quinta-feira, setembro 17, 2009

Malta recusa-se a participar na entrega do cargueiro ao armador

Malta, sob cuja bandeira navegava o cargueiro Arctic Sea, recusa-se a participar na entrega do navio no porto de Las Palmas, informa hoje o Comité de Investigação da Procuradoria-Geral da Rússia.
“Semelhante decisão da parte maltesa provoca problemas à entrada do navio no porto de Las Palmas, tal como fora acordado com o Reino de Espanha”, lê-se no documento publicado.
Segundo esse comité, “Malta apenas chama a si o compromisso de informar o proprietário do navio”.
O Comité de Investigação sublinha que “a decisão maltesa põe em situação difícil tanto a tripulação do cargueiro, como dos investigadores que lá se encontram”, acrescentando que já se faz sentir “falta de víveres” a bordo.
O cargueiro Arctic Sea, que oficialmente transportava madeira da Finlândia para a Argélia, foi desviado no Mar Báltico em finais de Julho e encontrado por navios de guerra russos nas costas de Cabo Verde a 16 de Agosto.
As informações contraditórias prestadas pelas autoridades russas levaram a supôr que o navio poderia transportar mísseis ou outros “materiais perigosos” para o Irão, tendo obrigado a uma intervenção dos serviços secretos israelitas para fazer abortar a operação..

15 comentários:

Anónimo disse...

Quem enviou navios de guerra é que tem de tomar conta do barco. Ou ainda querem que sejam os espanhois a pagar as despesas, dado que estão a ficar sem alimentos e sem combustível?

Pippo disse...

"As informações contraditórias prestadas pelas autoridades russas levaram a supôr que o navio poderia transportar mísseis ou outros “materiais perigosos” para o Irão, tendo obrigado a uma intervenção dos serviços secretos israelitas para fazer abortar a operação.."

PERDÃO?
JM, explique lá esta afirmação. É que, que eu saiba, aquilo ainda não passa de mera expeculação.

Pippo disse...

"As informações contraditórias prestadas pelas autoridades russas levaram a supôr que o navio poderia transportar mísseis ou outros “materiais perigosos” para o Irão, tendo obrigado a uma intervenção dos serviços secretos israelitas para fazer abortar a operação."

PERDÃO???

JM, continua a veicular meras expeculações, sobretudo a parte que envolve Israel e o Irão. Não acha que deveria por um travão a isso e esperar por informações concretas?

Jose Milhazes disse...

Caro Pippo, a hipótese de o cargueiro transportar não transportava só madeira tem cada vez maior razão de ser tendo em conta a forma como o problema está a ser gerido pelas autoridades russas. Até daria para rir não se tratasse de um caso sério...

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Penso que aquilo que Pippo se refere, foi também o que eu reparei mas acabei por não comentar.

ao ler esse mesmo parágrafo indicado pelo o Pippo, você diz que houve realmente uma intervenção israelita, devido à suposição de haver mísseis para o Irão.

Você quer mesmo dizer que existiu de facto uma intervenção serviços secretos israelitas?

Jose Milhazes disse...

Caro PM, essa é apenas uma das hipóteses que recolheu algum consenso. Eu escrevo "levaram a supor"

PortugueseMan disse...

Sim eu sei que escreveu e foi por isso que optei por depois não dizer nada.

Mas é a maneira como escreve o parágrafo que ao ler o "supor" não engloba as duas afirmações.

Eu quando li pela 1ª vez e que me obrigou a ler várias vezes, cheguei à conclusão que o que queria mesmo dizer era a suposição para as duas afirmações.

Serlock Holmes disse...

Comunicação oficial da autoridade russa:
“a decisão maltesa põe em situação difícil tanto a tripulação do cargueiro, como dos investigadores que lá se encontram”, acrescentando que já se faz sentir “falta de víveres” a bordo."

-A forma aberrante como estes mentecapetos encarregues de tratar este assunto começa a ser hilariante. A facilidade com que remetem para terceiros, os problemas que eles próprios engendram faz pensar na impunidade e facilidade em que as máfias afrontam os ditos "agentes de autoridade/Comité de Investigação"

Oreverencial"pudor"das autoridades em encobrir em vez de denunciar o Armador, é no minimo suspeito ! porque neste momento...se o navio não tem tripulação...é porque alguem os deteve ! quem teria sido?

Será que Viktor Mertvejev está tão próximo do Ksar...como Francis Drake estava de Elizabeth I ?

...esse é o grande enigma deste já denso mistério...!

António Campos disse...

A confirmarem-se as suspeitas sobre o Arctic Sea, ficaríamos em condições de ler mais claramente a versão de Putin, revista e actualizada, do acordo Molotov-Ribbentrop.

António Campos

Anónimo disse...

Que tem o Molotov a ver com o barco? Que o caso não faz sentido, já se sabe. Mas já chegámos à Mossad? Grande ficção!!!

anonimo russo disse...

"As informações contraditórias prestadas pelas autoridades russas levaram a supôr que o navio poderia transportar mísseis ou outros “materiais perigosos” para o Irão, tendo obrigado a uma intervenção dos serviços secretos israelitas para fazer abortar a operação.."

O sr. gosta de falar das "declaraçoes contraditorias", mas onde esta alguma contradiçao nessas declaraçoes? Mais um momento: e dificil acreditar nalgumas s-300, tanto mais sendo levadas para o irao, se prestarmos mais atençao as palavras dos representantes da Russia, por exemplo as palavras do Rogozin que disse que ele proprio se dirigiu a nato para participar nas buscas do navio, que, na realidade, foi encontrado muito em breve e sequido por navios da Nato e da Russia ate ao lugar onde ocorreu o resgate. Tambem acho, que, se a Russia quisesse mesmo levar alguma coisa ate ao Irao, podia tranquilamente organizar tudo devidamente e proteger a carga.

Anónimo disse...

Últimas da novela Artic Sea: parece que só há mesmo madeiras e derivados lá dentro. Os espanhóis só aceitam que o navio aporte se o armador pagar as contas, porque são precisas reparações. E entretanto quem sabe se o grande mistério não é mistério nenhum e esteve sempre à nossa frente? Ontem, por acaso, fui conferir o CV de Medvedev e EUREKA: ele tem uma empresa de(adivinhe!!!) MADEIRAS!!! há uma boa duzia de anos. Verifique, que é verdade. Que significa isso? Negócios pessoais do PR, seja quais forem e não me parece que sejam limpos. E assim vai a Rússia. Bem me parecia que o sonsinho não era boa peça.
Compreendo e até aconselho que não publique este comentário.
Cumprimentos.

Pippo disse...

"acho, que, se a Russia quisesse mesmo levar alguma coisa ate ao Irao, podia tranquilamente organizar tudo devidamente e proteger a carga."
Esqueça. A Rússia, claramente, não tem essa capacidade. S. Marino, talvez, ou mesmo o Principado do Mónaco, mas a Rússia não tem esse potencial.

Ao que parece, estamos perante um conluio entre as máfias russas, os militares e o Kremlin, os quais queriam vender mísseis ao Irão. Assim, transportaram mísseis S-300 para o enclave de Kaliningrado (não havia lugar melhor) a fim de os colocarem num compartimento secreto do navio o qual foi carregar madeira a Helsínquia para a transportar para a Argélia (que fica, como todava gente sabe, perto do Irão).

O navio, esse, ou foi desviado por elementos da Mossad que não sabiam levar o navio para a Argélia (e depois, rapidamente, para Israel), ou então foi desviado por elementos da tal máfia russa porque, no que diz respeito à tripulação de mafiosos, "antes a mais do que a menos".

Por fim, as autoridades russas, ameaçadas, ou de um ataque nuclear pela Força Aérea Israelita, ou de serem expostas no que diz respeito à venda de SAM para o Irão (o que é expressamente proibito pela OMC, como sabe), intervieram cheias de medo, tentanto passar uma esponja no assunto. A NATO, boa samaritana, socorreu os seus amigos russos e ficaram todos bons amigos.

Como os russos foram uns porreiros, o lobbie judaico obrigou o Barack Obama a ceder na questão dos mísseis na Polónia.

MSantos disse...

Dado os rumores que houve sobre a presença do Artic Sea ao largo de Portugal, ainda estou em crer que os S-300 eram para a República Independente do Bugio.

:o)

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

Ou para o Reino das Berlengas!!! O Mário Viegas é que sabe-la toda! :o)