domingo, setembro 13, 2009

O futuro incerto da "OPEP do gás natural"


Os analistas não são unânimes na avaliação das perspectivas de transformação do Forum dos Países Exportadores de Gás (FPEG) numa espécie de “OPEP do gás”. Alguns consideram pouco provável a criação de uma estrutura que regule os preços mundiais do gás, mas outros consideram que se pode transformar numa organização mais poderosa do que a que reúne os exportadores de petróleo.
A ideia da criação de uma “OPEP do gás” foi lançada pelo Presidente da Rússia, Vladimir Putin, num encontro com o seu homólogo turcomeno, Saparmurat Niazov, em 2002, mas a ideia não teve o apoio do Turquemenistão, um dos maiores produtores mundiais de gás.
No início de 2007, Ali Hamenei, líder supremo do Irão, fez a mesma proposta num encontro com Igor Ivanov, secretário do Conselho de Segurança da Rússia, e foi ganhando força até que foi criado o FPEG, de que fazem parte a Argélia, Bolívia, Egipto, Guiné Equatorial, Irão, Líbia, Nigéria, Qatar, Rússia, Trindade e Tobago e Venezuela.
A Noruega e o Cazaquistão são membros observadores.
A posição da Rússia em relação a esta organização é ambígua. Se, por um lado, Moscovo considera que o mercado mundial do gás não pode ser regulado como o mercado do petróleo, os dirigentes russos não estão contra a utilização deste forum para formar os preços do “combustível azul” e pretendem ao papel central no seu seio.
“É difícil esperar uma posição conjunta, por exemplo, sobre os volumes de extracção de gás. É pouco provável que a Gazprom queira aconselhar-se com alguém sobre isso. Por conseguinte, não será uma OPEP completa”, considera Dmitri Alexandrov, perito da empresa financeira “Financial Bridge”.
Segundo ele, “a única coisa que podem fazer é a elaboração de uma especificidade conjunta de contratos para o comércio na bolsa, o anúncio conjunto de níveis de preços de gás semelhantes, uma estratégia conjunta de desenvolvimento e trabalho nos vários mercados”.
Depois de constatar que “o mesmo fenómeno observa-se nas relações entre a Rússia e a OPEP”, Alexandrov acrescenta que o FPEG, não obstante, se pode tornar numa organização mais influente que a OPEP.
“Em princípio, é preciso compreender que a “OPEP do gás” acabará por controlar um maior de volume de comércio e extracção mundial do que que a OPEP”, sublinhou.

62 comentários:

Anónimo disse...

Tomara que dê errado o projecto imperial russo. "Opep do gás", leia-se "poder de se fazer chantagens".

Anónimo disse...

Angola tambem faz parte da OPEP

Jest nas Wielu disse...

O fotógrafo russo (tártaro) conhecido pelo nick drugoi em Lisboa:
http://drugoi.livejournal.com/3042155.html

Diogo disse...

Como vai a Gripe A aí pela Rússia?

Jornal Nacional da TVI (7 de Setembro de 2009) - o embuste da Gripe A e os biliões ganhos pelas farmacêuticas com o medicamento Tamiflu

Jornalista da TVI: Um dos homens que mais tem lidado com a Gripe A em Portugal é o Director do Serviço de Doenças Infecciosas do Hospital Curry Cabral. Fernando Maltês afirma que a Gripe A vai matar menos gente do que uma simples gripe sazonal (gripe comum), que é mais inofensiva e trata-se, na maioria dos casos, com antipiréticos. O Director Geral de Saúde Espanhol é da mesma opinião.

Director Geral de Saúde Espanhol: Se morrem muitas pessoas em Espanha por contaminação atmosférica, ninguém presta atenção. Ou se morrem tantas pessoas por fumar, ninguém lhes presta atenção. Mas se, pelo contrário, morrem duas pessoas com gripe, presta-se muita atenção. É lógico, eu entendo, mas pouco a pouco a sociedade tem que amadurecer e dedicar o tempo que cada problema requer em função da sua gravidade.

Dr. Fernando Maltês: O Tamiflu, desde o princípio desta pandemia, tem sido encarado pela população como uma espécie de fármaco milagroso, o que não é verdade. E no que diz respeito à eficácia, concretamente no vírus da gripe, é uma eficácia que está, digamos, mal documentada. Se houver um conjunto de factores que digam – vale a pena administrar o fármaco – o médico administra, caso contrário, balançando os efeitos benéficos com os potenciais riscos, é preferível não administrar.


Jornalista da TVI: Já lá vão quatro meses desde que foi confirmado o primeiro caso de Gripe A em Portugal e, até agora, não há qualquer morto a registar. Em média, por ano, morrem em Portugal mais de mil e quinhentas pessoas de gripe, sem aberturas de telejornais e sem a Ministra da Saúde todos os dias nas televisões.

A verdade é que o mundo está preocupado com a Gripe A e já há empresas a ganhar milhões à custa do H1N1 (vírus da Gripe A) . A farmacêutica Roche, por exemplo, cujas vendas do seu Tamiflu caíram quase 70% quando o mundo percebeu que já não havia perigo de uma Gripe Aviária, vê agora as vendas desse mesmo medicamento dispararem em mais de 200%.

Ajuda importante também para a Glaxo Smith Kline, o laboratório britânico a quem Portugal já encomendou seis milhões de doses da vacina contra a Gripe A, a 8 euros cada uma (48 milhões de euros) , teve um ano difícil do ponto de vista financeiro. Eis senão quando, surge o tal vírus, H1N1, que deverá render, só ao laboratório britânico, cerca de dois mil milhões de euros, tendo em conta que as encomendas estão quase a atingir as trezentas milhões de doses.

VÍDEO da notícia na TVI

Anónimo disse...

Milhazes:
sabe alguma coisa do filme que ganhou o Prémio Douro?
De que trata?

Anónimo disse...

Transformar o gás numa commoditie é muito complicado, pois nem todos países consomem gás natural

O gás é menos importante do que crude e minerais (industrialmente) além de necessitar-se pesadas infraestructuras

SLAVA ROSSII disse...

************************

http://www.youtube.com/watch?v=UmReZGhb-kQ&feature=channel_page

Anónimo disse...

""Tomara que dê errado o projecto imperial russo. "Opep do gás", leia-se "poder de se fazer chantagens".""

A Rússia está certa! Faz o jogo em favor de seus interesses. Não há nada de errado ao criar e chefiar uma organização que defenda interesses comuns.

Francisco disse...

Sobre este assunto dos pipelines Russos actuais e os projectados para abastecer a Europa há uma questão que ninguém ainda levantou. Que são as rivalidades Germano/ Polacas, por o que se passou quando da assinatura do tratado de Lisboa viu-se que as coisas continuam azedas e as feridas estão bem abertas, com as declarações publicas do Presidente Polaco ao afirmar que se a Polónia não tinha mais população devia-se ao genocídio perpetrado por os Alemães .Isto revela bem o ambiente reinante,
Para não mencionar as escaramuças frequentes entre os adeptos de futebol dos dois países. Os Alemães dificilmente esquecerão a parte de território que perderam em beneficio dos Polacos. Se os Polacos desconfiam dos Alemães, os Alemães não confiam nada nos Polacos.

Outro pormenor não menos significativo. A Polónia em termos militares passou a interessar mais aos EUA que a Alemanha, porque além da colocação dos DAM, os Americanos estão a transferir algumas das suas forças da Alemanha para a Polónia.

A Rússia está a jogar habilmente com essas desavenças. Se o corrente Norte se concretizar os maiores prejudicados serão os Polacos (e outros que ainda acreditam em contos de fadas e chuva de € ).
Temos que ter presente que a Alemanha entrou no sector industrial da Polónia e de grande parte dos países da Europa Central como faca em manteiga quente, domina hoje a quase totalidade dos sectores estratégicos industriais dessa região, não será exagero afirmar-se que os Alemães conseguiram mais com Marcos e €uros que Hitler com tanques. Ou seja; uma uma “colonização” desejada.

Imagine-se quando os Alemães tiverem as garantias do abastecimento directo do gás Russo. Se hoje esses governantes subservientes aos interesses de Washington, brincam ao gato e ao rato com os Russos (e restantes) por apenas o gás transitar por os seus territórios para Ocidente. Veremos como será no dia em que esse problema esteja sanado.
Esquecem que o guarda chuva económico Americano de nada os pode proteger.
Veremos!!!!!!!
Cumprimentos

Yan disse...

Francisco não fale do que você não entende. 80% setores estratégicos industriais da Polónia estão em mãos do governo ou de empresas privadas polacas. Se a economia polaca fosse tão dependente da alemã ou russa, seria extremamente atingida pelas grandes quedas do PIB desses dois países (Rússia, queda de 10% e Alemanha de 5,6%). No entanto, a ecnonomia polaca será a única que terá crescimento positivo em toda a UE, sendo de mais de 1%.

Mais uma coisa, excetuando alguns velhos e um grupelho mais específicos, os alemães nem querem saber de suas terras anteriores. Como da mesma maneira, os polacos não querem saber de ex-cidades suas como Vilnius (que antes da guerra foi 80% polaca) e Lviv, Brest, etc.
E mais, não leve muito em questão o que o presidente Kazinski diz...ele nao manda nada lá...quem manda é o Tusk, e esse é muito mais moderado.
E tenho absoluta certeza que se a Rússia inventar de invadir qualquer país membro da OTAN, pode ser a mísera Estônia, vai levar chumbo na bunda. Se não, não existe sentido na existência dessa aliança

Anónimo disse...

acho que o país que corre mais perigo com a queda de poder de influência americano é ISRAEL, sem sombras de dúvida.

Anónimo disse...

Não sei se Portugal pode falar alguma coisa. Quase 75% do setor industrial do país é de propriedade estrangeira, sendo que a Espanha é dona de quase a metade.

M. Diná disse...

Em 2030, Portugal será o país mais pobre da UE.
Tenho pena da sua gente, mas sejam inteligentes e vendam a sua soberania para um povo mais brilhante que vocês, como os espanhóis. O portuga que não aceitar será deportado pra Rússia, lá serão muito mais felizes que nessa terra infeliz chamada Portugal.

VIVA A GRANDE ESPANHA!!!!

PAULÃO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

alguém está sabendo da notícia que a Ucrânia está planejando o desenvolvimento de ogivas nucleares para a sua segurança se a Rússia continuar com a sua hostilidade?

Anónimo disse...

Francisco

A Polónia é um dos países mais "keynesianos" da UE

Ela ainda precisa de cumprir os objectivos neoliberais impostos pela UE só para depois adoptar o euro como moeda.

Volodia disse...

**alguém está sabendo da notícia que a Ucrânia está planejando o desenvolvimento de ogivas nucleares para a sua segurança se a Rússia continuar com a sua hostilidade?**

O link da fonte por favor?

Grato

D.T Silva disse...

A Rússia está a errar em apostar em suas commodities como propulsor da economia. A Ue logo diversificará com alta tecnológia as suas fontes energéticas.
O futuro da Rússia está na China!

Anónimo disse...

poucos povos na europa são tão desiludidos com a UE que os portugueses. 80% prefere apoiar a Rússia do que a própria europa. É triste ver isso.

hummes disse...

POR QUE NÃO MANDAR ESSES "80%" PRA SIBÉRIA?
LÁ FUNDARÃO UMA LINDA REPÚBLICA LENINISTA-MARXISTA. ONDE PODERÃO PASSAR AS SUAS NOITES BEBENDO E FUMANDO E AS SUAS TARDES FALANDO MAL DA EUROPA E EUA.

Pippo disse...

"poucos povos na europa são tão desiludidos com a UE que os portugueses. 80% prefere apoiar a Rússia do que a própria europa. É triste ver isso."

Observação interessante. Qual é a fonte na qual se baseou?

Carlos M. disse...

"Anónimo disse...
poucos povos na europa são tão desiludidos com a UE que os portugueses. 80% prefere apoiar a Rússia do que a própria europa. É triste ver isso."

INTERESSANTE ESSA OBSERVAÇÃO. ANO PASSADO ESTIVE EM VÁRIOS PAÍSES DA EUROPA, INCLUSIVE PORTUGAL. E TIVE ESSE PERCEPÇÃO TAMBÉM EM LISBOA. MAS NÃO SEI QUAL SERIA A EXPLICAÇÃO PRA ISSO.

MAS NÃO ME SURPREENDE QUE ALGUNS PARTICIPANTES DESSE BLOG ENTREM EM ÊXTASE ORGÁSMICA QUANDO A RÚSSIA DE ALGUMA FORMA ATACA A SOBERANIA DE ALGUM MEMBRO DA UE

Anónimo disse...

Off topic

Rússia empresta dois mil milhões de dólares à Venezuela para compra de armas

A Rússia aceitou emprestar mais de dois mil milhões de dólares à Venezuela para financiar a compra de armas, incluindo tanques e avançados mísseis antiaéreos, anunciou hoje o presidente venezuelano. Hugo Chávez disse que o acordo foi feito na semana passada durante a visita a Moscovo, que inclui 92 tanques e o sistema de mísseis S-300, capaz de abater aviões de combate e mísseis de cruzeiro.

"Temos de agradecer ao governo russo, que aprovou um empréstimo de 2,2 mil millhões de dólares para gastos em armas", disse Chávez no seu programa semanal televisivo.

Nos últimos anos, a Venezuela comprou mais de quatro mil milhões de dólares em armamento à Rússia. Alguns analistas avançam que a Venezuela está a alimentar uma corrida às armas na América Latina, mas Chávez defende que só está a modernizar os meios militares do país para fins defensivos.


http://www.ionline.pt/conteudo/22931-russia-empresta-dois-mil-milhoes-dolares--venezuela-compra-armas

hummes disse...

'Rússia empresta dois mil milhões de dólares à Venezuela para compra de armas"


DEPOIS OS RUSSOS NÃO SABEM PORQUE A MAIOR PARTE DO MUNDO NÃO GOSTA DELES.
QUANDO VOU VER UMA NOTÍCIA DESSE TIPO:
'Rússia doa dois mil milhões de dólares à Venezuela para compra de alimentos e materiais de primeira necessidade"

COMO SER SIMPÁTICO A UM PAÍS QUE SÓ VENDE ARMAS, GÁS E PETRÓLEO?

Zé Carlos disse...

Pesquisa de Opinião


Quantos portugueses trocariam a UE pela Rússia?

1) trocaria
2) não trocaria
3) não sei

C.Ferreira disse...

1) trocaria

Anónimo disse...

[b]Italo pare de tumultuar o blogue, já sabemos o que fazes como anónimo e diferentes nicks

Conhecemos vossos modos de escrever[/b]

Anónimo disse...

1)trocaria

Anónimo disse...

trocaria

Francisco disse...

Os Portugueses ainda estão incluídos no grupo que mais acreditam na EU. Para isso basta conhecer as taxas de participação nas eleições para o Parlamento Europeu.
Quem não conhece essa realidade pode abjurar os credos que muito bem entender.
Não foram apenas os Portugueses que se serviram dos Fundos Comunitários para proveito próprio. A corrupção e compadrio é extensivo a toda a Europa. Exceptuando os países Escandinavos, temos o exemplo de Espanha considerada como modelo, no entanto os escândalos sucedem-se e a economia está mergulhada num buraco tremendo.
Quando se acusa de que roubaram, temos que ter o cuidado de não esquecer e apontar quem roubou. Os Portugueses são dez milhões não têm que responder por as diatribes de pouco mais de dez mil “senhores” engravatados. Assim como os Espanhóis, Italianos e por aí adiante. O povo; esse vive rastejando.
Outro ponto a ter em atenção; produção de riqueza não quer dizer forçosamente bem estar das populações. Talvez o Produto Per Capita do Brasil seja superior ao Espanhol, (de Portugal é de certeza) mas quem dera aos Brasileiros terem metade do rendimento dos Espanhóis.
Nada de confusões.
Mas o tema do debate não são questões ligadas ao gás? Assim sendo também estou a prevaricar!
Foi apenas uma correcção para desfazer certas dúvidas instaladas.
Obrigado

Francisco disse...

Senhor Yan!
Quais os sectores produtivos Polacos em que se verificou esse aumento do PIB, é bom que esclareça porque isso pode levar a algum tipo de confusões. A industria do sector da metalomecânica garanto-lhe que não foi. Era precisamente a esse que me referi que os Alemães se tinham apossado.
Sabe quais os produtos que a Polónia fabrica nesse sector para exportação? Os estaleiros navais de Gdansk ( pérola da Polónia durante muito tempo) não porque há muito que estão a definhar. Talvez a montagem de veículos automóveis?
Ou então artigos manufacturados pelas multinacionais que se instalaram para aproveitamento da mão de obra barata. Porque genuinamente Polaco as exportações resumem-se apenas ao carvão e produtos agrícolas altamente subsidiados, por esse facto a guerra com os agricultores de outros países já está instalada. As remessas dos imigrantes também contribuíram para a procura interna. Talvez não saiba que os Polacos trabalham por tuti e meia por toda a Europa.
Sobre esses 80% que cita que estão na mão do Estado ou dos interesses privados Polacos, verifica-se que tem uma manifesta falta de conhecimento dos mecanismos de funcionamento da União Europeia. Diz isso porque ignora que uma das condições essenciais para a adesão é precisamente a abertura dos mercados internos à concorrência. Desculpe mas neste ponto está errado deve informar-se melhor.


Outra acusação que levantou. Pode esclarecer melhor quais os vizinhos que a Rússia ameaçou ou pôs em perigo a sua segurança? Talvez queira referir-se à Geórgia? Quem agrediu primeiro?
Sabe eu vivo na Europa e não tenho conhecimento dos Russos terem colocado forças fora do seu território sem consentimento da ONU, mesmo no espaço contíguo às sua fronteiras. A Ásia Central é outro caso.
Que Polónia e os países da Europa de Leste que alinharam em tempos cegamente ao lado dos EUA em prejuízo dos demais vão pagara a factura não tenha duvidas. Basta estar atento aos alinhamentos que se estão a desenvolver, se não mudam vai sair-lhe caro.
Os países industrializados da Europa não querem confusões, pretendem estabilidade para as suas economias funcionarem, e para isso precisam de energia, e vão procura-la onde está mais perto e é mais segura. Porque esses entraves provocados pelas guerras do gás só tem servido os interesses das potências concorrentes da Europa.
È muito fácil compreender que se a Rússia estivesse interessada em fazer chantagem com o fornecimento de gás não estava a gastar somas astronómicas em colocar centenas de km de tubarias no fundo do mar. Por esse raciocínio também se punha em causa os abastecimentos ao Japão que está muito mais distantes das fontes de fornecimento em relação à Europa ou à China que num futuro próximo o maior fornecedor será a Rússia.
Sabe porque razão acontecem estas situações? Os EUA ainda não perderam esse sentido paternalista que mantiveram durante muitos anos em relação aos Europeus e em certo sentido também ao resto do mundo. Os tempos são outros e os interesses em disputa também. Por enquanto ainda vão jogando com os lacaios. Veremos por quanto tempo?
Cumprimentos

Anónimo disse...

Os EUA para continuarem a ser uma super-potência,têm que controlar os dois polos industriais do mundo(Alemanha e Japão)e a energia do médio oriente.

Anónimo disse...

Não me parece que estejam a ter sucesso!!

Anónimo disse...

E medir o potêncial de um país pelo valor do pib(ou crescimento do mesmo)é falacioso pois as multinacionais alemãs estão instaladas em força na polónia e contribuem para o pib desse país(e seu cescimento).

Anónimo disse...

Mais do que criaçao de riqueza(PNB
)era importante saber quanto dessa riqueza fica no país (RNB).

Anónimo disse...

Pois,parece-me que muito desse pib polonês vai para a Alemanha.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Jr disse...

A Polónia é um dos países que mais estão a crescer na UE.

Ela 'tem o poder de dizer não' aos russos e alemães. Aí poderemos ter um entrave na política energética da UE. O país é rico em carvão mineral!!

A actual política energética da UE é um fracasso!!

Márcia disse...

Desculpa a minha intromissão mas,

Francisco, você tem uma visão tacanha da economia. Se o crescimento do PIB polaco é falso o que me dirá das outras economias da região que cairam ao redor de 20% como a Lituania e Letônia. Aliás se você verificar, honestamente, a própria economia alemã tem muito mais capital estrangeiro (principalmente japonês e americano) que nacional. (o último dado que tenho girava em torno de 70%). Só se você for comunista pra ser contra a participação de capital estrangeiro na sua economia.

Eu poderia citar aqui vários produtos polacos exportados principalmente para a Europa Oriental, como os onibus Solaris, que domina os centros de budapeste e praga por exemplo. 400 desses onibus andam por Berlim, por exemplo...claro que vc não sabe...teu preconceito te cega.
A PKN Orlen, mais refinaria de petróleo da Europa Centro-Oriental, tem postos vários países da europa oriental e mais de 5000 postos na Alemanha (controla 10% do mercado de postos de combustíveis germânico, por exemplo). KGHM, a sexta maior indústria de extração de cobre do mundo. Bioton, maior indústria farmacêutica Centro-Oriental, controla 15% do mercado italiano, por exemplo. PESA, maior fabricante de trilhos de trem da Europa Centro-oriental.
Tem muitas outras, eu sei disso porque trabalho nessa área faz 4 anos. E pessoalmente, eu acho um milagre que um país que é capitalista há apenas 20 anos tem tantas grandes empresas. E pra quem já viveu nesse país deve concordar comigo que uma das grandes críticas que se faz, é que a Polônia privatizou muito pouco em relação aos seus vizinhos. Mas acredito que foi isso que salvou a economia desse país nessa crise.
E mais uma coisa meu caro francisco
O que você tem, em muito ainda, é típico preconceito que alguns portugueses tem em relação à Europa Oriental.

Quando você acusa os polacos de serem trbalahdores bratos, como se os portugueses não o fossem há apenas algumas décadas em países como Luxemburgo e Alemanha...mémoria curta, hein?

Orloi disse...

Some 70% of the whole sum of capital that forms the economy in Poland is Polish.. and there are more and more Polish companies who are succesful..

The cheaper labour is only one of the factors why people are investing here - the other important factor is education..

..there are many investments in R&D

There are also more and more Polish companies who create new succesful brands.

i.e. Solaris, PESA, Orlen, Vistula, Gino Rossi, Jade ect.

hummes disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Joao Pedro disse...

Um conselho pra o Francisco e outros mais "vesguinhos":
Pra quem estuda a economia dos países da Europa Central e Oriental, um erro muito comum que acontece é classificar todas essas nações como se fossem todas iguais. Por exemplo, a economia da Polónia é extremamente diferente da economia da Estonia. A primeira tem uma participação muito forte do mercado interno, já a segunda, o mercado interno é quase inexistente. A primeira tem uma economia mais estilo "Keynes" enquanto a segundo é bastante liberal...e por aí vai...

Zé Carlos disse...

Francisco

"Talvez queira referir-se à Geórgia? Quem agrediu primeiro?"

Você quer me dizer que a Geórgia agrediu a Rússia, você já distorceu toda história, meu deus do céu!!!
Que eu me lembre a Geórgia tentou controlar uma província rebelde (não entro no fato de quem estava atacando quem, por que não vem ao caso)...e a Rússia invadiu um país soberano como o presuposto de defender os abequazes. Em nenhum momento a Geórgia entrou em território russo, esqueceu? Só o que me falta, esse cara transforma as vítimas em vilões. SE VOCÊ CONCORDA E ACHA JUSTA ESSA INVASÃO RUSSA DA GEÓRGIA, VOCÊ DEVE CONCORDAR E ACHAR JUSTA A INVASÃO AMERICANA DO IRAQUE!

Zé Carlos disse...

""E medir o potêncial de um país pelo valor do pib(ou crescimento do mesmo)é falacioso pois as multinacionais alemãs estão instaladas em força na polónia e contribuem para o pib desse país(e seu cescimento).""

Isso se aplica também à Rússia (país que não produz praticamente nada, a não ser armas, petróleo e gás), Índia e principalmente à China, pois quase todo o crescimento do PIB nipônico é originário de empresas estrangeiras. Mas você teria coragem de dizer que a China não tem uma economia poderosa??!! Só se for louco...

PAULÃO disse...

NÃO SEI O QUE ESSES PORTUGAS FICAM SE ACHANDO.

O DESEMPREGO EM PORTUGAL É MAIOR QUE DA POLÔNIA, REP. TCHECA, ETC


ALÉM DISSO, QUERO QUE OS PORTUGAS LEIAM ESSE TEXTO: "Dívida externa e controlo da economia portuguesa pelo capital estrangeiro" http://odiario.info/articulo.php?p=
1225&more=1&c=1

OU ESSE: "Metade dos portugueses vive no estrangeiro"
http://diario.iol.pt/sociedade/port
ugal-portugueses-emigracao-
emigrantes-ocde-europa/947948-4071.html

«Portugueses ganham menos, trabalham mais e não reclamam»
http://diario.iol.pt/sociedade/trab
alhadores-espanha-emigrantes-
portugueses-trabalho/936270-4071.html





MANIA DE PORTUGA EM FALAR DO RABO DOS OUTROS E NÃO OLHAR QUE O SEU PRÓPRIO ESTÁ TODO CAGADO.

Anónimo disse...

Portugueses ganham menos, trabalham mais e não reclamam»



«Os patrões preferem os portugueses em vez dos galegos porque só pensam no lucro», disse, explicando assim o «dumping salarial» ou o «abaixamento dos salários pagos na construção».

Xosé Melon disse que «a situação piora de dia para dia» e que estão a chegar «cada vez mais portugueses à Galiza para trabalhar de qualquer forma, pondo em risco os direitos adquiridos pelos trabalhadores locais».

«Os trabalhadores portugueses são invisíveis, a maioria vive em contentores junto às obras, trabalham sem horário, sem férias e sem direitos», salientou Xosé Melon.

Anónimo disse...

"Que Polónia e os países da Europa de Leste que alinharam em tempos cegamente ao lado dos EUA em prejuízo dos demais vão pagara a factura não tenha duvidas."

HAHAHA DESDE A QUEDA DO COMUNISMO QUE ESCUTO ISSO. VOU ESPERAR...MAS SENTADO HEHEHE

Anónimo disse...

O QUE MAIS EU DESEJO NO MUNDO É QUE PORTUGAL VIRE UM PAISINHO COMUNISTINHA BEM VAGABUNDO NO CANTO DA EUROPA.
UMA MOLDÁVIA DA EUROPA OCIDENTAL.

Tomé disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

^^
Não!

PAULÃO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Italo disse...

PAULÃO,

Já ultrapassou.


E em 12 anos seremos a 5 (quinta) economia mundial. Claro, aliando crescimento per capita, responsabilidade fiscal, respeito ao direito internacional, e desenvolvimento social. A renda per capita têm aumentado todos os anos, a criminalidade diminuiu, o PIB sempre crescendo, a infraestrutura do país tem sido completamente reformada e reformulada, portos, rodovias, trem-bala, hidrovias, hidrelétricas, usinas de biocombustível têm sido contruídos. Venderemos de laranja, café e soja à aviões, produtos tecnológicos, navios e PETRÓLEO, além do investimento bilionário na reestruturação do país para o recebimento do triplo de turistas na próxima década.Não precisamos de ditadores, nem de neonazistas/comunistas no poder. Não precisamos mandar matar dignatários estrangeiros, nem assassinar jornalistas covardemente para impôr nossa opinião.. Através do trabalho duro conseguiremos e estamos conseguindo mudar nosso país.

Obs: Fomos o primeiro país a sair da crise(e isso atestado por Timothy Geithner em encontro com Henrique Meirelles)e teremos um crescimento este ano entre 2-3%, enquanto "outros " países por aí cairão -10%...

Só pra constar: O G-8 será reformulado em breve, e países como Itália e Canadá deverão se retirar, dando lugar ao Brasil e à Índia.


Esse século é nosso.

Anónimo disse...

Andas com a cabeça cheia de filmes de hollywood!!

Anónimo disse...

Os donos do Brasil são as multinacionais mundiais!

Anónimo disse...

Adoro esse anti-capitalismo dos portugueses. Essa é uma razões da pobreza secular dos portugas. Enquanto a europa capitalista toca o trem pra frente, Portugal continua sendo um parasita da Europa. Tá mais do que na hora de bruxelas repensar o papel de Portugal na UE.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê para Portugal uma queda de -4,1 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009, uma contracção da actividade económica acima dos 3,5 por cento previstos pelo Banco de Portugal, de acordo com o o "World Economic Outlook - Crisis and Recovery" .

INCOMPETENTES.


E com isso, o IDH, que já é um lixo comparativamente a europa ocidental, cairá tb.


Meu Deus, ainda bem que 7 milhões de imigrantes vieram pra cá, porque se dependesse da cultura e da colonização que Portugal deixou, estaríamos pior que Moçambique.

Gilberto Mucio disse...

Ainda estão com essa infantilidade, com essa frescura?

Pippo disse...

Gilberto, o que é que dá vontade de dizer a estes gajos???

O que eles todos mereciam, de um lado e de outro, era serem deportados para Moscovo. Meses depois, quando se encontrassem, gritariam, com uma lágrima nos olhos, "ÉS BRASILEIRO!" "VOCÊ É PORTUGUÊS!" e passariam a ser os maiores amigos do mundo.

A ignorância é arrepiante...

A barraquinha de Shuarma em Belyaevo, pertencente a um sírio, ainda funciona? E a do pão uzebeque?

Ab,

Gilberto Mucio disse...

Fala, Pippo!

Rapaz, eh bem isso mesmo. Mas Moscou nao! Eles estao merecendo eh Siberia! rsrs

A barraquinha ta la no mesmo lugar, do mesmo jeito, pelo menos na ultima vez que passei por la, que foi no primeiro de maio. Saboriei um delicioso shaurma de porco dessa vez.

E o pior eh que depois de uns tempos sem comer isso a gente fica com saudades. rsrs

Cheguei do Brasil ha pouco tempo e nos proximos dias vou a Bilyavo no Magazin Dieta comprar umas costelas bovinas(as melhores de Moscou) e fatalmente devorarei um ou dois shaurmas.

Abraco

Gilberto Mucio disse...

*Bilyaevo

Pippo disse...

Ahahah! Sim, Sibéria profunda, aquela onde há mosquitos e tudos, na tundra!

Olha, e não te esqueças de passar pela padria uzbeque e comprar um pão (acho que lhe chamavam "samsa") recheado com um molho à base de cebola. Era de comer... e chorar por mais!

Enfim, saudades do tempo de estudante em Moscovo... snifff!

Ab,