domingo, outubro 11, 2009

Reflexões políticas tristes sobre o desporto-rei

(foto 1)

(foto2)


(foto 3)

Não venho analisar aqui os resultados dos encontros de futebol relativos à fase de apuramento do Campeonato do Mundo de 2010, mas chamar a atenção para a forma como se continua a fazer do desporto uma arma política perigosa, que faz lembrar os piores momentos de um passado recente.
No início do jogo disputado entre as selecções da Rússia e da Alemanha em Moscovo, uma das tribunas do Estádio Lujniki ficou praticamente coberta com uma gigantesca faixa onde estava representada a famosa imagem da "Mãe Pátria" (foto 1), ou melhor, uma interpretação actual do famoso cartaz "Mãe Pátria" (foto 2), criado durante a Segunda Guerra Mundial, onde, nomeadamente, russos e alemães se defrontaram em combates que custaram milhões de vidas.
Na versão original, a ""Mãe-Pátria" chama!" para a luta sagrada contra o invasor alemão, na actual, ela apela "Em Frente, Rússia!" na luta (parece que também sagrada, pelo menos para os dirigentes políticos sentados nas bancadas, entre os quais se destacavam Dmitri Medvedev e Vladimir Putin) contra a selecção alemã com vista à chegada à fase final do Campeonato do Mundo.



Estranho paralelo num país onde os dirigentes não se cansam de acusar "alguns" (no país e no estrangeiro) de tentarem falsificar a história, diminuindo o papel da União Soviética na derrota do nazismo hitleriano, e de criar até comissões de combate aos falsificadores! Mas será que a algum "falsificador" da história viria à cabeça comparar a vitória na Grande Guerra Pátria de 1941-1945 com uma partida de futebol?
Mas é ainda mais surpreendente a forma como Vitali Mutko, presidente da Federação de Futebol da Rússia, explica o aparecimento da faixa: "Trata-de de uma ideia dos apoiantes. A faixa deve ser vista como o início da campanha da luta pelo Campeonato do Mundo de 2018. Trata-se de um dos símbolos da Rússia. Os nossos adeptos apoiaram-se na força dessa figura".
"Trata-se de uma faixa correcta!", concluiu.
Bem, o Sr. Mutko poderia ter encontrado alguma explicação mais inteligente, a não ser que ele considere toda a gente idiota. A citada faixa não apareceu em nenhum dos jogos anteriores, mas apenas na partida contra a Alemanha!
Quanto à ideia dos apoiantes, cabe apenas recordar que há apoiantes que têm ideias de arrepiar, desde cartazes racistas até palavras de ordem insultuosas e provocatórias. Não é por acaso que, às vezes, clubes e estádios são castigados e multados pelas autoridades desportivas internacionais.
Uma faixa como a que apareceu no Estádio Lujniki não teria aparecido se não existisse o consentimento das autoridades russas, o que torna as coisas ainda mais graves.
Não me venham justificar isto com o facto de americanos, portugueses, chineses e sei lá quem mais fazerem coisas semelhantes...
Ou talvez eu esteja a exagerar, a fazer de uma mosca um elefante! A julgar pelo rosto alegre de Gerhard Schroeder (foto 3), antigo chanceler alemão que hoje trabalha para a gasífera russa Gazprom, ele parece não ter ficado nada ofendido. Não sei se o mesmo aconteceu com os restantes alemães.

35 comentários:

Anónimo disse...

Diz o roto ao nu!
O Stoiber é um mafioso neonazi, toda a gente sabe, e o Schroeder é corrupto que chegue.
Teria sid preferivel a Rússia ter ganho em casa.

kakaroto disse...

vou dizer aqui milhares futebol e igual a politica, são eventos de massa.

lol disse...

hola gostaria de saber se realmente houve algum fenomeno estranho de nuvens em moscow desde ja agradeço

Anónimo disse...

esse blog é totalmente tendencioso e parcial.

Uma pena...

Jose Milhazes disse...

Leitor Anónimo, fundamente o que diz.

MSantos disse...

"Ou talvez eu esteja a exagerar, a fazer de uma mosca um elefante!"

Acredite que não está a fazer, José Milhazes, pois trata-se de um problema gravíssimo que afecta qualquer sociedade ocidental moderna.

Veja-se o caso português em que as claques de futebol são autênticas associações de incitamento à violência se não forem por si só elas próprias organizações criminosas. Veja-se o que acontece com as estações de serviço nas tristemente célebres digressões Lisboa-Porto e vice-versa. Veja-se o caso do líder de claque que embora nunca tenha trabalhado faz-se deslocar numa viatura de alta cilindrada ou até aquele logo que deveria horrorizar qualquer sobrevivente dos campos de Aushwitz ou Treblinka.

Tudo isto acontece com o beneplácito das autoridades desportivas, governamentais, etc. Aqui e em qualquer país do mundo.

E Schoreder não se escandaliza pois no seu país tem mais do mesmo e se calhar com expressões ainda mais escandalosas.

Isto tudo partindo do princípio que o cartaz, que não é mais que o homólogo russo daquele tão famoso do Tio Sam de cartola e barbicha (I want you!), fosse ofensivo que nem é o caso.

Seguindo esta linhas erá melhor os americanos também erradicarem a figura do Tio Sam para não ofender os vietnamitas.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

O que é dramático é que os russos não entendem o despropósito deste cartaz!
Эти русские, обсирают свою историю!

serigado disse...

Nao vejo mal nenhum na utilizacao do cartaz, simbolo da luta russa contra os alemães, em mais uma "batalha" (esta desportiva). Nao e ofensiva nem excessivamente provocadora. Alen de que duvido que houvesse uma mao cheia de alemaes a saberem o significado por tras daquele simbolo.

António Campos disse...

Era de esperar. A Nashificação chegou ao futebol.

António Campos

Anónimo disse...

Sr. Milhazes,

Infelizmente, a grave promiscuidade entre futebol e política, ou vice-versa, é coisa negra em vários países e assim sendo, compreende-se até certo ponto que na Rússia também assim seja ou suceda, apenas se pode, quando muito, lamentar que a Rússia não aspire (ou renuncie) a ser diferente, e um modelo para melhor.

Como sabe, já no tempo da União Soviética, o desporto era utilizado para a glorificação do regime, e, um pouco por todo o lado, o futebol desde há muito era também utilizado pelos regimes de direita de então, para efeitos de arregimentação das massas.

Veja-se Franco e o falangista Juan Saramanch (que mais tarde viria a ser presidente do Comité Olímpico) e o Clube do regime, O Real Madrid, Salazar e o Benfica em Portugal (Salazar chegou a dizer pessoalmente ao Eusébio, que ele não se poderia transferir para o Inter de Milão, porque ele era " Património Nacional ") e muitos mais exemplos, os futebolistas Húngaros e o nacionalismo anti-soviético, os vários "Dínamos" e os "Locomotivas", bem como os "Spartaks" que mais não eram que símbolos e representantes dos regimes que os sustentavam.

Para uma mundividência de como tudo começou, veja-se (na Europa Ocidental), esta peça da BBC, em que, inclusivamente, se narra a tragédia do futebolista austríaco, Matthias Sindelar).

http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/magazine/3128202.stm

Mais recentemente, veja-se a eleição do brasileiro João Havelange ("democraticamente eleito" com larga participação de de corruptos delegados de países minúsculos e insignificantes quanto ao peso do seu seu futebol, a "mãozinha" da Adidas (outra besta negra que se introduziu na área do futebol por aquela altura) as constrangedoras relações entre a direita conservadora britânica e os hooligans (muitos deles membros da Frente Nacional, que fornece guarda-costas e arruaceiros) e por aí adiante.

O desporto, como actividade amadora, e prática salutar de exercício, está morto há muito tempo, tudo que nos resta, é "futebol de bancada", local donde podemos insultar o árbitro e os jogadores da equipa adversária.

Não obstante alguns dos maiores clubes de futebol profissional receberem o respeitável estatuto de "Pessoas Colectivas de Utilidade Pública" - o que lhes dá desde logo imensas regalias e benesses, tais como o direito a não serem sequer incomodados pelas autoridades fiscais no tocante à fiscalização das respectivas contabilidades - e tal estatuto ter uma contrapartida - a obrigação de prestarem actividades gratuitas à comunidade - que eu saiba, ninguém pode utilizar o relvado, o pavilhão, ou a pista de atletismo de essas colectividades desportivas, para o exercício do desporto, a não ser que pague, e mesmo assim, não sei se será autorizado :)

Onde está, pois, a "utilidade pública" ?

E mais, vêm recebendo "Fundos Comunitários" para a "Formação Profissional" pois alegam que, são uma Indústria.

Uma Indústria que produz o quê? Futebolistas?

Um futebolistas, no meu entender, é um " artista " e o futebol, um " espectáculo ", não, uma Indústria.

Gilberto Mucio disse...

Realmente lamentavel.

Coisa de republiqueta de terceira categoria, o aparelhamento do estado por parte de uma partido politico para fins eleitoreiros.

Eh a Russia rumo ao fundo do poco, se nada for feito.

Ps.: Esse Schroder eh uma sujeitinho muito desqualificado.

Ps.2: A UE eh um antro de hipocrisia e safadeza tambem.

Gilberto Mucio disse...

O problema nao eh a ultilizacao de um 'simbolo nacional' o que eh compreensivel em se tratando de futebol, onde a maioria dos adeptos eh um bando de ignorantes.

O problema eh a apropriacao de um 'simbolo nacional' em beneficio de um grupo politico, ainda amis em epocas de campanha -- o que eh uma coisa obscena.

Nem no Brasil, que nem de longe eh exemplo de 'pais serio', nunca se viu coisa parecida. Talvez em longincuas cidades de interior aconteca essas coisas, em campanhas de vereador.

E segue a massiva e absoluta desorientacao politica da populacao russa... quem tem a lucrar com isso, sao os que estao no poder.

João Serra disse...

O estádio de Futebol é o lugar onde o fungo nacionalista sobrevive e onde as sociedades aceitam as asneiras com muito mais impunidade. A utilização do cartaz é ofensiva para a memória das vitimas.

Anónimo disse...

milhares voçe dessa vez está errado.

pois o cartaz e simbolo da luta do povo russo contra o nazismo.

e ingraçado que no ocidente podem adorar sus pseudos herois.

ex: Italia: Julio Cesar, França Napoleão, Inglaterra Cherchin.

Estados Unidos tio San: , mais russia não pode.

minhas suspeits foram comfirmadas voçe oeia a russia e os russos.

Anónimo disse...

Este artigo esta venenoso demais para tirar a conclusão como Sr autor "gosta" a Rússia. Pergunta os seus amigos russos se eles asham alguma piada da sua ponta de vista...

Jose Milhazes disse...

Leitores anónimos russos, não confundam a Rússia, os russos e os seus dirigentes. Quanto aos meus amigos russos, a maioria pensa que o aparecimento da faixa no estádió é um insulto, mas já sei o que vão responder: que eu não tenho os amigos certos... Acontece.
Quanto às declarações de Vladimir Putin sobre o combate à corrupção, vá à internet e leia as mensagens à nação do Presidente depois de 2000. Não há uma em que ele não fale nisso.

Jest nas Wielu disse...

Mais um pormenor que ninguém se lembrou de assinalar:

A Mãe – Pátria (imagem da 2ª Guerra Mundial) está “embrulhada” em bandeira tricolor, que durante a mesma 2ª G.M. era a bandeira oficial da ROA – Exército Russo de Libertação do general Andrey Vlasov (http://en.wikipedia.org/wiki/Andrey_Vlasov). Ou seja … os aliados dos nazis que combateram essa mesma Mãe – Pátria vermelha…

Isso é o espelho da Rússia actual, onde o estado pretende glorificar por igual Ivan o Terrível, Stalin e Putin, generais monárquicos (Denikin, Kolchak) e comissários bolcheviques, águia bicéfala e a estrela vermelha. E ainda não estamos no fim da linha…

p.s.
António Campos como sempre é o mais clarividente, sim, é o nashismo em marcha, onde quer Stalin, quer Denikon são os nossos, pois são pró – império, pró – 3ª Roma…

Vox disse...

Este post do Jest está excelente, e tomo a liberdade de citar:

***Isso é o espelho da Rússia actual, onde o estado pretende glorificar por igual Ivan o Terrível, Stalin e Putin, generais monárquicos (Denikin, Kolchak) e comissários bolcheviques, águia bicéfala e a estrela vermelha***

Essa é a realidade, e essas as contradições.

Faltou aí, (penso eu) mencionar a Igreja Ortodoxa.
Aquando do colapso do comunismo na União Soviética, alguém nos Estados Unidos (um cidadão americano, cristão ortodoxo, com raízes ancestrais na Rússia) vaticinou mais ou menos isto :

O futuro da Rússia vai ser, ou vai depender, em muito, do modo como a Igreja Ortodoxa se vai posicionar e/ou comportar.

Infelizmente, o mesmo Jest já deu o retrato da situação : Patriarca exibindo um relógio de luxo de marca Breguet com bracelete de pele de crocodilo cujo preço oscila entre 28.000 a 32.000 Euros, venda de tabaco com isenção de impostos, benção a sex-shops.

Lei de Lavoisier, adaptada aos políticos, e companhia:
Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se acomoda ...

anónimo russo disse...

O sr. Milhazes não faz uma mosca de um elefante ou vice-verça, tudo é muito mais triste. O sr. Milhazes não entende brincadeiras. Eu durante o trabalho no sabado assisti nas várias estações da rádio às telefonemas das pessoas a propósito do jogo que ia acontecer. Foi tudo num tom alegre e benévolo. Houve até um concurso de fotos onde alguem enviou uma foto com um cartaz com a inscrição "1945:0" em frente a um "fogo perpétuo" (ou como se chama isso corretamente). Sem dúvida, essa pessoa é um criminoso que deve ser fuzilado no local.
E os dirigentes do estado, claro, jã não têm direito de aparecer num jogo importante simplesmente para mostrar o seu apoio à seleção. Sem dúvida, sr. Milhazes, é tudo uma conspiração com o fim de conquistar o mundo, começando primeiro por todas as repúblicas ex-sovieticas (olhe, "eles" nem encobrem esse desejo;)

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"O que é dramático é que os russos não entendem o despropósito deste cartaz!
Эти русские, обсирают свою историю!"

Научись по-русски писать нормально сначала, умник.

Ítalo Tavares disse...

"A faixa deve ser vista como o início da campanha da luta pelo Campeonato do Mundo de 2018."




A Rússia não pode e não vai receber eventos dessa magnitude.


Já pensou no tratamento que será dado aos milhares de pessoas que viajarão pra acompanhar os jogos de uma futura Copa do Mundo por lá?
Serão milhares de turistas e torcedores estrangeiros esfaqueados e massacrados pela mentalidade RACISTA e xenófoba que domina esse país.

SEM CHANCE.

anónimo russo disse...

Jose Milhazes disse...
"Leitores anónimos russos, não confundam a Rússia, os russos e os seus dirigentes. Quanto aos meus amigos russos, a maioria pensa que o aparecimento da faixa no estádió é um insulto, mas já sei o que vão responder: que eu não tenho os amigos certos... Acontece."

Não, não, o sr. tem amigos certos: sr. Campos, Jest, Múcio etc.

anónimo russo disse...

Vox disse...
Este post do Jest está excelente, e tomo a liberdade de citar:


Vox é mais um ucraniano nacionalista, não é?

anónimo russo disse...

lol disse...
hola gostaria de saber se realmente houve algum fenomeno estranho de nuvens em moscow desde ja agradeço

Eu não vivo em Moscovo, mas pela internet vi algumas fotos. Houve, sim.

Jose Milhazes disse...

Anónimo russo, também tenho amigos com o apelido de Petrov, Ivanov, etc., etc.
Outro leitor russo, não sei de que fenómeno fala. Será que as autoridades moscovitas abateram as nuvens para que não chuvesse no estádio? Isso é feito em acontecimentos excepcionais, mas não ouvi nada de qualquer fenómeno.

anónimo russo disse...

Jose Milhazes disse...
Anónimo russo, também tenho amigos com o apelido de Petrov, Ivanov, etc., etc."

Sem dúvida. Deve ser alguns Kasparov, Kovalev etc. Por sinal, kasparov foi um bom jogador de xadrez, para que se meteu na política e, ainda mais, de uma maneira tão vergonhosa, chorando nas entrevistas aos jornais tipo Waschington Post etc?

O fenómeno.
http://oko-planet.su/phenomen/phenomennews/20827-strannoe-oblako-nad-moskvoj-kommentarij.html

José Serra disse...

Ainda bem que Sr. Milhazes saiu do PCP, espero que assim pais tive menos vergonha do filho.

Vox disse...

anónimo russo das 19:53 disse:

Vox é mais um ucraniano nacionalista, não é?

Não, não é, Vox é um português de gema.

Essa dúvida que o senhor levanta tem enquadramento no "âmbito da produção de ..." ... "dúvidas" e como tal é boa (em termos de produção) :))) logo, há que inseri-la no plano quinquenal. :)))

Vox gosta de ler os posts de Jest, e pode até confirmar, na prática, que, tudo o que ele vem dizendo aquí, até ao momento, verifica-se.

Assim:

Russo ferve em pouca água (Jest dixit).

Vox pode confirmar que, Russo ex-comunista (apenas aparentemente) recauchutado em neo-capitalista liberal, por tanto, fragilizado pela dupla fachada, de facto, e na realidade, ferve em pouca água.

Basta arranhar ligeiramente a pele a tal "russo moderno" ex-comunista e convertido em neo-capitalista liberal, que aparece logo por baixo da pele, NKVD. (Vox dixit)

Basta dizer qualquer coisa que não agrade a tal espécie de pessoa acima referenciada, que é o suficiente para irromperem logo por aqui, alguns auto-designados " Anónimos Russos ", que, conjecturo, nada mais serão do que filo-comunistas, não russos ( talvez antigos simpatizantes e funcionários do partido comunista português, bem como comunistas de outros quadrantes, por exemplo, outros países de língua portuguesa, designadamente, brasileiros e angolanos. :)))

Eis, portanto, um comentário com relação ao qual, se pode justamente, dizer, que enferma dos mesmo defeitos que critica, pois que, também eu, estou a dar um contributo para a " produção de dúvidas " :)))

Cordiais cumprimentos.

anónimo russo disse...

Vox disse...
anónimo russo das 19:53 disse:


"Vox pode confirmar que, Russo ex-comunista (apenas aparentemente) recauchutado em neo-capitalista liberal, por tanto, fragilizado pela dupla fachada, de facto, e na realidade, ferve em pouca água.

Basta arranhar ligeiramente a pele a tal "russo moderno" ex-comunista e convertido em neo-capitalista liberal, que aparece logo por baixo da pele, NKVD. (Vox dixit)"

Se está a falar de mim, nunca fui comunista e nos tempos do fim da URSS era aínda adolescente. Se está a falar de mim, não seria correto mencionar a palavra NKVD (se entende o seu significado) porque alguns dos meus antepassados sofreram na época de Stalin.

Quanto a esse jest, nem quero falar dele, porque ele não passa de um russófobo e nada mais. Ele vai odiar os russos, embora ele próprio seja a mesma coisa, independentemente de eles serem comunistas, democratas, católicos ou budistas. Alem disso eu tenho a impressão que ele é uma pessoa relativamente jovem que nem viveu devidamente na URSS. Há alguns sinais disso.

Jest nas Wielu disse...

2 anónimo russo 14:11

Sou alvo da curiosidade alheia e das especulações, é muito gratificante saber que o meu trabalho incomoda uns tantos pocriotas.ru

Apesar da minha relativa juventude, conheci muito bem a “Grande zona”, a URSS, de tal ponto, que não consigo ter alguma opinião favorável daquele país totalitário. Desculpa lá, pá....

p.s.
Já que V. Excia não gosta de Geórgia, eis o artigo sobre a Acta de Liberdade Económica, lei preparada pela equipa do Mikael Saakashvili:
http://www.parliament.ge/index.php?
lang_id=ENG&sec_id=63&info_id=24937

e já que os pocriotas.ru geralmente não são muito fortes em línguas da NATO, eis o artigo do Andrei Illarionov sobre o assunto:
http://aillarionov.livejournal.com/120115.html

Oh Well, Okay. disse...

Sinceramente não vejo qual é o problema. Ou até vejo. A Rússia tem uma história, ligada ao regime comunista. É perfeitamente compreensível que vão buscar coisas deste tipo para passar determinadas mensagens, como já alguém disse de "luta" ou do "vencer o outro". Depois há aqueles extremistas que pegam nisto e fazem wow, o terror.

O que tem piada é que no fim da II GM, a URSS era vista como a camarada do combate ao nazismo, depois passou a ser o inimigo e isso nota-se bem, já nem sequer podem usar uma imagem da época com uma mensagem bastante clara, para se fazerem este tipo de suposições.
Nem sei o que deva pensar de quando nos jogos do Porto começam aqueles cânticos de "o porto é uma nação". Se fosse na Rússia eram automaticamente considerados nacionalistas e condenados pelo senhor Milhazes e camaradas. Enfim.

Qualquer dia deixa-se de cantar o hino nos jogos, porque demonstra um carácter nacionalista. (risos)

Ítalo:

"Serão milhares de turistas e torcedores estrangeiros esfaqueados e massacrados pela mentalidade RACISTA e xenófoba que domina esse país."

Que generalização sem sentido. Então jogos em Inglaterra (e nuns outros tantos países) também estão fora de questão, visto o sentimento extremamente agressivo ligado ao desporto já comprovado nos jogos.

Roman disse...

Todo este tema é um problema tirado da cabeça. Nada mais.
Há coisas mais sérias na vida.

Entretanto alguns leitores já perderam a cabeça e começaram a ultrapassar os limites. Descancem. Relaxem-se.

Vox disse...

Resposta a comentário de anónimo russo das 19:53

Antes de mais, lamento que antepassados seus tenham sofrido perseguições no tempo de Stalin (nós dizemos, Estaline).

Tenho conhecimento suficiente sobre os crimes cometidos no tempo de Estaline, pela polícia política NKVD e também, pelo Exército Vermelho.

Muito recentemente, inclusivé, ví uma excelente série inglesa de nome " II Guerra Mundial à porta fechada ".

Nela, são fielmente retratados acontecimentos tais como o massacre de Katyn e as perseguições e sofrimentos que foram impostos aos Polacos (antes e depois de Katyn, desta vez, quando o Exército vermelho se apresentou como " Libertador ").

Foram exumados corpos e alterados e forjados documentos (cartas, recortes de imprensa, etc.) de modo a enganar a opinião pública mundial, no sentido de atribuir as culpas aos alemães. As datas das cartas enterradas com os cadáveres foram alteradas no sentido de dar a entender que quando os alemães chegaram a katyn, os prisioneiros polacos ainda estavam vivos. recortes de imprensa de data posterior ao massacre, foram juntos aos cadáveres.

O rol de execuções sumárias sob vários pretextos, represálias sobre civis, deportações em massa, e sobretudo, as violações de mulheres, (fossem elas ucranianas, polacas, húngaras, jugoslavas, alemãs, etc.) cometidas pelo "Exército Vermelho", chegou a ser denunciado pessoalmente a Estaline pelo comunista jugoslavo, Milovan Djilas, o que mereceu o desprezo do boçal Estaline, que humilhou Dilas, beijando a mulher deste.

Mas em bom rigor, é justo dizer-se que Estaline e Lavrenti Beria, eram ambos, Georgianos.

CONTINUA

Vox disse...

CONTINUAÇÃO

Resposta a Anónimo russo das 19:53

Se o senhor é mesmo russo, como diz ser, escreve bem em português.

Pessoalmente, e creio que será esse o sentimento quase geral do povo português, não tenho ressentimento em relação ao povo russo, e isso, apesar de, muitos milhares de soldados portugueses terem morrido e outros terem ficado estropiados com minas anti-pessoal e todo o tipo de armamento fornecido pela União Soviética aos guerrilheiros africanos, durante os cerca de 14 anos que durou a guerra colonial em África.

Apenas fico desiludido ao deparar que a Rússia pós União Soviética, não só importou a adoptou muitos dos piores vícios do Ocidente, como, ao mesmo tempo, conservou e manteve alguns dos maus hábitos do tempo do comunismo.

E, embora seja leitor recente deste Blog, não vejo nada de carácter geral anti-russo (russófobo na generalidade), por parte daquilo que o Jest escreve, ele apenas se limita a apontar certas coisas, que penso, não serão mentiras.

CONTINUA

Vox disse...

CONTINUAÇÃO

Resposta a anónimo russo das 19:53

Já agora, para lhe dar uma ideia do carácter não revanchista nem vingativo do povo português, fica aqui um link para uma reportagem exibida numa das televisões portuguesas, sobre crianças ucranianas que vivem perto da zona de Chernobyl.

Segundo dizem os médicos locais, estas crianças, devido à tenra idade e a terem menores defesas imunológicas do que os adultos, devem mudar de ares e alimentação, frequentarem a praia junto ao mar, então foram acolhidas por algumas famílias portuguesas, durante 5 semanas.

Não obstante nem as famílias portuguesas falarem ucraniano, nem as crianças falarem português, lá se foram entendendo, e passaram mais de um mês de férias de verão aqui, bem agradável.

Sinal evidente de que, valores tais como, humanismo, solidariedade, e hospitalidade, não foram apagados da maneira de ser do povo português, e isso, não obstante 40 anos de ditadura em Portugal e, após 1974, quase 35 anos de democracia de tipo siciliana.

Link para o vídeo-reportagem (em ucraniano e português) com mais de 20 minutos de duração.

A reportagem tem o nome de " Filhos de Chernoby - Linha da Frente "

http://tv1.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=25508&e_id=3&c_id=1&dif=tv&hora=21:00&dia=14-10-2009