo, a diversidade dos falares dos imigrantes resultou numa maneira de falar bastante peculiar, que se difere substancialmente do falar caipira, que predominava na região antes da chegada dos italianos e é ainda generalizado no interior do estado. O novo falar se forjou da mescla do calabrês, do napolitano, do vêneto, do português e ainda com o caipira. Atualmente, a influência italiana no português falado em São Paulo não é tão grande quanto no passado, embora o sotaque paulistano continue marcado pelo dialeto ítalo-brasileiro que predominava na cidade no início do século XX. É de notar que a influência italiana no falar paulistano se generalizou bastante, ao ponto de englobar os habitantes da cidade que nem ao menos possuem ascendência italiana"

Yan disse...

Sabe o que é me mais estranho é que na Argentina onde mais da metade da população tem origem italiana, não existe uma vergonha da herança espanhola.
Lá se tem orgulho de diser que é de origem espanhola.
Sei disso, porque tenho parentes vivendo em Buenos Aires.

Anónimo disse...

dizer

Tiago disse...

Yan

Os maiores brasileiros são descendentes de portugueses, o que você afirma é inverdade.
Os descendentes de italianos em sua maioria são pessoas pobres da zona rural, no sul do país...

No periodo Vargas houve um "aportuguesamento" de nomes e sobrenomes de imigrantes não-portugueses, ter sobrenome alemão por exemplo, é motivo de vergonha no Brasil, você deve saber disso.
Temos muita gente de sangue português, desde artistas e escritores, até o Presidente Lula da Silva.
Aliás se juntar todos os descendentes de italianos, alemães, ucranianos e árabes, não chegam a 50% dos descendentes de portugueses.
Os nomes mais populares são os silvas, santos, alves, abreus, pinheiros, arantes, almeidas etc
Carmen Miranda era portuguesa. Toda a tradição brasileira como a religiosidade e festas vieram de Portugal.

O sistema educacional nunca sofreu influência do marxismo. Filosofia e sociologia não existem no ensino público brasileiro, portanto não há influências ideológicas diretamente. O que existe são professores sindicalizados que buscam alguma forma de destruir o ensino público, mas graças a Deus, eles são minorias.

Anónimo disse...

"nem tem como me queixar, eu sou brasileiro...mas não é de hoje que dizem que o sistema educacional português é um dos piores da Europa."

Mesmo assim está anos-luz de avanço em relação ao brasileiro e a prova é a quantidade de mentecaptos que por aqui andam vindos de lá

Yan disse...

"Mesmo assim está anos-luz de avanço em relação ao brasileiro e a prova é a quantidade de mentecaptos que por aqui andam vindos de lá"

Nosso sistema é ruim mas o de vocês também é comparado aos outros países da UE. Acha que é por acaso que vocês tem um baixo desempenho escolar.

http://en.wikipedia.org/wiki/Progra
mme_for_International_Student_Asses
sment

Anónimo disse...

quem esta a falar que os vizinhos da russia a odiam, estao enganados
é muito facil financiar e seduzir os paises vizinhos contra a mae russia

os europeus e americanos sempre quiseram ver a russia mal e falida mas para a tristeza deles, a russia esta de volta e com poder novamente

o neoliberalismo é uma ideologia fracassa que esta a destruir sociedade europeia
a europa continua a ser pean dos usa

temos que mudar isto e aliar-nos a um pais europeu forte que é a russia

os usa nunca se importaram conosco
temos que rever os nossos valores nosso povo nao pode morrer em nome dos americanos

o sonho americano é ver a europa destruida para que fujamos para a lá porque eles [americanos brancos] estao sentindo que latinos e negros dominarao aquela naçao em 30 anos

cpmts

t.braga

Yan disse...

tiago


pessoas pobres do sul? Acho que não vivemos no mesmo país...só no estado do Rio grande do sul, quase metade das grandes empresas foram fundadas por italianos. A cidade de Caxias do Sul nesse mesmo estado só perde pra capital em riqueza.

Yan disse...

'quem esta a falar que os vizinhos da russia a odiam, estao enganados
é muito facil financiar e seduzir os paises vizinhos contra a mae russia'

t. braga

Meu caro, teu argumento é extremamente pobre. Porque essa fobia da Rússia pelos países vizinhos dela vem de séculos e séculos atrás. Não tem nada a ver com os EUA, porque nessa época nem existia. O medo ucraniano dos russos, por exemplo, vem de bem antes dos EUA se tornarem dominantes no mundo. Espero que você pesquise maais sobre a história desses países e verá a origem desse medo.
Como foi dito, tem pessoas aqui que não sabem analisar os fatos, só pensam no presente, mas não buscam na história, a razão de certas atitudes tomadas hoje.

Anónimo disse...

Caro T.Braga não vejo lógica nenhuma sobre o que dissestes.
Pq os Eua quereriam ver a Europa destruída? Explique melhor?

Os vizinhos da Russia não a odeiam por serem financiados ou seduzidos, saiba que os russos já faziam muito mal às ex republicas muito antes do comunismo.

Yan disse...

"temos que mudar isto e aliar-nos a um pais europeu forte que é a russia"

sim pra que? Trocar a domínio americano pelo russo...bela troca
Ou você acha que os russos não vão querer algo em troca?

Se você odeia tanto a UE e ama a Rússia, o que está esperanto, vai pra lá!! Porque, como eu ja disse, é fácil falar quando você vive em um país da União Europeia, protegido pela NATO e há milhares de quilômetros da Rússia.

Yan disse...

"o neoliberalismo é uma ideologia fracassa que esta a destruir sociedade europeia
a europa continua a ser pean dos usa"

sim, mas você é tão contraditório que defende uma Rússia em que o capitalismo neoliberal é mais cruel que o americano ou europeu juntos. Esqueceu que quem nada na Rússia não é o MEd ou Putin, mas os oligarcas do petróleo e gás?

Mas acredito que você só escreva isso pra provocar, não reflete a sua opinião pessoal

Yan disse...

"o neoliberalismo é uma ideologia fracassa que esta a destruir sociedade europeia
a europa continua a ser pean dos usa"

sim, mas você é tão contraditório que defende uma Rússia onde o capitalismo neoliberal é mais cruel que o americano e europeu juntos. Esqueceu que quem manda na Rússia não é o Med ou Putin, mas os oligarcas do petróleo e gás?

Mas acredito que você só escreva isso pra provocar, não reflete a sua verdadeira opinião pessoal. Até porque ninguém seria tão estúpido.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 11:44

1. Ok, se acha que pode partir qualquer coisita, parta p´ra essa e logo veremos. Sobre BO pergunta ao Google. Ele sabe tudo.

2 Oh Well, Okay

Sempre pensei que anexação do território da Ucrânia em 1919, durante a vigência da república Popular da Ucrânia (UNR) se deu através da ocupação militar do seu território. Ocupação militar = meio, anexação polícia = fim.

A URSS (Rússia Soviética, pk a URSS só foi oficialmente formada em 1924) não ocupava “as zonas”, ocupava os países reconhecidos por terceiros. Por exemplo, a Ucrânia era oficialmente reconhecida em 1919 por Alemanha, Bulgária, Turquia, Roménia, Itália, etc. E assim com todas a maioria das futuras repúblicas da futura URSS. Só a Polónia do Pilsudski derrotou os bolcheviques na guerra polaco – soviética de 1921 e escapou à anexação, mais os estados Bálticos. Enfim, está tudo na Net.

Oh Well, Okay. disse...

Jest:

Vai bater mais no ceguinho? Também é um dos que não sabe ler?

A Rússia era um império, ponto. Com o fim deste, deu-se a independência aos povos blá blá blá formados após a queda do czar, mais tarde, tornaram-se parte da URSS.
Havia presença do exercito russo? Havia.
Havia influência do Partido Comunista na vida política dos "novos" países? Havia.
Mas não houve anexação de todos os países membros, de alguns sim, como a Polónia, Ucrânia, Estónia, que foram anexados mais tarde. Mas de todos não.
E foi sobre isto que eu falei.
Ninguem me viu escrever que a Ucrânia tinha ido de boa vontade, nem a Polónia, nem qualquer país dos Balcãs.

Mas também não podemos afirmar que a URSS foi formada à força (como algures lá em cima o fizeram), porque não foi. Ponto final, fim da história.
É, está tudo na net e nem assim as pessoas chegam lá.

PS: Se tivesse tido o trabalho de ler as minhas respostas todas, tinha percebido que eu nunca afirmei que a URSS não tinha anexado nada, nem que todos os países tinham feito parte da mesma de livre e espontânea vontade.

PS II: em relação à ocupação/anexação, são coisas diferentes, sim. Se uma pode, em determinadas circunstancias, fomentar a outra, são situações. E exemplos, também já eu dei.

Jest nas Wielu disse...

2 Oh Well, Okay

Obrigado, hoje a sua resposta me alegrou realmente, afinal, podemos usar os argumentos civilizados e chegar a um consenso quando queremos.

No entanto... vamos por partes (vejamos o exemplo da Ucrânia, cuja história conheço melhor):.

1. /Havia influência do Partido Comunista na vida política dos "novos" países?/
Estamos falar do que partido comunista? Do VKP(b) do Lenin? Do VKPB(u), o seu braço armado na Ucrânia? Ou de UKP, Partido Comunista Ucraniano (veja http://es.wikipedia.org/wiki/Partido_Comunista_Ucraniano), cujos líderes defendiam uma Ucrânia comunista, mas independente?

2. Dizes tu, que “Mas não houve anexação de todos os países membros ... Mas de todos não.”
Podes então, ter a gentileza enumerar quais foram os países que aderiram a futura URSS de livre e espontânea vontade. Ai já podemos falar de uma maneira mais profissional, revendo caso a caso.

3. “Ninguem me viu escrever que .... nem qualquer país dos Balcãs”
Nenhum país dos Balcãs fiz a parte da URSS, mas pode ser que entendi mal a sua afirmação.

4. “Mas também não podemos afirmar que a URSS foi formada à força”
Voltamos ao ponto 2, pfr, dê alguns exemplos dos países que aderiam a futura URSS por escolha livre, sem a coerção por parte da URSS.

5. “em relação à ocupação/anexação, são coisas diferentes, sim”.
Será que historicamente falando, a política da “ocupação efectiva”, praticada por Portugal, principalmente em Angola e Moçambique não teve nada a ver com a vontade política de Lisboa de anexar estas colónias (territórios ultramarinos)? De as ver incorporadas na Coroa (República) portuguesa?

Obrigado.

Jest nas Wielu disse...

Partido Comunista Ucraniano (veja http://es.wikipedia.org/wiki/
Partido_Comunista_Ucraniano),