quinta-feira, julho 23, 2009

“Obama de Volgogrado” é originário da Guiné-Bissau


Joaquim Crima, 37 anos, natural da Guiné-Bissau, era um dos muitos estrangeiros desconhecidos que viviam na Rússia, mas passou a ser conhecido por “Obama de Volgogrado” depois de ter decidido candidatar-se a presidente da junta de freguesia de Srednii Akhtubinsk, localidade que se situa no concelho de Volgogrado.
Crima, que terminou a Universidade Pedagógica de Volgogrado (antiga cidade de Estalinegrado), foi viver para Srednii Akhtubinsk há 12 anos atrás, casou-se com uma russa e considera-se russo, escreve o diário Nezavissimaia Gazeta, exigindo ser tratrado por Vassili Ivanovitch.
O guineense, que se dedica com êxito à venda de melancias numa estrada, foi buscar esse nome e patronímico a Tchapaev, herói comunista da guerra civil de 1917-1922 na Rússia e personagem principal de um famoso filme soviético homónimo.
Segundo órgãos de informação regionais citados pelo diário de Moscovo, “o negro Vassili Ivanovitch, que já passou a ser conhecido por “Obama de Volgogrado”, declarou que, se for eleito presidente da junta, irá trabalhar como um negro de manhã à noite em prol dos habitantes”.
O Nezavissimaia gazeta sublinha que a campanha eleitoral para o poder local no Distrito de Volgogrado adquire um carácter “cada vez mais escandaloso”, sublinhando que os candidatos, para vencerem, por vezes mudam a cor política, “nomeadamente no sentido directo”.
Baseando-se em opiniões de observadores locais, o jornal escreve, com ironia, que a candidatura do “Obama de Volgogrado” deve contribuir apenas para a reeleição do actual presidente da junta Vassili Romanov, porque “tendo como fundo um candidato negro derrotado, as boas acções e a firmeza do patriarca da política de Srednii Akhtubinsk devem ser mais visíveis”.
O Nezavissimaia Gazeta chama a atenção para o facto de Romanov estar a mudar de cor, mas, neste caso, cor política. Depois de ter sido, durante muitos anos, um “comunista inabalável” e crítico da “política de Vladimir Putin”, ele abandonou o Partido Comunista da Federação da Rússia e suspeita-se que passará a apoiar a Rússia Unida, força política do actual primeiro-ministro russo.

35 comentários:

Inácio Cristiano disse...

Caro Milhazes,

Em 1983 dei assistência técnica, ao Estaleiro Naval de Bissau (ex-Base Naval da M.G.Portuguesa).

Nessa altura o poder era ainda muito influenciado pelos soviéticos que naquela altura já não sabiam como fugir daquela trapalhada de modelo de desenvolvimento que eles próprios e as inumeras ONGs do ocidente em disputa com a URSS imposeram como factores estruturantes da nova nação à deriva desde o 1ª dia de independência.

A URSS e Cuba lideravam nas actividades médica e social onde iam implantando o modelo por eles congeminados.
Teria o Joaquim Crima talvez os seus onze anos, seria de certeza um daqueles milhares de "pioneiros"
que defilavam na Avenida Principal com longas tarjetas, onde se podia lêr:
"Saúde e Protecção Social para todos até ao ano 2000"
Nessa altura já os hospitais apenas tinham médicos e doentes, mas não tinham medicamentos, equipamentos, produtos de limpeza etc,etc.
Em 2009 vende melancías na Russia depois de frequentar a universidade de Volvogrado!
No fundo trocou papaias por melancias!

Inácio Cristiano disse...

+Citação:
“Obama de Volgogrado”, declarou que, se for eleito presidente da junta, irá trabalhar como um negro de manhã à noite em prol dos habitantes”.
+Fim de citação

O problema é se o Joaquim é fula, futa-fula ou mandinga, porque se isto se confirmar, o mais provável é ele viver à custa do trabalho da mulher (ou mulheres), isto se ele é proveniente dos locais mais rústicos daquelas etnias.

Bom, mas sobre este item, parece que tambem não escandaliza certos grupos etnico-sociais russos, que até se especializaram na exportação de tal negócio agravado de se basear na exploração sexual de mulheres, coisa que aquelas etnias africanas seriam incapazes de protagonizar, pelos seus elevados padrões morais.
O Joaquim até pode ser um bom presidente de Junta, desde que não se "inspire" no seu patricio Kumba Ialá, licenciado em filosofia moderna e ultimamente convertido ao islamismo e especializado em amandar problemas para cima de problemas.

Anónimo disse...

O "Obama de Volgogrado" deve ser um grande lutador, muito bem corajoso. Quem conhece a Russia sabe do que estou a falar! Boa sorte a ele.

Jest nas Wielu disse...

Deve ser uma pessoa esforçada, mas a Rússia está a anos – luz de conseguir eleger um deputado de origem africana. O racismo primário dos cidadãos não irá permitir. E também os elementos duma certa “palhaçada” do próprio "Obama", como a troca de nomes, não ajudarão em nada, muito pelo contrário.

Mário Ansaly Correia disse...

vamos ver uma coisa, que o mundo nos ensinou, de que não há nada impossível.O rapaz foi para lá estudar e por uma decisão própria resolveu ficar pelas terras russas. E por bem como cidadão do mundo, e porque vive e trabalha lá tem por direito candidatar-se desde que cumpra os requisitos. Quem diria que os países africanos iam ter as suas independências, um continente que barbaramente foi explorado em todos os sentidos pelos europeus. Força rapaz, que o mundo está em mudanças profundas.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...

O "Obama de Volgogrado" deve ser um grande lutador, muito bem corajoso. Quem conhece a Russia sabe do que estou a falar! Boa sorte a ele."

Por sinal, a Rússia é diferente, diversa ou como dizer melhor. Pelo menos na minha cidade quase não existe racismo. Sim, os negros que conheci diziam que alguns adolescentes bébados podiam provocar uma briga, mas vivem aqui mais ou menos tranquilamente. Isto é lógico, quando um terço da população da cidade não é russa e as pessoas desde há séculos aprenderam a viver juntas. O único nacionalista que conheci na universidade, que foi membro da Unidade Nacional Rússa (se esse partido ainda existe) um dia foi encontrado morto num rio aqui. Aqui ser um racista pode ser perigoso, acho eu. Mas, sim, acho que nalgum Moscovo pode haver tudo, como, dizem, há maior quantidade de gay-clubes no país.

Nuno disse...

Um negro a candidatar-se na Rússia: impensável há alguns tempos. Ainda bem que as coisas vão mudando por la.

Inácio cristiano disse...

Caros blogers,

Se querem relevar o tema "Racismo" e comentar acerca dele, então convém relembrar qua a Guiné-Bissau é "case study" neste tema, devido às inumeras etnias locais e aos casos verificados de intolerância racista nos ultimos 30anos de história do país.

Não é por acaso que a diàspora guineense residente em Portugal, é constituida por individuos de todas as etnias que compõem o "mosaico" guineense, na sua maioria intelectualmente superiores aos concidadãos que vivem na Guiné, mas por terem uma visão de integração nacionalista, não suportam conviver com o poder das cliques soviético-rústicas que detem o poder, primeiro os "caboverdianos" depois os "papeis" e agora os "balantas".

Infelizmente, a este caldo de culturas parece juntar-se-lhes os "amis de rout" sul americanos que detem o narco-tráfico a nivel planetário, e que acham o local estratégico para o negócio.

natália andré disse...

A eleição de Obama foi a descoberta agradável de que as mentalidades estão a mudar que agora ela se estenda por todos os países do mundo com o fim do preconceito!

Gostaria muito Volvogrado se destinguisse por essa diferença!

Cumprimentos

entremares disse...

A politica tem destas coisas... e o efeito "Obama" é uma delas.
Não vale a pena tentar comparar o que não é comparável. A Rússia não é a América.

A Rússia tem uma tradição czarista e mesmo agora, em pleno seculo XXI, as escolhas politicas que faz reflectem a rigidez, a postura, a autoridade... bem contrária aos moldes de uma América que neste momento procura soluções, um pouco "venham elas de onde vierem".

Faz lembrar a última eleição papal, quando certas vozes apontavam a eventualidade da eleição de um Papa negro.

Alguém acreditou verdadeiramente nisso? Não interessa o motivo... mas alguém acreditou?

Infelizmente... o candidato guineense/russo é só mais um ponto e virgula para a imprensa.

Até que esta se canse...

Yan disse...

O futuro da Rússia está na UE!!! Quando esse país perceber isso pode ser tarde demais...

Pippo disse...

Já que falamos em racismos, até que ponto é que seria possível a um branco ser eleito num país da África negra?

E em que é que a eleição de um negro irá trazer melhorias à Rússia?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
natalia andre disse...

Pippo,
Existem (poucos) países africanos com governantes brancos!

Trazerem alguma melhoria, talvez sim ou talvez não depende da PESSOA que fôr, de qualquer modo a escolha da diferença já por si é uma melhoria seja em que Continente fôr!

Cumprimentos

Anónimo disse...

" Ainda bem que as coisas vão mudando por lá."

Impossível. O país é naturalmente brutal e racista.

Ygor disse...

***Já que falamos em racismos, até que ponto é que seria possível a um branco ser eleito num país da África negra?***

Depois de tudo que a Africa esteve a sofrer com os europeus, vos queres que algum branco seja líder por aquelas terras? Estás a ser muito cínico.

Salazar vive disse...

obama é má influencia ao mundo

Anónimo disse...

Tehran

http://www.youtube.com/watch?v=InKo
75c-l1A

The man with loud speaker screams: "death to US, Death to Isreal, Death to the infidels, Death to England" and so on, but the crowd answers "death to Russia"... EVERY time they scream "death to Russia"
They say "Marg bar rossee-ye" (Death to Russia).

Xavier disse...

^^

parece que a Russia também não é muito popular no Irâo

Anónimo disse...

o irao é mal agradecido

José Silva disse...

Quem conhece a Rússia sabe que isto não passa de uma brincadeira de mau gosto. A candidatura existe porque quem está no poder assim o entende. Basta um telefonema para que este “Obama de Volgogrado” acorde em Bissau ou no céu a vender melancias. O Prof. Dr. Milhazes com a sua barba de “Mujik” também faz parte desta animação promovida pelo sistema!
Quem não se lembra do urso com coleira a passear pelas ruas das aldeias e vilas russas!?

Inácio Cristiano disse...

Afirma Ygor:
"Depois de tudo que a Africa esteve a sofrer com os europeus, vos queres que algum branco seja líder por aquelas terras? Estás a ser muito cínico."

Só um cego pode não reparar na cor daqueles (daquelas) que no passado no presente e no futuro persistem arduamente a "batalhar" no seio dos mais humildes e desprotegidos, para tirar os filhos da Mãe-africa do primitivismo selvagem; obscurantismo; ignorância ;das práticas insalubres e anti-sociais, fornecendo-lhes conhecimentos cientificos e cultura para se libertarem do ancestral jugo da ignorancia e obscurantismo mantido pelo interesse de ancestrais, ocasionais ou da maioria dos novos lideres politicos.

E porque o seu trabalho não é minimamente reconhecido, mas por serem maioritáriamente brancos:
Aproveito para prestar a minha sincera homenagem a todas as instituições religiosas (ou não) que longe da àrea do poder, todos os dias libertam mais africanos, do que todos os detentores de Kalachnikovs que pelo seu uso chegaram e mantem o poder pelo poder!

Pippo disse...

Natalia, quais são os países africanos negros liderados por brancos? Assim de repente, eu não estou a ver nenhum...

Não estou também a ver em que é que a escolha na diferença (neste caso, na diferença racial) é, por si só, positivo. A não ser que se assuma que a diferença, por si só, é boa, no que discordo pois a diferença pode ser má.

Ygor disse...

***Impossível. O país é naturalmente brutal e racista.***

Não é muito diferente de vossos portugals e brasils.

Veja como os angolanos, caboverdianos e guineeses são tratatos em Portugal, vejam como vivem os negros no Brasil...

Inácio Cristiano

A vossa visão é preconceituosa e ignorante em relação à Africa.
As inúmeras divisões dentro de Africa foi provocada por ingleses e franceses com o objectivo fácil de conquista-los, não se esqueça, muitos países africanos estão a prosperar livres de mandos europeus. Nem toda Africa está em obscurantismo. A Africa que está a morrer em barbarismo, é a Africa islamica do Chade, Nigéria, Somalia e outros.

Anónimo disse...

aqueles que se queixam dos europeus, façam um exercicio simples, que uma pessoa médiamente inteligente consegue fazer;

por uns 2-3 minutos tentem imaginar o que seria de África se os europeus não tivessem colonizado esse continete.

é assustador não é...

Vamos ser sérios!

quem for descendente de indios ou negros e critica os portuguêses ou europeus devia ser coerente, começaria por abandonar a civilização e ir viver para reservas, quem quiser viver como um selvagem primitivo é livre de o fazer.

ps:pippo, em África como no resto no mundo, o racismo contra brancos é legitimo, é uma atitude permissiva que os brancos têm de forma a deixarem que as restantes raças elevem o orgulho racial.

bruno.

Anónimo disse...

Bruno;

A civilização quem a trouxe foram os povos do medio oriente que detinham escritas, calculos e tecnicas de construções

Os chineses e indianos tambem tinham suas civilizações mais ricas que a barbara Europa antes de Cordoba

Se não fôsse os fenincios os gregos não teriam escrita, se não fôsse os árabes não teriamos algebra e operações basicas

Cá entre nós; o Califado de Cordoba tirou Portugal e Espanha do barbarismo, se não fôsse os mouros a Europa teria levado um bom tempo para desenvolver-se

Talvez estariamos a usar o algarismo romano e a contar em dedinhos

Se não fôssem os árabes a inventar o Algebra, as leis de comercio, a bussola e as suas tecnicas de construções, estariamos em guerra com os povos germanicos até hoje

A civilização talvez não esteja presente em boa parte de Africa, mas não foram os europeus a cria-la e nem leva-lo ao mundo

Pippo disse...

Na verdade, anónimo das 3:47, os árabes não inventaram rigorosamente nada. Eles usaram os conhecimentos roubados aos gregos, aos persas e aos indianos, por eles submetidos. A maior parte dos pensadores "árabes" são, na verdade, persas ou afegãos, ou andaluzes, ou mesmo de origem grega. De origem árabe contam-se pelos dedos das mãos.
Os algarismos "árabes" são indianos; a matemática é de origem grega ou indiana; a engenharia "árabe" baseia-se na romana; as artes árabes, tirando as inspiradas na geometria, são sofríveis, e assim por diante.


Quanto aos europeus... que começar pelos Pitagóricos, pelos Cínicos, vamos falar dos Socráticos, ou prefere falar do legado romano nas ciências, na técnica, no urbanismo, na noção de Direito (a qual foi sublimada pelos filósofos cristãos medievais), na filosofia...?
Avicena e Averrois baseia-se enormememnte nos escritos gregos (portanto, europeus).

Não temos culpa que os muçulmanos nos tivessem roubado o legado dos nossos antepassados clássicos, mas felizmente que esses conhecimentos voltaram às nossas mãos, sendo que nós, e não outros, os soubemos aproveitar. E inclusive, levamo-los para África.

Mas é da Rússia que este tema se trata, e das presumíveis vantagens que existem na eleição de um negro para uma Junta de Freguesia russa.
E para isso ainda não me explicaram quais são as vantagens, a não ser que se assuma que um Presidente negro seja melhor que um branco, o que neste caso parece-me ser uma posição, no mínimo, racista.

ab,

Anónimo disse...

"Se não fôssem os árabes a inventar o Algebra, as leis de comercio, a bussola e as suas tecnicas de construções, estariamos em guerra com os povos germanicos até hoje"

Estou a rir com tantos aburdos.....

O evoluidíssimo povo árabe é hoje uma civilização? ha ha ha ha ha ha

Os árabes não sabiam nem mesmo fazer casas. Roubaram muitas coisas de outras culturas.

Inácio Cristiano disse...

Ygor disse:
"Veja como os angolanos, caboverdianos e guineeses são tratatos em Portugal, vejam como vivem os negros no Brasil..."

-No caso de Portugal, que é uma realidade que conheço pessoalmente devo informá-lo que os próprios opositores politicos que se opunham a Portugal, e que lutaram contra a antiga metropole, e que por circunstâncias várias foram exilados, escolheram Portugal para sua segunda pátria e não os paises limitrofes (eventualmente)das suas etnias.
O Ygor pelas suas afirmações parece-me um individuo com o pensamento "muito" linear, com conhechimento muito rudimentar da história africana, e um critico adepto do fundamentalismo anti-islamico. (o senhor pode ser pan-africano, mas isso por sí só, não faz de sí, um entendido da história real. Eu pelo menos vivi 12 anos em Angola e Guiné-Bissau, sei do que falo).

Ao Anónimo das 3.47
e ao Pippo:
-As vossas intervenções foram oportunas e didáticas, e isso é importante.
Quando o "colonizado" sente orgulho do "colonizador" como nós portugueses/europeus, significa que atingimos um patamar cultural despurado dos efeitos negativos, e previligiamos os "aportes" que advieram da confluência histórica.
Todos os povos aspiram ao retorno da dignidade, mas só há um caminho, depois de hoje o de... amanhã ! (e não o de ontem!)

Quanto ao papel dos arabes, que Pippo descreve bem,...mas menosprezando um pouco a sua abrangencia.

-Aos arabes se deve as regras de comércio, transportando mesmo de longas distancias, os excessos de produção locais, por trocas de outros excessos produzidos e disponiveis no momento (não a saque)noutros locais distantes e dessa troca resultar uma mais valia para todos os intervenientes, veio dinamizar toda uma região, que vivia fechada sobre sí mesma e torná-la próspera.

Pode parecer acessório todas estas considerações, mas para recentrar o tema de um vendedor de melancias com aspirações politicas....o que a história andou para aqui chegar!

Anónimo disse...

Ao Anonimo das 15:48,

Eu nao tenho vergonha nenhuma de admitir que, em 700 e tal anos, o territorio que e hoje Portugal, foi povoado por arabes, berberes e outros povos "arabicos". Construiram castelos e povoamentos e plantaram agri-culturas que sao hoje consideradas tradicionais portuguesas.
Quem diz que roubaram muito a outras culturas que se olhe bem no espelho.

Pippo disse...

"Quem diz que [os árabes] roubaram muito a outras culturas que se olhe bem no espelho."

É mentira?

E o sistema agrícola, será que foi inventado pelos árabes (que vêm do deserto) ou pelos berberes (que vêm da montanha)? Se calhar já cá existia...

anonimato anónimo disse...

Pois é

Falando em Africa

O primeiro povo a chegar por a lá foram os árabes

Eles fizeram algo de bom por aquelas bandas? Nada

Países como Nigéria, Chade, Sudão, Somália e tantos outros estão em guerras terríveis

Angola e Africa do Sul são os que mais prosperam porque eles têm maioria cristã

Pippo disse...

Anonimato Anónimo, penso que não podemos generalizar a esse ponto.

Cada caso é um caso. A influência árabe (muçulmana) no Senegal e Mali, por exemplo, não foi totalmente má, talvez por causa dum certo sincretismo religioso, mas em compensação levou ao surgimento de guerras religiosas. É complicado.

Outro fenómeno é o da escravatura. Os árabes faziam escravatura, e a que escala!
Quando nos acusam a nós, europeus, de sermos os culpados pela escravatura, os acusadores esquecem-se que os árabes traficavam escravos a uma escala medonha, e que esse tráfico incluía pretos mas também brancos cristãos (portugueses, espanhóis, franceses e italianos).
E esses mesmo acusadores "esquecem-se" que a maioria dos escravos pretos eram capturados... por outros negros(!), que depois os vendiam a quem pagasse mais, fossem eles árabes ou cristãos.

Tentou relacionar a presença árabe com guerras no Sudão, Chade, Somália... mas Angola viveu 30 anos de guerra e no Ruanda (maioria cristã) deu-se um genocídio de proporções épicas, e assim por diante.

Em compensação, nem em Angola nem no Ruanda há escravatura, ao passo que no Sudão há...

É complicado. Mas não generalize pois, como disse, cada caso é um caso.

Por isso é que eu (voltando ao assunto) quase me rio com a generalização que se fez aqui de que um candidato negro é inerentemente bom, presumivelmente apenas por ser negro. Seria uma presunção divertida se não fosse tõ triste...

Anónimo disse...

[Angola e Africa do Sul são os que mais prosperam porque eles têm maioria cristã

anonimato anónimo]

então queres dizer que o cristianismo os salvou? haja ignorancia, perdoa-me pela expressão

concordo com o pippo

Anónimo disse...

Pippo, 13:58:

Para que minimizar ou diminuir a importancia de povos que habitaram Portugal? Porque ate foram de influencia positiva a um nivel ou outro. Acho que polarizacao e exagero nao fazem justica a grande Historia de Portugal, ate porque a Reconquista nao foi um evento preto-no-branco. Como exemplo no lado de (hoje)Espanha, ate mesmo El Cid trocou de lados a certa altura. E houve povos que lucraram IMENSO com o odio e o sangue derramado mas nunca puseram o pe no campo de batalha.
Os povos norte-africanos tem uma cultura tao forte e mais antiga que Portugal e, de facto, os primeiros humanos que povoaram a Peninsula Iberica nao vieram do leste do Mediterraneo mas sim direitinhos do Estreito de Gibraltar, Noroeste de Africa, muito antes da existencia do Sahara.
A nossa heranca genetica tem raizes profundas vindas de Marrocos que, de longe, sao mais antigas que todos os povos vindos do Medio Oriente. E eu digo TODOS.

Isto tudo se sabe apesar de deturpacoes no registo historico e tentativas reles de minimizar a heranca cultural Portuguesa, simplesmente por ser de Portugal e/ou muculmana. Tomara que o leste do Mediterraneo tivesse a totalidade dos seus povos a respeitarem a cultura e a heranca cultural pre-existente ha milenios. Alias, Jesus da Nazare pediu a quem o ouvisse que nao falassem mal de gente alheia e respeitassem o vizinho.
E mentira?

Que relevancia tem quem inventou a agricultura?