quinta-feira, novembro 26, 2009

População da Rússia continuará a diminuir

A população russa diminuirá durante as próximas décadas e o ligeiro aumento fixado no período de Janeiro a Setembro de 2009 não parece ser uma tendência durável, declarou hoje Alexandre Surinov, vice-director do Serviço Federal de Estatíticas da Rússia (Rosstat).
“Se não se operar nenhuma mudança radical no estado de espírito dos nossos compatriotas, a população do nosso país diminuirá nas próximas décadas”, disse ele numa conferência de imprensa em Moscovo.
Segundo Surinov, é necessário que cada família tenha, em média, 3-4 filhos e que os russos prestem maior atenção à sua saúde.
Pela primeira vez em muitos anos, registou-se um crescimento da população no país entre Janeiro e Setembro do ano corrente, tendo a população aumentado em 5.300.000 pessoas (0,004 por cento) e chegado às 141,9 milhões de pessoas.
Porém, considerou Surinov, é prematuro considerar estes dados como pertinentes, porque este período é insuficiente para se falar numa tendência.
O vice-director do Rosstat considera que só os esforços desenvolvidos pelo Estado com vista a melhorar o nível de vida e a qualidade da saúde pública poderão travar a tendência de diminuição da população russa.
“A esperança de vida dos russos é inferior ao fixado em numerosos países da África do Norte”, concluiu.

25 comentários:

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

É um problema é de muito fácil solução.
Destruam o que resta do ensino na Rússia até atingir os 60% de analfabetismo, virão que daqui por 20 anos a tendência começa a inverter-se!


Estes “senhores” parece que ignoram as causas desta situação?



Carlos TR

Anónimo disse...

O que aqui está exposto não é mais que uma Ode ao mais puro reaccionarismo. Uma veneração à mentira e a tentativa de uma vez mais apunhalar a verdade pelas costas.

Foram apenas os Ucranianos atingidos por esse flagelo?
Porque razão em Julho/Agosto de 1933 a situação se inverteu repentinamente?

Consultem esta noticia____ www.rg.kiev.ua/page5/article12595

Carlos TR

Gilberto Mucio disse...

A diminuicao se da pela falta de incentivos e pelo alto custo de vida.

Em uma cidade grande como Moscou ou Sao Petersburgo, o aluguel de um apartamento de sala e dois dormitorios(o minimo para quem quer ter filhos) nao sai por menos de USD 2000. A compra do mesmo dependendo da localizacao varia entre USD 250.000 e 500.000.

Sem tirar o fato de nao existir licenca-maternidade, seguros, etc... O trabalhador praticamente nao possui direitos trabalhista, pois os que tem(que quase nunca sao cumpridos) sao ridiculos.

As creches e jardins de infancia estao em qualidade cada vez pior. E cada vez mais dificil conseguir vagas, o que nao entendo porque, pois a demanda nao aumentou. Surgiram varios que sao privados, mas custam uma fortuna...

Agora pergunto, como as classes medias terao condicoes de terem filhos dessa maneira?

Eh muito facil para a corja mafiosa que esta no poder abrir a boca e dizer "facam mais filhos!".

Depois de anos de bonança graças ao dinheiro das commodities, a situacao da Russia melhorou um pouquinho no quesito natalidade.

Ou seja, mesmo depois de uns 6 anos de alto crescimento economico, isso so foi comecar a se refletir no aumento da taxa de natalidade no ultimo ano(2008), ainda que bem timidamente, quase irrelevantemente.

Agora a tendencia eh as taxas cairem mais ainda.

Ps.: OUtra coisa que faz com que a populacao diminua, alem da baixa nataliadde, eh a baixissima expectativa de vida(apra os padroes ocidentais).

anónimo russo disse...

Segundo eu entendo, o sr. Milhazes cita aqui a notícia, divulgada pela agéncia RIA-Novosti, onde aconteceu a conferéncia de emprensa em que participou o funcionário mencionado.

Eu não sou tradutor, mas, se me permitem vou dizer:

1. Na frase “Se não se operar nenhuma mudança radical no estado de espírito dos nossos compatriotas, a população do nosso país diminuirá nas próximas décadas” em russo em vez de "estado de espirito" ele disse "miólos".
2. Na frase "O vice-director do Rosstat considera que só os esforços desenvolvidos pelo Estado com vista a melhorar o nível de vida" em russo ele não tinha pronunciado a palavra "só".
È que isso pode mudar um pouco o tom daquilo que foi dito, ao meu ver.

Quanto ao tema do artigo, eu pessoalmente acho que só o tempo vai mostrar tudo, mas os números deste ano são um bom sinal.

anónimo russo disse...

Gilberto Mucio disse...

1.
"Sem tirar o fato de nao existir licenca-maternidade, seguros, etc... O trabalhador praticamente nao possui direitos trabalhista, pois os que tem(que quase nunca sao cumpridos) sao ridiculos.


Realmente? O que você sabe disso?


2."As creches e jardins de infancia estao em qualidade cada vez pior. E cada vez mais dificil conseguir vagas, o que nao entendo porque, pois a demanda nao aumentou"


È precisamente porque nos últimos anos a demanda aumentou muito e nos anos 90 muitos jardins de infáncia foram fechados.


3."As creches e jardins de infancia estao em qualidade cada vez pior."

Não diga o que não sabe. Eu, como pessoa que tem filhos, não posso ler isso tranquilamente. Isso não é verdade. Talvez haja algures jardins de infáncia num mau estado, mas eu não vi. Aqueles dois que eu conheço estão num estado muito bom, um deles foi aberto recentemente, e não são privados. (Um deles pertence a uma grande empresa e outro ao estado).

Pippo disse...

Gilberto, tirando a questão da esperança de vida, os problemas que apontou são similares aos que temos cá em Portugal: elevado custo de vida; cresces caríssimas; salários baixos; horários incríveis; ...

Uma família da classe média tem um rendimento médio (líquido) de 1600 euros. Paga cerca de 500 euros pela casa; como no trabalho não há refeitório, gasta cerca de 300 euros em almoços; no transporte gasta, no mínimo, uns 50 euros. Na creche gasta 200 euros por cada filho (se forem dois são 400). com o que sobra (350 euros) têm de comprar comida, gastar em água, gás, electricidade, roupa... e não há cá nada de luxos, do tipo delevisão por cabo, internet, nem nada do género.

Como as famílias de classe média têm espectativas para os seus filhos (têm de ter actividades extra-curriculares, têm de ter computador, Nintendo DS Lite, PSP3, roupas da marca X e Y, etc.) e espectativas para elas próprias (o melhor carro, uma grande casa, férias no estrangeiro, etc.), ou se têm filhos e não se tem nada disto, ou se tem isto e, portanto, nada de filhos.

Já constatei que a quebra de natalidade só ocorre nas classes médias. Os ricos, como vivem desafogados, podem ter N filhos; os pobres, como não têm espectativas elevadas, têm ninhadas que são educadas na rua.

Neste campo (o ta taxa de natalidade), diga-se de passagem, que quer a Ucrânia, quer a Rússia, dois países saídos da URSS, estão numa situação algo similar. Portugal também... e a Itália e a Alemanha estão ainda pior!

http://www.indexmundi.com/russia/birth_rate.html

http://www.indexmundi.com/ukraine/birth_rate.html

http://www.indexmundi.com/portugal/birth_rate.html

Anónimo disse...

"Sem tirar o fato de nao existir licenca-maternidade, seguros, etc... O trabalhador praticamente nao possui direitos trabalhista, pois os que tem(que quase nunca sao cumpridos) sao ridiculos."


Mas a Rússia ão é o paraíso dos trabalhadores de 1917???????


rs...

PortugueseMan disse...

A população russa diminuirá durante as próximas décadas e o ligeiro aumento fixado no período de Janeiro a Setembro de 2009 não parece ser uma tendência durável, declarou hoje Alexandre Surinov

Confesso alguma surpresa com estas declarações. Faz um comentário sobre os primeiros nove meses, onde existiu crescimento positivo e diz que não parece ser uma tendência durável? mas porquê?

De facto pode não ser, mas ele indicou a razão para pensar que não é durável?

Alguém me sabe indicar o factor de crescimento nos últimos anos? é descentente e está a acelerar? é descendente e está a desacelerar?

Engraçado estas declarações. se isto fosse cá era badalado como a estarmos a assistir à inversão do processo. Como estamos constantemente a ver na economia, um mês melhor e começam logo a falar de retoma para as pessoas começarem a comprar.

Eu tinha a impressão já no ano passado que havia indicações de que o decrescimento estava em desaceleração. Penso que será mais interessante ver os dados do próximo ano.

Anónimo disse...

No tempo em que vivi na Rússia não vi muitos casais com filhos.

Em Kursk cidade "pequena" se comparada à Moscovo, tinha um custo de vida realmente muito alto em relação às capitais européias de países do Euro.

Não sou economista para saber o porquê do alto custo de vida mas imagino que seja o histórico de inflação alta combinada com a forte demanda do crescimento económico dos ultimos anos, que pode ter provocado o aumento exagerado dos preços de muitas coisas, principalmente de imoveis.

Os russos em sua maioria têm o desejo de ter filhos e organizar uma família mas poucos conseguem sustentar uma família com mais de 1 filho.

Falta atenção do governo à saúde, isto é um facto. O grande problema é a corrupção, vemos que em muitos hospitais e postos de atendimentos há servidores corruptos que esperam desde uma boa Vodka, doces caseiros e até dinheiro para ser melhor atendido.


José Eduardo

Pippo disse...

Mea culpa:

escreve-se expectativas, e não espectativas.

:O)

Anónimo disse...

segundo essa fonte em termos de compara a grandes nações Europeias a Russia em termos de natalidade so fica Atraz da França.

houve uma grande evolução natalina russa, mais ainda e insuficiente.

o grande poblma russo e a grande mortalidade que ha pois a sua natalidade e acima da media Europeia.

Anónimo disse...

Anónimo Russo disse:
Não diga o que não sabe. Eu, como pessoa que tem filhos, não posso ler isso tranquilamente. Isso não é verdade. Talvez haja algures jardins de infáncia num mau estado, mas eu não vi


Tenho dúvidas que o Senhor viva na Rússia.
Ou será que a UNICEF está a mentir quando diz que há cerca de 4 milhões de crianças a abandonadas vagueando pelas ruas das cidades Russas? Os chamados órfãos com pais!
Será também que alguns órgãos de informação Russos mentem quando dizem que a população de Tambov se revoltou aquando da abertura das escolas por não haver o mínimo de condições para as crianças frequentarem as aulas?
A Rússia é um país de injustiças sociais e desigualdades tremendas. São essas as principais razões da preocupante quebra de natalidade.

Já os motivos para a baixa natalidade nos países desenvolvidos são de outra natureza.
Carlos TR

Pippo disse...

"A Rússia é um país de injustiças sociais e desigualdades tremendas. São essas as principais razões da preocupante quebra de natalidade."

As desigualdades sociais não originam baixa natalidade. Quer os ricos, quer os pobres da Europa têm muitos filhos. Uns vão para colégios exclusivos, os outros são educados na rua.

"Já os motivos para a baixa natalidade nos países desenvolvidos são de outra natureza."

E que motivos são esses?

Anónimo disse...

Quer saber quais os motivos da baixa natalidade nos países desenvolvidos? Tem como exemplos a Escandinávia, o Canada, a Austrália. Quer mais?
Quanto à alta natalidade aliada ao subdesenvolvimento, tem toda a África, América Latina, Paquistão, India, Bangladesh, Indonésia, Filipinas, etc….
A Rússia actualmente é uma mescla dessas duas coisas. Mas existem também outras causas que contribuem para essa situação da baixa natalidade. As raízes sócio/culturais têm bastante influencia nesse aspecto, aliado ao factor clima, temos que não esquecer que o povo Russo ainda dispõe de um bom nível de formação, essa é outra das causas que faz com que evitem os filhos na medida em que sabem que não vão ter condições para lhe facultarem um a vida condigna.
È sempre nas camadas com menos formação escolar que se encontram as grandes famílias. Com pequeníssimas excepções.
Carlos TR

Cristina disse...

As razões da baixa natalidade na Rússia e na Europa são similares mas há diferenças no que respeita às condições de vida.
Naturalmente que, em Portugal, as pessoas da classe média têm poucos filhos porque, como disse o Pippo, querem manter um padrão de vida aceitável (comprar carro, casa, ir de férias).
Na Rússia, a questão é um pouco mais complexa.
Em primeiro lugar, as mulheres têm grande facilidade de fazer abortos; em segundo, há enorme dificuldade no acesso à habitação - Muitas jovens famílias ficam a viver com os pais em apartamentos pequenos porque não têm possibilidades de comprar ou mesmo alugar casa.
Na Rússia, ter vários filhos é quase sempre sinónimo de pobreza, isto porque a mulher fica normalmente sem trabalhar durante vários anos ( a lei permite-o) com abonos de família irrisórios.
A assistência médica às crianças também nem sempre é gratuita e nas escolas públicas são exigidos pagamentos periódicos aos pais(para pagar a segurança na portaria, para obras, para limpeza, para festas etc). Em muitas creches, para se conseguir inscrever uma criança é exigido um "donativo" bastante significativo, embora as condições nas creches e infantários sejam normalmente boas.
Há também a questão da alta taxa de divórcios: cerca de 50% das crianças têm pais divorciados ou nunca conheceram o pai.
Todas estas condições contribuem para a baixa natalidade.
Cristina Mestre

Cristina disse...

Só mais uma nota.
De facto, as famílias russas no geral preocupam-se bastante com a formação dos filhos, para que estes tenham formação artística, musical, etc.
Por isso, preferem ter só um filho ou dois para lhes poderem proporcionar uma boa educação.
Uma coisa que a Rússia está mais avançada que Portugal é a qualidade e acessibilidade do ensino artístico e musical. Na Rússia existem milhares de escolas musicais e artísticas públicas para crianças, de grande qualidade e com mensalidades, por enquanto, muito baixas. Isso permite que as crianças tenham possibilidade de praticar as artes, (artes plásticas, música, ballet) mesmo sendo de famílias pobres. Em Portugal, tal não existe e seria bom que fizéssemos algo igual ao que existe na Rússia.

Pippo disse...

humm, Carlos, deu-me os exemplos da Escandinávia e afins. Já os conheço. Mas não me deu a explicação e é isso que eu pretendo.
Eu avancei com uma explicação para Portugal, a qual, a meu ver, aplicar-se-á à Rússia. Mas o Carlos limitou-se a dar exemplos sem avançar com explicações/hipóteses. E é isso que eu pretendo.

Qual é a razão para nos países muito desenvolvidos haver fraca natalidade? Não há desigualdades. Não há falta de condições para facultarem aos filhos uma vida condigna. Cá em Portugal, as famílias ricas têm ninhadas de Gonçalos, Bernardos e Salvadores. Porquê, então, a baixa natalidade naqueles países onde se vive muito bem?

E de forma inversa, porque é que nos países onde não há condições, ou onde o nível de formação é baixo, a natalidade é alta?

Gostaria de ler quais são, na sua opinião, as razões para este fenómeno.

Ab,

Anónimo disse...

A baixa taxa de natalidade é relacionada à urbanização, melhor educação, inserção da mulher ao mercado trabalho e outros factores que afectam a estrutura demográfica de uma nação.

No caso de países como China e India está relacionada a políticas de forte controlo de natalidade, pois nestes países não se têm índices mínimos satisfatórios de desenvolvimento para uma "demografia saudável".

Vejamos nos países mais populosos, a taxa de urbanização:

China 43%
India 29%
United States 82%
Indonesia 52%
Brazil 86%
Pakistan 36%
Bangladesh 27%
Nigeria 48%
Russia 73%
Japan 66%

http://en.wikipedia.org/
wiki/Urbanization_by_country

Índice de educação:

China ▲ 0.849
India ▲ 0.638
United States ▼ 0.968
Indonesia ▲ 0.834
Brazil ▲ 0.888
Pakistan ▲ 0.665
Bangladesh ▲ 0.524
Russia ▼ 0.933
Japan ▲ 0.949

http://en.wikipedia.org/
wiki/Education_Index

Taxa de fertilidade por mulher:

China: 1.77
India: 2.76
United States: 2.1
Brazil: 2.22
Pakistan: 3.73
Bangladesh: 3.08
Nigeria: 5.01
Russia: 1.4
Japan: 1.22

http://www.nationmaster.com/
graph/peo_tot_fer_rat-people-total-
fertility-rate

Mortalidade adulta por 1.000 habitantes:

China: 7.03
India: 6.4
United States: 8.27
Indonesia: 6.24
Brazil: 6.35
Pakistan: 7.85
Bangladesh: 8
Nigeria: 16.88
Russia: 16.06
Japan: 9.26

http://www.nationmaster.com/
graph/peo_dea_rat-people-death-
rate

Isto tudo reflecte na taxa de crescimento demográfico:

China 0.63
India 1.58
United States 0.88
Brazil 1.23
Pakistan 2.00
Bangladesh 2.02
Nigeria 2.03
Russia -0.47
Japan -0.14

http://en.wikipedia.org/wiki/
List_of_countries_by_population_growth_rate


P.S: Sei que muitos destes dados são estimativas e alguns não actualizados, mas podemos ter uma ideia de como está a demografia da Rússia. Creio que devemos levar em consideração também as guerras do passado, o comunismo (gulags) que dizimou muitos russos e certamente tem culpa em parte da queda demografica enfrentada pelo país.

Cpmts


José Eduardo

MSantos disse...

A Rússia apenas está a sofrer um dos males de qualquer sociedade ocidental moderna, ou pelo menos de qualquer sociedade com padrões e valores semelhantes.

Vou referir os principais factores, alguns dos quais já foram mencionados:

- Questão económica
- Vida profissional de ambos os membros do casal
- Crescente individualismo/egoísmo das pessoas (acreditem que é um facto) que coloca os cuidados a filhos menores em 2º plano.

A rebater todos estes factores, provavelmente tal como cá, os jovens saiem cada vez mais tarde de casa dos pais.

Geralmente tudo isto é contornado em situações de extrema pobreza e outros valores culturais como são o caso dos islâmicos, povos africanos e da etnia cigana (que na maior parte das vezes se aliam à condição de extrema pobreza).

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

Sim, isso é verdade, Cristin. Lembro-me que os concertos dados pelos alunos do Conservatório em Moscovo eram ao preço da chuva (naquele caso, da neve).

Anónimo disse...

A falta de dinheiro pode explicar uma parte dos problemas, mas é em especial os valores e comportamentos como o egoismo, alcoolismo e materialismo que explicam como vários já escreveram essa catástrofe demográfica. Uma implosão demográfica russa não interessa a ninguém, mas são os russos que têm de resolver o problema do pais deles, ou será que somos nós que temos de lhes fazer os filhos :-D

Anónimo disse...

Pela primeira vez em muitos anos, registou-se um crescimento da população no país entre Janeiro e Setembro do ano corrente, tendo a população aumentado em 5.300.000 pessoas (0,004 por cento) e chegado às 141,9 milhões de pessoas!!?
Camarada, algo vai mal... 5.300.000são o,oo4 por cento!??? Então a população da Russia são 1.325.000.000... estamos na India!?? Ha! Ha! Ha!

Pippo disse...

"ou será que somos nós que temos de lhes fazer os filhos :-D"

Seu maroto ;o)

Anónimo disse...

com falta de alimentos no mundo inteiro, penso que os russos estão fazendo o melhor para eles.mesmo com todas as outras coisas;casa, emprego,creche, ainda temos os preços do alimento que tendem a crescer e nimguem vive sem eles, e não estou falando de caviar, e sim feijão e arroz.o gargalo populacional do mundo hoje é este em primeiro, depois tem outros.lembrando a todos que hoje de cada 7 pessoas no mundo , uma passa fome.