segunda-feira, agosto 10, 2009

Tropas russas poderão ser autorizadas a actuar em qualquer região do mundo

O Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, anunciou hoje ter apresentado à Câmara Baixa do Parlamento Federal um projecto-lei que regulamenta o emprego das Forças Armadas russas no estrangeiro.
“Este assunto está ligado ao que aconteceu há um ano”, precisou Medvedev, referindo-se ao conflito russo-georgiano em torno da Ossétia do Sul, e acrescentou: “Não queremos nada que se repitam tais acontecimentos, mas é necessário ter um regulamento estrito”.
O dirigente russo fez essa declaração numa reunião com os dirigentes dos quatro partidos representados na Duma Estatal da Rússia, realizada em Soitchi, no sul do país.
Dmitri Medvedev pediu aos deputados para introduzir alterações à lei “Sobre a Defesa”, propondo uma adenda ao artigo 10 dessa lei, que define o emprego das tropas russas no estrangeiro.
Segundo essa adenda, as tropas russas poderão ser empregues para “rechaçar ataques contra as Forças Armadas da Federação da Rússia ou contra outras tropas aquarteladas fora do território da Rússia”, “rechaçar ou impedir a agressão contra outro Estado”; “defesa dos cidadãos da Federação da Rússia no estrangeiro” e “lutar contra pirataria e garantir a segurança da navegação”.
A “defesa dos cidadãos da Federação da Rússia no estrangeiro” foi, ainda antes de estar prevista na lei, foi o pretexto utilizado por Moscovo, em Agosto do ano passado, para expulsar as tropas georgianas da Ossétia do Sul e levar os seus militares às portas de Tbilissi, capital da Geórgia.
Quem será a próxima ou as próximas vítimas desta nova doutrina militar?

14 comentários:

MSantos disse...

Deixe lá!

Pelo menos não impuseram ficar à margem do TPI ;)

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

Mas o que é que isso tem de especial, JM?

Dadas as alterações na política internacionais, aumento da incerteza, aumento das ameaças provenientes do exterior, etc., esta medida é absolutamente normal. Todos os Estados que têm poder fazem-no.

Recordo que, por exemplo, os EUA até têm leis que permitem às suas forças policiais efectuar detenções em países estrangeiros, com ou sem a permissão das autoridades locais.

O Japão, com uma constituição pacifista, está em processo de revisão legal para permitir o rearmamento das suas FA e seu posicionamento no estrangeiro. A Alemanha idem.

E até Portugal, com umas FA minúsculas, tem homens no Afeganistão, e sem caveats. Tudo isso para proteger o "interesse nacional".

anónimo russo disse...

Segundo essa adenda, as tropas russas poderão ser empregues para “rechaçar ataques contra as Forças Armadas da Federação da Rússia ou contra outras tropas aquarteladas fora do território da Rússia"

Não contra "outras tropas", mas contra as FA russas fora do território da Rússia. È assim que foi dito.

Anónimo disse...

O Urso está acordado, ai de quem o provocar!!!!!!!!!!!!!

PortugueseMan disse...

Quem será a próxima ou as próximas vítimas desta nova doutrina militar?

Meu caro, depois do que aconteceu à Geórgia pelo o que fez, e a Rússia ter mostrado do que pode fazer, duvido que a lista seja muito extensa...

Agora o aviso à navegação está dado.

Mais interessante do que a alteração à lei (afinal bem mais preocupante foi o facto de tanto a Rússia como os EUA terem alterado a sua constituição que passou a permitir o uso de armas nucleares, em países que não as disponham), é facto da Rússia sentir-se preparada para fazer valer os seus pontos de vista, onde quer que eles estejam.

Este é simplesmente mais um sinal para quem patrocina aventuras...

Anónimo disse...

A proxima vitima vai ser Jose Milhazes... :)))

Anónimo disse...

Desde que uma das baixas seja o anonimo russo...

Anónimo disse...

Porque não simplificam, sintetizam ao máximo e colocam em texto legal, simplesmente isto:

Pode actuar em qualquer lado e sob que pretexto fôr.

Não constitía o direito soviético, ele mesmo, afinal um absurdo, e uma arbitrariedade de todo o tamanho, ao não consagrar os proncípio "nullum crime sine lege previa", "nullum pena sine crime previo" ao estabelecer num famoso artigo que: podiam ser não punidos certos crimes previstos na lei, enquanto que, certos crimes, embora NÃO PREVISTOS na lei, podiam ser punidos?

Estava aquí aberta a porta para todas as arbotrariedades e a caça aos "inimigos do povo".

Serve, mutatis mutandis, para esta nova "política de defesa dos interesses do Estado e dos Cidadãos"

Já agora, duvido muito que esteja em condições de operacionalidade para a fazer (obselescência do material) mas já todos sabemos da famosa "alma russa" e da sua propensão para a tragédia e o suicídio (Nota: Podem começar a encomendar os caixões - se houver verba para isso - e a afinar a Orquestra para tocar a Marcha fúnebre de Chopin, os funerais de estado russo sempre tiveram uma carga emotiva muitíssimo pesada.

Denilson disse...

Quem será a próxima ou as próximas vítimas desta nova doutrina militar?
HAHAHAHAHA claro que será a Suiça pois ela tem armas de destruição em massa e esta trabalhando para contruir outras , colocando a Europa em perigo.

Wandard disse...

"Quem será a próxima ou as próximas vítimas desta nova doutrina militar?


Sr. Milhazes,

E quem serão as próximas "vítimas" dos Estados Unidos?..Tem uma relação enorme das que já foram ou são, e que o senhor bem conhece e acredito que todos que aqui frequentam também. Pelo menos a Rússia não possui um documento de mais de mil de páginas chamado "Agenda Externa" dos Estados Unidos da América Para:

Rússia, América Latina, Ásia Central, África Austral, África Subsaariana, Europa do Leste.....

Começando por: Os Estados Unidos como única superpotência do mundo..................................

Pelo que sei a Rússia possui 474 bases dentro da Federação e não 800 espalhadas pelo mundo.

Paulo Portas disse...

JM esta apanhado na cabecinha... Quem já tem experiencia da prostituição politica fica assim. Vai-te ate Lviv e fica lá com amigos do Jest...

rouxinol de Bernardim disse...

avolumam-se os problemas, crispam-se situações, mas... nos states não é assim? Nós não intervimos também?

Esperemos que o mal não se agrave e se entre numa pré-guerra fria...

cmpts

ww.rouxinoldebernardim.blogspot.com

Pippo disse...

JÁ ESTAMOS numa pre-Guerra Fria... Tudo fruto das ambições desmesuradas dos vencedores da anterior Guerra Fria.

Oh Well, Okay. disse...

Faço minhas as palavras do Pippo e do Wandard.

Era uma surpresa se fosse o primeiro país a actuar assim. Como não o é, nada demais. Somos todos livres não é? E iguais? Então se os EUA podem, porque não a Rússia?