terça-feira, setembro 15, 2009

Impressões de viagem a alta velocidade




Na segunda-feira, tive a possibilidade de participar nos testes do "SAPSAN" (Falcão), TGV da Siemens fabricado especialmente para a Rússia, e devo dizer que se trata de uma sensação muito agradável.


Infelizmente, não batemos recordes mundiais, pois os caminhos de ferro russos tal não permitem, mas conseguimos chegar aos 252 km/hora. Na foto publicada, apenas consegui registar os 251 km/hora. Uma sensação inesquecível.


Fiquei espantado ao ver pessoas a atravessar a linha de comboio com uma calma impressionante. Ainda bem que o SAPSAN avançava a uma velocidade baixa, mas, segundo nos disseram os condutores, acontece terem de travar de emergência, embora isso seja uma manobra difícil. Se o comboio for a uma velocidade de 250km/hora, necessita de mais de dois quilómetros para travar.


Amanhã, irei escrever mais pormenorizadamente sobre a minha viagem a São Petersburgo, mas deixo desde já claro que, com estas impressões, não quero envolver-me na discussão sobre o TGV em Portugal, pois acho que se trata de duas situações sem qualquer possibilidade de comparação.

5 comentários:

Anónimo disse...

Sr Milhazes tive a aportunidade de viajar no eurostar, foi fantástico. O Sr tem informações de quanto custará o projecto russo?

Cpmts

Pippo disse...

Ainda me lembro da viagem que fiz de Moscovo a S. Peterburgo.
Era um daqueles comboios onde os bancos desciam para se transformarem em camas. Cada pessoa ia buscar o seu lençol e cobertor, fazia a sua cama e assim aconchegado passava a noite, no meu caso, com os pés de fora da cama!
Felizmente estava um pouco constipado!
De manhã foi a azáfama de devolver os cobertores e de ir buscar chá a uma cabine onde estavam "hospedeiras de bordo". em frente à cabine estava um enorme samovar.
Uma das coisas que me admirou foi a fineza do vidro dos copos de chá e aquela espécie de pegas metálicas para envolver o copo, muito giras.
à nossa volta, as pessoas abriam o seu farnel e uns quantos iam para os extremos da carruagem fumar a sua gigarrada.

A dada altura, não sei porquê, o comboio ficou parado umas horas num local onde só se via neve e algumas árvores. Depois retomou a marcha e lá chegámos a S. Peterburgo.
Uma das minhas fotos favoritas continua a ser aquela em que eu estou em frente ao Aurora.

Anónimo disse...

Interessante! É também preciso que os russos de rendimentos médios possa viajar nesses comboios. esperemos que sim!

Jose Milhazes disse...

Caro anónimo, cada TGV SAPSAN custa 10 milhões de euros. O projecto total, com fabrico e manutenção de TGV's, ronda os 600 milhões de euros.

Maquiavel disse...

Entäo fazem um comboio especialmente para a Rússia mas as informaçöes säo em inglês??? :?