sexta-feira, setembro 04, 2009

Guineense pode ser o "Obama russo"


Joaquim Crima, natural da Guiné-Bissau e, actualmente, cidadão da Rússia, foi autorizado a participar nas eleições para a assembleia conselhia de Sredneakhtubinsk, no distrito de Volgogrado.
“A Comissão Eleitoral registou Crima candidato a deputado da duma (assembleia) conselhia de Sredneakhtubinsk. Ele irá lutar pela conquista do mandato nas listas uninominais do círculo eleitoral Nº7”, anunciou Viktor Sapojnikov, presidente da Comissão Eleitoral Territorial.
Joaquim Crima, que prefere que os russos o tratem por Vassili Ivanovitch, nome e patronímo do lendário herói comunista Tchapaev, nasceu em Bolama, na Guiné-Bissau, a 20 de Abril de 1972. Depois de se formar em Pedagogia num instituto da cidade de Volgogrado, antiga Estalinegrado, o guineense casou-se com uma arménia e dedicou-se à venda de melões e melancias.
Poucos foram os que levaram a sério o desejo de Joaquim Crima participar na luta política regional, nomeadamente a esposa.
“Há muito que o meu marido vinha dizendo que se tornaria um grande político, mas ninguém acreditava nele...”, declara a esposa Anait ao diário Komsomolskaia Pravda.
“Eu também me ria, mas, quando um parente do meu marido telefonou de Portugal e propôs-lhe o cargo de presidente de uma pequena zona rural, ele começou a pensar. A minha família recusou-se a ir para Portugal, mas porque é que o meu marido não se pode tornar num grande chefe na Rússia? Toda a gente gosta dele”, acrescenta a esposa.
Segundo uma das lendas que se contam na região, conta o Komsomolskaia Pravda, os bandidos locais tentaram controlar o negócio do guineense, mas nada conseguiram e retiraram-se entre grandes gargalhadas.
“Vassili Ivanovitch (Crima) desarmou-os afirmando que era um príncipe negro. Que não lhes dava dinheiro por uma questão humanitária, pois, caso contrário, o seu país declararia guerra à Rússia e as tribos vingativas comeriam a população local”, escreve o jornal.
Militante do Partido Rússia Unida desde 2008, Crima não esconde as simpatias pelo actual dirigente dessa força política, o primeiro-ministro Vladimir Putin, e que votou em Dmitri Medvedev nas últimas eleições presidenciais.
As sondagens dão a Joaquim Crima, também conhecido por “Obama russo”, 25 pc dos votos no escrutínio, que terá lugar no próximo dia 11 de Outubro, mas a campanha eleitoral promete ser difícil, dado o grande número de candidatos no círculo uninominal: nove.
Entre os concorrentes está o mulato Filipp Kondratiev, filho de pai ganense e mãe russa, realmente parecido com o actual Presidente norte-americano.
Mas Joaquim Crima está disposto a ir até ao fim, prometendo “trabalhar como um negro” caso receba o apoio dos habitantes Sredneakhtubinsk.

13 comentários:

Anónimo disse...

O Joaquim com o diploma de pedagogia poderia estar bem melhor em Guiné. Boa sorte ao Joaquim !

Jancher disse...

senhor Milhares não e correto fazer comparações pois todos sabem que a Russia e estados Unidos são paises completamente diferentes.

Jose Milhazes disse...

Leitor Jancher, Obama russo está escrito entre aspas, o que significa que se trata de uma forma de expressão e não de uma comparação directa de situações.

Anónimo disse...

Infelizmente mentalidade russa ainda esta longe de mais para aceitar "Obama russo", más poderia ser um bom inicio para acalmar o racismo no pais. Por acaso o "Obama português" tambem não esta a vista, a tolerancia e domocracia esta ainda para chegar a SEF. Com tantas ligaçoes e amizade com Africa nenhum partido portugês tem africanos na cabeça das listas... Porque?

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, a sua pergunta é permente. Considero que em Portugal não há deputados negros, porque existe racismo encapotado, em todos os partidos sem excepção. Mas isso também se pode dever ao facto de os africanos estarem mal organizados.

Anónimo disse...

Não estou de acordo com meu collega Anonimo de 02:43. Apesar de tudo, com toda insegurança e todas das problemas da Rússia actual, Joaquim tem muito (mesmo muito) mais oportunidades de desenvolimento na Rússia em comparação com Guinéa. Por amor de Deus não compara a Rússia com Guinéa, estes paises jogam nas ligas differentes.

Anónimo disse...

sr. milhazes, no seu tempo, o seu sonho não se irá realizar, mas daqui a 200 anos poderá estar seguro que os parlamentos europeus estarão repletos de obamas.

dados demográficos:

Reino Unido,

população não branca(2009):15%
novos nascimentos:33%

area de londres:2009 cerca de 50%

a cidade berço da revolução industrial e um dos centros da civilização europeia já não é branca.

portugal:
em 1980 um país 100% homogeneo..

neste momento

1/6 dos nascimentos são de crianças não brancas(17%)

isto aconteceu numa geração, mais 2-3 gerações e o processo será irrevervivel

agora uma palavrinha muito a sério para si, sr jornalista.
Se os nacionalistas chegarem ao poder você será esquartejado em publico em conjunto com os seus camaradas, esta traição nunca será esquecida.

Anónimo disse...

Boa gente, estes nacionalistas.

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo nacionalista, não se preocupe com o meu destino, porque considero o povo português sensato. Por isso, fique à espera sentado.
E mais uma coisa, não seja cobarde, como se chama? Ou tem medo?

Anónimo disse...

"Se os nacionalistas chegarem ao poder você será esquartejado em publico em conjunto com os seus camaradas, esta traição nunca será esquecida."


Espero sinceramente que o povo português não se pareça com esse tipo de lixo humano.


Pobre coitado... pode se acostumar, racista fedorento... o futuro do mundo é multiétnico.

Ítalo

Pippo disse...

Porque é que o futuro do mundo há de ser multiétnico? Qual é a vantagem nisso?
Por exemplo, e neste aspecto o nosso "amigo" nacional-extremista tem razão, na Europa, multietnicidade é sinónimo de desaparecimento da raça branca, em suma, da sua extinção. Isso é positivo?
Qual é a vantagem para a Rússia em ter indivíduos africanos no seu seio? Desconheço.
Da mesma maneira que desconheço qual é o valor acrescentado que um canditato negro, ou mulato, ou indiano ou chinês trás para Portugal.
A não ser, é claro, que se considere que ser-se "não branco" já de si constitui uma vantagem, o que implica, a contrario senso, que se considera que ser-se branco é negativo.
Esta linha de pensamento tem muitos seguidores nos dias de hoje, como sabem. É ofensivo dizer-se "preto", "chinoca" ou "monhé", mas quando nos chamam de "branco", "braquelas" ou "snow flake" temos de sorrir e engolir;
Ai daquele que diga que "a culpa disto é dos pretos", mas já é bonito dizer-se que "a culpa disto é de gente branca de olhos azuis";
E claro, na Europa é exigível haver candidatos imigrantes, não-europeus, mas na África negra Já ninguém exige que haja candidatos brancos. Tal seria neocolonialismo.

Pois é, temos, de facto, por esse mundo fora, muito racismo encapotado. Mas dão-lhe um outro nome. Acho que lhe chamam "politicamente correcto"...

Vangelis D'Megara disse...

Sou brasileiro, descendente de índios,turcos,judeus e portugueses(como todo brasileiro)e , para a surpresa de muitos, concordo com o Pippo, ser racista é uma coisa, aceitar seu país ser engolido por uma maré humana é outra.....nos índios fomos engolidos...em muitas partes da America nos desaparecemos, é isso q vocês querem na europa???,querer que seu pais seja como sempre foi é necessariamente ruim?, se eu fosse europeu certamente não gostaria de ver um estrangeiro querendo se impor (na verdade eu não gosto de certos portugueses, espanhóis e holandeses que chegam aqui como se fossem os reis sei lá do que...)nada contra os negros, os europeus, os muçulmanos e o quer que seja mais....mas e preciso aceitar todo tipo de coisa? isso é racismo? ou é anti-subserviência ?

Anónimo disse...

Deixem de complexos e estupidez... Ninguem no mundo sabe da sua verdadeira origem. o Mundo é complexo, por acaso sou Guineense, e na Guiné temos brancos, pretos, mestiços, muçulmanos, católicos atéus, animistas no poder. Nao somos legalmente racistas, nao querendo dizer que nao temos racistas.Ora bem sabe-se que o Europeu tem medo do Africano desde os primordios, ora porque os negros nao sao seres humanos, ora porque sao inferiores,varias mesquinhices (cobardice).PORQUê é que se aceita que A AFRICA É BERSO DA HUMANIDADE ENTAO? ORIGEM DAS VIDAS.Legalmente esse senhor é Russo,compreendido?? pode candidactar-se,estamos e nesse caso a Russia é "Democratica".